Polícia Civil conclui investigação sobre perfis falsos atuantes no interior do RN e suspeito é indiciado por estelionato; Facebook, Instagram, Tinder e WhatsApp entre ferramentas

Foto: Ilustrativa

Policiais civis da Delegacia Municipal de Marcelino Vieira concluíram, nesta quarta-feira (23), uma investigação sobre perfis falsos em redes sociais, que se passavam por uma jovem do município de Marcelino Vieira e marcava encontros de natureza sexual, bem como divulgava fotos íntimas, captadas aleatoriamente na internet, como se fossem dela. Os fatos ocorriam há, aproximadamente, três anos. O perfil falso utilizava das plataformas do: Facebook, Instagram, Tinder, bem como WhatsApp para marcar os encontros.

O autor dos perfis falsos tinha conhecimento da rotina da vítima e, muitas vezes, marcava encontros em lugares nos quais sabia que ela estaria, de modo com que a pessoa que o perfil falso havia conversado chegava apresentando intimidades com a outra vítima (do perfil), sem que esta soubesse de nada do referido encontro.

Além disso, o autor dos perfis falsos chegou a solicitar dinheiro às pessoas com quem conversava, se passando pela jovem. Os policiais da equipe conseguiram identificar o criador dos perfis falsos, que confessou a autoria das condutas criminosas. O suspeito foi indiciado pelo crime de estelionato, pelo fato de ter solicitado dinheiro se passando pela jovem.

Com relação às outras condutas, estas configuram crime de iniciativa privada, de modo que a vítima foi cientificada sobre o resultado da investigação e deverá ingressar com a competente queixa-crime. De acordo com o delegado responsável pelo caso, o resultado da investigação sinaliza importância, sobretudo neste momento eleitoral, pois é bastante comum que alguns cidadãos se escondam, por meio do anonimato das redes sociais, para atingir a honra de outras pessoas.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS