Mução presta depoimento nesse momento, vai ficar preso em Recife

O radialista Rodrigo Vieira Emereciano, 35 anos, mais conhecido como Mução, deve seguir ainda hoje para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel) em Abreu e Lima. Antes disso, o humorista deve realizar exames de corpo de delito na sede do Instituto de Medicina Legal (IML) do Recife, no bairro de Santo Amaro.

Na unidade prisional, Mução deverá cumprir cinco dias de prisão temporária. O prazo pode ser prorrogado pelo mesmo período. A delegada da PF, Kilma Caminha, titular do caso, pode ainda reverter o caso para uma prisão preventiva. A decisão deve ser tomada após o depoimento que o suspeito presta esta manhã na sede da Superintendência da Polícia Federal de Pernambuco, no Cais do Apolo, no Recife.

Até o momento, as perícias realizadas no material recolhido na residência, e  imóveis do radialista no bairro da Imbiribeira, no Recife, em Fortaleza e em Natal e ainda na emissora de rádio onde ele atua, no bairro de São José, no Recife não encontraram provas para justificar a prisão em flagrante. Nos locais foram apreendidos materiais como computadores, Cds e DVDs.

Mução chegou à sede da PF em um automóvel Corola preto fechado, seguido por uma caminhonete da polícia e entrou pelos fundos do prédio, sem falar com a imprensa. Ele estava preso desde ontem na sede da Polícia Federal de Fortaleza, no Ceará e viajou de avião para Pernambuco recambiado por policiais federais. No Recife, ele está sendo ouvido por delegados sobre a suspeita de envolvimento no crime de pornografia infantil na internet. O radialista está preso temporariamente por suspeita de disponibilização de material de pornografia infantil na web e foi detido dentro da operação DirtyNet.

O suspeito foi capturado na manhã de ontem na casa onde mora, na cidade de Meireles, em Fortaleza e encaminhado para Superintendência da Polícia Federal daquele estado. De acordo com investigações realizadas pela PF, o radialista faria parte de um círculo fechado de 160 pessoas, 97 estrangeiras e 63 brasileiras, que trocavam conteúdo ilegal com imagens de adolescentes e crianças em situações pornográficas. O advogado Waldir Xavier informou que entrou com o pedido de habeas corpus para a soltura do humorista.

Com informações do repórter Glynner Brandão / Diário de Pernambuco