Deputados repercutem crise na saúde

A crise por que passa o Hospital Regional de Currais Novos Dr. Mariano Coelho, que teve sua UTI fechada no último sábado por falta de médicos, foi o gancho para que o deputado Ezequiel Ferreira (PTB) levasse a situação precária das unidades de saúde pública no interior do RN.

“O hospital de Currais Novos sempre foi referência pelo seu corpo técnico e hoje encontra-se nesse estado. Além da falta de pessoal, há ainda a suspensão de repasses de contrapartida do Estado para programas de saúde básica”, relatou.

O parlamentar comentou a nomeação do novo secretário de Saúde do Estado dizendo que “não adianta colocar outro nome na pasta com o mesmo método de trabalho”. O Hospital Regional de Currais Novos tem alcance regional, atende 24 municípios da região e quase cinco mil pessoas por mês.

O tema foi aparteado por praticamente todos os parlamentares presentes à Sessão. Um deles, George Soares (PR), acrescentou que a situação de crise é comum aos outros hospitais regionais. “O de Assu sequer dispõe de UTI. E também faltam especialistas”.

A deputada Márcia Maia (PSB), disse ter se reunido periodicamente com um grupo formado pela sociedade civil que está fazendo um movimento para tratar do problema da falta de UTI neonatal e infantil, e que o problema atinge outros hospitais, reforçando o alerta do deputado Ezequiel para o caso.

Outro a se pronunciar sobre o assunto, o deputado Fernando Mineiro (PT) disse que “é preciso discutir a questão orçamentária. As propostas que estão previstas na Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2013 na área da saúde são muito frágeis”. “Fazemos um apelo para que o Governo olhe com bons olhos para o Hospital de Currais Novos”, reforçou o deputado Tomba Farias (PSB).

“Espero que o nosso apelo feito aqui hoje nesta Casa seja atendido pelo Governo”, finalizou o deputado Ezequial, anunciando dois requerimentos de sua autoria enviados hoje ao Governo do Estado. Um deles solicita a efetivação de um contrato de cooperação técnica entre o Hospital e a secretaria de Saúde, no valor de R$ 88 mil; e outro efetivando o pagamento de plantões atrasados dos médicos referentes aos meses de março, abril e maio deste ano.