Saúde

Maioria dos casos no RN de dengue, chikungunya e Zika acometem mulheres; veja dados dados das arboviroses

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou, nesta quarta-feira (22), o Informe Epidemiológico das Arboviroses (dengue, chikungunya e Zika), referente ao período compreendido entre a 1ª e 34ª semana de 2021, ou seja, até 28 de agosto deste ano.

De acordo com o Informe, em relação à dengue, 5.104 casos foram notificados, dos quais 2.803 descartados e 3.021 prováveis; 896 casos confirmados, com o registro de 1 (um) óbito motivado pela doença. A maioria dos casos se deu em mulheres, na faixa etária compreendida dos 20 aos 34 anos.

Para a chikungunya, entre a 1ª e a 34ª semana, 4.530 casos foram notificados, sendo 737 casos descartados e 3.793 prováveis; 1.140 casos confirmados e, até o momento, não houve o registro de óbito para a doença. A maior parte dos casos acometeu mulheres com idade entre 35 e 49 anos.

No que diz respeito à Zika, 555 casos foram notificados, dos quais 244 descartados e 311 prováveis; 137 casos confirmados e sem registros de óbitos motivados pela doença. Além disso, nas gestantes, 64 64 foram notificados e 10 casos confirmados. A maior incidência de Zika é em mulheres de 20 a 34 anos.

Cuidados

A Sesap alerta a população para os cuidados a serem adotados para evitar a proliferação do mosquito aedes aegypti, transmissor das arboviroses. São eles:

• Mantenham os quintais livres de possíveis criadouros do mosquito;

• Esfreguem com bucha as vasilhas ou reservatórios de água de seus animais;

• Não coloquem lixo em terrenos baldios;

• Mantenham as caixas d´água sempre tampadas;

• Observem vasos e pratos de plantas que acumulam água parada;

• Observem locais que possam acumular água parada como: bandeja de bebedouros e de geladeiras, ralos, pias e vasos sanitários sem uso;

• Recebam a visita do agente de endemias, aproveitando a oportunidade para tirar possíveis dúvidas;

• Mantenham em local coberto, pneus inservíveis e outros objetos que possam acumular água.

Clique aqui e confira o Informe Epidemiológico das Arboviroses:
http://www.adcon.rn.gov.br/ACERVO/sesap/DOC/DOC000000000270049.PDF

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Brasil registrou menor número de mortes desde abril de 2020

Durante a 41ª semana epidemiológica de 2021, o país registrou o menor número de mortes provocadas pela Covid-19 desde abril do ano passado. A semana, que contempla os dias 10 e 16 deste mês, documentou o total de 2.323 óbitos — o menor número registrado desde o período entre 19 e 25 de abril de 2020, quando 1.669 pessoas morreram vítimas da doença.

Em relação à quantidade de casos, o resultado é o melhor desde maio de 2020. Os 71.545 novos infectados nesta última semana são a menor quantidade desde a semana epidemiológica entre os dias 3 e 9 do quinto mês do ano passado, quando 59.543 pessoas contraíram a doença.

Os dados são do mais recente balanço divulgado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), e foram levantados e analisados pelo (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Renan Calheiros desiste de colocar “Bolsonaro genocida” em relatório da CPI

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), recuou em alguns pontos polêmicos do seu relatório, retirando das propostas de indiciamento do presidente Jair Bolsonaro os crimes de genocídio contra a população indígena e homicídio.

As alterações foram informadas pelo presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), ao deixar reunião do grupo majoritário do colegiado na noite desta terça-feira (19). Os membros do chamado G7 participam de uma reunião na casa do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) para acertar ajustes ao texto.

Mais tarde, o próprio Renan Calheiros confirmou a jornalistas as alterações no relatório final, que será lido em sessão nesta quarta-feira (20)

Folhapress

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Senado aprova projeto que cria auxílio gás para famílias de baixa renda


Foto: Divulgação/Senado

O Senado Federal aprovou nesta terça-feira (19), por 76 votos a 1, a proposta que cria auxílio para a compra de gás de cozinha por famílias em situação de vulnerabilidade. O benefício — chamado de Desconto Gás — dará um subsídio mensal a famílias de baixa renda, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), com ganho mensal igual ou inferior a meio salário mínimo. O texto voltará para a Câmara dos Deputados, onde foi aprovado no fim de setembro, para nova análise.

O benefício será custeado pelo governo. Os créditos recebidos poderão ser utilizados com o uso de cartão eletrônico ou outro meio previsto na regulamentação. O programa tem previsão de duração de cinco anos.

O Ministério da Cidadania ficará responsável por regulamentar os critérios para definir as famílias a serem contempladas, a periodicidade do benefício, sua operacionalização e a forma de pagamento, cujas parcelas não podem passar de 60 dias de intervalo. Ainda segundo o texto do PL, o Executivo terá de adequar a quantidade de beneficiários ao orçamento disponível para o auxílio.

Segundo a proposta, de autoria do senador Eduardo Braga (MDB-AM), as famílias terão direito, a cada dois meses, a um valor correspondente a 40% do preço médio de revenda do botijão de 13 quilos.

Fonte de recursos

Segundo o projeto, o auxílio será custeado por duas fontes de recursos do governo. A primeira é a parcela de royalties e a participação especial da exploração de petróleo e gás natural que cabe à União. O auxílio será pago ainda em 2021 e, para isso, serão usados os recursos arrecadados a mais em relação ao estimado na lei orçamentária deste ano.

A segunda fonte vem dos subsídios concedidos com base na arrecadação da Cide, com parte da contribuição destinada às famílias de baixa renda na aquisição de GLP (gás de cozinha). O Poder Executivo terá 60 dias para fixar essa alíquota da Cide para o custeio do auxílio Gás Social.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

AGU pede direito de resposta e nova capa a IstoÉ após revista comparar Bolsonaro a Hitler

Foto: reprodução

A União, representada pela AGU (Advocacia-Geral da União), enviou na segunda-feira (18) uma notificação extrajudicial à revista IstoÉ pedindo direito de resposta por uma capa que associa o presidente Jair Bolsonaro a Adolf Hitler. Eis a íntegra do notificação extrajudicial.

Como direito de resposta, a AGU requer que seja veiculada uma nova capa dizendo que “Bolsonaro defendeu a vida, o emprego, a liberdade e a dignidade”.

A instituição pede a veiculação de fotos de Bolsonaro acenando, em desfile do 7 de Setembro e abraçando jovens brasileiros.

Ainda deve ser publicada uma nota que lista as medidas do governo no combate à pandemia, além das medidas econômicas.

O texto também deve dizer que a publicação da IstoÉ foi um “artifício ao mesmo tempo ridículo, pueril, acintoso e criminoso”. Em vez de “Arquiteto da tragédia”, o título deve ser substituído por “Vidas, emprego, dignidade”.

A Revista Istoé atacou as instituições Presidência da República e Governo do Brasil de um modo sem precedentes, com o artifício mais baixo e arrogante do debate político, explorando a um só tempo a dor do povo judeu e a dor de quem perdeu pessoas amadas na Covid”, deve dizer o texto, segundo a notificação da AGU.

Comparar este Governo a um que planejou e executou o extermínio do próprio povo é um artifício ao mesmo tempo ridículo, pueril, acintoso e criminoso. E chega a ser um deboche com a inteligência de quem ainda lê esta revista”, acrescenta.

A reportagem da IstoÉ, publicada na sexta-feira (15), descreveu a gestão da pandemia como uma “catástrofe” perpetrada por Bolsonaro e “seus asseclas”. Diz ainda que o chefe do Executivo defendeu a eugenia, em referência a declarações sobre a morte de idosos.

IstoÉ publicou uma montagem em que o rosto de Bolsonaro aparece no corpo de Hitler, durante um discurso do nazista. A capa da revista impressa mostra uma foto do presidente com a palavra “genocida” escrita abaixo do nariz do presidente, simulando o bigode que Hitler usava. A revista ainda escreveu abaixo da imagem: “As práticas abomináveis do mercador da morte”.

Segundo a revista, Bolsonaro teria demonstrado princípios da ideologia nazista, como a perversidade e o desprezo à vida. A AGU afirma que “essa veiculação não condiz com a verdade dos fatos” e que “a notícia veiculada atinge direta e indevidamente a imagem do presidente da República, como chefe de Estado e do governo no país e no exterior”.

A instituição ainda diz que “quedou-se o periódico, estranhamente, omisso sobre os programas e avanços públicos desenvolvidos pelo Estado brasileiro na seara da saúde desde o início da crise sanitária”.

Segundo a AGU, isso “repercute em difusão de informações dotadas de parcialidade, com prejuízos não só ao agente alvo de infundada criminalização, mas ao público leitor”.

A revista deve atender à notificação no prazo de 7 dias. “A eventual recusa caracterizará, nos termos do art. 5º da Lei nº 13.188/2015,o interesse jurídico para a propositura da ação judicial correspondente, sem prejuízo da adoção das demais providências cabíveis no âmbito penal e cível”, completa a notificação, assinada pelo advogado-geral da União, Bruno Bianco.

Poder 360

Opinião dos leitores

  1. É a hipocrisia…
    Uma nação com cidadãos de bem desarmados é fácil de ser dominada por não oferecer resistência. O desarmamento é o item nº 10 do decálogo de Lênin. O que de fato já foi implantado no Brasil há muito tempo. São eles:
    1. Corrompa a juventude e dê-lhe liberdade sexual.
    2. Infiltre e depois controle todos os meios de comunicação.
    3. Divida a população em grupos antagônicos, incitando-os a discussões sobre assuntos sociais.
    4. Destrua a confiança do povo em seus lideres.
    5.Fale sempre em democracia e em estado de direito, mas, tão logo haja oportunidade, assuma o poder sem qualquer escrúpulo.
    6. Colabore para o esbanjamento do dinheiro público, coloque em descrédito a imagem do país, especialmente no exterior, e provoque o pânico e o desassossego na população por meio da inflação.
    7. Promova greves, mesmo ilegais, nas industrias vitais do país.
    8.Promova distúrbios e contribua para que as autoridades constituídas não as coíbam.
    9. Colabore para a derrocada dos valores morais, da honestidade e da crença nas promessas dos governantes.
    10. Procure catalogar todos aqueles que têm armas de fogo, para que sejam confiscadas no momento oportuno, tornando impossível qualquer resistência.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Governo vai permitir que pessoas físicas comprem ações da Eletrobras em processo de privatização, inclusive com uso do FGTS

Foto: Divulgação/Eletrobras

O governo aprovou nesta terça-feira o modelo da privatização da Eletrobras. O processo de capitalização pelo qual o governo venderá parte das ações que hoje lhe dão o controle da companhia permitirá que qualquer pessoa física residente e domiciliada no Brasil possa adquirir diretamente as ações ofertadas.

Além disso, a resolução permitirá a compra indireta das ações por meio de cotas de fundos mútuos de privatização (FMP), com recursos correspondentes a até 50% do saldo dda conta vinculada do FGTS.

No total, o governo autorizou o uso de até R$ 6 bilhões do saldo do FGTS para esse tipo de investimento, num formato similar ao já adotado no passado para ações da Petrobras.

Empregados e aposentados da Eletrobras e de suas subsidiárias terão prioridade para adquirirem até 10% do total das ações ofertadas.

Venda do controle é prevista para 2022

A desestatização da maior empresa de energia da América Latina já foi aprovada pelo Congresso e está prevista para o primeiro trimestre do próximo ano.

A modelagem, definida pelo BNDES, será enviada ao Tribunal de Contas da União (TCU), que precisará dar aval à medida antes de o processo de capitalização ir adiante.

A resolução do Conselho do Programa de Parceria de Investimentos (PPI, que coordena as privatizações e concessões do governo) prevê a reestruturação societária da Eletrobras a ser realizada antes da privatização, de modo a segregar a Itaipu Binacional e Eletronuclear para que permaneçam sob controle acionário da União.

Essas duas empresas, hoje sob o guarda-chuva da Eletrobras, não poderão ser privatizadas por determinação constitucional. A Eletronuclear deve ser capitalizada em cerca de R$ 5 bilhões para garantir a conclusão da usina de Angra 3. Itaipu e Eletronuclear serão controladas por uma nova estatal, chamada de NBPar.

Além disso, a resolução exige que, previamente à desestatização, sejam promovidas alterações no Estatuto Social da Eletrobras para incluir mecanismos para incentivar a pulverização acionária e impedir o exercício de poder de controle por um único acionista ou grupo de acionistas. A ideia é transformar a companhia em uma corporação, sem controlador definido.

— Essa será a maior privatização da história do país, tentada desde 1995 sem sucesso. Seguimos, até agora, 100% dentro do cronograma, para que a operação ocorra no primeiro trimestre de 2022 — disse o secretário especial de Desestatização do Ministério da Economia, Diogo Mac Cord.

O controle da União será pulverizado por meio da emissão de novas ações em bolsas de valores (oferta primária), que permitirá também a captação de recursos financeiros adicionais para a empresa. Caso essa oferta primária não seja suficiente para reduzir a participação direta e indireta da União para 45% ou menos do capital votante, poderá ser feita uma suplementação da oferta com a venda concomitante de ações da própria União (oferta secundária).

O presidente do BNDES, Gustavo Montezano, disse que a oferta primária será de pelo menos R$ 23,2 bilhões.

— Trabalhamos hoje para que a oferta primária seja de R$ 23,2 bilhões. A quantidade de ações será tal qual leve a participação da União para 45% do capital total — afirmou.

A União deve continuar como principal acionista, mas sem controle. Nenhum acionista votante poderá votar com mais de 10% de suas ações.

O valor de R$ 23 bilhões é o que entrará nos cofres do governo federal no próximo ano. Além disso, a privatização da Eletrobras prevê que a empresa transfira R$ 29,8 bilhões para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE, um fundo que banca as ações do setor elétrico) em dez anos e R$ 8,7 bilhões para revitalização de bacias hidrográficas do Nordeste, Norte e de Minas Gerais.

O Globo

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

SÉRIE D: CBF muda data do primeiro jogo da semifinal entre ABC e Aparecidense-GO

Foto: Andrei Torres/ABC

A CBF anunciou no início da noite deste terça-feira (19) uma mudança na data do primeiro jogo entre ABC e Aparecidence-GO, pelas semifinais do Campeonato Brasileiro da Série D.

A primeira partida foi transferia para domingo (24), às 16h. O jogo será no Estádio Aníbal Toledo, na cidade de Aparecida de Goiânia.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

Empresa potiguar de energia solar é a única representante do estado na maior feira do segmento da América do Sul

A DSOLI, empresa potiguar distribuidora de equipamentos para energia solar que atua em todo o Nordeste, é a única representante do estado na Intersolar South America 2021, a maior feira de energia solar da América do Sul, que está sendo realizada de 18 a 20 de outubro, no Expo Center Norte, em São Paulo.

O evento, que é considerado como a maior feira da América do Sul para o setor solar, foca os ramos de fotovoltaicos, produção e tecnologias termossolares, mostrando tendências e novidades. Na última edição, a Intersolar South America recebeu 25.000 visitantes e 1.600 congressistas; além de contar com mais de 295 expositoras, que exibiram seus produtos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

VÍDEO: Minuto na Câmara Municipal de Natal – Plano Diretor (19-10-2021)

Minuto da Câmara de Natal no ar trazendo os assuntos mais importantes debatidos na última semana, na Casa, disponibilizado nesta terça-feira (19).

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Ação conjunta da Polícia Civil e MPRN prende suspeitos de exigir R$ 50 mil de uma mulher para não cumprir suposto mandado de prisão contra ela

Foto: reprodução/MPRN

Uma ação conjunta da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) prendeu nesta terça-feira (19) três homens suspeitos da prática do crime de concussão em Natal. A ação foi realizada no bairro San Vale, zona sul da capital potiguar.

Os suspeitos, encapuzados, chegaram a restringir sua liberdade e exigiram a quantia de R$ 50 mil, que deveria ser entregue até esta terça-feira (19), por volta das 12h. Dois dos presos são policiais militares.

As diligências foram iniciadas após a vítima procurar à unidade policial e informar que quatro homens estavam exigindo dinheiro para não prendê-la por um suposto mandado de prisão.

Policiais civis do Departamento de Combate a Corrupção e a Lavagem de Dinheiro (DECCOR-LD), em ação conjunta à Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (Deicor) e ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público (Gaeco/MPRN) comandaram a ação.

As equipes realizaram o acompanhamento da vítima até o local para a entrega do dinheiro e, após a coleta, foi realizada a abordagem; em seguida, foram realizadas as prisões dos suspeitos. Na ação, foram apreendidos: aparelhos celulares, três pistolas, quantia em dinheiro, capuzes e capas de colete.

Os dois policiais militares foram conduzidos até o local indicado pelo Comando da Polícia Militar. O terceiro suspeito foi encaminhado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição da Justiça. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações, de forma anônima, por meio do Disque Denúncia 181.

Opinião dos leitores

  1. Nas redes sociais veremos que NÃO são patriotas conservadores defensores dos bons costumes da igreja e da família. Veremos que são apoiadores de Lula, Fátima e PT. SERÁ??????

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

Aldo Medeiros e Lidiana registram chapa “OAB no rumo certo”


O presidente da OAB, Aldo Medeiros, candidato a reeleição, e Lidiana Dias, candidata a vice, registraram a chapa “OAB no Rumo Certo” nesta terça-feira. Com um alto índice de aprovação na gestão, Aldo Medeiros conclamou os advogados a se engajarem no propósito da Ordem continuar avançando.

Ele lembrou das grandes dificuldades enfrentadas pela atual gestão, que encontrou a OAB com quase 50% do seu orçamento comprometido com dívida. “Agora é hora de avançar e continuarmos no rumo certo. Passamos esse primeiro mandato organizando a Casa, mas já implementando grandes projetos, como foi o caso das prerrogativas”, disse ele, fazendo referência a profissionalização do trabalho de lutar pelas prerrogativas dos advogados, atividade que conta com conselheiros contratados para tal função.

Aldo Medeiros chamou atenção também para a conquista do jovem advogado, que tem no primeiro ano de atividade desconto de 75% na anuidade. “Iremos avançar mais no incentivo, estrutura e qualificação dos nossos jovens advogados”, afirmou.

O candidato a reeleição observou que a pandemia da Covid-19 trouxe muitas adversidades para administração, mas foi necessária muita superação e um esforço concentrado para “arrumar a casa”, mesmo com o momento delicado enfrentado por todos.

Chapa “OAB no rumo certo”

Presidente: Aldo Medeiros
Vice: Lidiana Dias
Secretário-geral: Francisco Assis da Cunha
Secretário geral adjunto: Augusto Maranhão Valle
Tesoureira: Kallina Flor

Conselheiros federais:
André Castro
Olavo Hamilton
Milena Gama

Conselheiros suplentes
Gabriella Rebouças
Mariana Iasmim
Sildilon Maia

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *