Polícia

Criança de 9 anos desligou relógio de sede de vacinação no Espírito Santo, diz delegado; ato resultou em perda de todas as vacinas disponíveis contra a Covid-19

Fotos: Reprodução/TV Gazeta

Um menino de nove anos foi o responsável por desligar o relógio de energia elétrica da sede de vacinação de Rio Bananal, no Norte do Espírito Santo, de acordo com a Polícia Civil. O ato fez com que a cidade perdesse todas as vacinas disponíveis contra a Covid-19. Outros tipos de vacina, assim como testes de sangue e medicamentos, também foram perdidos.

As informações sobre a conclusão das investigações foram divulgadas pela Polícia Civil no final da manhã desta sexta-feira (19). De acordo com o delegado Fabrício Lucindo, titular da Delegacia de Rio Bananal, a análise de imagens de câmeras de segurança permitiram que a polícia desvendasse o caso. As imagens não foram divulgadas.

Inicialmente, a Prefeitura de Rio Bananal suspeitou que o desligamento da energia tivesse sido um ato de vandalismo.

“Pelo depoimento das pessoas que estiveram no local, conseguimos delimitar o horário em que o relógio foi desligado. A partir daí, pelo relógio das câmeras, percebemos que uma criança, de apenas nove anos, que estava brincando no local, acabou subindo em um banco de praça que fica em frente ao relógio. Curioso porque uma lâmpada vermelha piscava dentro do relógio o tempo todo, ele acabou desligando o relógio para tentar apagá-la. Desligando o relógio e apagando a lâmpada, ele voltou com as brincadeiras novamente. Ou seja, uma brincadeira de criança inocente que acabou gerando todo esse problema”, detalhou o delegado.

Ainda de acordo com Fabrício Lucindo a palavra “corona” que estava escrita no relógio e que reforçou as suspeitas de que o ato tivesse sido praticado de forma proposital, na verdade foi escrita pela irmã do menino, duas semanas antes do desligamento do relógio.

A Polícia Civil informou que o inquérito será concluído e remetido ao Ministério Público, com cópia para o Conselho Tutelar, que adotarão as providências cabíveis.

Perda de vacinas

A descoberta da perda das vacinas aconteceu nesta quinta (18), quando a sede de vacinação de Rio Bananal foi reaberta, após o feriado de carnaval. Segundo a prefeitura, 133 doses da CoronaVac ficaram armazenadas em temperatura inadequada e, por isso, não podem ser usadas até que sua qualidade seja atestada por uma avaliação. Elas seriam aplicadas em profissionais de saúde na segunda etapa da vacinação.

O município de aproximadamente 19 mil habitantes recebeu 479 doses de vacinas desde o dia 19 de janeiro.

Em um vídeo divulgado pela própria prefeitura, a coordenadora de Imunização de Rio Bananal, Márcia Venturim, afirmou que recebeu a ligação da servente do local por volta das 5h30 desta quinta informando que o prédio estava sem energia e que a geladeira estava apitando.

Ao chegar à sede, Márcia constatou que a geladeira estava desligada e que os itens armazenados já estavam descongelando. Segundo a coordenadora, além das vacinas contra a Covid-19, imunizantes contra outras doenças também foram perdidos.

”Estava cheia das vacinas, não só das vacinas de Covid-19, mas também todas as vacinas do município estavam sendo armazenadas aqui por segurança durante o feriadão e a temperatura dela já estava em 23 graus, totalmente estragado”, disse Márcia.

Assim como o estoque de vacinas, foram perdidos também toda a medicação de alto custo e todos os testes de sangue para Covid-19 que haviam sido coletados na quinta e na sexta-feira da última semana e que seriam enviados ao Laboratório Central (Lacen).

Vacinas serão avaliadas

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), por meio da coordenação do Programa Estadual de Imunizações e Doenças Imunopreveníveis, informou que o município é orientado a proceder a separação das doses e as manter em temperaturas adequadas (entre +2 a +8ºC).

Ainda de acordo com a coordenação, o município deve preencher um formulário sobre o episódio que será remetido ao Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) para avaliação.

“Os parâmetros de estabilidade da vacina serão avaliados pelo INCQS sobre o uso ou não dos imunobiológicos. Enquanto estão sob análise do INCQS, a Sesa possui reserva técnica para suprir o município”, diz parte da nota da Sesa.

G1 – ES

 

Opinião dos leitores

  1. Que quadro Elétrico é esse que fica exposto assim.
    Tem caroço nesse angú.
    A família tem que ser responsável pelo ato desse garoto. Se esse mesmo garoto fosse desligar o relógio e levasse uma descarga elétrica e fosse óbito os pais iriam pedir mais indenização milionária do município.
    Seria bom tbm verificar se os pais o incentivaram e tbm verificar em quem votaram.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

TRAGÉDIA: Picada de escorpião dentro de casa no ES mata bebê de 1 ano

Foto: Reprodução/TV Gazeta

Um bebê de um ano morreu após ser picado por um escorpião no último domingo (13) em Pedro Canário, no Norte do Espírito Santo. Davi Matos Rebonato passou por atendimento em três unidades hospitalares, mas não resistiu ao veneno do aracnídeo.

De acordo com os pais de Davi, o menino foi picado na perna dentro de um cômodo vazio.

“Eu vi porque eu matei o escorpião. Eu corri para o hospital de Pedro Canário com ele”, contou o pai da criança, José Roberto Rebonato.

O hospital municipal de Pedro Canário foi a primeira parada da família em busca de atendimento para o menino.

Segundo José Roberto, a recepcionista informou que havia soro disponível para ser aplicado, mas, cerca de meia hora depois, o médico da unidade afirmou que as doses estavam em falta.

Davi, então, foi transferido para o Hospital Estadual Roberto Silvares, em São Mateus, que fica a cerca de 40 minutos de Pedro Canário, onde recebeu o soro. Depois disso, o menino foi levado para um hospital particular na mesma cidade, onde morreu.

“Chegando no hospital ele teve duas paradas cardíacas. A médica falou para mim que tinha conseguido reanimar ele, mas que o estado era grave. Mais para frente ele teve outra parada e não resistiu”, lamentou o pai.

José Roberto reclama da demora para o atendimento do filho, já que o percurso entre os hospitais durou horas, o que para a família teria levado ao agravamento do quadro de saúde de Davi.

O menino foi enterrado nesta segunda-feira (14).

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) afirmou que Davi recebeu todos os cuidados na emergência da pediatria do Hospital Roberto Silvares, onde foi aplicado o soro antiescorpiônico e foram realizados os exames e medicações necessários.

A entidade esclareceu que o menino foi transferido para o hospital particular devido à necessidade de internação em uma UTI pediátrica.

A Secretaria de Saúde de Pedro Canário informou em nota que lamenta a morte do menino e que está à disposição da família da criança para qualquer esclarecimento.

A nota informa ainda que o médico plantonista constatou que o hospital não possuía o soro antiescorpiônico e encaminhou o garoto para o Hospital Roberto Silvares, em São Mateus.

O texto diz que o soro para picada de escorpião está em falta em vários lugares do Brasil, mas que, segundo orientação do Centro de Atendimento Toxicológico, na falta do soro antiescorpiônico, deve ser utilizado o soro antiaracnídio, ou seja, um soro para picada de aranha, e que o hospital tinha esse soro.

A informa também que a secretaria já solicitou o relatório completo do atendimento ao Hospital Menino Jesus.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Sem Gilmar e Somália, ABC divulga relacionados para estreia na Copa do Brasil; meia vindo do Botafogo na lista

A comissão técnica abecedista definiu no final da manhã dessa segunda-feira (10), após o treino de reapresentação do elenco alvinegro, a relação com os jogadores convocados para a estreia do alvinegro na Copa do Brasil, marcada para esta quarta-feira (12), contra a Desportiva/ES, em Cariacica (ES).

O treinador Roberto Fernandes relacionou 18 atletas para a partida. O técnico ainda não conta com o zagueiro Paulão, que está em fase final de recuperação de lesão, além do volante Rafinha, os meias Junior Timbó e Gabriel Nunes e o atacante Gilmar, todos entregues ao Departamento Médico. Além deles, o comandante abecedista não terá o volante Somália, que se queixou de dores no joelho e foi poupado.

A boa notícia é o retorno do volante Daniel Paulista, que ficou fora do último compromisso do Alvinegro no Campeonato Potiguar, com uma lesão muscular. A novidade é a presença do meia Octávio, recém-contratado junto ao Botafogo/RJ, que se apresentou e já viajou com o grupo.

Confira a relação completa:

Goleiros: Bruno Fuso e Camilo;

Laterais: Patrick e Guto;

Zagueiros: Samuel, Suéliton e Marlon;

Volantes: Daniel Paulista, Daniel Amora e Michel Schmoller;

Meias: Moisés, Robertinho e Octávio;

Atacantes: Lúcio Curió, Lúcio Flávio, Alvinho, Leandro e Lynneeker.

Do site do ABC

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *