Após 21 anos do crime, ação do MPRN e Polícias do RJ e GO prende homem que matou publicitária na Zona Sul de Natal a facadas; filha era criança e presenciou cena brutal

Após 21 anos do crime, o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) em trabalho conjunto com as Polícias Civis de Goiás e do Rio de Janeiro conseguiu localizar o homem que matou uma publicitária em Natal. O pedreiro Gilson Pegado da Silva foi preso pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, Estado onde estava residindo, na tarde desta quarta-feira (10). Ele usava documentos falsos e só foi identificado após um reconhecimento facial feito pela Polícia Civil de Goiás, por meio de avançadas técnicas de identificação humana por comparação de imagens, realizado pela Seção de Inovação em Identificação Humana (SIIH), que é referência no Brasil na matéria.

No dia 23 de setembro de 1997, Gilson Pegado invadiu uma residência no bairro de Ponta Negra, zona Sul de Natal, para praticar um roubo. A dona da casa, a publicitária Sílvia Mannu, à época com 34 anos, reagiu e acabou assassinada com 23 facadas na frente da filha, que tinha apenas 3 anos. O crime chocou a sociedade potiguar pela brutalidade com que foi cometido.

Depois do crime, Gilson Pegado foi preso, mas passou a responder em liberdade. Ele fugiu e até então não havia sido localizado, o que prejudicou a continuidade da ação penal. Gilson nunca foi julgado pelo crime que cometeu, pois a legislação determina a suspensão do andamento do processo nesses caso, e só agora será possível a retomada da ação penal.

Localização e identificação

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do MPRN, passou a diligenciar o paradeiro de Gilson Pegado da Silva, atendendo a pedido da 75.ª Promotoria de Justiça de Natal. Ele foi localizado e preso na cidade do Rio de Janeiro. Ao ser abordado por agentes da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme), da Polícia Civil do Rio, o criminoso apresentou documentação falsa em nome de André Lima de Macedo.

A Polícia Civil de Goiás foi acionada para cooperar na identificação. Através da aplicação de técnicas de projeção de idade, reconhecimento facial de imagens e exame prosopográfico, foi possível concluir que se tratava de Gilson Pegado. A Seção de Prosopografia e Identificação Humana (SPIH) da Polícia Civil de Goiás é responsável pela realização de exames que levam à identificação de suspeitos a partir da comparação metodológica e objetiva de elementos constitutivos da face apresentados em imagens (fotos e vídeos), buscando estabelecer semelhanças e concluindo tratar-se da mesma pessoa ou não.

“Essa técnica reduz o universo de suspeitos e, em muitos casos, é o passo inicial para a elucidação de crimes. O trabalho foi imprescindível para o reconhecimento facial do foragido, considerando que já havia decorrido mais de 20 anos da data do crime”, falou a promotora de Justiça Liv Queiroz, do Gaeco.

Após ser identificado, Gilson Pegado acabou confessando não só a sua real identificação, mas também confirmou a autoria do crime. Ele deverá ser transferido para uma unidade prisional no Rio Grande do Norte, onde vai aguardar julgamento após passar 21 anos foragido.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bosco disse:

    Perfeito! Robério. Não cabe mais comentário.

  2. Robério Mauricio da Silva disse:

    Concordo com as opiniões anteriores, mas gostaria de ver essa cobrança da policia, da qual faço parte, quando o acusado fosse rico ou político. Quantas postagens são colocadas sobre desvios ou apropriação de políticos que tenham sido cometidos anos atrás? A verdade é que a policia foi inventada para separa quem manda de quem é mandado.

  3. DeSacoCheio disse:

    Parabéns à polícia. É esta polícia, eficiente, que todo cidadão de bem espera ver atuando em nosso país. Esperemos agora que a (in)justiça não venha a atrapalhar, liberando vagabundo como vem fazendo costumeiramente, transformando o trabalho da polícia em um "enxugar gelo".

    • Bruno Lira disse:

      Polícia eficiente? 21 anos depois do crime agora que o bandido foi preso novamente? quantos crimes ele num cometeu, quando estava livre? Mas a culpa não é da polícia, é desse país escroto e safado chamado Brasil. E quem libera vagabundo não é a justiça, são as leis elaboradas por esse monte de deputados e senadores desqualificados…

    • DeSacoCheio disse:

      Entendo sua colocação e concordo com vc Bruno, quando falei da eficiência foi apenas no que se referia a técnica utilizada.

FOTOS: Polícia Civil de Parnamirim prende homem que praticava roubos em ônibus

Por interino

Uma equipe de policiais civis da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Parnamirim prendeu Wanderley David Monteiro Galvão, vulgo “Livinho”, 26 anos, em cumprimento a um mandado de prisão pelo cometimento de roubos praticados dentro de ônibus, na manhã desta segunda-feira (04).

Devido à ocorrência de roubos, que estavam acontecendo no centro de Parnamirim, a equipe da Delegacia já estava realizando diversas diligências investigativas no sentido de prender suspeitos pelos crimes. Na manhã desta segunda, os policiais conseguiram localizar e abordar Wanderley David. No momento da prisão, ele estava com um facão escondido dentro da calça.

Quando estava na delegacia, o suspeito confessou que faz parte de uma facção criminosa e que realizou ao menos oito roubos no ano de 2014. Ele já havia sido condenado a 2 anos e 1 mês de reclusão em regime aberto pela tentativa de assalto a um ônibus, que ocorreu no dia 24 de abril de 2014, ocasião na qual o motorista sofreu cutiladas de facão.

A 2ª DP de Parnamirim conta com o apoio da população local para elucidar crimes de tráfico de drogas, homicídios, roubos e outros crimes de maior gravidade. A população pode usar um serviço próprio de “Disk Denúncia”, através do aplicativo What’s App pelo número (84) 9 8135-6724. É garantida a preservação do anonimato do denunciante.

FOTO: Operação Roupa Nova prende no RN homem que matou taxista desaparecido e que roubou R$ 25 mil em roupas

29.01.15-Caio-VictorUma operação, feita em conjunto entre a Delegacia Especial de Furtos e Roubos (Defur) e a Delegacia de Capturas (Decap), batizada de “Roupa Nova” prendeu, na tarde dessa quinta-feira (29), Caio Victor França (23 anos), vulgo Mancha, que confessou ter assassinado o taxista André Ricardo dos Santos (26 anos), que estava desaparecido desde o dia 25 de setembro de 2014. O acusado também confessou ter participado do roubo de uma loja de roupas, localizada em Natal. O assalto aconteceu em 22 de dezembro de 2014 e segundo a investigação foi efetuado por três homens que conseguiram levar R$ 25 mil em produtos.

A “Roupa Nova” foi deflagrada ontem com o intuito de cumprir dois mandados de prisão contra dois suspeitos que teriam efetuado o assalto. Um dos mandados era contra Caio Victor, que confessou a participação no roubo. A Decap e o Núcleo de Inteligência Policial – (NIP) já tinha uma linha de investigação que apontava que o acusado era o provável autor do homicídio do taxista André dos Santos. “Ouvimos muitas pessoas depois do desaparecimento do taxista e alguns indícios apontavam que o Caio era o autor do assassinato, porém não podíamos solicitar a prisão dele pela fragilidade das provas”, disse o delegado Ben-Hur Medeiros, responsável pela Decap.

Polícia Civil prende homem considerado “terror” de Pedro Velho/RN

Policiais civis da cidade de Pedro Velho/RN prenderam na manhã dessa quarta-feira (25/06) um homem identificado como Tiago de Lima, de 27 anos, natural de Canguaretama-RN.  Contra ele havia um mandado de prisão preventiva.

Tiago responde a dois inquéritos policiais por tentativa de homicídio, lesão corporal e ameaça, além de responder a processo por violência doméstica e vários Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO’s) de ameaça e danos. O acusado é considerado o terror da zona rural de Pedro Velho/RN.