Rapper morre após postar que estava dirigindo e bebendo

O rapper Ervin McKinness, 21 anos, morreu em um acidente de carro minutos depois postar no Twitter que estava bebendo e dirigindo a 120 milhas por hora, o equivalente a 193 km/h. A fatalidade, que matou o músico e mais quatro pessoas, aconteceu em 2 de setembro, em Ontário, Califórnia (EUA), mas apenas na última sexta-feira (14) a notícia foi publicada pelo Huffington Post.

“Bêbado depois de derrapar em esquinas a 120 mph. YOLO”, escreveu o rapper no Twitter. YOLO é o abreviação de “you only live once” – “você vive apenas uma vez”, em tradução livre.

McKinness, junto de Marquell Bogan, 23 anos, Dylan George, 20 anos, Jonathan Watson, 21 anos, e JaJuan Bennett, 23 anos, morreram quando o Nissan Sentra que estavam furou o sinal vermelho, perdeu o controle, e bateu no muro de um uma residência em Ontário. Todos foram dados como mortos no local do acidente, exceto Bogan que foi levado a um hospital local, mas não resistiu aos ferimentos.

Embora Mckinnes tenha escrito no Twitter que estava dirigindo, a corte de San Bernadino – cidade próxima a Ontário – disse que Watson estava no volante no momento do desastre. Um representante da polícia também contou que o tweet será parte vital da investigação.

O músico usava os nomes artísticos Jew’elz e Inkyy e tinha acabado de assinar contrato com uma gravadora. A música Dreams ganhou um clipe em abril de 2012 e pode ser visto no YouTube.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Terra

Pesquisadores identificam bactéria que pode ser a causadora da sinusite

A poeira em suspensão e a baixa umidade são dois poderosos aliados para a ocorrência de inflamações nas vias aéreas superiores, uma delas em especial: a sinusite. Apesar de comum na população, a causa direta desse problema que afeta os seios da face ainda permanecia obscura para a medicina. Em estudo publicado esta semana na revista Science Translational Medicine, pesquisadores da Universidade de São Francisco apontam a bactéria Corynebacterium tuberculostearicum como a provável responsável pelo mal. E não só isso.

A segunda parte da pesquisa afirma que também foi identificado um forte candidato para proteger o organismo contra essa espécie. O Lactobacillus sakei, usado atualmente na fabricação do saquê japonês, coloniza de forma competitiva a superfície da mucosa nasal, formando um poderoso escudo protetor.

Em um primeiro momento, os cientistas liderados por Susan Lynch coletaram amostras do seio nasal de pacientes submetidos à cirurgia de desobstrução das vias respiratórias, sendo que alguns deles sofriam com sinusite, e outros, com problemas diferentes. Também foi colhido material de pessoas saudáveis.

As amostras foram cultivadas e analisadas para identificar os tipos de bactéria que continham. A comparação levou à descoberta de que o microbioma dos seios nasais (a população de micro-organismos da região, a maioria benéfica ao organismo) estava praticamente esgotado em pacientes com sinusite crônica, além de apresentar níveis muito elevados da C. tuberculostearicum.

 

Fonte: Correio Braziliense

Cuidados paliativos para diminuir dor de pacientes terminais deveriam virar política pública, dizem especialistas

Especialistas que lidam no cotidiano com a iminência da morte defendem que o governo desenvolva uma política pública para melhorar a qualidade de vida de pacientes terminais. De acordo com a diretora da Academia Nacional de Cuidados Paliativos, Dalva Yukie Matsumoto, a dor é sintoma predominante nos pacientes terminais no Brasil e falta formação para amenizá-la.

“A grande maioria dos médicos no Brasil não tem formação para tratar de dor, não sabe prescrever uma morfina, um opióide [substâncias naturais ou sintéticas derivadas do ópio] de forma adequada. Existe um tabu por acharem que morfina é para quem está morrendo. O mito é reforçado pelo mau uso. Esse é um grande desafio para gente [médicos paliativistas]”, disse Dalva, que coordena a Hospedaria de Cuidados Paliativos do Hospital do Servidor Público de São Paulo.

Pesquisa realizada pela consultoria Economist Intelligence Unit e publicada pela revista inglesa The Economist, em 2010, coloca o Brasil em 38º lugar em um ranking de 40 países quando o assunto é qualidade de morte. O país fica à frente apenas de Uganda e da Índia. Esse dado indica que o brasileiro em estado terminal ainda sofre muito no seu processo de morte.

De acordo com Dalva, essa abordagem, que inclui a melhoria da qualidade de vida para os pacientes, é discutida há 60 anos no Reino Unido, país que o ocupa primeiro lugar no ranking. No Brasil, o tema é discutido há cerca de 12 anos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a área de cuidados paliativos é considerada uma abordagem que serve para promover qualidade de vida para pacientes que tenham alguma doença que o ameace de morte. No Brasil, a área ainda está muito ligada a pacientes terminais, principalmente com câncer. No entanto, para a OMS, essa área não deve se restringir apenas a doentes terminais, mas também a pessoas que recebem diagnóstico de doenças crônicas e, até, para pacientes vítimas de acidentes.

Os cuidados paliativos devem envolver uma equipe multiprofissional formada por médicos, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais que tratam das dores físicas do paciente e também das dores emocionais por estarem tão perto da morte. A abordagem também se estende à família do enfermo para que todo o processo seja aceito com a maior naturalidade possível e com o mínimo de sofrimento.

“Tudo isso tem que se estender para a família, entender que quando alguém adoece todo o núcleo familiar adoece junto e, se eu não cuido dessa família, que também adoece não só emocionalmente, mas às vezes fisicamente, eu não estou oferecendo esse atendimento global efetivo e extensivo para todos os componentes para esse núcleo familiar e afetivo”, disse Hélio Bergo, chefe do Núcleo de Cuidados Paliativos da Secretaria de Saúde do Distrito Federal.

“Uma vez que há cuidados paliativos, a qualidade de morte melhora sensivelmente. Morrer, nós vamos morrer de qualquer jeito. Morrer de uma doença crônica em sofrimento é algo triste, inadmissível. Os cuidados paliativo cumprem essa missão de melhorar a qualidade de morte”, disse Bergo.

Detento é enforcado no Presídio Provisório em Natal

Um detento do Presídio Provisório Raimundo Nonato Fernandes, na zona Norte de Natal, foi assassinado por outros presos, na tarde deste domingo (16). De acordo com agentes da unidade, o preso foi identificado Francisco Sérgio Farias da Silva.

Os agentes do Raimundo Nonato relataram que o preso, Francisco Sérgio, foi morto por enforcamento e os assassinos teriam usado lençóis para isso. Ele foi pendurado na escadaria da Ala B do presídio, de forma que os demais detentos vissem a morte. Ainda não se sabe o que teria motivado o assassinato

Após a confirmação da morte, os profissionais do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) e os agentes da Delegacia de Plantão da Zona Norte foram acionados para irem ao local levantar informações sobre a autoria do crime.

Com informações  do Portal BO

Pesquisa revela que maioria dos profissionais confia nos colegas de trabalho

Atualmente, fala-se muito de trabalho em equipe e relacionamento entre funcionários. Segundo pesquisa da LHH/DBM, consultoria global de transição de carreira e desenvolvimento de talentos, a maioria dos profissionais diz estar muito ou moderadamente inclinados a confiar em seus colegas de trabalho. Apenas um em cada dez declarou que não confia em seus parceiros.

Ao todo, foram entrevistados 475 profissionais nos Estados Unidos, através de uma pesquisa on-line. Do total, 34% dos participantes confiam bastante em seus parceiros de equipe, 38% moderadamente, 17% ligeiramente e apenas 11% afirmaram que não confiam em seus colegas de trabalho.

De acordo com Michele Pinho, gerente de RH da Personal Service, o conceito de trabalho em equipe é muito valorizado nas organizações atualmente, pois representa o esforço coletivo para a superação das metas, onde cada um tem a possibilidade de desempenhar uma função específica de acordo com suas habilidades e conhecimentos.

Mas, até que ponto esse tipo de interação traz benefícios reais para a empresa e para o indivíduo? Na opinião da diretora de marketing e vendas da LHH|DBM, Caroline Pfeiffer, para a empresa, os benefícios são mais concretos, ou seja, atingir os resultados financeiros, estratégicos, táticos e operacionais desejados. Já para o indivíduo vão desde a construção de um networking profissional que facilitará o desenvolvimento de sua carreira, a possibilidade de aprendizado e, no dia a dia, maior facilidade para encarar os desafios impostos por seu trabalho, já que conta com uma rede de apoio efetiva:

— No atual contexto, são raríssimas as funções executadas individualmente, sem que haja uma interação com outra pessoa. Portanto, a relação entre indivíduos dentro de um grupo, área, organização, é fator crítico de sucesso, já que naturalmente nos empenhamos, colaboramos e produzimos mais para aqueles com quem nos relacionamos de maneira realizadora.

Já na opinião de Michele, o maior benefício é o clima organizacional amistoso, sem aquele clima de competitividade agressiva, maior troca de informações e experiências que facilitam a interação e melhoria de processos, entre outros.

— Atualmente, os profissionais têm colocado a questão de clima organizacional como critério importante na escolha de uma organização. E, obviamente, as relações entre os colaboradores contam muitos pontos — ressalta a consultora.

Relação de confiança se dá mais entre quem trabalha junto

É sempre mais fácil para as pessoas se relacionarem com os “semelhantes”: com irmãos, amigos e colegas podemos debater de igual para igual, mas quando há uma relação de poder claramente instituída, outros aspectos interferem na comunicação:

— As mútuas expectativas, o receio de ser prejudicado, são algumas deles. Aqui, o mais importante é que gestores desenvolvam a maturidade para chamarem suas equipes para conversas francas, de forma a discutir questões empresariais, mas também de carreira de maneira séria e abrangente.

Michele, por sua vez, lembra que, embora a relação de trabalho tenha evoluído nos últimos anos, ainda existe o sentimento da relação de “chefe x empregado”, onde o funcionário tinha que acatar tudo o que era exigido e o chefe tinha que ter um comportamento muito diretivo.

— As relações atuais são muito mais baseadas em confiança, com uma gestão participativa e democrática. Mas para que esse novo modelo se sustente é necessário um grau de maturidade de ambas as partes, para poder compartilhar percepções, construir juntos planos de desenvolvimento, dar e receber feedback, e que o chefe seja exemplo que inspire o empregado.

“Palavra-chave é proximidade”

Seguindo a mesma linha, a gerente de RH da Personal Service defende que essa relação de confiança seja construída ao longo do tempo, principalmente com atitudes que partem dos gestores. É preciso saber ouvir o colaborador, ajudá-lo num momento importante da vida, respeitá-lo sendo honesto nas avaliações, proporcionar o verdadeiro desenvolvimento e também “puxar sua orelha” quando necessário, visando ao seu crescimento profissional.

Da Agência O Globo

Ginasta vice-campeã brasileira morre em acidente

A ginasta Eduarda Mello de Queiroz, 17, morreu na manhã deste domingo após um acidente de carro na descida de Domingos Martins, quilômetro 23 da rodovia BR-262, na cidade de Viana, no Espírito Santo.Eduarda era filha de Monika Queiroz, que foi técnica da Seleção Brasileira de conjunto na ginástica rítmica nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro 2007 e nas Olimpíadas de Pequim 2008. A ginasta era da equipe da Escola de Campeãs. Em 2012  foi vice-campeã brasileira de ginástica rítmica na prova de conjunto.

O motorista do carro, Luiz Felipe Moroewsky Costa, está internado em estado grave no Hospital São Lucas, na cidade de Vitória. A também ginasta Natália Gaudio, 19 anos, sofreu apenas ferimentos leves.

De acordo com relato da Polícia Federal da rodovia, o motorista perdeu o controle na curva, saiu da pista, caiu em uma ribanceira e colidiu em uma árvore. Natália foi salva pelo cinto, enquanto Eduarda e Luiz Felipe foram arremessados para fora do veículo. Eduarda morreu ainda no local.

 

 

Do Uol Esportes

Você sabe o que é permitido e o que não é permitido no período eleitoral?

No período de campanha e no dia das eleições, há uma série de normas e procedimentos que têm de ser seguidos por eleitores, candidatos a cargos eletivos e cabos eleitorais. Definidas pela Justiça Eleitoral, tais regras dizem respeito, por exemplo, ao uso da internet, de camisetas e bonés e à distribuição de folhetos ou santinhos, além de estabelecerem critérios para a realização de comícios, carreatas e caminhadas.

Veja aqui o que é permitido e o que não é permitido no período eleitoral:

Internet

Pode

Está autorizado o uso de sites de partidos e candidatos, desde que comunicados à Justiça Eleitoral e hospedados em provedores estabelecidos no Brasil. É permitida também a veiculação de propaganda eleitoral por meio de blogs, sites de relacionamento (Orkut, Facebook, Twitter etc.) e sites de mensagens instantâneas. As propagandas eleitorais veiculadas por e-mail são permitidas, mas devem conter mecanismo que possibilite ao destinatário solicitar seu descadastramento. É permitida ainda a reprodução do jornal impresso na internet, desde que seja feita no sítio do próprio jornal, respeitado integralmente o formato e o conteúdo da versão impressa.

Não Pode

Qualquer tipo de propaganda eleitoral paga, propaganda em sites de pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, e em sites oficiais ou hospedados por órgãos ou entidades da administração pública. Serão aplicadas aos provedores de conteúdo ou de serviços multimídia as penalidades previstas em lei, caso não cumpram, no prazo estipulado, a determinação da Justiça Eleitoral para cessar a divulgação de propaganda irregular veiculada sob sua responsabilidade, desde que comprovado seu prévio conhecimento.

Camisetas, chaveiros, bonés, canetas e brindes

Pode

A comercialização pelos partidos políticos e coligações, desde que não contenham nome ou número de candidato, nem especificação de cargo em disputa. A restrição vale para qualquer outro material de divulgação institucional.

Não Pode

A confecção, utilização ou distribuição realizada por comitê de candidato ou com a sua autorização. Esta vedação vale para quaisquer outros bens ou materiais que possam proporcionar vantagem ao eleitor.

Comício

Pode

Os comícios poderão ser realizados até a meia-noite do dia 5 de outubro. É autorizado o uso de aparelhagem de som fixa. O trio elétrico terá de permanecer parado servindo apenas como suporte para divulgação de jingles e mensagens do candidato.

Não Pode

Estão proibidos shows com apresentação, remunerada ou não, de artistas com a finalidade de animação.

Alto-falantes ou amplificadores de som

Pode

São permitidos desde que respeitadas algumas regras.

Não Pode

A menos de 200 metros das sedes de órgãos públicos.

Caminhada, carreata e passeata

Pode

Até dia 2 de outubro. É permitida a distribuição de material gráfico e o uso de carro de som que circule pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidatos. É preciso respeitar a distância mínima de 200 metros dos órgãos públicos.

Não Pode

Usar a aparelhagem de som para transformar a manifestação em comício.

No dia das eleições

É permitida apenas a manifestação individual e silenciosa da preferência do eleitor, revelada pelo uso de bandeiras, broches e adesivos.

Cavaletes, bonecos, cartazes e bandeiras móveis

Pode

Ao longo das vias públicas, desde que não dificultem o bom andamento do trânsito de pessoas e veículos.

Não Pode

Nos bens cujo uso dependa de cessão ou permissão do poder público, ou que a ele pertençam. São proibidos também nos bens de uso comum, inclusive postes de iluminação pública e sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibus e outros equipamentos urbanos. A proibição vale ainda para árvores e jardins localizados em áreas públicas, muros, cercas e tapumes divisórios. Esta vedação também vale para qualquer outro tipo de propaganda. Para a Justiça Eleitoral, bens de uso comum, para fins eleitorais, são aqueles a que a população em geral tem acesso, tais como cinemas, clubes, lojas, centros comerciais, templos, ginásios e estádios, ainda que de propriedade privada.

Faixas, placas, cartazes, pinturas ou inscrições

Pode

Apenas em bens particulares, independentemente de autorização da Justiça Eleitoral, observado o limite máximo de 4 metros quadrados.

Não Pode

Em troca de dinheiro ou de qualquer tipo de pagamento pelo espaço utilizado. A propaganda deve ser feita espontânea e gratuitamente.

Distribuição de folhetos, volantes e outros impressos (santinhos)

Pode

Até as 22h do dia que antecede as eleições. Não depende da obtenção de licença municipal, nem de autorização da Justiça Eleitoral.

Não Pode

Apenas com estampa da propaganda do candidato. Todo material impresso de campanha deverá conter também o número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) ou o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) do responsável pela confecção, bem como de quem a contratou, e a tiragem. No dia das eleições: é vedada a arregimentação de eleitor ou a propaganda de boca de urna (distribuição de santinhos) e a divulgação de qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de seus candidatos.

Outdoors

Não Pode

Independentemente do local. A empresa responsável, os partidos, as coligações e os candidatos pagarão multa, caso recorram a propaganda em outdoors.

Jornais e revistas

Pode

Até a antevéspera das eleições, para divulgação paga de propaganda eleitoral na imprensa escrita. É permitida a divulgação de opinião favorável a candidato, a partido político ou a coligação pela imprensa escrita, desde que não seja matéria paga.

Não Pode

Publicação de propaganda eleitoral que exceda a dez anúncios, por veículo, em datas diversas, para cada candidato, num espaço superior, por edição, de um oitavo de página de jornal padrão e um quarto de página de revista ou tablóide. Também não pode deixar de constar no anúncio, de forma visível, o valor pago pela inserção.

Rádio e Televisão

Pode

Apenas para propaganda eleitoral gratuita, veiculada nos 45 dias anteriores à antevéspera das eleições (em 2012, este período corresponderá ao intervalo entre os dias 21 de agosto e 4 de outubro, inclusive).

Não Pode

Antes das eleições as emissoras não poderão, em sua programação normal e noticiário, transmitir, ainda que sob a forma de entrevista jornalística, imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado ou em que haja manipulação de dados, entre outras vedações.

Com informações da Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Mucio NT disse:

    Tem candidato fazendo propaganda pelo Facebook. Pagando!

Defensoria Pública do RN tem orçamento reduzido e enfrenta dificuldades para atender a população

Os defensores públicos enfrentam dificuldades na realização de seu trabalho: dar acesso à justiça àqueles que não podem pagar pelo serviço. A falta de profissionais e a redução no orçamento contribuem para o engessamento e impõe dificuldades na realização do seu trabalho. No sistema de justiça o defensor público é considerado voz dos excluídos, da população carente.

Um orçamento reduzido impede a realização de concurso e o atendimento da população que hoje conta apenas com 40 defensores, quando o ideal era ter pelo menos mais 65 profissionais. Ou ainda de acordo com a legislação estadual, 102 defensores.

A proposta realizada pela Defensoria para o Governo do Estado foi de R$ 20,3 milhões, no entanto, o governo disponibilizará R$ 12,4 milhões.  Apesar do aparente aumento em relação a 2012, onde o orçamento foi de 10 milhões, em 2010 esse valor chegava a R$ 14 milhões. O valor é o menor entre todos os Estados do país.

Em 2011, a Lei Orçamentária Anual previa R$ 517,236 milhões para o Tribunal de Justiça, R$ 197,462 milhões para o Ministério Público e R$ 13,588 milhões para a Defensoria Pública. Isto quer dizer que, para cada R$ 100,00 gastos com o aparelho judiciário, R$ 71,41 ficaram com o Tribunal de Justiça, R$ 26,75 com o Ministério Público e apenas R$ 1,84 com a Defensoria.

Em 2012, o orçamento do Tribunal de Justiça foi ampliado para R$ 741,9 milhões (+ R$ 224,664 milhões ou 43,44%), enquanto o Ministério Público ficou com R$ 232,3 milhões (+ R$ 34,838 milhões ou 17,64%). A Defensoria Pública experimentou um decréscimo orçamentário, ficando com apenas R$ 10,5 milhões . O orçamento de 2012 representa 0,11% do orçamento total do Rio Grande do Norte.

A falta de concursos públicos não será a única situação impossibilitada pelo novo orçamento, pois projetos como o SUS Mediado – que resolve ações contra o Estado de forma administrativa, sem que seja necessária uma ação judicial – também pode ser suspenso diante da falta de recursos, impedindo a ampliação de projetos concomitante com a crescente demanda. Para se ter uma ideia,  o índice de acordos chega a 60% com as pessoas que procuram o SUS Mediado gerando uma economia para o Estado.

Hoje, o estado do Rio Grande do Norte possui 166 Municípios organizados em 65 Comarcas. Para atender a demanda de 3.168.133 habitantes a legislação estadual prevê 315 cargos de Magistrados, 249 de membros do Ministério Público e apenas 102 de Defensores Públicos.

A Defensoria Pública encontra-se instalada em apenas oito comarcas: Natal, Parnamirim, Ceará-Mirim, Nova Cruz, Assú, Caicó, Mossoró e Pau dos Ferros. Atualmente, não existe Defensoria Pública em 87,69% das Comarcas do Estado.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fernando Calmon disse:

    É triste constatar que sempre um governo fraco toma decisões em prejuízo dos mais fracos. Que trista sina de quem mais precisa! Sem direito e sem saude, vai se enconstando aonde der esperando o seu triste e indiferente fim.

  2. Calazans disse:

    A diferença de tratamento é prova da politica de exclusão social abraçada por este governo, liderado por uma médica que vira as costas para a saúde.  Quanto a Defensoria, somente os mais desvalidos sabem oseu valor.  Resta-nos esperar uma nova oportunidade de mostrar, nas urnas, o sentimento de abandono que vive nossa população carente.  Defensoria é para pobre e pobre não tem vez nem voz.  Engano, pois as eleições estão ai. Aguardem os resultados e verão a prova disso.

  3. Manuel Sabino disse:

    O pobre não é lembrado mais nem mesmo nesta época de política…

Queimada provoca incêndio em loja de paletes em Parnamirim

Na manhã deste domingo (16) uma loja de paletes foi atingida por um incêndio, em Parnamirim. Populares disseram  que o fogo teve início em um matagal, próximo aonde fica os estoques das peças de madeiras.

O incêndio foi registrado pelo Corpo de Bombeiros por volta das 8 da manhã, a equipe dos bombeiros utilizou cerca de 3.500 litros de água para controlar o fogo.

Não houve vítimas.

Destaque da reação do ABC, Éderson marcou o sétimo gol na Série B

Éderson sempre foi um dos melhores finalizadores do ABC. Contudo, o jogador nunca conseguiu se firmar no time principal. Após passagem pelo Ceará, o atacante retornou e ganhou espaço no time de Ademir Fonseca.

Ontem, diante do CRB, o ABC perdia por 3 a 0 e Éderson puxou a reação. Marcou dois gols e ajudou o time a se livrar de uma derrota. “Só tenho a agradecer a Deus por ter me iluminado esta tarde. Felizmente pude marcar dois gols importantes, que contribuíram para esse grande resultado e isso me deixa bastante satisfeito. Acho que muita gente não acreditava mais. Mas, nosso grupo não se abateu, continuou buscando e teve tranquilidade e força para reagir e marcar os gols que nos deu mais um importante resultado”, apontou o atacante.

Com os dois gols marcados ontem, o Éderson chegou ao sétimo gol na Série B do Campeonato Brasileiro. O artilheiro do time na competição é Adriano Pardal, com nove gols marcados.

Baraúnas cada vez mais perto da Série C de 2013

O torcedor do Baraúnas segue feliz da vida. Neste sábado, jogando em Campina Grande, no estádio Amigão, o Leão do Oeste arrancou um empate fundamental contra o Campinense, em jogo válido pela primeira partida das quartas de final.

A equipe visitante abriu o placar com Rafinha, no início da partida. O gol do empate do Campinense nasceu em uma jogada do ex-ABC Ben-Hur. No jogo da volta, próximo final de semana, em Mossoró, o Baraúnas precisa apenas de uma vitória simples para garantir uma vaga na Série C de 2013.

Caso conquiste o acesso, o Rio Grande Norte vai garantir quatro equipes no Campeonato Brasileiro do próximo ano. Mesmo em edições diferentes, o estado terá ABC, América, Baraúnas e o representante que conquistar uma vaga no Estadual.

A tabela:

2ª RODADA
22/09 – 19h30 Friburguense-RJ x Crac-GO
23/09 – 15h30 Cianorte-PR x Mogi Mirim-SP
23/09 – 16h00 Baraúnas-RN x Campinense-PB
23/09 – 17h00 Sampaio Corrêa-MA x Mixto-MT

Anatel prorroga prazo para consulta sobre envio de SMS com propaganda

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) prorrogou para 20 de outubro, do prazo para as operadoras de celular consultarem seus assinantes se querem receber SMS com propagandas. O prazo terminaria no dia 20 de setembro.

Os usuários das operadoras receberão a seguinte mensagem de texto: “Por determinação da Anatel, caso não queira receber mensagem publicitária desta prestadora, envie SMS gratuito com a palavra SAIR para XXXXX”, indicando o número para a resposta. A operadora deverá confirmar o recebimento do pedido.

Segundo a Anatel, a Claro, TIM e Oi já iniciaram a campanha e os números para recebimento do comando SAIR são, respectivamente, 888, 4112 e 55555. Segundo a regulamentação, a propaganda só pode ser enviada aos usuários que optaram previamente pelo seu recebimento, quando assinaram o contrato.

A Anatel também determinou às prestadoras que incluam em seus contratos uma cláusula em que o usuário assinale se deseja ou não receber mensagens publicitárias, além da anulação de qualquer disposição em contrário contida em regulamentos de promoção.

O cliente poderá a qualquer tempo solicitar a interrupção do envio de mensagens publicitarias. Ele também poderá, quando quiser, voltar a receber o SMS. A empresa terá que manter um arquivo de dois anos com as mensagens dos clientes e a sua resposta.

Cientistas brasileiros e americanos desenvolvem método mais eficiente de diagnóstico da leucemia

Um novo método desenvolvido por pesquisadores brasileiros e norte-americanos permitirá mais rapidez e precisão no diagnóstico da leucemia e melhorará o monitoramento da resposta do organismo ao tratamento de quimioterapia.

Participaram do estudo dois cientistas brasileiros do Centro de Terapia Celular (CTC) da Universidade de São Paulo (USP) e mais cinco dos institutos nacionais de Saúde dos Estados Unidos.

Hoje, para o diagnóstico de câncer, os laboratórios citogenéticos analisam as alterações estruturais dos cromossomos nas células. Com o método, as células são examinadas uma a uma no microscópio, permitindo a análise de apenas 20 delas. O novo método usará o mesmo processo, mas terá capacidade de analisar até 30 mil células em menor tempo.

Segundo Rodrigo Calado, professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, que participou da pesquisa, o novo método usa um aparelho chamado citômetro de fluxo, que, atualmente, faz exames de linfócitos em pacientes portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV) ou com fibrose pulmonar e anemia aplástica – ocasionadas por anormalidades nos telômeros, extremidades dos cromossomos.

A novidade é que os cientistas descobriram uma nova aplicação para o aparelho, no diagnóstico e monitoramento do câncer de sangue, sendo a leucema o mais prevalente. Eles decidiram combinar o citômetro de fluxo com o método antigo, chamado de fluorescência, melhorando a eficiência do processo. “Combinamos os dois para poder analisar uma grande quantidade de células”, disse Calado.

O professor conta que já usou o citômetro de fluxo experimentalmente em diagnósticos de pacientes com câncer. Ao usá-lo, os pesquisadores notaram que o aparelho pode também ajudar o médico a observar a resposta ao tratamento do câncer. “Se havia, no começo, 100% de células com alteração no cromossomo e, com o passar do tempo, o número diminuiu para 1%, isso indica que o tratamento está sendo efetivo”, explicou.

O método pode ainda auxiliar indicando se a quimioterapia possibilitou a cura total do paciente. “Se com o passar do tempo, [o paciente] ainda tem 1% de células com alteração cromossômica, isso sugere que o tratamento, embora tenha tido uma resposta, não foi completo. Isso porque [o paciente] ainda tem células do câncer presentes em circulação”, observou.

De acordo com Calado, o desenvolvimento do método levou dois anos. O pesquisador estima que o novo diagnóstico esteja disponível para a população em três ou quatro anos. “Os laboratórios têm que adaptar o que já existe para poder fazer esse método, e isso leva tempo”, disse. Ele estima que, quando chegar ao mercado, o teste com  o novo método custe em torno de R$ 500 por paciente.

Da Agência Brasil

Balançar a mão pode substituir as senhas no futuro

Depois de algumas urnas eletrônicas utilizarem a impressão digital, a conhecida biometria , a Intel desenvolve sistema que reconhece características da palma da mão do usuário. Cada vez nosso corpo utilizado em sistemas digitais, em Caruaru o reconhecimento facial será testado em 130 ônibus da cidade em substituição ao cartão eletrônico de passagens.

Lembrar diversas senhas para serviços diferentes é difícil e a Intel acredita que pode facilitar a vida dos usuários com um novo sistema que reconhece um movimento da mão.

Pesquisadores da fabricante criaram um sistema com um software e um sensor biométrico que reconhece características da palma da mão do usuário, de acordo com a Reuters.

“Usamos muitas senhas diferentes em diferentes sites”, explicou o diretor de pesquisas de segurança da Intel, Sridhar Iyengar. “Tem como acabar com isso, e biometria é uma opção”, continuou.

A tecnologia foi desenvolvida para tablets e notebooks e, ao balançar a mão perto da tela sem precisar tocá-la, o dispositivo consegue reconhecer usuário e comunicar a bancos e outros serviços que é ele quem está do outro lado.

O sistema ainda está em fase de protótipo e a Intel não tem previsão de quando estará disponível para uso comercial.

 

Com informações do Olhar Digital

Jornalista sofre atentado no interior do Estado

O jornalista Roberto Guedes foi vítima de um atentado no município de Caiçara do Rio dos Ventos, distante 95 km de Natal, na noite deste sábado. O jornalista foi ameaçado por um grupo que cercou seu carro e desferiu agressões contra a vítima.

Na confusão, Roberto teve o braço quebrado e o carro depredado, mas conseguiu fugir. Na fuga, uma pessoa foi atropelada, mas não corre riscos. O jornalista registrou o caso na delegacia de Macaíba e retornou para Natal onde está internado em um hospital particular e vai passar por uma cirurgia.

As informações são do DnOnline

OPINIÃO DOS LEITORES:

País terá mais duas estatais neste ano

Batizada por seu antecessor de mãe do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a presidente Dilma Rousseff cria empresas para concretizar projetos de governo, especialmente nas áreas de infraestrutura e política industrial.

Nos bastidores, a equipe do Palácio do Planalto estuda a criação de duas novas entidades ainda neste ano, seguindo esta mesma linha: a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) e a Autoridade de Gestão Portuária.

Com essas e eventualmente outras estruturas, Dilma tenta consolidar a gestão plena da máquina pública federal. Isto é, além de apoiar seus planos nas agências reguladoras, criadas na administração de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), e nas estatais “turbinadas” sob Lula, como Petrobras, Caixa e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Dilma lança mão de empresas com perfil estruturante, com prerrogativa de planejar e monitorar a ação pública e privada.

Será assim no caso das duas novas estatais. A Embrapii terá o objetivo de intermediar a relação entre centros de pesquisa tecnológica e o parque manufatureiro, à semelhança do que faz a Embrapa com a produção nacional agrícola. Já a autoridade portuária, caso seja criada, servirá de coordenadora dos portos, monitorando chegadas e partidas de navios.

O perfil de atuação do Estado é pragmático. Diante do enorme e crescente déficit no regime previdenciário do setor público federal, de R$ 60 bilhões por ano, Dilma não pestanejou, e logo nos primeiros meses de governo elencou a aprovação no Congresso do novo regime previdenciário como prioridade legislativa – ao final de 12 meses, aprovou e sancionou a Fundação Nacional de Previdência Complementar do Servidor Federal, que entra em vigor em 2013.

A Funpresp foi gestada sob FHC, entre 1997 e 2000, e transformada em projeto de lei nos anos Lula, que desistiu de aprová-la no Congresso diante da forte oposição dos sindicatos de servidores. Outros exemplos do modelo Dilma têm sido a atuação mais incisiva das agências criadas pelos tucanos nos setores de telefonia, energia e aviação, reforçando o papel do Estado na economia.

As informações são da Agência Estado