Saúde

Beber cerveja uma vez por dia pode ser bom para o intestino, conclui estudo

(Foto: Pexels)

Beber diariamente uma cerveja bem forte pode aumentar o número de bactérias boas para o intestino. Não é papo de bebum – é ciência! A descoberta foi apresentada pelo pesquisador holandês Eric Claassen, da Universidade de Amsterdam, durante um evento organizado pela fabricante de laticínios Yakult.

Segundo Claassen, algumas cervejas fortes, como as feitas na Bélgica, são abundantes em microrganismos benéficos, conhecidos como probióticos. Isso porque essas bebidas passam duas vezes pelo processo de fermentação, que leva à produção desses bichinhos. Esses micróbios “do bem” também estão em laticínios, como em iogurtes e queijos.

Durante a fabricação da cerveja, a produção de probióticos fica a cargo das leveduras, fungos responsáveis por fermentar a bebida. Eles são capazes de produzir ácidos que destroem bactérias causadoras de doenças – e estimulam a produção de microrganismos benéficos.

Assim, cada vez que uma pessoa consome uma cerveja ela está, de certa forma, reforçando o exército de micróbios que protegem o organismo contra agentes nocivos.

Apesar dos benefícios identificados no estudo, Claassen alerta para a necessidade de beber com moderação. “Não queremos dar às pessoas uma licença para beber mais cerveja”, disse. “Em alta concentração o álcool pode ser ruim para o intestino, mas se você tomar uma dessas cervejas uma vez por dia, pode ser muito bom pra você”.

Galileu

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

Bebê que deveria ser operado do intestino tem mão amputada e peito queimado

Estadão:

Um recém-nascido entrou no centro cirúrgico da Santa Casa de Ourinhos, a 370 km de São Paulo, para ser submetido a uma cirurgia no intestino e saiu com a mão direita amputada. Após passar pela operação, a criança apresentou também queimaduras no peito e até ontem continuava internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A família não entende o que aconteceu e procurou a polícia para denunciar um possível erro médico.

De acordo com o pai, Daniel Henrique da Cruz Almeida, o bebê do sexo masculino, que ontem completou 46 dias, nasceu com o pâncreas colado no intestino e precisou passar por uma cirurgia. Ele foi internado no dia 13 de julho. Depois da cirurgia, os pais foram ao hospital e verificaram que a criança tinha uma queimadura de segundo grau no peito e uma atadura na mão.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. oLÁ,MEU NOME É CLESIA.estou passando pela mesa situacao de vcs(ou quase a mesma).meu marido foi internado para fazer uma cirurgia de correcao de fratura de externo no hospital de base em brasilia, e quando ele saiu do centro cirugico estava com um hematoma na cabeça, e esta cada vez pior.registramos queixa na ouvidoria do hospital,estamos aguardando resposta,sabenmos que ele sofreu uma queimadura de 3 grau,mas os medicos nao assumem o ocorrido,estamos triste com o acontecido,e somos solidarios a voces na mesma causa,sendo que o de voces teve realmente uma gravidade maior,mas todos fomos vitimas da imprudencia medica.

  2. Lí em outra reportagem que a queimadura foi pela descarga elétrica provocada pelo bisturi [elétrico] sendo que este equipamento contém uma placa neutra de inox q se coloca em contato com o paciente p evitar[… ].
    E onde estava o campo cirúrgico/fenestrado ["lençóis" q protegem o restante do corpo do paciente]?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *