Polícia Civil deflagra operação e prende sete pessoas na região do Seridó

Foto: Divulgação/Polícia Civil

Policiais civis da Delegacia Municipal de Caicó, com apoio da 3ª Delegacia Regional de Polícia e das Delegacias Municipais de Santa Cruz e Caraúbas, deflagraram, nesta quinta-feira (12), a “Operação Soledade”, no município de Caicó. Foram cumpridos sete mandados de prisão e 12 mandados de busca e apreensão, no bairro Soledade, contra suspeitos de integrarem grupos criminosos atuantes no município.

Os mandados foram expedidos pela 2ª Vara Criminal da Comarca de Caicó. Foram presos: Emerson Soares de Oliveira, conhecido como “Mecinho”,  Fagner Ribeiro de Oliveira, conhecido como “Fafá”,  João Victor da Silva, conhecido como “Cowboy”, José Alves Brito, conhecido  como “Zezinho”, Nadson Carvalho da Silva, conhecido como “NDS”, Nathan Gabriel Dantas, conhecido “Madimbu”,  Roberto Carlos Ferreira, conhecido como “Roberto DVD”. José Alves Brito e Robertos Carlos Ferreira também foram autuados em flagrante, respectivamente, pelos crimes de tráfico de drogas e violação de direitos autorais.

O trabalho investigativo realizado pela equipe da Delegacia Municipal de Caicó identificou possível envolvimento dos suspeitos em organização criminosa atuante na cidade e vinculação ao tráfico de drogas na região, além de outros crimes, como lavagem de dinheiro, descaminho, sonegação fiscal, posse ilegal de arma de fogo, crimes de homicídio e latrocínios ocorridos na cidade nos últimos anos.

O nome da operação remete ao bairro Soledade, local de cumprimento dos mandados e onde se constata atuação de grupos criminosos na prática do tráfico de drogas. A Polícia Civil pede para que a população continue enviando informações de forma anônima, por meio do disque denúncia 181 ou do número da Delegacia Municipal de Caicó: (84) 99634-2422.

policiacivil.rn.gov.br/Conteudo.asp?TRAN=ITEM&TARG=226804&ACT=&PAGE=&PARM=&LBL=NOT%CDCIA

Governo e ministério discutem continuidade da operação do Aeroporto de São Gonçalo

Fotos: Edson Leite e Ricardo Borges

O Governo do Estado acertou com o Ministério da Infraestrutura a participação de um membro da gestão estadual no grupo de trabalho que vai acompanhar o processo para a nova licitação do Aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante.

A requisição para integrar o grupo foi feita diretamente pela governadora Fátima Bezerra ao ministro Tarcísio Gomes de Freitas e ao secretário nacional de Aviação Civil Ronei Saggioro Glanzmann durante reunião em Brasília-DF, na manhã desta quarta-feira (11). O nome indicado para compor o grupo de trabalho foi o do presidente da Empresa Potiguar de Promoção Turística (Emprotur), Bruno Reis.

A reunião contou com a presença da bancada potiguar no Congresso Nacional, representada pelos senadores Jean-Paul Prates e Zenaide Maia e os deputados federais Natália Bonavides, João Maia, Benes Leocádio, Beto Rosado, Walter Alves, Fábio Faria e General Girão. Também participaram o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulo Emídio, os secretários de Estado Gustavo Coelho (Infraestrutura) e Ana Maria Costa (Turismo), o procurador geral do Estado, Luiz Antônio Marinho, e o adjunto, José Santana, além da subsecretária do Gabinete Civil, Laíssa da Costa.

A governadora voltou a destacar que o processo para substituição da Inframérica na gestão do aeroporto será monitorado de perto pelo Governo do Estado. “Vamos ficar 24 horas por dia acompanhando todo o processo. O ministro Tarcísio reiterou que a legislação obriga a concessionária a manter os serviços até que seja feita a transição. Nosso papel é acompanhar a manutenção dos serviços e dos empregos”, afirmou Fátima Bezerra.

O processo de relicitação da gestão do terminal aeroportuário, segundo o ministro da Infraestrutura, será tranquilo e sem prejuízos para quem chega ou sai do Rio Grande do Norte pelos ares. “Será feito um termo aditivo ao contrato da concessionária para que ela cumpra os requisitos de operação, mantenha o serviço de excelência dentro dos padrões internacionais até que seja feita a transição. De antemão, digo à população que há interesse concreto no equipamento. Teremos um bom operador, que com certeza vai trazer novos voos e novas oportunidades para aproveitar o grande potencial que o estado tem”, ressaltou Tarcísio Gomes de Freitas.

O Governo do Estado foi informado oficialmente pelo grupo argentino Inframérica no dia 5 de março sobre a desistência da operação do aeroporto, que foi licitada em 2011 como a primeira operação totalmente privada do setor no Brasil. Durante reunião, o vice-presidente do grupo, Jean Dedjeian, ressaltou os esforços do Governo do Estado para o crescimento do fluxo de voos e consequente incremento na atividade turística. O executivo também isentou a gestão estadual e a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante pela quebra de contrato, justificada pela empresa por seguidos prejuízos e dificuldades com a rigidez dos contratos e do marco regulatório da aviação.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    De que forma um estado literalmente quebrado pode influir em uma operação econômico-administrativa privativa do governo federal (do qual é inimigo político) com agentes do mercado? Conta outra lorota, Fatão GD, eu adoro.

  2. Lourdes Siqueira disse:

    Se o povo não engoliu esse aeroporto não tem ministro, governadora, deputados, facção nenhuma que dê jeito. O povo vem de avião para João Pessoa e vai com agência paraibana para Pipa e de lá visita os poucos lugares que estão de pé no RN. Até de Fortaleza vão para PB, bem mais barato, ainda passeia na bela JP.

    Deveriam fazer um plebiscito pra ver e aproveita lacra o ASG com Riquinho preso dentro.

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Faltou convidar os responsáveis por esse aeroporto, Henrique Alves e Jaime Calado.

  4. vilanir.gurgel disse:

    Deveriam convidar Henrique Alves para esse grupo de trabalho

  5. Fernando disse:

    Cadê o Deputado que tanto critica a governadora e diz defender o Estado?

PF deflagra operação contra tráfico internacional de armas de fogo e cumpre mandados em Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante

Operação Gun Express visa desarticular grupo que importava, guardava, remetia e transportava armas ilegalmente

Foto: Ilustrativa

A Polícia Federal desencadeou, na manhã de hoje (05/03), a operação Gun Express para desarticular grupo especializado na prática do crime de tráfico internacional de armas de fogo, acessórios e munições.

No Rio Grande do Norte os mandados foram cumpridos nas cidades de Natal, Parnamirim e São Gonçalo do Amarante. Além do RN, também foram efetuadas ações no Paraná, Bahia, São Paulo, Paraíba, Sergipe, Santa Catarina, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul. A operação inteira envolveu 310 policiais federais que estão cumprindo 62 mandados de busca e apreensão e 10 mandados de prisão preventiva.

A investigação teve início no primeiro semestre de 2018, quando a Polícia Federal identificou que armas de fogo estariam sendo remetidas pelos Correios, escondidas dentro de equipamentos de treino para artes marciais, como aparadores de chute, luvas e caneleiras. A partir daí a PF identificou que um grupo de pessoas dos estados do Paraná, Bahia e Rio Grande do Norte atuavam em associação na importação, guarda, remessa e transporte de armas de fogo, acessórios e munições, que teriam como destino diversos outros estados do país, com destaque para Bahia e Rio Grande do Norte.

Foram realizadas, também, apreensões de armamentos e acessórios escondidos em tanques de combustíveis de veículos, usados durante o transporte para alguns dos Estados do nordeste.

A estimativa é de que o grupo remeteu e transportou, desde o ano de 2016, mais de 300 armas de fogo, investindo cerca de dois milhões de reais na compra do armamento. Foi identificado que parte do pagamento das armas era feito por intermédio de empresas de fachada controladas por suspeitos da Bahia e do Rio Grande do Norte para dar aparência lícita aos repasses financeiros feitos pelo sistema de transferências bancárias.

Estão sendo executados 27 bloqueios judiciais de contas bancárias e aplicações financeiras, bem como sequestro e arresto de bens de 26 pessoas físicas e 1 pessoa jurídica, além da constrição judicial de 10 veículos em nome de terceiros.
Foram decretadas ainda 6 medidas cautelares diversas da prisão para outras pessoas envolvidas na investigação.

A Polícia Federal indiciará 28 pessoas pela prática do crime de tráfico internacional de armas de fogo, lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica.

Com informações da Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba/PR

Após chamar PMs de Fortaleza de ‘vagabundos’, soldado da Marinha de Natal é afastado de operação e enviado de volta

Veículos blindados são usados pelo Exército na segurança das ruas de Fortaleza — Foto: Thiago Gadelha

Em um vídeo feito no seu próprio celular, um soldado do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal que participava da Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em Fortaleza, chamou os policiais militares cearenses, amotinados desde a semana passada, de “vagabundos”. Após o vídeo circular na internet, ele acabou sendo afastado da operação e enviado de volta ao Rio Grande do Norte, onde deverá responder pela declaração. Veja reportagem do G1-RN aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsonaro 2022 disse:

    Disse tudo Silva, Parabéns !

  2. francisco disse:

    parabems ao soldado das forças amadas so falor avedade pm
    ganho muito pra nao fase nada tem que espusa todos

  3. francisco disse:

    parabems ao soldado das forças amadas so falor avedade pm so fais besteira ja ganho muito pra nao fase nada tem que espusa todos

  4. Francisco Xavier disse:

    Um policial ganhando o salário de fome para enfrentar bandidos ainda não pode fazer greve tem quê fazer todos os militares ganhando salário para defender a sociedade ainda não tem direitos de reclamar tem sim é esse militar que falou essa besteira ganhando um salário de fome também ainda fala essa besteira parece que ele está ganhando um bom salário

  5. Lélio Abramo disse:

    Policiais militares são basicanente jovens sem perspectiva intelectual investidos de falsa autoridade a ser exercida contra os pobres na defesa do patrimônio dos ricos. Eles que experimentem fazer diferente…

  6. José David disse:

    Os governantes não se importam com os policiais. Guando estoura greve,tiram o corpo fora e joga o problema para justiça militar resolver.

  7. Misbael disse:

    Falou a verdade.
    Tem que mantef a lei e a ordem
    A populaçao sofre
    Mishael Sargento Pqd

  8. Vanderlei Carvalho disse:

    O Fuzileiro fez um comentário infeliz e ao mesmo tempo se retratou e pediu desculpas aos Policiais, mas na minha opinião esses policiais deveriam ser punidos conforme a constituição e o regulamento das Forças Armadas da forma que o Fuzileiro vai ser punido pois militar nenhum seja ele das Forças Armadas ou Forças Auxiliares não podem de maneira alguma fazer motim e todos sabem disso pois está no regulamento da sua instituição.

  9. Dionísio disse:

    Ele disse a verdade, até pq nem manifestação a pm pode fazer, fora o transtorno e o caus que esses irresponsáveis causaram a população, quando eles entraram na pm eles sabiam o salário não tá satisfeitos pedi baixa.

    • JC disse:

      Concordo plenamente com o Milico.
      Quando entra na PM, já sabe das condições. Eu entrei, fiquei descontente, pedi baixa. Ainda fiquei 5 anos e meio protelando.
      Mas seja em Instituições Públicas ou Privadas, qualquer tipo de empresa, se o funcionário ou servidor que seja, não está contente, é só pedir desligamento e dar lugar pra outro. Simples assim.

  10. Francisco Antônio Gomes disse:

    As forças têm hierarquia, respeito e obediência aos superiores, pilares que faltam mas polícias militares brasileiras. Um cabo fuzileiro naval não ganha três mil reais, um soldado fuzileiro especializado não fatura mais que dois mil reais.

    • silva disse:

      Aproveite, estuda e vá fazer concurso para a PM, pois assim vc verá o quanto é difícil ser PM. Não se compara com as forças armadas em nada, pois vivem em uma guerra de verdade constante dia a dia, digo; guerra de verdade, pois vc entrar em favelas e serem recebidos a bala, trocar tiros com bandidos e assaltantes de banco, isto sim é guerra. Não se pode comparar PM com militares federais, pois além de viverem nas ruas direto ainda respondem nods dias de folgas a vários inquéritos que são abertos pela justiça. ESTUDE A PM LHE AGRADECE.

  11. Milico disse:

    Disse alguma mentira por acaso. Ainda pegou leve, pois o adjetivo correto seria fora da lei e amotinado. O problema é que ele foi formado nas forças armadas, que todos os dias lembram a ele as consequências de um motim.

    • Abinael Fagundes disse:

      Ordem Nº 1 – Missão dada, é missão cumprida. -(ordem essa, muito simples e fácil de obedecer).-

      Falou besteira, então…
      …não tinha permissão pra isso, ele acabou esquecendo disso.

Operação do MPT-RN apura irregularidades no porto-ilha de Areia Branca

Foto: Reprodução

Uma operação deflagrada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e agentes da Polícia Federal apurou, na última terça-feira (11), irregularidades no meio ambiente de trabalho no porto-ilha de Areia Branca, terminal salineiro localizado em alto mar, a 26 km do litoral norte potiguar. A operação encontrou falhas no controle de acesso de pessoas e mercadorias, equipamentos sem mecanismos de segurança e instalações com telhas de amianto, comprovadamente prejudiciais à saúde dos trabalhadores.

Veja todos os detalhes aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Denis disse:

    A CODERN se priva de nomear os concursados aprovados no último concurso da Guarda Portuária 2017, são esses os profissionais que terão acesso ao controle de entrada e saída de pessoas, veículos e mercadorias no terminal salineiro. Atualmente tem mais de 30 concursados esperando a nomeação, mas a CODERN acaba contratando terceirizados para exercer essa atividade fim. É assim que acontece aqui em natal-RN

STTU prepara operação para o Carnaval de Natal de 2020: veja interdições de vias nos arredores dos sete polos de folia da capital

Foto: Josenilson Rodrigues/Busão de Natal

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana, preparou uma operação especial de trânsito e transporte devido ao Carnaval de Natal 2020. Participarão na operação 60 agentes de mobilidade e 28 viaturas, dentre carros e motos.

POLO PETRÓPOLIS

Para a realização do carnaval no Polo Petrópolis, serão bloqueadas as ruas Seridó – das avenidas Prudente de Morais até Afonso Pena –, Manoel Machado e Joaquim Fabrício – da Rua Cel. Joaquim Manoel até a Rua Seridó – e a Av. Campos Sales – da Rua Potengi até a Rua Seridó. A interdição da região começa no dia 19 e segue até 26 de fevereiro.

Com as interdições, a linha 35 (Soledade/Candelária) vai desviar de itinerário – apenas no sentido Soledade – a partir da Av. Prudente de Morais, entrando na Rua Otávio Lamartine, Av. Campos Sales e Rua Trarí, de onde segue o itinerário normal.

Já a linha 39 (Cidade Nova/Tirol) sofrerá desvios – apenas no sentido Cidade Nova – a partir da Rua Potengi, entrando na Av. Floriano Peixoto, Rua Mossoró e seguindo para a Av. Hermes da Fonseca, de onde segue o itinerário normal.

Os desvios das linhas de ônibus ocorrerão a partir 17h00 de cada dia, no período de 20 a 25 de fevereiro.

POLO ROCAS

No Polo das Rocas, será fechada a Rua Pereira Simões – no trecho da rotatória com a Rua São João de Deus até a Rua São Francisco. Também serão bloqueadas a Rua São João de Deus – da Travessa Pereira Simões até a Rotatória com a Rua do Areal –, e a Rua das Donzelas – da Rua Jacinto Dantas até a Rotatória com a Rua do Areal. Os bloqueios já iniciam nesta sexta-feira (21/02) seguindo até segunda-feira (24/02).

Com a interdição, as linhas 33 (Planalto/Praia do Meio) e 59 (Guarapes/Praia do Meio) vão sofrer desvios – no sentido Praia do Meio – a partir da Rua Almino Afonso, entrando na Rua Olavo Bilac, Av. Duque de Caxias, Rua São João de Deus, Rua Coronel Flamíno, Rua Professor José Melquíades e chega a Av. Pres. Café Filho, de onde segue seu itinerário normal.

A linha 64A/43 (Nova Natal/Praia do Meio/Candelária) desvia a partir da Rua Almino Afonso, entrando na Rua Olavo Bilac, Av. Duque de Caxias, Rua São João de Deus, Rua Coronel Flamíno, Rua Professor José Melquíades e chega ao Viaduto de Santos Reis, de onde segue o itinerário normal.

POLO RIBEIRA

Já no Polo da Ribeira, os bloqueios iniciam no sábado (22/02) e domingo (23/02) e será fechada a Av. Duque de Caxias, da Esplanada Silva Jardim até a Praça Augusto Severo. Também serão fechadas as ruas Quinze de Novembro, Ferreira Chaves – todas no trecho da Rua Frei Miguelinho até a Rua Almino Afonso –, Rua Nísia Floresta – da Rua Frei Miguelinho até a Av. Duque de Caxias –, e a Travessa Bom Jesus – da Rua Almino Afonso até a Av. Duque de Caxias.

Com o bloqueio, as linhas 13, 22/71, 33A, 35, 59, 64A/43, 75, 78A/47, 81, 84, 85 e 313 sofrerão desvios de itinerário a partir da Rua São João de Deus, entrando na Av. Eng. Hildebrando de Góis, Rua Frei Miguelinho, Rua Dr. Barata e chegando a Praça Augusto Severo, de onde seguem o itinerário normal.

POLO NAZARÉ FOLIA

Para o Polo Nazaré, a Rua Hidrógrafo Vital de Oliveira será fechada no trecho entre a Av. Jerônimo Câmara até a Av. Capitão-Mor Gouveia, ao lado da Rodoviária de Cidade da Esperança. A interdição começa a partir desta sexta-feira (21/02) e segue até quarta-feira (26/02).

POLO CENTRO HISTÓRICO

Para o Polo Centro Histórico, serão interditadas o entorno das praças André de Albuquerque e Sete de Setembro a partir desta quinta-feira (20/02) até a quarta-feira (26/02). Neste polo, não há alterações em linhas de ônibus.

POLO REDINHA

Na Redinha, serão montados dois palcos, sendo um no Largo do Buiu e outro na Praça do Cruzeiro. As interdições ocorrem apenas no Palco da Praça do Cruzeiro, sendo interditadas as ruas José Herôncio de Melo e a Travessa do Cruzeiro – do trecho da Rua Eng. Clóvis Aragão até a Praça do Cruzeiro –, e a Rua do Cruzeiro, da Praça do Cruzeiro até a Rua Presbítero Manoel Alves Cardoso.

Nenhum dos palcos do Polo Redinha afeta a circulação das linhas de ônibus.

POLO PONTA NEGRA

No Polo Ponta Negra, ocorrerá interdições no entorno da Praça Ecológica de Ponta Negra, mais conhecida como Praça do Gringo’s. Serão bloqueadas a Av. Praia de Ponta Negra – da Rua Praia de Itapuã até a Rua Eng. Amon Saraiva da Silveira –, Rua Palestina – da Av. Eng. Roberto Freire até a Praça – e Rua Praia do Rio Doce – da Rua Praia do Zumbi até a Praça.

Neste polo não há alterações em linhas de ônibus.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. joao maria disse:

    è muito interesse por polo de canaval , imagine cada um dando lucro milionário para o prefeito do circo, enquanto as Upas estão agonizando que nem serviço de raiox tem

    • paulo disse:

      BG
      Falou em festa o prefeito de Natal oriundo do seridó está em todas e os milhões de reais se esvaindo pelo ralo ou reeleição. Outubro vem ai o povo de Natal precisa escolher um prefeito que trabalhe a gestão toda e não nos últimos dez meses para que o alcaide de plantão se reeleja. Ele tem uma boa companhia para a eleição é o henriquinho do aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Deflagrada operação em 12 estados de combate à exploração sexual infantil

© Divulgação Ministério da Justiça e Segurança Pública

Policiais civis de 12 estados participam desde as primeiras horas da manhã desta terça-fera (18) da sexta fase da Operação Luz na Infância, que tem como objetivo de identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual.

A operação está sendo coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) e envolve ainda as agências de aplicação da lei da Colômbia, dos Estados Unidos, do Paraguai e Panamá.

Os policiais civis cumprem mandados judiciais de busca e apreensão de arquivos com conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes em endereços ligados aos investigados, nos estados de Alagoas, do Acre, Ceará, Rio de Janeiro, de Goiás, do Paraná, Rio Grande do Sul, de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, do Piauí e de Santa Catarina.

Agência Brasil

FOTOS: MPRN deflagra operação para combater fraudes em Ielmo Marinho, na Grande Natal

Fotos: Cedidas

Operação Lamaçal cumpre 14 mandados de busca e apreensão. Além de Ielmo, há alvos em Natal, Parnamirim e São Paulo do Potengi

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) deflagrou nesta sexta-feira (14) a operação Lamaçal. O objetivo é apurar fraudes cometidas no âmbito da Prefeitura Municipal de Ielmo Marinho.

Ao todo, estão sendo cumpridos 14 mandados de busca e apreensão nas cidades de Ielmo Marinho, Natal, Parnamirim e São Paulo do Potengi. A sede da Prefeitura de Ielmo é um dos alvos. Participam da operação 15 promotores de Justiça, 25 servidores do MPRN e 55 policiais militares.

A atuação resultou de uma investigação de atribuição do procurador-geral de Justiça, através da Coordenadoria Jurídica Judicial – CJUD, com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Emmanoel do Nascimento Costa disse:

    Eita Ministério Público do RN valente com os pequenos.

Alvo de operação da PF, ex-ministro do Trabalho é exonerado da presidência da Funasa

Foto: Reprodução/TV Globo

O governo federal exonerou o ex-ministro do Trabalho e ex-deputado federal Ronaldo Nogueira da função de presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa).

A exoneração foi publicada na edição desta quarta-feira (12) do “Diário Oficial da União” (DOU) e assinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Segundo a publicação, a demissão foi a “pedido” de Nogueira.

Filiado ao PTB e ministro do Trabalho no governo de Michel Temer, Nogueira foi alvo de busca e apreensão na Operação Gaveteiro, deflagrada pela Polícia Federal na semana passada para investigar a suspeita de desvio de R$ 50 milhões no antigo Ministério do Trabalho.

De acordo com a PF, as irregularidades ocorreram de 2016 a 2018. Nogueira foi alvo de busca e apreensão. Em nota, Nogueira afirmou na oportunidade:

“Em relação à notícia divulgada no dia de hoje, envolvendo meu nome, informo não ter receio algum da apuração dos fatos. Meu advogado está tomando ciência do processo com toda a serenidade que o momento exige. Tenho o maior interesse no esclarecimento dos fatos e, desde já, coloco-me à disposição para prestar todos os esclarecimentos necessários às autoridades responsáveis”.

A operação da PF investiga uma organização criminosa que, de acordo com as apurações, fez uma contratação de fachada de uma empresa para fornecer serviços de tecnologia ao ministério.

Nogueira assumiu a Funasa em fevereiro de 2019, após encerrar o mandato de deputado federal pelo Rio Grande do Sul. Na Câmara, ele fazia parte da bancada evangélica. O ex-parlamentar tentou a reeleição em 2018, porém ficou entre os suplentes de sua coligação.

Vinculada ao Ministério da Saúde, a Funasa tem entre suas competências a missão de “promover a inclusão social por meio de ações de saneamento para prevenção e controle de doenças”.

Nogueira foi ministro do Trabalho durante parte do governo de Michel Temer. A pasta foi extinta pelo presidente Jair Bolsonaro, que reduziu o número de ministérios de 29 para 22.

A gestão de Nogueira como ministro foi de maio de 2016 a dezembro de 2017. Ao pedir demissão, ele justificou que desejava se dedicar à campanha de reeleição como deputado.

Durante a gestão de Nogueira foi aprovada a reforma trabalhista pelo Congresso Nacional. As alterações mexeram em diversos pontos da legislação, como férias, jornada, remuneração e plano de carreira.

Em nota publicada na terça-feira (11) no site da Funasa, Nogueira informou que “tomou a decisão individual” de pedir demissão por “entender ser o melhor a ser feito no momento”, já que terá “mais tempo” para se defender.

(mais…)

Operação da PF que atinge presidente da Funasa e ex-assessor de Onyx cumpriu mandados no DF, RN e mais quatro estados

O ex-ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira | Reprodução

A Polícia Federal deflagrou nesta manhã a Operação Gaveteiro, que apura o desvios do Ministério do Trabalho. Estão sendo cumpridos dois mandados de prisão preventiva e 41 de busca e apreensão no Distrito Federal, Goiás, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Entre os alvos de busca está o ex-deputado federal e ex-ministro do Trabalho do governo Temer Ronaldo Nogueira, que hoje é presidente da Funasa (Fundação Nacional de Saúde), ligada ao Ministério da Saúde.

A PF chegou a pedir a prisão de Nogueira, mas ela foi negada pela Justiça.

Também são alvos o ex-assessor de Onyx Lorenzoni na Casa Civil, Pablo Tatim, e o ex-deputado federal Jovair Arantes. Tatim foi exonerado há um ano, depois que a Controladoria-Geral da União publicou um relatório sobre desvios de dinheiro no Ministério do Trabalho. Ele chegou a fazer parte do grupo de transição do governo Bolsonaro.

A Operação Gaveteiro apura desvios do Ministério do Trabalho por meio da contratação de uma empresa da área detecnologia. O objeto dessacontratação foi a aquisição de solução de tecnologia e licenças, voltadas a gerir sistemas informatizados da pastae detectar fraudes na concessão de Seguro-Desemprego.

As investigações apontam que a contratação da empresa foi um meiousadopela Organização Criminosa para desviar, entre 2016 e 2018, mais de R$ 50 milhõesde reais do órgão.

Além das prisões e buscas, a Justiça Federal também determinou o bloqueio do valor aproximado de R$ 76 milhões nas contas dos investigados. Foram concedidas ainda medidas cautelares proibindo os investigados de se ausentarem do país.

Os envolvidos responderão pelos crimes de peculato, organização criminosa, fraude à licitação, falsificação de documento particular, corrupção ativa e passiva, com penas que, se somadas, podem chegar a mais de 40 anos de prisão.

Bela Megale – O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Delano disse:

    O pau que dá em chico, dá em Francisco. Essa PF de moro que o Brasil precisa, inclusive também o coaf que detectou movimentação atípica do filho do presidente e outros do pt, psol, psd, mdb, dem na alrj. Qual a investigação mais aprofundada. Parece que somente a do filho do presidente. A dos outros nem falam

  2. Everton disse:

    Todo dia tem notícia de corrupção no governo Bolsonaro. Ai dento!

    • Delano disse:

      Até hoje não apareceu uma Corrupção no governo Bolsonaro, teve de luladrão, dilmanta, temer, mas do governo atual zero de Corrupção. Pode ter corrupto de gestões passadas, lógico, difícil um político não ser corrupto ou não ter sido denunciado.

    • Minion alienado disse:

      Delano, me diz que só tem gente idônea no governo hahaha.

Operação do MPRN, Polícia Civil e PM combate atuação de organizações criminosas no Oeste potiguar

Foto: Divulgação

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), a Polícia Civil e a Polícia Militar deflagraram nesta quinta-feira (6) uma operação conjunta para combater a atuação de organizações criminosas na região Oeste potiguar. Armas, drogas e munições foram apreendidas na ação batizada de Contenção, em alusão à necessária atuação repressiva do Estado para conter uma disputa regional sangrenta entre duas organizações criminosas que resultou em diversas mortes desde o final do ano passado. Três pessoas foram presas em flagrante.

A ação resulta de uma investigação das Promotorias de Justiça de Apodi, com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e foi iniciada após a ocorrência de diversos atos de violência na região.

Ao todo, 11 mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de Apodi, Umarizal e Mossoró. A operação contenção contou com a participação de promotores de Justiça, servidores do MPRN, policiais civis e policiais militares.

Matéria na íntegra aqui no Justiça Potiguar.

Polícia Civil realiza Operação “Free Way” e apreende, em Natal, três celulares roubados

Foto: Reprodução/Ilustrativa/TV Gazeta

Policiais civis da Delegacia Especializada em Assistência ao Turista (DEATUR) e da Delegacia Especializada em Defesa ao Meio Ambiente (DEPREMA) realizaram, nesta quarta-feira (15), a Operação “Free Way” que resultou na apreensão de três celulares roubados. As diligências, realizadas em busca dos aparelhos tomados dos turistas, no caminho do aeroporto de Natal, aconteceram em diversos municípios, mas todos foram apreendidos na Capital Potiguar.

Todas as pessoas que estavam de posse dos aparelhos foram conduzidas até a delegacia e responderam pela suspeita da prática do crime de receptação culposa, por meio de um Termo Circunstanciado de Ocorrência (T.C.O.).

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181.

Foto: Reprodução/site/Polícia Civil do RN

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    Muito bom!
    Melhor 3 que nenhum. Que vire rotina.
    So existe ladrão pq tem quem compre.

  2. Bruno disse:

    Se fosse eu, teria até vergonha de fazer uma operação e prender apenas 3 celulares, em natal são roubados 3 a cada minuto.
    Essa inteligência só tem um neurônio.

  3. J.Dantas disse:

    Parabéns! Dica: se forem nas feiras livres, vão encontrar centenas e várias quadrilhas especializadas…. E se for em dia após festas, a probabilidade será elevada a potência de dez.

  4. lampejao disse:

    Parabéns pelo resultado da Operação !!!!

  5. joaozinho da escola disse:

    3 celulares roubados recuperados?? e a operacao chamou-se free way? que bacana!!!!!!! estou muito feliz, justifica todo o salario.

  6. Anderson disse:

    Pera aí, a assessoria de comunicação solta release para dizer que a PC fez operação e apreendeu 03 (três) celulares roubados, não precisa nem fazer operação, se ficar de butuca em qualquer avenida da Grande Natal e pegar um ou dois vagabundos pé de chinelo, desses que saem nas paradas tomando celular do povo, ela consegue apreender e recuperar pelo menos dez vezes mais. Vá lá que propaganda é a alma do negócio, mais vamos pelo menos focar na divulgação das operações que tem mais representatividade e impacto para a sociedade.

  7. Valter disse:

    Parabéns. Que a Polícia Civil continue saindo das delegacias (BO) e façam muitas diligências. Inclusive meu genro teve o celular devolvido há um tempo pela Polícia Civil.

    • Zé Garcez disse:

      A polícia deveria ter vergonha de divulgar uma operação que resultou na apreensão de 3 – TRÊS – celulares.
      Resultado pífio para uma operação

Polícia faz operação na casa de Ghosn em Tóquio e Turquia prende pilotos que o levaram até o Líbano

Foto: Kyodo / via Reuters

A polícia fez uma operação nesta quinta-feira na residência de Carlos Ghosn em Tóquio, ao mesmo tempo que as autoridades turcas anunciaram a detenção de várias pessoas na tentativa de elucidar as circunstâncias da fuga para o Líbano, via Istambul, do ex-titã da indústria automobilística.

Canais de TV japoneses exibiram nesta quinta-feira imagens de policiais entrando na casa de Tóquio na qual o ex-CEO da aliança Renault-Nissan estava em prisão domiciliar.

Já de acordo com a agência de notícias DHA, a polícia turca prendeu sete pessoas, incluindo quatro pilotos, sob suspeita de auxiliar Ghosn a viajar ao Líbano a partir de um aeroporto de Istambul, onde ele chegou em um voo procedente do Japão.

Também nesta quinta-feira, o governo do Líbano recebeu um mandado de prisão de Ghosn emitido pela Interpol, anunciou o ministro libanês da Justiça, Albert Sarhane

A ordem, um alerta vermelho da Interpol que pede às autoridades para prender uma pessoa procurada, foi recebida pelas forças de segurança interna do Líbano, e ainda não foi encaminhada ao Judiciário, afirmou a fonte citada pela agência Reuters.

– O Ministério Público (…) recebeu um alerta vermelho da Interpol sobre o caso Carlos Ghosn – disse Sarhane, citado pela agência de notícias oficial ANI.

Ghosn desembarcou na segunda-feira em Beirute, onde publicou um comunicado à imprensa, onde afirmou que ‘ não fugiu da justiça, mas sim se libertou da injustiça e da perseguição política no Japão’. Sua equipe de comunicação confirmou à AFP que ele concederá uma entrevista coletiva nos próximos dias.

O executivo foi detido em Tóquio em novembro de 2018, acusado de fraude financeira, e deveria ser julgado no Japão a partir de abril de 2020. Depois de passar 130 dias na prisão, ele estava em detenção domiciliar.

O homem que chegou a ser o CEO mais bem pago do Japão enfrenta quatro acusações neste país: duas por renda diferida não declarada pela Nissan às autoridades da Bolsa e duas por abuso de confiança com agravante.

As circunstâncias de sua fuga, no entanto, permanecem muito confusas. De caixa de instrumento a voo secreto, são algumas das teorias sobre a fuga do ex-executivo.

De acordo com fontes, Carlos Ghosn decidiu fugir do Japão depois de saber que seu julgamento foi adiado para abril de 2021, e também porque não teve permissão de falar com a esposa, Carole, disseram fontes próximas do ex-chefe da Nissan nesta quinta-feira.

Imagens de câmeras de segurança

De acordo com fontes da investigação citadas pela imprensa japonesa, o Ministério Público de Tóquio está examinando as imagens das câmeras de segurança na entrada de sua residência e no bairro em que morava.

O governo da França indicou que Ghosn, que tem nacionalidades francesa, brasileira e libanesa, não será extraditado se entrar em território francês porque o país nunca extradita seus cidadãos. A afirmação foi feita pela secretária de Estado de Economia, Agnès Pannier-Runacher, ao canal BFMTV.

Além disso, uma fonte próxima ao caso confirmou nesta quinta-feira que Ghosn tinha dois passaportes franceses e um dos documentos estava com ele. A fonte entrevistada pela AFP indicou ainda que os advogados do executivo mantinham três passaportes de Ghosn (francês, libanês e brasileiro) guardados em um cofre.

Mas o empresário recebeu uma autorização excepcional de um tribunal para carregar um segundo passaporte francês, que levava dentro de uma espécie de estojo, que tinha um código secreto guardado por seus advogados.

Ghosn estava proibido de viajar ao exterior, mas se deslocava com relativa liberdade dentro do Japão, onde podia sair da capital com algumas restrições, um sistema aplicado a outros estrangeiros em prisão provisória.

Na eventualidade de um controle policial, ele precisava entrar em contato com o advogado que tinha o código para que este comparecesse ao local em que o executivo estivesse (o código não poderia ser comunicado por telefone à polícia), informou a mesma fonte.

Ghosn, no entanto, não teria utilizado este passaporte para fugir do país, e sim um “meio ilegal”, informou o canal NHK, que também citou fontes próximas à investigação.

De acordo com a presidência libanesa, Ghosn entrou no país procedente da Turquia com um passaporte francês e um documento de identidade libanês.

Há suspeitas de que Ghosn teria utilizado um jato privado que decolou do aeroporto de Kansai, na região oeste do Japão.

Um avião deste tipo decolou em 29 de dezembro às 23h (horário do Japão) do aeroporto, administrado pelo grupo francês Vinci e o japonês Orix, com destino a Istambul, segundo a imprensa nipônica.

A fuga de Ghosn provocou grande consternação no Japão e seus advogados consideraram a atitude “indesculpável”, embora tenham afirmado entender as razões de seu descontentamento com a justiça japonesa.

Prisões na Turquia

Segundo a porta-voz da polícia turca, além dos pilitos, os outros detidos são dois trabalhadores de solo de um aeroporto e um funcionário de transporte de carga, e os sete devem comparecer perante um tribunal nesta quinta-feira.

A imprensa informou que o Ministério do Interior da Turquia iniciou uma investigação sobre o trajeto de Ghosn. Pessoas familiarizadas com o assunto disseram à Reuters que Ghosn, um dos executivos mais conhecidos do mundo, chegou a Beirute em um jato particular que partiu de Istambul na segunda-feira.

O site de notícias Hurriyet, citando uma autoridade do Ministério do Interior, disse que a polícia de fronteira turca não foi notificada sobre a chegada de Ghosn e que nem sua entrada nem saída foram registradas.

Segundo o Hurriyet, o avião que levou Ghosn chegou às 5h30m da manhã de segunda-feira ao aeroporto de Ataturk, em Istambul, e os promotores ordenaram as prisões efetuadas nesta quinta-feira depois de ampliarem suas investigações.

Dados de rastreamento de voo sugerem que Ghosn usou dois aviões diferentes para voar para Istambul e depois para o Líbano.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco disse:

    Bom ver como o Japão trata criminoso corrupto. Principalmente se o juíz é cassado ao extremo pela imprensa e pelos roubados, e os passos da justiça.

STTU realiza operação nos semáforos para aliviar trânsito nos centros comerciais

Foto: Monitoramento/STTU

Durante o período natalino, o trânsito fica mais movimentado nos centros comerciais devido às compras de presentes. Para aliviar as condições do trânsito, a Prefeitura do Natal – por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU) – tem monitorado e realizado alterações nos tempos dos semáforos, principalmente nos bairros do Tirol, Lagoa Nova e Alecrim.

Segundo o órgão, a região do shopping Midway Mall é uma das mais delicadas devido ao grande público que é atraído pelo centro comercial. “Os motoristas formam fila para entrar no shopping e isso acaba fechando um cruzamento, que leva ao fechamento do seguinte e assim se forma um efeito cascata”, ressalta Walter Pedro da Silva, secretário-adjunto de Trânsito.

Um exemplo dado pelo secretário é a entrada do Midway Mall pela Av. Romualdo Galvão, onde os motoristas formam fila e acabam impedindo que os veículos cruzem a Av. Bernardo Vieira sentido Zona Norte, que por sua vez acaba impedindo os que estão na Av. Sen. Salgado Filho sentido Zona Sul, que impedem a Rua Alberto Silva, que impedem os que estão nas avs. Romualdo Galvão e Prudente de Morais e assim consequentemente, como demonstra a animação.

Para combater o efeito cascata, a STTU tem monitorado os semáforos constantemente das 07h00 às 20h00 e realizado ajustes nos equipamentos. “Na região do Midway, quando se inicia o efeito cascata, nós mudamos o tempo para – primeiramente – liberar o tráfego nas vias onde circulam os ônibus, afinal a preferência é do transporte público. Isso significa que o tempo de verde dessas vias é aumentado e o das que cruzam com elas é reduzido”, explica Walter Pedro.

Segundo o secretário, toda a operação dura cerca de 10 minutos. “Há impacto nas demais vias, podendo ocorrer retenções. Contudo, se a operação não for executada, o efeito cascata se estabelece e trava toda a área, podendo impedir a circulação totalmente. Assim que a situação se normaliza, os tempos voltam ao normal”, reforçou.

Ainda de acordo com a STTU, as vias que podem sofrer alterações nos semáforos na região de Tirol e Lagoa Nova são as avs. Rui Barbosa, Sen. Salgado Filho, Romualdo Galvão, Prudente de Morais, Alm. Alexandrino de Alencar, Bernardo Vieira, Antônio Basílio, Nascimento de Castro, Amintas Barros e Miguel Castro, além das ruas São José e Jaguarari. Já na região do Alecrim, as avs. Coronel Estevam (Av. 9), Pres. Bandeira (Av. 2), Alm. Alexandrino de Alencar e as ruas Pres. Leão Veloso (Av. 5), Pres. Sarmento (Av. 4), Pres. José Bento (Av. 3), Pres. Quaresma (Av. 1) são as trabalhadas.

ROTAS ALTERNATIVAS

A STTU pede que os motoristas que não vão realizar compras evitem as regiões dos grandes centros comerciais procurando rotas alternativas, onde o trânsito tende a ser menor e mais tranquilo.

Para os motoristas que saem de Petrópolis com destino a Zona Sul e desejam evitar o Midway Mall, as rotas alternativas são as ruas São José e Jaguarari – principalmente para os que se destinam a Candelária, Cidade Satélite, Planalto e BR-101 Sul após o Viaduto de Ponta Negra –, a Av. Rui Barbosa, o Anel Viário da UFRN e a Via Costeira.

Já para os que desejam evitar o centro comercial do Alecrim, a Av. Interventor Mário Câmara/Rua dos Canidés (Av. 6), a Rua Jaguarari e a Rua São José/Desembargador Régulo Tinoco são boas rotas de escape.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Lucia Campos disse:

    É notório que o mais prejudicado é para quem vai para zona Norte, passamos em torno de 25 minutos para cruzar a Benardo vieira com salgado filho. Não vejo nem uma prioridade para o transporte público!!! Indignada com toda a situação!!!

  2. Andrade Vaz disse:

    algo muito amador mudar tempo de sinal de acordo com o "achismo" do agente de trânsito. A prefeitura deveria investir em tecnologia. Semáforos inteligentes usando não sensores e sim sistema dos próprios celulares dos usuários da via. se existe contenção de fluxo em uma via o sistema automaticamente detecta e faz a liberação do sinal verde. Sistema usado em São José dos Campos, interior paulista. Iria dá muita fluidez ao trânsito sem nenhuma obra estruturante.

  3. Senna disse:

    Quem circula pela Av. Rui Barbosa sofre muito, pois os motoristas principalmente de ônibus que fecham o cruzamento com a Bernardo Vieira demonstrando um despreparo e desrespeito total.

  4. LOL disse:

    essa "solução" da Rua Alberto Silva não poderia ser mais ridícula! Além de em nada melhorar o tráfego na própria rua interditada, só aumenta o engarrafamento nas Avs. Alexandrino de Alencar e Salgado Filho, ao jogar para lá todo o fluxo…
    OU seja, trapalhadas e transtorno urbano… solução real, zero!

  5. natalsofrida disse:

    Enfim algo proveitoso, só sabem multar os cidadãos de bem. Esquecer de usar o cinto de segurança, é normal hoje, devido as inúmeras obrigações que o estado nos impõe.

    • Minion doente disse:

      Como é que e? Esquecer de usar o cinto é normal? Então nesse seu raciocínio excesso de velocidade , usar o celular em quanto dirige , beber e dirigir também é normal?

Ibama rejeitou relatório contra navio grego suspeito de derramar óleo antes da operação da PF

Relatório da empresa Hex Tecnologias Geoespaciais que baseia investigação da Polícia Federal sobre origem de manchas de óleo — Foto: Reprodução

O relatório que embasou a Operação Mácula, da Polícia Federal, deflagrada em novembro contra navios suspeitos de derramar petróleo no litoral, já havia sido rejeitado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). O documento se baseava na localização de uma mancha, com aparência de óleo, e no rastreamento de navios que passaram por aquele ponto. Entretanto, para o Ibama, as provas eram frágeis.

O aspecto da mancha, a falta de dados como a localização, o satélite usado e a composição colorida para montar a imagem – elementos que trazem credibilidade a documentos técnicos como este – foram cruciais para que o estudo fosse rejeitado, disse em entrevista ao G1 Pedro Bignelli, coordenador-geral do Centro Nacional de Monitoramento e Informações Ambientais (Cenima), ligado ao Ibama.

A mesma declaração foi dada a deputados nesta terça-feira (17), durante um depoimento a deputados na CPI do Óleo, que investiga o desastre ambiental na Câmara.

Estudo da HEX

Segundo Bignelli, a empresa HEX Tecnologia, responsável pelo relatório, havia feito um estudo em que apontava uma mancha com aparência de óleo ao lado da trajetória de navios.

Em outubro, os responsáveis pela HEX foram até o Ibama apresentar a descoberta. Como a empresa tem contrato de prestação de serviço com o Ibama, eles pediram que fosse emitida uma ordem de serviço para pagar o trabalho.

“Há uma cláusula no contrato que permite a eles fazerem isso, não é ilegal. Mas como envolvia uma quantia expressiva de dinheiro, e eu ao bater o olho vi ali problemas, remeti ao meu diretor a minha avaliação”, conta Bignelli.

“Expliquei para o meu diretor que eu não tinha sido convencido, pelo aspecto da mancha e pela falta de informação no relatório. Eu trato essas imagens [de satélite] há 25 anos, tenho dois doutores no assunto aqui que ajudaram a avaliar. Disse [ao diretor] que não arriscaria meu currículo naquele relatório, que não acreditava naquele documento” – Pedro Bignelli, coordenador-geral do Cenima

No dia seguinte, segundo Bignelli, a HEX Tecnologia foi à Polícia Federal apresentar o relatório, que foi aceito pela corporação e submetido à Superintendência do Rio Grande do Norte. Em 1º de novembro, a operação foi deflagrada.

“Após a operação eu tive acesso ao relatório completo e fiz o caminho inverso: fui buscar as imagens que eles haviam usado e comprovei que meu veredito estava certo. Não era óleo, era clorofila” – Bignelli

Novos estudos sobre a origem do óleo

Bignelli afirma que o Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) está desenvolvendo um novo estudo para localizar a origem das manchas de óleo.

Já que as análises de pontos mais próximos à costa brasileira ainda não apontaram uma hipótese que explicasse o que causou o maior desastre do litoral do país, os pesquisadores do Inpe passaram a vasculhar regiões a Oeste, mais próximas à África, para ver se encontram possíveis derramamentos de óleo.

“O Inpe conseguiu colecionar uma série de gráficos de navios e imagens mais a Oeste, mais à África, e também dados meteorológicos”, diz Bignelli. “O problema é que em nenhum momento este óleo foi detectável [na superfície], então não sabemos o que houve no meio do caminho [entre o derramamento e o aparecimento no litoral]”, afirma.

Mais de 100 dias de registro de manchas

Mais de 100 dias após a primeira mancha surgir em agosto, na Paraíba, 966 pontos do litoral do Nordeste e estados do Sudeste já foram atingidos pelo óleo, segundo o mais recente balanço do Ibama.

Em algumas semanas, as manchas de óleo se espalharam pelos 9 estados do Nordeste – Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe – e, em novembro, chegaram ao Espírito Santo e ao Rio de Janeiro.

Para Pedro Bignelli, será difícil encontrar uma explicação para o desastre. “Perdemos o timing”, afirmou ao G1.

“Perdemos o ‘timing’. Quanto mais passa o tempo, mais difícil encontrar a origem das manchas de óleo. Você perde as conexões, precisa mapear as correntes e, como espalhou demais, puxar o fio da meada é complicado” – Pedro Bignelli, coordenador-geral do Cenima.

Investigações

Mais de um mês após as manchas surgirem na Paraíba, o presidente Jair Bolsonaro determinou em 5 de outubro que fosse feita uma investigação para encontrar de onde vinha o petróleo. Ele deu o prazo de 48 horas para que fossem apresentados “os dados coletados e as providências adotadas”. Entretanto, as ações se concentravam em limpar as praias, já que a mancha não era visível na superfície do oceano.

Em 25 de outubro, a Petrobras informou que o óleo recolhido nas praias tinha características semelhantes àquele produzido na Venezuela.

Em 1º de novembro, a Polícia Federal deflagrou a Operação Mácula e apontou um navio grego como suspeito pelo derramamento: o petroleiro Bouboulina. Ele se tornou alvo da operação porque carregou 1 milhão de barris do petróleo tipo Merey 16 cru no Porto de José, na Venezuela, no dia 15 de julho, e zarpou no dia 18 com destino à Malásia, passando pelo Brasil em 28 de julho. Foi nesta data que a empresa HEX Tecnologias Espaciais disse ter encontrado manchas de óleo no oceano próximo à costa por onde passou o Bouboulina. O relatório foi base da operação da PF.

A empresa responsável pela embarcação no Brasil, a Delta Tankers, negou a suspeita e afirmou que “não há provas” de que o navio Bouboulina vazou petróleo na costa do Brasil. Dias depois a empresa foi notificada e, desde então, a Marinha não divulga novidades sobre a investigação.

No início de dezembro, o comandante de Operações Navais da Marinha, Leonardo Puntel, afirmou em audiência no Senado que não há provas que identifiquem o responsável pelo vazamento.

G1

 

Polícia faz operação contra desvio de dinheiro em entidades do futebol carioca

Policiais civis e integrantes do Ministério Público cumprem nesta quarta-feira(18) treze mandados de busca e apreensão contra suspeitos de desviar dinheiro de entidades ligadas ao futebol carioca. A Operação Cartão Vermelho também pede a quebra de sigilo bancário e fiscal dos investigados.

Os mandados serão cumpridos nas residências do presidente do Sindicato de Árbitros do Estado do Rio de Janeiro, do presidente da Cooperativa dos Árbitros de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Coopaferj), de integrantes das duas entidades, além das sedes dos órgãos e da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj).

A investigação apura o desvio de dinheiro dessas entidades e o uso da Coopaferj para arrecadar dinheiro para os dirigentes, sem nenhuma contraprestação ou transparência nas contas, de acordo com a Polícia Civil.

Agência Brasil