Polícia

Vermelho é ‘gênio louco’ e agiu sozinho, diz advogado de casal preso

Foto: Reprodução/via Crusoé

O advogado Ariovaldo Moreira disse hoje que vai pedir a libertação do casal Gustavo Santos e Suelen Oliveira, seus clientes, presos pela PF na Operação Spoofing.

Moreira atribuiu a culpa pelo ataque hacker a Walter Delgatti Neto, o Vermelho, que segundo ele é um “gênio louco”.

O Antagonista com Crusoé

Opinião dos leitores

  1. O cara só nasce uma vez e já vem com a maldade para prejudicar as pessoas de bem.
    Mal intencionado, para ganhar dinheiro é capaz de vender a própria mãe.
    Não tem nada de louco é criminoso mesmo.
    Cana longa para aprender a fazer as coisas corretas.

  2. Vai pra o sacrifício, e já se considera louco. 100 mil em casa, nunca rasgou dinheiro, movimentou meio milhão, ganhando 2 conto. Entregou as conversas de graça! Muito bestinha essa criança. Tô só veno

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Barbaridades foram cometidas contra Flávio, diz advogado de senador, que diz que MP do Rio não tem nada contra filho do presidente

Frederick Wassef, advogado do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) – Bruno Santos/Folhapress

O advogado Frederick Wassef, que defende o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), classifica como uma “barbaridade” a investigação feita pelo Ministério Público do Rio de Janeiro contra o senador e filho do presidente da República.

“Se ilegalidades absurdas e seguidas foram cometidas no caso Flávio Bolsonaro, o primeiro passo é barrá-las. Não vou abrir mão dos direitos do meu cliente e deixar barbaridades serem cometidas por estar preocupado sobre qual seria a percepção do público”, disse em entrevista à Folha nesta terça-feira (23).

Segundo ele, a Promotoria não tem nada contra Flávio, mas tem como objetivo atingir não só o senador, mas o presidente Jair Bolsonaro, de quem Wassef é amigo há cinco anos.

Na semana passada, atendendo a pedido de Wassef, o ministro Dias Toffoli determinou que investigações que tiveram origem no envio de dados detalhados ao Ministério Público por autoridades fiscais sem aval do Judiciário fiquem suspensas até que o STF defina regras para o compartilhamento de informações.

Isso envolve troca de dados entre o Ministério Público e órgãos como o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), Receita Federal e Banco Central.

“O que não podemos é o poder ilimitado e sem controle de alguns membros do Ministério Público adentrar na vida financeira de qualquer indivíduo”, afirmou Wassef.

O advogado também saiu em defesa de Fabrício Queiroz, espécie de chefe de gabinete de Flávio nos tempos de Assembleia Legislativa do Rio e pivô da investigação. “Por todos os elementos que vi, não há indício de crime ou ilícito.”

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Gostaria de dizer ao digníssimo advogado que se realmente ele conhecesse de LEI e da CONSTITUIÇÃO BRASILEWIRA jamais diria tamanha besteira, basta olhar e escutar que qualquer um cidadão decente VER os absurdos, BARBARIDADES e canalhices cometidas pela FAMÍLIA BOSSONARO contra o BRASIL e o POVO BRASILEIRO com esta QUADRILHA chefiada pelo JAIR e composta dos TRÊS PATETAS do JAIR. Só quem está no esquema, recebendo grandes fortunas do PAPAI BOSSONARO não quer ENXERGAR.

    1. Poeta vai primeiro estudar a gramática, desse jeito vc despoetiza a língua portuguesa.

    2. Acho que tem gente é com muita saudade da quadrilha dos PTralhas, aquela chefiada pelo de 9 dedos…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Lula não irá para o matadouro de cabeça baixa, diz advogado

Os advogados que atuam na defesa do ex-presidente Lula estavam resistentes com o plano de ele não se entregar à Polícia Federal até as 17h desta sexta (6), mas mudaram de ideia a passaram a apoiá-lo.

A estratégia de Lula é ficar na sede do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, o marco zero da vida política de Lula, e esperar que a PF venha prendê-lo.

“Não haverá resistência, mas ele não irá para o matadouro de cabeça baixa, por livre e espontânea vontade”, disse à Folha José Roberto Batochio, que cuida da defesa de Lula junto com Cristiano Zanin Martins.

“Não é rebelião”, prossegue Batochio. “É um direito da pessoa preservar a sua liberdade e não contribuir para qualquer ato que possa suprimi-la. Sem violência, é claro”.

A defesa do ex-presidente afirma que há uma doutrina prevendo que não pode ser aplicada uma punição extra a quem está defendendo seus princípios de liberdade.

Um dos temores dos advogados de Lula era de que o juiz federal Sergio Moro decretasse uma segunda prisão caso ele não cumpra as ordens do juiz de se apresentar à Polícia Federal em Curitiba.

O temor foi ultrapassado com o argumento de que tanto faz se Lula tiver uma ou três prisões decretadas pela Justiça.

Batochio e Zanin decidiram ingressar com uma reclamação no Supremo Tribunal Federal contra a ordem do juiz Moro. A peça será apresentada ainda nesta sexta (6) com o argumento de que Moro determinou a prisão sem que todos os recursos da defesa de Lula no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

O ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça, negou nesta sexta (6) um pedido de habeas corpus com teor semelhante à reclamação que será apresentada ao Supremo.

O juiz Moro classificou esse tipo de recurso ao TRF-4 de “patologia protelatória” e defendeu que ele deveria ser “eliminado do mundo jurídico”.

A reclamação contra Moro vai defender a tese de que o juiz desrespeitou decisões do Supremo Tribunal Federal ao decretar a prisão.

Segundo os advogados de Lula, o Supremo negou o habeas corpus que foi impetrado para impedir a sua prisão, mas manteve o princípio de que ele só poderia ir para a prisão depois de julgados todos os recursos apresentados ao TRF-4.

“O juiz desrespeitou a Constituição e o Supremo com o mandado de prisão”, afirma Batochio. Segundo ele, ainda há recursos a serem julgados pelo TRF-4.

Moro escreveu no mandado de prisão que esses recursos jamais poderiam mudar a condenação do ex-presidente.

Folha de SP

 

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Maluf chora na cadeia e está ‘muito emotivo’, diz advogado

Maluf caminhava com ajuda de bengala ao chegar no IML. Foto: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo – 21.12.2017

O deputado federal Paulo Maluf (PP-SP) tem chorado desde que chegou à carceragem da Polícia Federal em São Paulo, na tarde de quarta-feira (21). A afirmação é de um dos advogados dele, Ricardo Tosto.

— Ele está muito abalado, emotivo. As outras pessoas que estão na custódia estão ajudando ele. Ontem ele usou a cadeira de rodas para se locomover lá por causa do problema na perna.

R7

Opinião dos leitores

  1. Agora esse FDP chora, né!
    É quantas famílias choraram a perda de seus familiares por falta de uma assistência médica do SUS devido a falta de recursos. Não é pra ter pena não! Deixa mofar na cadeia

  2. Engraçado que para dirigir sua Ferrari ele não sente dor nenhuma nas pernas, nem ficou emotivo quando colocou a mão em dinheiro publico.

  3. Prender Maluf é fácil; queremos ver prender o Aécio!

    Por que o STF não decidiu pedir licença à Câmara dos Deputados para prender Maluf, como fez com Aécio?
    Afinal, há muito mais provas contra o tucano do que contra o pepista, ex-esbirro da ditadura militar.

  4. O pai da corrupção no Brasil. Mas, hoje, não chega nem perto dos que aí estão. Temos que fazer uma limpeza política geral.

  5. Mas pra roubar age com a razão esquecendo-se da emoção, e ri da cara do povo ao invés de chorar.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

‘É mais fácil matarem Dirceu do que ele fazer uma delação’, diz advogado

O advogado do ex-ministro José Dirceu, Roberto Podval, descartou a possibilidade de o petista fazer um acordo de delação premiada.

“É mais fácil matarem Dirceu do que ele fazer uma delação premiada”, disse Podval à Folha.

O criminalista também afirmou que não há chances do irmão do petista, Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, firmar uma negociação com o Ministério Público Federal.

Os dois estão presos desde segunda (3), quando foram alvos da 17º fase da Operação Lava Jato, batizada de “Pixuleco”.

Na manhã desta terça (4), a colunista Mônica Bergamo publicou uma mensagem enviada por Dirceu à coluna afirmando que não cogitava fazer um acordo de delação. “Primeiro porque não tenho o que delatar. Segundo porque não tem nada a ver com minha vida e trajetória”, disse o ex-ministro.

A defesa de José Dirceu recebeu a informação de que o depoimento do petista não deve ser marcado para esta semana pela Polícia Federal.

O próximo passo dos advogados que defendem o ex-ministro é entrar com um Recurso Ordinário Constitucional contra o habeas corpus negado a Dirceu pelo Tribunal Regional Federal.

‘PIXULECO’

Dirceu foi apontado pelo Ministério Público Federal como um dos responsáveis pela criação do esquema de corrupção na Petrobras.

“Chegamos a um dos líderes principais, que instituiu o esquema, permitiu que ele existisse e se beneficiou dele”, disse o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos responsáveis pelas investigações.

Os procuradores da Lava Jato apontam Dirceu como responsável pela indicação do ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque, que foi responsável pela negociação de contratos de obras da Petrobras de 2003 a 2012 e é acusado de cobrar propina dos fornecedores da estatal.

O procurador Lima afirmou que o esquema de corrupção na Petrobras reproduziu características do mensalão, porque parte do dinheiro abasteceu políticos do PT e de outros partidos governistas. “O DNA é o mesmo: compra de apoio partidário”, disse.

Para ele, o esquema foi “sistematizado” no governo Lula. Questionado se o ex-presidente também seria investigado, Lima disse que “nenhuma pessoa no regime republicano está isenta de ser investigada”.

Folha Press

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Juiz federal é flagrado ao volante de Porsche Cayenne de Eike Batista

eike eike1Fotos: Rafael Moraes / Extra

O juiz federal Flávio Roberto de Souza foi flagrado pelo EXTRA, na manhã desta terça-feira, ao volante do Porsche Cayenne branco do empresário Eike Batista. O magistrado chegou com o veículo à sede da 3ª Vara Criminal Federal, no Centro do Rio, às 10h22m, e entrou por um portão lateral da sede da Justiça Federal, na Avenida Barão de Tefé. O Porsche foi um dos apreendidos pela Polícia Federal por ordem do próprio magistrado: ele determinou a apreensão de todos os bens do ex-bilionário no Brasil.

O EXTRA fez plantão na porta da 3ª Vara Federal Criminal, na Avenida Venezuela, após ser avisado de que o juiz estaria usando o veículo.

Procurado por telefone após o flagrante, o juiz não explicou o motivo de estar dirigindo o carro apreendido.

– A ligação está ruim. Não estou te ouvindo – disse.

Logo após, completou:

– Agora estou ouvindo, mas não posso falar pois estou numa reunião.

À revista Veja, o juiz se defendeu e alegou que não havia vagas no pátio da Justiça Federal para todos os carros apreendidos de Eike. Ele disse que levou os dois veículos mais caros (o Porsche e uma Hillux) para a garagem do próprio prédio, e teria comunicado ao Detran. Nesta terça-feira, de acordo com o juiz, os carros seriam levados de volta para o pátio, onde ficariam expostos antes do leilão desta quinta-feira. Segundo o magistrado, a Hilux que o motorista da Vara Federal dirigia deu problema e teve de ser rebocada. O motorista era quem pegaria o Porsche depois para levar à Justiça Federal. Então ele, se dispôs a levar.

O Porsche, no entanto, não vai a leilão nesta quinta-feira.

Em entrevista ao EXTRA, neste domingo, Flávio Roberto criticou os advogados do empresário, que tentam tirá-lo de um dos processos, garantindo que eles não vão fazê-lo sair “do sério” e afirmou: “Vou esmiuçar a alma dele”.

Thor Batista, filho de Eike, disse apenas que espera que o pai seja julgado “com imparcialidade”:

– Só espero que o meu pai seja julgado com imparcialidade, de uma maneira justa.

Extra – O Globo

Opinião dos leitores

  1. Isso era a vontade de dirigir um Porshe!!!
    Mas não se preocupe não doutor, que logo mais vai dar para juntar o dinheiro, afinal seu salario foi pra 31mil e agora estão voltando os auxilios regalias, como o auxilio-moradia de R$4.500, e em breve auxilio paletó. hehehe

  2. Pode até ser legal perante a lei esta atitude, mais considero desnecessária e anti-ética, não há a menor necessidade para isto, falo isto porque tenho admiração e respeito e essa exposição poderia ser evitada.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

Procurador está politizando Lava Jato e sendo irresponsável, diz advogado

O advogado do doleiro Alberto Youssef, Antonio Augusto Figueiredo Basto, disse que o procurador geral da República, Rodrigo Janot, está “politizando” a operação Lava Jato ao acusá-lo de ter feitos vazamentos de delações antes das eleições e de “operar” para o PSDB.

As declarações de Janot foram feitas em entrevista à Folha de S.Paulo, publicada nesta segunda-feira (17).

“Janot está politizando uma colaboração séria e repleta de provas. Jamais fiz qualquer vazamento e nunca fui ligado a partido político. Seria ingênuo imaginar que eu tentei influenciar o processo eleitoral”, rebateu Figueiredo Basto.

A advogado diz lamentar que Janot tenha feito as acusações “sem conhecer o caso” e sem apresentar provas do vazamento.

“Pelo cargo que ocupa, ele deveria ter mais prudência nas manifestações. Desafio ele a provar as acusações que fez. Nunca operei para ninguém. Aliás, gostaria de saber o que ele quer dizer com operar”.

Folha Press

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Casa de torcedora gremista que xingou Aranha é incendiada em Porto Alegre, diz advogado

Após ter a casa apedrejada e sofrer ameaças nas redes sociais, Patrícia Moreira, a torcedora gremista que foi flagrada ofendendo o goleiro Aranha, do Santos, com insultos racistas, teve parte de sua residência incendiada na madrugada desta sexta-feira (12) em Porto Alegre, diz o advogado dela.

Segundo Alexandre Rossato, o fogo começou por volta das 4h. Não havia ninguém na residência, que está fechado desde o dia do jogo entre Grêmio e Santos, pela Copa do Brasil, n dia 28 de agosto. O advogado diz que os bombeiros foram chamados e apagaram as chamas. A corporação, no entanto, diz que não atendeu nenhuma ocorrência na região da residência, localizada na Zona Norte de Porto Alegre.

De acordo com um dos irmãos de Patrícia, o fogo foi colocado em um banco de madeira que fica em frente à casa. Vizinhos perceberam as chamas, por volta das 4h, e apagaram antes que pudessem atingir a residência. Nos últimos dias, ele esteve no local retirando pertences da jovem e populares jogaram pedras contra as paredes e gritaram “racista”, relatou.

Com informações do G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *