Saúde

Fátima e Cipriano Maia comentam 1 ano de pandemia da covid no RN e mais de 3.800 óbitos

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

Em 12 de março de 2020, as equipes técnicas da Saúde estadual informavam a chegada do novo Coronavírus em território potiguar. Naquele dia, os dados acendiam a luz amarela: davam conta de que havia um caso confirmado e 17 suspeitos. Passado um ano, o número de mortes no Rio Grande do Norte é de 3.829, com 178,5 mil casos confirmados (em 11.03.21) e as luzes vermelhas tiveram de ser ligadas em vários momentos, como o de agora, em todo o Brasil.

“Cada vida importa. Cada vida ceifada pelo vírus deixa uma família aos prantos e amigos desolados. Nossa maior esperança no momento é que haja mais agilidade na aquisição de vacinas por parte do Governo Federal. Mas, foi um período também em que enfrentamos as dificuldades com um trabalho constante em que prevalece o diálogo, a transparência das ações, a união de forças e, sobretudo, muito comprometimento com o que fazemos”, disse a governadora Fátima Bezerra.

Ao fazer um balanço sobre um ano de pandemia, o secretário de Estado da Saúde Pública (Sesap), Cipriano Maia, lamenta a morte das mais de 3.800 pessoas. “Em primeiro lugar, transmitimos nossa solidariedade a todas as famílias por suas perdas. Ao mesmo tempo, agradecemos a todos os profissionais de saúde que têm se mantido na linha de frente, cuidando das pessoas e dando tudo de si para salvar vidas”.

Maia acrescentou que o Governo do Estado, ao longo desse período, procurou valorizar os profissionais, ofertar capacitação e remunerar com incentivos que fizessem jus à toda dedicação, como gratificação de produtividade, de insalubridade e implantação dos direitos trabalhistas associados ao Plano de Cargos e Salários. Além disso, foram contratados mais de 3 mil funcionários temporários para dar suporte à rede de saúde. “A pandemia trouxe um potencial humano presente na nossa sociedade, que é o da colaboração, da solidariedade, da parceria e que se apresentou desde o início da pandemia, entre os órgãos do Governo, com o envolvimento dos Ministérios Públicos, do Judiciário, Universidades, empresas e sindicatos, em que todos se irmanaram. Foram diversas ações decisivas para os resultados que alcançamos até agora”, reconheceu o secretário de Saúde, citando algumas ações e o seu planejamento: começando pela vigilância, qualificação das informações, disponibilização da comunicação para toda a sociedade. Houve também ampliação da testagem para melhorar o diagnóstico e o monitoramento dos casos. Assim como foi e está sendo feito todo um apoio aos municípios em ações de vigilância e atenção básica.

“Numa parceria com o Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) desenvolvemos um dos aplicativos mais valiosos para garantir o acesso aos leitos, dando a maior transparência, que foi o Regula RN. Seguimos firmes e decididos adotando as medidas necessárias para evitar o aumento da transmissão, por meio do Pacto pela Vida. É momento de evitarmos aglomerações, para frearmos o contágio e com isso aliviar o sistema de saúde que atualmente está saturado, sobrecarregado, com filas de pacientes em espera. Esperamos que com o avanço da vacinação da população possamos ir melhorando as condições de controle da doença”, finalizou.

Opinião dos leitores

  1. Fátima cadeado e Cipriano Morte, todo mundo sabe. Num eram 11.500 óbitos em maio de 2020?? Não tô entendendo…

  2. Lembrei agora a li os comentários no início da pandemia é um leitor q não lembro nem me interessa saber quem é … fez chacota do secretário de saúde do estado … pela previsão de mortos … pensei será q ele está vendo o número de mortos …

  3. Poderíamos ter muito menos, se as pessoas não seguissem os conselhos de um certo presidente que infelizmemte trabalhou diuturnamente pra que a contaminação seguisse seu curso normal, pois obrigaria os governos locais tomar medidas mais duras e posar de democrata.

  4. Cipriano num disse que em MAIO/20 seria 11 mil mortes no RN. Pense num homem que toca terror.

    1. Graças a Deus não tivemos essa mortandade, Luciana…
      Se dependesse do seu "mito" já teríamos passado dos 15 mil…
      Mas a Governadora segurou e estamos bem melhor que outros Estados…

    2. Você está totalmente equivocada e mal informada. Cipriano nunca afirmou isso. Foi uma projeção e não foi dele.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: há um ano, OMS declarava pandemia

Foto: © REUTERS/Denis Balibouse/Direitos Reservados

O vírus já se tinha espalhado, em Portugal já existiam casos, mas só em março de 2020 é que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia, praticamente três meses depois de ter sido anunciado o primeiro caso em Wuhan, na China. Tinham morrido pouco mais de 4 mil pessoas. Um ano depois, a covid-19 já tirou a vida de mais de 2,6 milhões.

Em uma quarta-feira, 11 de março de 2020, quando o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, declarou que o que até então era considerada uma epidemia, tinha a força de pandemia. Ao justificar a declaração, ele afirmou que os casos fora da China tinham se “multiplicado por 13”.

Tedros Adhanoms disse, à época, que cabia a cada um dos países mudar o curso dessa pandemia se detectarem (casos), testarem, tratarem, isolarem, rastrearem e mobilizarem as pessoas na resposta. “Estamos nisto juntos e precisamos fazer com calma aquilo que é necessário”. Ele também já alertava para a necessidade de uma resposta mais agressiva.

O representante da OMS para situações de emergência, Mike Ryan, destacava que a utilização da palavra “pandemia” era meramente descritiva da situação e não alterava, “em nada, aquilo” que já estava sendo feito, “nem aquilo que os países deveriam fazer”.

A OMS alertava para os níveis alarmantes de propagação e gravidade do vírus e também para os “níveis alarmantes de falta de ação”.

Dois países em particular preocupavam a OMS naquele momento: o Irã e a Itália. O número de mortes crescia de forma assustadora. Mike Ryan avisava que outros países estariam muito em breve nessa situação, o que se confirmou.

O novo coronavírus, que começou na China, se alastrou pelo mundo inteiro. Matou pessoas, superlotou hospitais, quebrou muitas vezes a solidariedade e a economia. Paralisou a indústria, impediu aviões de levantar voo, fechou escolas e adiou ou cancelou eventos desportivos e espetáculos. Mudou toda a vida.

Os últimos dados, neste 11 de março de 2021, precisamente um ano depois da declaração de pandemia pela OMS indicam quase 120 milhões de pessoas infectadas pelo vírus e mais de 2,6 milhões de mortes.

Agência Brasil, com RTP

Opinião dos leitores

  1. Ou seja!!
    Deu tempo de sobra pra prefeitos e governadores prepararem os leitos.
    Se não fizeram meu fii, agora aguenta o pancão.

  2. Há 1 ano a oms vem mudando as suas diretrizes diariamente, escondendo tratamentos que reduzem a contaminação como a Ivermectina utilizada no continente africano ( Nigéria 209 milhões de habitantes 2 mil óbitos, Quênia 54 milhões, 1,898 óbitos), ainda vai ter idiotas dizendo que , fazem isolamento social, usam máscaras e os hospitais estão muito bem aparelhados
    E dizerem que acreditam na "CIÊNCIA" da oms.

  3. Há um ano que o gado apedreja a OMS. Mimadinhos que no jardim de infância se esfregavam nas paredes enquanto a professora dizia: Desencosta da parede que a parede solta pó.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Homem agride esposa e esfaqueia a própria filha de 1 ano no interior do RN, diz PM

Uma criança de 1 ano de idade foi ferida de raspão por uma facada desferida pelo próprio pai na noite desta quarta-feira (13), na cidade de Umarizal, região Oeste potiguar. Segundo informações da Polícia Militar, o homem estava agredindo a esposa e tentou esfaquear a mulher, mas acabou acertando a criança. A mulher e a criança foram levadas ao hospital. O homem foi preso.
Todos os detalhe AQUI em reportagem do G1-RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Habilitações vencidas em 2020 terão um ano a mais de validade; veja ainda cronograma, infrações e transferências

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

Está em vigor, a partir desta terça-feira(1º), a resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que restabelece os prazos para a regularização das carteiras nacionais de Habilitação (CNHs) vencidas.

Segundo a nova resolução, os documentos de habilitação vencidos em 2020 ganharam mais um ano de validade. Com isso, a renovação das CNHs vencidas em 2020 ocorrerá de forma gradual, de acordo com um cronograma estabelecido no documento.

A medida inclui também a Autorização para Conduzir Ciclomotores (ACC) e a Permissão Para Dirigir (PPD), documento provisório utilizado no primeiro ano de habilitação do condutor. Pelo texto, a renovação ocorrerá com base no mês de vencimento do documento.

Ainda de acordo com a resolução, para fins de fiscalização, qualquer documento de habilitação vencido em 2020 deve ser aceito até o último dia do mês correspondente em 2021.

A medida, publicada no último dia 24, revogou uma portaria publicada em março pelo órgão, que suspendeu os prazos para a renovação das CNHs, aplicação de multas, transferência de veículo, registro e licenciamento de veículo novo, entre outros, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Cronograma de renovação de CHNs vencidas

Transferências de veículos

A resolução também determina que, a partir de 1º de dezembro de 2020, sejam retomados os prazos para serviços como transferência veicular, comunicação de venda, mudança de endereço, conforme previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Em relação à transferência de veículos adquiridos de 19 de fevereiro de 2020 a 30 de novembro de 2020, o Contran diz que os departamentos estaduais de Trânsito (Detrans) dos estados e do Distrito Federal poderão estabelecer cronograma específico para a efetivação da transferência de propriedade e que ele deverá ser informado ao Contran até 31 de dezembro de 2020.

Caso os Detrans não estabeleçam um cronograma específico, a transferência de propriedade de veículo adquirido no período indicado deverá ser efetivada até 31 de dezembro de 2020.

Para os veículos novos, adquiridos no período de de 19 de fevereiro de 2020 a 30 de novembro de 2020, também valerá a data 31 de janeiro de 2021 para a efetivação do registro e licenciamento.

Infrações

A resolução também retoma a partir de hoje, os prazos previstos para as infrações cometidas, a exemplo dos prazos para defesa da autuação e recursos de multa; defesa processual e de suspensão do direito de dirigir e de cassação do documento de habilitação, bem como identificação do condutor infrator e expedição de notificações de autuações.

No caso das notificações já enviadas, a resolução posterga para 31 de janeiro de 2021, os prazos para a apresentação de defesa prévia e indicação do condutor, posteriores a 20 de março de 2020. O mesmo prazo vale para as notificações de penalidade.

Já para o envio de notificações registradas no período de 26 de fevereiro até o dia 30 de novembro, será observado um cronograma de 10 meses. Este prazo será contado a partir da data de cometimento da infração. Desta forma, por exemplo, os motoristas que cometeram infrações em fevereiro e março de 2020 deverão ter as notificações de autuações enviadas em janeiro de 2021.

“A autoridade de trânsito deverá providenciar, sempre que possível, leiaute diferenciado para a expedição das NAs [notificações de autuação] decorrentes de infração cometida de 26 de fevereiro de 2020 a 30 de novembro de 2020, ressaltando, com clareza, que estas notificações contam com prazos diferenciados”, diz a resolução.

Já os prazos das licenças para funcionar como Instituição Técnica Licenciada (ITL), vencidos de 20 de março de 2020 a 30 de novembro de 2020, ficam prorrogados para 31 de janeiro de 2021.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

TRAGÉDIA: Picada de escorpião dentro de casa no ES mata bebê de 1 ano

Foto: Reprodução/TV Gazeta

Um bebê de um ano morreu após ser picado por um escorpião no último domingo (13) em Pedro Canário, no Norte do Espírito Santo. Davi Matos Rebonato passou por atendimento em três unidades hospitalares, mas não resistiu ao veneno do aracnídeo.

De acordo com os pais de Davi, o menino foi picado na perna dentro de um cômodo vazio.

“Eu vi porque eu matei o escorpião. Eu corri para o hospital de Pedro Canário com ele”, contou o pai da criança, José Roberto Rebonato.

O hospital municipal de Pedro Canário foi a primeira parada da família em busca de atendimento para o menino.

Segundo José Roberto, a recepcionista informou que havia soro disponível para ser aplicado, mas, cerca de meia hora depois, o médico da unidade afirmou que as doses estavam em falta.

Davi, então, foi transferido para o Hospital Estadual Roberto Silvares, em São Mateus, que fica a cerca de 40 minutos de Pedro Canário, onde recebeu o soro. Depois disso, o menino foi levado para um hospital particular na mesma cidade, onde morreu.

“Chegando no hospital ele teve duas paradas cardíacas. A médica falou para mim que tinha conseguido reanimar ele, mas que o estado era grave. Mais para frente ele teve outra parada e não resistiu”, lamentou o pai.

José Roberto reclama da demora para o atendimento do filho, já que o percurso entre os hospitais durou horas, o que para a família teria levado ao agravamento do quadro de saúde de Davi.

O menino foi enterrado nesta segunda-feira (14).

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) afirmou que Davi recebeu todos os cuidados na emergência da pediatria do Hospital Roberto Silvares, onde foi aplicado o soro antiescorpiônico e foram realizados os exames e medicações necessários.

A entidade esclareceu que o menino foi transferido para o hospital particular devido à necessidade de internação em uma UTI pediátrica.

A Secretaria de Saúde de Pedro Canário informou em nota que lamenta a morte do menino e que está à disposição da família da criança para qualquer esclarecimento.

A nota informa ainda que o médico plantonista constatou que o hospital não possuía o soro antiescorpiônico e encaminhou o garoto para o Hospital Roberto Silvares, em São Mateus.

O texto diz que o soro para picada de escorpião está em falta em vários lugares do Brasil, mas que, segundo orientação do Centro de Atendimento Toxicológico, na falta do soro antiescorpiônico, deve ser utilizado o soro antiaracnídio, ou seja, um soro para picada de aranha, e que o hospital tinha esse soro.

A informa também que a secretaria já solicitou o relatório completo do atendimento ao Hospital Menino Jesus.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Mãe busca ‘remédio mais caro do mundo’, de R$ 12 milhões, para salvar bebê de 1 ano em São Paulo

Fotos: Arquivo Pessoal

O pequeno Arthur Ferreira Belo, de apenas 1 ano e 8 meses, enfrenta uma difícil luta pela vida após ser diagnosticado com o tipo 1 da Atrofia Muscular Espinhal (AME), o mais agressivo da doença. Agora, sua família corre contra o tempo para arrecadar cerca de R$ 12 milhões e comprar o ‘remédio mais caro do mundo’, capaz de neutralizar os efeitos da doença e permitir um grande avanço no tratamento.

Para isso, foi criada uma ‘vaquinha virtual’ com o objetivo de arrecadar, até 8 de outubro, o valor necessário para importar o medicamento dos Estados Unidos. A ideia da campanha surgiu após a família de Arthur ver outros casos de vaquinhas virtuais bem sucedidas, como é o caso da Sarah e do Heitor, cujas histórias foram divulgadas pelo G1.

Segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado, a Atrofia Muscular Espinhal é uma doença rara, degenerativa e genética, que interfere na capacidade do corpo de produzir uma proteína essencial para a sobrevivência dos neurônios motores, responsáveis pelos gestos voluntários vitais simples do corpo, como respirar, engolir e se mover. Apesar da atrofia, os pais garantem que o pequeno é muito esperto, encantador e risonho.

Arthur foi diagnosticado quando tinha apenas três meses de vida, e a notícia abalou toda a família. Isso porque a AME é a maior causa genética de morte de crianças com até 2 anos. Agora, a grande esperança dos pais é o medicamento Zolgensma, aprovado em maio de 2019 nos Estados Unidos, que promete um grande avanço na recuperação dos pacientes.

O grande problema é que esse é o remédio mais caro do mundo. Como não é vendido no Brasil, a família de Arthur precisa importá-lo dos Estados Unidos, onde chega a custar 2,125 milhões de dólares. Pela cotação atual, o medicamento pode custar R$ 11.325 milhões. Por isso, a mãe Alessandra Ferreira Santos, de 28 anos, resolveu criar uma ‘vaquinha virtual’ para arrecadar o valor.

“Temos esperança e muita fé nesse remédio. Por ser tão caro, acredito que trará um efeito positivo e que ele volte a andar. Tudo o que eu e meu marido queremos é que o nosso filho tenha a vida mais ‘normal’ possível. Mas, temos apenas três meses para arrecadar o valor, porque a medicação faz efeito somente até os dois anos, e a burocracia ainda demora. Temos muito medo de perder o Arthur”.

A família busca fazer a campanha da forma mais transparente possível. Pelas redes sociais, são postados todos os valores arrecadados por mês e quanto falta para alcançar a meta. Além disso, Alessandra e os voluntários postam outras formas de arrecadação de verba, como rifas e bingos.

Quando a campanha foi lançada, em outubro do ano passado, o dólar estava mais baixo e a família precisava de R$ 9 milhões. Agora, necessita de quase R$ 12 milhões, além da quantia necessária para pagar os custos hospitalares. “Sempre fazemos prestação de contas. Muitas pessoas acabam questionando a gente pela mudança de valor”.

Disgnóstico

Alessandra conta que, quando Arthur nasceu, percebeu que o bebê era mais ‘mole’ do que o comum, mas foi tranquilizada pelos pediatras. Mas, o tempo foi passando e, aos três meses de vida, a mãe percebeu que ele ainda não conseguia segurar o pescoço e engasgava quando mamava. Foi quando ela decidiu procurar um médico para entender o que estava acontecendo.

“Encontramos um rapaz no pronto-socorro que nos recomendou um hospital que tratava doenças raras. Fomos até lá, fizeram testes por três dias, e diagnosticaram ele com atrofia muscular. O médico disse que ele tinha uma doença rara, degenerativa, com expectativa de vida de apenas dois anos. Foi um choque, porque nunca tínhamos ouvido falar disso”, explica.

Para confirmar o diagnóstico, Arthur passou por um teste de DNA, que apontou que ele tinha o tipo 1 da doença, o mais severo. Pouco tempo depois, ele passou por duas cirurgias de traqueostomia e gastrostomia, que permitem a respiração mecânica e o suporte nutricional, respectivamente. Em seguida, o plano de saúde liberou o tratamento com o remédio Nusinersena (Spinraza).

O medicamento é o único registrado no Brasil para o tratamento da AME. Diversos estudos apontam sua eficácia na interrupção da evolução da atrofia para quadros mais graves, que são prevalentes na maioria dos pacientes. Arthur chegou a tomar seis doses do remédio, mas a evolução no tratamento continua muito lenta.

“Ele toma uma dose a cada quatro meses. Mas, se interromper, perde totalmente o efeito de tudo que já tomou. O Zolgensma é uma dose única, e pelo que acompanhamos de outras crianças, promete uma evolução muito boa no tratamento. Hoje, vivemos com medo, pois já vimos muitos pacientes morrerem por conta da doença”.

Atualmente, Arthur mexe um pouco os braços e as pernas com a ajuda dos pais e fisioterapeutas, mas não consegue segurar objetos nem andar. Além disso, depende de ventilação mecânica 24 horas por dia, pois não consegue respirar sozinho. Com o ‘remédio mais caro do mundo’, a família busca dar maior qualidade de vida para o pequeno, que hoje sofre uma dura rotina.

De acordo com Alessandra, o medicamento vai direto para a corrente sanguínea e faz com que a proteína que não é produzida pelo paciente com AME passe a ser produzida, permitindo que os neurônios que sobreviveram possam se manter vivos e, assim, recuperar o paciente.

“Sabemos que ele não vai sair correndo assim que tomar, mas temos esperança que ele aprenda a andar e que possamos diminuir os aparelhos. É tudo muito triste, ele está crescendo e não pode brincar com as outras crianças. Esse remédio é a nossa grande esperança”.

Os pais também esperam que, quando Arthur finalmente tomar o medicamento, eles possam realizar um sonho que precisou ser adiado com o descobrimento da doença: conhecer a praia e o mar na Baixada Santista. “Nós havíamos feito muitos planos, íamos levá-lo para Mongaguá, mas os médicos não deixaram. Um dos meus sonhos é apresentar a praia para o meu filho”, finaliza.

Especialista

De acordo com a neurologista Andrea Anacleto, a Atrofia Muscular Espinhal proximal tipo 1 é uma doença rara, sem cura e que evolui de forma grave na infância, caracterizada por fraqueza muscular grave e progressiva. Segundo a especialista, a doença é ligeiramente mais frequente em meninos do que em meninas, e o diagnóstico é baseado na história clínica e exame e pode ser confirmado por teste genético.

Com a doença, o bebê geralmente apresenta fraqueza muscular grave, que afeta primeiro os braços e as pernas nas regiões proximais e depois passa para as extremidades, como mãos e pés, além de dificuldade de alimentação e insuficiência respiratória, conforme explica a neurologista.

Segundo Andrea, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta assinou a incorporação do medicamento Nusinersena na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais do Sistema Único de Saúde (SUS). Além dessa medicação, deve ser orientada uma abordagem multidisciplinar com o objetivo de melhorar a qualidade de vida.

Nos Estados Unidos, a FDA, agência que regulamenta a aprovação de medicamentos no país, autorizou a venda do remédio Zolgensma, sendo esta uma terapia gênica indicada para o tratamento da AME, usada para deter a progressão da doença. Atualmente, essa medicação não está disponível no Brasil, havendo a necessidade de que, quando indicada, seja realizada a importação.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. O que o presidente tem a ver com rachadinha? Nada! a investigação e contra o senador Eduardo Bolsonaro. No direito brasileiro o pai não responde criminalmente pelos atos dos filhos.

  2. O que me deixa indignado são os políticos roubando com força no país e tirando dinheiro do erário para seu luxo pessoal enquanto seres humanos morrem. Vimos agora vários casos como compra de respiradores inexistentes via Consórcio Nordeste, Secretário de Saúde do Rio de janeiro com mais de 8.500.000,00 em espécie em casa e por aí vai. Os bandidos do PT que assaltaram o país em trilhões de reais bem que poderiam se compadecer e comprarem o medicamento,para queimarem menos no inferno para onde irão quando morrrerem.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Prevista para outubro, vacina da AstraZeneca deve imunizar contra Covid-19 por 1 ano

(Foto: Tânia Rego/ Agência Brasil)

A potencial vacina contra o coronavírus da AstraZeneca provavelmente fornecerá proteção contra a infecção por cerca de um ano, disse o presidente da empresa, Pascal Soriot, em uma estação de rádio belga nesta terça-feira.

A farmacêutica britânica já iniciou os testes em humanos da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, com um estudo de fase 1 no Reino Unido prestes a ser concluído em breve e um estudo de fase 3 já iniciado, afirmou ele à emissora Bel RTL.

“Acreditamos que ela irá proteger por cerca de um ano”, disse Soriot.

A AstraZeneca informou no sábado que assinou contratos com França, Alemanha, Itália e Holanda para fornecer até 400 milhões de doses da vacina em potencial à União Europeia.

A empresa também fechou acordos com o Reino Unido e os Estados Unidos.

“Se tudo correr bem, teremos os resultados dos ensaios clínicos em agosto/setembro. Estamos fabricando em paralelo. Estaremos prontos para entregar a partir de outubro, se tudo correr bem”, acrescentou.

Época com Reuters

Opinião dos leitores

  1. Esses vagabundos de esquerda, sempre com hipocrisia deslavada. Tomem amoxilina seus asnos demoniacos! Vcs tem gonorreia cerebral.

  2. Viva a Ciência, VIVA as universidades, VIVA os centro de pesquisas, VIVA os professores, VIVA o CNPq, VIVA a CAPES, VIVA as agências de fomento à pesquisa, VIVA a Fiocruz…
    Graças a eles a humanidade têm evoluído e passado por tempos tenebrosos como o atual.
    Aos terraplanistas, negacionistas, bolsonaristas e imbecis só o desprezo.

  3. Vivas à civilização! Se a humanidade dependesse de bárbaros como os brasileiros, estaríamos na idade da pedra lascada e lascados!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Olimpíada de Tóquio é adiada por 1 ano, diz premiê japonês

 Foto: AP Photo/Eugene Hoshiko

O primeiro-ministro japonês, Abe Shinzo, confirmou nesta terça-feira (24) que pediu ao Comitê Olímpico Internacional o adiamento de um ano dos Jogos Olímpicos, que estavam programados para o dia 24 de julho.

Abe fez o anúncio a jornalistas depois de uma conversa telefônica com o presidente do COI, Thomas Bach. Segundo ele, o COI aceitou o pedido.

As Olimpíadas, portanto, deverão ser realizadas em 2021. Mesmo assim, o nome oficial do evento será Tóquio 2020, de acordo com o governador de Tóquio, Yuriko Koike.

De acordo com a agência Reuters, ele afirmou que o COI “apoiou 100%” a proposta.

Os Jogos Olímpicos foram adiados por causa da pandemia do Covid-19, que impactaram a organização do evento e também a preparação dos atletas.

A conversa telefônica incluiu, além de Abe e de Bach, o governador de Tóquio, Yuriko Koike, e o líder da organização dos Jogos, Yoshiro Mori.

Abe pediu para que Bach tomasse uma decisão o mais rápido possível, segundo a NHK.

Na era modera, os Jogos Olímpicos já foram cancelados em quatro ocasiões: 1916, 1940 e 1940.

G1

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

1 ano de governo Bolsonaro: 6 momentos-chave que revelam guinada na política externa brasileira

Foto: Yukie Nishizawa/ Reuters/ BBC News Brasil

Em 2019, o Brasil estampou com frequência a capa de jornais e revistas internacionais, em parte pelas notícias sobre o aumento das queimadas e do desmatamento na Amazônia, mas também pela forte guinada na política externa no primeiro ano de governo Bolsonaro.

O Brasil trocou seus principais aliados no cenário internacional, mudou o discurso sobre meio ambiente e entrou em atrito direto com líderes de países importantes, como França e Alemanha.

Segundo especialistas ouvidos pela BBC News Brasil, os rumos tomados na área de relações exteriores do Brasil revelam uma ruptura com tradições diplomáticas do Itamaraty e com estratégias adotadas pelos governos anteriores, principalmente os do PT.

Além disso, as principais decisões de política externa tomadas em 2019 mostram uma disputa constante entre três grupos que integram o governo: militares, olavistas e a equipe econômica.

“É uma política externa marcada por uma tensão permanente entre ideologia e pragmatismo”, explica Fernanda Magnotta, professora de Relações Exteriores da Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

“O Ministério de Relações Exteriores, comandado pelo chanceler Ernesto Araújo e o assessor especial da Presidência Felipe Martins seriam os representantes da ala ideológica ou olavista. Militares e a equipe de Paulo Guedes, ministro da Economia, representam a ala pragmática.”

“Dependendo de qual dos grupos conquista mais espaço e consegue mais sucesso e mais êxito na hora de barganhar a sua agenda, o Brasil vai para uma linha mais pragmática ou mais ideológica.”

Alguns episódios marcantes revelam claramente que o Brasil tem adotado novos rumos na sua estratégia de política externa.

A BBC News Brasil reúne aqui seis momentos de 2019 que reposicionam o país no xadrez internacional — bem como as oportunidades e riscos que cada um desses episódios trazem para o Brasil.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Esperamos que o que está sendo anunciado seja revertido na melhor qualidade de vida do povo brasileiro. Boa sorte!

  2. O Brasil no rumo certo.
    Parceiros, feito Venezuela e Cuba, tem que ser expurgado.
    Tem que procurar um pau que faça sombra.
    Trabalhar pra pobre e pedir esmolas pra dois.
    Venezuela e Cuba, é igual a pé de xique xique, não faz sombra nem presta pra se escorar.
    Portanto!!
    O MITO Ta certíssimo.

  3. Passa ano, sai ano e ninguém quer ir viver bem em paises que servem de inspiração a esquerdalha, países como cuba, Nicarágua, Venezuela, ditaduras africanas, coreia do Norte, china, dá a bixiga lixa e ninguém quer ganhar a vida por lá. Porquê será? Agora, defender o modelo deles os artistas, intelectuais, cientista… Enfim a esquerdalha vivem a idolatrar. No entanto, até pra passear eles se refugiam na Europa, EUA. Só não sei com que recursos eles tão sobrevivendo por lá, talvez do propinoduto da era Petralha.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meio Dia Cidade

1 ano de Meio-Dia Cidade

Há exato um ano, iniciei um novo desafio.

Sem nenhuma experiência, curso ou treinamento, comecei a jornada do MEIO-DIA, na 94 FM.

Tendo a coragem e abrindo as portas do noticiário na hora do almoço, o nosso projeto e formato, em pouco tempo, se mostrou certeiro, e o programa se consagrou e inovou principalmente na forma de se comunicar com os ouvintes.

O MEIO-DIA, na Rádio Cidade, virou também uma grande encontro diário de pautas importantíssimas, muitas notícias, causos extraordinários e dois quadros consagradíssimos: A Resenha, às segundas, e o Papo de Cantina, às sextas.

Do inseguro apresentador, hoje quem agradece é o inquieto mediador.

Um OBRIGADO BEM grande a HAROLDO AZEVEDO, e toda sua equipe da 94 FM, a todos os nossos anunciantes, aos entrevistados, e principalmente ao ouvinte.

MUITO OBRIGADO,

Bruno Giovanni

Opinião dos leitores

  1. Parabéns pelo formato do programa, o rádio estava perdendo espaço para a internet, mas o MEIO DIA CIDADE está trazendo de volta o acesso a informação para todas as classes sociais. Antes de ligar o carro para o almoço, já sintonizo na rádio cidade.

  2. Escuto todos os dias quando saio do trabalho e vou pegar meus filhos na escola. Gosto, especialmente, do Papo de Cantina.
    Parabéns, mantenha o padrão de qualidade .

  3. Bruno, em vez de MEIO DIA CIDADE, sugiro trocar o nome do programa para DIA TODO CIDADE porque meio dia é pouco. Parabéns, sou ouvinte assíduo do programa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marketing

#BG1Ano: Agradecimento aos nossos leitores

Parece que foi ontem que chegamos no mundo virtual. Chegamos com três lemas: acidez, independência e muita informação. Nesses 365 dias, foi exatamente o que o BG fez e praticou.

Noticiamos muito, muito mesmo. Mesmo às vezes sabendo que pessoas próximas e amigos não gostariam do que a gente estava postando. Ainda assim fomos em frente e nunca cedemos a uma pressão sequer.

Ganhamos muitas fontes. Não ganhamos apenas seguidores, e sim amigos. Assim vamos continuar. A você que nesse um ano entrou uma, cinco ou mil vezes o nosso muito obrigado. Muito obrigado também a PG Prime, Vinhedos, Overdose, Delphi/BSPAR e Nemo Pescados que foram anunciantes do BG e aos atuais Lojas 24 horas, Contemporâneo, Seturn, Abreu Imoveis, Telepesquisa, Sol Corretora e TopCar Mistsubishi. Valeu a confiança.

Em apenas  um ano já passamos da marca de 1 milhão 437 mil visitas, mais de 2 milhões de páginas visualizadas e mais de 590 mil IPS já acessaram o BG . Muito obrigado e segue o vídeo produzido pela nossa Agência RattsRatts( o que seria de mim sem você Pedro e Enrique?), em homenagem ao nosso primeiro aniversário.

Abaixo segue extrato de acessos do primeiro ano de vida:

Opinião dos leitores

  1. Não tenho muito o costume de frequentar sites de notícias, mas achei o formato do blog muito bom, e quando quero saber o que está rolando em Natal, onde moro, eu visito primeiro aqui. Não sabia que o blog era ainda tão jovem, difícil acreditar pela grande qualidade que tem.

  2. Relembrando-me agora de
    muitas coisas que acompanhei no Blog durante este ano, um ano que já instauro
    em muita gente a frase: "Eu vi no Blog do BG". Desejo a vocês muito
    mais sucesso e que continuem com essa ousadia caraterística que fazem do Blog
    uma publicação tão interessante! Parabéns e Obrigado!

  3. Em nome de toda a equipe da Ratts Ratis, eu é que agradeço a oportunidade de participar de um projeto sério, honesto, competente e vencedor, como tudo o que você faz Brunão. Vida longa ao Blog do BG. E vida curta a quem sair da linha e for pego por ele. Às armas lindão!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Rosalba. Um Feliz Governo Novo em 2012

Prefeita de Mossoró por três vezes, senadora da República, Rosalba começou o ano de 2011 em clima de festa, montada na popularidade e na onda da vitória incontestável que obteve nas urnas três meses antes, derrotando, de uma só vez, o oponente e governador Iberê Ferreira e a ex-governadora Wilma de Faria.

O clima de festa e a harmonia com a população, e principalmente com o funcionalismo público durou muito pouco tempo.

A médica pediatra começou o ano com o olhar fixo no retrovisor denunciando mazelas e problemas herdados da administração do antecessor.

A primeira pisada de bola foi na contabilidade: o governo dela não se entendeu quando falava em números relativos às dívidas deixadas por Wilma e Iberê.

Chegou-se a dizer que era mais de 1 bilhão de reais. Baixou-se para 812 milhões e há quem garanta que não passem de algumas poucas centenas de milhões.

Ao mandar um relatório para a Assembleia Legislativa, o Governo incluiu até dívidas deixadas por José Agripino duas décadas atrás e contabilizou como débito até dinheiro oriundo do Governo Federal que não chegou a ser transferido para o Governo Estadual.

Mas a maior pisada de bola foi mesmo com os servidores públicos.

O governo chamou os planos de cargos de salários de irresponsabilidade e distribuiu críticas a todo mundo, desde Wilma e Iberê à Assembleia Legislativa. Esqueceu que foi com o voto dos opositores de ontem, situacionistas de hoje que foram aprovados os planos de cargos e salários. O resultado foi uma onda de greves nunca antes vista na história do Rio Grande do Norte. A da Educação foi a mais longa de toda a história da categoria no Estado. As greves alcançaram Itep, Polícia Civil, órgãos da administração indireta e pouco pouco não chegou ao Fisco Estadual.

A alegação de sempre era falta de dinheiro, apesar de arrecadação própria do Estado, principalmente a do ICMS, ter apresentado superávits consecutivos, chegando a fechar o ano com aumento de 13,3 por cento em relação a 2010.

Depois de amargar meses de paralisações, período que ficou conhecido como Rio Greve do Norte, o governo Rosalba Ciarlini viveu momentos de intranquilidade política com o rompimento do vice-governador Robinson Faria, hoje no PSD. Robinson e seu amigo pessoal, o advogado Paulo de Tarso Fernandes, ex-deputado estadual e chefe do Gabinete Civil do Governo, anunciaram o rompimento na mesma tarde em que homens ligados ao Primeiro Comando da Capital, organização criminosa que controla presídios no Rio e São Paulo, ateavam fogo a ônibus em Natal.

E para completar o calor provocado pelos incêndios criminosos, Robinson e Paulo de Tarso disseram com todas as letras o que o Rio Grande do Norte já sabia mas ninguém do cenário político havia tido a coragem de afirmar: que o governo é controlado pelo marido da governadora, o ex-deputado Carlos Augusto Rosado, que dá o tom quando o assunto é político e também administrativo.

A governadora ficou magoada. Seu marido permaneceu em silêncio mas sempre atuando e na maior parte do tempo com muita discreção. E Robinson Faria mergulhou no ostracismo político ficando sem a maioria dos amigos e companheiros que o cortejavam e seguiam para todo lado durante o tempo em que controlou setores importantes do governo Wilma de Faria.

Rosalba Ciarlini chegou ao último trimestre do primeiro ano de sua administração sem dizer a que veio em setores importantes.

A saúde não anda nada bem, a Educação em situação crítica e a segurança pública vivendo um dos seus piores momentos. Policiais civis insatisfeitos, servidores do Itep trabalhando por força de decisão judicial e policiais militares insatisfeitos com a quebra de compromisso de reajuste salarial e o não pagamento de diárias operacionais prometidas para quem atuou no Carnatal.

E para completar o ano, a governadora teve de revogar decreto que proibia manifestações públicas no Centro Administrativo. Redigido para preservar o ambiente de trabalho das secretarias, o decreto apresentou um ranço autoritário e logo muita gente se lembrou das raízes do DEM que já foi PDS e Arena e guarda laços estreitos com a ditatura militar que perdurou no País por 21 anos.

Da popularidade de 1 de janeiro à revogação do decreto autoritário, o governo Rosalba Ciarlini tem pouco a apresentar, além dos problemas e das obras preparatórias para a Copa do Mundo. 

De concreto mesmo, nem mesmo o Machadão e o Machadinho que foram ao chão para que seja construída a Arena das Dunas.

Para 2012, o desejo de todos os norte-riograndenses é de que o governo Rosalba Ciarlini resolva, enfim, começar.

Feliz Governo Novo!

Opinião dos leitores

  1. Quem viver verá o maior desgoverno da história do RN. O problema é que o povo não aprende e brincar de votar em favoritismo dá nisso mesmo. Mas, convenhamos que, com o acúmulo de receitas do governo demo rosa, eles passarão a régua na geral. 

  2. Parabens BG. Otimo retrato 3×4 do Governo Rosalba Ciarlin/iCarlos Augusto Rosado. Pelas declarações dela aos jornalitsa, finalmente, o começo de Governo será no dia 03 de fevereiro de 2012. Será???

  3. Quero deixar aqui minha reivindicação como leitor assíduo do Blogo. Sobre os rapazes concursados da Polícia Civil.

    Rapaz, brincadeira, olha aí qnd saiu o edital da PC – Dezembro de 2008 ( 3 anos).
    http://www.cespe.unb.br/concursos/PCRN2008/

    Estão brincando com coisa séria, tem famílias esperando esta nomeação, e ñ são a dos concursados ñ.

    São das vítimas de violência e daquelas q esperam pela renovação de um órgão crucial p/ combate a corrupção.

    A Polícia Civil hj é o espelho de uma administração pública, se anda mal o gov tb anda.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *