Geral

Bebê de dois meses é salva por PM após se engasgar em Mossoró

Foto: Hugo Andrade/Inter TV Costa Branca

O portal G1-RN destaca nesta terça-feira(08) o caso de uma bebê de dois meses salva por um policial militar após se engasgar na cidade de Mossoró, no Oeste potiguar. Os pais de Áyla Sophia já estavam levando a menina um hospital quando encontraram a viatura da PM. O policial estava no lugar certo, na hora certa e a história ocorrida nessa segunda-feira(07) teve um final feliz. Veja reportagem completa AQUI.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Polícia investiga ocorrência de bebê de 3 meses encontrado morto dentro de casa no interior do RN

Um bebê de três meses foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (17), dentro de casa, no município de Luis Gomes, na região Oeste potiguar. A mãe da criança, que tem 24 anos, foi levada pela Polícia Militar à delegacia para prestar depoimento e disse que não sabia o que teria acontecido. De acordo com a PM, a mulher era separada do pai e morava na casa só com o bebê e uma filha que tem entre 3 e 4 anos de idade.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

FOTO: Bebê faz ‘V de vitória’ durante ultrassom e pai com câncer raro vê sinal divino

Foto: Arquivo Pessoal/Felipe Moreira dos Santos

Ao acompanhar o exame de ultrassonografia de sexto mês do primeiro filho, Felipe Moreira dos Santos, de 32 anos, teve um grata surpresa: o bebê fez um ‘V de vitória’ com a mãozinha, dentro do útero. O rapaz, que é morador de Guarujá, no litoral de São Paulo, encarou como um sinal divino, já que enfrenta um câncer raro no baço.

Há cerca de nove meses, Moreira descobriu um tumor maligno de 20 centímetro no rim esquerdo e teve de ser submetido a uma cirurgia de emergência para a retirada do órgão. “Antes da cirurgia, pedi para QUE Deus que não me levasse, porque meu sonho é ser pai. Um mês depois da cirurgia, minha mulher ficou grávida e vou ser pai”, conta em entrevista ao G1.

Ao realizar novo exame para saber se havia vestígios da doença em seu corpo, Moreira descobriu que um novo tumor estava alojado em seu baço, e então, seguiu para Barretos (SP), onde deu início a novo tratamento no Hospital do Amor.

Felipe descobriu câncer raro há pouco mais de nove meses — Foto: Arquivo Pessoal

Durante esse tempo, ele torcia para que o bebê fosse um menino, pois também havia pedido isso em suas orações, conforme conta. Em um primeiro momento, os médicos informaram que se tratava de uma menina, mas, desconfiados, os pais resolveram fazer novos exames, que confirmaram o desejo de Felipe.

Ultrassom reveladora

Felipe revela que nunca conseguia acompanhar a esposa, Camila Ferreira, durante as consultas de pré-natal, devido ao tratamento. Com a quimioterapia, a imunidade fica muito baixa. “Dessa vez, ela insistiu para eu ir junto, e falei que não sabia se conseguiria. Na noite anterior, ela me perguntou de novo, mas disse que não sabia como ia acordar. De manhã, me senti um pouco melhor, e decidi ir junto”, diz ele.

Pais esperam pelo nascimento do pequeno Davi — Foto: Arquivo Pessoal/Felipe Moreira dos Santos

O rapaz conta que ver o ultrassom já é bem emocionante, porque consegue observar como o bebê está e ouvir seu coraçãozinho. Mas, desta vez, ele se deparou com a surpresa de ver o filho Davi fazendo um sinal de ‘V’ com uma das mãozinhas. “Até a médica falou: ‘olha, ele fez o sinalzinho de vitória com a mão’. Eu fiquei sem acreditar”, afirma. Ele encara a situação como um sinal divino de que vai conseguir superar o tratamento e vencer a doença.

“O filho que eu pedi para Deus foi para superar tudo isso que estou passando. Esse sinal foi para fechar com chave de ouro, para eu ter certeza que vou vencer. Se não tivesse ido, não teria visto isso, porque minha mulher não ia conseguir gravar. Aí, eu vou para o ultrassom e tem um sinal desse, parece que é para a minha fé aumentar. Me dá mais força para poder vencer o câncer. Com certeza, foi um sinal divino”, finaliza.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homem e uma travesti são presos no interior do RN suspeitos de estupro contra bebê de 4 meses; ato foi postado em vídeo em redes sociais

O G1-RN destaca nesta quinta-feira(08) que a Polícia Militar prendeu e levou à delegacia um homem e uma travesti suspeitos de estupro contra um bebê de 4 meses no interior do Rio Grande do Norte. Um adolescente, que é irmão da vítima e teria participado do crime também se apresentou à Polícia Civil no final desta manhã desta quinta-feira (8). Um vídeo do crime foi postado pelos próprios envolvidos nas redes sociais.

Segundo o sargento Francisco Marinho, da Polícia Militar, o estupro de vulnerável aconteceu na tarde desta quarta-feira (7) em Canguaretama, no Litoral Sul, foi filmado por um dos envolvidos e compartilhado nas redes sociais. Nas imagens, o adolescente e outro jovem aparecem “manipulando” o órgão sexual do bebê, como em um ato de masturbação, em cima de uma cama – o terceiro envolvido filmava a cena.

Segundo a Polícia Civil, ao final das investigações, os suspeitos poderão responder por estupro de vulnerável e produção imagens contendo pornografia infantil.

Mais detalhes AQUI em texto na íntegra.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Policiais militares salvam bebê engasgado em Mossoró

Foto: Divulgação/PM/ASSECOM

Por volta do meio dia dessa terça-feira (02), Policiais Militares do Tático Operacional Rodoviário (TOR) CPRE/2°DPRE de Mossoró, em patrulhamento nas proximidades da BR 304 saída para Natal, se deparam com um casal desesperado dentro de um veículo e, ao se aproximarem, perceberam que um recém-nascido de 23 dias estava engasgado. Prontamente, a equipe da PM iniciou os primeiros socorros realizando massagens no bebê, após a execução da técnica adequada para desengasgar, o recém-nascido começou a chorar, voltando a respirar.

Os policiais realizaram a condução do bebê para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Alto de São Manoel, onde recebeu os cuidados médicos e foi liberada após período de observação médica.

Opinião dos leitores

  1. Parabéns a PM, sempre muito sofrida e com trabalho pouco reconhecido pela sociedade. Novamente, parabéns!

  2. Mais uma vez a PM mostra seu valor.
    Parabéns aqueles que vestem a farda de forma ordeira, responsável e leva dignidade aos policiais. Mas parte da mídia só mostra atuação da PM quando abate bandido.

  3. Parabéns aos nobre policiais pela vida salva dessa criancinha. Que Deus ilumine a estrada de cada um.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Bebê de 11 meses cai de primeiro andar de prédio no Seridó

O portal G1-RN noticia nesta quarta-feira(02) que uma criança de 11 meses caiu do primeiro andar de um prédio, uma altura de aproximadamente 4 metros, no município de Parelhas, região Seridó potiguar. O caso aconteceu na tarde dessa terça-feira (1). As circunstâncias da queda não foram esclarecidas.

A matéria ainda destaca que de acordo com informações de familiares, o bebê fez uma exame tomografia e foi diagnosticado com traumatismo craniano. Os médicos estabilizaram a criança e, em seguida, ela foi transferida para o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, em Natal.

Opinião dos leitores

  1. Entra Governo e sai governo e a promessa de construir um hospital Regional de Emergência no Seridó nunca é cumprida.
    Muitos hospitais no interior mal tem um RX.

    1. Uiii, concordei com vc, vou dar um exemplo, Se um infarta, o único exame é eletrocardiograma e o SAMU pra enviar pra Natal, dezenas de pessoas teriam sido salvas se já tivesse como fazer cateterismo no Serido. Quando tem a crise , o médico pede o cateterismo e demora um ano ou mais para ser autorizado, digo de certeza, tenho amigos por lá já esperando há dois anos por esse exame.

    2. Pois é Alexandre Magnus, o problema é falta de equipamentos, médicos especialistas, todo e qualquer problema que requeira imagens, cuidados especiais, os pacientes são transferidos para o Walfredo Gurgel ou Deoclecio Marques. O de Caicó e CN suas emergências são limitadas a pequenos casos.

    3. Um amigo quê enfartou no município de Jaçanã, realizou um procedimento cirúrgico após infarto no hospital de Currais Novos.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Como é possível que um bebê nasça com anticorpos da covid-19

Foto: Pixabay

Um bebê nasceu com anticorpos para a covid-19 na Espanha no final de outubro. A mãe teve o diagnóstico positivo para o coronavírus ao dar entrada no hospital e fazer o exame RT-PCR. O mesmo aconteceu com o recém-nascido. Mas, 48 horas depois, o exame foi repetido e deu negativo. Já o teste sorológico, que detecta anticorpos, deu positivo. A possibilidade mais cogitada é que as moléculas de defesa detectadas foram transmitidas da mãe para a criança.

“A gente sabe que todas as crianças recebem passivamente os anticorpos da mãe. Acredito que não foi anticorpo propriamente produzido pelo bebê”, afirma a infectopediatra Andrea Mansinho, da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Por sua vez, o pediatra e neonatologista Nelson Douglas Ejzenbaum, membro da Academia Americana de Pediatria, levanta a hipótese de que o bebê tenha sido infectado pelo coronavírus dentro do útero e desenvolvido anticorpos contra o invasor.

Andrea não descarta essa alternativa, mas destaca que as moléculas produzidas pelo recém-nascido dificilmente são identificadas em exames. “Com certeza tem mais anticorpos da mãe do que do bebê, ele tem mais dificuldade de produzir anticorpos em um nível detectável, porque seu sistema de defesa ainda é muito frágil”, pondera.

A médica explica que tanto os anticorpos quanto a infecção pelo coronavírus podem ter sido transmitidos pela placenta, orgão que tem como função nutrir o feto. “Tudo que circula no sangue [da grávida] vai chegar na placenta, que tem um fluxo sanguíneo muito alto, e ser recebido pelo bebê, por meio do cordão umbilical”, detalha.

Ela acrescenta que a amamentação também é uma via para a passagem de anticorpos. “Depois que nasce, ele pode ganhar mais anticorpos pelo leite materno, e isso é muito benéfico. Nos primeiros 6 meses, a criança tem uma grande quantidade de anticorpos vindos da mãe, que parmanecem por até um ano no organismo”, esclarece.

Por outro lado, tanto Andrea como Ejzenbaum enfatizam que não existem evidências científicas sobre a transmissão do coronavírus pelo leite materno. “Então, a recomendação é que a mãe, mesmo estando infectada, amamente, mas use máscara e higienize as mãos antes de pegar o bebê”, conclui a infectopediatra da BP.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

TRAGÉDIA: Picada de escorpião dentro de casa no ES mata bebê de 1 ano

Foto: Reprodução/TV Gazeta

Um bebê de um ano morreu após ser picado por um escorpião no último domingo (13) em Pedro Canário, no Norte do Espírito Santo. Davi Matos Rebonato passou por atendimento em três unidades hospitalares, mas não resistiu ao veneno do aracnídeo.

De acordo com os pais de Davi, o menino foi picado na perna dentro de um cômodo vazio.

“Eu vi porque eu matei o escorpião. Eu corri para o hospital de Pedro Canário com ele”, contou o pai da criança, José Roberto Rebonato.

O hospital municipal de Pedro Canário foi a primeira parada da família em busca de atendimento para o menino.

Segundo José Roberto, a recepcionista informou que havia soro disponível para ser aplicado, mas, cerca de meia hora depois, o médico da unidade afirmou que as doses estavam em falta.

Davi, então, foi transferido para o Hospital Estadual Roberto Silvares, em São Mateus, que fica a cerca de 40 minutos de Pedro Canário, onde recebeu o soro. Depois disso, o menino foi levado para um hospital particular na mesma cidade, onde morreu.

“Chegando no hospital ele teve duas paradas cardíacas. A médica falou para mim que tinha conseguido reanimar ele, mas que o estado era grave. Mais para frente ele teve outra parada e não resistiu”, lamentou o pai.

José Roberto reclama da demora para o atendimento do filho, já que o percurso entre os hospitais durou horas, o que para a família teria levado ao agravamento do quadro de saúde de Davi.

O menino foi enterrado nesta segunda-feira (14).

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) afirmou que Davi recebeu todos os cuidados na emergência da pediatria do Hospital Roberto Silvares, onde foi aplicado o soro antiescorpiônico e foram realizados os exames e medicações necessários.

A entidade esclareceu que o menino foi transferido para o hospital particular devido à necessidade de internação em uma UTI pediátrica.

A Secretaria de Saúde de Pedro Canário informou em nota que lamenta a morte do menino e que está à disposição da família da criança para qualquer esclarecimento.

A nota informa ainda que o médico plantonista constatou que o hospital não possuía o soro antiescorpiônico e encaminhou o garoto para o Hospital Roberto Silvares, em São Mateus.

O texto diz que o soro para picada de escorpião está em falta em vários lugares do Brasil, mas que, segundo orientação do Centro de Atendimento Toxicológico, na falta do soro antiescorpiônico, deve ser utilizado o soro antiaracnídio, ou seja, um soro para picada de aranha, e que o hospital tinha esse soro.

A informa também que a secretaria já solicitou o relatório completo do atendimento ao Hospital Menino Jesus.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Mãe busca ‘remédio mais caro do mundo’, de R$ 12 milhões, para salvar bebê de 1 ano em São Paulo

Fotos: Arquivo Pessoal

O pequeno Arthur Ferreira Belo, de apenas 1 ano e 8 meses, enfrenta uma difícil luta pela vida após ser diagnosticado com o tipo 1 da Atrofia Muscular Espinhal (AME), o mais agressivo da doença. Agora, sua família corre contra o tempo para arrecadar cerca de R$ 12 milhões e comprar o ‘remédio mais caro do mundo’, capaz de neutralizar os efeitos da doença e permitir um grande avanço no tratamento.

Para isso, foi criada uma ‘vaquinha virtual’ com o objetivo de arrecadar, até 8 de outubro, o valor necessário para importar o medicamento dos Estados Unidos. A ideia da campanha surgiu após a família de Arthur ver outros casos de vaquinhas virtuais bem sucedidas, como é o caso da Sarah e do Heitor, cujas histórias foram divulgadas pelo G1.

Segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado, a Atrofia Muscular Espinhal é uma doença rara, degenerativa e genética, que interfere na capacidade do corpo de produzir uma proteína essencial para a sobrevivência dos neurônios motores, responsáveis pelos gestos voluntários vitais simples do corpo, como respirar, engolir e se mover. Apesar da atrofia, os pais garantem que o pequeno é muito esperto, encantador e risonho.

Arthur foi diagnosticado quando tinha apenas três meses de vida, e a notícia abalou toda a família. Isso porque a AME é a maior causa genética de morte de crianças com até 2 anos. Agora, a grande esperança dos pais é o medicamento Zolgensma, aprovado em maio de 2019 nos Estados Unidos, que promete um grande avanço na recuperação dos pacientes.

O grande problema é que esse é o remédio mais caro do mundo. Como não é vendido no Brasil, a família de Arthur precisa importá-lo dos Estados Unidos, onde chega a custar 2,125 milhões de dólares. Pela cotação atual, o medicamento pode custar R$ 11.325 milhões. Por isso, a mãe Alessandra Ferreira Santos, de 28 anos, resolveu criar uma ‘vaquinha virtual’ para arrecadar o valor.

“Temos esperança e muita fé nesse remédio. Por ser tão caro, acredito que trará um efeito positivo e que ele volte a andar. Tudo o que eu e meu marido queremos é que o nosso filho tenha a vida mais ‘normal’ possível. Mas, temos apenas três meses para arrecadar o valor, porque a medicação faz efeito somente até os dois anos, e a burocracia ainda demora. Temos muito medo de perder o Arthur”.

A família busca fazer a campanha da forma mais transparente possível. Pelas redes sociais, são postados todos os valores arrecadados por mês e quanto falta para alcançar a meta. Além disso, Alessandra e os voluntários postam outras formas de arrecadação de verba, como rifas e bingos.

Quando a campanha foi lançada, em outubro do ano passado, o dólar estava mais baixo e a família precisava de R$ 9 milhões. Agora, necessita de quase R$ 12 milhões, além da quantia necessária para pagar os custos hospitalares. “Sempre fazemos prestação de contas. Muitas pessoas acabam questionando a gente pela mudança de valor”.

Disgnóstico

Alessandra conta que, quando Arthur nasceu, percebeu que o bebê era mais ‘mole’ do que o comum, mas foi tranquilizada pelos pediatras. Mas, o tempo foi passando e, aos três meses de vida, a mãe percebeu que ele ainda não conseguia segurar o pescoço e engasgava quando mamava. Foi quando ela decidiu procurar um médico para entender o que estava acontecendo.

“Encontramos um rapaz no pronto-socorro que nos recomendou um hospital que tratava doenças raras. Fomos até lá, fizeram testes por três dias, e diagnosticaram ele com atrofia muscular. O médico disse que ele tinha uma doença rara, degenerativa, com expectativa de vida de apenas dois anos. Foi um choque, porque nunca tínhamos ouvido falar disso”, explica.

Para confirmar o diagnóstico, Arthur passou por um teste de DNA, que apontou que ele tinha o tipo 1 da doença, o mais severo. Pouco tempo depois, ele passou por duas cirurgias de traqueostomia e gastrostomia, que permitem a respiração mecânica e o suporte nutricional, respectivamente. Em seguida, o plano de saúde liberou o tratamento com o remédio Nusinersena (Spinraza).

O medicamento é o único registrado no Brasil para o tratamento da AME. Diversos estudos apontam sua eficácia na interrupção da evolução da atrofia para quadros mais graves, que são prevalentes na maioria dos pacientes. Arthur chegou a tomar seis doses do remédio, mas a evolução no tratamento continua muito lenta.

“Ele toma uma dose a cada quatro meses. Mas, se interromper, perde totalmente o efeito de tudo que já tomou. O Zolgensma é uma dose única, e pelo que acompanhamos de outras crianças, promete uma evolução muito boa no tratamento. Hoje, vivemos com medo, pois já vimos muitos pacientes morrerem por conta da doença”.

Atualmente, Arthur mexe um pouco os braços e as pernas com a ajuda dos pais e fisioterapeutas, mas não consegue segurar objetos nem andar. Além disso, depende de ventilação mecânica 24 horas por dia, pois não consegue respirar sozinho. Com o ‘remédio mais caro do mundo’, a família busca dar maior qualidade de vida para o pequeno, que hoje sofre uma dura rotina.

De acordo com Alessandra, o medicamento vai direto para a corrente sanguínea e faz com que a proteína que não é produzida pelo paciente com AME passe a ser produzida, permitindo que os neurônios que sobreviveram possam se manter vivos e, assim, recuperar o paciente.

“Sabemos que ele não vai sair correndo assim que tomar, mas temos esperança que ele aprenda a andar e que possamos diminuir os aparelhos. É tudo muito triste, ele está crescendo e não pode brincar com as outras crianças. Esse remédio é a nossa grande esperança”.

Os pais também esperam que, quando Arthur finalmente tomar o medicamento, eles possam realizar um sonho que precisou ser adiado com o descobrimento da doença: conhecer a praia e o mar na Baixada Santista. “Nós havíamos feito muitos planos, íamos levá-lo para Mongaguá, mas os médicos não deixaram. Um dos meus sonhos é apresentar a praia para o meu filho”, finaliza.

Especialista

De acordo com a neurologista Andrea Anacleto, a Atrofia Muscular Espinhal proximal tipo 1 é uma doença rara, sem cura e que evolui de forma grave na infância, caracterizada por fraqueza muscular grave e progressiva. Segundo a especialista, a doença é ligeiramente mais frequente em meninos do que em meninas, e o diagnóstico é baseado na história clínica e exame e pode ser confirmado por teste genético.

Com a doença, o bebê geralmente apresenta fraqueza muscular grave, que afeta primeiro os braços e as pernas nas regiões proximais e depois passa para as extremidades, como mãos e pés, além de dificuldade de alimentação e insuficiência respiratória, conforme explica a neurologista.

Segundo Andrea, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta assinou a incorporação do medicamento Nusinersena na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais do Sistema Único de Saúde (SUS). Além dessa medicação, deve ser orientada uma abordagem multidisciplinar com o objetivo de melhorar a qualidade de vida.

Nos Estados Unidos, a FDA, agência que regulamenta a aprovação de medicamentos no país, autorizou a venda do remédio Zolgensma, sendo esta uma terapia gênica indicada para o tratamento da AME, usada para deter a progressão da doença. Atualmente, essa medicação não está disponível no Brasil, havendo a necessidade de que, quando indicada, seja realizada a importação.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. O que o presidente tem a ver com rachadinha? Nada! a investigação e contra o senador Eduardo Bolsonaro. No direito brasileiro o pai não responde criminalmente pelos atos dos filhos.

  2. O que me deixa indignado são os políticos roubando com força no país e tirando dinheiro do erário para seu luxo pessoal enquanto seres humanos morrem. Vimos agora vários casos como compra de respiradores inexistentes via Consórcio Nordeste, Secretário de Saúde do Rio de janeiro com mais de 8.500.000,00 em espécie em casa e por aí vai. Os bandidos do PT que assaltaram o país em trilhões de reais bem que poderiam se compadecer e comprarem o medicamento,para queimarem menos no inferno para onde irão quando morrrerem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Mãe do bebê que foi a óbito em Natal-RN em decorrência da COVID-19 testa negativo para a doença

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal, SMS-NATAL, informa que nesta quinta-feira (09), o resultado do exame da mãe do bebê que faleceu com diagnóstico da COVID-19, na capital potiguar, foi liberado pelo LACEN e testou negativo para o novo Coronavírus.

A paciente fará um novo exame chamado sorologia para detecção de anticorpo para COVID-19. A SMS-Natal segue com as investigações epidemiológicas e a sorologia já é um outro passo deste procedimento.

Sorologia é a coleta o sangue do paciente e se refere ao diagnóstico e identificação de anticorpos no soro. A investigação é para saber se a mãe manteve contato com o Coronavírus em algum momento; neste caso terá desenvolvido o anticorpo contra o vírus específico. Após a realização do exame o resultado é liberado em até 24h.

O recém-nascido foi a óbito no dia 07 de abril e o resultado do exame deu positivo para COVID-19. A mãe apresentava quadro de hipertensão, diabetes, obesidade e síndrome respiratória a esclarecer. Ela encontra-se em isolamento domiciliar.

Opinião dos leitores

  1. É lamentável , por essa e outras como a omissão do uip em informar qual medicamento tomou para sua melhora ,que grande parte da população está desconfiada da real contaminação e morte pelo coronavirus.

  2. Como podem fazer esse alarmismo!!!
    Se a mãe ñ tem covid 19, como a criança recém nascido foi testado positivo? E o período de incubação? Foi mega ulta rápido!!!??? Como pode???
    Deveriam fazer todos os exames possíveis antes de divulgar, tirar todas as provas… assim pode evitar questionamentos.
    Fora isso é alarmismo histérico… propagação do caos.

  3. Este governo é uma piada. Fátima bezerra é uma das piores representantes do PT. Muito parecida e talvez gêmea de Dilma. O RN sofre com o desgoverno e falta de administração. Não tem planos, aporte e ainda disseminam o caos com números estapafúdios sobre a epdemia da mesma forma que LuLadrão sempre falou. Deveríamos sim, sair em protesto mesmo que pelas redes sociais contra este governo que quer lacrar os comerciantes e ainda botar a culpa no Governo Federal. Outra coisa, a ajuda de 600,00 foi do Governo Federal e não de Fátima Bezerra. Eita que este partideco de mentirosos e canalhas não perdem a mão. PT=VERGONHA NACIONAL.

  4. Duas causas para esse resultado absurdo:
    1-Incompetencia e má fé do governo estadual através da SESAP. Pessimizar os indicadores exigiria maior empenho e desembolso do gov. federal, já que segundo Fátima o governo estadual está quebrado e ela transfere responsabilidade que também é estadual.
    2-Os exames tem erros fortuitos nos resultado e precisam ser refeitos.

  5. A incompetente da governadora com a palavra cabo Silva, esse secretário está mais perdido que cego em tiroteio.

  6. Toda e qualquer morte agora é, covid-19, e a idosa de Tenente Ananias? Se for a fundo mesmo, nem 40% destas mortes realmente foram covid-19

    1. Acredito que você deveria se aprofundar ao comentar sobre algum assunto. Se a secretária está colocando como COVID, não iriam contabilizar essa morte sem o exame que comprovasse que era mesmo o vírus. Quando se faz registros, tem que ter a prova concreta do fato ocorrido, nada sai apenas de uma suposição.

  7. Isso só pode ser um deboche! Ne, nao? Como é que deixam o GURU CIPRIANO à frente dessa SESAP?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Secretaria Municipal de Saúde em Natal explica morte de bebê por Covid-19

Natal tem terceiro óbito em decorrência da COVID-19

A Secretaria Municipal de Saúde de Natal, SMS-NATAL, informa que nesta terça-feira (07), foi a óbito a terceira vítima diagnosticada com a COVID-19 na capital potiguar. O paciente era um recém-nascido, que nasceu de parto prematuro, com 30 semanas. De acordo com a nota, a mãe apresentava quadro de hipertensão, diabetes, obesidade e síndrome respiratória a esclarecer.

Segundo a Saúde em Natal, a paciente chegou no dia 02 de abril, ficou em isolamento respiratório e foi para a sala de parto de um hospital público. Na ocasião, foi feita uma cesariana e laqueadura, sendo admitida em seguida no isolamento do centro cirúrgico.  Ainda segundo a SMS, o recém-nascido foi a óbito no dia 07 de abril e o resultado do exame deu positivo para COVID-19.

“O exame da mãe foi realizado e aguarda a emissão do resultado pelo LACEN. Ela encontra-se em isolamento domiciliar. A Prefeitura de Natal se solidariza com familiares e amigos da vítima”, encerra nota.

Opinião dos leitores

  1. Quer dizer que o EXAME PEDIÁTRICO é diferente do exame do adulto? Entendi…kkkk
    #BORATRABALHAR

  2. Curioso. Parece que no RN as pessoas começaram a morrer agora. Absurda esta contagem (alguns a chamam de estatística) onde mal se perde a vida vão ligo dizendo que é Covid19. Estou concretizando minha desconfiança: esse pessoal da Secretaria de Saúde do Estado precisa de rumo, ou de primo, com queiram.

  3. Resta saber se a causa da morte foi o vírus. O fato do exame resultar positivo não quer dizer necessariamente que o bebê tenha morrido em função do vírus. Pode ter morrido por outra causa. Interessante a matéria fala de um monte de características da mãe… Nenhuma do bebê. Em tempos de terrorismo midiático, precisamos ficar atentos. Não estou dizendo que a causa não tenha sido o COVID-19, porém a notícia é pobre em detalhes.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bebê é encontrado engatinhando e chorando ao lado da família morta em montanha em Fiji

Foto: Reprodução/Twitter @fiji_force

Um bebê de um ano foi encontrado chorando ao lado de sua família morta em uma montanha em Nausori Highlands, Fiji.

Os moradores da região encontraram a menina de 1 ano de idade engatinhando ao lado dos corpos de cinco pessoas que estavam no fundo de um penhasco, nesta segunda-feira (26).

As autoridades de Fiji informaram que a causa da morte da família foi a ingestão de substância tóxica.

Policiais informaram que o bebê, identificado pela mídia local como Samaira Kumar, foi levado ao hospital e passa bem.

“Felizmente ela não andou porque ela teria caído no penhasco”, afirmou Kelera Toloi, 25, uma das pessoas que encontrou o bebê ao jornal local Fiji Sun. “Fico me perguntando que mente poderia ter feito uma coisa dessas”.

O funeral da família será realizado neste sábado.

Raj Kumar, irmão de uma das vítimas indentificada como Nirmal Kumar, afirmou ao jornal Stuff NZ que a família está lutando para aceitar a morte. “Não é um, são cinco. Não é um momento fácil”.

De acordo com a BBC, os investigadores estão interrogando duas pessoas sobre a morte da família, um homem e sua esposa.

R7

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bebê é encontrada morta em quintal de casa em Parnamirim

O portal G1-RN destaca nesta quarta-feira(27). O corpo de uma bebê foi encontrado nesta manhã no quintal de uma casa no bairro Rosa dos Ventos, em Parnamirim, na Grande Natal.  De acordo com a reportagem, a dona da casa contou que ouviu os cachorros latindo ainda na madrugada, mas que só levantou para ver o motivo da barulheira quando o dia amanheceu. Então, disse que, ao chegar no local, encontrou o corpo dentro de uma sacola e que a bebê não estava vestida.

Segundo a reportagem, dentro da casa, os policiais se depararam com a filha da proprietária, uma jovem de 20 anos, que apresentava um sangramento muito forte e estava com dificuldade de andar.

Para esclarecimentos, mãe e filha foram levadas para serem ouvidas na 1ª DP de Parnamirim. O delegado solicitou um exame de DNA para saber se a filha da dona da casa é a mãe da bebê morta.

https://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/noticia/2019/03/27/bebe-e-encontrada-morta-em-quintal-de-casa-na-grande-natal.ghtml

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Bebê que teve morte confirmada por médico é descoberto com vida no caixão

Foto: Shutterstock – Imagem ilustrativa – Confira a impressionante história deste bebê recém-nascido

Entenda o impressionante caso do bebê recém-nascido que foi encontrado com vida duas horas após ter tido sua morte declarada
O caso de um bebê recém-nascido impressionou o mundo. O pequeno Dhilan Daren nasceu prematuro de 27 semanas em Santa Cruz na Bolívia no dia 8 de fevereiro. O menino teve sua morte atestada pelos médicos do hospital em que nasceu, segundo eles, o pequeno morreu no parto.

Porém, quando sua mãe e seu pai colocaram o filho no caixão, horas após seu nascimento, eles ficaram impressionados ao perceberem que o pequeno estava respirando! Agora, o recém-nascido está internado na UTI neonatal do Hospital de la Mujer, o mesmo no qual nasceu.

O hospital está sendo investigado por negligência médica. Porém, de acordo com o diretor do hospital onde o parto ocorreu, Federico Urquizo, o pequeno veio ao mundo sem sinais vitais. “O recém-nascido não tinha nenhum sinal vital, então foi considerado morto. Os médicos seguiram o procedimento e checaram o menino um pouco após o nascimento e mais uma vez confirmaram que ele estava morto”, disse o diretor em entrevista à imprensa local.

Os médicos continuaram com o procedimento padrão para se atestar uma morte. “Uma hora após o parto, eles checaram novamente e o diagnóstico foi o mesmo. Duas horas depois, eles fizeram a última avaliação no bebê e comprovaram a morte”, afirmou o diretor.

Para o diretor do hospital, o caso não é uma negligência, mas sim um milagre. “A única coisa que eu posso dizer a todos é que foi um milagre”.

Além de aguardarem as respostas das investigações, os pais do pequeno Dhilan agora lutam para trocar a certidão de óbito do filho por uma certidão de nascimento. Richard Jurad, pai do menino, mostrou a certidão de óbito que havia assinado no hospital e agora aguarda a certidão de nascimento do filho.

Foto: CEN – O pai do bebê recém-nascido, Richard Jurad, agora aguarda a certidão de nascimento do filho

R7, via Bebe Mamãe

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

FOTOS: Bebê nasce e sai ileso em acidente que matou gestante em SP

Um bebê do sexo feminino nasceu em meio a um acidente automobilístico em que a barriga de sua mãe gestante foi atingida pela carga de um caminhão, na tarde desta quinta-feira, 26, na Rodovia Régis Bittencourt (BR-116), em Cajati, interior de São Paulo. A criança foi resgatada em meio às vísceras da mãe, atingida pela carga de pranchas de madeira processada do caminhão.

O médico que atendeu o bebê na rodovia e os profissionais de saúde que receberam a criança no hospital falam sobre a baixa possibilidade de a criança ter escapado de também ser uma vítima do acidente. Na tarde desta sexta-feira, 27, a bebê permanecia internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal do Hospital Regional de Pariquera-Açu, mas em bom estado de saúde. Sua mãe ainda não tinha sido identificada.

A mulher, em gestação adiantada, viajava de carona com o motorista do caminhão, no sentido Curitiba-São Paulo, quando o veículo capotou. A gestante foi projetada para fora da cabine e acabou esmagada pela carga. O médico que atende a concessionária da rodovia, Elton Fernando Barbosa, ainda se emociona quando conta o que viu quando chegou ao local. “Era um acidente grave e havia relato de uma pessoa morta. Ao chegar, vi que o motorista estava ferido, mas era atendido pela equipe básica. Segui em busca da vítima fatal que estava sob a madeira, quando ouvi um choro de bebê. Foi uma apreensão total, pois não havia relato de outra vítima.”

Ele conta que, ao remover parte da madeira, encontrou o corpo da mulher bastante ferido, mas o bebê chorava em meio ao sangue. Rapidamente, ele liberou o corpo, cortou o cordão umbilical e providenciou a condução da criança, de ambulância, ao hospital. “Ela estava perfeita, saudável, sem um arranhão. Podemos classificar que, naquelas circunstâncias, foi realmente um milagre ela ter sobrevivido.”

O motorista Jonathan Ferreira também foi levado ao hospital de Pariquera-Açu. Ele disse aos socorristas que não conhece a mulher e apenas havia dado carona a ela. Nesta sexta, o corpo da mãe do bebê permanecia no Instituto Médico Legal (IML) de Registro à espera de identificação e de que algum familiar fosse localizado. Se nenhum parente se apresentar, o Conselho Tutelar de Pariquera-Açu vai encaminhar o caso à Justiça, que decidirá o destino da criança.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Bebê pode ter sido curada do HIV após tratamento nas primeiras horas

Uma menina nascida com o vírus da aids mantém-se sem sinais da infecção 11 meses depois de ter sido submetida a tratamento com antirretrovirais. É o segundo caso conhecido no mundo, segundo as agências de notícias internacionais.

Nascida no subúrbio de Los Angeles, nos Estados Unidos, em abril do ano passado, a menina recebeu tratamento com antirretrovirais quatro horas depois de ter nascido. Quase um ano depois, não tem sinais da infecção e os médicos estão otimistas, apesar de não afastarem a possibilidade de o HIV voltar ou estar oculto nos tecidos, dizem as agências.

Trata-se do segundo caso idêntico no mundo, depois de, no ano passado, ter sido anunciado que um bebê norte-americano recebeu tratamento nas primeiras horas de vida. Agora com 3 anos, a menina parece estar livre do vírus.

O caso mais recente, apresentado hoje (6) durante uma conferência científica em Boston, é recebido pelos médicos com otimismo, sobretudo pela rapidez do desaparecimento do vírus.

“O que é mais notável em relação a este bebê é a rapidez com que o vírus desapareceu, os testes de DNA estavam negativos quando tinha seis dias e continuaram negativos despois”, disse Yvonne Bryson, professora de pediatria da Faculdade de Medicina da Universidade da Califórnia.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *