Finanças

FOTOS: Como descobrir se as cédulas e moedas que você tem em casa são valiosas

Foto: Reprodução

Mesmo após 27 anos da adoção do real, muitas pessoas guardam em casa um punhado de cédulas e moedas dos antigos planos monetários do Brasil. O curioso é que, talvez por nostalgia ou por julgarem que no meio delas exista alguma moeda rara, poucas pessoas se desfazem dessas peças. A notícia ruim é que, em 99% dos casos, nenhuma dessas cédulas ou moedas tem algum valor. Mas tem aquele 1%… Como descobrir, então, se naquele velho cofrinho há algo valioso?

Não existe uma fórmula mágica para descobrir automaticamente se a sua moeda é rara ou não. O primeiro passo, portanto, é levantar informações sobre ela. O caminho mais fácil para isso é por catálogos de moedas.

Bruno Pellizzari, vice-presidente da Sociedade Numismática Brasileira, diz que o erro mais comum das pessoas é achar que moeda antiga é sinônimo de valor. “Uma moeda emitida há duas décadas pode valer mais do que uma do Império ou da Colônia. O que dita o preço de uma peça não é a idade e, sim, a quantidade de moedas feitas naquele ano específico e o estado de conservação.”

Acostumado a avaliar moedas antigas, Pellizzari diz que são raras as pessoas que encontram moedas valiosas no cofrinho de casa. “Eu já recebi moedas para avaliar que custavam alguns milhares de reais. Mas é muito difícil alguém surgir despretensiosamente com uma peça rara.”

Caso uma pessoa queira a opinião de um especialista, Bruno indica o site da Sociedade Numismática Brasileira, que tem uma lista de lojas especialistas no Brasil que podem fazer isso.

Moeda mais valiosa

Segundo Pellizzari, a moeda brasileira mais valiosa é a Peça da Coroação, que é uma moeda de ouro de 6.500 réis feita em comemoração à coroação de D. Pedro 1º, em 1822. Acredita-se que foram cunhadas apenas 64 unidades. O imperador não teria gostado do resultado porque ele foi representado com o busto nu, como se fosse um imperador romano, quando ele queria ser representado em farda militar.

“Das 64 unidades, hoje são conhecidas apenas 16”, diz Pellizzari.

Foto: Reprodução

Ela foi a moeda brasileira mais cara já negociada em um leilão, vendida por cerca de US$ 500 mil nos Estados Unidos em 2014. No Brasil, algumas unidades estão em exposição pública no Museu de Valores, em Brasília, no Museu Numismático Herculano Pires (Itaú Cultural), em São Paulo, no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro, e no Centro Cultural Banco do Brasil, também no Rio.

O que define o valor de uma moeda

O colecionador de moedas Plínio Pierry, criador da startup Collectgram, criada para ajudar colecionadores a encontrarem informações sobre suas moedas, dá uma dica valiosa na hora de oferecer suas peças no mercado e explica a diferença entre “preço” e “valor”.

“Uma moeda da Revolução Farroupilha terá mais valor e, por consequência, um melhor preço, se oferecida para algum colecionador do Rio Grande do Sul. Com a história da moeda em mãos, você conseguirá extrair mais argumentos de valor e chegar a um melhor preço”, afirma.

Pierry, no entanto, pondera que a tiragem das moedas pode influenciar muito no valor final. “Toda moeda tem uma quantidade finita de emissões e, quanto menos moedas emitidas em um determinado ano, maiores as chances de ela valer alguma coisa. No Brasil, uma moeda já é considerada escassa se foram emitidas menos que 1 milhão de unidades.”

Ele destaca, ainda, que moedas com erros de cunhagem também podem valer muito. Um dos casos mais emblemáticos é a moeda de 50 centavos de real que saiu estampada apenas com o número 5. “O defeito pode valorizar uma moeda comum. Os defeitos podem ocorrer tanto no design da moeda quanto na sua produção por alguma falha mecânica ou humana.”

Cédula de R$ 200 vale mais?

Os colecionadores de moedas e moedas celebraram a emissão da nova cédula de R$ 200. O dinheiro, no entanto, mesmo com pouca circulação, não é considerado raro por eles. A dica de Pierry é buscar pelas cédulas com a série AA, que teve 50,4 milhões de unidades emitidas.

“O ideal é buscar cédulas com numerações exóticas como palíndromos, sequenciais com mesmo número, numeração crescente ou decrescente, dentre outras.”

Algumas moedas valiosas

Veja AQUI(em matéria na íntegra) algumas moedas valiosas que podem ser encontradas em circulação.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Valioso é o voto do povo brasileiro, que os erros de 2018 são se repitam em 2022, estamos enfrentando uma verdadeira guerra mundial, os EUA já perderam mais pessoas pra Covid-19 do que seus heróis da segunda guerra e temos um presidente como Bolsonaro, é como se ele não reconhecesse a existência da guerra, oi seja, da pandemia. #Negacionistas

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Justiça Federal condena dupla por falsificação de cédulas na Grande Natal

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte condenou dois homens acusados de aplicarem o crime de falsificação de cédula na cidade de São José do Mipibu. José Augusto dos Santos e Leonardo Dionísio do Nascimento foram considerados culpados e cada um cumprirá pena de 3 anos e seis meses. A sentença foi proferida pelo Juiz Federal Walter Nunes da Silva Júnior, titular da 2ª Vara.

