Política

“Lamentável. É pra morrer tudinho. Eu não gosto de vagabundo não”, diz senador Styvenson Valentim sobre presos no RN sem mortes por covid

Em entrevista à 96 FM nesta quinta-feira(06), o senador Styvenson Valentim (PODEMOS-RN) lamentou o fato de não haver mortes de detentos por covid-19 no sistema penitenciário do Rio Grande do Norte, em ironia ao fato de o medicamento ivermectina ter sido apontado por diretor prisional como responsável por garantir que nenhum preso morresse de covid-19 em Alcaçuz.  “Infelizmente”, disse.

“Pois é, é lamentável, né? É pra morrer tudinho. Eu não gosto de vagabundo não. Eu não gosto de ladrão, não gosto de vagabundo. Eu vou dizer que gosto? Vou mentir aqui pra agradar família de vagabundo?”, disse o senador.

Afirmou ainda que “vagabundo” tem que ser “pendurado”. “Só que gosta é a família dele”, afirmou na 96 fm.

 

Opinião dos leitores

  1. Interessante não é nobre Senador. O Sr. Não acha que para uma situação que temos hoje no Pais não seria mais produtivo de sua parte, ajudar a resgatar a verdade sobre a Ivermectina. Há não pode fica mais facil usar um discurso fácil. Esse todos nós na sua grande maioria ja o conhecemos e concordamos. Seja mais produtivo nesse sentido. Essa é a grande oportunidade. Lute pela convocação dos defensores do tratamento precoce. No seu estado temos diversos verdadeiros Guerreros a quem eu homenagio na figura da Dra. ROBERTA. Sei que você vai dizer que minha opinião não imoorta. Tudo bem o Sr. Já esta com seus 8 anos de mandato garantido. Mas saiba que nada é para sempre e semore somos cobrados pelas ações e também pelas omissões. Quem viver verá.

  2. Olha, vocês quer ver essas pessoas mortas?
    Será que é isso que queremos para nós, sangue nas mãos?

  3. Vale pra todo mundo, senador?
    Ou seus colegas de Senado, envolvidos em falcatruas, ficariam de fora?????

  4. BG, lamentável é você perder um filho com uma bala no peito disparado por um assaltante, a voz do Senador representa todo cidadão de bem, Parabéns Senador.

  5. PARECE UMA MENTIRA! NÃO TER MORRIDO NINGUÉM NO PRESÍDIO DE ALCAÇUZ. e essa guerra sobre tratamento precoce? já disseram que a ivermectina não é eficaz! eu não desejo a morte dos presos. agora botar pra trabalhar é uma idéia necessária.

  6. O senador deveria elaborar um projeto de lei para desarmar o povo Brasileiro! Toda violência praticamente reside no poder das armas de fogo! Sem armas não existiria violência! Pena máxima, prisão sem fiança, regime fechado, sem prescrição, sem progressão pra quem portar armas de fogo! Vamos enfraquecer o NARCOTRÁFICO!

  7. O que há de sensato nesse comentário? Um sistema penal que recentemente liberou da prisão um cara que estava a 15 anos preso sem ter cometido crime algum, um sistema que defende apenas quem tem recursos para pagar bons advogados e abandona o restante? Esse sujeito é a cara desse governo que protege muito bem, apenas os seus.

  8. Rapaz, goste ou não goste ele não falou um pingo de mentira! Foi muito correto na resposta! Quem gosta de vagabundo e alisa, é a família! Tenho princípios sociais que aqui nos comentários é esquerdopata ou comunista, mas sou a favor de privatizar muitas coisas sim, e sou mais a favor ainda, de revisar o código penal e o código de processo penal, no Brasil já passou da hora de haver prisão pérpetua, já disse sou contra pena de morte, o Estado não pode virar assassino a bel prazer! Vida é sagrada! No confronto não, tá armado é bala no vagabundo!

  9. Muito bem senador, falou a verdade, tô com você e não abro. Bandido não pode ter vida boa paga com os nossos impostos.

  10. Nem todos que estão lá são ladrões. Basta atrasar uma pensão alimentícia pra ser preso. Ou matar um bandido.
    Converter esses infelizes ao evangelho, esse senador fascista não quer!

    1. Muito bem colocado, não adianta generalizar os presos. Alguns são por simples delitos ou necessidades da vida.

  11. Errado ele não está, mas querem polemizar a sensata declaraçao dele. Tudo hj em dia vira mimimi, ta uma merda essa convivencia.

  12. Não tem nada de lamentável, ele falou o que a maioria da população acha, vamos deixar de hipocrisia. Bandido é bandido tem que ser tratado como tal, por isso que o bandido aqui no Brasil está sem controle por causas desse politicamente correto, o bandido mais bandido do mundo é o do Brasil.

    1. Bandido só é bandido aqui no Brasil,quando é pobre.
      Não conheço nenhum bandido rico na cadeia.

  13. Na minha opinião ele foi realista. Quero saber quem gosta de ser roubado e deseja que o ladrão vá dormir em colchão de pena de ganso! Isso é hipocrisia!BG

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Bolsonaro chama Randolfe de “bosta” e fala em “sair na porrada” com o senador

Foto: Sérgio Lima/Poder360

Em novo trecho de ligação entre o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) e o presidente Jair Bolsonaro, o chefe de Estado chama o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) de “bosta” e que teria de “sair na porrada” com o congressista.

Kajuru, que já havia divulgado trecho da conversa em que Bolsonaro pressiona por mudanças na CPI, mostrou nesta 2ª feira (12.abr.2021) a nova fala em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Eis a íntegra da entrevista (46min24s):

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Luís Roberto Barroso determinou, na 5ª feira (8.abr), que o Senado instale uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar eventuais omissões do governo federal no combate à pandemia.

Barroso concedeu liminar (decisão provisória) em ação movida justamente pelos senadores Alessandro Vieira e Jorge Kajuru, ambos do Cidadania. Eis a íntegra da decisão (204 KB).

ideia da criação da comissão foi do senador Randolfe Rodrigues. Inicialmente, o objetivo proposto para a CPI era de investigar apenas as omissões do governo federal no combate à pandemia.

Na entrevista, Kajuru disse que avisou a Bolsonaro de que a conversa estava sendo gravada. Segundo ele, o trecho que tratava de Randolfe foi ocultado na 1ª divulgação por respeito ao colega.

“Eu não tinha divulgado essa parte para preservar um colega senador. Era desnecessário, na minha opinião. De graça. Tem inimizade entre eles? Tem, Randolfe é líder da oposição. Mas eu achei que o melhor para os dois era essa parte não ser colocada. Não tinha nada a ver. Era um desabafo. Mas ele quis o restante, então coloquei. Pronto, acabou.”

Já o presidente disse não saber que estava sendo gravado. Bolsonaro criticou nesta 2ª feira (12.abr) o senador por ter registrado e divulgado a conversa entre os 2. Bolsonaro afirmou também que Kajuru não publicou todo o diálogo.

“Eu fui gravado em uma conversa telefônica, tá certo. Olha a que ponto chegamos no Brasil”, criticou o presidente em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada.

“A gravação é só com autorização judicial. Gravar o presidente e divulgar? Só para controle, falei mais coisas naquela conversa lá. Pode divulgar tudo da minha parte.”

Em certo momento da conversa divulgada inicialmente, Bolsonaro diz temer um relatório “sacana” da CPI da Covid, que deve ser instalada nesta 3ª feira. Depois, pressionou o senador Kajuru a ingressar com pedidos de impeachment contra ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Poder 360

 

Opinião dos leitores

  1. Quem tem que investigar prefeitos e governadores são as câmaras municipais e as assembleias legislativas respectivamente, não o congresso. Me corrijam se estiver errado.

  2. Não faça isso Grande Presidente! Bater em criança!! Mas o cabrinha além de falar fino, tem as mãoszinhas pequenas e é atrevido!

  3. Essa CPI vai ser boa para desvendar certos “mistérios”. No RN, por exemplo, por que a governadora Fátima do PT não abriu novos leitos? Onde aplicou a fortuna que recebeu do governo Bolsonaro? E as compras dos respiradores? E o caríssimo aluguel de ambulância? E a compra de sacos de lixo a “peso de ouro”? E o contrato de “pesquisa” com a empresa do Piaui, será que foi com dinheiro da COVID? Enfim, há muito o que desvendar. Vamos em frente.

  4. Fala em dar porrada mas se for pro braço esse presidente give e se esconde . De longe e valente , de perto não passa de um maricas

  5. Igual à famosa reunião ministerial que foi divulgada por ordem daquele Celso de Melo, essa conversa só prova que o presidente se preocupa com o povo brasileiro. Ele não teme nada pois está agindo corretamente. Mas, quer que estados e municípios, os principais responsáveis pelas medidas contra o vírus, segundo decisão do STF, sejam também investigados pela CPI. Mas, está claro que foi uma canalhice desse Kajuru.

  6. Bom é LULA
    NÃO HÁ MOTIVOS PARA PRENDER LULA

    O jurista Helio Bicudo, Procurador dê Justiça que desbaratou o Esquadrão da Morte, em São Paulo, escreveu artigo sobre a prisão de Lula.
    Fundador nacional do PT, tem sido um crítico do ex-presidente.
    O artigo viralizou na Internet. Confiram:
    “Prender Lula só porque lavou dinheiro ocultando duas propriedades?
    Só porque ganhou imóveis e reformas de empreiteiras às quais tinha favorecido?

    Só porque recebeu propina fingindo que fez palestras que nunca deu?

    Só porque fez o BNDES emprestar 8 bilhões para Odebrecht fazer obras sem concorrência em países bolivarianos?

    Só porque comandou uma organização criminosa que quebrou a Petrobrás?

    Só porque contratou sondas superfaturadas da Schahim para receber comissões e dinheiro sujo para a campanha?

    Só porque mandou acobertar o assassinato do prefeito Celso Daniel pagando com dinheiro da comissão das sondas?

    Só porque fez a Petrobras fornecer nafta à Braskem abaixo do valor de mercado por vários anos, causando prejuízo superior a 5 bilhões segundo o TCU?

    Só porque saqueou os palácios ao ir embora, levando não só presentes de Estado como até a prataria da casa?

    Só porque escolheu e elegeu uma presidente incompetente, despreparada, desequilibrada e burra, propositadamente, esperando com isso sucedê-la 4 anos depois?

    Só porque a elegeu tapeando o povo numa campanha criminosamente mentirosa, irrigada com dinheiro roubado da Petrobras?

    Só porque permitiu que sua quadrilha saqueasse os fundos de pensão de quase todas as Estatais, prejudicando as aposentadorias de centenas de milhares de petroleiros, carteiros, bancários?

    Só porque permitiu que a Bancoop lesasse milhares de bancários para favorecer a OAS e ganhar um triplex no Guarujá?

    Só porque deu aval político e dinheiro para que organizações criminosas como o MST invadissem e depredassem impunemente fazendas, centros de pesquisa e prédios públicos?

    Só porque sistematicamente comprou apoio político através do Mensalão e Petrolão?

    Só porque colocou um cupincha no Sesi Nacional, que transformou a instituição num cabide de empregos para os companheiros e parentes vagabundos?

    Só porque ajudou o enriquecimento ilícito de seus filhos em troca do favorecimento de empresas de telefonia e outras?

    Só porque vendeu medidas provisórias isentando montadoras de impostos em troca de comissões?

    Só porque inchou o governo e as estatais com centenas de milhares de funcionários supérfluos, quebrando o Estado e provocando déficit público Record?

    Só porque loteou mais de 30 mil cargos de confiança com seus apaniguados, dando o comando das estatais e autarquias para petistas incompetentes que mal sabem administrar suas vidas?

    Só porque elegeu outro poste como prefeito da maior cidade do país, também com dinheiro roubado das estatais?

    Só porque comprou milhões de votos com programas de esmola como o Bolsa Família?

    Só porque criou o Bolsa Pescador, e deixou 3 milhões de falsos pescadores se inscreverem para receber a sua esmola compradora de votos?

    Só porque aumentou nossa carga tributária de 33 para 40% do PIB?

    Só porque aumentou nossa dívida pública para quase três trilhões de reais, tornando-a impagável?

    Só porque favoreceu o sistema financeiro com taxas exorbitantes de juros, transferindo renda dos pobres para os ricos?

    Só porque conseguiu fazer o Brasil torrar toda a bonança da maior onda de alta das comodities na década passada?

    Só porque loteou todas as agências reguladoras fazendo-as inúteis na proteção dos cidadãos?

    Só porque tentou aparelhar até o STF nomeando ministros comprometidos com a proteção à sua ORCRIM?

    Só porque deixou a Bolívia expropriar a refinaria da Petrobras sem fazer nada?

    Só porque humilhou nossas Forças Armadas nomeando ministros da Defesa comunistas e incompetentes?

    Só porque favoreceu comercialmente ditaduras como as de Angola, Venezuela e outras?

    Só porque esfriou relações e esnobou as maiores economias do mundo, direcionando nossas relações exteriores para países inexpressivos comercialmente, apenas no afã de ganhar prestígio e votos na ONU?

    Só porque humilhou o Itamaraty orientando a política externa através de consiglieri mafiosos como Marco Aurélio Garcia?

    Só porque nos envergonhou deixando nossas embaixadas e consulados sem dinheiro para pagar aluguéis?

    Só porque comprou um aerolula da Airbus pelo triplo do que poderia ter comprado um Embraer e promovido nossa indústria aeronáutica?

    Só porque descuidou dos programas de saúde pública através de ministros incompententes e desvio de verbas, permitindo a volta de doenças como a dengue e o zika?

    Só porque aparelhou todas as universidades federais com reitores de esquerda, obtusos e incompetentes?

    Só porque fez o Brasil ser motivo de chacota no mundo inteiro?

    Só porque nos tirou o orgulho de sermos brasileiros?

    Só por estes motivos?

    Compartilhar até o dedo doer…

    ORA. NÃO É JUSTO .”

    1. Bla, BLÁ bla ! Texto enfadonho , longo e fraco. Dormi e acordei pensando que o presidente era Lula 🦑. Ai papai .

    2. isso ai meu amigo, ja e desespero, e dos grande, se acalme

  7. Dá com pau Bolsonaro.
    Hô Véio arroxado do cunhão rôxo é Bolsonaro.
    Meta o pau e mostre o taco Véio macho da gota serena. Esse Senador é outro calça apertada kkk.

  8. Randolfe é um chato, metido a dono da verdade. É a “palmatória” do mundo. A própria “rainha da cocoda preta”.

    1. Karuju é um grande alcaguete! Quer servir a duas senhores ao mesmo tempo, se fez com o doidivana, faz com qualquer um, possa de bom Samaritano, mais na verdade é um Fariseu.

    2. Karuju é um grande alcaguete! Quer servir a duas senhores ao mesmo tempo, se fez com o doidivana, faz com qualquer um, possa de bom Samaritano, mais na verdade é um Fariseu.

  9. Não consigo entender como uma pessoa com qualquer grau de consciência ou de inteligência pode defender uma criatura do tipo Bolsonaro. O Brasil, com certeza, não merecia uma criatura dessa como presidente em uma crise tão terrível. O cara é rude, grosseiro, tosco, ignorante, incompetente e imbecil, sem nenhuma classe para dirigir o país, realmente o RJ é com certeza o pior celeiro de políticos que o Brasil produz. Garotinho, César Maia, Pezão, Marcelo Crivela, Eduardo Paes, Sérgio Cabral e essa aberração chamada Bolsonaro. Deus Salve o Brasil destes políticos do RJ.

    1. Simples… não possuem consciência e menos ainda inteligência…

  10. Kajuru e BOSTAnaro combinaram e fizeram uma encenação…na verdade, bozo tá c*gando de medo da CPI…e quer animar o gado…
    Mas seria legal ele, com seu reconhecido histórico de atleta(especialista em flexão de pescoço), enfrentando o Randolfe…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Briguem desgraçados, briguem…

    1. Especialista em flexão de pescoço?
      🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣🤣

  11. Cpi nenhuma vai colocar comida na mesa dos necessitados. É uma beleza essa cortina de fumaça para o governo e a oposição.
    Precisamos é de vacina e solução para o desemprego e a fome.
    Todos são culpados : STF, congresso e governantes.

    1. Quem é esse senador DPVAT pra impor ou julgar alguém. Que faça a CPI, porém, inclua na mesma governadores e prefeitos, pois assim ter ativo e passivos juntos que mostrará o resultado fina. O barroso à serviço da esquerda não iria vê seu pedido sendo divido entre presidente, governadores e prefeitos. Aí à verdade aparece e a mentira mostra o lado podre.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polêmica

“Bolsa estupro”: senador propõe lei que veta aborto e dá auxílio a vítimas

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) é autor do PL chamado de “estatuto da gestante”. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O projeto de lei para a criação do “Estatuto da Gestante” que está em tramitação no Senado quer proibir um direito já adquirido na Justiça pelas brasileiras, o do aborto legal em casos de gestação que coloca em risco de vida a mulher, que seja resultado de um estupro e quando o feto é anencéfalo.

De autoria do senador cearense Eduardo Girão (Podemos), o PL 5435/2020 vai além: quer incentivar as vítimas de estupro a não abortarem mediante pagamento de auxílio financeiro. A ideia de Girão é que a vítima seja assistida por um programa de “suporte subsidiário que assegure o nascimento da criança concebida” — ou seja, que a mulher receba dinheiro do Estado para manter a criança que nascer em decorrência de um estupro.

Por esse motivo, a proposta, amplamente repudiada por entidades de defesa dos direitos da mulher, ativistas e advogadas, está sendo chamada nas redes sociais de “bolsa estupro” — o termo inclusive ganhou uma hashtag.

“Em resumo, esse PL diz que nem os poucos direitos reprodutivos já previstos por lei as mulheres poderão exercer”, diz Isabela Del Monde, advogada especialista em direitos da mulher e colunista de Universa.

Del Monde diz que o dever do Estado seria garantir apoio psicológico, jurídico e financeiro para vítimas de estupro, mas isso não acontece. E que a proposta de Girão é inconsistente, uma vez que não informa qual será o valor desse auxílio, por quanto tempo será pago, qual órgão do governo será o responsável pelo pagamento e de onde sairão os recursos.

A preocupação do projeto não é garantir a recuperação da vítima, mas o nascimento, independentemente do trauma que aquela gestação pode causar à mulher. É como se esse PL dissesse que o grande problema da gravidez advinda de estupro é o dinheiro gasto da criação da criança, mas não há dinheiro que pague esse trauma, afirma

Grupos como o CFEMEA (Centro Feminista de Estudos e Assessoria) e a deFEMde (Rede Feminista de Juristas) começaram a se articular e a pressionar senadores e opinião pública para evitar a aprovação do PL, que seria votado pelo Senado nesta semana.

No entanto, a senadora Simone Tebet (MDB-MS), relatora do projeto, está escrevendo um texto substitutivo ao proposto por Girão, para não permitir que a restrição ao aborto legal vá a votação, como informou a assessoria da parlamentar. A substituição do PL ainda não foi confirmada pelo Senado e também não há data para votação.

Suspender aborto por estupro coloca meninas em risco de vida

Em entrevista a Universa, a antropóloga Débora Diniz classifica a proposta de lei como “perversa”.

Pesquisadora de questões de gênero e autora de duas edições da Pesquisa Nacional de Aborto (2010 e 2016), ela lembra que parte das vítimas de estupro no Brasil são crianças e adolescentes — o país recebe uma denúncia de estupro de meninas de até 14 anosa cada duas horas, segundo dados do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos.

“Essas meninas terão um Estado impondo a elas a condição de gestantes. Essa é uma tentativa de cercear a dignidade não só de mulheres, mas de meninas, que têm suas vidas colocadas em risco ao não poder abortar”, diz.

O projeto transforma a vítima de violência sexual em gestante e o estuprador em pai, dando a eles direitos a respeito da vida da vítima. Além disso, transforma o estupro numa batalha moral sobre futuros de crianças, o que sequer é uma questão quando uma menina ou mulher sofre um estupro.”

“Estatuto da gestante é nome populista para impedir direito ao aborto”

Marina Ruzzi, da Rede Feminista de Juristas, alerta que, com o nome de Estatuto da Gestante, o PL tenta passar de maneira silenciosa, “como geralmente acontece com ataques aos direitos da mulher”. E que, na verdade, o projeto nada mais é do que uma nova versão do Estatuto do Nascituro, defendido em 2018 pela ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves.

O texto apresenta uma série de medidas proteção às gestantes que, na realidade, já estão previstas na lei há anos — como a obrigação do pai de pagar pensão, e o direito da gestante ao pré-natal no SUS (Sistema Único de Saúde).

Essa é uma “estratégia evidente” para revogar direitos reprodutivos já garantidos no Brasil, como um cavalo de troia, acredita a advogada Isabela Del Monde. “O projeto traz esse nome populista [Estatuto da Gestante] para tentar passar o fim do direito ao aborto. Todo o foco do projeto está no feto, e não na mulher”, diz. Segundo ela, o texto do PL mostra que o senador Girão enxerga as mulheres como “máquinas reprodutoras”, e não como sujeitas de direito que podem decidir o melhor momento para levar adiante uma gestação.

O projeto ignora dados sobre quem é a mulher que aborta no Brasil — a maioria delas já tem outros filhos e está nas camadas mais pobres. Com isso, ao invés de proteger a vida de um feto, mata mulheres e coloca em risco outras crianças, que ficam órfãs por conta do aborto clandestino”, diz Del Monde.

Um relatório publicado em 2018 pelo Instituto Anis mostra que 67% das mulheres que realizam aborto clandestino já têm filhos. Além disso, a maioria é negra ou indígena (15% e 24%, respectivamente, em comparação a apenas 9% de mulheres brancas) e do nordeste (18%, em comparação ao Sul, por exemplo, com 11%).

Até pílula do dia seguinte está em xeque

A advogada Marina Ruzzi, conta que, além do aborto, o projeto de lei coloca em xeque até a contracepção de emergência. “Se a lei for aprovada nestes termos, nem a pílula do dia seguinte poderia ser usada como método de contracepção, afinal, colocaria em risco um feto que ainda não se fixou no colo uterino, mas que já foi concebido.”

Ela destaca que o texto tem pelo menos outros dois pontos problemáticos:

Artigo 5º: diz que as mulheres grávidas em decorrência de estupro terão direito a entregar a criança à adoção, o que corrobora para forçar que esta mulher leve a gravidez adiante;

Artigo 9º: afirma que o genitor também é responsável pela salvaguarda do nascituro, ou seja, que a mulher deve negociar com o pai da criança a manutenção da gravidez ou a entrega do bebê à adoção.

“PL é inconstitucional”

O PL 5435/2020 vai na contramão da Constituição, da opinião pública e também do que acontece em países vizinhos — caso da Argentina, que legalizou o aborto no ano passado.

Ao assinar tratados internacionais que tratam de direitos reprodutivos o Brasil incorporou esses direitos à sua Constituição — e por isso, defende Isabela Del Monde, proibir a interrupção da gravidez é inconstitucional.

“Constitucionalmente, o Brasil deveria garantir esse direito, mas criminalmente ainda é proibido”, explica a advogada. Essa foi a tese apresentada pelo PSOL em 2018, ao levar ao STF uma ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental) tratando do assunto. Naquele mesmo ano, a Corte discutiu o direito ao aborto em audiência pública, mas a ADPF está parada deste então.

Pelo mesmo motivo, Del Monde afirma que o PL 5435/2020 é “frontalmente contrário à Constituição”, e por isso não deve ser votado.

Enquete de opinião pública realizada no site do Senado com mais de 17 mil pessoas mostra que, até esta terça (23), menos de 5% dos brasileiros e brasileiras são favoráveis à PL.

Outro lado

Procurado por Universa, Eduardo Girão diz que o foco do PL “é a proteção integral da gestante”, mas que o texto será modificado pela relatora, a senadora Simone Tebet. O senador afirma que sua proposta “aumentava a penalização do estuprador” e que “reforçava as políticas públicas de saúde em favor da gestante e ampliava o nível da responsabilidade paterna”, se referindo ao estuprador como pai.

Leia a nota na íntegra:

“O PL 5435/20 tem doze artigos cujo foco é a proteção integral da gestante. O artigo 11, que trata da proteção pecuniária à mulher vítima do terrível e hediondo crime de estupro, será retirado pela relatora, a senadora Simone Tebet.

Mesmo assim, considero importante esclarecer que esse artigo aumentava a penalização do estuprador, e tratava-se de uma opção que poderia livremente ser aceita ou rejeitada por aquelas mulheres que, por questão de foro íntimo, desejassem prosseguir com a gravidez. Os demais artigos, não fazem qualquer alteração no Código Penal, reforçam as políticas públicas de saúde em favor da gestante e ampliam o nível da responsabilidade paterna.

O PL também fortalece o pré-natal propondo que o acompanhamento ocorra desde o início da gravidez, pois a partir de respaldo científico, podem ser reduzidos drasticamente os riscos de doenças tanto para a mulher gestante quanto para a criança.”

Universa – UOL

Opinião dos leitores

  1. Péssima ideia! Tem que procurar meios para inibir os estupradores e não pagar pelo que ele fez.

  2. A lei protege a vítima e a criança.
    Admiro-me , fico chocada os comentaristas serem a favor do assassinato de bebês no ventre da mãe, o ser humano mais indefeso.
    Afinal, Vcs lutam a favor da vida de quem?

    1. Pimenta no c* das outras é refresco. Queria ver se você fosse estuprada, se ia criar essa criança com tanto amor e carinho? Claro que não. Não sejamos hipócritas. Ela (a criança) ia ser rejeitada. Toda vez que você olhasse pra ela ia lembrar o trauma que essa situação deixa.

  3. O estupro é um crime hediondo, porém, o que se quer evitar é o assassinato de bebês, inúmeras familias querem ter filhos e não têm a possibilidade, então, por que não deixar a pessoa gerar a criança e depois entregar para adoção. caso não queira ou não tenha condições de criar?

  4. Tem que ter uma LEI para CASTRAR estupradores . Aí sim o cara pensa duas vezes em cometer o crime. No Brasil só muda se endurecer as leis e regras. Do contrário a cada dia que passa a coisa piora.

  5. Que projeto bandido! Que cara sem escrúpulos. Esse cara não vale o chorume do estrume. Tipo de gente a mais nojenta que existe.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Senador propõe prisão de até oito anos para quem não tomar vacina em casos de emergência pública, como covid

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

O senador Ângelo Coronel (PSD-BA) apresentou um projeto de lei que prevê prisão de até oito anos para quem não tomar vacinas em casos de emergência de saúde pública, como a pandemia de covid-19. O texto prevê ainda a punição para pais que não vacinarem seus filhos e também para quem divulgar notícias falsas sobre as vacinas do programa nacional de imunização.

Pelo PL, a punição acontecerá apenas quando não houver justa causa para a não-vacinação.

“É urgente que se tome medidas para contenção desse mal que pode prejudicar a vacinação e atrasar ainda mais a saída do país da crise sanitária provocada pela pandemia”, diz a justificativa do texto.

“O PL aqui apresentado vem no contexto da pandemia da Covid19, mas também é uma resposta necessária à sequência de quedas nas taxas de imunização das campanhas do Ministério da Saúde”, diz.

Veja a íntegra do projeto AQUI em post na íntegra.

Congresso em Foco – UOL

Opinião dos leitores

  1. E 16 anos de prisao para o senador, caso a pessoa venha a falecer depois que tomar a vacina contra a vontade.

  2. Ótima idéia !!! Soltem os ladrões, assassinos e estupradores para dar vaga a quem não acredita na vacina chinesa.

  3. Que vacina que o povo tem que tomar, isto não é vacina é um experimento, seremos todos cobaias, vacina é quando se tem a imunização de 100 % , o resto é pimenta no ….. dos outros, quando muits gente começar a morrer de outras doenças provocadas por causa por esta porcaria que quetem nos impor de goela à baixo, já será tarde demais, só um senador bandido deste pode propor uma lei ditatorial desta.

  4. Mas um politico que vive em outro planeta!!!
    No brasil não se cumpri pena nem por homicídio, vai existir por não se vacinar??

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Senador apresenta proposta para estender auxílio emergencial até 31 de março de 2021

Relator do auxílio emergencial no Senado, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) apresentou projeto para estender o pagamento do benefício, previsto para acabar no fim deste ano, até o dia 31 de março de 2021. Para isso, o estado de calamidade pública também seria prorrogado até a data, permitindo ao governo não ficar limitado pelo teto de gastos.

“Não podemos cogitar de subitamente retirar das famílias a renda que aqui garantimos. Enquanto o Parlamento trabalha para fornecer novos programas e soluções que garantam alguma segurança de renda às famílias vulneráveis à pobreza, é necessário criarmos um mecanismo que permita uma regressão lenta e controlada do auxílio emergencial”, aponta Vieira na justificativa da proposta.

A referência feita pelo senador é à mal-sucedida operação do governo do presidente Jair Bolsonaro de botar de pé um programa de transferência de renda – outrora chamado de Renda Cidadã – mais robusto e que possa substituir o Bolsa Família.

O “auxílio emergencial residual”, como classificou o parlamentar, seria de R$ 300. “De fato, infelizmente, a pandemia não acabou e a vacinação ainda demorará alguns meses. Não podemos aceitar o fim formal do estado de calamidade se a calamidade continua”, concluiu Vieira.

Valor

Opinião dos leitores

  1. Si o auxílio acabar muitas pessoas passará por necessidade eu particularmente sou autônoma meu trabalho quase está acabado é aí pandemia é o povo sem dinheiro pois não pode trabalhar só jesus

  2. Eu moro próximo a mare sou de baixa renda e preciso do auxílio emergencial vcs não sabe o que e olha pra o filho e não ter o que a criança come

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

VÍDEO: Imagens de flat e boate contradizem versão de modelo que acusa senador de estupro

Foto: Reprodução

A pedido da defesa do senador Irajá Abreu, a boate Café de la Musique e o hotel La Residence entregaram à Justiça de São Paulo imagens que mostram o parlamentar acompanhado da modelo Hellen Hass na noite do último dia 22 e também da madrugada do dia 23.

Ao acusar Abreu de estupro, a modelo alegou ter sofrido um “apagão” e recobrado a consciência “já com o investigado em cima de si, mantendo conjunção carnal”.

Ao se manifestar nos autos do inquérito, o advogado Daniel Bialski afirma que a versão de Hass “não condiz com a realidade”.

“Todas as imagens de CFTV requisitadas, de todos os locais em que estiveram naquela data, revelam justamente o contrário, ou seja, de que eles chegaram de mãos dadas, caminhando tranquilamente, e, mais que isso, mostrando que ela manuseara seu celular, conduta incompatível com alguém que estaria alegadamente sem a capacidade e discernimento de seus atos.”

O advogado acrescenta que o exame de corpo de delito de Irajá também rebate a tese de que houve luta corporal e que a modelo se recusou a entregar o celular, cujo conteúdo pode ajudar a “esclarecer detalhes ainda não totalmente esclarecidos” do episódio.

Assista às imagens inéditas obtidas por O Antagonista AQUI.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Ela está querendo e aparecer para estitquir dinheiro do homem. Porque ela aceita sair com um homem a noite vai para barzinho e depois vai ao apto do mesmo sozinhos o que ela estava querendo?

  2. Manusear o celular já é um ato inconsciente, praticamente de memória muscular.
    Tem gente que inconsciente até dirige, imagine manusear o celular.

  3. Najila (caso Neymar) está inspirando muita gente… ninguém quer trabalhar mais nesse país, só ganhar dinheiro fácil. Lamentável…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Suplente de Senador disputa prefeitura de Touros com apoio de Bolsonaro

O advogado Alisson Taveira é conhecido dos movimentos sociais que trabalham no setor de pesca e com marisqueiras na cidade de Touros, RN.

Durante anos ele atua na defesa dos direitos dos trabalhadores e dos movimentos sociais que sobrevivem da coleta e venda de frutos do mar.

Nas eleições para prefeito de 2016, Taveira foi o segundo mais votado (16.33%, obteve 2,721 mil votos) com o slogan “nem um nem outro, voto no 18”, que se popularizou e ganhou as ruas.

Há mais de um ano, ele produz toda segunda-feira, sempre a partir das 19h30 no Facebook ao vivo o programa “Café com Política”, onde fala da realidade da cidade, faz denúncias de falhas na gestão pública, aponta soluções para problemas das comunidades e conversa com moradores locais. O programa lidera audiência e é um dos mais vistos.

Alisson Taveira é o primeiro suplente do senador Styvenson Valentim.

Em 2020 ele é candidato à prefeitura de Touros pelo Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, presidido nacionalmente por Roberto Jeferson. Alisson apoia em Natal, Coronel Hélio Batista para prefeitura com o vice, Getúlio Batista.

Sua candidatura é apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro e o vice, General Mourão.

“Eu defendo a renovação, não só da prefeitura, mas da cidade de Touros que há anos permanece abandonada pelos gestores públicos. Por isso, convoco todos os eleitores de Touros para eleger quem pode lhes representar de verdade e tem condições de dialogar com o presidente do nosso país, por que sou da base política dele. Não estamos em campanha, estamos em missão pelo resgaste de valores e princípios da família e de Deus”, lembra Taveira.

Opinião dos leitores

  1. Taveira é o cara. Voto nele toda vez que for candidato. É gente boa. É se Deus quiser vai ser o melhor Senador do RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Flagrado com dinheiro na cueca, senador Chico Rodrigues amplia licença de 90 para 121 dias

Foto: © Jefferson Rudy/Agência Senado

Horas após ter pedido licença do mandato parlamentar por 90 dias, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) protocolou nesta terça-feira (20) uma retificação, alterando o período para 121 dias (veja o pedido).

O pedido foi aceito pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Quem deve assumir o mandato é o primeiro suplente, Pedro Arthur Ferreira Rodrigues, filho do parlamentar. O pedido inicial de licença de Chico Rodrigues, de 90 dias, não levaria à convocação do suplente. Agora, com a licença superior a 120 dias, Pedro Arthur Rodrigues será convocado.

Chico Rodrigues foi flagrado com R$ 33 mil na cueca na semana passada. O dinheiro foi encontrado durante uma operação que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do parlamentar. O DEM, partido ao qual Chico Rodrigues é filiado, pediu ao STF para acessar as investigações.

A operação apura suposto esquema de desvio de recursos públicos em Roraima. Rodrigues nega as acusações e afirma que o dinheiro serviria para pagar funcionários.

Após a operação da semana passada, partidos políticos protocolaram uma representação no Conselho de Ética no Senado com o objetivo de cassar o mandato de Chico Rodrigues.

Aliados do senador, contudo, passaram esta segunda-feira (19) costurando um acordo para que Chico Rodrigues se licenciasse. O próprio presidente do Conselho de Ética, Jayme Campos (DEM-MT), sugeriu que o senador se licenciasse por 121 dias.

O caso de Rodrigues também está em análise no Supremo Tribunal Federal. Isso porque o ministro Luís Roberto Barroso determinou o afastamento do senador, mas submeteu a decisão ao plenário do tribunal. O presidente do STF, Luiz Fux, marcou para esta quarta-feira (21) o julgamento do caso.

A defesa de Chico Rodrigues comunicou nesta terça ao STF o afastamento do parlamentar. “Entende esta defesa, com as mais respeitosas vênias, que o julgamento previsto para a sessão plenária de 21/10/2020 encontra-se prejudicado”, acrescentaram os advogados.

O dinheiro na cueca

Ao decidir pelo afastamento de Rodrigues, o ministro Luís Roberto Barroso transcreveu parte do relatório da Polícia Federal sobre a operação da semana passada. O texto descreve a apreensão de dinheiro na casa do senador, em Boa Vista (RR), e a tentativa de esconder dinheiro nas roupas íntimas.

“Efetuamos a busca no cofre situado no quarto do Sr. Pedro Rodrigues, filho do Senador, no qual não foram encontrados valores ou documentos relacionados aos fatos sob investigação. Contudo, nesse momento, o Senador Chico Rodrigues indagou ao Delegado Wedson se poderia ir ao banheiro. O Delegado Wedson respondeu que sim, mas informou que o acompanharia”, diz o relatório da PF.

“Nesta hora, o Delegado Wedson percebeu que havia um grande volume, em formato retangular, na parte traseira das vestes do Senador Chico Rodrigues, que utilizava um short azul (tipo pijama) e uma camisa amarela. Considerando o volume e seu formato, o Delegado Wedson suspeitou estar o Senador escondendo valores ou mesmo algum aparelho celular”, prossegue o documento.

O relatório diz ainda que, ao ser perguntado sobre o “volume”, Chico Rodrigues negou irregularidade. O delegado que comandava a busca e apreensão decidiu, então, fazer uma busca pessoal no senador. A ação foi filmada, mas o vídeo foi mantido em sigilo.

“Ao fazer a busca pessoal no senador Chico Rodrigues, num primeiro momento, foi encontrado no interior de sua cueca, próximo às suas nádegas, maços de dinheiro que totalizaram a quantia de R$ 15.000,00”, diz o relatório da PF.

A investigação

A investigação da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União (CGU) apura desvios de cerca de R$ 20 milhões em emendas parlamentares destinadas para o combate à pandemia do novo coronavírus em Roraima.

Segundo a PF, um grupo criminoso formado por políticos, servidores e empresários fraudou licitações para contratar determinadas empresas pela Secretaria Estadual Saúde (Sesau) de Roraima.

A CGU identificou indícios de sobrepreço e superfaturamento nas contratações feitas pela pasta na compra de itens como Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e testes rápidos de detecção da Covid-19.

De acordo com a investigação, há indícios de que o senador utilizou sua influência política para favorecer empresas privadas ligadas a ele durante os processos licitatórios feitos na pandemia. O esquema, segundo a PF, contou com a participação de políticos, empresários e servidores.

O que diz Chico Rodrigues

O senador tem negado todas as acusações e afirma não ter relação com nenhum ato ilícito. Em nota, o parlamentar afirmou:

“Volto a dizer, ao longo dos meus 30 anos de vida pública, tenho dedicado minha vida ao povo de Roraima e do Brasil, e seguirei firme rumo ao desenvolvimento da minha nação.”

“Acreditando na verdade, estou confiante na justiça, e digo que, logo tudo será esclarecido e provarei que nada tenho haver (sic) com qualquer ato ilícito de qualquer natureza. Acredito nas diretrizes que o grande líder e Presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, usa para gerir a nossa nação”, disse.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Daqui a 121 dias já pode até ser relocado ao cargo de Vice líder, brasileiro de um modo geral sofre de amnésia coletiva

  2. Eita país bom pra se viver, quando se é corrupto, ladrão do erário púlblico, que o diga Lula da Silva, taí soltinho zombando dos brasileiros.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Flagrado com dinheiro na cueca, senador Chico Rodrigues pede afastamento por 90 dias

Foto: Reprodução/TV Globo

Flagrado pela Polícia Federal com R$ 33 mil na cueca, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) pediu nesta terça-feira (20) afastamento do mandato por 90 dias. Como o afastamento é inferior a 120 dias, o suplente do senador, que é filho dele, não assumirá o mandato.

Chico Rodrigues foi flagrado com R$ 33 mil na cueca na semana passada. O dinheiro foi encontrado durante uma operação que cumpriu mandados de busca e apreensão na casa do parlamentar.

A operação apura suposto esquema de desvio de recursos públicos em Roraima. Rodrigues nega as acusações e afirma que o dinheiro serviria para pagar funcionários.

Após a operação da semana passada, partidos políticos protocolaram uma representação no Conselho de Ética no Senado com o objetivo de cassar o mandato de Chico Rodrigues.

Aliados do senador, contudo, passaram esta segunda-feira (19) costurando um acordo para que Chico Rodrigues se licenciasse. O próprio presidente do Conselho de Ética, Jayme Campos (DEM-MT), sugeriu que o senador se licenciasse por 121 dias.

Segundo o blog apurou, Chico Rodrigues ouviu em conversas reservadas com políticos aliados que o Supremo Tribunal Federal (STF) deve ratificar, na sessão desta quarta-feira (21), a decisão do ministro Barroso, que afastou Rodrigues do mandato.

A avaliação feita foi que, após a decisão do plenário, “ficará difícil” para o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), comprar a briga com o STF e colocar em votação a análise da decisão de toda a corte.

Motivo: enquanto a decisão é monocrática, ou seja, do ministro Barroso, senadores avaliam que a decisão — se submetida ao plenário do Senado — pode ser derrubada. Mas não quando a decisão for ratificada pela maioria do STF.

Por meio da assessoria, o ministro Luís Roberto Barroso informou nesta terça-feira que analisará o caso se e quando for informado oficialmente da formalização da licença pelo senador Chico Rodrigues.

Conselho de Ética

Aliados de Chico Rodrigues ouvidos pelo blog, e que participaram das conversas, afirmam que o senador “está consciente” de que precisava se afastar.

O afastamento também garante que ele será poupado — por ora — no Conselho de Ética, já que existem outros processos na fila para serem analisados, e os senadores não querem mexer com os casos, para evitar desgastes para os alvos e para a imagem do Senado.

Para se licenciar, Rodrigues buscou costurar a garantia de que o Senado não submeterá ao plenário o afastamento dele, após a decisão do STF. Entre os argumentos, Rodrigues alega “perda de objeto”.

Outra discussão que estava em aberto era o tempo do afastamento. Isso porque, dependendo do tempo, quem assume é o suplente, filho de Rodrigues — o que gera mais um desgaste para a imagem pública do senador.

A investigação

A investigação da Polícia Federal e da Controladoria Geral da União (CGU) apura desvios de cerca de R$ 20 milhões em emendas parlamentares destinadas para o combate à pandemia do novo coronavírus em Roraima.

Segundo a PF, um grupo criminoso formado por políticos, servidores e empresários fraudou licitações para contratar determinadas empresas pela Secretaria Estadual Saúde (Sesau) de Roraima.

A CGU identificou indícios de sobrepreço e superfaturamento nas contratações feitas pela pasta na compra de itens como Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e testes rápidos de detecção da Covid-19.

De acordo com a investigação, há indícios de que o senador utilizou sua influência política para favorecer empresas privadas ligadas a ele durante os processos licitatórios feitos na pandemia. O esquema, segundo a PF, contou com a participação de políticos, empresários e servidores.

O que diz Chico Rodrigues

O senador tem negado todas as acusações e afirma não ter relação com nenhum ato ilícito. Em nota, o parlamentar afirmou:

“Volto a dizer, ao longo dos meus 30 anos de vida pública, tenho dedicado minha vida ao povo de Roraima e do Brasil, e seguirei firme rumo ao desenvolvimento da minha nação.”

“Acreditando na verdade, estou confiante na justiça, e digo que, logo tudo será esclarecido e provarei que nada tenho haver (sic) com qualquer ato ilícito de qualquer natureza. Acredito nas diretrizes que o grande líder e Presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, usa para gerir a nossa nação”, disse.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Gostei do comentário do BG no Meio Dia RN de hoje a respeito desse senador. Faço minhas as palavras dele. Quem não viu, vai lá no YouTube e vê!

  2. E pediu a suspensão do salário também? Ficar sem trabalhar e receber o salário e verbas de gabinete todo mundo quer…. É desonesto….

  3. Vixe líder do governo Bolsonaro, vale destacar.
    A direita e o centrão estão nadando de braçada na corrupção.

    1. Se nesse governo, que diz que combate, está assim, imagina nos governos anteriores que era oficializada pelo próprio governo. Na realidade é uma luta diária, tem que matar um leão por dia. Já no governo anterior, tinha que matar uma carrada de ratos diariamente, ou seja impossível, já que tinha o aval do próprio governo.

  4. Muitos são os bandidos na Câmara e no senado que nunca foram presos ou perderam o mandato, Sarney, Collor, Renan……sempre encontram uma brecha para se livrarem ou para que o processo seja extinto. E não será diferente dessa vez, onde novamente um malandro escapará. Esse STF junto com a câmara e o senado é um ajuntado de bandidos, em sua grande maioria, que se em qualquer país sério estariam todos presos ou ido para o paredão. Porém aqui, são semi deuses.

    1. Claro que não Chicó, porém comparado com o nove dedos, o maior ladrão do mundo segundo o Google, tá longe. Mas com certeza, tá indo no mesmo caminho.

  5. Vai acontecer o mesmo q aconteceu com Aecio, do PSDB. Nada. E vai se candidatar a deputado federal. E pasmem. Vai se eleger.

    1. Aécio Neves botou dinheiro no boga também??
      O caba bota dinheiro no frinfa, os bichos vermei do PT, diz que a culpa é do Bolsonaro, Rsrsrsrs.
      O que danado tem haver isso??
      O sujeito é VICE líder do governo indicado por partidos políticos, bota dinheiro na regada a culpa é do residente??
      Por mim ele pode botar caco de vidros, não tou nem aí, imagino que pro presidente Jair, a mesma coisa, cada um faz o que quiser com o butico.
      Kkkkkkkkk
      Kkkkkk
      Kkkk
      É de lascar um negócio desses.
      Parabéns meu Presidente.
      Mandou da baixa na hora, assim que ficou sabendo da presepada.
      Mito 2022.
      Ôôô Presidente véi duro.
      Tamos juntos.

    2. Vc tem razão, mas para quem declarou o fim da corrupção ter esse tipo de gente como aliado, ñ só ele mas todos os partidos do centrão, me parece um pouco contraditório. Do mais, é só usar a tática do Lula e dizer que ñ sabia de nada. Quem mexe com merda dificilmente sai cheiroso.

    3. Meu amigo chocolate, de gente desse naipe Brasília ta contaminada.
      Todo mundo sabe que é um legado do teu PT, o problema e que não tem quem governe sem essa vagabundagem.
      As reformas estão paradas, ou se junta com esses vermes, ou não governa entendeu??
      Ou vc acha que esses caras vão abrir mão disso??
      Mito 2022.
      O melhor de todos os tempos disparado.
      Outra coisa lula Ta solto e fudido.
      Kkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Chico Rodrigues diz que dinheiro que PF encontrou na cueca dele era para pagar funcionários, alega “ato de impulso”, e fala que foi “massacrado pelo silêncio, ridicularizado e humilhado”

Imagem do relatório da PF mostra momento em que dinheiro foi encontrado na cueca do senador Chico Rodrigues — Foto: Reprodução/PF

Pressionado a se licenciar do mandato, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) começou a montar uma estratégia de defesa para tentar conquistar o apoio dos colegas e evitar o afastamento dele.

Em mensagem enviada a senadores, ele disse que “nunca tinha sido acordado pela polícia” e que, “num ato de impulso, protegi o dinheiro do pagamento das pessoas que trabalham comigo.”

Senadores que receberam a mensagem avaliam que a explicação de Chico Rodrigues vai ser questionada e que ele precisa comprovar principalmente a origem do dinheiro que estava em sua casa. Se não disser a origem, a avaliação é que o dinheiro seria ilegal.

Na mensagem encaminhada a seus colegas nos últimos dias, ele afirmou que reagiu de impulso porque foi acordado “em meio a pessoas estranhas em meu quarto”.

Ele acrescenta, nas mensagens, que reagiu daquela forma porque “se levassem aquele dinheiro ninguém iria receber naquela semana”. Segundo afirmou o senador a colegas, “não era dinheiro de corrupção.”

Em uma operação da Polícia Federal, que investiga desvio de recursos de combate ao coronavírus em Roraima, o senador Chico Rodrigues foi flagrado pelos agentes federais escondendo mais de R$ 33 mil na cueca.

O caso acabou levando o ministro Luís Roberto Barroso a decidir pelo afastamento do senador por 90 dias, medida que vai ser analisada pelo plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) na quarta-feira (21).

No Senado, um grupo de senadores não quer dar aval à decisão de Barroso, alegando que foi uma medida monocrática e que um ministro do STF não poderia afastar um senador nestas condições. O temor destes senadores, porém, é a mensagem que será passada para a população ao salvarem um colega que escondia dinheiro na cueca.

Na busca de se explicar para esses colegas, Chico Rodrigues decidiu enviar a mensagem para senadores, entre eles o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. No texto, ele diz ainda que só conseguiu falar agora com seus pares “porque estava sem forças e ainda estou”.

Ele acrescentou que “fui massacrado pelo meu silêncio, fui ridicularizado, fui humilhado”.

Em sua defesa, ele diz que “jamais desviaria dinheiro público” e que não é “chefe de uma organização criminosa”. Afirmou ainda que “nenhum centavo” das suas emendas parlamentares foi “sequer licitado”. As investigações da PF apontam, porém, que o senador teria envolvimento no desvio de recursos destinados ao combate ao coronavírus.

No final da mensagem, ele pede tempo para se explicar e para que não o “condenem previamente”, acrescentando que o inquérito não revelaria nenhum crime que teria sido cometido por ele. Chico Rodrigues encerra o texto dizendo que estava protegendo seu próprio dinheiro e pede que o “julguem de maneira sábia.”

Blog do Valdo Cruz -G1

Opinião dos leitores

  1. Muita idiotice desses esquerdistas, que Bolsonaro tem haver com com esse imbecil que colocou o dinheiro nos fundos.

  2. Sinal de que não gostava dos funcionários, passava o dinheiro no cofre pra depois fazer o pagamento. Kkkkkk

  3. Mais um "inocente" pego e que jura ser pessoa "honesta".
    Assim com todos os políticos pegos em corrupção, processados e condenados que continuam jurando "inocência".
    Tem condenado que o "povo" diz "não existir provas contra o coitadinho", mas a justiça, em 02 instâncias o condenou pelo excesso de provas existentes.
    Tem os que defendem as "democracia igualitárias" de Cuba e Venezuela com seus ditadores, enfim, cada povo tem o político que merece e quando entra um de fora do esquema, a gritaria, o combate, a difamação, o combate é grande. A Argentina começa a sentir "o gosto amargo do féu" por ter voltado atrás e recolocado no poder aqueles que levaram o país a falência econômica, moral e religiosa.

  4. é só mostrar o extrato de contas onde aparece o saque e a origem, simples assim, MAIS NÃO TEM.

  5. Bem convincente. Os Bolsonaristas já tem uma tese para defende-lo, pq colocar a culpa no PT ñ dá mais!!!!

    1. Porque os bolsonaristas???
      O caba é pego com dinheiro dentro da recada e é os bolsonaristas que tem que explicar??
      Botar a culpa em alguém??
      Vai contar os postes da Cosern papangu.
      O que tem haver bolsonaristas com isso
      Seu cretino??
      PT ladrão nunca mais viu??
      Tchau corruptos ladrões.

    2. Ué, ele ñ era Vice lider do governo a quem BOLSONARO disse que estava em uma união estável?

  6. Coitados dos funcionários. Será que todo os salários passavam antes pelo "cofre" do Senador? Tomara que não tenham o costume de molhar o dedo de saliva, na hora de contar o dinheiro.??

  7. Pq ele não paga através de transferência bancária?? Qual banco ele sacou esse dinheiro??

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

STF impede divulgação de vídeo com dinheiro ‘entre nádegas’ de senador

Marcello Casal JrAgência Brasil

Na decisão em que determinou o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM-RR), o ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), ordenou que apenas um dos vídeos produzidos na ação que encontrou R$ 33.100 na cueca do parlamentar seja juntado aos autos da investigação sobre desvios de recursos públicos destinados ao combate à pandemia de covid-19.

A filmagem diz respeito à primeira revista corporal feita no senador na Operção Desvid-19, após os investigadores suspeitarem do ‘grande volume retangular na parte traseira das vestes’ do parlamentar.

No entanto, uma segunda gravação deverá ser mantida em ‘cofre da própria Polícia Federal, em absoluto sigilo’, segundo a determinação de Barroso. A medida se dá em razão de o registro exibir ‘demasiadamente a intimidade do investigado e não produzir acréscimo significativo à investigação’.

“Se comprovada a culpabilidade do investigado, estará justificada a sua punição, mas não sua desnecessária humilhação pública”, ponderou o relator da Desvid-19. A decisão atende pedido da Polícia Federal e diz respeito a uma segunda revista corporal feita no senador.

“Num segundo momento, diante do precedente que se apresentava, a equipe realizou novo registro em vídeo do momento em que a autoridade policial, o Senador e seu advogado se dirigem a uma sala reservada e lá a autoridade solicita ao Senador que retire todas as demais cédulas eventualmente ainda ocultas em seu corpo. Nesse momento, o Senador retira parcialmente sua roupa, deixando à mostra e visíveis ao espectador as partes íntimas do seu corpo e termina a retirada das últimas cédulas de dinheiro”, descreveram os investigadores.

Nessa linha, a PF argumentou que o vídeo ‘exibe a intimidade’ do senador e seu anexo aos autos da investigação ‘não acrescentaria de forma significativa a produção de prova quanto a ocultação de valores.

“Isso posto, buscando resguardar a intimidade do investigado em confronto com a necessidade de produção de prova para a investigação criminal, solicito de Vossa Excelência manifestação quanto a possibilidade de juntada apenas do primeiro vídeo aos autos, mantendo-se o segundo sob custódia e responsabilidade desta Polícia Federal até eventual trânsito em julgado do processo”, ressaltou a PF no pedido a Barroso.

A PF considerou que a tentativa do senador de esconder dinheiro na cueca configurou potencial ocorrência do crime de embaraço a investigação de infração penal que envolva organização criminosa.

“Caso o investigado não titularizasse o mandato de Senador da República, dúvida não haveria acerca da sua imediata prisão em flagrante”, registrou a corporação ao pedir a segregação cautelar de Chico à Barroso. O ministro do STF, no entanto, acolheu apenas o pedido de afastamento do parlamentar.

R7, com Estadão

Opinião dos leitores

  1. Fico sem acreditar nos comentários sem lógica. Mas a esperança em um Brasil com menos corrupção continua no coração da nação. Que Luladrão é desonesto já sabemos, mas não justifica a desonestidade do cagão amigo de Naro. Kkkkkk.

  2. Que merda, mano! Próxima nota de real vai ter a figura do peixe pacu ou baiacu! Políticos de merda!

  3. Se fosse Lula ou do PT já estava passando na desde o bom dia até jornal da noite ……. o engraçado é que nunca encontraram nada na casa de Lula, mais quando vão em outras lugares é dinheiro em malas,caixas ,cuecas e agora inovaram e no toba

    1. Marquito e os presentes q Lula levou do Palácio do Planalto pro seu sítio de Atibaia?

    2. Flagaram o pedalinho, tava só a cabecinha de fora, o resto tava enterrado no rabo de luladrão, na conta encontraram milhões de reais de origem inexplicáveis.

    3. Esse senador, com 30 mil reais em casa.
      Peixe pequeno?
      Quanto Lula recebeu da Odebrecht por palestras?
      30 milhões?
      Isso não cabe em cueca nenhuma…

    4. Manoel, tu sabe de nada. Só sabe assistir ao Jornal Nacional. Nem leu a matéria toda, vem falar de outra coisa. Esquece Lula. Anda prá frente, macho!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senador Chico Rodrigues, afastado pelo STF, tem o próprio filho como suplente

Chico Rodrigues Foto: Agência Senado

O eventual substituto do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) em caso de afastamento definitivo é o próprio filho, Pedro Arthur, também filiado ao DEM. Se substituir o pai, Pedro Arthur assume o mandato até 2026.

Na quinta-feira, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou o afastamento de Rodrigues do Senado por 90 dias. A decisão precisa ser ratificada pelo Senado e foi tomada após operação da Polícia Federal que investiga desvios de aplicação de recursos de combate a Covid-19 flagrar o senador com dinheiro escondido dentro da cueca.

Pedro concorreu a um cargo público pela primeira vez em 2018, como 1º suplente do pai. Na declaração ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse ter ensino superior completo e trabalhar como administrador.

Durante as operações da PF na casa de Chico Rodrigues, em Boa Vista, os policiais fizeram buscas na casa de Arthur, mas não encontraram ” valores ou documentos relacionados aos fatos sob investigação”.

A PF chegou a solicitar a prisão preventiva de Rodrigues, sob o argumento de que a tentativa de esconder dinheiro caracterizaria flagrante, mas o ministro Barroso apontou que atualmente há dúvidas no entendimento do STF sobre prisões preventivas de parlamentares. Por isso, decidiu autorizar apenas o afastamento do senador, determinando que o Senado seja intimado para analisar se ratifica a medida.

A Polícia Federal informou ao ministro do Supremo que foram localizadas notas de dinheiro na cueca de Chico Rodrigues que totalizaram R$ 15 mil, além de valores encontrados em sua residência.

O Globo

 

Opinião dos leitores

  1. Vc Manoel é um mané mesmo, larga de ser burro lusitano, o homem disse que não teria corrupção, a PF pegou, o homem foi afastado da vice liderança, o presidente não foi defender, o que vc queria? Que fosse como no tempo de nove dedos? Mequetrefe esse tempo acabou, aqueles arrumadinhos, filhinhos Ronaldinho, triplex, sítio do amigo, Petrobras quebrada, isso foi passado.

  2. Operação da Polícia Federal, com a participação decisiva da Controladoria Geral da União, ambos órgãos do Governo Federal. Quase dois anos do governo Bolsonaro e NENHUM caso de corrupção. Também não deixa roubar, como fazia o PT quando estava no poder. Há muitos anos não víamos isso no Brasil.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Senador Chico Rodrigues diz ter tido seu lar “invadido por apenas ter feito trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate à COVID-19”

Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado

Após ser flagrado na última quarta-feira em uma operação da PF com cerca de R$ 30 mil e parte das notas de dinheiro entre as nádegas, o senador de Roraima Chico Rodrigues (DEM-RR), vice-líder do governo Bolsonaro no Senado, afirmou estar tranquilo após a operação que investiga desvios em aplicação de recursos de combate ao coronavírus. “Apenas fiz meu trabalho de trazer recursos para combater a Covid-19 “, disse o senador.

— Tenho um passado limpo e uma vida decente. Nunca me envolvi em escândalos de nenhum porte. Se houve processos contra minha pessoa no passado, foram provados na justiça que sou inocente. Na vida pública é assim, e, ao logo dos meus 30 anos dentro da política, conheci muita gente mal intencionada com o intuito de macular minha imagem, ainda mais em um período eleitoral conturbado, como está sendo o pleito em nossa capital – declarou em nota.

O senador ainda afirmou confiar na justiça e prometeu provar que não tem envolvimentos com os atos ilícitos. Sobre a operação da PF, Rodrigues disse ter tido seu lar “invadido por apenas ter feito meu trabalho como parlamentar, trazendo recursos para o combate à COVID-19 na saúde do estado”.

— Não sou executivo, portanto não sou ordenador de despesas e, como legislativo, sigo fazendo minha parte, trazendo recursos para que Roraima se desenvolva. Que a justiça seja feita e que, se houver algum culpado, que seja punido nos rigores da lei – finalizou.

A operação que teve Chico Rodrigues como alvo foi deflagrada com autorização do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso para investigar desvios milionários em recursos de combate à pandemia destinados por meio de emendas parlamentares à Secretaria de Saúde de Roraima.

A informação sobre a apreensão foi antecipada pela revista “Crusoé” e confirmada pelo GLOBO. O senador é membro da Comissão Mista do Congresso Nacional que acompanha a execução de recursos relacionados ao combate ao coronavírus.

Farra dos Combustíveis

O flagrante com dinheiro na cueca não é a primeira irregularidade protagonizada por Chico Rodrigues. Em 2006, quando estava em seu quarto mandato como deputado federal, foi investigado pela corregedoria da Câmara por seus altos gastos com gasolina e, na época, admitiu que apresentava outros gastos como se fossem de combustível para receber ressarcimento, mas acabou absolvido.

O caso foi revelado pelo GLOBO com um levantamento que mostrou que, no ano anterior, Chico Rodrigues havia gastado R$ 174,1 mil (em valores da época) com gasolina, o quarto maior gasto entre deputados. Já nos três primeiros meses de 2006 ele foi o que mais gastou: R$ 60 mil.

— Certo não é, mas é maneira que tenho para justificar o gasto. Essa verba deveria ser incorporada ao salário, liberada para qualquer gasto ou suspensa. Do contrário, fica o deputado obrigado a andar com um contador do lado. O deputado é obrigado a fazer uma verdadeira alquimia, ginástica para conseguir ressarcimento. É culpa da Câmara… — admitiu ele na ocasião, em entrevista.

Na mesma entrevista, admitiu que não precisava do ressarcimento da Câmara, mas acrescentou que utilizaria mais, se tivesse direito:

— Sou empresário e não preciso desse dinheiro, mas o que é de direito, não enjeito um centavo. E se tivesse mais, eu utilizaria.

Após a publicação da reportagem, o então presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), enviou o caso para ser investigado pela Corregedoria da Câmara. Chico Rodrigues, entretanto, recuou e disse que só gastava o dinheiro com gasolina.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. O coitado estava só tomando a dose de ozônio recomendada pelos médicos e aplicando no fundão.

    1. Bem q vc queria, verba de emenda parlamentar não tem nada a ver com o governo nem com o executivo, e verba destinada pelos parlamentares a suas bases, você sabe disso mas finge q não pra espalhar fake news

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Após pedido de Bolsonaro, senador Chico Rodrigues pede afastamento da vice-liderança do governo

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) pediu afastamento do cargo de vice-líder do governo no Senado. A informação foi confirmada pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), que responde pela liderança do governo na Casa. A saída do posto acontece após um pedido do presidente Jair Bolsonaro. O motivo é a repercussão negativa em torno da operação da

O líder do governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), já havia adotado discurso parecido desde o início da manhã. Ele defendeu, ao Valor, que o melhor é que Chico Rodrigues deixe o cargo para que possa se dedicar a fazer sua defesa no inquérito aberto pela PF.

Mais cedo, Bolsonaro afirmou que a operação da PF é “fator de orgulho para o governo” e prova que não há proteção de ninguém nas investigações de corrupção. Bolsonaro falou sobre o assunto a apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada. “Lamento o desvio de recurso, seria bom que não houvesse, porque, afinal de contas, quando você desvia dinheiro da saúde, inocentes morrem, então a operação de ontem é fator de orgulho para o meu governo”, disse. “Alguns acham que toda a corrupção tem haver com o governo. Não. Nós destinamos dezenas de bilhões de reais para estados e municípios, tem as emendas parlamentares também, e, de vez em quando, não é muito raro, a pessoa faz uma malversação desse da saúde, inocentes morrem, então a operação de ontem é fator de orgulho para o meu governo”, disse. “Alguns acham que toda a corrupção tem haver com o governo. Não. Nós destinamos dezenas de bilhões de reais para estados e municípios, tem as emendas parlamentares também, e, de vez em quando, não é muito raro, a pessoa faz uma malversação desse recurso”, completou.

Bolsonaro afirmou também que mais da metade das operações da PF ocorrem em parceria com Controladoria-Geral da União (CGU) e que o governo está combatendo a corrupção independente de quem esteja envolvido. Apesar de Rodrigues ser um de seus parlamentares mais próximos, o presidente disse que o caso não tem nada a ver com o governo.

“Vocês estão há quase dois anos sem ouvir falar em corrupção no meu governo. O meu governo são os ministros, as estatais, bancos oficiais”, argumentou. “Se um vereador faz algo de errado, eu não tenho nada a ver com isso. Ou melhor, eu tenho para ir para cima dele, com a Polícia Federal se for o caso, com o apoio da CGU, é isso que nós fazemos”. Aplaudido por apoiadores, o presidente posou para fotos após a declaração.

Com Valor

 

Opinião dos leitores

  1. Com o Mito é assim…roubou, leva voadora!!!!! Vai ser no primeiro turno!!! Quem defende liberdade pra é o PT e seus simpatizantes…Vai ser no 1o turno!!!!!kkkkkkkkkkk

  2. Já não foi suficiente o dinheiro escondido na cueca pela turma do PT, agora esse senador inovou, guardou a grana dentro da regada, essa turma não tem jeito mesmo. Cadeia muita é pouco pra esses felas

  3. Para tudo . Vou descer . O Babalu pediu para tirar o líder ? Mas é os meninos dele ? E a loja de chocolate ?? E a rachadinha ? E as compras em dinheiro vivo ? Aja voadora . Pelas caridade o negócio tá complicado . Vou tomar meu suco de laranja com chocolate ?. A boiada está ainda no pasto ? Olha o sol . Bota o gado no cocho . Arrocha feno nos novilhos . Aí Papai !

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Advogados de Flávio Bolsonaro pedem para senador prestar depoimento no MP

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Os novos advogados do senador Flávio Bolsonaro entraram nesta segunda-feira com pedido para que ele preste esclarecimentos no caso da “rachadinha”, a devolução dos salários dos servidores no antigo gabinete dele na Assembleia Legislativa do Rio.

Luciana Pires e Rodrigo Roca informaram por nota que protocolaram “junto ao MP petição requerendo a oitiva do Senador , à vista do art 8, parágrafo 7, da Resolução 181/2017 do CNMP, bem como, art. 5, LV da Constituição da República , uma vez que ele qd fora intimado figurava como “testemunha “. Após pedido de vista dos autos não mais foi intimado, sendo um direito seu esclarecer pessoalmente os fatos”.

Com a saída do advogado Frederick Wassef, Roca e Pires assumiram a defesa do senador nas investigações sobre a “rachadinha”, prática ilegal de devolução de salários de assessores na Assembleia Legislativa do Rio.

Flávio junto com Fabrício Queiroz, ex-chefe da segurança dele, são investigados por peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa pelo Ministério Público do Rio. Na quinta-feira passada, Queiroz foi preso em um sítio de Wassef em Atibaia, no interior de São Paulo.

A iniciativa do senador de pedir para prestar depoimento é uma mudança nas estratégias de defesa até o momento. Antes dissso, em dezembro de 2018, o MP tinha convocado Flávio para prestar depoimento em janeiro do ano passado. No entanto, o senador não compareceu à convocação e passou a entrar com habeas corpus questionando a investigação e pedindo o seu arquivamento.

Desde janeiro de 2019, os antigos advogados de Flávio, liderados por Frederick Wassef, tentaram ao menos nove vezes parar as investigações. O primeiro foi apresentado no Supremo Tribunal Federal e questionava o direito ao foro junto ao STF, uma vez que ele tinha sido eleito para o Senado. O recurso não teve sucesso e acabou negado pelo ministro Marco Aurélio Mello.

Depois disso, a defesa de Flávio passou a apontar o que chamava de quebra de sigilo bancário e fiscal nos relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que permitiram a identificação de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz e deram início às investigações. O recurso também não obteve sucesso no julgamento do STF em novembro do ano passado.

Na próxima quinta-feira, a 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) vai julgar um pedido de habeas corpus feito pela defesa do senador em março. Nesse recurso, o senador questiona a competência do juiz Flávio Itabaiana, da 27ª Vara Criminal, para determinar as medidas cautelares do caso da “rachadinha”, a prática ilegal da devolução dos salários dos assessores. Desde abril do ano passado, Itabaiana já determinou a quebra de sigilo bancário e fiscal de Flávio e outras 103 pessoas e empresas, além de mandados de busca e apreensão. Na quinta-feira, o juiz também decretou a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, e de sua mulher Márcia Oliveira de Aguiar, que está foragida.

O HC foi apresentado pela advogada Luciana Pires e a defesa sustenta que, como Flávio era deputado estadual no período dos fatos investigados, entre 2007 e 2018, o juízo competente para o caso seria o Órgão Especial do TJ do Rio. Caso a defesa tenha o pedido atendido pelos três desembargadores que julgarão o HC, as decisões de Itabaiana podem ser consideradas nulas. No entanto, os promotores que investigam o caso apontam que há jurisprudência em tribunais superiores garantindo que o direito a foro se encerra quando o mandato termina.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Ensaiaram bem as lorotas para dizer? Cuidado para não deixar mais furos do que essa história já tem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

“Eu prescreveria a cloroquina tranquilamente”, diz senador que é médico

Foto: Ilustrativa

O senador Otto Alencar (PSD), que é médico, disse concordar com a orientação de que a cloroquina deve ser prescrita para pacientes com Covid-19.

“Se o paciente não tem problemas renais ou cardíacos, por que não prescrever? Não vejo nenhum problema. Se eu estivesse hoje no hospital, eu prescreveria a cloroquina tranquilamente”, afirmou a O Antagonista.

Alencar afirmou que “às vezes não dá para seguir os protocolos” e que “na medicina, boa vontade resolve muita coisa”.

O Antagonista

Opinião dos leitores

  1. Pronto, a medicina científica já era: está criada a "medicina da boa vontade".
    Duvidinha: esse senador é do PSD ou da LBV?

  2. Votz, e é proibido prescrever? Qualquer médico pode prescrever essa medicação, desde que assuma a responsabilidade pela posologia e tempo de tratamento. O paciente (ou responsável legal) também deve assinar um termo de consentimento. Feito isso não há problemas. Não sei qual é a grande celeuma.

  3. RICARDO LÚCIDO, quanto vc quer para botar as suas opiniões idiotas num saco, amarrar bem a boca e mandar para o planeta babaca? Vc é daqueles imbecis que quando resolvem escrever algo, esquecem que tem m…… na cabeça. Vai caçar uma lavagem de roupa seu mala.

  4. Gostaria de saber onde é o Consultorio do doutor . Não passaria nem na porta . Um médico que diz que não seque protocolo terapêutico é um doutor de achismo . Existe protocolo para o uso desse medicamento o que ao se pode admitir é o uso indiscriminado , como quer o presidente , votei nele e me arrependo, que fica confundindo a cabeça da população . Pode ser usado lógico que pode A hora de usar é definida pois não existe comprovação do custo benefício em determinadas fases . O dr senador , devia deixar de fazer politicagem barata e se informar melhor . Mandar todo mundo para rua e dizer que esse fármaco resolve o problema é irresponsabilidade .

    1. Calma …vamos pedir a solução para o ladrao Lula, aquele que preferiu construir estádios ao contrário de hospitais ?

    2. Faz o seguinte. Se for acometido, recuse o uso. Espere que a OMS avalize.

    3. Severino, foi o que pensei responder para ele….
      Ou tb a mãe ou um filho….espere o Mandeta e oms liberarem…..??

    4. Conclusão para o combate de coronavírus segundo o Ricardo “InLúcido”:
      Quem tem dinheiro: Hidroxicloroclina + Azitromicina + Zinco = Se curar ir para casa.
      Quem NÃO tem dinheiro: Aguardar estudos científicos = Morrer, caixão lacrado e 7 palmo, garanto que o “ InLúcido “ gostaria de estar no primeiro exemplo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *