Buscas por suposto cadáver de adolescente vítima de magia negra são suspensas em Natal

A expectativa durante toda a manhã desta sexta-feira (31), durante as buscas de uma suposta adolescente de 13 anos, morte em um ritual na Zona Norte de Natal, foram suspensas.

Na ocasião, policiais da Delegacia Especializada de Capturas (Decap) escavaram partes do quintal e ainda verificaram a fossa de um imóvel localizado no conjunto Boa Esperança. Na casa morava o bruxo Jarbas Gomes Menezes, conhecido como “Lilico”.

A Polícia Civil não divulgou detalhes dos próximos passos e estratégias para suspensão ou não da busca do cadáver da menor, supostamente vítima de ritual de magia negra há cerca de um ano.

Magia negra em Natal pode ter tirado a vida de adolescente de 13 anos

Um dos três acusados de participar da morte Edilma Dantas de Souza, de 41 anos, desaparecida desde o dia 1º de abril, vítima de assassinato através de um ritual de magia negra, na Zona Norte de Natal, e enterrada no quintal da casa de um dos integrantes do grupo, João Maria Guedes da Silva, mais conhecido como “João Macumbeiro”, amigo da vítima e dos familiares dela, fez mais uma confissão chocante nessa terça-feira (21). Segundo o delegado Ben-Hur Cirino de Medeiros, titular da Delegacia de Capturas da Polícia Civil, “João Macumbeiro” afirmou que o grupo está envolvido na morte de uma adolescente de 13 anos, com o mesmo objetivo, em dezembro do ano passado. O detalhe mais impressionante é que a menina era sobrinha de sua esposa.

Segundo o titular de Decap, a confissão de “João Macumbeiro” descreve que ele encontrou a menor já morta, no chão da sala do imóvel de Gildásio Cardoso Gomes, conhecido como “Bruxo”. De acordo com o depoimento, ao lado do corpo ainda foi encontrado uma cabeça de bode. Na ocasião, “Bruxo”, teria pedido que João Maria se livrasse do corpo, e o destino teria sido a Lagoa de Extremoz, região metropolitana de Natal, onde foi amarrado um objeto pesado ao corpo da vítima, para que não boiasse.

Após a declaração, a Polícia Civil tem como próximo objetivo a conversa com familiares da suposta vítima, e se confirmado o desparecimento, as buscas no local de desova serão iniciadas. Diante dos acontecimentos, outros crimes com as mesmas características podem ter sido cometidos pelo grupo, por isso, as investigações serão intensificadas.

Polícia Civil prende três homens suspeitos de matar mulher em ritual de magia negra em Natal

Policiais civis da Decap, sob o comando do delegado Ben-Hur Cirino de Medeiros, desvendaram na tarde desta terça feira (21) o desaparecimento e morte de Edilma Dantas de Souza, 41 anos. Ela estava desaparecida desde o dia 1º de abril quando saiu  da casa da mãe, no bairro Nordeste, zona Oeste da cidade, para se encontrar com um conhecido da família e não deu mais notícias.

Após investigações, a Polícia Civil chegou a um dos suspeitos – João Maria Guedes, 32 anos – que confessou ter participado de um ritual de magia negra em que a vítima foi morta e indicou a participação de outros dois suspeitos: Gildázio da Cruz Gomes, 35 anos e Jarbas Gomes de Menezes, 32 anos, conhecido como “Lilico”.  Eles negam a participação na morte de Edilma.

De acordo com João Maria, a vítima foi enforcada por Jarbas Gomes após ter sido embriagada e ter tido sangue de bode derramado em seu corpo, “ele dizia estar possuído por Lúcifer”, afirma João. Após cometer o crime na casa de Jarbas, o trio teria levado o corpo para a casa de João Maria, no Loteamento Jardim Progresso, Zona Norte de Natal, e o enterrado no quintal. No local funcionava um terreiro onde seriam realizados rituais.  O corpo foi encontrado pela Polícia Civil na tarde de hoje.

Apesar de tanto o Jarbas quanto o Gildázio alegarem não conhecer a vítima e não ter contato com o João há mais de um ano, segundo o delegado Ben-Hur as evidências apontam que o crime teve a participação de mais pessoas, “pela maneira que o corpo estava enterrado, é praticamente impossível que uma pessoa tenha feito isso sozinha”, explica o delegado.

Após encontrar o corpo da vítima, a Polícia Civil cumpriu mandado de busca e apreensão na residência dos acusados. Os três suspeitos têm mandado de prisão decretado e estão agora à disposição do Sistema Prisional.