Ele converteu as penas privativas de liberdade em restritiva de direito. Os dois acusados passarão um ano em prestação de serviço à comunidade e ainda dois anos e seis meses comparecendo mensalmente em Juízo para informarem suas atividades.

José Augusto e Leonardo Dionísio foram flagrados nos dias 4 e 5 de abril usando cédula falsa no comércio de São José do Mipibu.

“Embora, o referido laudo não tenha atestado que a falsidade das cédulas examinadas é capaz de enganar o homem médio, tal fato ficou evidenciado na hipótese dos autos, diante da potencialidade em induzir a erro até mesmo pessoas com vivência no comércio, acostumadas a manusear e examinar dinheiro utilizado para o pagamento de despesas em estabelecimento comercial”, analisou o Juiz Federal na sentença.

O magistrado chamou atenção ainda que o crime é competência da Justiça Federal porque não se trata da apreensão de cédulas grosseiramente falsificadas, mas de produtos que tinham um requinte de falsificação que poderiam ludibriar até o homem médio.

JFRN

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Novas cédulas de R$ 2 e de R$ 5 têm camada protetora contra sujeira

As novas cédulas de R$ 2 e de R$ 5, que entraram em circulação hoje (29), terão uma camada protetora contra sujeira, disse o diretor de Administração do Banco Central (BC), Altamir Lopes. Na solenidade de lançamento das cédulas, ele explicou que a proteção tem como objetivo impedir o desgaste rápido das notas, que são as mais manuseadas por serem de baixo valor.

As cédulas de R$ 2 e de R$ 5 concluem o lançamento da nova família de notas do real. De acordo com Lopes, a substituição das cédulas antigas está mais adiantada nas notas de maior valor, cujas novas versões saíram há três anos. Segundo o diretor do BC, 71,3% das cédulas de R$ 100 e 63,8% das de R$ 50 foram trocadas. Quanto às notas de R$ 20 e de R$ 10, já foram substituídas 31,3% e 36,9%, respectivamente.

As novas cédulas trazem elementos adicionais de segurança, como número escondido, marca-d’água e alto-relevo, já presentes nas de R$ 50 e R$ 100 e de R$ 10 e R$ 20, lançadas respectivamente em 2010 e 2012.

O número escondido – numeral com o valor da nota – fica visível quando a cédula é colocada na posição horizontal, na altura dos olhos, em local com bastante luz. A marca-d’água revela o valor da nota e a imagem do respectivo animal: a tartaruga marinha, na nota de R$ 2, e a garça, na de R$ 5. O alto-relevo pode ser sentido pelo tato em diversas áreas da parte da frente das cédulas.

As novas notas encerram o ciclo de substituições iniciado pela autoridade monetária em 2010. Naquele ano, foram divulgadas imagens dos seis novos modelos. As cédulas da segunda família do real trazem o valor da nota no canto superior direito.

O Banco Central esclarece ainda que as notas antigas não perderão valor. Elas serão substituídas gradualmente no dia a dia, conforme forem tiradas de circulação por causa do desgaste natural.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Novas cédulas de R$ 2 e R$ 5 começam a circular segunda-feira

As novas cédulas de R$ 2 e R$ 5 entrarão em circulação a partir da próxima segunda-feira, segundo informou nesta sexta-feira o Banco Central. A autarquia não havia divulgado um cronograma para a mudança das notas, mas avisou que seria no segundo semestre. As notas antigas continuam a valer até serem totalmente substituídas.

As cédulas da “Nova Família do Real” têm tamanhos diferentes – para a melhor diferenciação – e novos instrumentos para dificultar a falsificação. Entre as mudanças está o “quebra-cabeça”, já visto em cédulas de maior valor. Esse mecanismo é a impressão de parte do número referente ao valor da nota de um lado e parte no verso. Somente contra a luz é possível ver o algarismo que representa o valor da nota, no caso os números dois e cinco. A textura do papel moeda ainda é mais firma e mais áspera que as cédulas antigas.

Há um ano, a autoridade monetária colocou as notas de R$ 10 e R$ 20 em circulação. As primeiras cédulas da nova família do Real – de R$ 50 e R$ 100 – entraram em circulação em 2010.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Ou seja: o dinheiro era pobre no valor e pobre na qualidade. Veja as notas de 50 e 100 reais: estão aí desde 2010. Até nisso o pobre é excluído, notas de 2 e de 5 não passam nas mãos dos ricos. Laudicéia, minha governanta trilingue, ao ver a notícia, colocou as duas mão nos quaaaadris e me perguntou: "Seu Paulo, isso aí não é aquele negócio com a agente, não"? O quê? "Esse tal de 'bulingue'?".

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *