TRÂNSITO: Com interdição de trecho da BR-101 em Natal para protesto no período das 16h às 19h, PRF informa rotas alternativas

A Polícia Rodoviária Federal(PRF) reforça a informação que em razão da manifestação da tarde desta quarta-feira(15), a BR-101 será interditada no sentido Parnamirim/Natal, no período das 16h às 19h.

A PRF então informa que os condutores devem buscar vias alternativas: Via Costeira,Campus,Prudente de Morais e Jaguarari.O sentido Natal/Parnamirim não sofrerá restrição de trânsito

Período de colações de grau coletiva na UFRN tem início nesta sexta-feira e segue até 15 de março

A realização das sessões coletivas de colação de grau dos concluintes do período letivo 2018.2 tem início nesta sexta-feira, 11, e segue até o dia 15 de março. O prazo está previsto no calendário acadêmico da Instituição, estabelecido na Resolução 063/2017 do Conselho de Administração (Consad).

Com formato recente, a colação de grau coletiva é um ato protocolar para conclusão dos cursos, no qual os alunos recebem o diploma de graduação no momento do evento. Contudo, seguem o protocolo com as normas da Universidade, embora com uma dinâmica diferenciada, haja vista que não há uma mesa de honra e os alunos entram em cortejo com os outros colegas da turma e seu respectivo padrinho ou madrinha, por exemplo. O novo modelo visa o uso racional dos recursos públicos, a padronização das cerimônias e a garantia de uma solenidade mais democrática.

Com informações da UFRN

Verão: previsão de temperaturas mais altas que o normal para período; Emparn fala em média de 32º em Natal, e até 36º no interior

O verão começa oficialmente no dia 21 de dezembro de 2018, às 19h23. Normalmente é a estação mais quente do ano, com temperaturas máximas atingindo em média 31º C a 32 ºC na capital, e ultrapassando 36º C no interior, em cidades com Pau dos Ferros, Mossoró, Caicó entre outras. As temperaturas mínimas que já não são tão mínimas em Natal, devido a vários fatores inseridos pelo homem, como impermeabilização do solo, verticalização da cidade, retirada da vegetação, e que tem transformado a Grande Natal em uma ilha de calor.

De acordo como meteorologista da Emparn, Gilmar Bristot, “a temperatura mínima apresentava nas décadas de 1970 e 1980 valores em torno de 22oC, hoje dificilmente observa-se valores menores do que 24oC. Com isso pode-se dizer que Natal está mais quente, não porque aumentou a temperatura máxima, mas sim porque a mínima está pelo menos 2oC acima do normal”.

E para o verão que está chegando, a tendência é que as temperaturas fiquem um pouco acima do normal, pois a estação se inicia sob os efeitos do Fenômeno El NiÑO (águas mais aquecidas no Oceano Pacífico Equatorial). Essa condição presente, causa a formação de uma massa de ar quente sobre a região Nordeste, diminuído a circulação dos ventos e impedindo a formação de chuvas. Outra condição que irá contribuir para uma sensação térmica de mais calor, é uma maior concentração de umidade ao longo da faixa litorânea do Nordeste, uma vez que as águas superficiais do Oceano Atlântico estão e devem permanecer mais aquecidas nos próximos meses, liberando mais umidade para atmosfera e como os ventos deverão estar mais fracos, essa umidade permanecerá sobre a região contribuindo para o aumento da sensação térmica.

No interior, quente por natureza do clima semiárido as condições não deverão apresentar mudanças significativas nas temperaturas máximas e mínimas, devendo ter um comportamento próximo da normalidade, muito quente durante o dia e condições mais amenas durante a noite.

Previsão Climática para os próximos meses

Nos meses que compõem o verão (dezembro, janeiro e fevereiro), ocorrem as chuvas da pré-estação chuvosa, que derivam da presença de sistemas meteorológicos transientes (frentes frias e vórtices ciclônicos de ar superior). Esses sistemas são de difícil previsibilidade e dificulta estabelecer um comportamento para a chuva nesse período, mas normalmente em Natal temos valores médios de 15,5mm para dezembro, o mês nem acabou e já choveu 66 milímetros; 35,6mm para janeiro e 90,0mm para fevereiro. No interior as chuvas médias para esse período os valores variam muito de acordo com a região, por influência do relevo. Normalmente os valores de chuva apresenta valores baixos em dezembro (variando de 10mm a 15mm), média já ultrapassada em muitos municípios potiguares neste dezembro de 2018.

Para janeiro os valores variam entre 20,0mm a 70mm, aumentando um pouco em fevereiro para valores médios variando entre 50mm a 110mm. Para a estação que se inicia agora, segundo Gilmar Bristot, é esperado que tenhamos ocorrência de chuvas próximo da normalidade, não descartando a ocorrência de veranicos (períodos superiores a 10 dias sem chuva), e ocorrência de chuvas intensas ocasionas por vórtices ciclônicos de ar superior, comuns de atuarem nessa época.