Saúde

WhattsApp lança figurinhas de apoio à vacinação contra a Covid-19, em parceria com a OMS

Foto: Reprodução/Blog do Whatsapp

O WhatsAPP, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), lançou um novo pacote de figurinhas chamado ‘Vaccines for All’ (Vacinas para todos, em português).

Em comunicado divulgado em seu blog, WhattsApp diz esperar que as figurinhas ofereçam um modo divertido e criativo de expressar não só a alegria, o alívio e a esperança com as possibilidades trazidas pelas vacinas contra a Covid-19, mas também a gratidão aos profissionais de saúde.

O WhatsApp conta ainda com um chatbot em português, em parceria com a OMS, para informações sobre o coronavírus. É o Alerta de Saúde da OMS, que pode ser contactado pelo número +41798931892 no link https://wa.me/41798931892?text=oi.

O aplicativo lembra que, desde o início da pandemia, firmou parcerias com governos federais, estaduais e municipais, e também com organizações, como OMS e Unicef, para oferecer canais de apoio sobre a Covid-19 e conectar seus usuários a recursos e informações precisas sobre a pandemia.

Com a pandemia entrando em uma nova fase em muitos países, os governos estão usando os canais de apoio para se conectar diretamente com os cidadãos, oferecendo informações precisas.

Através dessas ferramentas, também é possível fazer o agendamento para a vacina em países como Indonésia, África do Sul, Argentina, Brasil e Índia.

— Enquanto as vacinas para COVID-19 são distribuídas em todo o mundo, este novo pacote de figurinhas visa a incentivar sua aceitação e representar nossa esperança — disse Andy Pattison, líder da equipe de Canais Digitais da OMS.

“As vacinas são um divisor de águas, mas, por enquanto, devemos continuar a usar máscaras, seguir o distanciamento social, evitar aglomerações, ventilar espaços internos e manter as mãos bem limpas.”, reforça o aplicativo, em seu comunicado.

O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Presidente do MDB descarta apoio a Bolsonaro ou Lula

Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

Com políticos do MDB que defendem uma candidatura do próprio partido à Presidência, outros que sustentam o apoio a Lula, e ainda com parcela que tem preferência por Bolsonaro, a legenda inicia de forma mais incisiva, este mês, discussões para definir qual será a posição oficial da legenda na eleição do ano que vem. Presidente nacional do MDB, Baleia Rossi (SP) afirmou ao GLOBO que, no momento, o apoio a Lula ou Bolsonaro estão descartados, pois essas hipóteses, diz, sequer estão sendo aventadas nas conversas envolvendo a cúpula da sigla. Baleia afirma que o consenso é o lançamento de uma candidatura própria. E acredita que, caso um nome da sigla não venha a se mostrar competitivo, o melhor caminho para o MDB seria abraçar uma candidatura externa de centro, como João Doria (PSDB-SP), Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) ou Luciano Huck (sem partido).

Para Baleia, Doria é nacionalmente reconhecido pelo empenho na vacinação contra o Covid-19, mas precisaria melhorar sua popularidade na própria São Paulo para se tornar viável no ano que vem. Mandetta, por sua vez, é visto pelo dirigente emedebista como um nome que ganhou projeção ao participar dos debates quando era ministro da Saúde e tem a imagem associada à defesa da ciência. Huck, por sua vez, seria eleitoralmente um bom nome, de fácil assimilação, mas precisaria demonstrar mais interesse no pleito presidencial.

— Esses três nomes estão em pé de igualdade. E não temos discutido internamente o apoio a Lula ou Bolsonaro. A decisão interna é por uma terceira via. Um candidato mais ao centro, mais equilibrado, que entregue mais e tenha mais empatia com a população, que são as características do MDB. Hoje está descartado o apoio a Lula ou Bolsonaro — disse Baleia, ressaltando, contudo, que começará este mês a fazer consultas formais a deputados federais, senadores e presidentes estaduais dos partido sobre 2022.

Em conversas com dirigentes dos partidos, Baleia tem dito que o MDB “seria prejudicado” se “caminhasse com algum dos extremos”. O presidente da sigla reconhece que há políticos influentes da legenda que defendem apoio a Lula, principalmente no Nordeste, e a Bolsonaro, especialmente no Sul, e sustenta que uma forma de unificar o partido seria lançar uma candidatura da própria legenda. Ele afirma já ter conversado com o ex-presidente Michel Temer sobre entrar na disputa, mas que isso foi descartado. E, nesse cenário, o nome ao qual se refere com mais entusiasmo é o da senadora Simone Tebet (MS), embora também cite os governadores Renan Filho, de Alagoas, e Ibaneis Rocha, do Distrito Federal.

— A Simone tem muito potencial para crescer. Foi a primeira mulher candidata à presidência do Senado e se saiu muito bem este ano — avalia.

Mas a defesa de uma candidatura própria tem dificuldades internas. O senador Renan Calheiros (MDB-AL), por sua vez, afirma que o partido só poderia ir para esse rumo caso ela venha a se mostrar viável do ponto de vista eleitoral.

— Nós, do MDB, sonhamos há muitos anos em ter candidatura própria e competitiva à Presidência, porque isso ajuda a alavancar os palanques regionais. É o que queremos. Em 2020, fomos o partido que mais elegeu prefeitos nas capitais e grandes cidades. Temos vitalidade para isso. Mas lançar um nome sem competitividade à Presidência, como na eleição passada (quando Henrique Meirelles foi candidato), não adianta. Em vez de ajudar, só atrapalha os palanques regionais. Por isso, temos que aguardar para ver se nosso nome para 2022 vai se corporificar na sociedade, atrair partidos — avaliou o senador, que defende o apoio a Lula.

— Sinceramente, acho que o apoio do MDB a uma dessas candidaturas alternativas de centro é um caminho difícil de acontecer. Lula leva vantagem sobre Doria, Huck e Mandetta não apenas pela polarização com Bolsonaro ou pela probabilidade mais alta de ganhar. É pelo próprio perfil do Lula, que atrai o centro no qual o MDB está inserido. É uma tendência o meu apoio a ele caso o MDB não tenha candidato, mas ainda não posso colocar como uma coisa consumada.

No Sul, por sua vez, o partido é mais alinhado ao presidente Jair Bolsonaro. O deputado federal Osmar Terra (RS) chegou a ser ministro de Bolsonaro e tem participado de eventos com o presidente, como inaugurações de escolas cívico militares.

Citada por Baleia como possível presidenciável, a senadora Simone Tebet afirma ser necessário o MDB participar de um debate com os partidos de centro sobre a construção de uma terceira via.

— O MDB tem todas as condições de ter uma candidatura própria. Mas acho que o mais importante é estarmos na mesa de discussão com os demais partidos de centro. Seja para definirmos um nome próprio, compor com alguma chapa… A sociedade brasileira cansou do radicalismo e da polarização e está entendendo que política se faz pelo caminho do meio, do equilíbrio — avalia a senadora.

Além disso, no Senado, dois emedebistas são líderes do governo Bolsonaro: Eduardo Gomes, que faz a interlocução do Planalto junto ao Congresso, e Luiz Fernando Bezerra, que lidera o governo junto ao Senado. Dirigentes do MDB, contudo, minimizam o fato, pois afirmam se tratar de relações pessoais de Bolsonaro com os parlamentares, não tendo o aval do partido. Caciques da legenda destacam que nem Braga nem Bezerra comandam os diretórios estaduais de seus respectivos estados.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Juntando TODOS os opositores do presidente, não dá metade de um candidato. É uma vergonha.

  2. Vendo os nomes que vão surgindo para concorrer com Bolsonaro em 2022, dá prá imaginar o desespero dos seus opositores. A grande esperança dessa gente, especialmente da esquerda assumida, é o canalha, cachaceiro, semi-analfabeto, ex-presidiário, corrupto e lavador de dinheiro de 9 dedos. E os outros… Chega a ser engraçado.

  3. Santos sabido….kkkkk REDIAS: forma intermediária dos trematodeos digeneticos, fosse longe ao dar as REDEAS ao inepto do Doriana, melhor escrever menos, cai muito a possibilidade de dizer besteira.

  4. Kkkkkk
    Tem jeito não piaba.
    Pode vir quem vier.
    Bota o Michael Temer e o Rocha Loures de vice.
    Kkkkkkkk
    Mito 2022.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Evangélicos rechaçam Lula e consolidam apoio a Bolsonaro para 2022, revela pesquisa

Foto: Carolina Antunes/PR

Representando cerca de 30% dos brasileiros, os evangélicos sempre foram alvo de cobiça pelos candidatos à presidência da República. Para a disputa de 2022, o presidente Jair Bolsonaro já desponta como favorito por este grupo e deve manter o apoio conquistado ainda nas eleições de 2018.

Um levantamento do instituto Inteligência, Pesquisa e Consultoria (Ipec), divulgado no começo de março, mostrou que, 40% dos eleitores evangélicos avaliam o atual governo como “ótimo ou bom”. Neste segmento, apenas 27% consideram o governo “ruim ou péssimo”.

Recentemente, líderes religiosos das principais igrejas evangélicas estiveram no Palácio do Planalto para reforçar o apoio ao presidente Bolsonaro. A ideia do grupo foi de mostrar que nem mesmo a possibilidade de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula deve afastar os evangélicos do atual governo.

“O Lula não terá espaço com os evangélicos”, garantiu o pastor Silas Malafaia logo após o encontro em Brasília. Na mesma linha, o líder da Frente Parlamentar Evangélica, deputado Cezinha de Madureira (PSD-SP), aproveitou para se declarar satisfeito com Bolsonaro.

“Nunca tivemos um governo que começa e termina o dia falando em Deus. É um pouco difícil falar qualquer coisa contra esse governo. O Lula já começou declarando que é contra evangélico, que é contra a igreja”, afirmou Cezinha ao Antagonista.

No primeiro discurso após recuperar os direitos políticos, o possível candidato petista afirmou que “o papel das igrejas é orientar as pessoas, não é vender grão de feijão ou fazer culto cheio de gente sem máscara”. Integrante da frente evangélica, o deputado Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) rebateu a fala de Lula. “Lava a boca pra falar da igreja, cachaceiro!!!”, publicou em suas redes sociais.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Basta ele dizer q vai cobrar imposto das igrejas e vai ser excomungado por mil vidas rsrsr

  2. E mais uma vez vemos que a maioria escolheu Barrabás. Quando vc não conhece a história, está fadado a repeti-la.

  3. Ninguém comete atrocidades e barbaridades em nome do diabo. Todas que aconteceram na história da humanidade, quando precisou reportar um ser para justificar seus crimes, sempre foi usado o nome de Deus. Mais um crime contra a humanidade em nome dele foi cometido ao colocar o Bolsonaro poder. Ao fazerem isso, ficam livres para cometerem mais atrocidades, já que a conta vai para Deus e eles continuam "sem pecados". Hipócritas e fariseus.

  4. Muitos comentários dignos de pena. Intolerância religiosa é o fundo do poço. Temos um presidente honesto (em mais de 3 décadas na política), religioso, patriota e que se preocupa com seu povo. Defende nossa liberdade e está preocupado com o ganha-pão dos mais necessitados. E seus adversários, o que defendem e fazem? Querem derrubá-lo e voltar ao poder. Só isso.

  5. Pelos comentários… O Brasil está totalmente divido, ninguém sabe de nada. Que Deus ilumine nossas mentes e o coração!

  6. OS JUDEUS OPTARAM POR BARRABÁS AO INVÉS DE JESUS, HÁ DOIS MIL ANOS ATRÁS.
    Se Jesus voltasse e visse o que se passa dentro das Igrejas no trato dos Dízimos e Ofertas, teria uma decepção profunda com aqueles que fazem negócio e agora política com seu nome.
    OBS: Agora dá pra entender porque foi votado e aprovado um PERDÃO DE DÍVIDAS MILIONÁRIAS DAS IGREJAS.

  7. "Ainda bem que apareceu esse vírus" Quem é o autor desta frase? Uma dica, não foi Bolsonaro… Alguns de vcs precisam de tratamento defender um cara q diz uma frase dessa… Que Deus abençoe a todos…

    1. Um ex-presidente que já não apita mais em nada, que já ficou preso e que é passado! Agora, me fala ai, de quem são essas frases: 1. Gripezinha superdimensionada pela mídia mentirosa! 2. Não sou coveiro! 3. E daí? 4. Máscara não serve para nada! 5. Vai compra vacina na casa da tua mãe! 6. Essa doença ja ta indo embora, já está acabando. Uma pista: na atualidade o autor das frases ocupa o posto mais alto no comando do Brasil. E ai?

  8. Quando a religião é usada pela política, Deus já não está presente. Meu candidato pode ser evangélico, católico, espírita, budista, umbandista, até ateu. Mas tem que ser honesto e preocupado de verdade com o povo e o futuro desse país. E é por isso que não voto nem em Lula nem em Bozo.

  9. A gente vê logo o caráter e o nível dos que torcem contra o Brasil e contra o governo Bolsonaro. Basta ler seus comentários que já dá prá fazer uma boa ideia do tipo de gente que são. Intolerância, desrespeito, canalhice, mentiras, baixarias, defesa de bandidos, desonestidade… E vejam os que estão "do outro lado". É fácil identificar o lado do bem.

  10. A esquerda é tão baixa que criou o termo EVANJEGUE para se referir aos Evangélicos.
    Participei de umas reuniões do PT sobre mobilização popular, o que ouvi de dirigentes locais sobre religiosos, quaisquer seguidores, enoja a falsidade quando vemos esse povo em Procissões e Missas. Espíritas então são considerados charlatões e massa de manobra para distribuição de doações e aliciamento eleitoral.
    Quem tem amor ao próximo e Deus no coração não se alia a esses animais predadores e nefastos.

  11. É o mundo todo!!!
    Ninguém vota em corruptos, desonestos e ladrão condenado em duas instância e com grande chances de ser condenado de novo pelos processos que está correndo em outras instâncias.
    Kkkkkk
    Lula é ladrão!!!
    Ponto final.

  12. Realmente Bolsonaro tem um temor do carai a Deus ne? Esse Deus que vc6 pregam é pior que o Diabo.

  13. Montesquieu, se doeu? vá reclamar com Deus, a sua opinião não vai mudar meu pensamento sobre os evangélicos onde só tem gente falsa igual a vc, pense em uma raça sem futuros que só pensa em dinheiro, faça o seguinte faça a doação do seu salários para o pessoal que estão com dificuldades durante essa onda do Virus

  14. ZeGado, não sou BOLSONARISTA, evangélico, ou defensor de nenhum politico. Me considero uma pessoa normal, crente na família, na honestidade, humildade, respeito, simplicidade e amor, produtos tão carentes nesse nosso mundo, não concordo com muitas das palavras do atual e do ex presidente molusco, neste votei em duas eleições para Presidente, acredito que na sua gestão ocorreram coisas boas, não o defendo por questões de principios, sou de família de classe média, possuo bens e vivo tranquilo com a minha familia. Se este presidente se comportar, como o seu ídolo se comportou, com certeza vai para o pau, não tenho vínculo ou condescendencia com atos de improbidade administrativa, o que hoje observo é uma luta insana pelo poder sem precedentes, por sinal, esse troço deve ser muito especial, outra, não concordo com a crítica de que o atual é despreparado, disso, tenho certeza de uma coisa, mais preparado que um torneiro mecanico ele é.

    1. Temor a Deus??? O cara de falas totalmente sem misericórdia. Você está alienado.

    2. A biblia diz que quem mente é o diabo e todo o que mente é filho do diabo então você anda votando no filho da mentira? Engraçado Bolsonaro tem a boca suja que nem esgoto, é favor de armas (Jesus a favor de paz e da outra face), acho que você se perdeu e não sabe mais nem o significado de ser crente… Ta precisando ler a bíblia irmão. Sou crente e posso afirmar, não se ganha valores, vendendo outros não. Quente ou frio, pois o morno será vomitado!

    3. Sou evangélico e não voto em Bolsonaro de jeito nenhum, qual é o exemplo que ele dar de ser cristão. Desdenhar da morte de pessoas durante uma pandemia? Chamar palavrões a todo instante? Mentir?.

  15. Deixei de ser envangelica e toda a minha família devido ao apoio deles a um presidente que não demonstra um pingo de amor ao próximo.

  16. Êle não é unanimidade,se for 40 % acredito,mas não coloque Lula como o seu adversario e sim os outros.Neste aslecto vai ficar com 35%.Os leais,o cegos,os hipnotizados

    1. Você deve está certo, afinal petista sabe tudo do futuro e nada do passado.
      Logo vão sair pesquisas nesse sentido, aquelas pesquisas falsas, colocando ex condenado em vantagem na corrida eleitoral. Quem é o ex condenado, Lula, que nem o STF conseguiu inocentar.
      Lembra das pesquisas publicadas em 2017 e 2018 que Bolsonaro perdia de todos? Elas vão voltar a aparecer, aguarde.
      Vai começar a era da manipulação em massa, mas o povo tem acordado, o povo está sabendo ver a verdade, o povo não é mais os zumbis amestrados da era do PT., exceto, meia dúzia que insistem com seus corruptos de estimação, são casos perdidos, numa enorme maioria de 10%.

  17. Enquanto bolsinho tiver perdoando dívidas de 1 bilhão das igrejas um monte de gente boa como Edir Macedo, Silas malafaia, Waldemiro Santiago e RR Soares vão votar nele

    1. evangelico e a religiao do satanas, ele está formando o seu exercito aqui na terra para poder voltar com muita força. maso triunfo de DEUS sera maior.

  18. Lulaladrão e sua trup são um bando de ateus farizeus , foram todos enviados pelo satanás para destabilizar o povo Brasileiro. Glória a Deus !

    1. Sem futuro é vc. Tenho certeza q seu comentário foi feito em frente ao espelho, um idiota feito vc é muito macho na frente d uma tela.

    2. Quando eu era mais novo eu ouvia dizer que tinha gente que tem raiva de crente, e não entendia pq!Rapz hj eu entendo e compartilho com a mesma ideia!owww povo véi que acha que tá certo, e só eles vão para o céu! A vdd é que todo mundo que ir para o céu. Mas, ninguém quer morrer!

  19. Do que adianta o sujeito passar o dia inteiro falando o nome de Deus, mas servindo ao Diabo? Esses neopentecostais simbolizam um câncer que está corroendo os ensinamentos de Cristo. R. R. Soares, Edir Macedo, Valdomiro, Malafaia, toda essa corja só quer saber é de dinheiro 💰

  20. É a lavagem cerebral feita pelos grandes líderes evangélicos. Ora, foi mais de 1 bi de isenção para os líderes. Tem que apoiar o presidente mesmo.

  21. Sou cristão e não voto mais nesse cara. Não sei de onde o povo evangélico tirou na Bíblia que Bolsonaro é o enviado de Deus para o Brasil. Alguém sabe?

  22. Bolsonaro pode ser comparado ao Rei Saul. O povo exigiu ao profeta Samuel que lhe desse um rei. Samuel consultou a Deus, e Deus disse: Se o povo quer um rei, dei-lhe um rei! O que aconteceu é que Saul fez muitas iniquidades e foi afastado do poder e sucedido pelo Rei Davi. O povo quis Bolsonaro, agora aguentem até a sucessão.

  23. lula é um defunto politico e o PT mantido por uma seita satânica de seguidores que doentes partidários, parabéns aos evangélicos, a campanha agora é #forafatima genocida, #vendacaern para pagar auxilio emergencial no RN

    1. Parabéns Milton…vc é a prova que há vida inteligente nas igrejas…

  24. Deus tem um planeta doente para cuidar…
    Esses enganadores, charlatões, que prometem cura do COVID com caroço de feijão, o departamento não é com Deus, Deus é humildade, empatia, estender a mão e simplicidade.
    O encarregado de cuidar desse povo (falsos messias) é do coisa RUIM mesmo.

    1. Vou concordar em parte com você Zégado, realmente tinham iniciado o tratamento, condenando alguns corruptos que tinham se apropriado dos recursos públicos, mas aí apareceu alguém e colocou o STF no meio. Destruiu todo processo de cura e libertação que estava em curso, jogou anos de limpeza fora.
      Para piorar não conseguiram inocentar os bandidos, os corruptos continuam sendo corruptos, então mudaram a lei para dar liberdade aos facínoras, ratazanas e bestes sociais que estavam encarceradas e condenadas.

  25. Gazeta do Povo é uma fonte totalmente Bolsonarista. É fato que boa parte dos evangélicos apoiam esse governo, mas não pode generalizar . Inclusive o apoio vem muito mais das igrejas Neopentencostais que vivem envolvidas em escandalos financeiros.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Grupo com mais de 200 médicos no Ceará lança nota de apoio a Bolsonaro na condução da pandemia

(Foto: EVARISTO SA / AFP)

“Manifesto dos médicos cearenses em prol do Brasil” é uma lista virtual de assinaturas de profissionais da Medicina do Ceará que se manifestaram a favor do presidente Jair Bolsonaro na condução da pandemia no Brasil. A lista conta com 219 nomes e pode ser acessada clicando neste link: lista de médicos.

Na manhã desta terça-feira, 16, o link havia sido removido da rede social Facebook junto com o manifesto. O registro da nota de apoio está anexado no final da matéria. Entre os nomes citados da lista está o do vice-reitor da Universidade Federal do Ceará, o médico José Glauco Lobo Filho.

“Em 2018, elegemos Jair Messias Bolsonaro. Até agora – em nossa concepção -, o único Presidente da República que, literalmente, derramou o próprio sangue pelo Brasil”, cita o manifesto. A nota é complementada com: “Apesar de todo o seu empenho e dedicação, o nosso Presidente vem sofrendo perseguições incessantes. Mesmo assim, ele demonstra a todos que a resiliência é, antes de tudo, uma virtude dos guerreiros patriotas”.

No manifesto, os médicos defendem o apoio ao uso de máscaras e à vacinação. “Reforçamos nosso total apoio ao uso de máscaras, à vacinação segura e eficaz de maneira responsável”. “Ratificamos a importância da higiene pessoal e de métodos preventivos. Apoiamos o atendimento precoce com todas os medicamentos que tenham respaldo científico”.

Veja lista com nomes dos médicos AQUI em matéria na íntegra.

O Povo

https://www.opovo.com.br/noticias/ceara/2021/03/16/medicos-lancam-nota-de-apoio-a-bolsonaro–vice-reitor-da-ufc-esta-na-lista.html

Opinião dos leitores

  1. Vejo que os comentários se resumem a torcedores de lados políticos, sem qualquer palavra que tenha proveito, apenas despejo de ódio e ressentimento.
    Os Presidentes da França e Itália de ideologia da esquerda, estão sem comprar vacinas e ninguém os chama de genocida.
    A Premier da Alemanha que mais critica, pisou na bola, está com a vacinação parada e não tem um jornalista que a chame de genocida.
    Dória é responsável pela avalanche de mortes e continua proibindo a medicação que já tem vários estudos científicos e provas que funciona, como a hidroxocloriquina, azitromicina, nitazoxanida, ivermectina, zinco e as vitaminas.
    Existe uma abaixo assinado de médicos europeus pedindo o uso dessa medicação como tratamento ao covid em toda europa.
    Vocês que não tem o que falar, perdem tempo em ataque irresponsáveis e não conseguem contribuir com o melhor, com o que vem sendo comprovadamente eficiente no combate ao vírus.

    1. Errado. Nos casos de Franca, Itália e Alemanha o que houve foi um atraso na entrega das vacinas e também a suspensão da vacinação devido a óbitos que ocorreram na Europa de pessoas que tomaram a vacina. Lá os governantes não foram inertes, por isso não são chamados de genocidas. Já aqui ………..

    2. Totalmente equivocado seu pensamento! Os países citados suspenderam a compra por motivo de óbitos em análise. Cadê o link da matéria que comprova a eficácia? Até agora só matérias e prints fakes. Acorda! Vamos olhar pra frente!

    3. Perfeito comentário Carlos, chegamos onde estamos por covardia de muitos médicos que só receitam dipirona e mandam para casa, quando o infectado está sem forças e falta de ar , que iniciam o tratamento.
      Aí sim tem medicamentos e tubalina, antes não pode e nem existe nenhum medicamento.
      Quem são os genocidas?

  2. Jogo de interesse próprio, devia ser o nome dessa nota desses médicos, esses não tem pena nem da família.

    1. Amigo, seu comentário fechou o assunto, parabéns!
      Síndrome de Estocolmo é um estado PSICOLÓGICO em que a pessoa submetida a intimidação, medo, tensão e até mesmo agressões, passa a ter empatia e sentimento de AMOR e amizade por seu AGRESSOR

  3. Notas para lá, notas para cá, todos os tipos desejados… e a população morrendo em veloz atroz.

  4. Apoio ao uso de máscaras, à vacinação (…) Apoiamos o atendimento precoce com todas os medicamentos que tenham respaldo científico”.

    E apoiam o presidente que faz tudo ao contrário. Parabéns.

  5. O Ceará tem quase 4.500 médicos, uma lista de apoio à um negacionistas da ciência, com apenas 219 assinaturas, só mostra o tamanho da rejeição da classe ao Presidente.

  6. Ele realmente é muito perseguido. Vejam, esse negócio de rachadinha não é corrupção, é só uma “viração”.

    1. Quem merece ter o crm caçado são os médicos que são contra o atendimento logo nos primeiros sintomas da doença.

    2. E a pessoa que apoia o maior ladrão de 9 dedos que esse país já teve? Merece ser preso por ser cúmplice e apoiar o crime.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

FHC diz que votaria em Lula contra Bolsonaro em 2022 por ser “menos ruim”

Foto: Sérgio Lima/Poder360

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta 3ª feira (16.mar.2021) que votaria em Luiz Inácio Lula da Silva contra Jair Bolsonaro em uma possível disputa ao Planalto em 2022 por considerar o petista “menos ruim” do que o atual chefe do Executivo.

Segundo FHC, Lula é “calejado pela vida” e, em si, não é o “mal”. As declarações foram feitas em entrevista ao jornalista Tales Faria, do UOL.

“O Lula não é nenhum principiante. […] Ele tem jeito para coisa. O Lula não é de esquerda nem de direita. O Lula é ele”, afirmou.

O petista recuperou os direitos políticos depois de o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin anular todas as decisões tomadas pela 13ª Vara de Curitiba nas ações penais contra ele. Leia a íntegra (369 KB) da decisão.

Na avaliação de Fachin, as ações não poderiam ter corrido em Curitiba porque os fatos apontados não têm relação direta com o esquema de desvios na Petrobras.

Sobre a decisão, FHC disse que demoraram “muitos anos” para “descobrir a pólvora”. E que petistas vão interpretar o processo “como se fosse a nulidade das acusações” contra Lula.

Poder 360

Opinião dos leitores

  1. Esse fdp foi quem inventou reeleição no Brasil.
    Pagou caro pros deputados congressistas da epoca, assim diziam e juravam os petistas.
    É só puxar pela memória.
    Briga feia entre PSDB e PT até a última campanha do derrptado Alkmin em 2018.
    É só puxar pela memória pra vê, eram água e óleo não se misturavam.
    Todos.
    Canalhas!!
    A cada dia tenho mais certeza que votei, e vou votar certo.
    Querem mamar esses corruptos.
    Fora FHC…

  2. Esse mequetrefe já devia ter sido alijado da política Nacional, boca mole, aposentado sem ter direito, ainda chamou os aposentados reais de vagabundos, uma verdadeira piada, vive de omitir opiniões desencontradas, frutos da sua mente preguiçosa e doentia, ele esquece dos seus amigos Aécio Neves, Serra e Aloisio Nunes, todos métodos em falcatruas, devia deixar de ser seletivo e imbecil.

  3. Vamos perdoar esse senhor, pois ele já está esclerosado. Esse é o mesmo que inventou a reeleição no Brasil para permanecer mais tempo no poder, esse é o mesmo que foi infiel a esposa o tempo todo, esse é o mesmo que fazia acordo com qualquer um para se manter, esse é o mesmo que pertence ao psdb partido que fica em cima do muro sempre.

  4. Oh novidade!! No Brasil só tem duas vertentes. Ou você é Bolsonaro ou é contra. FHC é o maior mafioso da política brasileira. Sempre esteve ao lado do fórum de São Paulo.
    Perderam as tetas e sabem que se voltarem ao poder vai ter pra todos novamente, por isso tão só revelando em que lado estão, coisa que só quem é desinformado não sabe.

  5. Qual o espanto? PT e PSDB é a mesma coisa. Só que o PSDB tenta camuflar a sua posição. É só ver o naipe dos políticos de ambos com envolvimento em coisa errada: Aécio Neves – PSDB, Lula-PT, Dória-PSDB, Dirceu-PT Serra-PSDB, Delubio-PT, Alckmin-PSDB, Azeredo-PSDB, Aloysio Nunes-PSDB, Vaccari Neto-PT, Palocci-PT. Se falar a palavra Lava-jato, PSDB e PT correm.

  6. FHC estudou bem lá fora sobre o Socialismo e aplicou aqui no Brasil outra versão das coisas que aprendeu, a Pura Sacanagem de ferrar com seu povo, foi isso que FHC aprendeu, só deixou um atraso enorme no País. Não é de se admirar que ele apoie outro bandido.

  7. Interessante um roubou ate onde conseguiu, deu direitos a bandidos, tem ideologias marginais, tudo que fez foi maquiagem, o outro porque não faz o politicamente correto que muitos acham que deve ser o que na verdade é mentir ai o cara vem dizer que votava em Lula porque é menos ruim mostra que tem a mesma ideologia e mostra que o Brasil nunca realmente teve um governo de direita, por isso que o governo não consegue governar é contra tudo e contra todos.

  8. Lula e FHC, tudo a ver, dois corruPTos, um comprou a reeleição o outro o mensalão e o petrolão, um fez escola na roubalheira, o outro aperfeiçoou esquema.

    1. Concordo! E agora o governo do MINTO está trazendo alterações legislativas que irão propiciar que nunca sejam punidos os atuais e os futuros condenados por corrupção: alteração na lei de delação premiada, aprovação de nova lei sobre abuso de autoridade, sanção do juiz de garantias, sem contar que não moveu um dedo para aprovar a PEC da prisão após condenação em segunda instância, colocou um PGR e um ministro no STF que são petistas, e por aí vai…

  9. Corretíssima a colocação desse traste “lula não é nenhum principiante “, para roubar teve o PAI DE CRIAÇÃO E O PROFESSOR.

  10. Votei nesse safado, tinha até uma admiração por ser um personalidade culta, mais me enganei. Tá se misturando com corrupto. PSDB nunca mais.

  11. Um no triplex do Guarujá
    Outro em Paris.
    Farinha do mesmo saco.
    Até ontem jogavam pedras um no outro.
    Dois cabra de pêia braba.

  12. LULA = BOZO. Não podemos errar novamente. A decisão tem que ser no 1º turno por outro nome, qualquer um que não seja esses 2 ou um pau mandado deles.

  13. Corrupto tanto quanto o 9 dedos ! Ladrão vota em Ladrão. Roubou como pôde, p aprovar a reeleição e outros desmandos. Ser menos ruim… cada uma q a gente vê. Triste Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Ministro Pazuello garante apoio à governadora para a expansão de leitos de UTIs Covid no RN

Fotos: Fabiano Trindade

Fátima Bezerra renovou a necessidade de inclusão dos professores entre as etapas iniciais dos grupos prioritários; pleito será atendido e a vacinação dos profissionais da educação será antecipada.

A governadora Fátima Bezerra se reuniu na noite desta quinta-feira (25) com o ministro Eduardo Pazuello e solicitou o apoio do Ministério da Saúde para a aquisição de equipamentos de UTIs/Covid e também para o custeio de leitos críticos em funcionamento e os que serão habilitados nos próximos dias.

Ela obteve a garantia, pelo ministro, do envio de ventiladores mecânicos e monitores, ambos já disponíveis no Ministério da Saúde. Pazuello assegurou ainda, quanto às bombas de infusão solicitadas pela governadora, que envidará esforços para aquisição e envio ao Rio Grande do Norte.

“Renovo aqui, também, o pedido para agilização do envio das vacinas. A situação é muito crítica. Sabemos que a ampliação de leitos é importante e imperativa neste momento, mas não é suficiente para o enfrentamento da doença”, enfatizou a governadora Fátima ao ministro.

Quanto ao aporte adicional de recursos para garantir financiamento das estruturas existentes e as que serão viabilizadas para o enfrentamento à Covid, o ministro se mostrou sensível ao pleito e adiantou que o assunto está em pauta junto ao Congresso Nacional. “Viabilizaremos esse aporte, provavelmente, através de emenda ao orçamento da União, daí a importância dessa discussão junto ao Congresso e com a participação do Fórum dos Governadores”, destacou Pazuello.

VACINAS

Ao fazer um apelo no sentido de que o Ministério da Saúde dê mais celeridade no envio de vacinas aos estados, a governadora Fátima Bezerra renovou a necessidade de inclusão dos professores entre as etapas iniciais dos grupos prioritários, dada a importância desses profissionais para a retomada do ensino público em todo o Brasil. Em janeiro passado, ela já havia encaminhado carta ao presidente da República solicitando a inclusão dos profissionais da educação entre os grupos prioritários de vacinação.

O ministro adiantou que o pleito será atendido e que a vacinação dos profissionais da educação será antecipada. “Estamos trabalhando com a possibilidade de incluir esses profissionais no mês de março, a depender da confirmação de entrega por nossos fornecedores das doses contratadas”, respondeu ele.

A governadora agradeceu ao ministro pela audiência e disse que, diante da gravidade da pandemia no estado, é imperioso o envio desses equipamentos ao Rio Grande do Norte o mais urgente possível.

Estiveram presentes na reunião o secretário de Saúde Pública do Estado, Cipriano Maia; a subsecretária de Planejamento e Gestão da Sesap, Lyane Ramalho; e a assessora jurídica do Gabinete Civil, Luciana Daltro.

Opinião dos leitores

  1. Alguém escutou a entrevista do prefeito de São Gonçalo ontem a 96 FM?
    Fecharam o hospital Belarmina Monte que disponibilizava 100 leitos.
    Quem tomou essa medida em plena pandemia? Isso é respeito a vida?
    O que houve com os 40 leitos do hospital da liga?
    Esses 140 leitos não vão fazer falta?
    Não entendo mais nada

  2. Depois do calote de R$ 5 milhões na tentativa de comprar respiradores, Governo do RN quer comprar novas doses de vacina contra a Covid-19 por meio do Consórcio
    Tá de sacanagem

  3. Fátima deu alguma justificativa do porque fechou leitos e hospitais? Ela omite toda a ajuda recebida do Governo Federal, se apropria indevidamente, veiculando até mesmo propaganda institucional inverídica, de tudo o que o Governo Federal faz pelo RN. Por qual razão a Procuradoria pediu para fechar os leitos hospitalares em Mossoró?

    1. Deu, mas você não leu os canais oficiais do governo ou outros blogs já tem este comunicado.

  4. Essa necessidade era tão previsível, não sei por que deixa para ultima hora, no primeiro pico tudo bem, não se sabia como iria se comportar, más agora, todo mundo viu que o primeiro pico aqui no Brasil começou por Manaus, depois desceu para o sudeste e então chegou ao nordeste, então por que quando viu a segunda "onda" forte em Manaus não começou a se prevenir, abrindo novos leitos, estocando insumos, oxigênio e etc, para evitar um colapso novamente, não, esperou para se movimentar de ultima hora, parece que espera o caos para fazer mídia. Isso é brincar com a vida das pessoas, não tiro uma parcela da culpa de uma camada da população que não se previne e aglomera sem necessidade, más o Estado (no geral, GF, GE e GM) sabe que não tem como moldar a mente das pessoas de uma hora para outra e também sabe que tem o dever de cuidar das pessoas, então o único remédio é se antecipar aos acontecimento e criar mecanismos de prevenção. Só um desabafo diante da situação rsss.

  5. Os governadores são iguais aqueles filhos sem noção que saem de casa se achando independente e depois voltam chorando pedindo ajuda.
    E o governo federal como bom gestor está sempre presente, mas na primeira melhora o filho volta a criticar os pais.

  6. Diz uma coisa e faz outra. E ainda joga para a plateia. Se está precisando de leitos por que quer fechar os de Mossoró? Por que não cuidou de fazer um hospital de campanha? Para onde foi todo o dinheiro enviado pelo governo federal até agora? Toda essa encenação com o ministro é somente no intuito de terceirizar a culpa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Vingança! Italianos votam em Gil para irritar fãs brasileiros do BBB21 que miram rejeição recorde de Karol Conká

Foto: Reprodução/TV Globo

Os italianos querem vingança! Eles não estão gostando nada da interferência dos brasileiros nas votações do Grande Fratello VIP, versão nacional do Big Brother, e querem tentar influenciar no BBB21. Tudo porque a brasileira Dayane Mello é uma das concorrentes do programa de lá e ganhou o apoio de seus conterrâneos pela internet.

Um perfil no Twitter começou o movimento “Fuori Gilberto e Forza Karol”, mas os próprios italianos já sabem que não conseguem competir com a intensidade dos brasileiros quando se trata de reality show. “Se não conseguimos eliminar a Dayane, quem somos nós para eliminar o Gilberto?”, questionou um italiano.

“Brasileiros com 1 milhão de tweets #foraKarol. Italianos com menos de 200 tweets #fuoriGilberto sem o apoio de ninguém”, escreveu um perfil italiano no Twitter. “É mais provável que o Tommaso saia contra Zelletta do que o Gilberto sair”, respondeu outro, citando participantes do reality no país. “Estou irritado porque eles dominam o nosso Grande Fratello. Imagina se tirarmos o Gilberto, protegido de todos?”, comentou mais um.

Foto: Reprodução

Coluna Léo Dias – Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Quanta cultura se aprende com os BBBs da vida. Me impressiona o tempo perdido em assistir e pior ainda, comentar sobre a baboseira que o programa tem. Nada de útil. Acordem Brasileiros.

  2. Muitos dos que vivem dizendo que a "Globolixo" acabou, assistem com avidez a essa porcaria de programa. E a fila de patrocinadores não para de crescer, kkkkk.
    País dos hipócritas.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Lira diz que Bolsonaro não invadiu competência do Legislativo com decretos sobre armas

Foto: REUTERS/Bruno Kelly

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), disse ao blog nesta segunda-feira (15) avaliar que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não invadiu competência do Legislativo ao editar decretos que flexibilizam o uso e a compra de armas de fogo no país. A posição de Lira contraria a declaração do vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM) – ambos são aliados do Planalto.

Lira tem discutido o tema com advogados e técnicos, e afirmou ao blog que “talvez possa ter havido uma superlativação” no ponto que editou o porte de armas, mas que isso pode ser corrigido.

“Ele não invadiu competência, não extrapolou limites já que, na minha visão, modificou decretos já existentes. É prerrogativa do presidente. Pode ter superlativado na questão das duas armas para porte, mas isso pode ser corrigido”.

Perguntado pelo blog se a prioridade do país deve ser armas, neste momento de pandemia, Lira respondeu: “É de cada um. É pauta dele. A minha prioridade eu já deixei claro que é vacina”.

Com a alteração do decreto, o governo agora passa a permitir expressamente, por exemplo, o porte simultâneo de duas armas. O direito ao porte significa poder circular com a arma. Antes, a regra dizia que o porte deveria ser válido apenas para a arma nele especificada, mas não mencionava a quantidade.

O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), da oposição na Câmara, disse ao blog que vai acrescentar um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para derrubar esses novos atos em uma ação já existente na Corte questionando a constitucionalidade da política armamentista.

“No mesmo dia em que foi publicado o aumento do número de mortes violentas no Brasil, Bolsonaro publicou decretos facilitando ainda mais o acesso a armas. Já temos uma ação no STF questionando a inconstitucionalidade da política armamentista do governo e vamos acrescentar um pedido para também derrubar esses novos atos. Bolsonaro não quer passar leis pelo Congresso, quer governar por decreto. O Brasil é um Estado de Direito, não um Estado de Tiro”, afirmou.

Blog da Andréia Sadi – G1

Opinião dos leitores

  1. Quando o homem de bem, o trabalhador, Estiver armado., a violência diminui, hoje só a bandidagem esta. As famílias reféns.

  2. Meu Deus.. onde vamos para com esse governo safado.. ainda bem que não votei nesse FDP….aí tem gente que fica do lado desse governo, ohh cabeça…..sem noção..

    1. Que bom que não votou, continue cultivando seus corruptos de estimação.
      Só votou nele quem pensa no melhor para o país, longe da idiotização da ideologia.

  3. A imprensa brasileira não cansa de passar vergonha, sempre com matéria jogando o Presidente contra o congresso Nacional, governadores, Militares etc
    MITO 2022

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Ato anunciado por Lira para oficializar o apoio do DEM não acontece

O candidato à presidência da Câmara Arthur Lira (PP-AL) divulgou no início da manhã desta segunda-feira (1º) em sua agenda que às 9h30 haveria um ato de oficialização do apoio do DEM à sua candidatura. O evento, no entanto, não ocorreu. O DEM disse, por meio da assessoria da sigla, que não estava sabendo do ato. Questionada sobre o desencontro de informações, a assessoria de Lira afirmou que caberia ao DEM responder.

De acordo com o blog da Andréia Sadi, o presidente do DEM, ACM Neto, mandou cancelar a cerimônia.

Com isso, o apoio do DEM a Lira não está oficializado. No início da campanha à presidência da Câmara, o partido havia anunciado apoio a Baleia Rossi (MDB-SP), candidato do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A eleição está marcada para o início da noite desta segunda.

Nos últimos dias, integrantes da bancada do partido têm demonstrado desejo de migrar para o bloco de Lira, candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro e um dos principais líderes do Centrão.

De acordo com o blog do Valdo Cruz, uma reunião da executiva do DEM ocorrida no domingo (31) optou pela neutralidade do partido na disputa. Ou seja, a direção partidária liberaria a bancada para votar como quiser.

Essa decisão desagrada Maia, que se empenhou na candidatura de Baleia e tem rivalizado politicamente com o Palácio do Planalto.

O blog da Natuza Nery informou que, em reunião na noite de domingo entre Maia e presidente e líderes de partidos, o presidente da Câmara externou a insatisfação com a possibilidade de o DEM desembarcar do bloco de Baleia. Ainda segundo o blog, relatos de políticos presentes à reunião dão conta de que Maia cogita, diante dessa postura do DEM, aceitar um dos pedidos de impeachment contra Bolsonaro. Essa decisão, pela lei, cabe exclusivamente ao presidente da Câmara.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

FOTO: 12 vereadores anunciam apoio a Wolney para presidente da Câmara Municipal de Parnamirim

Foto: Cedida

De 18 vereadores que compõem a Câmara Municipal de Parnamirim, doze(12) anunciaram apoio a Wolney França (PSC)  para presidente da Casa.

Na imagem em destaque estão os vereadores Gustavo negócio (Republicanos);  Marquinhos da Climep (Avante); Diego Américo(PSL); Diogo Rodrigues(PSD); Iranir Guedes(Republicanos); Éder Queiroz(PSC); Léo lima(PSC);Afrânio Bezerra(Avante);  Thiago Fernandes(Solidariedade); Michael Borges(Avante); Vavá Azevedo(PP); e Binho de Ambrósio(Solidariedade). Wolney França no centro da foto.

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Fábio Faria cita ‘narrativa incorreta’ sobre eleições, e diz que presidente não está virando centrão: “partidos de centro é que têm de abraçar as bandeiras do Bolsonaro”

Foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press

Considerado um articulador do Executivo com os outros Poderes, o ministro das Comunicações, Fábio Faria, rejeita o título e diz que a imagem surgiu porque chegou ao governo no momento de maior estresse entre as instituições, o que foi resolvido por vontade de todos. Ele diz não ter dúvidas de que, apesar de muitos afirmarem que o presidente Jair Bolsonaro saiu derrotado das eleições municipais, o chefe do Executivo continua forte e sua reeleição é muito provável em 2022.

No entender do ministro, não haverá tempo suficiente para que o grupo de centro-direita que saiu fortalecido das urnas construa uma candidatura com musculatura suficiente para fazer frente a Bolsonaro e a um representante da esquerda. Dos nomes citados como possíveis cabeças de chapa da direita mais moderada, Faria ressalta que o ex-juiz Sergio Moro saiu do jogo político ao migrar para a iniciativa privada e se envolver em conflitos de interesse.

Afirma que o governador de São Paulo, João Doria, desgastou-se por causa de uma sucessão de “traições”. Frisa que Rodrigo Maia é um grande articulador político, mas não tem votos, e acredita que Luciano Huck deve continuar como apresentador de tevê, pois os eleitores não querem se arriscar em uma aventura parecida com a de Wilson Witzel, eleito para o governo do Rio de Janeiro com um discurso contra a corrupção, mas que deve perder o mandato .

O ministro diz, ainda, que o governo tem o direito de apoiar candidatos para as presidências da Câmara e do Senado que defendam a agenda conservadora nos costumes e liberal na economia, hoje interditada. E um bom nome para defender os interesses do Palácio do Planalto é o do deputado Arthur Lira, do PP. Sobre o fortalecimento do Centrão nas urnas, Faria ressalta que isso não significará a volta do toma-lá-dá-cá, por meio de mais vagas no ministério.

Para Faria, a única crise que existe no governo é a “crise de palavras”, que cria uma cortina de fumaça e faz com que as entregas não cheguem na ponta. “Não tem nenhum ponto que desabone o governo. Não há uma denúncia de corrupção. Na pandemia de covid, não faltou dinheiro para estados e municípios, não faltou dinheiro para as empresas, não faltou para os desempregados. Não faltou para nada”, defende.

Sobre a polêmica que envolve o leilão do 5G, com ameaça de restrição aos fornecedores chineses, alvo de nota das operadoras do país, o ministro prefere se manter neutro. Diz apenas que ninguém do Executivo falou sobre isso, que a decisão estará contemplada no relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e que o assunto será avaliado de forma técnica. “Tem muito mais de briga geopolítica nisso do que qualquer outra coisa”, afirma. Veja a seguir os principais trechos da entrevista concedida ontem no Ministério das Comunicações:

Estamos vindo de eleições municipais. Como o senhor viu o resultado das eleições e que recado as urnas deram ao governo?

O governo não recebeu nenhum recado das urnas. O próprio presidente Jair Bolsonaro pediu para que nenhum ministro, nenhum secretário participasse (do pleito). Alguns deputados participaram, mas ele próprio não foi para nenhuma cidade. Ele fez algumas lives, eu acho que quatro, e sinalizou para o eleitor conservador. Nas próprias lives, ele falava que, no máximo, alteraria de 5% a 6%. A narrativa que foi colocada de que houve uma participação e, possivelmente, derrota do presidente Bolsonaro é totalmente incorreta. Porque, se ele quisesse ter participado plenamente das eleições, teria pedido que todo o seu grupo de linha participasse. Isso não houve. Outro ponto, se olhar 2016, Bolsonaro não fez nenhum prefeito. Este ano não tem nem partido. O eleitor de direita, do Bolsonaro, votou em vários candidatos e em vários partidos que estão participando em algumas votações, votando junto com o governo. Muito difícil você ter um recado claro na eleição de 2020.

Como o senhor avalia o resultado? O eleitor não quis os extremos. Optou pelo centro.

Quem foi o candidato de extremo, do Bolsonaro, que perdeu? Russomanno (Celso Russomanno, candidato à prefeitura de São Paulo pelo Republicanos) é moderado. Crivella (Marcello Crivella, candidato à reeleição do Rio de Janeiro) é moderado. É uma leitura que ainda não consegui fazer, essa que a imprensa tentou colocar. Óbvio que, se você lê muitas vezes a mesma coisa, acaba seguindo o caminho. Mas a maioria dos partidos que compõem hoje a base do governo na Câmara e no Senado, muitos migraram e votaram. Pessoalmente, sem ser como ministro, acho que Bolsonaro mostrou que é muito forte, descolado de muita coisa. Bolsonarismo é muito mais o Bolsonaro do que um núcleo maior. Tanto que o presidente não participou. Logo depois das eleições, sai uma pesquisa na qual o presidente tem 40% de ótimo e bom. Ele disse, nas lives, que não tem hoje este poder de transferência. A pessoa vota no candidato. O fator local é muito mais forte do que o nacional. Se o candidato for bom, aquele apoio influencia um pouco, mas não altera a eleição. O principal recado que ele deu foi a sinalização para o eleitor conservador, que foi aquele que votou nele. Não quis passar 2020 batido e retribuiu, dentro do que podia fazer, para mostrar isso para o eleitor.

Mas as forças de centro saíram mais fortalecidas. Como o senhor avalia?

Acho que nada disso influencia. Se for voltar dois anos, em 2018, o Geraldo Alckmin (candidato à Presidência pelo PSDB) fez uma ampla aliança, conseguiu sete minutos de televisão e o Bolsonaro, com sete segundos, venceu. O Alckmin tinha apoio de governadores nos estados e não conseguia ir, porque eles não queriam recebê-lo. Do mesmo jeito que a eleição municipal é descolada da nacional, a presidencial também descola, é paixão. Os candidatos atraem essas paixões. No Nordeste, por exemplo, se o candidato não tiver penetração para poder se comunicar, muitas vezes a base não quer nem receber, porque atrapalha. Por isso, foi muito forte por muito tempo, porque os candidatos não queriam levar outros. O Bolsonaro quebrou isso. Hoje, temos a direita no Nordeste. Antes, ou apoiava alguém da esquerda para fazer coligação, ou fazia eleição simplesmente estadual, nem se falava sobre o presidente da República.

A avaliação que o senhor faz então é que o resultado foi bom para o governo?

O resultado não altera o governo. Esses partidos de centro estão compondo com o governo, eles precisam mostrar resultado. Eu sempre defendi e continuo defendendo. O Bolsonaro não está virando centrão. Os partidos de centro é que têm de abraçar as bandeiras do Bolsonaro, porque ele foi eleito, ele derrotou a esquerda com isso. Bolsonaro conseguiu, sozinho, com o grupo dele, sem apoio de ninguém, ganhar a eleição com a bandeira conservadora, de valores. Com o centro participando da base, o governo vai pedir que apoie essas bandeiras do presidente. Em 2022, a gente não sabe quem vai estar junto. A economia vai ditar muita coisa. Se crescer 3%, 4% no ano que vem, será que alguma frente vai ter tempo de criar outro candidato? Será que as pessoas não vão com Bolsonaro? Ou vão migrar para esquerda? Vejo um cenário muito incerto sobre isso. Até porque o Bolsonaro só seria derrotado se tivesse partido, se tivesse entrado na eleição e se tivesse enfrentado os partidos do centro. Isso não ocorreu.

O fato de o centrão sair mais forte das urnas vai fazer com que cobre um espaço maior do governo, em uma reforma ministerial, mais à frente, para se ver mais bem representado?

Primeiro, o centro se deu bem na eleição, mas o governo avalizou o centro. Começa por aí. Se o centro está compondo a base, foi avalizado pelo governo, que viu que tem 300 parlamentares. Para votar qualquer coisa, precisa do apoio do Congresso. O que precisa é o centro se entender com o governo. Porque, depois de 2018, não vai ter a volta do toma-lá-dá-cá. Isso, mesmo daqui muitos anos, a população não vai aceitar. Isso está precificado. Não acredito que vai ter pedido por ministério. A agenda é outra. Bolsonaro enfrentou isso e votou a (reforma da) Previdência sem dar nenhum ministério a ninguém. As escolhas ministeriais foram todas escolhas pessoais dele. Algumas de frente parlamentar, como a ministra Tereza Cristina (Agricultura). Mas não acredito que haja retrocesso. O centro já era forte. O Bolsonaro se elegeu pelo PSL, não teve alteração no partido. Já iniciou o governo com esses partidos com a mesma força. O que teve foi uma migração. O PSDB diminuiu um pouco. O MDB diminuiu um pouco. O PSD cresceu um pouco. Migração entre os partidos que estão no mesmo espectro. Não houve grande ascensão.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Olhe com todo respeito ao Amigo BG, o Genro de Sílvio Santos, perdeu uma ótima oportunidade de ficar calado, o Centrão é que precisa do Bozo, foi a cereja do Bolo… Kkkkk ?

  2. A falha do Ex-governador Robinson Faria foi não ter podido superar os atrasos. Jamais ele permitiria atraso se houvesse meios de pagar em dia. De resto, foi um bom governador, construiu obras importantes, incentivou atividades produtivas etc.

    1. Verdade.Deixou o servidor publico com 3 folhas em atraso

  3. Sou funcionário PULBLICO do RN, quando vejo esse rapaz dar uma entrevista só me lembro do pai dele que deixou nos sem receber o salário de dezembro 2018 e o Decimo de 2018, mas com a graça de Deus essa governadora vai nos pagar.

    1. tomara que pague mesmo, que não tenha passado de promessa de campanha.
      embora a conta não seja dela, ela se comprometeu em pagar essa conta.

    2. Tb sou funcionária pública, qdo o vejo falando qualquer besteira, acho q ele não pensa no pai e nem o q pensamos dele, é como Se a bonitesa dele ou pelo fato de ser ministro faz com que nos tornamos idiotas e esquecidos até das denúncias que houve de caixa dois.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Suplente de Senador disputa prefeitura de Touros com apoio de Bolsonaro

O advogado Alisson Taveira é conhecido dos movimentos sociais que trabalham no setor de pesca e com marisqueiras na cidade de Touros, RN.

Durante anos ele atua na defesa dos direitos dos trabalhadores e dos movimentos sociais que sobrevivem da coleta e venda de frutos do mar.

Nas eleições para prefeito de 2016, Taveira foi o segundo mais votado (16.33%, obteve 2,721 mil votos) com o slogan “nem um nem outro, voto no 18”, que se popularizou e ganhou as ruas.

Há mais de um ano, ele produz toda segunda-feira, sempre a partir das 19h30 no Facebook ao vivo o programa “Café com Política”, onde fala da realidade da cidade, faz denúncias de falhas na gestão pública, aponta soluções para problemas das comunidades e conversa com moradores locais. O programa lidera audiência e é um dos mais vistos.

Alisson Taveira é o primeiro suplente do senador Styvenson Valentim.

Em 2020 ele é candidato à prefeitura de Touros pelo Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, presidido nacionalmente por Roberto Jeferson. Alisson apoia em Natal, Coronel Hélio Batista para prefeitura com o vice, Getúlio Batista.

Sua candidatura é apoiada pelo presidente Jair Bolsonaro e o vice, General Mourão.

“Eu defendo a renovação, não só da prefeitura, mas da cidade de Touros que há anos permanece abandonada pelos gestores públicos. Por isso, convoco todos os eleitores de Touros para eleger quem pode lhes representar de verdade e tem condições de dialogar com o presidente do nosso país, por que sou da base política dele. Não estamos em campanha, estamos em missão pelo resgaste de valores e princípios da família e de Deus”, lembra Taveira.

Opinião dos leitores

  1. Taveira é o cara. Voto nele toda vez que for candidato. É gente boa. É se Deus quiser vai ser o melhor Senador do RN.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Apesar da tensão entre Guedes e líderes aliados, Bolsonaro apoia ministro e não cogita troca

Foto: SERGIO LIMA/AFP

A reunião de emergência convocada pelo presidente Jair Bolsonaro com sua equipe econômica, ministros palacianos e líderes do governo no Congresso foi tensa.

Paulo Guedes foi o alvo principal das cobranças. Seu chefe concordou com boa parte das críticas, mas fez questão de deixar claro que nem cogita uma troca no Ministério da Economia.

A principal reclamação de líderes governistas se deu ao fato de que Paulo Guedes não vetou a proposta de usar precatórios para financiar o Renda Cidadã quando ela foi anunciada. Depois da reação negativa do mercado, porém, o ministro da Economia descartou a ideia, por representar uma fonte transitória de receita para bancar uma despesa que será permanente.

Foi além, disse que não dava para bancar o Renda Cidadã na base do puxadinho.

“Mostramos ao ministro que ele não pode agir assim. Se achava errado usar os precatórios, tinha de ter dito logo de cara. Do jeito que foi, ele desautorizou os aliados do presidente Bolsonaro. Isso não se faz”, disse ao blog um líder governista.

Ele confirma que a reunião foi tensa, de muita cobrança, mas que ao final tudo ficou acertado.

Agora, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da PEC Emergencial, vai estudar novas fontes de receita para bancar o Renda Cidadã e deve divulgar seu relatório na próxima segunda-feira (05).

“O presidente Bolsonaro decidiu que o protagonismo nesse processo será do Bittar, ele que vai ficar encarregado de fechar o texto e anunciar as medidas”, acrescentou o líder do governo.

Com isso, o presidente conseguiu contornar a irritação do senador Márcio Bittar, que fazia questão de lembrar na reunião que a proposta de uso de precatórios foi discutida com a equipe econômica e, em nenhum momento, houve um veto direto.

O senador deve se reunir nos próximos dias com os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre, e da Câmara, Rodrigo Maia, para debater suas propostas.

A equipe de Paulo Guedes admite que apontou os gastos com o pagamento de precatórios como uma fonte de receita a ser aberta no Orçamento da União, diante do elevado crescimento destas despesas. Elas passaram de R$ 10 bilhões, no governo Dilma Rousseff, para R$ 54 bilhões agora, na gestão Bolsonaro.

Mas afirma que não teria sugerido o seu uso para financiar o Renda Cidadã, e sim para cortar despesas e abrir espaço para se destinar outras fontes de receitas para o novo programa social do governo.

Blog do Valdo Cruz – G1

Opinião dos leitores

    1. A moeda da Venezuela é que é forte…
      Para trocar R$ 60,00 precisa de uma bolsa maior que qualquer mochila, cheia de dinheiro venezuelano…
      Vai se informar…

    2. Ele não errou, no ano de 2020 o Real foi o mais desvalorizado. Claro que mesmo um ano péssimo, não o faz ser pior q as moedas Argentinas, Venezuelanas e do Zimbabwe.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Vídeo de apoio de Fátima Bezerra a Maurício Marques repercute mal em Parnamirim

“Meu Deus PT, Maurício. Já perdeu meu voto”, “Essa (sic) é o pior apoio que vc poderia ter. Perdeu meu 1 voto somente por isso”, “Menos um voto”, “Perdeu meu voto, amigo”, “Pior apoio que vc poderia ter!! Que decepção”. Estes são alguns dos comentários feitos no perfil do Instagram de Maurício Marques, ex-prefeito de Parnamirim e novamente candidato ao posto nas eleições deste ano.

Os comentários nada elogiosos foram feitos depois da publicação no perfil do ex-prefeito de um vídeo gravado pela governadora Fátima Bezerra (PT) em que ela declara o apoio pessoal e de seu partido à chapa Maurício Marques e Airene Paiva. Até o final da manhã desta sexta-feira, 25, o vídeo havia obtido cerca de 600 visualizações e apenas 11 comentários, a maioria negativos.

“Nós vamos dizer que vocês, Maurício e Airene, são os nossos candidatos a prefeito e vice-prefeito”, afirma a governadora no vídeo, depois de parabenizar o próprio partido pela “decisão acertada” de apoio à candidatura do ex-prefeito.

Depois da publicação do vídeo de apoio, uma pesquisa de intenções de voto mostrou que Maurício Marques caiu de 8 para 5 pontos percentuais. A campanha do ex-prefeito vive agora um dilema: se retira ou não o vídeo do seu perfil no Instagram.

Pense numa sinuca de bico…

Opinião dos leitores

  1. O PT não elege mais nem cachorro sem dono, quanto mais ex prefeito sem apoio popular. O PT é uma sucata de partido, sem credibilidade e cheio de roubalheira desenvolvido por seus militantes na sua maioria pés de chinelo.

  2. Por isso que Taveira tá estourado nas pesquisas, quem danado em sã conciencia vai votar em quem teve as contas públicas reprovadas e se aliando ao PT? #ForaPT

  3. Meus Deus!
    Ter o apoio da Governadora é pedir para perder.
    Em Caicó está do mesmo jeito.
    Na Cidade de Macaíba ninguém quer demonstrar que apoia a Governadora.
    O PT tá no escanteio em um bloco político

  4. Somente esse comentário, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. Uma prova de que nossos políticos não têm escrúpulo algum, e nem vergonha na cara. Aceita ou negocia apoio de quem quer que seja, independentemente do caráter ou valores morais defendidos. O importante é que esse apoio lhe renda votos.
    Nesse caso específico foi o contrário, felizmente.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Deputada federal bolsonarista Bia Kicis confirma apoio à chapa de Coronel Hélio

Foto: Divulgação

A candidatura do Coronel Hélio a prefeito de Natal ganhou um apoio nacional importante para a ala bolsonarista na Câmara dos Deputados, a deputada federal Bia Kicis (PSL/DF). O apoio foi confirmado durante encontro intermediado pelo General Girão em Brasília/DF com a presença dos candidatos Coronel Hélio e Getúlio Batista.

A deputada federal Bia Kicis é um grande símbolo da direita brasileira, também bolsonarista, e declarou, durante o encontro, o apoio à chapa para a Prefeitura do Natal. “É um prazer receber o Coronel Hélio e o Getúlio, que representam os valores que nós tanto temos lutado. Vamos prosseguir nessa luta e, em Natal, nós contamos com vocês”, afirma a parlamentar brasiliense.

Opinião dos leitores

  1. Bia Kicis e uma referência nacional. Ela acertou no alvo com esta sua recomendação. E uma safra de uma nova geração política, com sangue verde amarelo, que há muito não se via neste estado.

  2. Coronel Hélio, esse merece ser prefeito, além de que ele é afinado com Bolsonaro. Eu e minha família votamos nele.

    1. Antônio boa tarde! Ela pode não ter votos em Natal mas assim como Coronel Hélio e Getulio está alinhada com os valores e gestão do Governo Federal. Esse é um fator de fundamental importância para mudarmos a nossa cidade!

  3. Na foto da matéria só tem paraquedistas forasteiros importados. Eu como bom potiguar vou votar em um bom potiguar. Meu voto era do BG PREFEITO. Vou aguardar as propostas para escolher entre os nativos do nosso querido RN.

    1. Boa tarde caro,
      Há quantas gestões municipais os prefeitos nasceram e se criaram na cidade de Natal? Senão todos, muitos! E o que isso tem adiantado para criar uma Natal moderna e mais próspera? Absolutamente nada! Vamos em frente, acreditar na mudança, focar na capacidade do candidato e não ter um julgamento prévio pela pessoa só porque ela nasceu em algum outro lugar! Coronel Helio mora ha 19 anos em Natal, já deu tempo de viver a realidade da nossa capital!

  4. Que valor o que mané?!?!? Ninguém quer prefeito para ser pai de ninguém não. A gente que ver a cidade funcionando direito. Esse papo furado de valores já encheu o saco.

    1. Boa tarde!

      Um homem sem valores não deveria nem se eleger a um cargo público. Um homem ter valores deveria inclusive ser um preceito básico. Não significa que um gestor de valores será seu pai ou lhe ensinará algo, significa que o mesmo quando estiver num
      Meio muitas vezes escuso como o da política não se corrompera, pois tem valores (inegociáveis). Sobre a capacidade de gestão do Coronel Helio, conheça um pouco da sua história através das suas redes sociais @coronelheliooliveira

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Dr. Gustavo e Fabielle recebem apoio do Deputado Federal Rafael Motta

O presidente do PSB/RN, deputado federal Rafael Motta declarou apoio à reeleição de Dr. Gustavo e Fabielle, ambos do PL, no município de Assú. O parlamentar esteve na cidade nesta quarta-feira (16) e reafirmou sua contribuição e do partido para que o trabalho realizado tenha continuidade.

“O PSB sabe da sua força em todo o Rio Grande do Norte e respeita muito as relações partidárias. Por essas razões, estreitamos laços com quem demonstra esse sentimento pela legenda. O apoio a Assú permanece e não mediremos esforços, nos âmbitos local e nacional, para colaborar efetivamente com a gestão de Dr. Gustavo e Fabielle”, comentou o congressista.

Os pré-candidatos agradeceram a parceria do presidente da legenda no Rio Grande do Norte. “O apoio do PSB e do deputado Rafael Motta dão grande impulso à nossa campanha. É um partido importante, estruturado e com grande contribuição a Assú. Estamos muito felizes e agradecidos”, declarou Dr. Gustavo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *