Diversos

VÍDEO: Técnica desenvolvida por pesquisadores da UFRN aumenta expectativa no combate à desertificação do semiárido

O replantio da Caatinga, castigada pela ação humana há séculos, é uma das alternativas utilizadas em ações para sua restauração. O problema é que, nos métodos convencionais, a mortalidade das plantas transplantadas chega a 70%, o que significa um grande desafio para as equipes que atuam nesse bioma. Porém, uma técnica desenvolvida por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) demonstrou que algumas espécies de plantas têm maior resistência a esse processo, o que gera uma grande esperança no reestabelecimento de áreas florestais do semiárido.

Entre os métodos de plantio diferenciados para essa área, a pesquisa coordenada pela professora Gislene Ganade, do Departamento de Ecologia do Centro de Biociências (CB/UFRN) e coordenadora do Laboratório de Ecologia da Restauração (LER), experimentou a substituição de plantas de raízes curtas por mudas de raízes longas. Esse primeiro trabalho realizado entre os anos de 2013 e 2016 numa área de cinco hectares da Floresta Nacional de Açu (Flona), no município de Assú, apresentou resultados muito satisfatórios. A ação utilizou seis espécies de arvores nativas, entre elas a jurema preta, a catingueira e a aroeira.

Pesquisadora Gislene Ganade transplanta muda de Juazeiro. Foto: Divulgação

O experimento revelou que as plantas grandes com raízes grandes atingem até 70% de sobrevivência, enquanto as plantas pequenas com raízes pequenas apenas 30%. O melhor é que os resultados foram confirmados para plantas irrigadas durante 1 ano e plantas irrigadas só no momento do plantio, dispensando assim o custo de montagem de um sistema de irrigação periódica. Não é à toa que a técnica utilizada ganhou o certificado Dryland Champions (campeões das terras áridas) da Organização das Nações Unidas (ONU).

A mesma técnica foi aplicada com grande sucesso em um segundo experimento de plantio de ampla escala implementado também na Flona de Açu, utilizando então 16 espécies de árvores. O trabalho realizado entre 2016 e 2019, foi registrado pela equipe em fotos e num vídeo apresentado pela professora Gislene Ganade. A técnica de plantio com mudas de raízes longas também já foi implementada em outras áreas dos municípios de São Bento do Norte (RN) e no Parque Nacional do Catimbau, em Pernambuco.

Além disso, o projeto já estabeleceu uma lista das localidades em que mais de 600 espécies arbóreas podem ser plantadas em toda a Caatinga, inclusive considerando as mudanças climáticas e sua relação com a perda ou ganho de espécies em cada localidade. Uma projeção futura foi apresentada para os próximos 50 anos, de 2020 a 2070. A experiência exitosa reforça a tese do grupo de pesquisadores do LER de que a Caatinga pode e deve ser restaurada.

Pesquisa

O projeto desenvolvido pela UFRN para a restauração da Caatinga está integrado à plataforma TreeDivNet que colabora com 16 países. Além disso, mantém parcerias com a Universidade Técnica de Munique (Alemanha) e a Universidade de Exeter (Inglaterra) em pesquisas que investigam as espécies arbóreas com maior potencial ecofisiológico para fixar carbono e restaurar áreas degradadas no semiárido brasileiro.

A partir desta pesquisa já foram desenvolvidas 10 teses de doutorado, 6 dissertações de mestrado, 14 trabalhos de conclusão de curso, 7 artigos científicos e 6 artigos submetidos em revistas internacionais. Recentemente, ela foi apresentada na live Restauração da Caatinga: Avanços e novas perspectivas, promovida pela Associação Caatinga de Fortaleza, pela professora Gislene Ganade. Esse tema tem o incentivo da ONU que instituiu a Década de Restauração de Ecossistemas, com início marcado para 2021 e seguindo até 2030.

A ação da ONU é voltada à recuperação de ecossistemas degradados em todo o mundo para o combate à crise climática e para o fortalecimento da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos.  Nesse sentido, destaca a professora Gislene Ganade, “a Caatinga terá importante contribuição para o mundo se projetos de restauração em larga escala forem implementados, sendo que esses projetos também representam uma valiosa contribuição ao combate à desertificação desse importante ecossistema brasileiro”.

UFRN

Opinião dos leitores

  1. Parabéns a UFRN pelo ótimo trabalho. O gado não vai gostar dessa matéria porque o gado só gosta de pasto e mentiras.

    1. Pelo seu comportamento e no linguajar raivoso…. deve trabalhar na UFRN ou fazer parte daquilo de alguma forma. Falar de pessoas como se fossem animais nao é nada etico, e parece fazer parte de alguns meios que espero nao ser educacional. Felizmente, o ente publico as vezes faz jus a sua despesa.. e quando nao faz, deve ser criticado e cobrado. Tem outro animal que simboliza quem nao quer entender criticas construtivas e simboliza ideologias, mas acho feio usar esses termos.

    2. João, vai ver se eu estou na esquina. Deixa de ser hipócrita. Você sabe muito bem que quem sustenta seus argumentos com baixo nível intelectual e alto nível de sadismo é a caterva que sustenta o que ouvem do seu líder mor. Gado é até um elogio para vermes. Agora vocês é que são mi mi mi, é?

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo

Alec Baldwin repete tragédia com filho de Bruce Lee 28 anos atrás

Foto: REPRODUÇÃO / TWITTER @BRANDONBLEE

A morte da diretora de fotografia do filme Rust, Halyna Hutchins, de 42 anos, depois que o astro de Hollywoord Alec Baldwin disparou uma arma cenográfica em um set de filmagem, na última quinta-feira (21), repete uma tragédia com os mesmos detalhes ocorrida há 28 anos.

Em março de 1993, durante as gravações do filme O Corvo, o ator Brandon Lee, filho de Bruce Lee, morreu nas mesmas circunstâncias. O colega de trabalho Michael Masse disparou o que deveria ser um tiro de festim contra o peito de Brandon Lee, que morreu aos 28 anos.

A irmã de Brandon Lee, que abastece o perfil do Twitter do irmão em homenagem a ele, se pronunciou nesta sexta-feira depois da tragédia que envolveu Alec Baldwin: “Nossos corações estão com a família de Halyna Hutchins e Joel Souza e todos os envolvidos no incidente em “Rust”. Ninguém deveria ser morto por uma arma em um set de filmagem. Ponto.”

Na última quinta-feira, o ator Alec Baldwin disparou a arma cenográfica que deixou um morto e um ferido no estado americano do Novo México, informou o gabinete do xerife do condado de Santa Fé.

“O gabinete confirma que os dois indivíduos baleados no set de Rust foram a diretora de fotografia Halyna Hutchins, 42, e o diretor do filme, Joel Souza, 48, atingidos quando uma arma cenográfica foi disparada pelo ator e produtor Alec Baldwin”, informa o comunicado.

Hutchins “foi transportada de helicóptero para o Hospital da Universidade do Novo México, onde foi declarada morta pela equipe médica”, acrescenta o texto.

R7

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

Carreta carregada de melancias capota na BR-304 em Mossoró

Foto: Redes sociais

Uma carreta carregada com melancias capotou na BR-304 em Mossoró, na manhã desta sexta-feira (22).

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o condutor teria desobedecido uma ordem de parada, provocando o acidente. Ele teve apenas ferimentos leves.

O acidente aconteceu por volta das 7h10 próximo a ponte do Rio Angicos. Uma carreta que transportava parte da torre de uma usina eólica estava passando sob a ponte com a ajuda de uma escolta, já que a carga possuia excesso lateral.

A escolta particular do veículo interditou a ponte para que a carreta com a torre eólica trafegasse no trecho, mas segundo a PRF, o motorista de uma carreta carregada com melancias desobedeceu a ordem.

Ao perceber que não conseguiria passar pela ponte, o motorista tentou frear, acabou perdendo o controle e capotou para o lado de fora da via.

O motorista da carreta teve apenas ferimentos leves. Já o outro veículo não chegou a ser atingido. A rodovia não ficou bloqueada.

G1 RN

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Clima

Temperatura vai beirar os 40°C no RN durante fim de semana; veja previsão

Foto: Divulgação

Praia e piscina serão boas opções para os potiguares neste fim de semana. Com previsão de poucas chuvas somente no litoral e tempo firme no restante do estado, a temperatura vai beirar os 40°C em algumas regiões. As informações são do site de previsões meteorológicas Climatempo.

Para Natal, a temperatura vai variar entre os 24°C e 31°C, com umidade relativa do ar chegando a 72%. Há a possibilidade de chuvas para a tarde e noite do sábado e domingo (24), mas com probabilidade de 90% para o domingo.

Na região Seridó, temperatura alta e poucas chances de chuvas. A previsão aponta para possibilidade de tempo instável somente para a tarde e noite do sábado, mas sem chuvas no domingo. A umidade relativa do ar vai variar entre 26% e 78%. Em Caicó, a temperatura vai variar entre 25°C e 37°C.

A situação do Seridó será semelhante na região Oeste, mais especificamente em Mossoró. Apesar da temperatura ser um pouco mais baixa, girando entre 23°C e 36°C, a chance de chuva é superior a 90% entre a tarde e noite do sábado. Na capital do Oeste, a umidade relativa do ar vai chegar aos 90%.

As temperaturas mais altas serão no Alto Oeste potiguar. Mesmo com previsão de chuvas para sábado e domingo, no turno da noite, a umidade relativa do ar também vai atingir a casa dos 90%, com temperatura variando entre 24°C e 38°C.

Com informações de Tribuna do Norte

http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/temperatura-vai-beirar-os-40a-c-no-rn-durante-fim-de-semana-veja-previsa-o/523633

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra 02 óbitos por Covid nas últimas 24 horas; novos casos são 91

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) atualizou os números do coronavírus nesta sexta-feira (22). São 371.687 casos totalizados. Na quinta-feira (21) eram contabilizados 371.447, ou seja, 240 novos casos em comparação com o dia anterior, destes, 91 confirmados nas últimas 24 horas.

Com relação aos óbitos no Rio Grande do Norte, são 7.372 no total. Com registro de dois óbitos (Natal e Parnamirim) ocorrido nas últimas 24h. Na quinta (21) eram 7.369 mortes. Óbitos em investigação são 179.939.

Recuperados são 260.484. Casos suspeitos somam 179.939 e descartados são 750.212. Em acompanhamento, são 103.831.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

RN registra taxa de ocupação de leitos críticos para covid de 41,1%

A taxa de ocupação de leitos críticos das unidades públicas de saúde no RN é de 41,1%, registrada no final da manhã desta sexta-feira (22). Pacientes internados em leitos clínicos e críticos somam 128.

Até o momento desta publicação são 106 leitos críticos (UTI) disponíveis e 74 ocupados, enquanto em relação aos leitos clínicos (enfermaria), são 78 disponíveis e 54 ocupados.

Segundo a Sesap, a Região metropolitana apresenta 44,4% dos leitos críticos ocupados, a região Oeste tem 38,6% e a Região Seridó tem 16,7%.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

COVID: RN possui 106 leitos críticos e 78 leitos clínicos disponíveis

O RN permanece com fila zerada de pacientes para UTI Covid conforme levantamento feito por volta das 12h00 desta sexta-feira (22).

Neste período, havia 01 pacientes com perfil para leitos críticos na lista de regulação e 01 aguardavam avaliação. Foram registrados disponíveis 106 leitos críticos e outros 78, sendo clínicos.

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

BOICOTE? Seleções podem deixar a Fifa por causa da Copa do Mundo; entenda

Foto: Michael Regan / Fifa/ Getty Images

A Fifa está estudando possibilidades de realizar a Copa do Mundo de um modo diferente: a cada dois anos. Acontece que muitas pessoas e profissionais da área contestam esse estilo, entre elas seleções de vários países. Mais de 10 das 55 federações que pertencem a Uefa estão dispostas a deixar a Fifa caso isso aconteça, de acordo com a agência de notícias ”AP”.

Os países nórdicos, que constituem uma região da Europa setentrional e do Atlântico Norte, estão liderando a lista para cancelar essa possibilidade.

”Se uma maioria na Fifa decide adotar uma proposta sobre o Mundial bienal, as associações nórdicas de futebol deverão considerar mais ações e cenários que estejam mais próximos de nossos valores fundamentais do que o que representa a ideia atual da Fifa”, disse, em comunicado geral, as seleções de Noruega, Finlândia, Islândia, Ilhas Faroé, Dinamarca e Suécia.

Possibilidade existe!

Essa possibilidade realmente pode acontecer, isso porque de acordo com com o artigo 18, uma seleção pode deixar a entidade caso esteja sem dívidas pendentes, além de realizar uma carta comunicando a saída em até seis meses antes do fim do ano civil.

JC – UOL

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

OMS: Covid pode ter matado 80 mil a 180 mil profissionais de saúde

Foto: © 03/07/2020 Reuters / Fabrice Coffrini / Direitos reservados 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) diz que podem ter morrido entre 80 mil e180 mil profissionais de saúde desde o início da pandemia, em todo o mundo. O diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, defende que os profissionais de saúde devem ter prioridade na imunização e cita críticas ao processo desigual de acesso às vacinas.

O mais recente relatório da OMS estima que dos 135 milhões de profissionais de saúde no mundo, entre 80 mil e 180 mil podem ter morrido de covid-19 no período entre janeiro de 2020 e maio de 2021.

“Dados de 119 países sugerem que, em média, dois em cada cinco profissionais de saúde e cuidadores em todo o mundo estão totalmente vacinados. Mas é claro que essa média mascara as enormes diferenças entre regiões e grupos econômicos”, declarou Tedros Adhanom.

Segundo o diretor-geral da OMS, na África menos de um em cada dez profissionais de saúde foi totalmente vacinado. Diferentemente, na maioria dos países com economias fortes, mais de 80% dos profissionais de saúde estão totalmente vacinados.

“Apelamos a todos os países para garantir que todos os profissionais de saúde e cuidadores tenham prioridade na vacinação contra a covid-19, juntamente com outros grupos de risco”, afirmou o diretor.

Desde que as primeiras vacinas foram aprovadas pela OMS, há mais de dez meses, milhões de profissionais de saúde ainda não foram vacinados. A “denúncia” surge, dirigida aos países e empresas que controlam o fornecimento global de doses, acrescentou.

Annette Kennedy, presidente do Conselho Internacional de Enfermeiros, lamenta as muitas mortes que ocorreram desnecessariamente. “Poderíamos ter salvado muitas vidas”, disse.

“É uma acusação chocante dos governos. É uma acusação chocante da falta de proteger os profissionais de saúde que pagaram o último sacrifício com as suas vidas”, destacou Annete.

“Eles agora estão exaustos, devastados, física e mentalmente. E há uma previsão de que 10% desses profissionais partirão em pouco tempo”, acrescentou a presidente da organização internacional de enfermeiros.

A OMS quer que cada país vacine pelo menos 40% da população até o fim deste ano. Mas o fornecimento insuficiente de vacinas poderá impedir o cumprimento da meta.

Tedros Adhanom disse ainda que 82 países estão em risco de não atingir esse  índice.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Mercado abre em queda depois de debandada na Economia; dólar vai a R$ 5,71

Foto: Reprodução / Pixabay

O Ibovespa, principal índice da B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), cai 1,12%, aos 106.534 pontos às 10h21 desta 6ª feira (22.out.2021). Em 20 minutos a B3 perdeu 1.200 pontos. O dólar sobe 0,67%, cotado aos R$ 5,71.

O mercado está reagindo à saída de 4 integrantes do Ministério da Economia, anunciada na 5ª feira (21.out.2021). Os secretários que comandavam o Tesouro Nacional, Bruno Funchal e Jeferson Bittencourt pediram demissão, assim com a secretária especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo. Com isso, o ministro Paulo Guedes já perdeu 22 assessores desde início do governo.

O motivo para as saídas são as discussões sobre mudança do teto de gastos. As demissões foram anunciadas no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados, com o apoio do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), manobra para mudar a regra fiscal.

Ainda na 5ª feira (22.out), a comissão especial da Câmara aprovou o texto. Na proposta para o pagamento das dívidas judiciais está uma alteração na regra do teto de gastos.

Atualmente, o teto de gastos é corrigido pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) acumulado em 12 meses até junho do ano anterior ao de sua vigência. A PEC altera o cálculo para a inflação de janeiro a dezembro.

O relatório do deputado Hugo Motta (Republicanos-PB) abre um espaço de R$ 83 bilhões no Orçamento do ano que vem. O objetivo do governo é usar parte desse valor para bancar o Auxílio Brasil em 2022, ano eleitoral.

Com a mudança, o temor no mercado por um possível descontrole fiscal no país aumentou. A bolsa de valores fechou a 5ª feira (21.out) já em queda de 2,75%, e foi aos 107.735 pontos. O dólar teve alta de 1,92%, cotado aos R$ 5,67. As demissões na Economia vieram depois do fechamento do mercado.

O presidente Bolsonaro descartou os temores dos operadores em sua live na 5ª feira (21.out). “Aí fica o mercado nervosinho. Se vocês explodirem a economia do Brasil, pessoal do mercado, vocês vão ser prejudicados também. Querem acreditar na minha palavra ou na da Miriam Leitão?”

Poder360

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Vacina da Pfizer contra covid-19 é 91% eficaz em crianças, aponta estudo

Foto: © Geovana Albuquerque / Agência Saúde DF

Dados divulgados nesta sexta-feira (22) pela Pfizer apontam que doses da vacina contra a covid-19 da farmacêutica para crianças de 5 a 11 anos são seguras e apresentaram eficácia de quase 91% na prevenção de infecções sintomáticas. A divulgação ocorre em meio às análises feitas pelos Estados Unidos para aplicação do imunizante para a faixa etária.

De acordo com a Associated Press, as aplicações no país podem começar no início de novembro se os reguladores americanos derem sinal verde. O Departamento de Saúde e Serviços Humanos (FDA, na sigla em inglês) deve publicar sua revisão independente dos dados de segurança e eficácia da empresa no final do dia.

Os consultores do FDA vão debater publicamente as evidências do imunizante na próxima semana. No país, a vacina é autorizada para maiores de 12 anos, porém pediatras e famílias aguardam a nova aprovação voltada a crianças mais novas como forma de conter as infecções crescentes da variante delta e ajudar a manter as crianças na escola. A administração do presidente Joe Biden comprou doses suficientes para imunizar todas as crianças de 5 a 11 anos de idade.

Estadão Conteúdo

Opinião dos leitores

  1. Estudo patrocinado pela própria Pfizer? Puxa vida q surpresa ! Eu q n vacino meus filhos !! Crianças n precisam dessa vacina

Comente aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *