Palocci detalha as altas cifras de propina de Lula e ainda “vantagens indevidas”

Foto: Theo Marques – 14.ago.19/Framephoto/Estadão Conteúdo

A Crusoé resumiu um dos anexos de Antonio Palocci:

“O ex-ministro relata que Lula recebia altas cifras de propina através da empresa de palestras LILS e do Instituto Lula e que, além disso, operava uma espécie de mesada em espécie de até 100 mil reais a Lula com dinheiro repassado pela Odebrecht e pelo Banco Safra.

Os pagamentos eram feitos ao ex-presidente por ele ou por seu assessor Branislav Kontic. Palocci também lista as vantagens indevidas que Lula teria recebido da Odebrecht e da OAS por meio do triplex no Guarujá, da reforma do sítio de Atibaia, da aquisição da sede do Instituto Lula em São Paulo e de um apartamento em São Bernardo. Menciona a conta de 300 milhões de reais que a Odebrecht teria disponibilizado ao ex-presidente.”

E ainda há quem diga que a Lava Jato não encontrou a conta de Lula (que foi revelada por O Antagonista, aliás).

Leia aqui a reportagem completa da Crusoé.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. E. costa disse:

    O omi tá preso!! O que as pessoas queriam?Ele vai dizer e afirmar aquilo que poderia prende o objeto de desejo da quadrilha de toga. Agora vamos ver se eles conseguem provas reais e não ficam no achismo

  2. Ivan disse:

    E gópi!! Lulalivre…péra, apaga…Lula Presoooo!!! Ufa, me confundi, foi mal…ainda ganho pão com mortadela? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  3. Osvaldo Delgado disse:

    Como ainda tem mente doente.
    Que pena. Ainda bem que são poucas.

  4. BOSTANARO e MORO NO XILINDRÓ disse:

    Palocci só nao relata as propinas recebidas por ele e muito menos o que vem recebendo para incriminar Lula e deixar o santo do pau OCO SERGIO DESMORONOU INOCENTE DAS INVESTIDAS A LULA…LULA LIVRE SIM. CADEIA PARA BOLSTANARO E MORONOU..ok

    • Manoel disse:

      Meu amigo, você está desatualizado: o novo mantra na seita petista eh LULA PRESO! A alma mais honesta só quer ser solto quando provar que eh inocente… Ou seja, NUNCA!

    • paulo disse:

      ESQUIZOFRENIA pura, querer idolatrar um criminosos só sendo tonto mesmo.

  5. Abel disse:

    Háaaa LADRÃO!!

Médico que salvou Bolsonaro detalha facada que quase tirou a vida do presidente

 Foto: Fábio Motta/Estadão Conteúdo

A Folha de S. Paulo perguntou a Luiz Henrique Borsato, o médico que salvou Jair Bolsonaro em Juiz de Fora, por que não houve sangramento abundante quando ele levou uma facada.

Resposta:

“Quando o objeto penetrou o abdômen, abriu uma ferida pequena, de mais ou menos 3 cm. Não era uma grande lesão circunferencial, mas retilínea. A musculatura se contraiu e bloqueou a hemorragia externa. Havia sangue, claro, mas no interior do abdômen.”

Segundo o médico, o volume de sangue espalhado pelos órgãos pode ter chegado a dois litros.

O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. O MICO disse:

    Quem já viu Jesus encima de um pé de goiabeira é acredita que a terra é plana, seguindo um doido que a cada três palavras duas são palavrões, Orvalho de Cavalo, parece simples se receber um corte ou uma fazer a e não sair sangue.
    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Rosi Sampaio disse:

    "vaso ruim não quebra". Será? Se não quebra, trinca e esse aí tá mais do que trincado. Felizmente o povo está abrindo os olhos e a mente, fazendo crescer a rejeição a esse governo. #pesquisadatafolha

  3. mauricio disse:

    a questão é que a foice quer saber se realmente aconteceu a facada para transmitir para o preso la em curitiba

BNDES: Delação de Palocci detalha esquema mundial criminoso do PT; total de 489 milhões de reais

NEGÓCIO FECHADO – Celso Amorim, Lula e John Kufuor, em Gana, em 2008: acertos combinados nas missões no exterior  (Valter Campanato/Agência Brasil)

Homologada recentemente pela Justiça Federal e com detalhes antecipados pela coluna Radar, de VEJA, a delação de Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil nos governos Lula e Dilma, traz no capítulo 21 uma descrição completa do esquema de roubalheira internacional montado pelo PT para obras realizadas em países como Gana, Venezuela, Cuba e Angola. Lula fazia os acertos com as autoridades estrangeiras e mandava a conta para o BNDES. Em troca dos juros camaradas do banco e do acesso aos mercados de fora, as empreiteiras superfaturavam o trabalho para poder irrigar o caixa petista com o pagamento de propinas. Antes da assinatura dos contratos já se sabia que muitos dos governos amigos não pagariam a conta. E como essa fatura tem sido quitada até hoje? Com o seu, o meu, o nosso dinheiro. Alguns projetos nem foram finalizados. Ficaram no lucro as construtoras e, é claro, o PT.

Segundo pessoas que tiveram acesso à delação e foram entrevistadas por VEJA, embora careça de provas, o testemunho de Palocci contém as peças que faltavam no quebra-cabeça da pilhagem nas obras internacionais do BNDES, abrindo essa parte da caixa-­preta do banco. Ele mesmo uma peça importante no esquema, intermediando conversas com as construtoras envolvidas, o ex-ministro conta como as ordens de Lula chegavam, qual era a exata divisão do butim entre as empreiteiras e o porcentual de propina cobrado em cada projeto. Todas essas informações permaneciam inéditas, assim como a soma da roubalheira. Somente nesse pacote de contratos no exterior firmados entre 2010 e 2014, as empreiteiras nacionais faturaram mais de 10 bilhões de reais e pagaram propinas ao PT no valor total de 489 milhões de reais.

O CAMINHO DO COFRE – Estrada da Andrade Gutierrez, em Gana, e detalhe do documento de liberação: a obra rendeu ao PT cerca de 10 milhões de reais (Google Street View/Reprodução)

O esquema no BNDES era complexo e, diferentemente do que ocorria no mensalão e no petrolão, sua operação ficava restrita à alta cúpula do partido. Tudo começava com uma visita de Lula a um mandatário amigo, como o angolano José Eduardo dos Santos ou o ganês John Kufuor. O petista e os presidentes companheiros fechavam um compromisso de ajuda financeira e, ato contínuo, representantes do famoso clube das empreiteiras — Odebrecht, Queiroz Galvão, Andrade Gutierrez, OAS — visitavam os gabinetes dessas autoridades no exterior por meio de missões organizadas pelo Itamaraty e fechavam projetos a ser financiados pelo BNDES. O presidente do banco — primeiro Guido Mantega, depois Luciano Coutinho — aprovava o repasse da verba. Na sequência as construtoras entravam com processo a fim de obter os seguros necessários para tocar os trabalhos por meio do Fundo de Garantia à Exportação (FGE), os quais eram aprovados prontamente pelos ministros da Camex. As empreiteiras, então, pagavam ao PT e às autoridades dos países onde haviam conseguido o projeto. Parte do esquema já tinha sido revelado pelas delações de Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo, da Andrade Gutierrez.

Do total de 489 milhões de reais em propinas pagas à alta cúpula petista entre 2009, no fim do segundo mandato de Lula, e 2014, ano em que culminou a reeleição de Dilma Rousseff, 364 milhões vieram da Odebrecht. Mais 100 milhões de reais saíram dos contratos da Andrade Gutierrez, que pagava um “pedágio” de 1% em cada um deles. A Queiroz Galvão tinha um acordo diferente: superfaturava em 10% suas obras, que renderam 25 milhões de reais ao esquema petista. Nunca na história deste país havia se montado uma estrutura tão grande e complexa para arrecadar propinas com obras no exterior com a ajuda do BNDES.

CALOTE – Fachada do Aeroporto de Nacala, em Moçambique: o país africano ainda não pagou a obra feita pela Odebrecht (Brunno Fernandes/VEJA)

A pedra fundamental da roubalheira foi lançada em 15 de dezembro de 2009, quando quatro ministros, um secretário e dois assessores especiais sentaram-se à mesa da sala contígua ao gabinete de Miguel Jorge, então chefe da pasta do Desenvolvimento. Além de Jorge, que comandava a Camex, estavam presentes os ministros Paulo Bernardo (Planejamento), Antônio Patriota (Itamaraty) e Reinhold Stephanes (Agricultura); o secretário Nelson Machado (Fazenda); e os assessores Laudemir Müller (Desenvolvimento Agrário) e Sheila Ribeiro (Casa Civil). Na tarde daquela terça-feira, os oito aprovariam financiamentos estapafúrdios para Odebrecht, Andrade Gutierrez e Queiroz Galvão em quatro países: Cuba, Gana, Moçambique e Nicarágua. O custo dos projetos discutidos naquele dia somava 1,2 bilhão de dólares — em valores atualizados, aproximadamente 4,8 bilhões de reais. Todos renderam depois propinas ao PT e nenhum deles possuía justificativa técnica para ser aprovado.

Para Gana, país que quatro anos antes fora visitado por Lula e agraciado com uma linha de crédito no BNDES, foi aprovado o financiamento de 250 milhões de dólares para uma hidrelétrica que, um mês depois, soube-se que era impossível construir. A área de alagamento da barragem ultrapassaria a fronteira com o vizinho Togo, que não havia sido consultado. O contratempo não atrapalhou os planos de ninguém. Alguns meses depois, a obra foi simplesmente substituída por uma estrada de terra de 100 quilômetros, com o custo reduzido em exíguos 10 milhões de dólares. Ou seja, o negócio custou apenas 4% do valor de uma usina. A roubalheira era descarada e desafiava a lógica.

VERGONHA – Rio Grande de Matagalpa, na Nicarágua, obra financiada pelo BNDES devido à intervenção do governo (no detalhe do documento oficial): a hidrelétrica que deveria ser feita ali pela Queiroz Galvão nunca saiu do papel (./.)

Como isso foi aprovado? A Andrade Gutierrez justificou o alto valor com dois tópicos: “benefícios e despesas indiretas”, o que correspondia a 33% do total, e “contingências e custos comerciais”, o equivalente a 7%. O corpo técnico do BNDES questionou a empresa sobre o que, exatamente, significavam as duas rubricas. A desculpa apresentada — e prontamente aceita pelos ministros da Camex — foi que os custos eram “compatíveis com as dificuldades com que as empresas estrangeiras podem se defrontar na operação em um novo mercado”. Na verdade, todas as reuniões e trocas de memorandos não passavam de jogo de cena. Já se sabia desde o começo que o negócio deveria ser autorizado, por mais absurdo que fosse. A prioridade, agora se confirma, era encher o caixa do PT.

A Odebrecht conseguiu aprovar um aditivo de 128 milhões de dólares para a construção da zona de desenvolvimento ao redor do célebre Porto de Mariel, em Cuba, e mais 300 milhões de dólares para duas obras em Moçambique: o Aeroporto de Nacala (entregue em 2014) e o Porto da Beira (que jamais saiu do papel). A hidrelétrica Tumarín, um projeto da Queiroz Galvão que contaria com a participação da Eletrobras para a construção na Nicarágua — uma promessa pessoal de Lula ao presidente Daniel Ortega —, não se materializou. O problema é que nem o regulamento do BNDES (por falta de garantias) nem a Eletrobras (por se tratar de um investimento no exterior) permitiam a empreitada, avaliada em 512 milhões de dólares. Mas um recado da Casa Civil, à época chefiada por Dilma Rousseff, destravou o negócio: “A Presidência da República tem todo o interesse nesse empreendimento”.

CARTÃO-POSTAL – Porto de Mariel, em Cuba: obras na ilha integraram pacote de propinas da Odebrecht fechado com Lula (Yamil Lage/AFP)

Digitais da negociata foram detectadas pela primeira vez por uma investigação iniciada nos Estados Unidos, onde a Eletrobras teve a transação de seus papéis na bolsa de Nova York interrompida justamente por suspeita de fraude. A empresa perdeu mais de 600 milhões de reais devido aos esquemas criminosos em que se envolveu. Para se livrar do imbróglio, a companhia precisou contratar, ao custo de mais de 400 milhões de reais, o escritório Hogan Lovells, que detectou mais de 200 milhões de reais em propinas — só na construção-fantasma de Tumarín foram 25 milhões de reais.

Mas por que esses financiamentos eram liberados na Camex, e não dentro do próprio BNDES? A explicação: quem aprova ou reprova a liberação de verbas do banco a projetos internacionais é o Comitê de Financiamento e Garantia das Exportações (Cofig), formado por representantes técnicos e políticos. No entanto, as regras do órgão dizem que a aprovação dos repasses precisa ser unânime, e seus integrantes, quando deparavam com projetos, digamos, suspeitos, jogavam os processos para a Camex. Nas trinta atas obtidas por VEJA com exclusividade, que cobrem as reuniões entre 2007 e 2011, nenhum financiamento foi recusado.

NO ESQUEMA – Guido Mantega e Antonio Palocci: a roubalheira era comandada pela alta cúpula do governo petista (Ueslei Marcelino/Reuters)

O caso mais famoso envolve um dos grandes filões internacionais da Odebrecht: Angola. O país, que era comandado por José Eduardo dos Santos desde 1979, absorvia 19% de todas as exportações de engenharia feitas pelo Brasil até 2009 — um valor que já superava 1 bilhão de dólares. A Odebrecht era dona de 85% dessa carteira — e queria mais. O Cofig teimava em dizer que Angola não dispunha mais de crédito perante o Brasil, pois o país estava inadimplente com o BNDES. Lula não queria saber. Ele receberia o ditador angolano em Brasília e pretendia, no final do encontro, anunciar a extensão da linha de crédito. Em agosto de 2010, há a aprovação de mais 200 milhões de dólares em crédito para o país africano, e Lula recebeu um forte abraço de seu amigo.

O apetite da Odebrecht era tão grande que já incomodava Palocci. Apesar de ser ele o arrecadador oficial da campanha de Dilma Rousseff, foi Paulo Bernardo, ministro do Planejamento de Lula, quem procurou Marcelo Odebrecht em 2011 para cobrar os 64 milhões de reais devidos pelo negócio realizado com Angola. Palocci se dizia cansado de ver a Odebrecht monopolizar os contratos naquele país e havia prometido a outras construtoras pedaços maiores do bolo de obras angolanas. Palocci, na verdade, não sabia que essa batalha estava perdida. Nos últimos dias de dezembro de 2010, quando Lula já se retirava do Palácio do Planalto, Emílio Odebrecht recebeu do filho, Marcelo, uma pauta com assuntos para tratar com o presidente. Emílio deveria abordar diversos contratos e discutir a continuidade do apoio à empreiteira. Emílio garantiu que seria mantida a “amizade”. Naquela mesma noite, fechou o acordo de 300 milhões de reais para as eleições de Dilma. A maior parte via caixa dois. As propinas internacionais, como se sabe agora, foram importantes para tornar essa amizade mais sólida — e lucrativa.

Veja

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Neusa Ferreira Brodt de Souza disse:

    E o FHC mentor e pai da corrupção, quando será denunciado?
    Deveria estar preso com o comparsa Luladrao…
    Ele entregou à Lula todas as maracutaias engatilhadas… A Lula e sua gang coube executar e aumentar a roubalheira.
    #fhcnacadeia

  2. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    Cadeira elétrica pra essa turma ainda seria pouco.

  3. vilanir gurgel disse:

    Eita… Danou-se!!!!!

  4. Paulo disse:

    Ainda falta Aécio e o pessoal do bozo…..

  5. Cláudio Castilho disse:

    No currículo da honestidade dos recentes governos brasileiro, vendo a voto de 02 ex ministros da casa civil, um foi condenado e faz delação premiada o outro foi decretada a prisão e converteram em uso de tornozeleira eletrônica – como nunca antes na história desse país.
    Existem 02 ex presidentes condenados;
    Uma ex presidente denunciada;
    Tem ainda um caminhão de parlamentar denunciados, salvos temporariamente pelo vergonhoso foro privilegiado, cujo presidente da câmara não leva o tema a votação. Lembrando, o mesmo presidente da câmara que votou em caráter de urgência a lei contra abuso de autoridade. Assim ele se diz um parlamentar que trabalha pelo país.
    Pense numa cambada de gente honesta… Por isso e muitas outras esse país dá um passo a frente e dois para trás!

  6. paulo disse:

    BG
    Esses MAFIOSOS eram para terem pego prisão PERPETUA, cambada de criminosos mentirosos e canalhas.

Governo do RN detalha informações do quadro de pessoal

A Secretaria de Estado da Administração (Sead) publica mais uma edição do Boletim de Informações da Administração que traz um conjunto de dados e informações do quadro de pessoal do Governo do Estado do Rio Grande do Norte com base no Sistema de Gestão de Recursos Humanos (Sistema Ergon), gerenciado pela Coordenadoria da Folha de Pagamento (COPAG). Essa edição do documento apresenta uma série histórica do período de 2014 a 2019 e também os números relativos ao primeiro semestre desse ano.

O boletim mostra a evolução dos recursos humanos do Executivo Estadual nos últimos cinco anos, levando em consideração o número de vínculos, que atualmente é de 106 mil, dos quais 51,1% são aposentados e pensionistas e 48,9% servidores ativos.  Em janeiro de 2014 os ativos representavam 64,7% do total de vínculos, enquanto os demais 35,3%.

Segundo o relatório, de 2014 a 2019 o número de vínculos ativos na folha de pagamento reduziu 22,2%, enquanto o número de vínculos de aposentados e pensionistas cresceu 49%. O maior crescimento por tipo de vínculo ocorreu na folha dos aposentados, que chegou a 172,9%, seguido da folha dos pensionistas, com 48,3%. Já o menor crescimento, 5,9%, foi registrado na folha de ativos. Com relação ao valor mensal da folha, no período, houve crescimento nominal de 50,93%, passando de R$ 328,1 milhões em janeiro de 2014 para R$ 495,2 milhões em junho de 2019.

Com relação ao primeiro semestre de 2019, observou-se a mesma tendência dos últimos cinco anos, no entanto de forma menos acentuada. Esse ano, o quantitativo de vínculos na folha de pagamento aumentou 0,10%, ao passo que o valor da folha cresceu 2,98%. No tocante aos recursos, nos primeiros seis meses desse ano o maior crescimento foi na folha de pagamento dos servidores aposentados, que teve elevação de 5,42%, passando de R$ 203,8 milhões para R$ 214,9 milhões, seguido da folha dos servidores ativos, 1,26%, e dos pensionistas, 0,85%.

De acordo com a secretária da Administração, Virgínia Ferreira, o crescimento com relação ao valor da folha de pagamento em 2019 se deu em função de vários fatores, entre eles o pagamento de ações judiciais de várias categorias da Administração Direta e Indireta, além de reajuste anual do magistério e do salário mínimo.

A publicação do boletim, uma iniciativa da Subsecretaria de Recursos Humanos, por meio da Coordenadoria de Gestão de Pessoas, objetiva tornar público um conjunto de dados e informações referentes aos recursos humanos do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, respeitando os princípios constitucionais da administração pública, em especial o que se refere à publicidade das informações governamentais de interesse público.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Naldin disse:

    Recebem do executivo não, recebem do IPERN, pois vale salientar que os aposentados dos outros poderes contribuíram TAMBÉM para o IPERN, que é gerenciado pelo executivo, por sinal, muito mal gerenciado.

  2. RMelo disse:

    Vale salientar que os aposentados dos outros poderes passam a receber do executivo a aposentadoria. Mais uma jabuticaba que só no Brasil tem.

    • Waldir disse:

      Por isso que falta dinheiro para os aposentados e pensionistas a da administração direta.

    • Manoel disse:

      E qual a novidade? Em todas as esferas é assim: municipal, estadual e federal. A previdência do executivo, judiciário e legislativo é a mesma!

Pesquisadores detalham o motivo pelo qual a mulher fica muito mais excitada no período menstrual

Foto: shutterstock

Todo mês sua menstruação chega com os mesmos sintomas: cólicas, inchaço, cansaço… Só para citar alguns. Mas ela também pode trazer outro convidado (muito, muito mais divertido) para a festa: uma libido selvagem e louca. Então fique tranquila. Não há nada de estranho ou errado em ficar mais excitada no período menstrual.

Vamos explicar. “Esse “surto particular de sex appeal” acontece durante a ovulação – na metade do ciclo, ou duas semanas após o período menstrual – graças a um ligeiro aumento na testosterona”, diz Mary Jane Minkin, médica e professora clínica de obstetrícia e ginecologia na Yale University Medical School (EUA).

Ok, explique melhor isso de ficar mais excitada no período menstrual

Embora a ciência não seja totalmente definitiva, eis o que os médicos sabem. “O ciclo menstrual envolve a ascensão e queda cíclicas do estrogênio, progesterona, testosterona e DHEA”, diz Adeeti Gupta, ginecologista obstetra e fundador da Walk In GYN Care (EUA). Daí o nome “ciclo”. Todos esses hormônios desempenham papéis-chave em seu impulso sexual.

Em um estudo de 2013 publicado na Hormones and Behavior , os pesquisadores exploraram a conexão em um grupo de mulheres. Eles mediram os níveis de hormônio durante dois ciclos menstruais completos e compararam os resultados com os níveis diários, onde as participantes registraram atividade sexual e sentimentos de frieza.

Os pesquisadores descobriram que alterar os níveis de estrogênio e progesterona teve sérios efeitos sobre a libido . “Provavelmente porque o estrogênio, que cai no início do período menstrual, mas começa a subir gradualmente no segundo ou terceiro dia, promove a libido e o desejo”, explica Gupta.

“Enquanto isso, a progesterona, um hormônio estabilizante que ‘não é muito sensual’, está em um ponto baixo”, completa Minkin. Então é possível que você se sinta ainda mais excitada em sua ausência também.

Por outro lado, a excitação pode afetar a menstruação?

Não. Seus hormônios já estão flutuando por conta própria, então a excitação sexual não tem nenhum efeito importante no seu ciclo menstrual, de acordo com Minkin.

Ainda assim, “algumas mulheres relatam que caso se masturbem ou façam sexo, elas sentem alívio da congestão pélvica ou cólicas menstruais”, acrescenta Nan Wise, neurocientista cognitiva e terapeuta sexual (EUA). Além disso, é uma opção muito melhor do que tomar remédio, né?

E, claro, seus sentimentos mais frios do que o normal podem certamente afetar o humor durante a menstruação . Sexo e orgasmo são conhecidos por aliviar o estresse – algo que você pode estar subconscientemente desejando durante aquela época do mês.

“Em alguns casos, as mulheres podem simplesmente querer ter um orgasmo para relaxar e descontrair”, diz Janet Brito, psicóloga e terapeuta sexual em Honolulu (EUA). “Enquanto em outros, elas podem estar apenas querendo uma conexão íntima. O importante é ouvir o seu corpo e dar o que ele precisa.”

Para fazer isso, ela recomenda manter um diário sobre como sua menstruação afeta sua excitação e vice-versa. Isso, diz Brito, pode ajudá-la a se sentir à vontade para discutir suas necessidades, promover a conscientização do corpo e, finalmente, melhorar seus relacionamentos pessoais e de parceria.

E o anticoncepcional pode afetar?

Você pode ter ouvido o boato de que anticoncepcional praticamente mata seu desejo sexual. “Como o controle de natalidade hormonal funciona impedindo que o útero ovule, eles também interrompem esse pequeno aumento na testosterona, por isso faria sentido”, explica Minkin.

A pílula, em particular, pode afetar sua libido ao longo de seu ciclo, porque também aumenta algo chamado globulina de ligação a hormônios sexuais (SHBG).

“Se você tem alguma testosterona livre correndo em seu corpo, SHBG é como Pac-Man”, explica ela. “Basicamente, só come a testosterona. Muitas pessoas pensam que é por isso que o controle da natalidade pode diminuir sua libido.”

Dito isto, a pesquisa é realmente bem dividida. Em um estudo de 2013 , a maioria dos usuários de anticoncepcionais não relatou nenhuma diferença significativa em seu tesão, apesar de seus corpos mostrarem uma diminuição na testosterona livre e aumento na SHBG.

E em outro estudo , a partir de 2016, as mulheres em contracepção hormonal relataram maiores impulsos para o sexo com um parceiro do que aquelas que usavam tipos não hormonais. Enquanto isso, mulheres com métodos não-hormonais relataram maior desejo solitário (leia-se: interesse em masturbação).

Portanto, é possível que tipos específicos de controle de natalidade afetem tipos específicos de impulsos sexuais, mas a ciência ainda está confirmando. Fascinante.

“Não, de jeito nenhum! Sentir-se excitada durante o período também pode se resumir a diferenças individuais”, diz Wise. “As mulheres podem gostar mais ou muito menos de sexo durante esse tempo, dependendo do seu conforto físico”, completa.

“Algumas mulheres, quando estão menstruadas, não ficam tão afim de sexo. Outras, por outro lado, querem transar por alívio.”

O desejo maior de fazer sexo no período menstrual também pode estar ligado a um alívio subconsciente em saber que você não está grávida (se você não está tentando ficar, pelo menos). Também é menos provável que você conceba quando estiver menstruando – e há “definitivamente uma liberdade psicológica” nesse conhecimento, de acordo com Brito.

Então, enquanto seus hormônios que mudam definitivamente comandarem o show, sua cabeça também pode entrar na dança. Mas se você não ficar excitada durante o período menstrual, não se preocupe: não há nada – repito, nada! – de errado com você.

IG

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sara Augusta disse:

    Discordo

Moro detalha para “desinformados” legítima defesa no projeto de lei anticrime

Reprodução: Twitter

Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, detalhou nesta segunda-feira(20), através do microblog Twitter, a questão da legítima defesa no projeto de lei anticrime. “Para desinformados seria uma norma bárbara, uma licença para matar”, disse em trecho, reforçando que no caso o juiz poderá deixar de aplicar a pena ou diminui-la  sob reação a agressão injusta “se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção”.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. realmadriddepiumgenerico disse:

    O doido parte do pressuposto que a polícia portuguesa e a alemã tem os mesmos princípios, preparação e atuação que a polícia brasileira. Á polícia brasileira é uma das que mais mata no mundo. Você dizer que esta polícia pode apertar o gatilho e matar se estiver perturbado, assustado ou com medo é o mesmo que dizer pode matar. Os policias brasileiros vivem perturbado, vivem assustados e vivem com medo, além de mal instruídos, mal comandados, mal preparados e mal remunerados. É um projeto para enganar trouxas, ávidos por sangue, alimentados pelo ódio e cegos pela incapacidade interpretar as causas da violência.

  2. Sinope disse:

    Fica fácil apoiar o argumento do ministro quando o julgador se coloca na situação de apertar o gatilho movido por "medo, surpresa ou violenta emoção". Agora se este mesmo estiver do outro lado recebendo a força da pólvora em sua direção , certamente, o julgamento seria contrário. O que temos de fato é que o julgador não vai encontrar precisão para quantificar coisas tão solúveis ao peso da balança quanto "medo, surpresa ou violenta emoção". Na prática será uma porta aberta para a injustiça de soltar ou prender ao sabor e gosto da caneta do julgador.

    • Victor disse:

      Na prática vai ser o seguinte: se for preto, pobre, mal vestido, em caso de surpresa ou medo pode atirar, porque o medo se justifica. Mas se for um rapaz branco e bem apessoado, vestido com roupa de academia ou uma roupa social qualquer, o medo não se justifica. Essa distinção fazemos a todo momento, nas calçadas, nos sinais de trânsito, etc.

  3. .José de Arimatea Lopes Fernandes disse:

    Moro é competente, íntegro e obstinado defensor do direito do cidadão

  4. Jorgensen disse:

    Medo e susto são difíceis de mensurar

    • El Potiguar disse:

      Qdo vc ou sua família estiver com uma pistola apontada pra cabeça, vc vai medir!

    • Victor disse:

      El Potiguar, com uma pistola apontada na cabeça da família é fácil justificar o medo. O Jorgensen se refere é, por exemplo, a hipótese de você tentar avisar a alguém que a porta do carro está mal fechada e ela, achando que você é um assaltante, dispara um tiro na sua cara. Estava com medo ou teve um susto. As vezes eu tenho medo da forma que gente como você interpreta as coisas, mas nem por isso acho que seria defensável que lhe desse um tiro.

    • Jorgensen disse:

      Victor, parabéns .
      Você entendeu perfeitamente e ainda deu um plus

    • André Carvalho disse:

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…que paulada!!! Victor destruindo um "doutor de facebook". Ainda vale a pena vir aqui ver comentários. Botem um óculos e toquem uma música para esse mito…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk