Polícia Civil deflagra operação e apreende na Grande Natal bens avaliados em R$ 1,5 milhão

Policiais civis da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado (DEICOR) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (30), uma operação com o objetivo de cumprir decisão judicial de sequestro de bens.

Os imóveis objetos da medida de sequestro consistem em três granjas de luxo, localizadas nos municípios de Nísia Floresta e de São José de Mipibu. De acordo com investigações, eles foram adquiridos com dinheiro do tráfico de drogas, por Carlos Alexandre Martins Salviano, conhecido como “Nem da Abolição”, e sua esposa, Fernanda Belarmino da Silva, a qual continua foragida da Justiça.

A Polícia Civil solicita que a população envie informações que ajudem na localização de Fernanda Belarmino da Silva, por meio do Disque Denúncia 181 ou dos números da DEICOR: (84) 3232-2862 e (84) 98135-6796 (WhatsApp).

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Após três anos, MPF consegue repatriar ouro e diamantes de Cabral avaliados em R$ 20 milhões

FOTO: ARQUIVO/ANTONIO CRUZ/ABR

Depois de um longo trâmite burocrático, o Ministério Público Federal (MPF) conseguiu repatriar, nesta sexta-feira (6), 4,5 kg de ouro e 27 pedras de diamantes, avaliados em aproximadamente R$ 20 milhões, que estavam na Suíça e foram adquiridos com dinheiro de propina do ex-governador Sérgio Cabral.

A existência do ouro e dos diamantes foi revelada pelos irmãos e doleiros Marcelo e Renato Chebar em delação premiada fechada com a Lava Jato do Rio de Janeiro. Eles eram operadores do esquema de Cabral.

Outros US$ 100 milhões, cuja existência no exterior também fora revelada pelos irmãos Chebar, já haviam sido repatriados desde o início de 2017, mas trazer o ouro e os diamantes da Europa para o Brasil revelou-se mais complicado, devido a exigências de contratação de transportadoras e seguros especializados.

Somente na última terça-feira (3), três anos depois, procuradores do MPF embarcaram para Genebra para buscar o ouro e os diamantes, que devem agora ficar num cofre bancário à disposição da Justiça Federal do Rio de Janeiro.

Desde que foi preso, em novembro de 2016, Cabral acumula 13 condenações penais, a maioria no âmbito da Lava Jato do Rio de Janeiro. Somadas, as penas superam os 280 anos. Ele responde ainda a mais de 30 processos criminais ligados a casos de corrupção durante o seu governo (2007 a 2014).

Em fevereiro, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), homologou um acordo de delação premiada negociado pelo ex-governador junto à Polícia Federal (PF). A Procuradoria-Geral da República (PGR) recorreu, afirmando que a colaboração não pode ser aceita pois Cabral continua a ocultar bens provenientes de casos de corrupção.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Oswaldo Dino disse:

    Si fodeu tá apodrecendo na cadeia
    Enquanto a mulher meteu o pè na tua bunda
    O mundo todo agora sabe i corno que ele è

  2. Matematica disse:

    Cabral Livre. Nao entendo pq ainda esta preso. Ja transitou em julgado seu caso?

  3. Zanoni disse:

    É o amigo do LULADRÃO, o chefe dos jumentos alienados.

  4. Rimar disse:

    Só para lembrar a cambada petista, esse indivíduo era a pessoa, que luladrão queria como vice presidente de Dilmanta, e o próprio PMDB indicou o vampiro (temer)! Tristes trópicos de tristes escolhas, nem a Antropologia explica!!!!

  5. Maria suvaqueira disse:

    Esse pupilo de luladrão só não aprendeu a negar os roubos, o pulo do gato. Acho que gazeava essas aulas. Hehehe