Coronavírus: veja dicas do que fazer com as crianças no período de quarentena

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Em praticamente todo o país as aulas foram suspensas. No estado de São Paulo, o governador João Doria (PSDB), orientou na última sexta-feira (13) que as escolas públicas e privadas suspendam as aulas gradualmente até o dia 23 por causa do coronavírus. O que fazer com as crianças caso os colégios não ofereçam atividades pela internet? Como manter o ritmo de aprendizado das crianças? O R7 reuniu algumas dicas para os pais que querem adaptar os estudos a essa nova situação.

Não é um período de férias e é importante deixar isso claro. Em primeiro lugar, os pais devem organizar uma rotina com seus filhos para manter uma regularidade e equilíbrio no aprendizado. Ao fazer isso, é importante adaptar brincadeiras e atividades no dia a dia das crianças para que tragam uma carga educativa e lúdica ao mesmo tempo. Resgatar brincadeiras de infância como pular corda ou amarelinha, pode ser interessante como atividade física. Trabalhos manuais desenvolvem a coordenação motora. No Instagram contadores de histórias fazem lives. Ainda tem a opção de jogos educativos e os canais do Youtube.

Crianças de 6 meses até 3 anos de idade precisam trabalhar as áreas do cérebro voltadas à atenção, a memória operacional — que está relacionada ao raciocínio e aprendizado — e a linguagem. Brincadeiras simples, como “esconde/achou” ou jogos de imitação, que envolvam repetições de gestos ou ações, já funcionam como bons desafios para exercitar a mente dos pequenos.

Leitura, uma atividade para todas as idades. Vale resgatar os clássicos ou mesmo arriscar um novo título. Um momento para a família relembrar histórias que marcaram a infância. Fazer uma cabaninha com lençol e ler um livro com uma lanterna é divertido. A Fundação Biblioteca Nacional oferece um acervo digital rico com obras da literatura infanto-juvenil de graça.

Os pais podem contar com uma ajuda das redes sociais. No Instagram é possível acompanhar lives de contação de histórias para todas as idades. Na página da Fafa Conta, às 10h30 (segunda, quarta e sexta) e 16h30 (terça e quinta) tem leitura de livros. Mãe que Lê todos os dias às 11h. Carol Levy oferece vídeos explicativos para as crianças.

Vale a pena investir em brincadeiras que estimulem a criatividade e a coordenação motora dos pequenos. Massinha é uma boa pedida. Os pais podem fazer a massinha em casa usando farinha de trigo e se o processo for realizado em parceria com os filhos torna a brincadeira ainda mais divertida. Jogos de montar e encaixar peças exigem também atenção e foco. Bolinha de sabão é distração garantida.

A fase de transição entre a pré-escola e o ensino fundamental exige outro tipo de preparação e cuidado. Essa é a etapa em que as crianças começam a brincar em grupo. Os pais devem estimular a criação de histórias e promover brincadeiras que exijam coordenação, movimento e atenção, podendo usar músicas como pretexto.

Brincadeiras antigas ajudam a gastar energia e não exigem muito espaço. Um corredor de casa pode se transformar em amarelinha. Pular elástico ou corda e brincar com o bambolê também desenvolvem a coordenação. Lembra do Vivo ou Morto? Levantar e abaixar de acordo com o comando. Tem quintal? Uma varanda? Bola na parede.

Para as crianças que estão cursando no ensino fundamental I é interessante manter o foco nas matérias já apresentadas. Atividades que envolvam a escrita ou o ato de soletrar, como jogar Stop, podem e devem ser adaptadas e reinventadas para ajudar os pais na tarefa de educar. Encontrar as palavras na forca também vale. O blog Papo da Professora Denise, organizado pela pedagoga, ensina brincadeiras convencionais reestruturadas para serem reproduzidas em casa como o “Triminó da adição” (foto) é um exemplo de como um jogo conhecido como o dominó pode ser adaptado para brincar de adição.

Lembra dos jogos de tabuleiro? Vale fazer uma busca no armário. Além de entreter, os jogos desenvolvem aspectos sociais, cognitivos e desenvolvem o lado afetivo de saber ganhar ou perder. O velho bingo pode ser adaptado para contas matemáticas ou português.

Um bom filme em família é um jeito suave de aprender. Vale resgatar animações como o Wall-E que discute ecologia como O Pequeno Nicolau, quando o menino descobre que vai ganhar um irmão e com receio de perder a atenção dos pais se envolve em muitas aventuras. Para os mais velhos, a dica é assistir Um Sonho Possível, que discute a questão racial.

Durante a pré-adolescência os interesses e as necessidades mudam. Por isso, o YouTube pode ser útil para entreter e educar. O canal Manual do Mundo é o maior canal de ciência e tecnologia em Língua Portuguesa, segundo o Guinness Book e ultrapassa 2 bilhões de visualizações. Através do foco no aprendizado através de experiências, viagens e mais, o canal mantém um conteúdo informativo e relevante para toda a família.

O canal Se Liga Nessa História também é uma ótima opção para aqueles que buscam aprender de uma forma mais descontraída. Seu público alvo é adolescentes, principalmente aqueles que estão se preparando para o vestibular. Conduzido pelo professor Walter Solla, assuntos de ciências humanas, linguagens e redação são tratados de maneira rápida fácil e bem-humorada.

O SpaceTodayTV é um canal voltado para a divulgação da astronomia em português. Temas das áreas de astronomia, astrofísica, astronáutica e áreas afins são debatidos com base nas últimas pesquisas científicas*Estagiário sob supervisão de Karla Dunder.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo lúcido disse:

    É pra doido irresponsável , incompetentemente , imbecil , idiota e muitos is a mais . Tem dica ?

UFRN inicia período de trancamento de matrícula

 Foto: Igor Jácome/G1

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) iniciou, no último dia 24, o período para solicitação de trancamento de matrícula em turmas para o período letivo 2020.1, que segue até 27 de março. O procedimento, realizado por meio do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), significa a desvinculação voluntária do estudante no componente curricular.

De acordo com o regulamento dos cursos de graduação da UFRN, o trancamento é voltado às atividades coletivas que preveem aulas e só pode ser efetuado uma única vez no mesmo componente curricular, em períodos letivos consecutivos ou não. A efetivação do trancamento acontece apenas sete dias após a solicitação, período durante o qual poderá haver desistência por parte do aluno.

Com informações da UFRN

UTILIDADE PÚBLICA: Corpo de Bombeiros alerta para cuidados em período de chuvas fortes no RN

FOTO: ASSECOM/RN

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio Grande do Norte (CBMRN) recebe várias ocorrências nesse período chuvoso. Entre as solicitações feitas pela população, destaque para as quedas de árvores, alagamentos e desabamentos de tetos de residências.

Dessa forma, a corporação alerta para a necessidade de ter atenção redobrada a fim de evitar maiores problemas e acidentes.

Confira algumas dicas de segurança:

– Não deixe crianças brincarem na chuva ou em áreas alagadas, pois há riscos de acidentes e de contraírem doenças, como hepatite e leptospirose;

– Não utilize equipamentos elétricos em áreas inundadas ou que tenham sido molhadas, pois há risco de choque elétrico;

– Evite utilizar telefone com fio e celular ligado a tomada no período de chuvas;

– Caso sua casa esteja sujeita a alagamentos, coloque os móveis e outros pertences em lugar protegido;

– Para os moradores das regiões de risco – morros e encostas – os bombeiros recomendam que as pessoas procurem locais seguros para se abrigar;

–  Caso seja inevitável sair para a rua, é importante estar atento a algumas dicas, como circular de carro com os faróis acesos e evitar passar por lugares alagados;

– Se estiver em lugar seguro, não se aventure em correntezas e inundações;

– Só ande pela área alagada se for para sair de uma situação de perigo. Cuidado para não cair em valas e nem em bueiros abertos;

– Durante a incidência de raios evite deslocamentos a pé, não ande próximo a árvores, postes ou cercas;

– Durante um temporal é comum a queda de árvores, por isso não estacione seu veículo nem permaneça embaixo delas;

– Não jogue lixo nas ruas, córregos, margens de rios, pois podem causar alagamentos;

– Nunca abandone móveis ou eletrodomésticos nas ruas ou em terrenos baldios;

– Em caso emergência, o número do Corpo de Bombeiros é o 193.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Devenos fazer o bem disse:

    Durante a incidência de raios evite deslocamentos a pé, não ande próximo a árvores, postes ou cercas e TAMBÉM BANHOS EM RIOS, LAGOAS E MAR.

UFRN inicia período de colação de grau coletiva; veja programação

Foto: Cícero Oliveira

As cerimônias coletivas de colação de grau dos concluintes dos cursos de graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) têm início no dia 7 de fevereiro e seguem até 11 de março. As sessões solenes são públicas e serão realizadas, a partir das 19h, no Imirá Plaza Hotel, que está localizado na Via Costeira.

No dia 7 de fevereiro, está agendada a colação da Escola de Saúde (ESUFRN); dia 10 de fevereiro ocorre a do Centro de Educação (CE); nos dias 11 e 12 de fevereiro, será a vez do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA); nos dias 13 e 17 de fevereiro, os concluintes da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT) se formam; em 14 de fevereiro, acontece a sessão do Centro de Ciências Exatas e da Terra (CCET); já nos dias 18, 19 e 20 de fevereiro, estão programadas as colações do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (CCHLA); para finalizar a programação, nos dias 9, 13 e 11 de março serão realizadas as cerimônias do Centro de Tecnologia (CT).

A colação de grau coletiva é um ato protocolar para conclusão dos cursos, que seguem o regulamento com as normas da universidade, embora com uma dinâmica diferenciada, visto que não há uma mesa de honra e os alunos entram em cortejo com os outros colegas da turma e seu respectivo padrinho ou madrinha, por exemplo. De acordo com o Cerimonial do Gabinete do Reitor, o modelo visa o uso racional dos recursos públicos, a padronização das cerimônias e a garantia de uma solenidade mais democrática.

Confira a programação dos Centros Acadêmicos:

Com informações da UFRN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gerson disse:

    a cerimônia de colação de grau, obrigatória, é uma aberração jurídica, porque desprovida de amparo legal….a LDB não autoriza essa cerimônia, logo, sua obrigatoriedade é ilegal…além de ilegal esta cerimônia viola o princípio da dignidade humana, na medida em que ela deriva de uma cerimônia religiosa, utilizada pela igreja católica medieval nas concessões de privilégios aos clérigos católicos, cujo rito se perpetuou nas universidades de fundação católica, passou pelo regime do Padroado (promiscuidade entre Estado e Igreja Católica) e chegou até os nossos dias, a despeito da República, da Constituição Federal e do Estado Democrático de Direito, que garante os direitos fundamentais, entre eles, os princípios da legalidade, da dignidade humana, da laicidade do Estado e da liberdade de profissão, todos violados por essa cerimônia.

Período de novas matrículas na rede municipal de Parnamirim segue até 24 de janeiro

O período de matrículas dos novos alunos da rede municipal de Parnamirim para o ano de 2020 segue até o dia 24 de janeiro. De acordo com o calendário da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec), inicialmente, do dia 11 de novembro a 13 de dezembro foram abertas as matrículas para os alunos portadores de necessidades especiais e as renovações, de alunos já matriculados na rede, ocorrem no período de 27 de dezembro a 10 de janeiro de 2020.

Dos dias 13 a 15 de janeiro estarão abertas as matrículas para os alunos da pré-escola (4 e 5 anos), posteriormente, nos dias 16 e 17 de janeiro, estarão abertas as vagas para os alunos das creches (2 e 3 anos). No período de 20 a 22 de janeiro, estarão disponíveis as matrículas para os alunos do Ensino Fundamental (anos iniciais) e Educação de Jovens e Adultos I e II (EJA). Nos dias 23 e 24 janeiro, estarão disponíveis as vagas para os alunos do Ensino Fundamental (anos finais) e EJA III e IV.

As matrículas para o ano letivo de 2020 dos novos alunos da rede, devem ser realizadas nos pólos dos seus respectivos bairros ou nas próprias unidades de ensino. No ato da matrícula, os pais devem portar cópia de certidão de nascimento, duas fotos 3×4, declaração ou histórico escolar e comprovante de residência. Para matrículas no ensino infantil é necessário também apresentar o cartão de vacinas.

Relação dos polos de matrícula:

(mais…)

Mourão discorda do termo “ditadura” para período e minimiza AI-5: ‘Passam a ideia que todo dia alguém era cassado, e não foi assim’

Foto: Bruno Batista / VPR

O vice-presidente da República, Antônio Hamilton Mourão, minimizou em entrevista ao site Huffpost Brasil o Ato Institucional número 5 (AI-5), considerado pelos historiadores como a medida mais dura da ditadura militar, na qual se constituiu de uma espécie de carta branca para o governo punir como bem entendesse os opositores políticos. Mourão afirmou que é preciso ver quantas vezes o ato, que permitiu fechar o Congresso e cassar parlamentares, foi efetivamente usado.

— O Ato Institucional número 5 surgiu fruto de uma situação que se vivia aqui no País no final dos anos 60. Foi o grande instrumento autoritário que os presidentes militares tiveram à mão. É importante que depois se pesquise quantas vezes ele foi utilizado efetivamente durante os 10 anos que ele vigorou. Porque muitas vezes se passa a ideia que todo dia alguém era cassado, alguém era afastado. E não funcionou dessa forma. É importante ainda que a História venha à luz de forma correta — afirmou Mourão.

Nesta sexta-feira, o AI-5 completa 51 anos. O Ato foi baixado pelo governo do general Arthur da Costa e Silva, em 1968, que ficou conhecido como o “o ano que não acabou”. Uma das medidas previstas pelo Ato Institucional aumentava os poderes do presidente da República, que passava a ter autonomia para decretar, sem intermédio do Judiciário, o fechamento do Congresso Nacional e intervir nos estados e municípios. Era permitida também a cassação de mandatos parlamentares e a suspensão dos direitos políticos de qualquer cidadão por 10 anos.

Questionado se sabia dizer então quantas vezes foi usado, disse desconhecer e citou ele próprio o fato de o ato ter sido usado para fechar o Congresso em dezembro de 1968, quando foi editado, e em 1977 com a criação da figura de senador biônico.

— Nem eu sei. Mas não foi a quantidade que se diz. Por exemplo, o fechamento do Congresso acho que houve duas vezes. Foi logo que ele foi implementado, no final de 68, início de 69, e em 77, quando o presidente [Ernesto] Geisel colocou aquele famoso Pacote de Abril, que colocou a figura do senador biônico. Foram as duas vezes que o Congresso foi fechado com o uso do AI-5 — afirmou o vice-presidente.

Mourão afirmou que o AI-5 foi um “instrumento de exceção”, mas na mesma entrevista refutou o termo “ditadura” para se referir ao período de regime militar.

—Vamos colocar a coisa da seguinte forma: em primeiro lugar eu discordo do termo “ditadura” para o período de presidentes militares. Para mim foi um período autoritário, com uma legislação de exceção, em que se teve que enfrentar uma guerrilha comunista e que terminou por levar que essa legislação vigorasse durante 10 anos – disse.

O vice-presidente disse que Eduardo Bolsonaro e Paulo Guedes “não foram felizes” ao citar o AI-5 e afirmou que hoje o Brasil vive uma “plenitude democrática”.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    Comparar a Revolução Democrática de 1964 com o Nazismo é muita canhalice.

  2. Luladrão Encantador de Asnos disse:

    Críticar o Regime Militar brasileiro e aplaudir a ditadura sanguinária da China. É falta de coerência, burrice, cegueira ideológica ou o que?

  3. Marcos Polo disse:

    "Pimenta nos olhos dos outros é refresco!"

  4. Baraúna disse:

    Sobre o regime militar, os jornalistas e as universidades criaram versões dos fatos e venderam o período como se aqui tivesse ocorrido situações que acontecem em Cuba e houve na Argentina.
    Passaram aos alunos que não se dão ao trabalho de ler versões distorcidas sobre o regime militar, como se os militares tivessem combatido contra pessoas inocentes e desarmadas.
    Não falaram aos alunos o que houve sequestro, assaltos, assassinatos, troca de tiros por parte daqueles que se vendiam como "salvadores da pátria" mas queriam apenas tomar o poder e implantar no Brasil um regime totalitário.
    Tanto que os mesmos que foram banidos e depois "perdoados", voltaram e passaram a ocupar cargos e funções públicas, atuando como antes, só que sem arma de fogo, visando tomar o poder e nele permanecer eternamente. A história se repete, só que hoje o povo sabe quem são, como agem e o que querem, só permanece o modus operandi de mentir, enrolar, dissimular para vender o que nunca irão fazer.

  5. mauricio disse:

    deixo uma sugestão: peça a folha seca que faça uma pesquisa em pessoas com mais 50 anos e pergunte se ele se sentia segura durante o regime militar

    • André Fortes disse:

      A população alemã apoiava Hitler. Muitos morreram por ele.

    • Luiz Antônio disse:

      Como também a população se sentia segura antes do golpe militar. A violência absurda teve início a partir de 1988

  6. Genaro disse:

    Ah, como seria bom se não tivessem combatidos os comunistas com as mesmas armas que eles usavam, menos sequestros, assaltos a bancos e terrorismo(nem tanto, teve o caso rio centro e outros menos expressivo), hoje seríamos uma cuba mais arrasada ou mesmo uma Venezuela mais precoce. Era uma maravilha

    • Potiguar disse:

      Ou talvez uma China, aliás esse era o medo do presidente americano John Kenedy.

    • Tião disse:

      Essa petralhada sempre sonham com ditaduras assassinas, mau tse Tung e sua carnificina eram sonhos de consumo

IBAMA alerta que desde o dia 1º de dezembro até 31 de maio ocorre o período de defeso da lagosta no RN

Foto: Divulgação/Ibama

O IBAMA alerta que desde o dia 1º de dezembro até 31 de maio ocorre o período de defeso da lagosta no rio Grande do Norte, e no restante do litoral brasileiro compreendido entre o Amapá e o Espírito Santo. Dia 07 se encerra o prazo para os envolvidos na comercialização da lagosta preencherem a Declaração de Estoque de Lagosta.

O formulário para a declaração pode ser obtido no setor de protocolo da Superintendência do Ibama no RN, situada na Avenida Almrante Alexandrino de Alencar, 1399, Tirol, Zona Leste de Natal. Após o preenchimento da declaração, deve-se protocolar no mesmo setor, acompanhada das notas fiscais que atestem a procedência da lagosta a ser comercializada durante o período do Defeso.

O Ibama informa ainda que a venda de lagostas durante o período de defeso não é proibida. Entretanto, o consumidor final também tem responsabilidades ao adquirir esse pescado. As regras são as seguintes:

· A cada compra exija sempre nota fiscal e cópia da declaração de estoque – especialmente se for viajar de avião. Esses documentos são a garantia de que o consumidor agiu legalmente, caso seja parado pela fiscalização.

· Bares e restaurantes que servem lagosta também devem apresentar ao cliente, quando solicitada, a declaração de estoque. Não se envergonhe de exigir o documento – é seu direito!

· Respeite os tamanhos mínimos: a lagosta da espécie “vermelha” deve ter cauda de pelo menos 13 cm. Para a lagosta “cabo-verde” o tamanho mínimo da cauda é de 11 cm.

· Não compre lagosta em pedaços ou filetada, pois é proibido. A lagosta deve estar sempre inteira ou pelo menos a cauda deve estar intacta.

Não comprar lagostas de vendedores ambulantes ou em praias, porque podem ter sido capturadas no período de defeso. Ao comprar em peixarias peça para ver a declaração de estoque, com o carimbo do Ibama.

· Se o documento não for apresentado, o consumidor deve recusar a compra.

Irregularidades devem ser denunciadas ao Ibama Rio Grande do Norte pelo telefone (84) 3342-0472, e para obter mais informações, orientações ou fazer qualquer denúncia sobre o defeso da lagosta, é necessário ligar para (84) 3342 0470 na DITEC/IBAMA/RN.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. nasto disse:

    Só podem comer LAGOSTA os meninos de BRASÍLIA. É só observar a licitação.

Cientistas estudam forma de “curar” o envelhecimento e encaram período como uma doença que pode ser tratada

A CIÊNCIA DA VIDA ETERNA (ILUSTRAÇÃO: PEDRO CORRÊA)

Um dos mitos da Grécia Antiga, que remonta a 700 a.C., conta a história de amor de Eos, a deusa do amanhecer, e Titono, irmão mais velho do rei de Troia. Eos se apaixonou por Titono e pediu a Zeus que concedesse a ele a imortalidade dos deuses. Mas se esqueceu de pedir eterna juventude. Titono viveu por anos a fio, definhando, esquecido pela própria Eos, que o trancou em um quarto escuro até que, finalmente, ele se transformou em uma cigarra.

Alguns milênios depois, a longa busca da humanidade pela vida e juventude eternas ganha, pela primeira vez, contornos científicos. No Vale do Silício, pesquisadores têm tentado unir medicina e tecnologia para encontrar maneiras de nos fazer viver mais e mais jovens, encarando o envelhecimento como uma causa para as tantas doenças associadas a ele e, portanto, passível de tratamento ou mesmo cura.

“Depois de assegurar níveis sem precedentes de prosperidade, saúde e harmonia, e considerando nossa história pregressa com nossos valores atuais, as próximas metas da humanidade serão provavelmente a imortalidade, a felicidade e a divindade”, escreveu Yuval Harari em Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã, best-seller publicado no Brasil em 2016 pela Companhia das Letras. “Reduzimos a mortalidade por inanição, a doença e a violência; objetivaremos agora superar a velhice e mesmo a morte”, sentencia o professor de História da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O primeiro laboratório biomédico dos Estados Unidos dedicado inteiramente a pesquisar o envelhecimento foi criado em 1999 em Novato, na Baía de São Francisco, a poucos quilômetros do Vale do Silício. Com a missão de acabar com as doenças relacionadas à passagem do tempo, o Instituto Buck acredita que é possível as pessoas aproveitarem a vida aos 95 anos tanto quanto o faziam aos 25.

“Nesses anos de pesquisa, chegamos a duas conclusões: a primeira é de que podemos mudar o ritmo do envelhecimento em animais, modificando a genética e a alimentação”, diz o geneticista Gordon Lithgow, chefe de pesquisas no instituto. “A segunda é que o processo de envelhecimento é um gatilho — ou mesmo uma causa — para as doenças crônicas em idade avançada.” A grande hipótese, segundo Lithgow, é que a medicina talvez esteja olhando para as doenças crônicas associadas ao envelhecimento da forma errada — e, se conseguirmos reverter ou retardar o processo, talvez seja possível proteger o corpo dos danos causados por ele.

Além do Buck, laboratórios como o Calico e o Unity Biotechnology têm como objetivos explícitos “resolver a morte” e “combater os efeitos do envelhecimento” e são financiados pelos bilionários Sergey Brin e Larry Page, fundadores do Google, Jeff Bezos, da Amazon, e Peter Thiel, do PayPal. Mas é a Fundação SENS, criada em 2009 pelo cientista da computação inglês Aubrey de Grey, entre outros nomes, que desperta as maiores polêmicas na comunidade científica.

Na visão de Aubrey de Grey, de 56 anos, o envelhecimento deve ser tratado como um fenômeno simples, e nosso corpo visto como uma máquina ou uma engenhoca que pode ser consertada. “O motivo de termos carros que ainda rodam após cem anos é o fato de eliminarmos os estragos antes mesmo de as portas caírem. O mesmo vale para o corpo humano”, afirma o britânico em entrevista à GALILEU.

Para desenvolver o modelo que chama de SENS, sigla para Strategies for Engineered Negligible Senescence (estratégias para engenharia de uma senescência negligenciável, em tradução livre), ele olhou para os principais processos que levam ao envelhecimento conhecidos hoje: perda e degeneração das células; acúmulo de células indesejáveis, como de gordura ou senescentes (velhas); mutações nos cromossomos e nas mitocôndrias; acúmulo de “lixo” dentro e fora das células, o que pode causar problemas em seu funcionamento; ligações cruzadas em proteínas fora da célula, que podem gerar perda de elasticidade no tecido em questão.

Para De Grey, basta tratar cada um desses itens e pronto: nossos problemas de saúde que surgem com a idade acabariam — quase tão simples quanto aplicar e remover um filtro do FaceApp, aplicativo que se tornou febre nas redes sociais nas últimas semanas, com um algoritmo que faz uma simulação fotográfica da aparência que poderemos ter quando mais velhos. “Não haveria limite, assim como não há limite para os carros funcionarem. Morreríamos somente de causas que não têm a ver com quanto tempo atrás nascemos. Impactos de asteroides, acidentes etc.”, diz.

Esse é um trecho da reportagem de capa da edição de agosto de 2019 da GALILEU, que já está nas bancas.

TRÂNSITO: Com interdição de trecho da BR-101 em Natal para protesto no período das 16h às 19h, PRF informa rotas alternativas

A Polícia Rodoviária Federal(PRF) reforça a informação que em razão da manifestação da tarde desta quarta-feira(15), a BR-101 será interditada no sentido Parnamirim/Natal, no período das 16h às 19h.

A PRF então informa que os condutores devem buscar vias alternativas: Via Costeira,Campus,Prudente de Morais e Jaguarari.O sentido Natal/Parnamirim não sofrerá restrição de trânsito

Período de colações de grau coletiva na UFRN tem início nesta sexta-feira e segue até 15 de março

A realização das sessões coletivas de colação de grau dos concluintes do período letivo 2018.2 tem início nesta sexta-feira, 11, e segue até o dia 15 de março. O prazo está previsto no calendário acadêmico da Instituição, estabelecido na Resolução 063/2017 do Conselho de Administração (Consad).

Com formato recente, a colação de grau coletiva é um ato protocolar para conclusão dos cursos, no qual os alunos recebem o diploma de graduação no momento do evento. Contudo, seguem o protocolo com as normas da Universidade, embora com uma dinâmica diferenciada, haja vista que não há uma mesa de honra e os alunos entram em cortejo com os outros colegas da turma e seu respectivo padrinho ou madrinha, por exemplo. O novo modelo visa o uso racional dos recursos públicos, a padronização das cerimônias e a garantia de uma solenidade mais democrática.

Com informações da UFRN

Verão: previsão de temperaturas mais altas que o normal para período; Emparn fala em média de 32º em Natal, e até 36º no interior

O verão começa oficialmente no dia 21 de dezembro de 2018, às 19h23. Normalmente é a estação mais quente do ano, com temperaturas máximas atingindo em média 31º C a 32 ºC na capital, e ultrapassando 36º C no interior, em cidades com Pau dos Ferros, Mossoró, Caicó entre outras. As temperaturas mínimas que já não são tão mínimas em Natal, devido a vários fatores inseridos pelo homem, como impermeabilização do solo, verticalização da cidade, retirada da vegetação, e que tem transformado a Grande Natal em uma ilha de calor.

De acordo como meteorologista da Emparn, Gilmar Bristot, “a temperatura mínima apresentava nas décadas de 1970 e 1980 valores em torno de 22oC, hoje dificilmente observa-se valores menores do que 24oC. Com isso pode-se dizer que Natal está mais quente, não porque aumentou a temperatura máxima, mas sim porque a mínima está pelo menos 2oC acima do normal”.

E para o verão que está chegando, a tendência é que as temperaturas fiquem um pouco acima do normal, pois a estação se inicia sob os efeitos do Fenômeno El NiÑO (águas mais aquecidas no Oceano Pacífico Equatorial). Essa condição presente, causa a formação de uma massa de ar quente sobre a região Nordeste, diminuído a circulação dos ventos e impedindo a formação de chuvas. Outra condição que irá contribuir para uma sensação térmica de mais calor, é uma maior concentração de umidade ao longo da faixa litorânea do Nordeste, uma vez que as águas superficiais do Oceano Atlântico estão e devem permanecer mais aquecidas nos próximos meses, liberando mais umidade para atmosfera e como os ventos deverão estar mais fracos, essa umidade permanecerá sobre a região contribuindo para o aumento da sensação térmica.

No interior, quente por natureza do clima semiárido as condições não deverão apresentar mudanças significativas nas temperaturas máximas e mínimas, devendo ter um comportamento próximo da normalidade, muito quente durante o dia e condições mais amenas durante a noite.

Previsão Climática para os próximos meses

Nos meses que compõem o verão (dezembro, janeiro e fevereiro), ocorrem as chuvas da pré-estação chuvosa, que derivam da presença de sistemas meteorológicos transientes (frentes frias e vórtices ciclônicos de ar superior). Esses sistemas são de difícil previsibilidade e dificulta estabelecer um comportamento para a chuva nesse período, mas normalmente em Natal temos valores médios de 15,5mm para dezembro, o mês nem acabou e já choveu 66 milímetros; 35,6mm para janeiro e 90,0mm para fevereiro. No interior as chuvas médias para esse período os valores variam muito de acordo com a região, por influência do relevo. Normalmente os valores de chuva apresenta valores baixos em dezembro (variando de 10mm a 15mm), média já ultrapassada em muitos municípios potiguares neste dezembro de 2018.

Para janeiro os valores variam entre 20,0mm a 70mm, aumentando um pouco em fevereiro para valores médios variando entre 50mm a 110mm. Para a estação que se inicia agora, segundo Gilmar Bristot, é esperado que tenhamos ocorrência de chuvas próximo da normalidade, não descartando a ocorrência de veranicos (períodos superiores a 10 dias sem chuva), e ocorrência de chuvas intensas ocasionas por vórtices ciclônicos de ar superior, comuns de atuarem nessa época.