Jornalismo

Cinegrafista José Lacerda foi assassinado em Mossoró por amigos, que são irmãos

A morte do cinegrafista da TCM (TV Cabo Mossoró) José Lacerda da Silva, de 50 anos, no domingo (16), não foi um crime de latrocínio. A informação foi confirmada pela Polícia Civil, através do delegado Luiz Fernando, titular da Delegacia de Furtos e Roubos (Defur) de Mossoró. Ele entrou no caso em parceria com o delegado Cleiton Pinho – que responde pela Delegacia Especializada de Homicídios (Dehom) de Mossoró.

Segundo o delegado, imagens de um estabelecimento comercial, próximo ao local do crime, no bairro Belo Horizonte, ajudaram na identificação dos suspeitos. Na ocasião, constatou-se que a motivação do assassinato foi uma briga com dois do cinegrafista, que são irmãos. Eles foram presos nesta quinta.

Durante coletiva na tarde desta quinta, a Polícia Civil detalhou que os responsáveis pelo crime. São eles Silas Domingos de Oliveira(autor do homicídio) e Silanei de Oliveira(facilitador do crime, por ter mentido em depoimento), que saíram para beber junto com Lacerda no dia do crime e na volta o cinegrafista teria reclamado da forma como Silas dirigia. Pasmem. Este foi o motivo que causou uma discussão entre e motivou o crime.

Atualizado às 17h22

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Mossoró vacina pessoas com 49 anos ou mais sem comorbidades

Mossoró avança na vacinação de mais uma faixa etária. A partir de agora, pessoas com 49 anos ou mais sem comorbidades já podem receber a primeira dose do imunizante no ginásio do Sesi. Abaixo o anúncio no Instagram da Prefeitura:

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Introdução de bactéria no Aedes aegypti reduz em 77% transmissão de dengue na Indonésia

Foto: frank600/Getty Images

Cientistas que estudam uma abordagem promissora contra a propagação do vírus da dengue acabam de obter resultados animadores. No teste mais completo realizado até agora, a transmissão da doença foi reduzida em 77% em uma cidade da Indonésia após a introdução de mosquitos infectados com uma bactéria do gênero Wolbachia.

A dengue chega a nós a bordo de fêmeas do mosquito Aedes aegypti e infecta de 100 a 400 milhões de pessoas a cada ano, principalmente em regiões tropicais e subtropicais do planeta (como o Brasil). A doença não tem um tratamento específico, e a vacina é recomendada apenas para quem já foi infectado antes.

Uma iniciativa que tenta combater o problema é o projeto australiano World Mosquito Program (WMP). Eles desenvolveram uma abordagem experimental para combater a propagação da dengue, que consiste na introdução da bactéria Wolbachia em mosquitos Aedes aegypti.

A bactéria retarda a reprodução do vírus da dengue no organismo do mosquito. Melhor ainda é que ela é passada de geração em geração: uma vez introduzida na população, todos os Aedes nascerão com ela. Assim, é menos provável que o inseto se transforme em um vetor da doença e a transmita para nós.

Os cientistas infectam os mosquitos e os liberam em locais de teste. Eles já realizaram esse experimento em vários lugares – como aqui no Brasil e em Queensland, na Austrália (onde a dengue foi basicamente erradicada). Mas o sucesso na Indonésia foi inédito.

“Este resultado demonstra como a Wolbachia pode ser uma descoberta empolgante – uma nova classe de produto segura, durável e eficaz para o controle da dengue é exatamente o que a comunidade global precisa”, disse o pesquisador Cameron Simmons, diretor do Centro da Oceania no WMP.

A cidade de Yogyakarta, de 26 km2, foi dividida em 24 regiões pelos pesquisadores. Entre março e dezembro de 2017, eles introduziram mosquitos infectados com a Wolbachia em 12 desses grupos – chamados de grupos de intervenção. Os outros 12 grupos não receberam os Aedes aegypti infectados e se tornaram grupos de controle – que servem para fins de comparação com os grupos de intervenção.

A Indonésia registra cerca de 8 milhões de casos de dengue por ano – por lá, a doença é endêmica. Em todos os grupos de estudo, as medidas locais de controle de mosquitos não foram interrompidas durante a pesquisa.

Ao longo de 27 meses após a liberação dos mosquitos infectados, os pesquisadores recrutaram pessoas com idades entre 3 e 45 anos que apareceram com sintomas suspeitos nas unidades básicas de saúde da cidade. Então, eles testavam essas pessoas para identificar se estavam ou não com a doença. Foram 8.144 pessoas testadas no total.

Os resultados mostraram que apenas 67 pessoas nos grupos de intervenção foram diagnosticadas com dengue – 2,3% da população desses locais. Já nos grupos de controle, 318 casos da doença foram identificados – o que representa 9,4% da população.

No geral, a introdução dos Aedes aegypti infectados com a Wolbachia reduziu a propagação da dengue em 77,1% e não apresentou resultados muito diferentes entre os quatro subtipos de dengue existentes.

Os pesquisadores também notaram que, entre os grupos de intervenção, 86% menos pessoas acabaram no hospital por complicações da doença. Foram registradas 13 hospitalizações nessas áreas, enquanto os grupos de controle tiveram um total de 102.

“Este é um grande sucesso para o povo de Yogyakarta”, afirma Adi Utarini, pesquisadora do WMP. “O sucesso do teste nos permite expandir nosso trabalho por toda a cidade de Yogyakarta e pelas áreas urbanas vizinhas. Acreditamos que há um futuro possível em que os residentes das cidades indonésias possam viver livres da dengue.”

Super Interessante

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Cruzamento da Trairi com Hermes da Fonseca dá novo acesso a Petrópolis

Foto: Alex Régis/Secom

A Prefeitura do Natal, por meio da STTU, instalou um semáforo sincronizado com faixa de pedestre no cruzamento da rua Trairi com a avenida Hermes da Fonseca. Esta mudança melhora o acesso dos motoristas ao bairro Petrópolis que vêm de Mãe Luiza e Via Costeira. O semáforo está funcionando desde esse domingo (13).

No local foi feita toda parte de acessibilidade e abertura do canteiro, tornando uma travessia segura e acessível para os pedestres. Este, era um pleito antigo dos motoristas que sentiam dificuldade de acessar o bairro de Petrópolis vindo da Via Costeira e Mãe Luiza.

Durante a semana os agentes de mobilidade da STTU estarão no local junto com a equipe técnica observando o comportamento da operação.

Opinião dos leitores

  1. Isso vai facilitar a fuga para Mãe Luiza… Agora ficou mais fácil assaltar em Petrópolis. Parabéns Paulo César, novo chefe da STTU.

  2. Secretaria de IMOBILIDADE urbana. Ano após ano, moradores do Tirol (lado do parque das dunas) são cerceados por essa secretaria. Para cruzar a Hermes somos obrigados à rodar quase um quilômetro, isso quando conseguimos sair da rua. Parabéns aos envolvidos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Turismo

Vão faltar hotéis e aviões na temporada de verão, diz presidente da CVC

Foto: CVC/Divulgação

A CVC já está com a cabeça na temporada de verão. Após a promessa de estados como São Paulo e Rio de Janeiro de vacinar todos os adultos com ao menos uma dose até setembro e outubro, cresce a expectativa do turismo pela retomada do setor. “A volta à normalidade vai coincidir com a alta temporada. Na minha visão, vão faltar hotéis e aviões porque vai haver um boom de viagens”, acredita Leonel Andrade, presidente da CVC. A empresa, assim como as companhias aéreas, afundou, em abril do ano passado, em função da pandemia. A CVC, que já chegou a valer 10 bilhões de reais, em 2019, viu seu valor de mercado despencar para menos de 1 bilhão, em 2020. Hoje, com uma recuperação mais sólida, já está avaliada em quase 6 bilhões de reais.

O tom para a retomada internacional, contudo, é mais cauteloso, já que muitos países só permitem a entrada de brasileiros depois de uma quarentena e outros sequer aceitam brasileiros ainda. “Vai acontecer a mesma coisa no turismo internacional, mas seis meses depois do doméstico. O maior desafio é reabrir as fronteiras, é um problema político que o governo precisa resolver”, diz o comandante da CVC. Os preços, que despencaram com a pandemia, devem acompanhar a demanda e subir, voltando aos patamares de 2019 até o final do ano, segundo o executivo.

Na última terça-feira, 8, a CVC informou ao mercado que contratou os bancos Citi e BTG Pactual para realizar uma nova oferta de ações. É a terceira oferta. A companhia já captou 700 milhões de reais em duas ofertas, realizadas em setembro de 2020 e em fevereiro de 2021. A dívida da CVC, que já foi de 1,6 bilhão de reais, caiu para cerca de 600 milhões no primeiro trimestre do ano.

Radar Econômico – Veja

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Prefeitura de Ceará-Mirim paga R$ 2,3 mi da primeira parcela do Décimo nesta terça-feira

Mantendo a agenda de compromisso com os servidores, a Prefeitura de Ceará-Mirim anunciou que a primeira parcela (40%) do 13º salário será paga nesta terça-feira (15). A confirmação foi dada pelo prefeito Júlio César Câmara, nesta segunda-feira. Serão injetados na economia local aproximadamente R$ 2,3 milhões.

De acordo com o gestor, o pagamento do Décimo inclui os funcionários contratados da saúde, o que não ocorria no passado. “ O pagamento do Décimo é uma ótima notícia. É fruto de muito trabalho e da economia que a gente tem feito ao longo da nossa gestão. Isso acaba resultando em benefícios para os nossos servidores. A luta continua e o trabalho não para”, concluiu o chefe do Executivo municipal.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

EUA e Israel investigam se vacinas anti-Covid da Pfizer e da Moderna causam inflamação leve no coração

Vacinação na Filadélfia
18/5/2021 REUTERS/Hannah Beier

Foto: Arquivo / Reuters

Autoridades de saúde dos EUA e de Israel investigam se o uso de vacinas contra a Covid-19 baseadas na tecnologia de RNA mensageiro, como os imunizantes da Pfizer/BioNTech ou da Moderna, podem estar gerando casos raros e leves de miocardite, uma inflamação no músculo do coração.

No dia 17 de maio, o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) afirmou em comunicado ter registrado alguns poucos casos brandos de miocardite que se seguiram à imunização com uma das vacinas de RNA mensageiro. Nos EUA, são usados dois imunizantes com a tecnologia (Pfizer/BioNTech e Moderna).

O comunicado diz que esse é considerado um potencial efeito adverso dessas vacinas. De acordo com o CDC, os casos ocorrem predominantemente em adolescentes e jovens adultos, é mais frequente em homens e acontecem tipicamente quatro dias após a vacinação com a segunda dose. No país, crianças a partir de 12 anos de idade podem ser vacinadas.

Segundo o CDC, 789 casos foram registrados nos EUA até o dia 31 de maio; 216 ocorreram após a primeira dose e 573, depois da segunda dose.

Em 2 de junho, o Ministério da Saúde de Israel publicou um comunicado afirmando que também investiga a ligação entre o uso da vacina da Pfizer e a ocorrência de miocardite em homens mais jovens.

Segundo a autoridade israelense, 148 casos de miocardite próximos da data de vacinação foram registrados entre dezembro de 2020 e maio de 2021. O comunicado diz que a inflamação acontece com maior frequência em jovens com idades entre 16 e 19 anos, e 95% dos casos são considerados leves.

“Existe alguma probabilidade de uma possível ligação entre a segunda dose da vacina e o surgimento da miocardite em homens com idades entre 16 e 30 anos”, afirma o Ministério da Saúde israelense no texto.

“A recomendação para vacinar adolescentes de 12 a 15 anos deve ser discutida pelo fórum da Força-Tarefa de Contenção da Pandemia e submetido à aprovação do diretor-geral do Ministério da Saúde”, diz o comunicado.

Segundo Jasvan Leite, cardiologista do hospital HCor, uma vez comprovada a ligação entre os imunizantes e a inflamação no coração, o efeito não seria exclusivo das novas vacinas.

O médico diz que em 80% a 90% dos casos de miocardite, alguma infecção viral atingiu o trato respiratório ou o trato gastrointestinal alguns dias antes. O que acontece nesses casos é que a resposta imunológica para combater o vírus pode ser exagerada e as substâncias inflamatórias liberadas pelo organismo chegam a outras partes do corpo e podem prejudicá-las.

“As vacina também pode gerar resposta inflamatória, pois traz a presença de um corpo estranho”, afirma Leite. “É por isso que muitas pessoas têm febre ou dores no corpo após a imunização, e isso é normal.”

Todas as vacinas carregam, de alguma forma, um antígeno —um pedaço do vírus, ou o vírus inteiro inativado, incapaz de gerar doença— que serve para acionar o sistema imunológico e produzir moléculas específicas para combater o patógeno e gerar proteção contra a infecção.

Quando a miocardite é um efeito adverso da vacina, os casos são predominantemente leves e se manifestam com uma dor no tórax, diz o médico. Leite estima que menos de 1% de todos esses casos evoluam para quadros mais graves, gerando arritimias ou insuficiência cardíaca.

Ainda não é possível dizer porque esse tipo de miocardite após a vacinação é mais comum em homens, mas sabe-se que a resposta imunológica é mais intensa em jovens do que em pessoas mais velhas, o que pode aumentar as chances de haver resposta inflamatória associada à resposta imunológica.

O Ministério da Saúde disse não havia nenhuma suspeita de miocardite relacionada à aplicação da vacina da Pfizer no Brasil até a última quarta-feira (9).

“É importante esclarecer que os eventos adversos são associados a qualquer reação após a vacinação, ou seja, não há, necessariamente, relação direta com a vacina. Todos são investigados detalhadamente pelas autoridades de vigilância locais, supervisionadas pelo Ministério da Saúde, com apoio de especialistas”, afirmou a pasta por email.

Para Leite, do HCor, os casos raros não devem trazer desconfiança sobre o uso dessas vacinas. “As vacinas são seguras, e os efeitos colaterais podem acontecer como em qualquer outro imunizante”, diz.

Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. Sem avaliação da eficiencia, eficácia e possibilidade de reações e efeitos colaterais sérios, um bando de asnos acham que a vacina é a solução, ledo engano, infelizmente corremos sérios riscos com a aplicação delas (me vacinei) mais os cuidados da ANVISA, são justificados, diferente do quer fazer parecer um bando de ladrões safados, que vivem da miséria dos babacas. O que deveria ser uma discussão seria, virou política barata, inconsequente e perigosa.

  2. Num disse, foi dizer q enviou documentos a Bolsonaro que caso não cumprisse prazo de entrega de vacina, seria passível de multa. Já começou, até amanhã vai aparecer mais. Rsrsrs

    1. Vc deve estar se achando o máximo por esse comentário idiota, faça como eu, tomei a vacina, mais procuro saber dos riscos do meu ato e com certeza vou assumir se algo ser errado. A vacina não é a bala de prata em canto nenhum do mundo.

    2. Quem tá divulgando é o jornal mais inimigo do Bolsonaro. Mas a esquerda prega que Bolsonaro fizesse igualmente ao consórcio do Nordeste. Comprasse no escuro.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN contabiliza 21 óbitos por covid nas últimas 24h, sendo 14 dentro do dia; novos casos são 1.504

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta segunda-feira (14). Foram mais 1.504 casos confirmados, totalizando 284.328. Até domingo (13) eram 282.824 infectados.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 6.473 no total, sendo 14 mortes registradas nas últimas 24h: Natal(03), Mossoró(01), Parnamirim(01), São José do Mipibu(01), Ceará-Mirim(01), Jardim de Piranhas(01), Pendências(01), Santana do Matos(01), Campo Redondo(01), Afonso Bezerra(01), Currais Novos(01) e José da Penha(01).

A Sesap ainda registrou outros 07 óbitos ocorridos após a confirmação de exames laboratoriais de dias ou semanas anteriores. No domingo (13) o número total de mortes era 6.452. Óbitos em investigação são 1.377.

Casos suspeitos somam 102.444 e descartados 544.730.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Pacheco diz ser “perfeitamente possível” voto impresso auditável nas próximas eleições

Foto: Pablo Jacob/Agência O Globo/Arquivo

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) afirmou nesta segunda-feira, em live do site “Jota”, que não se opõe a uma mudança no sistema eleitoral que permita a implementação do voto impresso auditável nas próximas eleições.

Ele afirmou que aqueles que veem possível vulnerabilidade no atual sistema eletrônico precisam ter sua opinião respeitada e que, se for o caso, o voto impresso pode ser adotado, “até para dissiparmos qualquer tipo de dúvida em relação à higidez do processo eleitoral brasileiro”.

“Não enxergo e não acredito em vulnerabilidade do sistema eleitoral. Mas a sustentação sobre eventual vulnerabilidade precisa ser respeitada e precisa ser ouvida. O fato de eu não acreditar não significa que não exista. Obviamente temos que aferir isso, que apurar isso e permitir o debate”, opinou o presidente do Congresso.

“Eu tenho permitido plenamente esse debate sobre o voto impresso auditável. É uma discussão que faremos com o TSE, com o presidente da Câmara. Se houver viabilidade técnica e operacional para uma implantação dessa natureza, que dê maior confiabilidade ao sistema de escolha de candidatos, é perfeitamente possível nós admitirmos”.

Valor

Opinião dos leitores

  1. Incrível como existe desinformação sobre o que é o voto impresso auditável. O eleitor não vai ter acesso ao voto impresso. Ele aparecerá atrás de um vidro / tela transparente para que o eleitor confirme se o seu voto corresponde aos candidatos que ele digitou na urna eletrônica. Após isso esse voto vai automaticamente para uma urna lacrada para futura recontagem caso existam dúvidas sobre os resultados. A urna eletrônica e a urna física para recepção dos votos estão acopladas num mesmo equipamento que inclusive já foi desenvolvido e testado pelo TSE no passado, não sendo nenhuma novidade. Repito, o eleitor não terá nenhum acesso ao voto impresso que não seja apenas a visualização do mesmo.

  2. Vai facilitar ainda mais o comércio e a manipulação dos votos . Os milicianos, os traficantes e os coronés agradecem mais esse terrível retrocesso.

  3. Tá certo, nunca ocorreram fraude no voto impresso, ninguém nesse país nunca nem ouviu falar de fraudes em eleições. Rsrsrs

  4. Indubitavelmente as Urnas possuem vulnerabilidade física e técnica às fraudes, como ampla e conhecidamente divulgado.
    Não há outra solução além da impressão do voto, quer os Boca de Veludo queiram ou não queiram.
    Que mal há em se imprimir o voto?
    Por que essa perseguição peremPTória à impressão?
    Cheira à corrupção e ativismo Ideológico. Nada mais.

    1. Theodorico fazia isso, se vc é do Japi, seus pais e familiares gostavam.

    1. Vamos lá entender a questão do voto impresso, o que acontece será o seguinte o candidato vai lhe oferecer dinheiro para comprar o seu voto e vai pedir o cupom fiscal para garantir que você votou nele, apenas isso.

    2. Vc deseja muito que ele bote pra torar em vc não é? Teu pseudônimo te entrega…

    3. será que você sabe que isso significa aumento de gastos do contribuinte? com instalação de impressoras em cada UE, aquisição de papeis, contrato com profissionais para as quebras que irão ocorrer. não é necessário imprimir! basta instalar um softwere para visualização em telas.
      que esses bilhões sejam gastos na saúde ou no combate à corrupção.

    4. Bolsonaro não quer voto impresso, ele quer apenas tumultuar e depois alegar que foi derrotado de forma fraudulenta igual o Trump… voto impresso 2022, para que ninguém mais fale m… ou que tenhamos fraudes…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra mais leitos críticos Covid disponíveis do que pacientes que necessitam

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

O RN permanece com fila ‘zerada’ de pacientes para UTI Covid conforme levantamento no fim da manhã desta segunda-feira(14). Por volta das 12h10, eram 7 pacientes com perfil para leitos críticos na lista e 49 leitos disponíveis, ou seja, mais leitos disponíveis do que pacientes necessitando.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 87,6%

Foto: (Reprodução/Regula/Sesap)

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 87,6%, registrada no fim da manhã desta segunda-feira (14). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 606.

Até o momento desta publicação são 50 leitos críticos (UTI) disponíveis e 352 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 158 disponíveis e 254 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 86,6% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 98,1% e a Região Seridó tem 65%.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *