Saúde

Aspirina pode reduzir risco de intubação e morte por Covid-19, diz estudo

Foto: Jeanette Martin/Getty Images

O uso de aspirina em pacientes hospitalizados com Covid-19 pode ajudar a reduzir o risco de intubação, internação em unidade de terapia intensiva (UTI) e morte. A conclusão é de um estudo publicado recentemente na revista científica Anesthesia & Analgesia.

No estudo, pesquisadores da Universidade George Washington, nos Estados Unidos, analisaram registros de saúde de 412 pacientes internados em vários hospitais dos EUA entre março e julho de 2020. Cerca de 24% deles receberam aspirina em até 24 horas após a admissão hospitalar ou nos sete dias anteriores à admissão hospitalar. Por outro lado, a maioria, 76%, não recebeu o medicamento.

Os resultados mostraram que o uso da aspirina foi associado a uma redução de 44% no risco de ventilação mecânica, queda de 43% na probabilidade de admissão na UTI e diminuição de 47% no risco de morte. Os pesquisadores acreditam que o efeito benéfico do medicamento no tratamento está associado ao seu efeito anticoagulante.

Estudos anteriores chegaram a conclusões semelhantes. Uma pesquisa publicada na revista PLOS One analisou mais de 30.000 veteranos norte-americanos com Covid-19 e descobriu que aqueles que já tomavam aspirina tinham metade do risco de morrer do que aqueles que não usavam o medicamento. Outro estudo, feito pela Universidade Bar-Ilan, em Israel, concluiu que uma dose baixa diária de aspirina (75 mg) está associada à redução de até 29% no risco de contrair Covid-19.

Além de sua capacidade anticoagulante, a aspirina é um anti-inflamatório e estudos anteriores mostraram que pode ajudar o sistema imunológico a combater algumas infecções virais. “Em resumo, nossa análise sugere que o uso de aspirina pode ter efeitos benéficos em pacientes com Covid-19”, concluem os pesquisadores da Universidade George Washington.

No entanto, eles ressaltam que estes resultados precisam ser interpretados com cautela, já que trata-se apenas de um estudo observacional, retrospectivo. Para confirmar a eficácia da aspirina no tratamento da Covid-19 é necessária a realização de testes clínicos randomizados controlados duplo-cego, considerados o padrão-ouro na pesquisa clínica.

Felizmente, um estudo nestes moldes já está em andamento no Reino Unido. Se os resultados se comprovarem, será uma ótima notícia, já que a aspirina tem baixo custo em comparação com outros tratamentos contra a doença, como o remdesivir, e está amplamente disponível.

Prevenir a doença por meio da vacinação é, sem dúvida, o fator mais importante no combate à pandemia. Mas diante do aumento do número de infectados e mortos, é fundamental encontrar tratamentos eficazes. Melhor ainda se eles forem de baixo custo e estiverem disponíveis em grande escala.

Nos últimos dados disponibilizados, o Ministério da Saúde registrou 47.774 novos casos e 1.290 novas mortes neste domingo, 21. No total, são 11.998.233 casos e 294.042 óbitos confirmados em todo o território nacional.

Veja

Opinião dos leitores

  1. Falou o papagaio. Esquece PT, alienado. O mundo não se resume a petralhas x Bozo. Vá estudar pra ver se deixa de ser jegue…

  2. O maior problema é a demanda. Se não houvesse tantos infectados, certamente não haveria tantas pessoas necessitando de atendimento médico e todas as suas consequências. Ora… estimular o cantágio em massa não é apenas uma simples irresponsabilidade, mas um crime.
    REMÉDIO É PRA QUEM JÁ ESTÁ DOENTE.
    VACINA, USAR MÁSCARAS, LAVAR AS MÃOS, USAR ÁLCOOL EM GEL, EVITAR O CONTATO FÍSICO E AGLOMERAÇÕES SÃO AS ÚNICA MEDIDAS, EGURAS PRA EVITAR O CONTÁGIO.
    E NEM VENHAM COM HISTÓRIA DE FECHAR, PQ SÓ SE FECHA POR CAUSA DO COMPORTAMENTO SUICIDA DE ALGUMAS PESSOAS QUE IGNORAM O VÍRUS.

  3. A petralhada tá há dois anos sem roubos a estatais…. tá minando o resta de merda que eles ainda tem na cachola….

    1. É através de pessoas bobinhas como o senhor que Bolsonaro e os filhos estão montando. O senhor já procurou saber pq o patrimônio da família Bolsonaro aumentou tanto nesse ano de crise e pandemia???? Bobalhão!

  4. Se fosse Bolsonaro recomendando, iam aparecer estudos dizendo que faz mal e não ajuda em nada.
    Essa guerra política ainda vai ser muito estudada no futuro.
    Mandar ficar em casa esperando a falta de ar é criminoso.
    Quantas vidas estão sendo perdidas pela disputa pelo poder?

    1. Bolsonaro não é médico, não tem propriedade pra recomendar tratamento.

    2. Ah Thalles, então tem que mandar demitir os pesquisadores e médicos dos ministérios da Saúde e C&T. Exercita o senso crítico, amigo, não engula todo vômito que vem da mídia sem o mínimo de critério. O PR defendeu o que defendeu por causa do relato de diplomatas sobre a realidade na África, de médicos da linha de frente e pesquisas trazidas ao seu conhecimento.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Finanças

Contribuinte pode pagar taxas federais com cartão de crédito

Foto: © Arquivo Agência Brasil

A partir desta segunda-feira (15), o cidadão pode pagar taxas federais, contribuições e serviços públicos não gratuitos com cartão de crédito. A modalidade de pagamento está disponível no PagTesouro, plataforma digital de pagamento e recolhimento do Tesouro Nacional.

Em nota, o Tesouro Nacional explicou que a tecnologia alcança um público sem produtos digitais adequados à demanda. Com o novo sistema, o turista estrangeiro que visita o Brasil pode quitar uma taxa com cartão de crédito antes de retornar ao país de origem.

Desde novembro, o contribuinte pode fazer pagamentos à Conta Única do Tesouro por meio do Pix, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central. O PagTesouro dispensa a emissão da Guia de Recolhimento da União (GRU).

Diversos órgãos oferecem pagamentos de serviços via Pix dentro do PagTesouro. Entre eles estão o Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Secretaria de Pesca e Aquicultura do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SPA), o Departamento da Polícia Rodoviária Federal (DPRF), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Comando do Exército.

Segundo o Tesouro, além da conveniência na forma de pagamento, o PagTesouro tem como vantagem a rapidez. A transação é compensada instantaneamente, com a entidade pública verificando o efetivo recolhimento da taxa, da contribuição ou do serviço em segundos.

A inovação foi desenvolvida pela Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), em parceria com o Banco do Brasil (BB) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que recebeu valores do PagTesouro em fase de testes em setembro de 2019.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19: Cepa encontrada em Manaus pode comprometer desenvolvimento de anticorpos, especula OMS

Foto: Ernesto Carriço/Enquadrar/Estadão Conteúdo

A variante P.1 do coronavírus, encontrada pela primeira vez em Manaus, pode comprometer o desenvolvimento de anticorpos contra a Covid-19. Essa é a observação feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no boletim epidemiológico semanal divulgado na terça-feira (9).

De acordo com a organização, “as mutações detectadas na variante P1 podem potencialmente reduzir a neutralização de anticorpos; no entanto, estudos adicionais são necessários para avaliar se há mudanças na transmissibilidade, gravidade ou atividade de neutralização de anticorpos como resultado dessas novas variantes”.

O boletim ainda chama a atenção para a proporção de casos detectados da nova variante em Manaus, que foi identificada pela primeira vez em dezembro de 2020. A proporção de diagnósticos positivos para a nova variante saltou de 52% em dezembro do ano passado para 85% em janeiro de 2021. Mesmo assim, ainda de acordo com a OMS, uma “segunda onda” de casos de Covid-19 no Brasil está mostrando sinais de declínio.

Segundo o último boletim epidemiológico na capital amazonense, Manaus já registrou 129.721 casos de Covid-19 e 6.484 óbitos, com uma taxa de letalidade de 5% – mais que duas vezes a taxa de letalidade nacional, de 2,4%, segundo o Ministério da Saúde. Já a taxa de ocupação de leitos de UTI destinados à Covid-19 na rede pública de Manaus está em 91,09%, enquanto em leitos clínicos, está em 79,88%.

De acordo com um levantamento feito pela CNN Brasil, a nova variante P.1. já foi encontrada em 13 países.

Casos e mortes por Covid-19 em queda no mundo

Ainda segundo o boletim divulgado pela OMS, o número global de casos de Covid-19 apresentou queda pela quarta semana seguida. Segundo o relatório, na última semana foram registradas 3.1 milhões de novas infecções, o que representa uma queda de quase 17% em relação à semana passada (3.7 milhões). O número também significa o menor volume de novos casos desde a semana de 26 de outubro de 2020, há 15 semanas. de acordo com a organização.

Segundo a OMS, o número global de mortes pela doença também está em queda: 88 mil mortes foram registradas no mundo na última semana, ou seja, cerca de 10% menos do que o registrado na semana anterior (96 mil).

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Essa história de variante é só pra quando a vacina, faltando dados, não funcionar, a culpa ser da nova variante.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Prefeito de Ceará-Mirim diz que município não pode bancar a saúde de 22 cidades

A Prefeitura de Ceará-Mirim realiza atendimentos de obstetrícia para 22 municípios da região, desde Macau até o Mato Grande, no Hospital Municipal Percílio Alves, por meio de um antigo convênio firmado com o Governo do Estado, que paga 40% do valor mensal de R$ 600 mil (valor projetado pela própria Secretaria de Saúde do Estado – SESAP), enquanto os municípios rateiam proporcionalmente os demais 60%. Ocorre que, ao final de 2020, a Prefeitura de Ceará-Mirim realizou um amplo estudo e constatou que, devido ao grande volume de partos e procedimentos de obstetrícia realizados, o valor mensal tem extrapolado bastante os R$ 600 mil, numa diferença que, somada, chegou a mais de R$ 2 milhões no ano passado, e ainda com o agravante de que vários municípios deixaram de repassar a sua parte na pactuação. O município de Ceará-Mirim não consegue bancar este excedente, e solicitou um reestudo por parte do Governo do Estado, que enviou técnicos da SESAP para uma análise detalhada, e os mesmos constaram o problema e emitiram nota técnica, apresentada em reunião com os secretários municipais de saúde, que concordaram com a necessidade da repactuação financeira. Vale lembrar que a parte dos 40% do Governo são fruto de uma decisão da Justiça Federal, que obrigou o Estado a enviar esta parte dos recursos, que por sua vez não chegam nem a cobrir a folha completa dos profissionais contratados.

Infelizmente, o secretário estadual de saúde, Cipriano Maia, não acatou e disse que não aumentaria o valor do repasse. Ou seja, pelo entendimento do Governo do Estado, Ceará-Mirim fica com a obrigação de pagar a saúde dos demais municípios. Segundo o prefeito de Ceará-Mirim, Júlio César “o município não pode e não consegue pagar uma conta que não é dele, e quem tem a obrigação de atender a saúde dos 22 municípios não é Ceará-Mirim, é o Estado”, afirma o prefeito, para concluir que “infelizmente chegamos ao nosso limite e não conseguimos mais atender os partos, não é justo; em 2020 fizemos além do convênio e bancamos a diferença, mas não podemos mais tirar recursos da saúde de Ceará-Mirim para pagar cirurgias de outras cidades, a culpa não é nossa e nenhum cearamirinense quer ver recursos da saúde do município pagarem a saúde de outros municípios” conclui Júlio César.

Opinião dos leitores

  1. Não moro em ceará mirim, mas tá correto o prefeito. O MP tem que exigir das prefeituras saúde.

  2. O prefeito está corretíssimo. Aqui em Natal temos 890 mil habitantes e 1,5 milhão de cartões SUS. É incomportável.

  3. Nada mais claro e acertada posição do prefeito de nossa cidade. Muito bem Dr. Júlio . Austeridade exige atitudes.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Covid-19 pode diminuir tamanho do pênis, diz estudo

Foto: Pixabay

Um estudo que investiga as sequelas de longo prazo da covid-19, publicado neste domingo na plataforma científica MedRxiv, concluiu que a covid-19 pode diminuir o tamanho do pênis.

O estudo começou a investigar as consequências que o vírus pode deixar no corpo das pessoas há sete meses, e foi conduzido com mais de 3 mil pacientes de 56 países. Além de 3% dos homens terem relatado uma diminuição no tamanho de seu órgão genital, 15% deles relataram algum tipo de disfunção sexual e 11% relataram dor nos testículos.

Já em relação às mulheres, 26% das que menstruam relataram irregularidade nos ciclos, e 36% relataram algum tipo de problema menstrual. Algum tipo de disfunção sexual também foi relatado por 8% delas.

No entanto, as sequelas no sistema reprodutivo estão longe de ser as mais presentes nos voluntários que participaram do estudo. A maior parte deles, mesmo após sete meses de recuperação, relatou ainda sentir fadiga (de 75% a 80%, dependendo da idade), mal-estar pós-esforço (até 75%) e algum tipo de disfunção cognitiva (de 52% a 59%).

Dentre as sequelas neurológicas mais relatadas, estão a dificuldade de concentração (75%) e dificuldade de raciocínio (65%). Além disso, 73% dos pacientes relataram também algum tipo de problema de memória. Dentre estes, a maioria (65%) relatou problemas com a memória de curto-prazo e 35% teve problemas com memórias mais antigas.

“Uma das maiores descobertas para mim foi que não houve diferença na idade para a disfunção cognitiva, perda de memória ou impacto disso na vida diária! Isso aconteceu com tanta frequência no grupo de 18 a 29 anos quanto no grupo com mais de 70 anos”, escreveu a pesquisadora Hannah Davis, uma das autoras do estudo.

O estudo foi feito por voluntários e membros de um grupo de apoio que, desde abril, se dedica a investigar os efeitos a longo prazo da covid-19, e ainda precisa ser revisto por pares.

O Dia – IG

https://odia.ig.com.br/mundo-e-ciencia/2020/12/6054018-covid-19-pode-diminuir-tamanho-do-penis-diz-estudo.html

Opinião dos leitores

  1. Já não basta viver de pescoço prá baixo, agora é a moléstia dos cachorros mesmo, vade retro caginbrinba.

  2. Há, agora possa ser que os homens fiquem em casa e q logo venha um estudo com mulheres, eu achoooooo que vai sair. Ouvi dizer que diminui o tamanho do bumbum e não vão mais dançar funk , mesmo qdo a música acaba, colocam as mãos acima do joelho e rebolam, seria o funk?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

STF pode obrigar governo a fornecer vacina mesmo sem selo da Anvisa

Foto: Nelson Jr./SCO/STF / Nelson Jr./SCO/STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai começar a julgar neste mês os processos sobre vacina no Brasil e uma solução está sendo negociada entre os ministros. É forte a corrente dentro da Corte que quer obrigar o poder público a fornecer imunizantes, desde que registrados na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Mas um ministro revelou ao GLOBO, em caráter reservado, que quer apresentar um voto criando uma exceção, para autorizar a aplicação de vacinas mesmo sem o selo da agência.

O voto, segundo o ministro, é semelhante à decisão tomada pelo tribunal em maio de 2019 sobre a obrigatoriedade de fornecimento de remédios pelo poder público. Na época, ficou acertado que a regra era o poder público fornecer medicamentos registrados na Anvisa. Foram vedados os remédios experimentais que ainda não tinham passados em testes. Mas foram permitidas algumas exceções.

Um exemplo é de medicamento já com pedido de registro na agência e que ela esteja demorando mais tempo do que o previsto em lei para concluir a análise. O prazo nesses casos é de 120 a 365 dias. Nos casos de demora da Anvisa, o medicamento só poderia ser liberado se tivesse registro em agências de regulação no exterior. A sugestão do ministro ouvido pelo GLOBO é que o mesmo seja aplicado em relação a vacinas.

A Lei 13.979, editada em fevereiro, determina que as autoridades poderão tomar uma série de medidas para enfrentar a pandemia da Covid-19 – entre elas, a vacinação. Em maio, foi editada alteração nesta norma para incluir prazo de 72 horas para a Anvisa se manifestar sobre a importação e distribuição de “quaisquer materiais, medicamentos, equipamentos e insumos da área de saúde registrados por autoridade sanitária estrangeira e autorizados à distribuição comercial em seus respectivos países”. Caso nao haja essa manifestação da agência brasileira, a autorização temporária é concedida automaticamente.

A lei não fala literalmente em vacina, mas essa interpretação pode ser dada pelo STF. Ha ainda na própria norma algumas condições para que o uso ocorra sem aval da Anvisa: é preciso que o produto seja registrado em um de quatro agências reguladoras estrangeiras listadas na própria lei e que tenha comercialização liberada no respectivo país. Essa possibilidade de utilização sem registro do órgão brasileiro tem validade até o fim deste ano, quando termina o estado de calamidade definido pelo governo. Mas a Câmara prepara um projeto para estender a validade das regras.

O presidente do STF, Luiz Fux, agendou para o próximo dia 17 o julgamento de ações que discutem se o governo federal deve apresentar um plano de vacinação contra a Covid-19. O julgamento começou no plenário virtual, um sistema eletrônico em que os ministros não se encontram, apenas postam seus votos por escrito. Fux interrompeu a votação com um pedido de destaque e transferiu a discussão para o plenário físico – que, durante a pandemia, se reúne por videoconferência.

O relator do processo, ministro Ricardo Lewandowski, deu em seu voto prazo de 30 dias para que o governo federal apresente um plano detalhado com estratégias e ações para ofertar a oferta de vacinas contra o coronavírus. Dias depois, o governo apresentou uma estratégia preliminar para imunizar a população. A expectativa é atingir 109,5 milhões de pessoas, em um plano dividido em quatro fases.

Ações de partidos

Serão julgadas em plenário duas ações. Uma delas, de autoria dos partidos PSOL, Cidadania, PT, PSB e PCdoB, pede que o governo seja obrigado a apresentar, em até 30 dias, os programas relativos à vacina e aos medicamentos contra a Covid-19.

A outra, do Rede Sustentabilidade, questiona o ato do presidente Jair Bolsonaro que desautorizou o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Em outubro, Pazuello anunciou a compra de 46 milhões de doses da vacina Coronavac, desenvolvida no Brasil pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac. No dia seguinte ao anúncio, Bolsonaro publicou em uma rede social: “Não compraremos a vacina da China”. O ministro da Saúde comentou em seguida: “É simples assim: um manda e o outro obedece”.

Outros dois processos serão julgados no plenário virtual a partir do próximo dia 11. Será decidido se autoridades podem obrigar a população a se vacinar contra a doença. As votações terão duração de uma semana. Fux já disse a interlocutores que é uma prioridade da gestão dele concluir esses julgamentos ainda neste ano.

No início da semana, o governador do Maranhão, Flavio Dino, entrou com uma ação no STF pedindo que o estado seja autorizado a elaborar e executar um plano de imunização contra a Covid-19, com a ajuda financeira da União para a compra das vacinas. O governo local quer comprar a vacina diretamente dos fabricantes, mesmo que os insumos não tenham ainda registro na Anvisa. Essa ação ainda não está pautada para julgamento.

O Globo

Opinião dos leitores

  1. Se o STF autorizar a vacinação sem ser aprovado pela Anvisa o que eu acho e espero estar enganado a culpa não vai ser do presidente e sim desse STF que é contra os brasileiros.

    1. O mérito de salvar vidas também será do STF. O presidente já demonstrou que não tem preocupação com isso. Para o Bozo e os seguidores de seu curral a única coisa que importa é a reeleição.

  2. Depois que morrer alguém vão botar culpa no presidente. #STFVergonhaNacional #FechadosComBolsonaro

    1. Enfeites Natalinos da China pode né?
      Vacina não né?
      Esse gaduu é uma berração mesmo.
      ???

    2. Sim, enfeites natainos podem.
      Vacinas só com a devida avalição.
      Comparação jumentícia.
      Não me surpreende.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PGR opina que militar da ativa pode ocupar cargo de ministro no governo Bolsonaro e arquiva representação

Cerimônia de posse de Eduardo Pazuello, ministro ministro da Saúde, no Palácio do Planalto com a presença do presidente Jair Bolsonaro Foto: Pablo Jacob / Agência O Globo

A Procuradoria-Geral da República (PGR) arquivou uma representação que apontava ser inconstitucional a nomeação de militares da ativa para exercer o cargo de ministros de Estado no governo de Jair Bolsonaro. Na avaliação da PGR, não existe impedimento para essa atuação.

Atualmente, o ministro da Saúde do governo Bolsonaro é um general da ativa, Eduardo Pazuello. Também o titular da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, chegou a ocupar o cargo enquanto ainda estava na ativa, mas foi transferido para a reserva em julho deste ano. Se a PGR tivesse acolhido a argumentação, o órgão teria que propor uma ação ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo que a nomeação desses militares fosse declarada nula e inconstitucional. Essa atribuição, entretanto, não é exclusiva da PGR -outras entidades podem fazer o questionamento ao Supremo.

Governos anteriores já tiveram militares como ministros em postos ligados à área da segurança, como por exemplo no Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Em áreas como Saúde e Secretaria de Governo, entretanto, a presença é inédita desde o regime militar.

A representação enviada em maio à equipe do procurador-geral da República Augusto Aras citava que a Constituição impede aos militares a atuação “político-partidária” e que o cargo de ministro de Estado tem natureza essencialmente política, por isso não deveria ser permitido a integrantes do quadro ativo das Forças Armadas. O documento citou um julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), de agosto de 2016, que concluiu ser incompatível a nomeação de membros do Ministério Público para o cargo de ministro de Estado.

Nesse julgamento, o ministro Luís Roberto Barroso apontou que “ser Ministro de Estado e ser Secretário de Estado não deixa de ser, em alguma medida, uma atuação político-partidária. O papel de um Ministro de Estado, além da sua subordinação à vontade do Presidente da República, é fazer valer o programa de governo, seja do partido, seja da Administração, que tem uma dimensão essencialmente política”. Barroso também citou que “quem tem armas não pode ter poder político”.

A PGR, entretanto, manifestou entendimento diverso e arquivou a representação, em despacho proferido em 17 de agosto. A manifestação de arquivamento, inédita até então, é assinada pela subprocuradora-geral da República Maria das Mercês de Castro Gordilho Aras, coordenadora da assessoria jurídica constitucional da atual gestão –ela é casada com o procurador-geral.

“O exercício de cargo, emprego ou função pública civil, de maneira temporária e não eletiva, como de Ministro de Estado, Secretário Estadual ou Municipal, não guarda semelhança com o exercício de atividade político-partidária”, escreveu a subprocuradora em sua manifestação.

Para a subprocuradora, o texto da Constituição não impede que os militares ocupem cargos de ministros. “Como cediço, a Constituição Federal deve ser interpretada levando-se em conta o conjunto de peculiaridades que singularizam os seus preceitos, destacando-se a supremacia de suas normas, a natureza da linguagem que adota, o seu conteúdo específico e o seu forte caráter político. A expressão ‘atividade político-partidária’ compreende qualquer ato que se refira à filiação partidária – vedada ao militar, enquanto em serviço ativo -, participação em campanhas eleitorais, exercício de cargos ou funções nos órgãos dos partidos políticos, bem como o registro de candidatura em pleito eleitoral”.

Um mês após a manifestação de arquivamento feita pela PGR, Bolsonaro oficializou Pazuello como ministro da Saúde –até 16 de setembro, ele comandava a pasta de forma interina.

O Globo

Opinião dos leitores

    1. nada disto, manda QUEM TEM DINHEIRO, obedece QUEM NÃO TEM o QUEM QUER MAIS.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Apneia do sono pode promover risco adicional à Covid-19, diz estudo

(Foto: Adi Goldstein/Unsplash)

Um estudo recente da Universidade de Warwick, na Inglaterra, aponta que pessoas diagnosticadas com apneia obstrutiva do sono podem ter maior risco às complicações da Covid-19. A pesquisa foi publicada no início de setembro na revista Sleep Medicine Reviews.

A apneia obstrutiva do sono é uma condição caracterizada pelo bloqueio completo ou parcial das vias aéreas durante o sono. Muitos dos fatores de risco associados a esse distúrbio, como diabetes, obesidade e hipertensão, são semelhantes àqueles associados aos sintomas mais graves da Covid-19. Por isso, os pesquisadores revisaram estudos e investigaram se o diagnóstico de apneia conferia um risco adicional além à infecção provocada pelo Sars-CoV-2.

Cientistas analisaram 18 estudos publicados até junho de 2020 que relacionavam apneia obstrutiva do sono e Covid-19, sendo que oito deles estavam relacionados ao risco de morte pela doença e dez estavam relacionados ao diagnóstico, tratamento e gestão da apneia do sono.

Com base na revisão dos artigos, evidências sugerem que muitos pacientes que precisaram de terapia intensiva tinham apneia obstrutiva do sono. Um dos estudos analisados, por exemplo, concluiu que pacientes hospitalizados por Covid-19 que tinham diabetes e estavam em tratamento para apneia obstrutiva do sono tinham risco 2,8 vezes maior de morrer no sétimo dia após a admissão hospitalar.

Com as taxas de obesidade e outros fatores de risco relacionados aumentando, os pesquisadores também acreditam que as taxas de apneia obstrutiva do sono também estejam crescendo. A revisão destaca que a pandemia também teve efeitos mundiais no diagnóstico, gerenciamento e tratamento em andamento de pacientes com esta e outras condições de sono. No futuro, pode ser necessário explorar novas vias de diagnóstico e tratamento para esses indivíduos.

Os pesquisadores defendem que é importante que as pessoas com diagnóstico de apneia obstrutiva do sono estejam cientes do risco adicional e tomem as precauções adequadas para reduzir sua exposição ao vírus. Mais pesquisas são necessárias para determinar se esses indivíduos precisam ser adicionados à lista de grupos vulneráveis ​​do coronavírus.

Galileu

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Judiciário

PGR diz ao Supremo que Bolsonaro pode bloquear seguidores em rede social

Foto: Marcos Corrêa/PR

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou nesta sexta-feira (11) ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma manifestação na qual afirmou que o presidente Jair Bolsonaro pode bloquear seguidores em rede social.

O tema chegou ao Supremo porque um advogado bloqueado por Bolsonaro entrou com uma ação.

No processo, o advogado relatou ter comentado uma postagem do presidente na qual havia uma foto de um diálogo entre a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) e o ex-ministro da Justiça Sergio Moro. O advogado informou ter comentado que Bolsonaro “queria e quer, sim, intervir na Polícia judiciária Federal para interesse próprio e de seus filhos, o que por si só é um absurdo”.

Ao se manifestar sobre a ação apresentada pelo advogado, Augusto Aras afirmou ao STF:

“Por ser destituído de caráter oficial e não constituir direitos ou obrigações da Administração Pública, as publicações efetuadas pelo Presidente da República em rede social não são submetidas ao regramento dos atos administrativos em relação à aplicação do princípio constitucional da publicidade.”

Afirmou ainda que, apesar de Bolsonaro divulgar nas redes sociais uma série de atos relacionados ao governo, as publicações “têm caráter nitidamente informativo, despido de quaisquer efeitos oficiais, o que realça o caráter privado da conta”.

‘Apaziguar ânimos’

O procurador-geral afirmou também que forçar o dono de um perfil a admitir “pessoas indesejadas” como seguidoras poderia “anular o direito subjetivo do interessado de utilizar sua conta pessoal de acordo com os seus interesses e conveniências”.

“Essa possibilidade de bloqueio contribui inclusive para apaziguar ânimos mais acirrados, evitando a propagação de comentários desqualificadores e de discurso de ódio e a nociva polarização que atenta contra a democracia, especialmente nos ambientes político e religioso”, completou.

Instrumento utilizado no processo

Ainda no documento enviado ao STF, Augusto Aras afirmou que a ação usada pelo advogado, um mandado de segurança, não é o instrumento adequado para tratar do tema.

Isso porque, no entendimento de Aras, somente as ações do presidente no exercício da função podem ser analisadas pelo Poder Judiciário por meio de mandado de segurança.

“Apenas as manifestações comissivas ou omissivas praticadas no exercício da função pública ou a pretexto de exercê-las são, em tese, passíveis de controle jurisdicional no âmbito do mandado de segurança”, afirmou.

G1

Opinião dos leitores

  1. Desta vez Bolsonaro tem razão, embora que na maioria não, sua rede social, faz o que quiser.

  2. Oxe ele já me bloqueou faz tempo ?queria até pedir pra vcs que não são bloqueados pedir a ele : #sancionapl1095 #cadeiapramaustratos

    1. Aproveita e pergunta porque Queiroz depositou $$$ na conta de Michelle.

  3. Funcionários fantasmas do clã Bolsonaro receberam quase R$ 29 milhões em salários
    Pelo menos 39 funcionários que já passaram por gabinetes da família Bolsonaro têm indícios de que não trabalharam nos cargos. Juntos, eles receberam 16,7 milhões em salários brutos, o que equivale a R$ 29,5 milhõ.es em valores corrigidos pela inflação

  4. se ele usa para divulgação de açoe do governo tem que ser publico, nao podendo bloquear, tipo a pesquisa de opinião sobre matérias aprovadas pelo congresso .

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Dependendo do parceiro, sexo “pode desalinhar chacras”, diz astróloga

Foto: shoo_arts/Getty Images/iStockphoto

“Nunca transe com alguém que você não seria”, essa é frase mais simples, mas talvez a mais dura e chocante que Sara Koimbra, taróloga e astróloga, joga na lata quando o assunto é sexo. Parece simples de imaginar porque não nos envolveríamos sexualmente com alguém que não seríamos, certo? Falta de atração, falta de afinidade e até mesmo dificuldade de aproximação. Mas não para por aí.

Entenda os riscos de transar sem a “proteção energética”.

Sexo é troca de energia?.

Os riscos de transar com aquela pessoa que você não admira passam por desequilibrar os chakras, sujar seu campo áurico, prejudicar a qualidade do sono e assim vai, diz ela. “O ser humano é composto de espírito, alma e corpo. Portanto, nossas frequências energéticas devem ser levadas em consideração o tempo inteiro. Se todos nós temos uma antena de vibração, ao nos envolvermos com outras pessoas, principalmente sexualmente, misturamos a nossa frequência com a delas”.

Isso não quer dizer que devemos parar de transar agora para cuidar da nossa energia. Pelo contrário. A astróloga realça que a energia sexual é vital e extremamente poderosa. “Transar é vida, sexo é divino. Mas quando feito com irresponsabilidades, tem consequências.” Elas podem ser tanto a nível físico, como a nível sutil. Inclusive, alguns descompassos da nossa vida podem ter a ver com cordões energéticos de relações sexuais de anos atrás.

“Muita gente tem problemas de ordem energética por causa disso. Já atendi várias pessoas que se sentem drenadas, depressivas e que tentam mudar isso a vida inteira sem sucesso. Entrando nesse contexto de maneira mais profunda, é possível perceber que tem alguma desordem fruto de relações não tão legais. O sexo pode nos levar a um estado profundo de bem-estar e relaxamento, mas também a um poço de ansiedade e depressão, além de doenças físicas — não só sexualmente transmissíveis, mas somatizadas”, conta Sara.

Chakra com chakra

Isso acontece porque quando existe o contato sexual, seja pontual, seja em um relacionamento duradouro, as pessoas estão unindo mente, corpo, espírito e alma. O fenômeno acontece principalmente pelos chakras, que permitem esse entrelaçamento de energias durante a transa. É o que cria o chamado cordão energético, que pode criar laços duradouros nas pessoas que trocaram vibração.

Sara enfatiza que a energia sexual pode ficar impregnada em nós, graças a esses cordões, por pelo menos seis meses. “No mínimo, depende da complexidade da situação ou das energias envolvidas no ato. Pode levar anos ou uma vida inteira, inclusive em contextos de relações abusivas e outras mais duradouras. Um abuso de adolescência, por exemplo, pode reverberar na vida adulta como resultado desse cordão ainda existir.”

Só essa informação já pode ser suficiente para a gente escolher a dedo com quem vamos transar, certo? Mas às vezes acontece de ter um encontro casual, uma relação depois de beber em uma festa ou uma recaída com o ex. E tudo bem. O importante é saber como limpar essa energia sexual antes e principalmente depois das relações. Até porque, se a energia estiver suja, é fácil nos grudarmos a cordões de vibração densa.

(mais…)

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

ARTIGO: 2020 pode não ser tão ruim

Você se vê durante toda a vida enfrentando inúmeros desafios. Em determinado momento pode se perguntar: As coisas não podiam ser mais fáceis?

Não é a toa que já nascemos chorando. Ora, nos tiram à força do paraíso que estávamos. Não faltava nada e o melhor, bem juntinho da mamãe. Daí pra frente as palmadas no bumbum não param mais. Tem que cair para aprender a andar, tem que chorar quando conhece a quina da parede, ficar fraquinho com a virose, ir para a aula longe da mamãe, tomar vacina e ainda comer brócolis.

Os desafios não param jamais. Tem bullying na escola, prova de matemática, vencer a timidez na prova oral, enfrentar a caxumba e os foras recebidos nas primeiras festas.

Você vai crescendo e os problemas também. Tem que escolher a profissão, enfrentar o mercado de trabalho – falta dinheiro e sobram sonhos. Decepções com amizades de bar, relacionamentos difíceis, filhos fora do casamento, traições no trabalho e instabilidade é a palavra de ordem.

Você se vê numa selva – tentando escapar do leão. Não pode parar nunca de lutar. Se ele te pegar, depois vão chegar as hienas. Na sequência, virão os urubus. Nada fácil, hein? Ainda tem os vermes e o capeta que vai lutar pela sua alma.

Você pensa que seria rei, mas a única coroa que chega é a do coronavírus (corona = coroa).

As coisas podiam ser mais fáceis? Podiam mas ainda bem que não são. É a luta que te deixa mais forte. Poderia chegar um vírus que deixasse seu pulmão mais forte. Por que não? Seria até mais explicável à nível de evolucionismo, pois sem matar o hospedeiro todos viveriam mais – inclusive o parasita.

Como não se pode mudar a lógica da vida, não podemos mudar o que não tem lógica também. Nossa opção é se adaptar – lutar sem parar, pois é a única coisa que a vida nos ensinou: a lutar. E lutando seremos melhores a cada dia.

É o vento soprando contra a vela que impulsiona o barco a ir para frente;

É a pressão que faz o carvão virar diamante;

É através da microrruptura que o músculo cresce;

É essa luta diária, amigo leitor, que fará você mais forte. Enfrente as provações com fé e determinação, pois existem chances reais de você sair fortalecido dessa situação e assim poderemos entender o porquê de um ano tão desafiador. Sua melhor versão esta sendo preparada. Acredite.

Marcus Aragão
Publicitário
Instagram @aragao01

Opinião dos leitores

  1. Muito verdade! Tentemos tirar coisas boas ate das situações mais desafiadoras. No mínimo sairemos fortalecidos e com um grande aprendizado. Excelente texto!

  2. Marcus Aragão você sempre nos surpreendendo com os seus artigos que passeiam de maneira leve por diversas dimensões de nossas vidas. Realmente, durante toda a vida somos submetidos aos desafios que nos são impostos e exigem as escolhas nem sempre sensatas. Mas, só o tempo nos mostrará os resultados. Eu, também, acredito que 2020 pode não ser tão ruim assim, a medida que tem nos feito rever os nossos hábitos , as atitudes e , principalmente, as mudanças de comportamentos. Valeu!

  3. Sempre bom olhar a vida de maneira positiva . Tenho certeza que sairemos mais forte dessa. Obrigada por mais um texto. ?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Após cirurgia de dissecção da aorta, vocalista de Renato e Seus Blue Caps piora e pode ser entubado

Foto: Reprodução

Internado no CTI desde a última sexta-feira, dia 17, Renato Barros, vocalista da banda Renato e Seus Blue Caps, teve uma piora em seu estado de saúde. De acordo com informações divulgadas na página oficial da banda, o cantor, embora lúcido, está se sentindo cansado e “não está descartada a possibilidade de ser entubado novamente”.

“Recebemos a mensagem enviada pela Erika Barros (filha do cantor) dizendo que hoje se alterou um pouco, houve uma leve piora, pois ele está muito cansado, embora esteja bem lúcido, mas hoje o problema dele está sendo o pulmão. Tudo que foi feito na cirurgia está tudo certo, mas não está descartada a possibilidade de ser entubado novamente, está tomando oxigênio, está bem na medida do possível, mas muito cansado. Vamos ver se ele sai deste estado de cansaço pulmonar”, diz o texto.

O cantor, de 76 anos, foi submetido a uma cirurgia de dissecção da aorta de mais de 7 horas. O carioca foi internado após sentir fortes dores no rosto.

Extra – O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Canabidiol pode ajudar a evitar danos pulmonares causados pela Covid-19

(Foto: Flickr/Martijn/Creative Commons)

Cientistas da Universidade de Geórgia, nos Estados Unidos, descobriram evidências de que o canabidiol (CBD) pode atenuar danos provocados pela Covid-19. Em um artigo publicado em julho no Cannabis and Cannabinoid Research, a equipe explica que a substância, conhecida por estar presente na maconha, tem potencial de ajudar no controle de respostas exageradas do sistema imunológico, como a tempestade de citocinas e a inflamação pulmonar, consequências graves e comuns da infecção por Sars-CoV-2.

“Nossos estudos de laboratório [realizados em ratos] indicam que o CBD puro pode ajudar os pulmões a se recuperarem da inflamação avassaladora (ou tempestade de citocinas) causada pelo novo coronavírus e a restaurar níveis saudáveis ​​de oxigênio no corpo”, afirmou Jack Yu, membro do Medical College of Georgia e coautor do artigo, em comunicado.

Suas descobertas foram possibilitadas pela descoberta adicional de um modelo seguro e relativamente barato que permite aos cientistas simular em modelos laboratoriais os danos pulmonares causados ​​pela síndrome respiratória aguda grave. Nas análises conduzidas pelo grupo, o CBD se mostrou eficaz, pois melhorou índices sanguíneos de oxigênio e ajudou na recuperação dos pulmões.

Além disso, uma análise mais detalhada dos pulmões testados reforçou a redução de indicadores-chave da resposta exagerada do sistema imunológico, como a interleucina-6 (IL-6) e os neutrófilos.

O modelo

O nova modelagem foi criada com base no material genético viral: é uma versão sintética do RNA de fita dupla do Sars-CoV-2 — responsável por sequestrar nossas células para se replicar — chamada de POLY (I:C).

Nossos corpos não estão acostumados a esse RNA de fita dupla, então, como acontece quando somos contaminados pelo vírus, o POLY (I: C) recebe atenção imediata do receptor toll-like 3, uma família de receptores que ajudam o organismo a reconhecer invasores e a ativar nossa resposta imune inata. Como os coronavírus são enormes (têm o maior RNA vital conhecido), as células humanas “enlouquecem” e levam a uma resposta imune exagerada.

No teste, ratos receberam doses diárias de POLY (I: C) por três dias e, depois, tiveram CBD injetado também diariamente. De acordo com os cientistas, os animais que receberam o CBD primeiro tiveram uma resposta imunológica mais adequada ao RNA injetado.

Acredita-se que o CBD se parece com alguns endocanabinoides, que são um sistema natural de sinalização celular envolvidos com várias funções, do sono à reprodução, ou à resposta imune. CB1 e CB2, os principais receptores desse sistema, são encontrados extensivamente em todo o corpo, incluindo o cérebro e o sistema respiratório.

Os cientistas sabem que mais estudos precisam ser realizados com o CBD, inclusive testes clínicos em humanos, antes da substância ser indicada como tratamento para a Covid-19. Ainda assim, eles estão animados com os resultados obtidos no novo estudo.

“A síndrome respiratória aguda grave é a principal causa de morte em casos graves de algumas infecções virais respiratórias, incluindo o Sars-CoV-2”, ponderou Babak Baban, coautor do estudo. “Precisamos urgentemente de melhores estratégias de intervenção e tratamento.”

Galileu

 

Opinião dos leitores

  1. Este é o tipo de pesquisa que devia ter patente creditada à Uferrenê. Ali sim tem know How em matéria de cannabis.

  2. PARABÉNS DR..ALBERT DICKSON…O RN É O NUMERO UM EM REDUÇÃO AO COVID…GRACAS AO SEU TRABALHO E DEDICACAO COM O IVERMECTINA….PARABENSSSSSSSS

  3. Esse aí "já tem comprovação científica ".
    Daqui a pouco deputados de esquerda vão ao STF para obrigar toda a população a tomar…
    Cloroquina faz mal e esse não…

  4. Maconha pode resolver e curar absolutamente tudo.
    De epilepsia, a calvície. De fimose a COVID19. De hemorroidas a dor de ouvido, tudo pode ser tratado com maconha ou algum de seus componentes.
    Fora uma disfarçada campanha por sua liberação, apresentando-a como inofensiva e até mesmo curadora universal, o que há de verdade nisso tudo?

  5. Pia mesmo!!!
    Maconha é bom pro covid e cloroquina não.
    Vá entender.
    Chega dr. Albert Dickson, socorra nossas mentes.

  6. Quem é esse repórter? Galileu? Com esse nome deve ser algum comunista. Lula tá preso, babaca!

    1. Teu PRESIDENTE de BOSTA E LADRAO BABACA …..CADA MULHER ELE LAVA DINHEIRO PUBLICO CO. IMÓVEIS…AH LADRAO..FORA BOLSOTRALHAS E SEUS BAJULADORES CABEÇA DE MINHOCA PODRE

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Covid-19 pode desencadear desorientação e até alucinações

Foto: Pixabay

Alguns pacientes de covid-19 estão apresentando quadros confusionais agudos ou delirium. O psiquiatra Mario Louzã, do IPq (Instituto de Psiquiatria da USP), explica que esse tipo de quadro tem inúmeras causas e que outras infecções também podem desencadear o quadro.

Louzã explica que o quadro é diferente do que é chamado de delírio na psiquiatria, que é um uma alteração do juízo da realidade em que o paciente acredita em uma ideia incompatível com a realidade e não adianta falar o contrário. “Ele tem convicção absoluta que está sendo perseguido, por exemplo.”

O delírio é um sintoma de uma outra doença, normalmente a esquizofrenia, acontece com a pessoa em nível de consciência normal e é um quadro prolongado que só costuma parar mediante tratamento psiquiátrico.

Já no quadro confusional, também chamado de delirium, existe uma diminuição no nível de consciência e ele pode durar de algumas horas até alguns dias, passando de uma semana em casos muito extremos. “Vai depender do que está causando o episódio e de quais são as possibilidades de tratamento.”

Segundo o psiquiatra, a pessoa fica confusa, pode ficar agitada e ter alucinações. “A gente percebe uma desorientação espacial e temporal, a pessoa não sabe onde está, que horas são, o que ela está fazendo.”

O médico explica que é um fenômeno relativamente comum em infecções que causam um desequilíbrio hidroeletrolítico. “O corpo tem uma série de substâncias que precisam estar equilibradas para as células funcionarem bem, o sódio, o potássio. Quando você tem um desequilíbrio desses eletrólitos, isso pode afetar as células cerebrais.”

Quadros como diarreia, desidratação e insuficiência renal podem levar a esse desequilíbrio. O delirium também pode ser sinal de uma crise de abstinência de álcool, intoxicação por drogas e excesso de remédios.

Ele também pode ser causado indiretamente pelo quadro respiratório, pela febre muito elevada ou até pela presença do vírus no organismo.

O quadro respiratório pode desequilibrar o equilíbrio entre oxigênio e gás carbônico no sangue, essencial para o funcionamento das células. Se esse desequilíbrio afetar as células do cérebro e os neurotransmissores, também pode levar a um quadro confusional.

Além disso, o vírus pode liberar substâncias tóxicas quando é destruído pelo sistema imunológico do corpo e, dependendo do vírus, ele pode atacar diretamente as células do cérebro. Já foi observado que o coronavírus pode afetar o sistema neurológico, mas as pesquisas sobre o assunto ainda não são conclusivas.

O médico explica que o quadro normalmente é multifatorial. “São várias situações acontecendo ao mesmo tempo no corpo, é muito difícil você separar exatamente qual substância está causando o delirium. O conjunto dessas coisas que acaba sendo o causador.”

O delirium acontece em pessoas que já possuem a predisposição para ter um quadro como esse e é mais comum em crianças e idosos, pois o sistema nervoso desses grupos é mais frágil. “Não é uma coisa de fácil rastreamento, algumas pessoas vão ter e outras não.”

“Não surpreende que esse quadro aconteça em pessoas com covid-19. É uma doença que tem um impacto grande no corpo todo.”

Louzã afirma que em quadros confusionais muito agitados, em que a pessoa pode, por exemplo, arrancar o cateter de soro ou colocar os profissionais de saúde em risco, são utilizados remédios sedativos para acalmar o paciente.

Em outros casos, os médicos investigam quais as possíveis causas para o quadro para dirigir o tratamento. “Esse paciente já está internado, então você sabe, se está com potássio alto, sódio muito baixo, falta de oxigênio, cercamos as possibilidades e vamos agindo nelas, colocando a substância que está em falta, por exemplo.”

R7

Opinião dos leitores

  1. No caso do Presidente da República, depois que contraiu COVID-19, ocorreu justamente o oposto! Ele ficou bem mais orientado, sereno e calado. É um caso a ser estudado pela ciência!!

    1. Vc que pensa.
      Procure vê as imagens de televisão de ontem.
      Kkkkk
      O véi é duro, o véi é duro.

    2. Caso a ser estudado pela ciência é o de uns jumentos que tem bandido de estimação.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Levantamento UFRN: Concentração bancária no Seridó pode estar ligada à pandemia; Caicó e Currais Novos apresentam um dos menores níveis de distanciamento social do estado

A região do Seridó e suas principais cidades, Caicó e Currais Novos, apresentam desde o início da pandemia um dos menores níveis de distanciamento social do estado, segundo novo levantamento do Observatório do Nordeste para Análise Sociodemográfica da Covid-19 (Onas-Covid19), da UFRN. E isso pode estar relacionado à baixa infraestrutura bancária na região e à dependência dos demais municípios seridoenses aos serviços prestados por essas duas cidades polo. Segundo dados do Banco Central do Brasil, 27% dos municípios potiguares não possuem agências ou postos bancários.

Em maio de 2020, apenas Currais Novos e Caicó apresentavam agências ou postos de atendimento da Caixa Econômica Federal (uma agência e um posto de atendimento em cada um deles). Considerando que Caicó se localiza a cerca de 86 km do município currais-novense, possivelmente, o recebimento do auxílio emergencial durante a pandemia por covid-19 agiu como um fator potencializador da sobrecarga na rede bancária de Currais Novos, e consequentemente, da circulação de pessoas neste município.

Desde o início da pandemia, cidades importantes da Região do Seridó têm apresentado um dos menores níveis de adesão ao distanciamento social do estado. Seguindo a tendência dos demais municípios potiguares, Caicó e Currais Novos atingiram o maior nível de distanciamento social no início da pandemia, mas que não se sustentou no tempo e decresceu para patamares abaixo de 40% no decorrer do tempo. Em Currais Novos, a tendência do indicador de isolamento social foi de crescimento ao final do período analisado, enquanto em Caicó a tendência foi de queda na adesão ao distanciamento em fins de junho.

Os municípios próximos ou vizinhos à Caicó apresentam os maiores coeficientes de incidência da doença. Em Currais Novos, a incidência de Covid-19 para cada grupo de 100 mil habitantes é crescente, sendo o quinto maior da região.  Apesar dos municípios do entorno de Currais Novos não se encontrarem no grupo das dez cidades com maiores coeficientes de incidência do Seridó, eles apresentam risco potencial de avanço da doença, tendo em vista a estreita relação que elas estabelecem com Currais Novos em termos de prestação de serviços bancários.

Os seis municípios limítrofes a Currais Novos não possuem agências bancárias, o que estimula a circulação de pessoas em busca de atendimento (dados de maio de 2020)

A concentração da rede bancária em Currais Novos, que representa uma espécie de “ilha bancária” (figura acima) na Região do Seridó, sentiu um aumento da sobrecarga da infraestrutura bancária do município currais-novense com os pagamentos do auxílio emergencial à população de baixa renda durante a pandemia. Segundo dados do Banco Central do Brasil, em maio de 2020 Currais Novos apresentava oito instituições financeiras entre agências bancárias e postos de atendimento, o que em face do apagão bancário no estado, representa um local de alta demanda não apenas por parte de seus residentes como também pelas populações de municípios vizinhos.

Tendência do indicador de isolamento social em municípios selecionados do Rio Grande do Norte

Todas as informações epidemiológicas utilizadas neste texto estão disponíveis no site da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) e se encontram disponíveis para acesso público. A matéria utilizou análises e dados do estudo divulgado pelo Observatório do Nordeste para Análise Sociodemográfica da Covid-19 (ONAS) pelos professores da UFRN Ivanovitch Silva e Luciana Lima e pelos pesquisadores Ivenio Hermes Junior, Patricia Takako Endo, Marcel Ribeiro Dantas e Gisliany Alves, e pode ser acessado na íntegra neste link.

UFRN

Opinião dos leitores

  1. Estado póbi é uma merda, vão terminar pedindo ao deputado da região – se é que há esse dito cujo – para pleitear a instalação de (mais uma) agência bancária estatal. Afinal, prejuízo bom é aquele que vai para os cofres públicos.

    1. O cabra apoiando um projeto que vai dar ao Estado o poder de supervisão sobre tudo o que diz e compartilha em redes sociais. Só um mói de capim, como diz o matuto. Acorda pra vida! Contra calúnia e difamação já existem leis.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Como Putin alcançou 20 anos de poder na Rússia e pode permanecer no cargo até 2036

Foto: AFP

A Constituição russa só permite dois mandatos presidenciais, mas Vladimir Putin já está no quarto.

Quando o polêmico líder, hoje com 67 anos, chegou ao Kremlin, em 1999, não se imaginava que ele permaneceria tanto tempo no poder. Mas, contrariando prognósticos, em 31 de dezembro do ano passado, ele completou duas décadas governando a Rússia — direta ou indiretamente (ele teve de deixar a presidência para ser primeiro-ministro por um período, mas, na prática, continuou a comandar o país), apontam especialistas.

Com mão de ferro, relativo carisma, sob denúncias de coibir a imprensa e seus adversários e um discurso que causa incômodo no resto do mundo, Putin alçou altos níveis de popularidade internamente.

Mas há grupos que há anos pedem mudanças na Rússia.

“Os russos mais jovens, com mais educação e que vivem em grandes cidades como Moscou e São Petersburgo certamente se opõem a que ele siga governando”, diz à BBC News Mundo (serviço em espanhol da BBC) Vladimir Gel’man, expatriado russo que ensina política russa na Universidade de Helsinque (Finlândia).

“Mas, por outro lado, Putin conta com o apoio da população mais velha, menos educada e de áreas periféricas”, agrega.

Resultados preliminares de um plebiscito concluído na quarta-feira (1/07) sobre reformas constitucionais indicam apoio da maioria da população a mudanças que permitiriam a Putin se manter no poder até 2036, o que significa que ele pode superar o tempo de permanência no poder do ditador comunista Joseph Stálin.

As reformas, se aprovadas, permitirão que Putin se candidate a mais dois mandatos presidenciais a partir de 2024 — que é quando acaba o mandato atual. Até a noite de quarta, com 85% das urnas contabilizadas, cerca de 78% dos russos apoiavam a medida, segundo dados do tribunal eleitoral russo citados pela France Presse.

A oposição, por sua vez, acusa o mandatário de tentar ser “presidente vitalício” do país.

Para além da popularidade, a BBC resume os cinco pontos-chave da longevidade de Putin no poder:

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Esse ditador Vladimir Putin hoje é o homem mais perigoso deste planeta terra,uma ordem de ataque militar deste cidadão toda a humanidade,os animais terrestres,aquáticos e do ares,enquanto este Vladimir Putin estiver com o poder na Rússia,nós estaremos sempre correndo um imensurável risco da extinção de toda a vida biológica deste mundo.
    Este Vladimir Putin tem ódio no coração ex agente da extinta kgp que era o antigo órgão estatal russo de espionagem,ele não aceita a queda da extinta União soviética,pelo qual esse cidadão quer controlar toda antiga área de influência soviética e criar a grande Rússia ou nova União soviética,e quer reeditar uma nova guerra fria militar e política com os EUA,só que a antiga União soviética e agora a nossa Russia não tinha e não tem a mínima condição de subsistência social e econômica para ela mesma enquanto mais impor um estilo de vida socialista e comunista totalmente inviável como se demonstrou no passado recente com a extinção da União soviética.
    Só porque tem o poder belico nuclear;atômico e de hidrogênio muito mais destruidor do que a bomba atômica,esse país não passaria de um paiseco pouco relevante no cenário geopolítico internacional com uma economia obsoleta e atrasada com empresas com pouca importância na indústria tecnológica,científica e informacional no cenário global,por exemplo no Brasil ninguém sabe ou ouviu falar do nome de uma empresa,indústria oriunda da Rússia.

  2. Engraçado q o império do norte nem o lambe botas da América do Sul dao um pio sobre essa ditadura….pq será?
    Enquanto isso a Maduro é trucidado….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *