Saúde

EUA alertam que vacina da Janssen aumenta risco de desenvolver doença rara

FOTO: KAMIL KRZACZYNSKI / AFP

O FDA, agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos, atualizou, nesta segunda-feira (12), seus avisos sobre a vacina contra a covid-19 da Janssen/Johnson&Johnson para incluir uma informação sobre um “aumento do risco” do desenvolvimento da síndrome de Guillain-Barré.

Com base em um sistema de monitoramento federal sobre a segurança das vacinas, a FDA identificou 100 casos do raro distúrbio neurológico após a injeção de 12,5 milhões de doses. Destes, 95 foram graves e obrigaram a hospitalização do paciente. Uma morte foi relatada.

Em comunicado, a empresa informa que a chance de isso ocorrer “é muito baixa”. “Apoiamos fortemente a conscientização sobre os sinais e sintomas de eventos raros para garantir que eles possam ser identificados rapidamente e tratados de forma eficaz”, diz a nota.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), a síndrome paralisa os músculos e se manifesta quando o sistema imunológico do paciente ataca o sistema nervoso periférico.

Em maio, a EMA (Autoridade Europeia de Medicamentos) anunciou que iria analisar informações sobre casos de pacientes que desenvolveram a síndrome de Guillain-Barré após serem imunizados com a vacina da AstraZeneca-Oxford contra a Covid-19.

Viva Bem – UOL, com AFP

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Terremoto atinge região da fronteira entre estados de Nevada e Califórnia, nos EUA

Um terremoto de magnitude 5,9 atingiu a região na fronteira entre os estados de Nevada e Califórnia, nos Estados Unidos, na tarde desta quinta-feira (8) segundo o Serviço de Geologia dos EUA (USGS, na sigla em inglês).

O epicentro foi a 32 km Sul-Sudoeste de Smith Valley, em Nevada, ainda de acordo com o USGS, a uma profundidade de 9,8 quilômetros.

O tremor foi o mais forte de uma série de pequenos abalos sentidos na região nesta quinta, e aconteceu às 15h49 (19h49 em Brasília).

Não há relatos de danos ou feridos até o momento.

Reportagem em atualização.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

EUA emitiram mais de 110 mil green cards no 1° trimestre, número nunca antes registrado neste período no país

Foto: Reprodução

Os Estados Unidos emitem em média 300 mil novos green cards por ano, e estes números irão se intensificar nos próximos meses. Apenas no primeiro trimestre de 2021, já foram computados mais de 110 mil novos pedidos, número nunca antes registrado neste período no país. Os dados são de Felipe Alexandre, jurídico da AG Immigration, para a Coluna Esplanada.

 

Opinião dos leitores

  1. Ei…. alguém avisa ao Blog que tem uma CPI em andamento em Brasília e que o Antagonista ainda faz publicações. kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

EUA aprovam uso emergencial de remédio para artrite da Roche para casos graves de Covid-19

Foto: Michael Weber/Reuters

A agência reguladora de saúde dos Estados Unidos aprovou o Actemra, um remédio para artrite da Roche, para uso de emergência no tratamento de pacientes hospitalizados com Covid-19, dando um impulso adicional a um medicamento que já era permitido como uso compassivo em casos graves.

A Agência de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA) disse na quinta-feira que emitiu uma autorização de uso de emergência para o Actemra para o tratamento de pacientes adultos e infantis hospitalizados com Covid-19.

Há meses o remédio é administrado em pacientes com casos graves da doença como uso compassivo, o que gera milhões de dólares de vendas à Roche.

O medicamento pode ser usado para tratar pacientes que estão recebendo corticosteroides sistêmicos e precisam de oxigênio suplementar, ventilação mecânica não-invasiva e invasiva ou oxigenação por membrana extracorpórea, disse a FDA, acrescentando que estudos mostraram que o Actemra ajuda a diminuir o risco de morte e a acelerar a recuperação.

A autorização de uso de emergência se baseia em resultados de quatro estudos aleatórios controlados que avaliaram o Actemra para o tratamento de Covid-19 em mais de 5.500 pacientes hospitalizados, disse a Roche.

No primeiro trimestre, as vendas do Actemra aumentaram 22%, chegando a 779 milhões de francos suíços, depois de dispararem quase um terço e chegarem a 2,9 bilhões de francos suíços em 2020, devido sobretudo ao tratamento de pacientes com pneumonia grave associada à Covid-19.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Aqui dizem que a imprensa não divulga informações. Mentira, só entrar na CNN Brasil ou no Uol, está lá a matéria. Explica de forma até mais ampla, aqui BG trouxe um estudo, na verdade foram 02. Quem quiser tomar, tome até chumbo. O que não pode é estimular aglomeração, não querer usar máscara, não tomar medidas restritivas necessárias, a fim de evitar uma maior contaminação. Será que isso é difícil de entender? Uma vida perdida para esse vírus não volta mais, seu emprego se perder, momento muito difícil e cruel, mas pode ser restabelecido mais a frente. RN, Graças a Deus tem uma situação confortável, quanto a ocupação de leitos clínicos e redução de mortes. Está perto da normalidade e vamos fazer nossa parte. Bolsolóides, no meio da orelha de vocês tem algo inexplicável, mas pensem um pouco. Se vencermos o vírus com ajuda de todos, voltamos a economia de forma aquecida, emprego e renda! Pensem pelo amor de Deus! Eu odeio máscara, sozinho na sala no trabalho tiro logo, redução de 40% do meu salário, e muito felizes vendo a reação de ocupação dos hotéis, um dos setores mais afetados. Deus esteja conosco sempre!

  2. A diferença não é a aprovação, mas a patente. Esse remédio dos EUA é patenteado e a ivermectina não. Entenderam jumentinhos de esquerda. Vejam os preços de ambo$.

  3. A esquerda, os verdadeiros genocidas, continuam ignorando todos os estudos científicos existentes provando a eficácia do tratamento precoce no caso do covid, com uso da ivermectina, cloriquina, azitromicina e o zinco.
    A mesma esquerda que exige a compra da coronavac e da sputinik que não tem comprovação científica. Incoerência = esquerda
    A coronavac e a sputinik não é aceita em nenhum pais da Europa e nos EUA.
    Na CPI quando os médico foram mostrar os trabalhos científicos falando do tratamento precoce e todos os médicos que estão adotando e salvando vidas, Renan Calheiros, um dos representantes da esquerda, se levantou e saiu. Mostrando ser totalmente intolerante aqueles que provam que ele e a esquerda estão errados.

    1. Fora que aa grandes mídias nem falaram no assunto, so evidenciaram que os canalhas sairam da sala

  4. Se Bolsonaro falar que esse remédio serve para casos graves de covid os especialistas, globo, folha de São Paulo, UOL e à esquerda diz que não pode pois não tem comprovação científica.
    Agora nos EUA pode tudo.

    1. Não tem o menor risco do MINTOmaníaco falar nada desse remédio que teve eficácia comprovada! Ele só “prescreve” remédios que não tem eficácia alguma contra covid, como a cloroquina e só quer comprar vacina que sequer foi aprovada por nenhum país, como a Covaxin…. De preferência ele só indica remédio ou vacina se tiver algum “ganho” nisso…

    2. Quem aprovou o remedio foi a FDA não o Bilden! No Brasil, Anvisa e Mandetta sempre se pronuciaram de forma científica, já o seu Politico de Estimação, Gustavo Mafra, se pronucia a luz de sua propria bolsa de colostomia. Dito isso vá tomar seu comprimidos de cloroquina e passe bem!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Ex-piloto da Marinha dos EUA revela encontro com OVNI para ‘normalizar’ o tema; país deve divulgar relatório inédito sobre objetos em breve

Foto: Bettmann/Getty Images (16.out.1957)

Tenente aposentada da Marinha dos Estados Unidos, Alex Dietrich se viu no centro das atenções da mídia antes de um relatório muito aguardado do governo sobre objetos voadores não-identificados (OVNIs), um assunto pelo qual ela diz ter pouco interesse, apesar de ter se encontrado com um em serviço.

“Não me considero uma delatora. Não me identifico como uma interessada por OVNIs”, disse a ex-piloto de caças à Reuters em uma entrevista via aplicativo Zoom dias antes de uma apresentação agendada do relatório, que deve citar sua própria experiência e dezenas semelhantes, ao Congresso.

Durante uma missão de treinamento de rotina com o porta-aviões USS Nimitz no litoral do sul da Califórnia em novembro de 2004, outro navio de guerra solicitou que Dietrich e seu então oficial comandante, o piloto David Fravor, investigassem contatos de radar se movimentando de modo inexplicável.

Ela contou que primeiramente notaram uma “agitação” incomum da superfície oceânica, e depois viram o que ambos descreveram como um objeto branco liso e oblongo que lembrava uma pastilha Tic-Tac voando sobre a água em alta velocidade.

Imagens do que Dietrich e Fravor testemunharam naquele dia provavelmente serão incluídas no relatório, além de dois outros vídeos antes confidenciais feitos por pilotos de caça da Marinha em 2015 em encontros semelhantes.

A Marinha já havia confirmado a autenticidade dos vídeos.

“As pessoas podem ficar preocupadas com suas carreiras ou sua igreja ou algo assim. Elas não querem ser o esquisitão do OVNI, então acho que estou tentando normalizar isso falando no assunto”, disse Dietrich.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Alienígenas existem mesmo não sintam medo de nada,alguns filmes de Hollywood só estão fazendo a preparação,todo aquele terrorismo é só uma forma de aliviar as tensões com o contato inicial,muitas pessoas ficaram assustadas psicologicamente só com a divulgação pelos sistemas de comunicação em massa e também com o contato direto com os irmãos do país galático,eles existem e isso é algo natural,em pouco tempo será divulgado internacionalmente,eles já estão em todas as partes do mundo,inclusive nesta localidade,eles são esquisitos/estranhos nos movimentos e ações dos seus corpos e nos seus comportamentos emocionais todos estão em forma corpórea humana masculina e feminina.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Guerra das vacinas: Irmão de Miranda visitou laboratório dos EUA dias antes da denúncia

Foto: Câmara dos Deputados/Divulgação

O enrolado com a Justiça deputado federal Luís Miranda (DEM-DF), pivô do tititi ontem sobre suspeita de compra irregular da vacina Covaxin pelo Ministério da Saúde, não contou a história toda ainda.

A bomba jogada por ele no noticiário, de que alertou o presidente Jair Bolsonaro sobre suposto esquema na pasta, saiu dois dias após o retorno dos Estados Unidos de seu irmão, Luís Ricardo Miranda, chefe da Divisão de Importação do Departamento de Logística do Ministério.

Segundo consta no D.O. da União, em pesquisa pela reportagem, ele ficou em Miami por seis dias, em missão oficial, para acompanhar tratativas de doação e possível negociação de vacinas do laboratório Janssen Cilag.

Luis Ricardo pode ter muito a contar para a CPI da Pandemia sobre sua visita. E o deputado encrenqueiro terá de explicar, também na Comissão, por que só revelou há dias algo sério que aconteceu em março – e não deu publicidade quando ocorreu há três meses.

Luís Ricardo Miranda é servidor de carreira da Saúde e foi promovido para o cargo atual em 2018, no Governo Michel Temer, pelo então ministro Gilberto Occhi. O deputado Luís Miranda, um neobolsonarista, acusado de picaretagem e estelionato, é filiado ao DEM, opositor ao Governo. Ele tenta proximidade com o presidente, que não o recebeu mais. Bolsonaro suspeita de sua ligação com o ex-ministro Luís Mandetta.

Conforme a Coluna noticiou meses atrás, há uma guerra velada de laboratórios dentro do Ministério da Saúde por vendas das vacinas em contratos vultosos. Miranda chegou a perder a função na gestão Pazuello, mas o ministro recuou e o manteve.

Coluna Esplanada

Opinião dos leitores

  1. “Terá de explicar, também na Comissão, por que só revelou há dias algo sério que aconteceu em março”, porque se ele conta logo tudo como fez o Sergio Moro ele corre o risco de ser achincalhado, crucificado e talvez correndo risco de vida como está acontecendo com o Moro.

  2. Só tem meninos bons esses acusadores e acusados. Tudo no bem bom e o povo se ferrando. E a ainda defedem essa mundiça.

  3. Dizia a minha saudosa e honesta mãe que ” Mentira tem pernas curtas”, ou, ” Pior do que a primeira mentira, são as seguintes para segurar a primeira” deixa investigar mesmo, como muitos vermelhinhos disseram “quem for podre que se tore”, nada de passar a mão na cabeça de ninguém, isso no Brasil tem que acabar, para o bem dos que tanto sofrem e precisam.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍDEO: Teste de explosivos da Marinha causa terremoto nos EUA

Foto: Reprodução/CNN Brasil. (ASSITA AQUI)

Uma explosão teste feita pela Marinha dos Estados Unidos em alto-mar causou um terremoto. Mais de 18 mil quilos de explosivos foram detonados no mar próximos a um porta aviões da Marinha americana.

O objetivo da explosão era avaliar a capacidade de resistência da embarcação diante de condições hostis de batalha.

O teste acabou provocando um terremoto em alto-mar de magnitude 3,9, de acordo com o Serviço Geológico dos Estados Unidos. Depois do teste, o navio de guerra foi levado a um estaleiro, onde vai passar por manutenção e reparos.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. Quantos animais Marinho inocentes morreram, para que o poder maldito seja conquistado, quando a natureza da o troco esses infelizes vão lamentar a deus.

    1. O presidente dos estados unidos agora é adorado pela esquerda brasileira, estar tranquilo, açoita a tropa de jegue.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Kim Jong-un diz que Coreia do Norte deve se preparar para ‘diálogo e confronto’ com EUA

Foto: KCNA via Reuters

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, disse que a Coreia do Norte deve se preparar tanto para o diálogo quanto para o confronto com os Estados Unidos, especialmente para o confronto, após uma “análise detalhada” do novo governo dos EUA, reportou a agência estatal de notícias KCNA na sexta-feira (horário local).

A declaração acontece no terceiro dia de uma reunião em plenário do comitê central do Partido dos Trabalhadores, que governa o país, após Kim pedir medidas para combater a “tensa” situação alimentar causada pela pandemia de coronavírus e por tufões no ano passado.

Kim fez uma análise detalhada das tendências políticas do governo do presidente norte-americano, Joe Biden, em relação a Pyongyang e pediu a manutenção de “contra-ações apropriadas, estratégicas e táticas” em direção aos Estados Unidos, afirmou a KCNA.

“O secretário-geral ressaltou a necessidade de preparar tanto para o diálogo quanto para o confronto, especialmente para a preparação total para o confronto e assim proteger a dignidade do nosso Estado e dos interesses pelo desenvolvimento independente”, disse a agência.

Tais medidas “garantiriam com confiança o ambiente pacífico e a segurança do nosso Estado”.

Kim também enfatizou a necessidade de “aprimorar ainda mais a posição estratégica e o papel ativo” da Coreia do Norte, criando enquanto isso “um clima externo favorável” para suas próprias iniciativas, informou a KCNA.

G1, com Reuters

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Brasil adere a acordo dos EUA para exploração pacífica do espaço

Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Brasil assinou hoje (15), em uma cerimônia no Palácio do Planalto, o acordo de adesão ao programa Artemis, liderado pelos Estados Unidos (EUA) e que planeja enviar a primeira mulher e a primeira pessoa negra à Lua em 2024.

Além da cooperação técnico-científica, o acordo traz um conjunto de princípios, diretrizes e boas práticas para a cooperação internacional na exploração do espaço, incluindo do território lunar.

Até o momento, o Brasil é o único país da América Latina a assinar o documento e o 12º do mundo. São signatários: Austrália, Canadá, Coreia do Sul, EUA, Itália, Japão, Luxemburgo, Emirados Árabes Unidos, Nova Zelândia, Reino Unido e Ucrânia.

Na cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro disse que, além do objetivo de levar a primeira mulher à Lua, o acordo servirá para impulsionar o desenvolvimento tecnológico. Bolsonaro acrescentou que o acordo é mais um feito da diplomacia brasileira. Outro feito foi a eleição do Brasil, na última sexta-feira (11), para um dos assentos não permanentes no Conselho de Segurança da ONU, afirmou o presidente. “Isso é uma prova irrefutável do bom relacionamento que o Brasil tem com o mundo todo”, disse.

Em sua fala, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, destacou ações recentes na área espacial, entre as quais o acordo firmado em 2019 entre Brasil e EUA para o uso militar e comercial da base de lançamentos de Alcântara, no Maranhão.

Pontes disse que, com isso, o programa espacial brasileiro deve se fortalecer e formar uma nova geração de especialistas. “Temos caminhos abertos para futuros cientistas, futuros engenheiros, futuros técnicos e futuros astronautas, por que não?”, disse o ministro.

Aviação

Ao discursar na cerimônia, o embaixador dos EUA no Brasil, Todd Chapman, reconheceu o pioneirismo de Santos Dumont no desenvolvimento da aviação mundial. O diplomata lembrou que o inventor, no início do século XX, deu à norte-americana Aída de Acosta a oportunidade de pilotar um de seus dirigíveis, o que garantiu a ela o título de primeira mulher a comandar uma aeronave motorizada.

O ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto França, agradeceu o embaixador por “evocar a memória de Santos Dumont”, fazendo alusão à controvérsia entre os dois países em torno da invenção do avião. Até hoje, enquanto a maior parte dos brasileiros considera Dumont o inventor do primeiro avião, os norte-americanos afirmam que o título cabe aos irmãos Wright.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Militância paga. Por quem? Todo dia, o dia todo, criticando o governo Bolsonaro com os maiores absurdos e as baixarias como marca registrada. Essa gente não tem jeito.

    1. O Brasil vai soltar o que no espaço? só se for peito de velha.

    2. Olha quem fala, todo dia falando asneiras, claro que não superar Calígula e sua metralhadora de fezes.

  2. Vejam quem é o ministro da Ciência e Tecnologia do governo Bolsonaro. Quem eram os ministros nos governos do PT? Percebem a diferença? É assim em todo o governo.

  3. A última vez que o Brasil tentou explorar o espaço, mandou a base de Alcântara pelos ares. Destruiu toda base e o foguete explodiu kkkkkk

    1. E esse “cidadão ” acha engraçado! Diga ai, vc sabe quantos desastres o EUA tiveram q lidar antes do homem pousar na lua ? Quer dizer q se há um erro vc simplesmente desiste ? Fracassado vc

  4. O Brasil não consegue explorar nem a Amazônia vai explorar o espaço…. Com esse governo incompetente.

    1. Tu sabe de nada lesado rsrs tu só sabe o q é um ó por causa de uma quenga de coco mané

    2. Infelizmente, como existe muita gente que pensa igual a você é que o Brasil não sai do lugar. Lembre-se que não é mais a esquerda que tá no poder!

  5. Objetivo: Levar a primeira mulher à Lua e impulsionar o desenvolvimento tecnológico.
    MITO É MITO!
    Primeiro Turno 2022

  6. “Exploração pacífica”? Com bolsonaro?kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk com ele nada é pacífico, sobrevive da destruição e do caos. É a mesma coisa que colocar um elefante numa sala de cristais. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  7. Agora entendi o porquê tem uns cloroquinados aqui no Blog defendendo o MINTO das rachadinhas o dia todo: querem ir nessa viagem para Lua… Afinal, para defender tanto um presidente inepto tem que ser muito lunático, pra dizer o mínimo…

    1. Seu amor por este presidente é tao grande, que so fala nele… pensa nele, sonha com ele o tempo todo. é algum amor nao correspondido, daí que as vezes sente odio e fixacao na pessoa dele.

    2. Manoel, sua mamata acabou ai você fica falando mal das melhorias para o Brasil. Seu presidente “presidiário” se juntou a Rodrigo Maia e você não ficou de mimimi.

    3. Pablo, eu não gosto de corrupto nem quem faz rachadinha ( crime de pecularo) … e vc? Pode dizer o mesmo?

    4. Só pode ter perdido alguma teta. Não tem uma sequer noticia aqui que ele não cite o nome do presidente, mesmo sendo um assunto totalmente diferente. Perdeu a teta, mané. Você sabe que malandro é malandro e mané é mané. Se oriente!

    5. Malandro: tô morrendo de medo agora… Com esse pseudônimo vc quer assustar quem ? Kkkkk. Já comeu seu capim cloroquinado hoje?

    6. Mané fossa diz para Zezin Tomaz que Deus fez o mundo redondo para deixar canto para vcs cag……..

    7. Eu acho é legal esse tal de Japiense, Bolsovirus, Zezin tomaz e Mané fossa estarem sempre por aqui, faz aumentar a raiva do PT e consolida a imagem de um partido pequeno e cheio de parasitas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

EUA e Israel investigam se vacinas anti-Covid da Pfizer e da Moderna causam inflamação leve no coração

Vacinação na Filadélfia
18/5/2021 REUTERS/Hannah Beier

Foto: Arquivo / Reuters

Autoridades de saúde dos EUA e de Israel investigam se o uso de vacinas contra a Covid-19 baseadas na tecnologia de RNA mensageiro, como os imunizantes da Pfizer/BioNTech ou da Moderna, podem estar gerando casos raros e leves de miocardite, uma inflamação no músculo do coração.

No dia 17 de maio, o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA) afirmou em comunicado ter registrado alguns poucos casos brandos de miocardite que se seguiram à imunização com uma das vacinas de RNA mensageiro. Nos EUA, são usados dois imunizantes com a tecnologia (Pfizer/BioNTech e Moderna).

O comunicado diz que esse é considerado um potencial efeito adverso dessas vacinas. De acordo com o CDC, os casos ocorrem predominantemente em adolescentes e jovens adultos, é mais frequente em homens e acontecem tipicamente quatro dias após a vacinação com a segunda dose. No país, crianças a partir de 12 anos de idade podem ser vacinadas.

Segundo o CDC, 789 casos foram registrados nos EUA até o dia 31 de maio; 216 ocorreram após a primeira dose e 573, depois da segunda dose.

Em 2 de junho, o Ministério da Saúde de Israel publicou um comunicado afirmando que também investiga a ligação entre o uso da vacina da Pfizer e a ocorrência de miocardite em homens mais jovens.

Segundo a autoridade israelense, 148 casos de miocardite próximos da data de vacinação foram registrados entre dezembro de 2020 e maio de 2021. O comunicado diz que a inflamação acontece com maior frequência em jovens com idades entre 16 e 19 anos, e 95% dos casos são considerados leves.

“Existe alguma probabilidade de uma possível ligação entre a segunda dose da vacina e o surgimento da miocardite em homens com idades entre 16 e 30 anos”, afirma o Ministério da Saúde israelense no texto.

“A recomendação para vacinar adolescentes de 12 a 15 anos deve ser discutida pelo fórum da Força-Tarefa de Contenção da Pandemia e submetido à aprovação do diretor-geral do Ministério da Saúde”, diz o comunicado.

Segundo Jasvan Leite, cardiologista do hospital HCor, uma vez comprovada a ligação entre os imunizantes e a inflamação no coração, o efeito não seria exclusivo das novas vacinas.

O médico diz que em 80% a 90% dos casos de miocardite, alguma infecção viral atingiu o trato respiratório ou o trato gastrointestinal alguns dias antes. O que acontece nesses casos é que a resposta imunológica para combater o vírus pode ser exagerada e as substâncias inflamatórias liberadas pelo organismo chegam a outras partes do corpo e podem prejudicá-las.

“As vacina também pode gerar resposta inflamatória, pois traz a presença de um corpo estranho”, afirma Leite. “É por isso que muitas pessoas têm febre ou dores no corpo após a imunização, e isso é normal.”

Todas as vacinas carregam, de alguma forma, um antígeno —um pedaço do vírus, ou o vírus inteiro inativado, incapaz de gerar doença— que serve para acionar o sistema imunológico e produzir moléculas específicas para combater o patógeno e gerar proteção contra a infecção.

Quando a miocardite é um efeito adverso da vacina, os casos são predominantemente leves e se manifestam com uma dor no tórax, diz o médico. Leite estima que menos de 1% de todos esses casos evoluam para quadros mais graves, gerando arritimias ou insuficiência cardíaca.

Ainda não é possível dizer porque esse tipo de miocardite após a vacinação é mais comum em homens, mas sabe-se que a resposta imunológica é mais intensa em jovens do que em pessoas mais velhas, o que pode aumentar as chances de haver resposta inflamatória associada à resposta imunológica.

O Ministério da Saúde disse não havia nenhuma suspeita de miocardite relacionada à aplicação da vacina da Pfizer no Brasil até a última quarta-feira (9).

“É importante esclarecer que os eventos adversos são associados a qualquer reação após a vacinação, ou seja, não há, necessariamente, relação direta com a vacina. Todos são investigados detalhadamente pelas autoridades de vigilância locais, supervisionadas pelo Ministério da Saúde, com apoio de especialistas”, afirmou a pasta por email.

Para Leite, do HCor, os casos raros não devem trazer desconfiança sobre o uso dessas vacinas. “As vacinas são seguras, e os efeitos colaterais podem acontecer como em qualquer outro imunizante”, diz.

Folha de São Paulo

Opinião dos leitores

  1. @Antonio Veras Comentário equilibrado, correto sem paixão política! Concordo plenamente com seu comentário! Vacina é assunto sério e não é só esticar o braço e esperar a furada! Não! Numa dessa você embarca antes do tempo! Entendo a precaução da Anvisa em dar sinal pra compra de Vacina!!

  2. Vcs que gostam de funcionar como papagaios simplismente repetindo ou comentando sobre o que não sabem e escrevendo da mesma forma, leiam e sintam o que está acontecendo no Chile hoje, noticiado pela G1, situação complicada com o uso da Coronavac.

  3. Sem avaliação da eficiencia, eficácia e possibilidade de reações e efeitos colaterais sérios, um bando de asnos acham que a vacina é a solução, ledo engano, infelizmente corremos sérios riscos com a aplicação delas (me vacinei) mais os cuidados da ANVISA, são justificados, diferente do quer fazer parecer um bando de ladrões safados, que vivem da miséria dos babacas. O que deveria ser uma discussão seria, virou política barata, inconsequente e perigosa.

  4. Num disse, foi dizer q enviou documentos a Bolsonaro que caso não cumprisse prazo de entrega de vacina, seria passível de multa. Já começou, até amanhã vai aparecer mais. Rsrsrs

    1. Vc deve estar se achando o máximo por esse comentário idiota, faça como eu, tomei a vacina, mais procuro saber dos riscos do meu ato e com certeza vou assumir se algo ser errado. A vacina não é a bala de prata em canto nenhum do mundo.

    2. Quem tá divulgando é o jornal mais inimigo do Bolsonaro. Mas a esquerda prega que Bolsonaro fizesse igualmente ao consórcio do Nordeste. Comprasse no escuro.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacina da Novavax tem mais de 90% de eficácia geral contra a Covid-19 em testes nos EUA

Foto: Dado Ruvic / REUTERS

A Novavax divulgou, nesta segunda-feira, dados de estágio final de seu ensaio clínico com base nos Estados Unidos, mostrando que sua vacina tem mais de 90% de eficácia geral contra a Covid-19, considerando diversas variantes do coronavírus.

O imunizante “demonstrou uma proteção de 100% contra doenças moderadas e graves, e uma eficácia de 90,4% em geral”, disse a empresa, em um comunicado.

O estudo teve participação de quase 30 mil voluntários nos EUA e no México e coloca a Novavax no caminho certo para solicitar autorização de uso emergencial nos EUA e em outros locais no terceiro trimestre de 2021, disse a empresa.

A vacina candidata contra a Covid-19, baseada em proteína, foi mais de 93% eficaz contra as variantes predominantes que têm sido motivo de preocupação entre cientistas e funcionários de saúde pública, informou a Novavax.

Vacinas à base de proteínas são uma abordagem convencional que utiliza pedaços purificados do vírus para estimular uma resposta imunológica. Os imunizantes contra coqueluche e herpes zóster usam essa abordagem.

Durante o estudo, a variante B.1.1.7, descoberta pela primeira vez no Reino Unido, se tornou a mais comum nos EUA, disse a empresa. A Novavax também detectou variantes do coronavírus encontradas pela primeira vez no Brasil, África do Sul e Índia entre os participantes do estudo, disse o chefe de pesquisa e desenvolvimento da Novavax, Gregory Glenn.

A vacina foi 91% eficaz entre os voluntários com alto risco de infecção grave e foi aproximadamente 70% eficaz contra variantes do coronavírus que a Novavax não conseguiu identificar, disse Glenn.

— Em termos práticos, é muito importante que a vacina possa proteger contra um vírus que está circulando descontroladamente (em termos de novas variantes) — afirmou Glenn.

Segundo a Novavax, a vacina foi bem tolerada, em geral, entre os participantes. Os efeitos colaterais incluíram dor de cabeça, fadiga e dores musculares e foram geralmente leves. Um pequeno número de participantes experimentou efeitos colaterais descritos como graves.

Em março, a empresa divulgou dados de um estudo conduzido no Reino Unido, no qual a vacina apresentou eficácia de 96% na prevenção de casos provocados pela versão original do coronavírus. Já contra a variante britânica, a vacina foi 86% eficaz. Com base em dados de infecções de ambas as versões do coronavírus, a taxa de eficácia geral combinada foi de 90%.

Em um ensaio menor, conduzido na África do Sul, onde os voluntários foram expostos principalmente à variante encontrada no país, a vacina da Novavax foi 55% eficaz, com base em pessoas sem HIV, mas ainda evitou totalmente doenças graves. A eficácia diminuiu para cerca de 49% quando a análise incluiu dados de participantes soropositivos.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. Tome não…fique só na Cloroquina e ozônio…só tome quando seu ídolo (o mentiroso da casa de vidro) tomar…

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

“Ameaça radiológica iminente”: EUA avaliam vazamento em instalação de energia nuclear chinesa

Foto: CNN

O governo dos Estados Unidos passou a última semana avaliando um relatório de um vazamento em uma usina nuclear chinesa, depois que uma empresa francesa que a possui e ajuda a operá-la alertou sobre uma “ameaça radiológica iminente”, de acordo com funcionários e documentos americanos revisado pela CNN.

O aviso incluía uma acusação de que a autoridade de segurança chinesa estava aumentando os limites aceitáveis ??para detecção de radiação fora da Usina Nuclear de Taishan, na província de Guangdong, a fim de evitar ter que desligá-la, de acordo com uma carta da empresa francesa enviada ao Departamento de Energia dos EUA, obtida pela CNN.

Apesar da notificação da Framatome, a empresa francesa, a administração Biden acredita que a instalação ainda não está em um “nível de crise”, disse uma das fontes.

Embora as autoridades americanas tenham considerado que a situação não representa atualmente uma grave ameaça à segurança dos trabalhadores da fábrica ou do público chinês, é incomum que uma empresa estrangeira busque ajuda unilateralmente ao governo americano quando seu parceiro estatal chinês ainda está para reconhecer que existe um problema.

O cenário pode colocar os EUA em uma situação complicada caso o vazamento continue ou se torne mais grave sem ser corrigido.

No entanto, a preocupação foi significativa o suficiente para que o Conselho de Segurança Nacional realizasse várias reuniões na semana passada enquanto monitorava a situação, incluindo duas com deputados e outra reunião com secretário adjunto na sexta-feira, que foi liderada pela Diretora Sênior do NSC para a China, Laura Rosenberger, e pelo Diretor Sênior de Controle de Armas, Mallory Stewart.

O governo Biden discutiu a situação com o governo francês e seus próprios especialistas do Departamento de Energia, disseram as fontes. Os EUA também estiveram em contato com o governo chinês, disseram autoridades americanas, embora a extensão desse contato não seja clara.

O governo dos EUA se recusou a explicar a avaliação, mas funcionários do NSC, do Departamento de Estado e do Departamento de Energia insistiram que, se houvesse algum risco para o público chinês, os EUA seriam obrigados a torná-lo conhecido de acordo com os tratados atuais relacionados a acidentes nucleares.

A Framatome havia entrado em contato com os Estados Unidos para obter uma dispensa que permitiria a eles compartilhar a assistência técnica americana para resolver o problema na fábrica chinesa. Existem apenas duas razões pelas quais essa renúncia seria concedida, e uma é uma “ameaça radiológica iminente”, o mesmo palavreado usado no memorando de 8 de junho.

O memorando afirma que o limite chinês foi aumentado para exceder os padrões franceses, mas ainda não está claro como isso se compara aos limites dos EUA.

“Não é surpresa que os franceses estenderiam a mão”, disse Cheryl Rofer, cientista nuclear que se aposentou do Laboratório Nacional de Los Alamos em 2001. “Em geral, esse tipo de coisa não é extraordinário, especialmente se eles pensam que o país está entrando em contato tem alguma habilidade especial para ajudar.”

“Mas a China gosta de projetar que está tudo bem, o tempo todo”, acrescentou ela.

Os EUA poderiam dar permissão à Framatome para fornecer assistência técnica ou suporte para ajudar a resolver o problema, mas é decisão do governo chinês se o incidente exige o desligamento total da fábrica, indicam documentos obtidos pela CNN.

No final das contas, o pedido de assistência da Framatome em 8 de junho é a única razão pela qual os EUA se envolveram na situação, disseram várias fontes à CNN.

A CNN entrou em contato com as autoridades chinesas em Pequim e na província de Guangdong, onde a usina está localizada, a embaixada chinesa em Washington, DC, bem como o grupo de energia estatal que opera a usina junto com a empresa francesa. Nenhum respondeu diretamente, embora a China esteja em meio a um feriado nacional de três dias que vai até o final desta segunda-feira.

No entanto, a Usina Nuclear de Taishan publicou um comunicado em seu site na noite deste domingo, horário local, afirmando que as leituras ambientais da usina e da área ao redor eram “normais”.

Os dois reatores nucleares em Taishan estão operacionais, disse o comunicado, acrescentando que a Unidade 2 havia recentemente completado uma “revisão” e “conectada com sucesso à rede em 10 de junho de 2021.” O comunicado não definiu por que ou como a planta foi reformada.

“Desde que foi colocada em operação comercial, a Usina Nuclear de Taishan controlou estritamente a operação das unidades de acordo com os documentos de licença de operação e procedimentos técnicos. Todos os indicadores operacionais das duas unidades atenderam aos requisitos dos regulamentos de segurança nuclear e da usina especificações técnicas “, observou o comunicado.

Em uma declaração separada nesta sexta-feira, horas após a CNN ter feito o primeiro contato para comentar, a Framatome reconheceu que a empresa “está apoiando a resolução de um problema de desempenho com a Usina Nuclear de Taishan na província de Guangdong, China”.

“De acordo com os dados disponíveis, a planta está operando dentro dos parâmetros de segurança. Nossa equipe está trabalhando com especialistas relevantes para avaliar a situação e propor soluções para resolver qualquer problema potencial”, acrescentou o comunicado.

A Framatome não abordaria diretamente o conteúdo da carta ao Departamento de Energia quando solicitado pela CNN.

A carta foi enviada em um momento em que as tensões entre Pequim e Washington continuam altas e os líderes do G7 se reuniram neste fim de semana no Reino Unido, tendo a China como importante tópico de discussão. Não há indícios de que os relatos de vazamentos tenham sido discutidos em alto nível na cúpula.

CNN

 

Opinião dos leitores

    1. Comentário declaradamente de PTista-Socialista-Comunista e ignorante! Esquece vc que um país que contamina o mundo todo o que pode fazer contra a humanidade com uma Usina Nuclear gerando acima dos limites de segurança?! Põe juízo nessa cabeça!

  1. A china tem que se adequar ao mundo atual, é inadmissível um país desse ser do assim fora da realidade e trazendo coisas ruins para o mundo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

MAIS DÓLARES ENTRANDO EM SOLO POTIGUAR: Itaueira e Samaria Camarões exportarão para os EUA; entenda

A cearense Itaueira Agropecuária, que produz camarão no Rio Grande do Norte, tornou-se parceira de empresas potiguares da carcinicultura que estão prestes a iniciar exportação para o mercado dos Estados Unidos. Outros grupos, já organizados, estão fazendo a mesma coisa.

O grupo do qual faz parte a Itaueira pretende exportar 250 toneladas por mês de camarão fresco processado, congelado e embalado.

O empresário Tom Prado, CEO da empresa cearense, cuja fazenda de criação de camarão localiza-se no município de Ipanguaçu, no Oeste do Rio Grande do Norte, disse à coluna que o esforço exportador de hoje significa um movimento de retorno ao mercado externo, “que deverá ser consolidado ao longo dos próximos meses”.

O grupo de empresas carcinicultoras do qual faz parte a Itaueira iniciará a exportação usando até 20% da produção de cada uma, “como uma providência para observar o comportamento e a tendência do mercado importador”, explicou Prado.

Mais adiante, as vendas deverão crescer e ter como destino não apenas os Estados Unidos, mas também países da Ásia — a China e o Vietnã no meio — para o que o Ministério da Agricultura e o de Relações Exteriores estão prestando permanente assessoria.

Os dois ministérios estão, também, mobilizados junto à cúpula da União Europeia, cujos governos ainda mantêm uma política de taxação sobre produtos da agropecuária brasileira e latino-americana, incluindo o camarão e as frutas.

Tom Prado revelou que o grupo a que está integrado a Itaueira – constituído de oito empresas, todas associadas à Camarão BR, entidade que reúne os maiores criadores do País, presidida pelo cearense Cristiano Maia – está prestes a iniciar os embarques de camarão, tendo como destino um dos maiores mercados consumidores do mundo – o dos Estados Unidos.

O camarão a ser exportado está sendo embalado com a marca “Brazilian Shrimp” – versão inglesa para Camarão BR.

Tom Prado mantém os pés no chão, mas está otimista em relação ao futuro próximo das exportações brasileiras de camarão.

Por sua vez, o empresário Cristiano Maia, cujo grupo de empresas controla também a Samaria Camarões, confirmou à coluna nesta quarta-feira, 9, que está finalizando negociações com uma grande empresa norte-americana importadora de camarão, estimando que, no segundo semestre, comecará a embarcar seu camarão para os EUA, com o que retomará suas vendas externas.

Quando ao mercado europeu, Cristiano Maia disse que os entendimentos com a União Europeia prosseguem, agora com o apoio do Itamaraty e do Ministério da Agricultura.

Diário do Nordeste

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

EUA flexibilizam recomendações de viagens a 61 países

Foto: © Reuters/Carlos Barria/Direitos Reservados

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos (EUA) flexibilizou as recomendações de viagens para 61 países, incluindo o Japão, saindo do nível 4 (não ir), o mais alto – que desencorajava todas as viagens -, passando agora a recomendar viagens a indivíduos totalmente vacinados, confirmou a agência nessa terça-feira (8).

As novas classificações rebaixam 61 países para o nível 3 (evitar ir, se possível), incluindo França, África do Sul, Canadá, México, Rússia, Espanha e Itália. Segundo o Departamento de Estado norte-americano, a recomendação de viagem está em processo de revisão para refletir as mudanças do CDC. A agência informou que a alteração ocorre após a revisão de seus critérios para avisos de saúde em viagens. O CDC ainda disse que também revisou sua classificação para os Estados Unidos do nível 4 para o nível 3.

Em 24 de maio, o Departamento de Estado foi contrário a viagens ao Japão, citando uma nova onda de casos de covid-19 antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio começarem, em 23 de julho.

Outros países que estão sendo rebaixados para o nível 3 incluem Honduras, Indonésia, Jordânia, Líbia, Panamá, Polônia, Dinamarca e Malásia.

Muitos dos países que agora têm classificações mais baixas permanecem na lista do governo dos EUA, sujeitos a severas restrições de viagens – e a maioria está sujeita a essas restrições desde o início de 2020.

Os Estados Unidos proíbem a entrada de quase todos os cidadãos não norte-americanos que estiveram na China, no Reino Unido, na Irlanda, Índia, África do Sul, no Brasil, Irã e os 26 países de Schengen (convenção entre países sobre política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas) na Europa sem controles de fronteira nos 14 dias anteriores.

Agência Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. A secretaria estadual de turismo obrigatoriamente devia investir em propaganda de atração turística na cidade de Nova York,EUA a capital financeira do mundo e multicultural ou multiétnico dos EUA com essa iniciativa o estado do RN se tornaria conhecido em todas as grandes,medias e pequenas cidades dos EUA porque a cidade de Nova York é um centro dinámico daquele país,pelo qual todos os americanos possuem algum contato direto ou indireto com a cidade de Nova Yorqui onde estão instalados os maiores conglomerados de telecomunicações do país e também a capital financeira e a sede de grandes corporações industriais e económicas dos EUA e do mundo.

    1. Esse chamado consorcio nordeste que reúnem os 9 estados do nordeste brasileiro,Bem que poderiam fazerem um consorcio entre os seus 9 governos e fazerem parcerias com o consulado e embaixada dos EUA e empresas de viagens e turismo estadunidenses da América visando conseguirem vôos diretos para as nossas capitais estaduais,creio que o RN sozinho seja incapaz de conseguir esse feito,más,os 9 Estados UnidoS podem conseguir o objetivo de atrair turistas americanos para o nordeste.
      Ao inves de ficaram tecendo críticas contra o poder central,precisam agirem e planejarem o desenvolvimiento e progresso económico e social da região,pelo qual todos os 9 estados da região são todos dependentes do governo federal diretamente e indiretamente,com poucas industrias relevantes e que geram poucos empregos e pouco desenvolvimiento,com economia baseadas no serviço público nos três nives da esfera pública nacional e nas aposentadorias e pensiones do INSS que fazem movimentar todo o setor de comercio e de servicios,a única alternativa e que geram muitos empregos e renda para o povo é mesmo o turismo,uma industria sem chaminé,os 9 estados consorciados poderiam consolidarem a entrada de cidadãos americanos no nosso país que movimentaria todo o setor de comercio e servicios locais,americanos do Norte com alto poder aquisitivo do dólar americano.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Relatório dos EUA conclui que coronavírus pode ter vazado de laboratório em Wuhan

Foto: Pixabay

Um relatório sobre as origens da Covid-19 realizado por um laboratório nacional do governo dos Estados Unidos concluiu que a hipótese de que o vírus vazou de um laboratório chinês em Wuhan é plausível e merece uma investigação mais aprofundada, de acordo com pessoas familiarizadas com o documento confidencial.

O estudo foi preparado em maio de 2020 pelo Laboratório Nacional Lawrence Livermore, na Califórnia, e foi usado pelo Departamento de Estado americano quando conduziu uma investigação sobre as origens da pandemia nos meses finais do governo do ex-presidente Donald Trump. Uma porta-voz do Lawrence Livermore se recusou a comentar o relatório, que permanece em sigilo.

Uma pessoa que leu o documento, datado de 27 de maio de 2020, disse que ele era um forte argumento para uma investigação mais aprofundada sobre a possibilidade de o vírus ter vazado de laboratório. O estudo também teve grande influência na investigação do Departamento de Estado sobre as origens da Covid-19. Funcionários receberam a pesquisa no final de outubro de 2020 e pediram mais informações, de acordo com um cronograma do escritório de controle e verificação de armas da agência, que foi revisado pelo The Wall Street Journal.

Não está claro o quanto as descobertas do relatório fizeram avançar a compreensão sobre a origem do novo coronavírus. O relatório também conclui que o vírus pode ter se desenvolvido naturalmente.

O documento esteve disponível para alguns legisladores desde o ano passado, fontes do Congresso americano disseram à CNN. O relatório agora ganhou peso político porque a hipótese do surgimento do vírus por um acidente de laboratório tem sido mais abertamente discutida, depois de ter sido descartada como uma teoria da conspiração.

Legisladores americanos consideram que o relatório sigiloso é relevante por ter dado algum apoio a essa teoria no momento em que a comunidade de inteligência dos EUA afirmava, pelo menos publicamente, que não acreditava que o vírus teria sido “criado por humanos”.

Gazeta do Povo com Estadão

Opinião dos leitores

  1. É muita hipocrisia e canalhice ! Bolsonaro e Trump estavam certos desde de lá do início! Cadê que agora a”grande” mídia vai cair em cima da China ?? Vai nada ! !! Vao ficar tudo bem caladinhas esperando outra verdade ser dita pelo presidente (que ainda n tenha sido comprovada tecnicamente, cientificamente, paradoxalmente) p ficar batendo. Bolsonaro é igual a massa de pão , quanto mais bate mais cresce

  2. Que isso, esse vírus não veio da China, quem falar isso deve se desculpar de imediato, pois pode prejudicar o país com sanções severas, essa cidade de Wuhan fica num povoado do interior do Pará, né isso?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Comunidade de inteligência dos EUA analisa teorias sobre origem da Covid-19, entre elas, que o vírus teria ‘escapado’ de laboratório na China

Foto: Thomas Peter/Reuters 

O Escritório da Diretora de Inteligência Nacional (ODNI) dos Estados Unidos emitiu uma declaração pública incomum na quinta-feira (27) sobre o status de sua coleta de informações sobre as origens da pandemia de Covid-19, divulgando divisões dentro da comunidade de inteligência sobre se o vírus escapou de um laboratório na China ou ocorreu naturalmente.

A declaração segue uma ordem do presidente norte-americano, Joe Biden, na quarta-feira para a comunidade de inteligência redobrar seus esforços para descobrir a causa da pandemia nos próximos 90 dias.

A porta-voz da ODNI, Amanda Schoch, reiterou o anúncio de Biden de que a comunidade de inteligência ainda está trabalhando para determinar como o vírus se originou “mas se aglutinou em torno de dois cenários prováveis: ou surgiu naturalmente do contato humano com animais infectados, ou foi um acidente de laboratório”.

Schoch repetiu o que Biden disse na quarta-feira, que há uma diferença de opinião entre várias agências de inteligência e seus graus de confiança nas teorias.

“Enquanto dois elementos da Comunidade de Inteligência tendem para o primeiro cenário e um se inclina mais para o último – cada um com confiança baixa ou moderada. A maioria dos elementos dentro da comunidade não acredita que haja informações suficientes para avaliar uma como mais provável do que o outra”, disse Schoch.

A comunidade de inteligência sob a administração Biden tem sido notavelmente mais transparente sobre seu entendimento sobre certas questões-chave e está disposta a divulgar publicamente as diferenças de opinião entre as 18 agências de inteligência mais do que nos governos anteriores.

No início do ano, foram divulgados diferentes níveis de confiança entre as agências de inteligência sobre a existência de recompensas oferecidas pela Rússia ao Taleban para matar soldados americanos no Afeganistão.

A declaração de quinta-feira também é notável porque mostra que a comunidade de inteligência fez pouco progresso na determinação das origens do vírus desde sua primeira declaração sobre o assunto em abril do ano passado.

Em uma audiência no Congresso no mês passado, a Diretora Nacional de Inteligência, Avril Haines disse ao Comitê de Inteligência do Senado que as agências de inteligência dos EUA ainda não sabem “exatamente onde, quando ou como o vírus da Covid-19 foi transmitido inicialmente” na China.

Mas há uma nova pressão sobre o governo para resolver o problema depois que o Wall Street Journal e a CNN relataram novas informações que ressaltaram a plausibilidade da teoria do laboratório, bem como novos comentários de Anthony Fauci – o principal conselheiro médico de Biden – que reconheceu que ele e outros cientistas podem ter sido muito definitivos em declarações públicas anteriores descartando essa possibilidade.

Um relatório de inteligência dos EUA descobriu que vários pesquisadores do Instituto de Virologia de Wuhan, na China, foram hospitalizados em novembro de 2019 com sintomas consistentes com Covid-19 e outras doenças sazonais – um novo detalhe sobre a gravidade e o momento em que seus sintomas.

A China relatou à Organização Mundial da Saúde (OMS) que o primeiro paciente com sintomas semelhantes aos de Covid foi registrado em Wuhan em 8 de dezembro de 2019.

O diretor do Laboratório Nacional de Biossegurança de Wuhan, que faz parte do Instituto de Virologia de Wuhan, negou veementemente o relatório, chamando-o de uma “mentira completa” para o tabloide estatal chinês Global Times.

Os legisladores no Capitólio também pressionaram Biden a se aprofundar na origem da Covid-19, já que o governo chinês afirma que o vírus se originou e se espalhou naturalmente.

A senadora democrata Patty Murray, de Washington, presidente do Comitê de Saúde, Educação, Trabalho e Pensões do Senado, pediu na quarta-feira “respostas claras” da comunidade de inteligência sobre as origens do coronavírus e disse que seu painel exploraria quaisquer opções adicionais que pudesse.

Também na quarta-feira, a legislação apoiada pelos senadores republicanos Josh Hawley, do Missouri, e Mike Braun, de Indiana, foi aprovada por consentimento unânime exigindo que o governo Biden, especificamente Haines, tire o sigilo de qualquer material relacionado às ligações entre o Instituto de Virologia de Wuhan e as origens da pandemia de Covid 19.

Enquanto isso, os EUA e seus aliados continuam a pressionar a China “para participar de uma investigação internacional completa, transparente e baseada em evidências e a fornecer acesso a todos os dados e evidências relevantes”. O governo chinês também resiste a se envolver na segunda fase de investigação da OMS.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

    1. Para o vagabundo-mor, todo dia é sexta-feira. #DireitaVagal

  1. Tem que ser feito por um laboratório de ciências científicas da china comunista, comunismo só trás merda,covid criado por cientistas comunistas para acabar com o mundo,ainda ficam conversando merda, safados, comunismo só faz merda

    1. Apoiado Max Dantas, essa corja de pilantras que adora viver das migalhas do estado, estão ficando sem discurso. Tudo leva a crer que essa teoria é verdadeira, brincar com isso não tem graça, taí o preço, inclusive, esses eternos defensores do comunismo deviam ir viver lá, país simpático, lindo, livre, precisando de trabalhadores, justo, eles, defensores dos regimes totalitários deviam saber que a coisa lá pega, destrói, manda para campos de concentração, humilha e envergonha a família.

    2. A China é mais capitalista e desenvolvida que o Brasil. Vão estudar.
      Comunismo acabou só existe na loucura de vcs!

    1. A canalhice de vcs chega a ser até engraçada. Kkkkkkkkk

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *