EUA fazem corte de juros extraordinário por coronavírus

Foto: Reuters/Kevin Lamarque

O Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) promoveu nesta terça-feira (3) um corte extraordinário de 0,5 ponto percentual nas taxas de juros do país, em resposta aos possíveis impactos do coronavírus na economia.

Com a redução, as taxas de juros norte-americanas passaram para a faixa de 1% a 1,25%.

O BC dos EUA não fazia um corte de emergência desde 2008, quando o mundo sofria os efeitos da crise financeira internacional. O próximo encontro do Fomc (Comitê Federal de Mercado Aberto, na sigla em inglês) está agendado para 17 e 18 de março. O último ocorreu em janeiro.

No comunicado, após a decisão, o Fomc afirmou que a economia dos EUA segue forte, mas que o avanço do coronavírus traz riscos para a atividade econômica do país.

“O Comitê está monitorando de perto os desenvolvimentos e as implicações para as perspectivas econômicas e usará suas ferramentas e atuará conforme apropriado para apoiar a economia”, escreveu Fomc no comunicado.

A decisão pelo corte foi unânime entre os formuladores de política monetária do Fed.

Após o anúncio do corte dos juros nos EUA, o dólar passou a operar com instabilidade no Brasil, e o Ibovespa começou a subir. Os índices acionários norte-americanos recuavam.

Nos últimos dias, uma atuação dos principais bancos centrais já era esperada por parte dos investidores. Nesta terça-feira, antes do anúncio do Fed, os ministros das Finanças e os presidentes dos BCs do G7 disseram que vão usar todas as ferramentas econômicas apropriadas para proteger a economia contra os riscos negativos do coronavírus.

Na semana passada, quando os mercados acionários enfrentaram uma forte turbulência, o presidente do Fed, Jerome Powell, já havia admitido que o coronavírus representava um risco para a economia norte-americana e avisou que o BC norte-americano poderia agir para evitar um contágio maior.

Antes da decisão do Fomc, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu ao Fed um corte nos juros de forma significativa, afirmando que custos de empréstimos mais altos são difíceis para seus exportadores e colocam o país em desvantagem.

O avanço da epidemia do novo coronavírus pelo mundo tem provocado abalos nos mercados globais e elevado as preocupações de investidores e governos sobre o impacto da propagação do vírus nas cadeias globais de suprimentos, nos lucros das empresas e na desaceleração do crescimento da economia global.

G1

 

Para abordar o ‘bullying’ na escola, alunos de São Gonçalo vão ao cinema ver o Extraordinário

Em mais uma ação educativa extracurricular, alunos da Escola Municipal Alfredo Mesquita Filho, Alagadiço, assistiram ao filme “Extraordinário”, em uma sessão de cinema num shopping da Zona Norte de Natal, na última quarta-feira (14). A atividade faz parte do projeto interdisciplinar “Valores”, dentro da programação pedagógica da escola que funciona em tempo integral.

De acordo com o diretor Tony Almeida, a escolha do filme se deu por abordar o bullying, um problema frequente no ambiente escolar. O Extraordinário narra a história de Auggie Pullman, um garoto que nasceu com a Síndrome de Treacher Collins causadora de deformação facial. Na escola, pela primeira vez aos 10 anos de idade, precisou enfrentar o espanto alheio.

“O filme é uma verdadeira lição de vida, além de ser uma ótima oportunidade de introduzir o assunto e conversar com os nossos alunos sobre preconceito, ensinando a respeitar as diferenças. E o objetivo do projeto é justamente desenvolver valores indispensáveis à formação humana, como solidariedade e respeito”, disse Tonny.