Moro detalha para “desinformados” legítima defesa no projeto de lei anticrime

Reprodução: Twitter

Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, detalhou nesta segunda-feira(20), através do microblog Twitter, a questão da legítima defesa no projeto de lei anticrime. “Para desinformados seria uma norma bárbara, uma licença para matar”, disse em trecho, reforçando que no caso o juiz poderá deixar de aplicar a pena ou diminui-la  sob reação a agressão injusta “se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção”.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. realmadriddepiumgenerico disse:

    O doido parte do pressuposto que a polícia portuguesa e a alemã tem os mesmos princípios, preparação e atuação que a polícia brasileira. Á polícia brasileira é uma das que mais mata no mundo. Você dizer que esta polícia pode apertar o gatilho e matar se estiver perturbado, assustado ou com medo é o mesmo que dizer pode matar. Os policias brasileiros vivem perturbado, vivem assustados e vivem com medo, além de mal instruídos, mal comandados, mal preparados e mal remunerados. É um projeto para enganar trouxas, ávidos por sangue, alimentados pelo ódio e cegos pela incapacidade interpretar as causas da violência.

  2. Sinope disse:

    Fica fácil apoiar o argumento do ministro quando o julgador se coloca na situação de apertar o gatilho movido por "medo, surpresa ou violenta emoção". Agora se este mesmo estiver do outro lado recebendo a força da pólvora em sua direção , certamente, o julgamento seria contrário. O que temos de fato é que o julgador não vai encontrar precisão para quantificar coisas tão solúveis ao peso da balança quanto "medo, surpresa ou violenta emoção". Na prática será uma porta aberta para a injustiça de soltar ou prender ao sabor e gosto da caneta do julgador.

    • Victor disse:

      Na prática vai ser o seguinte: se for preto, pobre, mal vestido, em caso de surpresa ou medo pode atirar, porque o medo se justifica. Mas se for um rapaz branco e bem apessoado, vestido com roupa de academia ou uma roupa social qualquer, o medo não se justifica. Essa distinção fazemos a todo momento, nas calçadas, nos sinais de trânsito, etc.

  3. .José de Arimatea Lopes Fernandes disse:

    Moro é competente, íntegro e obstinado defensor do direito do cidadão

  4. Jorgensen disse:

    Medo e susto são difíceis de mensurar

    • El Potiguar disse:

      Qdo vc ou sua família estiver com uma pistola apontada pra cabeça, vc vai medir!

    • Victor disse:

      El Potiguar, com uma pistola apontada na cabeça da família é fácil justificar o medo. O Jorgensen se refere é, por exemplo, a hipótese de você tentar avisar a alguém que a porta do carro está mal fechada e ela, achando que você é um assaltante, dispara um tiro na sua cara. Estava com medo ou teve um susto. As vezes eu tenho medo da forma que gente como você interpreta as coisas, mas nem por isso acho que seria defensável que lhe desse um tiro.

    • Jorgensen disse:

      Victor, parabéns .
      Você entendeu perfeitamente e ainda deu um plus

    • André Carvalho disse:

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…que paulada!!! Victor destruindo um "doutor de facebook". Ainda vale a pena vir aqui ver comentários. Botem um óculos e toquem uma música para esse mito…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

COMENTE AQUI