Coronavírus no RN: sobe para 28 número de casos confirmados; suspeitos são 1176

Foto: Reprodução/Instagram

A Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) atualizou mais nove novos casos da Covid-19 na tarde desta sexta-feira (27),  registrando neste momento, no Rio Grande do Norte, 28 pacientes infectados pelo novo coronavírus. São 19 em Natal, quatro em Parnamirim e cinco em Mossoró.

No último boletim epidemiológico, nessa quinta-feira(26), os casos confirmados eram 19.

O boletim epidemiológico desta sexta-feira(27) ainda informa que foram descartados 282 casos e atualizados como suspeitos, 1176, sendo 30 de pessoas residentes em outras regiões do país

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. WellingtonB disse:

    Vamos deixar de hipocrisia. Todos são a favor do isolamento, desde que o supermercado funcione, os entregadores de compras, de pizza, idem. Porteiros e agentes de segurança não podem parar de jeito nenhum. Farmácias, ônibus, bancos, etc… Igrejas, loterias, tenho minhas dúvidas. A comida tem que chegar… De repente a classe média sente as mesmas ameaças que os pobres sempre sentiram, diariamente. E ao fundo um presidente que se faz de doido e a oposição, apeada do poder por excesso de desonestidade e há muito tempo sem o que dizer, que enxergou uma pauta, dada de bandeja pelo doido. O que interessa agora é o capital político para as eleições de daqui a pouco. Estamos perdidos.

  2. Raimundo disse:

    Esses dados de “suspeitos” eu acho totalmente desnecessário se mais de 70% dos contaminados são assintomáticos esses dados de suspeitos é muito irrelevantes

  3. anonimo disse:

    Pq não atualizam os que já foram recuperados ou fica esse tempo todinho com esse vírus

  4. Pedro disse:

    Sr Francisco não sou Bolsonaro nem nenhum desses ladrões vestidos de políticos, quanto maior a distância melhor, só para desmistificar essa fala do presidente, em tempos de colera (Ciro Gomes) e H1N1 ( nove dedos) fizeram o mesmo discurso, e sabemos o que aconteceu naquela época. Os áudios dos dois não deixam margens para FAKE, qual o motivo desse frenesi agora? Querem ressuscitar um defunto condenado em duas instâncias? Ou é mera gabolice?

  5. Laura disse:

    Gente olhem a Itália, vai devastar o Brasil se não pararmos.

  6. Antonio Turci disse:

    Respeito todos. Entretanto, ficar chingando o Presidente pelo fato de chamar o possível efeito do Coronavirus de "gripezinha";é reduzir o debate e priorizar questão semântica. Importantes são as ações, não o modo peculiar de alguém se expressar.

  7. peduca disse:

    Estou quase virando petista… Em casa sem trabalhar e esperando q o governo me banque.

  8. Everton disse:

    A quantidade ainda é pouca, pelo fato de poucos testes. Quando começarem os testes em massa, teremos uma real noção do perigo.

  9. alguem disse:

    torço que o presidente esteja correto no que ele tá fazendo, pois se der errado vai ser um problema grande e será que ele vai mudar de conversar se der zebra.

    • José Quirino disse:

      Vc ainda tem dúvidas quanto à isto, ele sempre pede desculpas pelas besteiras que faz.

    • Reinaldo disse:

      Esse vírus só vai ser parado com os remédios! ficar em casa acuado com medo, o máximo que consegue é atrasar a sua chegada! quando as pessoas começarem a ser medicadas e automaticamente não repassar o vírus aí ele cai do "x" para o 0.
      não tem governo no mundo derrote ele sem atacá-lo por dentro.
      vejam por exemplo os estados unidos.
      COVID19 é um inimigo mortal.

  10. Paty disse:

    Acabou a entrevista da governadora e a mesma coisa, falou nada com nada e retardando os resultados . A UFRN faz teste e a secretaria faz ré teste …

  11. Silva disse:

    a governadora está em casa…. e os hospitais pros pobres caso precise, já que a curva vai aumentar os casos… misericórdia … 🤦🏽‍♀️ Falou em 150 UTI …. queremos ação , hospital de campanha leitos …. e não politicagem

    • Bixa bixerrima disse:

      Seu presidente que mandou todo mundo ir pra rua e voltar a circular, vá pra rua pq a governadora toma atitudes melhores que seu presidente

    • Manoel disse:

      A entrevista dela agora a pouco foi mais parecido com um comício! Não se enganem , a maioria dos políticos está de demagogia em cima da epidemia. Fazendo discurso político puro!

    • Francisco disse:

      Não é só uma gripezinha, Silva?
      O MIto não disse que tudo não passava de uma fantasia?

Com 2.000 casos em 6 dias, país soma 3.027 doentes com Covid-19

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 10h53 de sexta-feira (27), 3.027 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil com 77 mortos, 58 deles em São Paulo, de acordo com a secretaria de Saúde do estado.

estado de Minas Gerais divulgou nesta manhã que alcançou 189 casos no estado. Paraíba atualizou o número de casos para nove na manhã de sexta-feira. Já Porto Alegre teve sua segunda morte provocada pela doença, mas ela ainda não foi contabilizada pelo governo local.

O avanço da doença está acelerado: foram 25 dias desde o primeiro contágio confirmado até os primeiros 1.000 casos (de 26 de fevereiro a 21 de março). No entanto, os outros 2.000 casos foram confirmados em apenas seis dias ( de 21 a 27 de março).

O Ministério da Saúde atualizou seus números na tarde de quinta-feira (26), informando que o Brasil registra 2.915 casos confirmados do novo coronavírus e que já foram registradas 77 mortes – os dados ainda não foram atualizados por todas as secretarias de saúde estaduais.

Com informações do G1

Coronavírus no Brasil: boletim atualiza em 77 óbitos e 2915 casos confirmados

Foto: Divulgação

O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira (26) o novo balanço de casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil. Os principais dados são:

77 mortes, eram 57 na quarta
2.915 casos confirmados, eram 2.433
1.665 casos no Sudeste
2,7 % é a taxa de letalidade

O Ministério da Saúde chegou a divulgar que o total de mortes era de 78, mas o número foi corrigido pelo governo porque a tabela considerava uma morte a mais no Distrito Federal.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dr. Veneno disse:

    Isso é lá nada.
    Muito mais morre todos os dias por motivos de saúde diversos.
    Vamos retomar nossas ocupações.

Casos confirmados do novo coronavírus no RN sobem para 19

Foto: Reprodução

O Rio Grande do Norte passa a ter 19 casos de pessoas com o novo coronavírus. Dos cinco novos pacientes confirmados, um reside em Mossoró, do sexo feminino e 25 anos; e as outras quatro pessoas são de Natal (duas do sexo masculino, uma de 72 e outra de 36 anos; e duas do sexo feminino, uma de 42 e a outra de 32 anos).

A capital potiguar agora possui 13 casos confirmados, enquanto Parnamirim 4 e Mossoró 2. Sobre os casos suspeitos, Natal é responsável por quase metade dos casos: 532. Mossoró tem 151 pacientes com suspeita e Parnamirim, 83.

O próximo boletim epidemiológico, com número de casos suspeitos e descartados, será divulgado ainda nesta quinta-feira (26).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. NILDO disse:

    Tem gente indo fazer o teste com uma simples gripe ou para postar na internet , gente isso e coisa seria, fica lotando as unidades de saúde sem necessidade.

  2. Souza disse:

    Onde você viu o presidente, ou alguma autoridade dizendo que pessoas de 30 anos não pega, o que ele disse é que quem está nessa faixa não tem perigo. Entendeu meu caro Matias.

    • Mello disse:

      As pessoas tão indo mto na ondinha do bosta de galinha do Presidente de achar que o vírus só acama e mata quem tem mais de 60 anos de idade, mas esquece que cada organismo reage de um jeito ao vírus.

      Pode até ser que uma pessoa de 60 anos que tiver com o vírus venha a óbito, mais o de 20, 25, 30, e 35 anos tbm pode ir a óbito, pq ngm sabe como o vírus irá reagir nessas pessoas…

    • Ivan disse:

      Se não tem perigo, não pega.

  3. Getúlio disse:

    Já poderiam também divulgar o bairro, e o suposto tipo de origem da contaminação. Contribuía melhor.

  4. Marcelo Matias disse:

    Várias pessoas na faixa dos 30 anos e o atleta Bolsonaro dizendo que só pega em idoso.

    • Fernando disse:

      Tem que desenhar…
      A orientação foi que o GRUPO de RISCO fique em isolamento, pois se pegar, a situação pode se agravar.
      FORA do grupo de risco, pessoas entre 12 a 60 anos, que não seja cardíaco, diabético, asmático pode pegar o coronavírus, mas a doença não deve passar de um forte resfriado. Conseguiu entender?

    • Arthur disse:

      Todos os especialistas do mundo estão errados, só quem tá certo é o Mito. Vamos voltar as aulas e as atividades normalmente. H1N1 de Lula matou 2mil pessoas (em 2 anos), Bolsonaro pode matar também.

  5. Ana Lígia disse:

    Na prática diária vejo que tem muita, mais muita gente mesmo voltando pra casa sem testar. Os números não refletem a realidade. Infelizmente.

  6. Paiva Júnior disse:

    Bom dia, dos 19 algum já foi curado? Obrigado

    • oswaldo disse:

      Pelo que se passam de informações 9 já tinham sido liberadas.

    • Victor disse:

      Ja sim. A primeira paciente diagnostica ja esta a curada a pelo menos 10 dias

    • Gilberto Paulo disse:

      Era bom saber isso, pq dá uma sensação que o individuo se infectou e não se curou..

Coronavírus: Brasil vai a 61 mortes; SC e GO entre as vítimas mais recentes

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 9h50 de quinta-feira (26), 2.567 casos confirmados do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil com 61 mortos. A maior parte das mortes, 48 delas, ocorreu em São Paulo.

Foi registrada a primeira morte da região Centro-Oeste, em Goiás, na manhã de hoje. De acordo com o governador Ronaldo Caiado (DEM), a vítima é uma mulher de 66 anos, que morava em Luziânia. Ela era hipertensa, tinha diabetes, doença pulmonar obstrutiva crônica e teve dengue recentemente.

No fim da noite de quarta-feira (25), foi registrada a primeira morte em Santa Catarina. O homem tinha 86 anos e morreu em São José, na Grande Florianópolis, segundo informe do governador Carlos Moisés (PSL) em uma rede social.

Com informações do G1

Coronavírus no Brasil: 2433 casos e 57 óbitos

Foto: Reprodução

O Ministério da Saúde atualizou nesta quarta-feira(25) para 2.433 casos confirmados de novo coronavírus e 57 mortes no Brasil. A taxa de letalidade é de 2,4%.

Pelos números, a  taxa de letalidade é calculada de acordo com os casos confirmados, e deverá cair nos próximos dias, ao decorrer da atualização, informa o Ministério da Saúde.

Pela primeira vez, foram registrados óbitos nas regiões Norte, Nordeste e Sul.

Com acréscimo de G1 e O Antagonista

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Tulio Mauricio de Sena Fernandes disse:

    Com tida essa pandemia, a Recrita Federal vai estdnder o prazo para a entrega do IR/2020?
    Se estamos confinados em casa, tem centenas de brasileiros que não tem computador, as duvidas e etc.
    Seremos mágicos para fazer a declaração?

  2. Força Brasil disse:

    Jornalismo > Primeiro Impacto >
    OITO PESSOAS TESTADAS COM COVID-19 EM PORTO ALEGRE ESTÃO CURADAS
    A cidade também registrou o primeiro óbito em decorrência da doença na madrugada desta quarta-feira
    por: Redação | 25/03/2020 às 16:05
    Compartilhar Compartilhar Compartilhar Mais
    Oito pessoas que foram diagnosticadas com o novo coronavírus e estavam em tratamento na cidade de Porto Alegre estão curadas. O prefeito, Nelson Marchezan, divulgou a informação pelas redes sociais nesta quarta-feira (25). A cidade também registrou o primeiro óbito em decorrência de Covid-19 nesta madrugada. A vítima foi uma mulher de 91 anos.

    De acordo com Marchezan, o grupo de curados é composto por sete homens, com idades entre 18 e 68 anos, e uma mulher de 35 anos. A prefeitura informou também que os curados foram os primeiros casos de coronavírus confirmados na cidade.

    De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, o estado tem 112 casos confirmados, com 47 casos na cidade de Porto Alegre.

    A Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre, no entanto, registrou 81 casos confirmados de Covid-19 até esta quarta-feira (25).

Confinamento achatou a curva: menos mortes e menos casos de Covid-19 na Itália

Foto: Reuters / Manuel Silvestri / Direitos Reservados

Pelo quarto dia consecutivo, a Itália emite sinais positivos.

Desta vez, todos os principais números da epidemia apresentaram uma melhora.

De ontem para hoje, houve 5.210 novos casos (-0,8%), 683 mortos (-8,1%) e 1.036 pacientes curados (+13,7%).

O confinamento achatou a curva. Agora é preciso descer a montanha.

O Antagonista

Coronavírus: Brasil agora registra 793 casos confirmados e 11 mortes

As secretarias estaduais de Saúde divulgaram, até 17h00 desta sexta-feira (20), 793 casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil em 23 estados e no Distrito Federal. São 11 mortes no Brasil, duas no Rio de Janeiro chegou a nove em São Paulo, onde o Ministério da Saúde registrou apenas quatro mortes.

Os estados do Amapá e do Mato Grosso identificaram seus primeiros casos. O Pará já registrou dois homens infectados, na faixa etária dos 35 anos, e o Acre alcançou sete casos. Somente o Maranhão, Rondônia e Roraima ainda não confirmaram casos. O Amazonas registrou um total de sete casos e a Bahia já está com 33 infectados confirmados. Houve um salto de casos confirmados no Ceará, de 24 para 55 nesta sexta-feira.

O último balanço do Ministério da Saúde, divulgado na tarde de quinta-feira (19), contabiliza 621 infectados. O órgão anunciou que deixará de trabalhar com casos suspeitos e divulgará apenas situações confirmadas e mortes.

Transmissão comunitária

De acordo com o ministério, há transmissão comunitária em algumas áreas do país. A pasta cita dois estados, três capitais e uma região de um estado no Sul. A transmissão comunitária ou sustentada é aquela quando não é possível rastrear qual a origem da infecção, indicando que o vírus circula entre pessoas que não viajaram ou tiveram contato com quem esteve no exterior.

A transmissão comunitária está configurada nos estados de São Paulo, de Pernambuco e da Bahia. Além disso, ocorre isoladamente em três capitais: Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre (além das capitais de SP e PE, já incluídas acima).

Por fim, a pasta também considera o mesmo status apenas para o sul de Santa Catarina, mais especificamente a região da cidade de Tubarão. A declaração não vale para todo o estado.

Situação no mundo

Mais de 220 mil foram infectados e mais de 10 mil morreram até a manhã desta sexta-feira por causa do novo coronavírus, o Sars-Cov-2, em todo o mundo, de acordo com a universidade americana Johns Hopkins.

Com informações do G1

Brasil tem 621 casos confirmados de novo coronavírus, diz Ministério da Saúde

O Ministério da Saúde divulgou nesta quarta-feira (18) o novo balanço de casos confirmados de novo coronavírus (Sars-Cov-2) no Brasil. Os principais dados são:

621 casos confirmados, eram 428 na quarta-feira (18)

Maioria está em dois estados: SP tem 286 e o Rio de Janeiro, 65.

Na região Norte, há casos nos seguintes estados: Acre (3), Amazonas (3) e Tocantins (1).

Na região Nordeste, há casos nos seguintes estados Alagoas (4), Bahia (30), Ceará (20), Paraíba (1), Pernambuco (28), Rio Grande do Norte (1) e Sergipe (6).

Na região Sudeste, Espírito Santo (11), Minas Gerais (29), Rio de Janeiro (65) e São Paulo (286).

Na região Centro-Oeste, Distrito Federal (42), Goiás (12), Mato Grosso do Sul (7).

Na região Sul, Paraná (23), Santa Catarina (20) e Rio Grande do Sul (28).

Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Véi de Rui disse:

    Interessante como só veio se falar em coronavirus depois do carnaval, olhem os números e verificamos que as maiores incidência são nos estados onde tiveram grande participação de turistas: São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco. É brincadeira

  2. Chico 100 disse:

    Certamente se o Abestalhado do presidente tivesse alertado o gado dele desde cedo, algumas pessoas teriam tomado mais cuidado e não pegariam o covid19. Mas enfim, o gado não liga, pensa que é imune! O pior de todos é Paulo Guedes, ofendeu os servidores públicos e quer acabar com o funcionalismo. Queria ver o que seria do povo se o Estado não intervisse. O neoliberamerda de Paulo Guedes tá tomando no C.

    • Ceará-Mundão disse:

      Comentário totalmente destrambelhada, sem nexo ou qualquer associação com a realidade, como é de praxe da parte dessa gente. Incrível.

    • Francisca disse:

      Rapaz!
      Tu é idiota mesmo.
      Homem dê gracas a Deus no teu país ter um cara PHD em economia, e ainda sorte sua tá no atual governo.
      Tu já pensou uma crise dessas no governo petista, onde o dinheiro não rende, só serve pra ser roubado??
      Tu tava fudido.
      Vai conversando merda viu, se prepare, se vc tiver emprego no Estado, ou algum parente, pode avisar pra arrochar o cinto que os salários vão atrazar de NOVO vai se somar a o que o governo anterior, não pode pagar e vcs diziam que era incompetência de Robson Faria, e de Fátima que não pagou os atrazados e NÃO VAI PAGAR DAQUI PRA FRENTE EM DIAS é o quê????
      Fala petralha adorador de ladrão.
      Veja o RN já está fudido certo?? IMAGINE COM A QUEDA BRUTAL NO FPE E ICMS.
      Fala babacas.
      Quero só ve o que tu vai falar, avermelhado.

    • Ricardo lúcido disse:

      Comentário espetacular . Ceará
      Mundão arruma tua trouxa e Aí bater panela lá na praça do Ferreira .

    • Chico 100 disse:

      Sou servidor do judiciário, não atrasa! PHD só se for pra trazer benesses pro bolso dele e os bancos. Kkkk. Queria ter ao menos 10 salários pra receber no Governo de Fátima. O atual governo Federal Tá uma bosta mesmo! Há e para não esquecer , Francisca! Sei bem quem faka merda e quem é Idiota ķkkkk

Filipinas registra casos de H5N6 – gripe aviária de alta patogenicidade

Foto: Arquivo agency Xinhua

O Departamento de Agricultura das Filipinas confirmou a detecção da gripe aviária H5N6 HPAI (influenza aviária de alta patogenicidade), um subtipo do vírus da gripe A, em Nueva Ecija.

O secretário de Agricultura das Filipinas, William Dar, comunicou que gripe aviária H5N6 foi detectada em uma fazenda de codornas. Os testes para influenza aviária foram realizados em 13 de março, depois que 1500 das 15000 codornas morreram em uma fazenda, as amostras de 30 codornas vivas da fazenda também apresentaram resultados positivos para a doença.

Todas as 15 mil codornas foram abatidas para controlar e conter a propagação da gripe aviária.

Possível transmissão humana

A gripe aviária H5N6 é uma doença de aves de capoeira que pode afetar seres humanos através de secreções respiratórias ou materiais fecais

A Organização Mundial da Saúde disse que não recebeu relatos de novos casos de infecção humana por H5N6 entre 31 de janeiro e 6 de fevereiro de 2020. Em uma atualização de 7 de fevereiro, a OMS informou que desde 2014 foram registrados apenas 24 casos confirmados em laboratório de infecção humana por H5N6, incluindo sete mortes.

“Sempre que os vírus da gripe aviária circulam em aves, há risco de infecção esporádica e casos humanos devido à exposição as aves infectadas ou ambientes contaminados”, acrescentou o relatório da OMS.

Os sintomas são semelhantes à gripe humana comum, que inclui tosse, resfriado, febre e falta de apetite, entre outros

Gripe aviária H5N6 na China

Em fevereiro o Ministério da Agricultura da China disse que a cepa H5N6 altamente patogênica da gripe aviária foi encontrada em uma fazenda de aves na província de Sichuan, no sudoeste causando a morte de 1.840 aves na fazenda de um total de 2.497, por segurança o restante das aves foram abatidas.

Pfarma

https://pfarma.com.br/noticia-setor-farmaceutico/saude/5257-gripe-aviaria-h5n6.html

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rui disse:

    Agora fudeu!!!

  2. Jailson disse:

    É o apocalipse

Coronavírus: Coreia do Sul vira exemplo com queda de casos e poucas mortes

(Chung Sung-Jun/Getty Images)

Após registrar uma onda de contaminação, a Coreia do Sul conseguiu reduzir significativamente o número de novos casos da coronavírus, mantendo uma taxa de mortalidade relativamente baixa.

Na quarta-feira (11), a Coreia do Sul registrava 7.755 casos confirmados, sendo o quarto país mais afetado hoje no mundo. O número de novos casos caiu consideravelmente, porém, e apenas 60 pessoas morreram até agora.

Isso faz da Coreia do Sul um modelo na luta contra a epidemia?

Ao contrário da China, que optou por confinar milhões de pessoas, a Coreia do Sul adotou uma estratégia que combina informações ao público, participação da população e uma campanha de testes em massa.

Os parentes de todas as pessoas contaminadas são procurados sistematicamente para que façam testes.

Antes de serem diagnosticados positivos, os deslocamentos dos pacientes são rastreados através de imagens de videovigilância, uso do cartão de crédito, ou situação de seu telefone celular, e depois publicados. Mensagens por SMS são enviadas às pessoas, quando um novo caso é detectado perto de suas casas, ou trabalho.

Essa estratégia levantou questões sobre a proteção da privacidade, mas levou muitos a serem testados.

A Coreia do Sul fez mais testes do que qualquer outro país, a uma taxa de cerca de 10.000 por dia, o que tornou possível enfrentar as fontes de infecção muito cedo.

Como faz tantos testes?

Na quarta-feira, o número total de testes realizados era de 220.000. O país tem 500 clínicas habilitadas para realizá-los, incluindo cerca de 40 delas móveis, para reduzir os contatos entre pacientes em potencial e profissionais de saúde.

A Coreia do Sul aprendeu com seus próprios erros e, principalmente, com a falta de evidências disponíveis em 2015 quando a crise da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers) ocorreu.

Desde então, acelerou os procedimentos para colocar testes no mercado e, poucas semanas após o aparecimento do coronavírus na China, a Coreia do Sul autorizou o fornecimento às clínicas de um novo teste para diagnosticar o Covid-19 em seis horas.

Como a população reagiu?

As autoridades lançaram uma campanha de “distanciamento social”, pedindo às pessoas que ficassem em casa, evitassem grandes aglomerações e reduzissem contatos.

Isso resultou no esvaziamento de bairros muito frequentados, enquanto bares e restaurantes tiveram dificuldade em atrair clientes.

Muitos eventos esportivos e culturais foram cancelados, e o uso da máscara protetora se generalizou, conforme solicitado pelo governo.

Por que a taxa de mortalidade é tão baixa?

Hoje é impossível calcular com precisão a taxa de mortalidade do Covid-19, que será conhecida exatamente somente após a epidemia.

A observação de números transmitidos pelo governo dá, porém, a impressão de uma mortalidade muito mais baixa na Coreia do Sul do que em outros lugares.

Vários fatores explicam essa impressão.

A campanha de testes tornou possível o atendimento precoce dos doentes. Sua amplitude facilitou a apresentação de muito mais possibilidades de localizar pacientes que apresentavam nenhum ou poucos sintomas e que não foram testados em outros países. Conseguir localizar mais pessoas doentes reduziu matematicamente a taxa de mortalidade.

Além disso, a população infectada na Coreia do Sul tem um perfil único, pois a maioria é mulher e cerca da metade tem menos de 40 anos de idade.

As autoridades explicam isso pelo fato de que mais de 60% dos casos de contaminação estão relacionados à Igreja Shincheonji de Jesus, uma organização religiosa. A maioria de seus membros é formada por mulheres, muitas entre 20 e 30 anos.

Sabe-se que a taxa de mortalidade por coronavírus aumenta com a idade, e aqueles com mais de 80 anos – e homens em particular – são os com maior risco.

Coreia do Sul, exemplo a seguir?

“Os testes são um passo inicial crucial no controle de um vírus”, diz Masahiro Kami, do Instituto de Pesquisa de Políticas Médicas de Tóquio. “Portanto, um bom modelo para todos os países”, completou.

A Coreia do Sul “agiu rápido e bem”, aponta Marylouise McLaws, da Universidade de New South Wales.

“É muito difícil para as autoridades decidirem aplicar medidas tão fortes. Geralmente isso é feito tarde”, observou.

Exame, com AFP

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcelo disse:

    Povo disciplinado e com boa educação, fica mais fácil, infelizmente no Brasil, não conseguimos nem conscientizar a população, para não jogar lixo na rua, não deixar água empossada .

Estudo mostra porque alguns casos de Covid-19 são fatais, e a maioria não

(STR/AFP/Getty Images)

A Covid-19 apresenta sintomas leves na maioria dos casos, mas pode ser extremamente agressiva a uma minoria. E um novo relatório divulgado pela OMS, que analisou os primeiros 56 mil casos da doença na China, pode explicar o porquê: o que parece definir a gravidade da Covid-19 é o local até onde o vírus chega em seu corpo. Quando ele se restringe ao nariz ou à garganta, os sintomas são leves. Já se ele chega aos pulmões a doença tende a ficar séria e, dependendo do caso, até levar à morte. O documento também alerta que essa evolução pode ocorrer rapidamente.

Para entender por que, precisamos analisar os mecanismos de infecção do coronavírus. Quando o SARS-cov-2 entra em nosso corpo pelas vias respiratórias, através de gotículas de saliva geralmente transportadas pelas mãos, ele encontra uma série de células prontas para infecção. Mas, assim como todos os outros patógenos invasores, o vírus não consegue sair entrando em tudo o que ele vê pela frente: ele precisa de uma entrada específica. Para isso, os coronavírus têm uma arma secreta: as proteínas spike. São elas, inclusive, que dão o nome ao grupo – essas proteínas aparecem como protuberâncias pontiagudas ao redor do envelope viral, resultando em uma formato de uma coroa (“corona”).

As spike são adaptadas para se ligar com receptores específicos em nosso corpo. Por isso, quando os vírus estão do lado de dentro, eles procuram por essas “fechaduras” nas células. O SARS-cov-2, especificamente, consegue se ligar a uma proteína conhecida como ACE2, que está presente em diversos tecidos do nosso corpo, incluindo nariz e boca. E, como o coronavírus tem acesso ao nosso corpo exatamente por esse sistema, ele não precisa procurar muito para encontrar suas vítimas.

Assim que encontra os receptores ACE2, as spike do vírus se ligam à proteína e faz com que a célula o englobe, colocando seu material genético para dentro. E aí o vírus faz a festa: transforma suas células em verdadeiras fábricas de RNA viral e de proteínas. Quando vários outros vírus são criados a partir desse processo, eles saem da célula a procura de outra – e assim o ciclo se reinicia. Aos poucos, os vírus vão matando as células de seu tecido, uma por uma. Mas seu corpo logo perceberá que há algo errado. E vai acionar seu sistema de defesa para tentar se livrar do invasor – ou seja, o sistema imunológico.

O problema é que essa tentativa do corpo de se proteger pode trazer algumas consequências negativas. Isso porque o resultado é um processo inflamatório – seu corpo aumenta a circulação de sangue e demais líquidos no local, a fim de levar mais células de defesa para o front de batalha.

Se os coronavírus estiverem apenas no começo do seu trato respiratório, ou seja, no nariz ou na garganta, isso vai resultar em alguns sintomas leves. Primeiro, a febre – seu corpo aumenta de temperatura para elevar o metabolismo e tentar fritar os invasores. Segundo, a tosse, que é basicamente seu corpo tentando expulsar os acúmulos de vírus para fora, através de saliva. Outros sintomas menores podem surgir, como dor de garganta e dores de cabeça. É esse o quadro de sintomas da maioria das pessoas que pega Covid-19 – 80%, mais precisamente –, que se curam em poucas semanas.

O problema mesmo é se o vírus continuar avançando e chegar aos pulmões. Aí, um sintoma mais grave surge: dificuldade para respirar. Isso por uma combinação de fatores: o vírus começa a literalmente matar os tecidos do órgão, e o corpo cria um processo inflamatório para se livrar do invasor, mas acaba atacando tudo o que há pela frente – incluindo células saudáveis do pulmão. Se piorar, o quadro pode se desenvolver para uma pneumonia grave. E pode ser fatal. Mas, obviamente, não é uma sentença de morte: seu sistema imunológico pode combater o vírus mesmo no pulmão e curar a doença.

Esse mecanismo ajuda a explicar, pelo menos em parte, o motivo pelo qual pessoas mais velhas são mais vulneráveis a quadros graves de Covid-19 do que pessoas jovens. A mortalidade entre indivíduos com 80 anos ou mais chega a quase 15%; em contraste, esse número é de apenas 0,2% entre pessoas de 10 a 39 anos, segundo estimativas iniciais dos 72 mil primeiros casos da China. Isso porque o sistema imunológico de pessoas mais velhas é mais debilitado, e nem sempre conseguiria combater a infecção antes de ela seguir em direção aos pulmões.

O relatório também afirma que apenas 1 em cada 7 pacientes chega a desenvolver a dificuldade de respirar como sintoma, e só 6% dos casos se encaixam na categoria de “crítico”. Mas alerta que a evolução clínica de um caso pode evoluir rapidamente de leve para severo – e o “ponto de virada” é exatamente a chegada do vírus aos pulmões. Segundo o estudo, entre 10% e 15% dos casos leves evoluem para severos; destes, 15% a 20% pioram e podem ser classificados como críticos, quando os pulmões são severamente afetados. Ou seja: não dá para descuidar.

Super Interessante

Vinte e nove municípios no RN registraram casos de raiva animal em 2019, diz boletim da Sesap; morcegos lideram

Foto ilustrativa: Prefeitura de Piracicaba

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Ambiental (Suvam), atualizou os dados sobre a ocorrência de casos de raiva animal no Rio Grande do Norte. Até 30 de dezembro de 2019, foram confirmados, por diagnóstico laboratorial, 91 animais com a doença: 81 morcegos, cinco raposas, dois bois, dois cães e um equino.

Os casos foram registrados em 29 municípios do RN, entre os quais se destacam, por maior ocorrência, Santo Antônio (15), Caicó (12), Parnamirim (10), São Tomé (8) e Macaíba (7).

Orientações

A raiva é transmitida pela saliva do animal infectado – principalmente, cão e gato, ou de animais silvestres, como morcego e sagui – através da pele ou mucosas, seja por mordedura, arranhadura ou lambedura. A principal forma de prevenção é a vacinação de animais domésticos e de pessoas que foram expostas ao risco.

A orientação da Sesap é para que as vítimas de mordeduras lavem o local com água corrente e sabão e procurem imediatamente a unidade de saúde mais próxima. O vírus rábico é muito sensível a agentes externos e ao lavar o ferimento com água corrente e sabão, ou outro detergente, isso diminui, comprovadamente, o risco de infecção.

Papa Francisco extingue ‘segredo pontifício’ imposto aos casos de abusos de menores na Igreja

Foto: ALBERTO PIZZOLI / AFP

O Papa Francisco anunciou nesta terça-feira, dia em que completa 83 anos, mudanças expressivas na forma como a Igreja Católica lida com os relatos de abuso sexual de menores. O Pontífice decidiu abolir a vigência do chamado “segredo pontifício”, que era imposto aos casos praticados por clérigos e, na visão de críticos, funcionava como um instrumento de silenciamento e omissão dos estupros. As medidas entram em vigor a partir de 1º de janeiro.

Dois documentos assinados por Francisco, conhecidos como “rescriptums”, usados pelo chefe da Igreja Católica para reescrever artigos específicos da lei canônica ou trechos de documentos papais, formalizam práticas que já estavam em vigor em alguns países, como reportar suspeitas de abuso sexual às autoridades civis em locais onde isso é exigido por lei. Dessa maneira, a notificação ainda não é obrigatória a nível global. O Papa também proibiu a imposição do silêncio aos que denunciarem casos, incluindo vítimas.

A extinção do “segredo pontifício” em investigações de abusos sexuais era uma demanda central levantada por líderes da Igreja em uma cúpula sobre o assunto, realizada no Vaticano em fevereiro. Francisco também ampliou de 14 para 18 anos o limite da idade considerada como pornografia infantil em casos de compartilhamento de imagens pornográficas de jovens “com o propósito de satisfação sexual através de quaisquer meios ou de qualquer tecnologia”.

A imposição do silêncio sobre as denúncias foi determinada pelo então Papa Bento XVI, em 2010. O segredo pontifício é o maior grau de informações secretas permitido pela Igreja. O Vaticano, ao longo dos últimos nove anos, insistiu na defesa de que o silêncio era uma forma de preservar a privacidade da vítima, a reputação dos acusados e a integridade do processo canônico. Atualmente, dentro das leis canônicas, conduzidas internamente na Igreja, a pior punição que pode ser aplicada contra um padre é ser excomungado.

O Globo

Boletim da Sesap informa 9.736 casos confirmados de dengue e 5.753 de chikungunya no RN neste ano

Sesap divulga novos números das arboviroses. Foto: Ilustrativa

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige), divulgou nesta terça-feira (22), o novo boletim das arboviroses no RN, referente ao período da semana epidemiológica 01 a 45, encerrada em 09 de novembro de 2019, foram notificados 37.660 casos suspeitos de dengue, sendo confirmados 9.736 casos, o que representa uma incidência de 1.082.49 casos por 100.000 habitantes.

Em 2018, considerando o mesmo período, foram 28.734 casos notificados e 12.176 confirmados, gerando uma incidência de 825,92 casos por 100.000 habitantes.

Chikungunya

Quanto à Chikungunya, da semana epidemiológica 01 a 45 de 2019, foram notificados no estado 14.755 casos suspeitos, sendo confirmados 5.753, representando uma incidência de 424,11 casos por 100.000 habitantes. Em 2018, no mesmo período, foram notificados 3.428 casos, com 1.240 confirmações, o que significa uma incidência de 98,53 casos por 100.000 habitantes.

Zika Vírus

Com relação ao Zika vírus, da semana epidemiológica 01 a 45 de 2019, foram registrados 1.206 casos prováveis, o que corresponde a uma incidência de 34,67 casos por 100.000 habitantes. No mesmo período de 2018, foram 525 notificações, gerando uma incidência de 15,09 casos por 100.000 habitantes. Tanto em 2019, quanto em 2018, foram confirmados, nesse mesmo período epidemiológico 61 casos.

Prevenção

A Sesap orienta a realização das ações de prevenção e educação em saúde executadas pelos municípios, bem como orienta e supervisiona o trabalho realizado pelos agentes de endemias para controle do vetor, o mosquito Aedes aegypti. Além disso, são realizadas as operações de aplicação do inseticida por meio dos carros fumacê, que devem ocorrer apenas quando houver necessidade do controle de surtos e epidemias por arboviroses.

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, destaca que municípios e a população têm um papel essencial na prevenção dessas doenças. “É necessário que todos tomem as medidas de prevenção à proliferação do mosquito: receber o agente de combate às endemias em suas residências, eliminar água de vasos de flores, tampar tonéis e tanques, não deixar água acumulada, lavar semanalmente depósitos de água, manter caixas de água e tanques devidamente fechados e colocar o lixo em sacos plásticos, mantendo a lixeira fechada, entre outras”.

Sesap alerta sobre importância da prevenção contra a raiva; até início de novembro, 26 municípios do RN registraram casos

Foto: Ilustrativa

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Subcoordenadoria de Vigilância Ambiental (Suvam), atualizou os dados sobre a ocorrência de casos de raiva animal no Rio Grande do Norte. Até 1º de novembro de 2019, foram confirmados, por diagnóstico laboratorial, 77 animais com a doença: 67 morcegos, cinco raposas, dois bois, uma égua e dois cães.

Os casos foram registrados em 26 municípios do RN, entre os quais se destacam, por maior ocorrência, Santo Antônio (12), Caicó (12), Parnamirim (9), São Tomé (7) e Macaíba (6). Durante todo o ano de 2018 foram registrados 35 morcegos positivos para raiva no RN.

Diante desse quadro, a Sesap reforça as orientações à população de todo o Rio Grande do Norte para que mantenha os cuidados a fim de evitar acidentes com animais que possam transmitir a raiva, já que o abastecimento do soro antirrábico dos estados, por parte do Ministério da Saúde, só deverá ser regularizado a partir de janeiro de 2020.

O abastecimento irregular se deve à falta de adequações necessárias, por parte de dois dos três laboratórios produtores do soro, para cumprir as normas exigidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A subcoordenadora da Suvam, Aline Rocha, destaca a importância das medidas de prevenção: “estamos registrando muitos atendimentos em situações que poderiam ser evitadas, como pessoas que mexem ou tentam alimentar animais de rua, como gatos e cachorros, ou animais silvestres, como saguis, por isso alertamos que evitem se expor ao risco de contaminação”. Nesses casos é necessário fazer todo o esquema de soro e vacina, o que gera uma demanda que poderia ser evitada.

Quanto aos morcegos, que concentram a maior parte dos casos confirmados de raiva no RN, algumas situações permitem identificar um morcego suspeito: se estiver caído no chão ou encontrado morto, pousado em local desprotegido durante o dia, voando ou se alimentando durante o dia, já que se trata de um animal com hábitos noturnos. Ao se encontrar um morcego suspeito de raiva, a pessoa não deve tocar no animal, afastando-se do local. É indicado colocar uma caixa, balde ou pano em cima do morcego e entrar em contato com o Controle de Endemias ou com o Centro de Controle de Zoonoses da sua cidade, para solicitar a remoção do animal.

Em caso de infecção no ser humano, a doença causa a morte em quase 100% dos casos. O último caso de raiva humana registrado no RN foi em 2010, no município de Frutuoso Gomes, neste caso sendo o morcego o animal transmissor da doença.

Orientações

A raiva é transmitida pela saliva do animal infectado – principalmente, cão e gato, ou de animais silvestres, como morcego e sagui – através da pele ou mucosas, seja por mordedura, arranhadura ou lambedura. A principal forma de prevenção é a vacinação de animais domésticos e de pessoas que foram expostas ao risco.

A orientação da Sesap é para que as vítimas de mordeduras lavem o local com água corrente e sabão e procurem imediatamente a unidade de saúde mais próxima. O vírus rábico é muito sensível a agentes externos e ao lavar o ferimento com água corrente e sabão, ou outro detergente, isso diminui, comprovadamente, o risco de infecção.

O site da Sesap (www.saude.rn.gov.br) disponibiliza informações e orientações sobre a raiva no Rio Grande do Norte.