TRAGÉDIA: Picada de escorpião dentro de casa no ES mata bebê de 1 ano

Foto: Reprodução/TV Gazeta

Um bebê de um ano morreu após ser picado por um escorpião no último domingo (13) em Pedro Canário, no Norte do Espírito Santo. Davi Matos Rebonato passou por atendimento em três unidades hospitalares, mas não resistiu ao veneno do aracnídeo.

De acordo com os pais de Davi, o menino foi picado na perna dentro de um cômodo vazio.

“Eu vi porque eu matei o escorpião. Eu corri para o hospital de Pedro Canário com ele”, contou o pai da criança, José Roberto Rebonato.

O hospital municipal de Pedro Canário foi a primeira parada da família em busca de atendimento para o menino.

Segundo José Roberto, a recepcionista informou que havia soro disponível para ser aplicado, mas, cerca de meia hora depois, o médico da unidade afirmou que as doses estavam em falta.

Davi, então, foi transferido para o Hospital Estadual Roberto Silvares, em São Mateus, que fica a cerca de 40 minutos de Pedro Canário, onde recebeu o soro. Depois disso, o menino foi levado para um hospital particular na mesma cidade, onde morreu.

“Chegando no hospital ele teve duas paradas cardíacas. A médica falou para mim que tinha conseguido reanimar ele, mas que o estado era grave. Mais para frente ele teve outra parada e não resistiu”, lamentou o pai.

José Roberto reclama da demora para o atendimento do filho, já que o percurso entre os hospitais durou horas, o que para a família teria levado ao agravamento do quadro de saúde de Davi.

O menino foi enterrado nesta segunda-feira (14).

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) afirmou que Davi recebeu todos os cuidados na emergência da pediatria do Hospital Roberto Silvares, onde foi aplicado o soro antiescorpiônico e foram realizados os exames e medicações necessários.

A entidade esclareceu que o menino foi transferido para o hospital particular devido à necessidade de internação em uma UTI pediátrica.

A Secretaria de Saúde de Pedro Canário informou em nota que lamenta a morte do menino e que está à disposição da família da criança para qualquer esclarecimento.

A nota informa ainda que o médico plantonista constatou que o hospital não possuía o soro antiescorpiônico e encaminhou o garoto para o Hospital Roberto Silvares, em São Mateus.

O texto diz que o soro para picada de escorpião está em falta em vários lugares do Brasil, mas que, segundo orientação do Centro de Atendimento Toxicológico, na falta do soro antiescorpiônico, deve ser utilizado o soro antiaracnídio, ou seja, um soro para picada de aranha, e que o hospital tinha esse soro.

A informa também que a secretaria já solicitou o relatório completo do atendimento ao Hospital Menino Jesus.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antonio Turci disse:

    Tragédia. Triste a morte de uma criança. Só Deus mesmo para consolar esta família.

TODO CUIDADO É POUCO: Menino de 3 anos morre após ser picado por escorpião na casa da avó no PR

Foto: Reprodução

Um menino de 3 anos morreu depois de ser picado por um escorpião na casa da avó em Loanda, no noroeste do Paraná, na tarde de quinta-feira (23).

A prefeitura disse que a avó não viu quando o neto foi picado. A criança começou a vomitar e ela levou o menino até o posto de saúde municipal. De lá, ele foi encaminhado ao hospital municipal, que é referência para atendimento de acidentes com escorpião.

A criança recebeu o soro antiescorpiônico, mas não melhorou. O menino foi transferido para um hospital particular e, com o apoio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), foi transferido para o hospital Santa Casa de Paranavaí.

A Santa Casa de Paranavaí informou que o menino não resistiu e morreu por volta das 21h30

O velório começou às 8h e o sepultamento está previsto para ser realizado às 12h desta sexta-feira (24).

G1

 

FOTO: Escorpião é encontrado "passeando" na UTI do Hospital Walfredo Gurgel

Por interino

escorpiao

Foto: Manoel Egídio

Segundo reportagem do portal G1-RN, um enfermeiro encontrou simplesmente um escorpião na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) cardiológica do hospital Walfredo Gurgel, o maior do estado.

Na ocasião, o animal peçonhento foi capturado com um vidro. Ainda segundo a matéria, a assessoria de imprensa do hospital confirmou o encontro do bicho e ainda mais outro, contudo, na área da alimentação dos funcionários, longe dos pacientes.

Sobre dedetização no local, a assessoria confirmou a realização no mês de outubro, com validade de três meses. O hospital acredita que os bichos foram atraídos por farelo de comida do setor.