Geral

Justiça concede liberdade provisória para homem preso após grupo colocar fogo na estátua de Borba Gato em SP

Fotos: GABRIEL SCHLICKMANN/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO/YURI MURAKAMI/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

A Justiça de São Paulo concedeu neste domingo (25) liberdade provisória para um homem suspeito de envolvimento no incêndio no monumento que homenageia o bandeirante Borba Gato.

O suspeito teria dirigido o caminhão, que foi identificado e apreendido pelos policiais. Ele responde pelo crime de associação criminosa e por causar incêndio, expondo a perigo o patrimônio de outra pessoa. O homem também é acusado de ter adulterado a placa do caminhão usado na ação.

O ataque à estátua ocorreu nesse sábado (24) em Santo Amaro, na Zona Sul de São Paulo. Um vídeo mostra o momento em que os manifestantes retiraram pneus de um caminhão, espalharam os objetos pela via e nos arredores da estátua e, em seguida, atearam fogo no local. O caso ocorreu por volta das 13h30.

Na madrugada deste domingo (25), a Polícia Civil localizou o caminhão utilizado pelo grupo na cidade de Ferraz de Vasconcelos, na Grande SP. O veículo estava com a placa adulterada e foi apreendido.

O motorista foi identificado e encaminhado ao 11º Distrito Policial (DP) em Santo Amaro, na Zona Sul, onde foi preso após prestar depoimento.

Na decisão desse domingo, a juíza Eva Lobo Chaib Dias Jorge revogou a prisão em flagrante por considerar que os atos “não foram praticados com violência ou grave ameaça”.

A juíza afirma ainda que, por ter endereço e trabalho fixos, o suspeito, mesmo se for eventualmente condenado, dificilmente deve cumprir pena de prisão em regime fechado.

Na decisão, a Justiça determina ainda que o suspeito não poderá se ausentar da cidade ou mudar de endereço, e que deverá comparecer às audiências para justificar suas atividades.

Incêndio na estátua

Em frente ao monumento em chamas, o grupo responsável pela ação estendeu uma faixa com a frase “Revolução periférica – a favela vai descer e não vai ser carnaval”.

Policiais militares e bombeiros chegaram ao local pouco tempo depois, controlaram as chamas e liberaram o tráfego. Ninguém ficou ferido.

Uma avaliação preliminar da Defesa Civil indicou que, a princípio, o fogo não comprometeu a estrutura. No entanto, a Prefeitura da capital disse que nos próximos dias, após a limpeza do local, será possível analisar melhor os danos ao monumento e, então, uma vistoria mais detalhada deve ser feita.

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) informou que irá aumentar o número de rondas pela Praça Augusto Tortorelo de Araújo, onde fica a estátua de Borba Gato.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Podia queimar os ladrões vivos ao invés de adorá-los, esses sim, representam uma verdadeira ameaça ao nosso povo. Estátua é uma estátua, não faz mal a ninguém, já os ladrões de dinheiro público sim, excluem os cidadãos de uma vida digna, roubam os direitos dos cidadãos a educação, saúde, segurança e de infraestrutura mínima.

  2. Estranho não ter os comentários dos debiloides de plantão José Tomaz, Manuel F, Junin apoiando mais um ato terrorista que demonstra a forma da esquerda protestar e se manifestar. Sempre tem vandalismo e crime, seja quebrando vidraças, tocando fogo em bem público, colocando fogo em pneus nas vias públicas, enfim, todo tipo de baderna que deve e tem que ser reprimida no ato e não depois da destruição.

  3. Fumaça altamente tóxica, proveniente da queima de pneus. Crime ambiental, contra a saúde publica e depredação de patrimônio público e histórico. Além do risco direto contra a vida dos transeuntes. O nome disso é TERRORISMO. Tem que descobrir os mandantes e financiadores e punir TODOS.

  4. A onde a mundiça do PT vai, tem quebradeira vandalismo.
    Esses jumentos de duas patas, não tem jeito.
    Canalhas.

    1. Vamos rasgar todos os livros que tratam de ditadores e ditaduras, queimar a história, se não me agradar, apaga, risca, queima. Isso é de idiotice sem precedentes, maléfico, danoso, imbecil; Todos os péssimos presidentes ladrões, analfabetos, mentirosos, ridiculos e burros, para grande parte do país, devem ser eliminados da história, isso só passa na cabeça de mentes doentes.

    2. Pedro mentecapto, não estou propondo “rasgar a história”, mas eliminar as homenagens absurdas a pessoas que não representam uma forma escorreita de atuação. Borba Gato tem a sua importância no contexto histórico brasileiro, mas o que ele representa é uma desgraça.

    3. Quer “cancelar” personagens históricos que fizeram (muito) mal à humanidade, “cumpanhero”? Vou citar alguns: Fidel Castro, Che Guevara, Stalin, Lenin, Mao Tsé Tung, Hugo Chaves, Pol Pot… Esses foram comunistas.

    4. E quem vc pensa que é, palhaço desatento, para julgar a história? Borba Gato (com seus defeitos e qualidades) teve grande importância no desbravamento e crescimento do território nacional, assim como vários outros bandeirantes. Todo povo tem que zelar por sua história, sempre atento do contexto de época. Vc é apenas mais um “lacrador” ignorante e arrogante, que tenta sem sucesso destruir a identidade nacional.

  5. A Festa da impunidade no Brasil! Carregou os comparsas e os pneus, fraudou a placa do veículo para não ser identificado, incendiou com seus comparsas o monumento num ato de terrorismo.
    Menos de 24 horas preso e solto.

  6. Por esses motivos é que a bandidagem deita e rola um bandido deste j´pa estar solto para fazer tudo de novo , quando na realidade era para botar fogo nessa FDP tambem, ou passarums ferias de uns dez anos atraz das grades, talvezx se fosse uma trabalhador seria penalizado

    1. Bota 🔥 na tua galhada também… tá impedindo de passar pela porta já.

  7. Fica difícil compreender a justiça brasileira. As vezes eu penso que passar em um concurso não diz se a pessoa tem mesmo capacidade de assumir um cargo.

  8. Se fosse um pai de família talvez estivesse preso, mas como é um bandido já está solto para fazer tudo novamente!

  9. Participação de quem? Incentivado por quem? Manifestação de quem? Contra quem? Dinheiro do contribuinte queimado. Quem vai pagar para restaurar?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Polícia Civil prende jovem suspeito de matar homem e contratar caminhão-baú para tirar móveis da casa da vítima em Natal

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam, nesta quinta-feira (22), João Antonio da Cruz Neto, conhecido como ” João Neto”, 21 anos, em Natal. Em desfavor dele, existia um mandado de prisão expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Natal, em decorrência da suspeita da prática do homicídio que vitimou Erinaldo Teixeira de Abreu, conhecido como “Eloá Abreu”, na zona norte de Natal.

O crime ocorreu no dia 30 de maio, por volta das 14h00, quando a vítima foi encontrada no quintal da sua casa, sem vida e com marcas de ferimentos possivelmente produzidos por uma arma branca. Além disso, foram levados diversos pertences de sua residência.

No dia 28, os vizinhos observaram que um caminhão, tipo baú, estava retirando os objetos da residência da vítima. Após as investigações, o suspeito foi apontado como contratante do frete e responsável pela retirada dos objetos. Segundo informações obtidas no local do crime, a vítima se relacionava com jovens em troca de dinheiro e existem relatos de que estaria sendo extorquido por um deles.

O suspeito foi conduzido à delegacia e, em seguida, encaminhado ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça. A Polícia Civil solicita que a população envie informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ex-jogador de futebol, Lúcio Curió é preso em operação policial na cidade de Mulungu-PB

Foto: Reprodução

Numa ação integrada das forças de segurança foi dado cumprimento a diversos mandados de prisão e de busca e apreensão na madrugada desta quinta-feira (22) na cidade de Mulungu-PB, na região de Guarabira. Participaram da ação Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Ambiental e o Canil da PM, resultando em prisão de envolvidos em assaltos e tráfico de drogas, entre eles o ex-jogador de futebol Lúcio Curió.

Os presos, num total de 7, foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Guarabira onde estão sendo ouvidos pelos delegados que participaram da ação integrada, que objetiva desbaratar esquema criminoso na cidade e região.

De acordo com a polícia, a prisão do ex-jogador foi devido a possível associação para o tráfico com o fornecimento de valores e de armas.

Blog do PB

Matéria na íntegra AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Uma pena realmente! Um cara que tinha um futuro promissor no futebol. Enquanto esteve jogando, foi um grande profissional dentro das quatro linhas. As oportunidades surgem, cabe a cada um saber aproveitá-las ou não.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Depois de ser preso, DJ Ivis continua fazendo sucesso e tem música em primeiro lugar no Spotify

Foto: Reprodução

DJ Ivis continua fazendo sucesso mesmo estando preso. Preso desde a última quarta-feira (14) por ter agredido a esposa, o DJ estava com uma música em primeiro lugar na playlist Top Viral Brasil, do Spotify, nessa terça-feira (20). A informação foi publicada por Leo Dias. A música se chama Rolê, e foi gravada por Marcynho Sensação.

A faixa foi registrada no Spotify sem os créditos de composição e de produção musical, ou seja, o nome de DJ Ivis não aparece e, por isso, muitas pessoas podem estar ouvindo sem nem saber que se trata de uma música dele.

Havia uma expectativa que a música fosse gravada por Xand Avião, em parceria com Tarcísio do Acordeon, que também é um dos compositores da faixa, mas Xand desistiu após toda a polêmica envolvendo o DJ. Após as denúncias de violência doméstica, DJ Ivis foi demitido do escritório Vybbe, do qual Xand Avião é sócio.

Click PB

Opinião dos leitores

  1. Brasileiro adora MERDA, veja o exemplo do ladrao condenado Lula , ainda tem idiota que abriria a boca se ele fosse GAGAR

    1. Verdade, cada bosta faz sucesso no Brasil. Quando sair da cadeira vai ficar ainda mais rico e milhares de doidinhas querendo apanhar dele.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Candidato é preso por tentativa de fraude nesse domingo no concurso da Polícia Civil no RN

O portal G1-RN destaca em reportagem que um candidato inscrito no concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte foi preso por tentar fraudar as provas nesse domingo (11), em Natal.

A Polícia Civil confirmou ao G1 a prisão de um candidato alagoano, de 41 anos de idade, durante o exame intelectual, que é a primeira etapa da seleção pública. Apesar disso, não informou o tipo de equipamento usado pelo candidato na fraude.

A assessoria de imprensa da corporação disse que a investigação corre em sigilo e que o delegado responsável preferiu não revelar mais detalhes para não prejudicar outras diligências. Mais detalhes AQUI em texto na integra.

 

Opinião dos leitores

    1. kkkkkk Essas coisas só acontecer com gente que grita “lula livre”.

    1. Pela atitude de muitos candidatos pode ter certeza que vazou, infelizmente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ex-presidente Jacob Zuma, de 79 anos, é preso na África do Sul

Foto: Rogan Ward/Reuters

O ex-presidente da África do Sul, Jacob Zuma, foi preso nesta quarta-feira (7) para cumprir uma sentença de 15 meses de detenção por desacato à Justiça: ele se negou a comparecer a um interrogatório no final de junho. A prisão ocorre mais de três anos após Zuma renunciar ao mandato em meio a acusações de corrupção.

A família de Zuma afirma que ele se entregou voluntariamente para cumprir a sentença. O prazo final para que o ex-presidente se entregasse por conta própria terminou na meia-noite de quarta.

Zuma, de 79 anos, deveria ter começado a cumprir pena ainda no domingo, mas a Justiça do país aceitou ouvir seus argumentos em 12 de julho, e suspendeu a ordem até lá.

De veterano do apartheid a investigado

Zuma era tido como um veterano da luta contra o regime de apartheid. No entanto, desde que ele saiu da presidência, em 2018, foi citado em escândalos. O ex-presidente é acusado de corrupção antes e durante sua gestão. Ele presidiu a África do Sul entre 2009 e 2018. Na presidência, é suspeito de ter permitido que três empresários recebessem dinheiro de forma ilegal do Estado.

Ele só renunciou após ser forçado pelo seu partido, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), o mesmo de Nelson Mandela.

Antes disso, quando era vice-presidente do país, acumulou acusações de fraude, corrupção e crime organizado por causa da compra de equipamentos militares de cinco empresas europeias. As negociações ocorreram 1999 em um contrato de US$ 2 bilhões.

Condenação

A condenação de 15 meses de prisão por desacato à Justiça foi decidida após Zuma negar a comparecer a uma comissão anticorrupção no final de junho. O caso deo ex-presidente está sob responsabilidade do Tribunal Constitucional, máximo órgão judicial da África do Sul.

Zuma compareceu apenas uma vez diante da comissão e ignorou várias convocações posteriores. Ele alegava razões médicas ou que estava preparando sua defesa para outros casos.

O ex-líder pediu que a pena seja anulada por ser excessiva e também por expô-lo aos riscos de uma infecção pelo coronavírus. Para ele, a pena é uma declaração política. Ele diz ainda que é vítima de uma caça às bruxas e que a promotoria é enviesada.

G1

Opinião dos leitores

  1. Esses são os heróis do passado, aqui eram guerrilheiros, sequestardores, assaltantes de banco que viraram “heróis” e deu no que deu, corruptos, ladrões do dinheiro público, canalhas que viraram ministros, e presidentes de estatais e até presidente de república..

  2. Deveria ter seguido o exemplo de outro ex presidente que aparelhou uma suprema corte com seus partícipes. Assim garantiu que mesmo condenado, criariam gincanas, desvios jurídicos para soltá-lo e ir mais longe, cancelar as condenações feitas por outros tantos juízes e desembargadores, desmoralizando os outros magistrados. Se tivesse aprendido a lição, estaria livre, leve e fazendo campanha contra seus opositores, mentindo cada vez mais e enganado ainda mais seus seguidores. Não aprendeu, dançou!

  3. Aqui na Banânia, um ex-presidente condenado em 3ª instância, foi solto através de manobras ilegais da suprema corte.

    1. Que manobras ilegais? Ele foi solto porque ficou comprovado os crimes cometidos pelo moro, dallagnol e a turma da lava jato para tirar a Dilma, prender o Lula e tira-lo da eleição, para eleger esse ser inonimável que contribuiu para a morte de milhares de pessoas e que escancarou o Estado para a corrupção como estamos vendo agora. O supremo que foi parceiro de tudo isso, após aparecerem comprovação, escancarada para o mundo, não teve como manter a farsa e volta tudo como antes de 2018 quando o Lula ganharia no primeiro turno, mesmo preso.

    2. Bolsovirus saia da bolha, o mundo que a esquerda criou não é real, tudo nele é falso, fruto de desculpas pela corrupção e derrotas sofridas.
      Soltaram seu ídolo numa imoral decisão sem previsão jurídica anterior, criaram uma anomalia jurídica para beneficiá-lo e ainda tiraram dele a tornozeleira eletrônica de forma injustificável.
      Mas o povo sabe quem ele é, e o que fez, só vocês da esquerda esclerosada continuam defendendo seus corruptos de estimação, mas isso é só 8% do povo brasileiro, por mais pesquisas encomendadas que fabriquem, com apoio da mídia que sofre pela abstinência, falta dos recursos públicos

    3. Não percam tempo com esquerdopatas. Infelizmente, esses elementos são “casos perdidos” seja por seus cérebros já terem sido “abduzidos, seja por simples mal caráter e defesa de interesses escusos. E lembrem que há a militância digital PAGA, sujeitos remunerados para passar o dia inteiro na internet defendendo seu “lado” e seus “donos”.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

FOTOS: Homem é preso pela PF no interior do RN ao receber dinheiro falso pelos Correios

Foto: Divulgação/PF

A Polícia Federal prendeu em flagrante nesta segunda-feira, 5/7, em Japi/RN, na Região do Trairi, a 141 km de Natal, um servente de pedreiro, 27 anos, natural de Minas Gerais, acusado do crime de moeda falsa. Com ele foram encontradas R$ 5 mil em cédulas falsificadas recebidas via postal.

A prisão do homem foi possível graças ao trabalho da PF em parceria com a área de segurança corporativa dos Correios em Natal. Durante a fiscalização conjunta e, após inspecionada pela máquina de raios X, uma encomenda levantou suspeita e foi separada, ficando a espera que fosse retirada.

Na manhã de hoje, um homem apareceu para recebê-la e quando saía da agência foi abordado, tendo dito aos policiais que apenas estava retirando, mas o verdadeiro destinatário era o seu enteado que se encontrava em casa.

Conduzido ao endereço, instantes depois o fato foi confirmado, tendo o outro homem assegurado que o envelope endereçado no seu nome continha apenas “um cartão de crédito”, porém ao ser aberto na presença dos policiais, o dinheiro falso foi encontrado distribuído em 50 notas de R$ 100.

O envolvido então recebeu voz de prisão e foi encaminhado para autuação na sede da Polícia Federal em Natal, onde se negou a responder ao interrogatório e invocou o direito constitucional de se manter calado e só falar em juízo.

Indiciado no crime de moeda falsa, o homem, que possui antecedentes criminais por receptação e estelionato, tendo respondido aos processos na comarca de Santa Cruz/RN, foi submetido a exame de corpo de delito no ITEP e se encontra custodiado na Polícia Federal, à disposição da Justiça.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

‘Rei do bitcoin’ é preso pela PF suspeito de desviar R$ 1,5 bilhão em golpe

Foto: Guilherme Pupo/Valor

A Polícia Federal prendeu nesta segunda-feira, no Paraná, cinco pessoas ligadas ao Grupo Bitcoin Banco, com sede em Curitiba, incluindo o presidente da empresa, Cláudio Oliveira, o autointitulado “rei do bitcoin” – relembre o caso.

Além dele, foram presas outras quatro pessoas, incluindo sua esposa, um alto executivo do grupo e dois outros investigados que teriam colaborado com o esquema criminoso com ocultações de bens e fraudes judiciais.

Oliveira é acusado de promover fraudes por meio de plataformas de negociação de bitcoins e outras criptomoedas que podem ter causado danos de mais de R$ 1,5 bilhão a mais de 7 mil pessoas. O GBB estava em recuperação judicial desde o final de 2019 e tinha sido autorizado pela Justiça a retomar atividades como meio de ressarcir os clientes.

Segundo o empresário, que chegou a ser entrevistado e exaltado como “o rei do bitcoin” em programas de televisão, a empresa usava um robô para promover “arbitragens”.

Ainda segundo os anúncios do grupo, agora acusado pela PF de ser uma organização criminosa, essas “arbitragens” permitiriam obter lucros a partir da compra e venda de bitcoins junto a diversas exchanges, comprando mais barato, vendendo mais caro e lucrando sobre o “spread” dessas milhões de operações realizadas por meio de algoritmos.

A operação da PF foi batizada de Daemon, em referência à mitologia grega sobre um ser sobrenatural trabalhando em plano de fundo, e também em referência a programas de computador que agem sem controle direto do usuário.

De acordo com o delegado responsável, Filipe Hille Pace, o empresário Cláudio Oliveira e o GBB promoveram durante mais de quatro anos um golpe no qual recebiam recursos de investidores para supostamente aplicar em bitcoin, com promessas de lucros exorbitantes.

Ainda segundo a autoridade policial, os acusados criaram um esquema no qual os investidores acreditavam estar investindo reais ou bitcoins. Mas esses clientes jamais chegaram a ter a posse dos bitcoins, e tanto os criptoativos quanto os rendimentos não eram de fato registrados ou movimentados na blockchain – a tecnologia que valida e registra as transações em bitcoins.

“Houve negociação de criptomoedas. Mas em determinado momento, o grupo criou um instrumento – e aqui faço uma analogia – semelhante a uma ‘blockchain privada’. O grupo tinha três exchanges, e as pessoas por meio desse instrumento criado pelo grupo, que não era a blockchain, faziam transferências de criptomoedas entre essas três corretoras, com diferença de preço, permitindo arbitragem. Seus investidores ganhavam, ou acreditavam estar ganhando, com o spread nessas operações”, explicou Pace.

Ele completou:

“O que hoje atrai tantos investidores, seja para fins lícitos ou infelizmente ilícitos, é que as informações da blockchain são descentralizadas. A blockchain, essa sim, garante a veracidade das transações. Mas verificamos que os saldos aplicados pelos investidores nunca foram para a blockchain, eles eram apenas refletidos no software da empresa. O cliente acessava aquela plataforma e era induzido a acreditar que possuía aquele saldo, incluindo o que foi investido e os lucros exorbitantes prometidos”, explicou Pace em coletiva de imprensa nesta segunda-feira.

Segundo o delegado, os acusados se valeram da complexidade da tecnologia para enganar a clientela e a Justiça – no curso da investigação, afirmou, a polícia verificou que Oliveira e o GBB apresentaram dados de uma carteira digital com 7.000 bitcoins (cerca de R$ 1,2 bilhão) para ludibriar a Justiça e fazer parecer que tinham os recursos necessários para ressarcir os clientes.

“O grupo se valeu das características novas das transações de criptomoedas, valendo-se ainda de certa inexperiência dos operadores de direito, além de empresários e clientes, e conseguiu iludir também o poder Judiciário, pois não era proprietário daquela carteira, não apresentou as chaves privadas”, explicou o delegado.

Essa manobra enganosa, segundo ele, resultou na suspensão de todas as ações cíveis que havia contra o grupo pelo país e “deu um fôlego aos acusados para continuarem não ressarcindo suas vítimas”.

Crimes na Europa e nos EUA, e R$ 2,5 milhões apreendidos

Segundo a polícia, os acusados serão investigados agora pelas práticas dos crimes de estelionato, crime contra a economia popular, crimes falimentares, lavagem de dinheiro e outros delitos, e as prisões foram justificadas pela necessidade de interromper a evasão de recursos.

“Ao longo da recuperação judicial, o grupo passou a se desfazer de patrimônio, vendendo veículos por preço abaixo do praticado no mercado, desfazendo-se de joias, e valendo-se de laranjas para movimentar recursos à margem do poder Judiciário. Por esses fatos que não cessaram, dilapidação de patrimônio, ocultação de recursos, préstimo de informações falsas, é que foram decretadas as prisões hoje”, afirmou Pace.

Na operação, foram sequestrados e apreendidos diversos artigos e veículos de luxo, “principalmente bolsas, joias e relógios”, que, segundo o delegado, somam cerca de R$ 2,5 milhões “e serão leiloados para serem revertidos em favor das pessoas que foram lesadas pela organização”.

A PF informou ainda que Oliveira é investigado por fraudes contra o sistema financeiro em outros países, como Estados Unidos e Suíça – ele chegou a ser preso em Portugal por causa dessa acusação na Europa, mas, no curso da investigação, teria sido solto e retornado ao Brasil, onde começou o empreendimento do GBB em 2017.

Em seu currículo e em entrevistas, inclusive ao Valor Investe, Oliveira afirmava que tinha estudado e iniciado a carreira na Suíça. O Valor Investe não conseguiu contato com os acusados nem com representantes da empresa; a reportagem será atualizada assim que eles responderem.

Cuidados para o investidor

Como rotineiramente repetimos, todo investidor e investidora deve suspeitar de promessas de rendimentos exorbitantes; no caso do GBB, as promessas eram de rendimentos de mais de 1% ao dia.

Antes de investir em bitcoin e criptoativos, é essencial se informar para entender os pressupostos da nova tecnologia, que, não raro, é mencionada por fraudadores em esquemas que pouca ou nenhuma relação têm, de fato, com criptomoedas.

Além disso, outra recomendação essencial para investir no segmento – e que se aplica também às transações com exchanges de boa reputação – é sempre ter o cuidado de utilizar os serviços das empresas apenas para as transações, imediatamente transferindo os criptoativos para uma carteira digital própria. Quem deixa seus saldos em criptos “na empresa” não tem, de fato, a posse dos criptoativos.

Também é essencial diferenciar a blockchain das plataformas das empresas. É muito raro que o investidor e a investidora em criptoativos tenham, de fato, a custódia de seus ativos digitais ou saibam acessar a blockchain propriamente dita. Na maioria das vezes, a pessoa vê um saldo refletido em uma plataforma própria da empresa, ou seja, um número cuja única garantia é a reputação do prestador de serviço.

Valor Investe

 

Opinião dos leitores

  1. Mais uma da série… ‘A tela do computador aceita tudo’… Besta é quem cai… O golpe está aí… 😁

  2. Alguém tem dúvidas que esse apertou 17 na última eleição pra presidente? Eu não!👉👉😎

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

MADRUGADA DE PESADELO: Homem é preso suspeito de estuprar idosa e filha no interior do RN; mulher de 78 anos morreu asfixiada

O portal G1-RN destaca nesta segunda-feira(05) em reportagem que um homem foi preso suspeito de invadir uma casa e estuprar uma idosa de 78 anos e a filha dela, de 57 anos, na zona rural de Pedro Velho, no interior do Rio Grande do Norte. A idosa morreu asfixiada pelo criminoso. O crime aconteceu na madrugada de domingo (4) e comoveu a população da cidade.  Segundo o sargento Everaldo Lima, da Polícia Militar no município, exames do Itep ainda irão confirmar se os estupros de fato ocorreram, ou se houve tentativa.

Mais detalhes AQUI.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Veja momento em que o serial killer Lázaro é preso e logo após não resiste a ferimentos

Veja momento que o serial killer Lázaro é retirado de viatura baleado. Na ocasião, policiais comemoraram a prisão. Imagens mostram o fugitivo ferido. Posteriormente, não resistiu.

Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás. Ele também é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás. Vídeo AQUI.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Não tem salvação prá essa grande mídia. Deram um jeito de dizer que os “policiais comemoraram a prisão”. Logo, logo, vão dizer que a “culpa” da morte de mais essa “vítima da sociedade” foi do “genocida”, que o policial que efetuou os disparos era eleitor do Bolsonaro, que o “gado bolsonarista” está feliz e por aí vai. É incrível!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Governador Ronaldo Caiado diz que Lázaro Barbosa foi preso após 20 dias de buscas

Foto: Reprodução/G1

Após 20 dias de uma megaoperação, com mais de 270 policiais, Lázaro Barbosa, de 32 anos, foi preso nesta segunda-feira (28), em Goiás. A informação foi divulgada pelo governador Ronaldo Caiado. Condenado por assassinatos e estupros, o fugitivo da Justiça era procurado por uma série de crimes na Bahia e em Goiás. Ele também é acusado da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no Distrito Federal, e de um caseiro de uma fazenda no distrito de Girassol, em Goiás.

“Acabo de receber neste momento uma informação de todas as equipes que estão na região de Cocalzinho que o Lázaro foi preso”.

“Como eu disse, era questão de tempo até que a nossa polícia, a mais preparada do País, capturasse o assassino Lázaro Barbosa. Parabéns para as nossas forças de segurança. Vocês são motivo de muito orgulho para a nossa gente! Goiás não é Disneylândia de bandido”, disse o governador Ronaldo Caiado em uma rede social.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) de Goiás informou que o suspeito deve ser encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para o exame de corpo de delito e, em seguida, será levado para o presídio de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital.

Fuga cinematográfica

As buscas começaram no dia 9 de junho, após o crime no DF. Na fuga, Lázaro roubou um carro e foi para a cidade de Cocalzinho de Goiás, a 80 km de distância. Desde então, foi perseguido pela força-tarefa policial pelas matas da região (leia detalhes mais abaixo).

Drones, helicópteros, rádios comunicadores e até um caminhão com uma plataforma de observação elevada de videomonitoramento ajudaram nas operações.

Cães farejadores também atuaram na caçada a Lázaro. A cadela Cristal, que ajudou nas buscas em Brumadinho (MG), estava entre eles. Um dos animais, o pastor alemão Sauke, se machucou em uma pedra dentro de um rio.

Durante a perseguição, Lázaro invadiu ao menos 11 fazendas, trocou tiros e baleou moradores, dois policiais militares e um oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), segundo informações da força-tarefa.

Ele também fez uma família refém em uma das fazendas – o casal e uma adolescente de 16 anos. Durante o sequestro, o criminoso exigiu que todos andassem em um córrego para não deixar rastros. Imagens registraram o momento em que a polícia encontrou a família (veja no vídeo acima).

Durante as buscas, os policiais encontraram ainda um carro queimado e alguns objetos, como um lençol usado e um serrote. Todos os itens seguiram para a perícia.

Veja outros crimes cometidos por Lázaro

Há 14 anos Lázaro acumula passagens policiais, crimes e fugas de presídios, a começar pela cidade em que nasceu na Bahia, Barra dos Mendes, onde é acusado de um duplo homicídio em 2007.

À época, segundo a Polícia Civil baiana, Lázaro ficou nove dias escondido numa mata e decidiu se entregar porque estava ferido. Ele fugiu dez dias depois.

Em 2011, Lázaro foi preso e condenado por roubo e estupro no DF. O crime foi cometido em 2009 por ele e um irmão, que morreu dois anos depois. Lázaro ficou na Penitenciária da Papuda (CPP), em Brasília. Ele chegou a fazer cursos de “empatia, sexualidade e para se colocar no lugar das vítimas”.

Condenado por roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo no DF, ele saiu em 2016 no indulto de Páscoa e não voltou mais.

Lázaro chegou a ser detido novamente em 2018, em Águas Lindas de Goiás, mas fugiu do presídio por um buraco no teto da cela, com mais quatro detentos. Ele foi o único do grupo a não ser recapturado.

Desde então, Lázaro é suspeito de assaltar chácaras em cidades goianas do Entorno e no Distrito Federal. Em Cocalzinho de Goiás, ele é investigado por matar um caseiro no fim de maio. Quatro dias depois, foi acusado de matar a família Vidal, em Ceilândia.

Cláudio Vidal, Cleonice Marques, Gustavo Vidal e Carlos Eduardo Vidal foram mortos por Lázaro Barbosa, segundo a polícia — Foto: Arquivo pessoal

Veja o histórico de prisões e fugas:

2007: Lázaro Barbosa foi preso em Barra dos Mendes, na Bahia, acusado de matar duas pessoas. Secretaria de Segurança Pública da Bahia diz que ele fugiu cerca de 10 dias após a prisão e é considerado foragido desde então;

2009: Lázaro foi preso Corumbá de Goiás, suspeito de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo;

2013: Laudo psicológico feito na cadeia no DF descreve Lázaro como “psicopata imprevisível”, com comportamento agressivo, impulsivo, instabilidade emocional e falta de controle e equilíbrio;

14 de março de 2014: Prisão de Lázaro foi convertida para regime semiaberto;

28 de março de 2016: Lázaro fugiu da cadeia na Penitenciária da Papuda, em Brasíia, após um “saidão” de Páscoa;

8 março de 2018: Lázaro Barbosa foi preso em Águas Lindas de Goiás por mandados de prisão por homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro;

23 de julho de 2018: Lázaro fugiu da cadeia em Águas Lindas de Goiás;

8 de abril de 2020: Ele foi indiciado pelos crimes de roubo mediante restrição da liberdade das vítimas e emprego de arma branca e por tentativa de latrocínio, por suspeita de invadir uma chácara em Santo Antônio do Descoberto, Goiás. Na época ele golpeou um idoso com um machado;

26 de abril de 2021: Lázaro invadiu uma casa no Sol Nascente (DF), quando trancou pai e filho no quarto e levou a mulher para um matagal e a estuprou;

17 de maio de 2021: Segundo a polícia, ele fez uma família refém na mesma região, ameaçando os moradores com faca e arma de fogo. Nesse crime, ele mandou as pessoas ficarem nuas;

5 de junho: Polícia Civil investiga a morte de um caseiro em uma fazenda no distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás quatro dias antes da chacina em Ceilândia;

9 de junho de 2021: Lázaro é suspeito de invadir uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde teria matado a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Ele também praticou roubos na no local após o crime. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele.

11 de junho de 2021: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás.

12 de junho de 2021: ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região e um deles estava internado até a quarta-feira (23).

13 de junho de 2021: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 dando sequência à fuga para uma mata;

14 de junho de 2021: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido.

15 de junho de 2021: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia, povoado de Cocalzinho.

16 de junho de 2021: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural;

17 de junho de 2021: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de Segurança Pública disse acreditar que fugitivo estava ferido;

18 de junho de 2021:, houve intensa movimentação da força-tarefa após denúncia de que criminoso havia sido visto em chiqueiro de chácara. Barreiras em estradas e rodovias foram montadas.

19 de junho de 2021:, a houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas de Goiás depois que moradores afirmaram terem visto o suspeito pela região. Um deles chegou a contar que viu Lázaro em uma gruta. Uma cadela que atuou em Brumadinho e outros três cães farejadores chegam para ajudar nas buscas por Lázaro Barbosa.

20 de junho de 2021: com medo de Lázaro, uma família com grávida dormiu dentro de carro em frente à sede da força-tarefa em Cocalzinho de Goiás. Novas buscas ocorrem na zona rural.

21 de junho: uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área;

22 de junho: policiais retomaram buscas por Lázaro e receberam rádios comunicadores do Exército, com alcance de 30km. Um carro queimado, um lençol e um serrote foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado. Também houve uma troca de tiros entre um caseiro e um suposto invasor;

23 de junho: Um fazendeiro disse que atirou contra um invasor na região de buscas por Lázaro Ele relatou que o local tinha sido furtado dias antes. Buscas pelo fugitivo se concentravam em área de chácaras nas proximidades da BR-070, em Goiás;

24 de junho: Polícia Rodoviária Federal faz barreiras nas estradas em busca do fugitivo. Operações policiais contavam com imagens de satélite e drones com visão térmica.

G1-GO

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Lázaro dormia há cinco dias em propriedade de fazendeiro preso, diz caseiro à polícia

Foto: Reprodução

O caseiro preso suspeito de ajudar na fuga de Lázaro Barbosa disse em depoimento à polícia que o suspeito de matar uma família em Ceilândia dormia há cinco dias na fazenda onde ele trabalhava (veja os detalhes do depoimento abaixo). A força-tarefa que tenta prender fugitivo foi proibida de entrar na fazenda pelo dono, segundo o boletim de ocorrência. Os dois suspeitos de ajudar na fuga de Lázaro seguiam presos até as 12h desta sexta-feira (25).

Os dois presos respondem por favorecimento pessoal e posse de arma de fogo. O caseiro já tem passagem pela polícia por roubo a ônibus. A polícia encontrou espingardas e munições na propriedade. A força-tarefa para tentar prender Lázaro Barbosa já dura 17 dias.

No início da manhã, o advogado Ilvan Silva Barbosa negou que os presos tenham qualquer ligação com Lázaro.

“O caseiro fala que, provavelmente, pode ter visto uma pessoa parecida com o Lázaro. Já o proprietário disse que nunca o viu e não tem contato nenhum com Lázaro”, disse.

À tarde, no entanto, o advogado declarou que seguirá defendendo apenas o fazendeiro. O G1 não conseguiu identificar o advogado que assumirá a defesa do caseiro.

Denúncia de presença em fazenda

As equipes receberam uma denúncia de que Lázaro poderia estar em uma fazenda na região. Ao chegarem ao local na quarta-feira (23), o dono da propriedade disse que não queria que os agentes entrassem no local para fazer as buscas.

Na quinta-feira (24), os policiais voltaram à propriedade e conseguiram entrar. No depoimento, o caseiro disse que o fazendeiro ajudava Lázaro, dando alimentos e deixando que ele dormisse na casa. Já o dono do local não deu nenhuma declaração no depoimento.

“A partir de então, ouvia [nome do fazendeiro] chamando por Lázaro no horário do almoço, informando que a comida estava pronta, inclusive percebeu que [nome do fazendeiro] estava fazendo uma quantidade maior da refeição”, consta no interrogatório sobre a fala do caseiro.

Durante o depoimento, o caseiro disse que trabalha no local há 21 dias e que na sexta-feira (18) recebeu ordens de não deixar policiais entrar na fazenda. Ele também relatou que foi orientado a não trancar a casa.

O funcionário disse ainda que na noite do mesmo dia, viu Lázaro na área da churrasqueira, mancando e, logo depois, foi para uma área de mata. Ao questionar o patrão, o homem disse que ele estava imaginando coisas.

O caseiro disse ainda que não trabalhou durante o fim de semana mas, na segunda-feira (21), percebeu que Lázaro teria voltado, pois estava faltando leite e pão.

Na quarta-feira (23), ele teria sido ameaçado pelo fugitivo.

“Na quarta-feira, dia 23/06/2021, por volta das 10h30, o foragido Lázaro se aproximou e ameaçou o interrogado dizendo: ‘Se você falar para alguém que estou aqui, eu vou pegar a sua família, eu sei onde a sua família mora’, consta no interrogatório.

Já na quinta, o caseiro teria visto Lázaro entrar correndo e se esconder em um cômodo da casa. O fugitivo, segundo ele, teria mandado que ele saísse.

“Lázaro então saiu do quarto e correu para o bambuzal e, em seguida, correu para o córrego onde tem o costume de ficar escondido”, relatou o caseiro no depoimento.

O funcionário, então, viu equipes da polícia se aproximando e disse ter ordens para não os deixar entrar.

“O interrogado afirma que não avisou aos policiais que Lázaro estava escondido no quarto da sede da fazenda por ter sido ameaçado de morte”, diz o registro.

Em outro momento, novas equipes da força-tarefa foram à fazenda e perceberam um vulto entrando em uma mata, momento em que o funcionário disse se tratar de Lázaro.

Como foi a prisão

Em coletiva após a prisão dos suspeitos, o secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, disse que os dois chegaram a confessar aos policiais a ajuda ao procurado.

“Prendemos duas pessoas que estavam auxiliando ele nas fugas, principalmente a se esconder da ação policial. Eles estão sendo autuados agora por porte ilegal de arma de fogo e por facilitação da fuga. […] Uma pessoa, testemunha, o viu [Lázaro] e depois, na entrevista que nós fizemos com os dois que estão sendo autuados, os dois confirmaram que ele estava realmente lá e que ele passou as últimas noites lá”, disse.

A polícia apreendeu armas e munições. Uma delas pode ter sido usada por Lázaro.

“Uma das armas inclusive é a arma que foi vista, que ele furtou possivelmente em uma das residências, uma garrucha calibre 22, com 50 munições. Ele foi visto em algumas propriedades com essa garrucha na mão, com essa arma, uma espingardinha”, disse o secretário.

Os dois suspeitos de ajudar Lázaro Barbosa foram encontrados durante um cerco da polícia, que já dura quase 18 horas.

Estradas foram bloqueadas por volta de 15h de quinta-feira. Uma fila de carros foi formada. Chacareiros contam que precisam passar para alimentar os animais e ter informações de parentes, mas alguns não conseguiram seguir o caminho.

Com G1

Opinião dos leitores

  1. Vdd Calígula tu lembra de QUEIROZ aquele que além de votar no partido vermelho ainda sobrava tempo para coordenar as rachadinha dos filhos de LULADRÃO.

  2. Procurem na casa do advogado do Flávio..o último grande bandido procurado(Queiróz) tava lá há mais de um ano…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Deputado Daniel Silveira é preso novamente no RJ

Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira a prisão do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ). O motivo é o não pagamento da fiança de R$ 100 mil fixada pelo ministro após violações do monitoramento eletrônico usado pelo congressista, que integra a base aliada do presidente Jair Bolsonaro.

“No caso em análise, está largamente demonstrada, diante das repetidas violações ao monitoramento eletrônico imposto, a inadequação da medida cautelar em cessar o periculum libertatis do denunciado, o que indica a necessidade de restabelecimento da prisão, não sendo vislumbradas, por ora, outras medidas aptas a cumprir sua função como bem salientado pela Procuradoria Geral da República, que, quando instada a se manifestar acerca das violações ao monitoramento eletrônico, pugnou, em primeiro lugar, pelo “fim da substitutividade” e retorno da prisão”, diz o ministro na decisão.

No último dia 4 de junho, a Procuradoria-Geral da República (PGR) opinou a favor da volta do deputado federal para a prisão, em razão das sucessivas violações em seu monitoramento por tornozeleira eletrônica. O parlamentar bolsonarista está em regime domiciliar desde 14 de março.

No parecer, a PGR menciona relatórios da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária que mostram violações da tornozeleira, como descarregamento da bateria e rompimento do lacre.

“Todos os fatos já coletados nos autos demonstram que que o sistema de tornozeleira eletrônica não tem se mostrado hábil a inibir o requerido a permanecer na atitude de confronto com o sistema de Justiça enquanto são conduzidos os feitos tendentes a sua responsabilização. Ao que se apresenta nos autos, a medida cautelar de monitoramento eletrônico não tem sido suficiente à contenção eficaz dos impulsos do requerido que desafiam a lei penal e o sistema de justiça”, diz Medeiros.

Como alternativa a medida de prisão mais rígida, o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, sugeriu a imposição de multas para as falhas na tornozeleira, “para evitar a resistência injustificada à determinação judicial e a repetição dos incidentes já ocorridos”. Por isso, Moraes determinou o pagamento da fiança de R$ 100 mil — que não foi paga.

“Não consta dos autos, entretanto, qualquer notícia de depósito da fiança estabelecida. Pelo contrário, DANIEL SILVEIRA, em petição protocolada às 13h38min de 23/6/2021, informou que não depositou nenhum valor, circunstância que se verifica até o momento. A contagem do prazo de 48h para o depósito, iniciada dia 21/6/2021 – primeiro dia útil após a intimação –, está inequivocamente esgotada”, explicou o ministro do STF na decisão desta quinta-feira.

Em 16 de fevereiro, Silveira foi preso em flagrante por crime inafiançável após divulgar em rede social vídeo no qual defende o AI-5 — instrumento mais duro da ditadura militar — e a destituição dos ministros do Supremo Tribunal Federal, o que é inconstitucional.

Após parecer favorável da própria PGR, a prisão foi substituída por domiciliar com monitoramento por tornozeleira eletrônica. Em abril, o deputado virou réu no âmbito do inquérito dos atos antidemocráticos, aberto em abril do ano passado no Supremo a pedido do Ministério Público.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Será que o Deputado tá liso?
    Daniel, bumbum de way….pede essa grana pra aquele amigo do teu presidente, o senador Chico Rodrigues, que ele tem. Só precisa limpar.

    Dentro da cueca mas no traseiro.

  2. E Bolsonaro não vai falar nada não? Vai defender a cadelinha dele não?
    Vai não…
    Morre de medo do Moraes…kkkkkkkkk

  3. 😂😂😂😂😂😂😂😂😂
    O Pitbull virou Lasie…
    😂😂😂😂😂😂😂😂😂
    Tão brabo quando tava ameaçando os ministros do STF…. kkkkkkkkkk
    É por isso que Bozo morre de medo do Moraes… O Ministro é pau de dar em doido… Bozo num instante cria juízo antes de se meter com o Min Moraes…
    NÃO ACABOU PORRA!

    1. Não fale isso que os Bozominions ficam pistola…kkkkkkkkk
      Bozo não tem medo do Moraes…é que Bozo só ameaça mulheres, entendeu?
      Ameaçar o Ministro Moraes tem que ter 3 culhões…e o Bozo não tem nenhum…kkkkkk

  4. O cabra valente esse Renan Calheiros… tá querendo prender todo mundo!!! É capitão américa do nordeste!!! O cruzado da luz contra as trevas!!! Um imundo desses… avalie aí a qualidade da turma celebrando RE-NAN CA-LHEI-ROS

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Líder de facção condenado por morte de policial é preso na Zona Sul de Natal

A Policia Militar prendeu nesta segunda-feira(21),  no bairro de Ponta Negra, na Zona Sul de Natal, um homem de 29 anos condenado pela morte de um policial e apontado como líder de uma facção criminosa no bairro Mãe Luiza, na Zona Leste da capital.

Segundo a PM, o homem foi abordado pela equipe do Batalhão de Choque no bairro Ponta Negra, na Zona Sul da capital. Na ocasião, apresentou uma carteira de identidade falsa, mas foi identificado. Contra ele, havia dois mandados de prisão em aberto.

Ainda segundo a PM, em um dos mandados de prisão, consta que o homem foi condenado em 2015 pela morte do policial Francis Carlos Lopes do Nascimento. O documento também aponta que ele estava foragido desde 2017, após fugir da Penitenciária Estadual de Parnamirim.

 

Opinião dos leitores

  1. A PM tem que subir o morro de Mãe Luíza e colocar lá duzentos homens todo dias, para asfixiar a bandididagem e dizer quem manda, fazendo operações nas vielas e nos esconderijos dos bandidos, pois do contrário, nesses dias a bandidagem vai descer o morro e fazer um arrastão no quartel central da Rodrigues Alves.

    1. E a população deve denunciar anonimamente esses bandidos que querem tomar conta dos bairros mais carentes.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Um é morto e outro é preso após assalto, perseguição e troca de tiros com a PM na Grande Natal

O portal G1-RN noticia nesta sexta-feira(16) que um suspeito morreu, outro foi preso e um terceiro conseguiu fugir, após um assalto que aconteceu na Zona Sul de Natal e uma perseguição policial que terminou com um confronto com policiais no município de Parnamirim, na região metropolitana de Natal, na noite dessa quinta-feira (15). Na ocorrência, a vítima do assalto – uma engenheira de 42 anos – foi abordada no bairro da Capim Macio e teve o carro tomado pelos criminosos, inclusive, com todos os pertences sendo levados. Depois do assalto em Capim Macio, os bandidos fugiram em direção a Parnamirim. A Polícia Militar interceptou o carro no conjunto Parque do Sol, e deu início a uma perseguição, que culminou em uma troca de tiros.

Segundo o G1-RN, os três assaltantes no carro em fuga só pararam ao bater violentamente na lateral de outro veículo. Na troca de tiros com a Força Tática do3º Batalhão da PM, nenhum policial se feriu. Um foi preso, outro conseguiu fugir e um terceiro foi baleado, socorrido ao Hospital Deoclécio Marques, mas não resistiu aos ferimentos. Na ocorrência ainda foram apreendidos dois revólveres e os objetos roubados da vítima também foram recuperados.

 

Opinião dos leitores

  1. Parabéns aos policiais militares envolvidos! A população tem que colaborar constantemente com as polícias. Elas amigas e protetoras da população, o bandido não! Se conhecer algum bandido, liga pra o 180 e manda o vagabundo pra cadeia. Vamos nos unir e a violência vai sumir.

  2. Ainda bem que os bandidos não atiraram, pois toda e qualquer bala perdida a imprensa, imediatamente, atribui as armas dos policiais. Além de culpar a PM ainda induz que os bandidos são excelentes atiradores com suas pistolas e rifles (segundo uma emissora de tv, quarda chuva. Essa país clama pela volta da ordem, da segurança e do progresso, conforme 80% do povo nas ruas, não nas pesquisas fraudadas. O que estamos enfrentando é uma herança maldita implantada entre os anos de 1998 a 2013.

  3. Excelente trabalho da gloriosa polícia do RN, que hoje tem mais contingente e condições de trabalho. Bandido é pra ser tratado como bandido. Parabéns

  4. Essa é a PM que a sociedade norte-rio-grandense quer e aplaude.
    Parabéns a todos os PMs envolvidos na ocorrência.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Força-Tarefa composta pela PF, PRF, polícias Civil e Militar e agentes penitenciários prende foragido da Justiça no litoral norte potiguar

Operação integrada da Força-Tarefa SUSP de Combate ao Crime Organizado no Rio Grande do Norte e composta pela Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Departamento Penitenciário Nacional, Secretaria de Administração Penitenciária e Secretaria de Operações Integradas do
Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI/MJSP), contando com apoio da Polícia Militar de Touros/RN, resultou na prisão no último sábado, 10/4, naquela cidade, de um cidadão de 31 anos contra quem existia mandado de prisão em aberto expedido pela Justiça Federal/RN.

Condenado por roubo aos Correios, o homem teve a residência cercada e não resistiu à prisão. Quando da abordagem, ele portava um revólver cal. 38, munições e porções de maconha.

O acusado, juntamente com o material apreendido, foi encaminhado para a delegacia da Polícia Civil em Touros e autuado em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, posse ilegal de arma de fogo e munição.

Após os procedimentos, ele foi conduzido ao sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *