“RUÍDO” NÃO SIGNIFICOU DESISTÊNCIA: Apoio dos Estados Unidos à entrada do Brasil na OCDE está mantido, informa assessor presidencial

Foto: Twitter/Jair Bolsonaro

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não retirou o apoio à entrada do Brasil na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e vai oficializá-lo à entidade no momento “correto”, segundo um assessor direto do presidente Jair Bolsonaro, que cuida dessas negociações e disse ter falado com autoridades da Casa Branca sobre o assunto.

De acordo com esse assessor, a carta de apoio dos EUA à entrada de Argentina e Romênia na OCDE, divulgada pela imprensa, gerou ruído, como se a ausência do nome do Brasil no documento significasse uma desistência de Donald Trump de manter a promessa feita diretamente ao presidente Jair Bolsonaro.

“O nome do Brasil não consta porque, neste momento, está se tratando dos processos de ingresso da Argentina e Romênia, que já estavam bem adiantados. Além disso, Trump tem interesse em fortalecer o presidente argentino, Mauricio Macri, que busca a reeleição em seu país. Por isso, a oficialização do apoio aos argentinos neste momento”, afirmou.

Em março, durante a visita de Bolsonaro a Trump na Casa Branca, o presidente americano anunciou que apoiaria a entrada do Brasil na OCDE, apoio oficializado depois em maio.

O ingresso na organização, que reúne países desenvolvidos, faz parte da estratégia da equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que o país ganhe o selo de nação com regras rígidas na área fiscal e com normas amigáveis para o investimento externo.

O assessor presidencial disse ainda ao blog, em caráter reservado, que neste momento o governo Trump trava uma disputa com o comando da OCDE.

“O presidente dos Estados Unidos avalia que a atual direção tem beneficiado mais os países europeus e ele quer uma mudança nessa política. A nossa informação é que, tão logo isso se resolva, o governo norte-americano deve enviar a carta de apoio ao Brasil”, acrescentou.

Blog Valdo Cruz – G1

Em nota, associações de policiais e bombeiros militares estaduais informam que ato no dia 07 de setembro está mantido

Nota à população

Diante da determinação da Justiça de proibir e prever multa às associações de policiais e bombeiros militares estaduais, devido à mobilização da categoria marcada para o dia 7 de setembro, as associações anunciam que mantêm o ato. “Nós respeitamos as decisões judiciais, porém continuamos firmes na defesa do que é nosso direito garantido pela Constituição Federal, o salário”, afirma a subtenente Márcia Carvalho presidente em exercício da Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN).

Veja mais: TJRN proíbe paralisação de protesto de policiais e bombeiros militares no dia 07 de setembro

O ato convocado é uma forma de protestar contra o atraso do pagamento do 13º salário referente a 2017. Se o Governo do Estado não quitar o compromisso com toda a categoria até o próximo dia 06, os policiais paralisam as atividades no dia 07 de setembro. “É de se estranhar que na decisão judicial a desembargadora Maria Zeneide Bezerra se posicione apenas em relação à mobilização, mas silencie a respeito da determinação de uma data para o pagamento da gratificação, deixando os policiais e bombeiros militares da ativa, da reserva remunerada e pensionistas na mesma situação, ou seja, sem previsão do pagamento, que deveria ter sido realizado até o dia 20 de dezembro de 2017”, reitera a presidente.

Associação dos Subtenentes e Sargentos Policiais e Bombeiros Militares do RN (ASSPMBMRN)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Natal disse:

    Está certo muito aposentados sem o 13 salário de 2017 que vergonha a pessoa trabalha 30 anos e não recebe dinheiro em dia governo gastando dinheiro com política chega policia está certa agora vamos todos uma mão ajuda a outra

  2. Cidadão disse:

    Senhor Amorim qual o problema dos militares estaduais terem um representante na AL RN , ela tem legitimidade a ter a mesma oportunidade de qualquer cidadão. quer dizer que só quem pode ser candidato são sempre os mesmos ou somente os privilegiados ricos como por exemplo DESEMBARGADOR que nunca fez nada de fato para o RN em detrimento das condições a que os militares do nosso RN sempre tiveram e têm para defender você é a todos nós. SUB ELIABE 77190

  3. Jacio Maranhão disse:

    Policiais acham que são Deuses

  4. Felipe disse:

    decisão politica e vergonhosa a da desembargadora. Macho mesmo é o juiz que peita os procuradores do estado. Esse sim nasceu p/ ser juiz. Agora achar que procurador do estado é quem tem poder e é quem manda em processo aí é humilhante demais p/ uma desembargadora. Procurador do estado deve ser visto pelo judiciario como um relés funcionario publico que paradoxalmente ganha muito dinheiro (e nao deveria ser assim) nao para defender o estado, mas sim para defender as castas privilegiadas do funcionalismo publico, o que é muito diferente de defender o estado.

  5. Assis Porto mirim disse:

    Os policiais não respeita a justiça Tj manda prender os líderes do movimento um candidato a Deputado

  6. Claude disse:

    Isso mesmo! Os “Gatos Gordos” do RN se protegendo e mandando o resto do funcionalismo se danar. Não ao calote.

  7. Flávio disse:

    O TJRN com salários em dia ,com sobras orçamentária e financeira e já parte da antecipação do décimo de 2018 pagos.Enquanto isso NÓS pobres servidores DE SEGUNDA CATEGORIA PARA ELES,passando privações por não estarmos com nossos suados salários em dia. Desse jeito é muito bom dizer o que o outro deve ou não fazer. FAÇA O QUE EU MANDO MAS NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO,OU SERÁ : FARINHA POUCA MEU PIRÃO PRIMEIRO.

    • Claude disse:

      Isso mesmo! Os “Gatos Gordos” do RN se protegendo e mandando o resto do funcionalismo se danar. Não ao calote.

    • Claude disse:

      Isso mesmo! Os “Gatos Gordos” do RN se protegendo e mandando o resto do funcionalismo se danar. Não ao calote! Cadê o décimo de 2017?

    • M.D.R disse:

      A JUSTIÇA, deveria ter dado praso ao GOVERNO para o pagamento 13° . Mas, é decepção para todos para quem tem conhecimento jurídico.