Caetano Veloso faz apelo sobre coronavírus: ‘Não é para vermos bares e praias cheios’

Foto: Gabriel Monteiro / Agência O Globo

Caetano Veloso fez um apelo à população que não está levando o coronavírus a sério. Em suas redes sociais, o cantor pediu que as pessoas façam quarentena e evitem aglomerações, o que não tem acontecido nos últimos dias.

“As pessoas não entenderam claramente que é preciso tomar uma atitude de quarentena. Não é para a gente ver bares cheios, praias cheias. Se suspenderam as aulas, é para haver recolhimento. Os meus shows, eu adiei por causa disso”, afirmou o cantor em vídeo.

Preta Gil: ‘Pensem nos idosos’

Caetano não foi o único artista a pedir que a população respeite as medidas de isolamento. Diagnosticada com coronavírus, Preta Gil fez um post no Instagram enquanto cumpre seu quarto dia de isolamento. A cantora disse estar sentindo os mesmos sintomas do começo: calafrio, dor no corpo e de cabeça, mas sem febre.

“Estou aqui orando por todos nós e pedindo a Deus que coloque juízo na cabeça dos que ainda não entenderam que não estamos de férias e sim numa força tarefa de nós sociedade e órgãos públicos para deter a proliferação em massa do vírus !!! Pensem nos idosos e nas pessoas que são grupo de risco, pois para eles o vírus pode ser fatal, pense que pode ser um ente querido seu que pode se contaminar porque você não pensou antes de ir pra uma festa, uma boate, pra praia ou pro parque!!! Estamos praticamente de quarentena no Rio e São Paulo!!!”

A cantora defendeu que isolamento social é “uma questão de civilidade, de amor ao próximo e de responsabilidade”.

“Todo cuidado é pouco!!! Olha o que está acontecendo no mundo… eu não sei o que falta acontecer pra ficha de alguns cair!!! Isolamento social agora é uma questão de civilidade, de amor ao próximo e de responsabilidade. Tanta gente se sacrificando, profissionais da saúde arriscando sua própria saúde, tantos sonhos adiados, casamentos, formaturas… hoje tanta gente não pode ir ao culto, a igreja, a sessão de passe e por aí vai. Teatros e cinemas fechados um prejuízo incalculável. Uma pandemia mundial e você aí negando o que está acontecendo, mas eu sigo aqui, me cuidando, nutrindo minha alma e minha fé para ficarem bem!!! Fiquem bem e se cuidem também!!!”

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fábio disse:

    E nada de Bolsonaro acabar c a Lei Rouanet…
    Mais uma promessa de campanha não cumprida.

  2. Ceará-Mundão disse:

    Já foi descoberto que a China (politicamente comunista) já tinha conhecimento dessa pandemia um mês antes de sua divulgação oficial. E que ela está sendo benéfica ao país, como ocorreu anteriormente, relativo a outras similares.

  3. Vergonha disse:

    Esse é um MALADRAO , quer mídia , seu mestre ladrao condenado está sem holofotes, lei ROUNET acabou , a teta secou

  4. Juninho Play disse:

    Aí a galera aqui nos comentários estão falando besteira q com ódio no coração. Isso já é politicagem. A pandemia foi decretada bem depois do carnaval entao parem de ser bitolados

  5. realista disse:

    quem é preta gil ?

  6. natalsofrida disse:

    Essas pragas ainda falam em nome de Deus? Demônios!

  7. Júnior disse:

    Porque não falou isso antes do carnaval? Se essa campanha tivesse sido feita antes, não estaríamos na situação que estamos hoje. Acontece que o carnaval tem mídia pra ele, daí, o resto que morram, né caetano adorador de CORRUPTOS e milionário da lei rouanet

Roberto Carlos rompe com Procure Saber depois de ataque de Caetano Veloso

 Depois de sofrer ataques de Caetano Veloso no fim de semana, o cantor Roberto Carlos decidiu antecipar o que já era dado como certo : o fim da Associação Procure Saber nos moldes atuais.

Seu empresário, Dody Sirena, enviou na noite desta terça-feira um comunicado para o grupo dizendo: “A partir de agora, fiquem à vontade com o andamento do Procure Saber sem a presença direta do Roberto”.

A equipe do cantor já estava insatisfeita com a forma como Paula Lavigne, que preside a entidade, conduziu a questão das biografias, considerada “truculenta” na definição de um integrante do grupo.

Na semana passada, o rei chamou os principais integrantes do grupo em seu estúdio, na Urca, e promoveu uma espécie de “intervenção branca” na Procure Saber. Ficou decidido que Lavigne não falaria mais sobre biografias em nome da entidade. Um comitê, formado por advogados de Roberto Carlos, tocaria a questão.

Caetano, no dia, não se opôs. No fim de semana, por meio de um artigo no jornal “O Globo”, no entanto, desautorizou os profissionais publicamente. Afirmou que ele, Chico Buarque e Gilberto Gil tinham sido intensamente criticados pela imprensa por sua postura em relação às biografias, e que Roberto Carlos só surgiu depois, como “rei”.

Em determinado trecho do texto que redigiu, Dody diz que “Roberto conversou muito comigo em função dos últimos acontecimentos”.

E conclui: “Não é bem assim o nosso jeito de trabalhar, somos mais discretos, afinal defendemos também a privacidade no sentido profissional”.

Leia a integra do comunicado de Dody Sirena:

“Caros amigos do Procure Saber,

Este ano ainda não encerrou e vejo quantos movimentos interessantes aconteceram para os artistas brasileiros. Demos um grande passo com o Ecad e trouxemos à tona o tema biografias/privacidade. Falamos sobre direitos e, como administradores/empresários dos maiores nomes da música brasileira, sabemos que no futuro tudo isso será uma grande referência de um movimento coletivo, como outros que estes ícones já participaram. Interessante lembrar que a tropicália e as guitarras andaram em calçadas diferentes, que a imprensa anunciava que a MPB não gostava da Jovem Guarda, e com o tempo todos se uniram no mesmo pensamento.

Caminhamos bastante, divergimos algumas vezes, mas acredito que podemos nos ver como uma seleção de futebol onde os grandes craques se reúnem para defender o país e depois voltam para os seus times. Roberto conversou muito comigo em função dos últimos acontecimentos. Não é bem assim o nosso jeito de trabalhar, somos mais discretos, afinal defendemos também a privacidade no sentido profissional.

Concluímos que neste momento é importante continuar o trabalho que iniciamos há muitos anos sobre biografias, independente de estarmos em uma associação ou grupo. Portanto, a partir de agora, fiquem à vontade com o andamento do Procure Saber sem a presença direta do Roberto. O comitê criado na última reunião na Urca para atender as biografias continuará atuando de forma intensa apenas em nome do Roberto, já que Dr. Marco Antonio Campos, Dr. Antonio Carlos Almeida/Kakay, Dra. Fernanda Gutheil e Dra. Ana Paula Barcelos, são profissionais de sua equipe.

Gostaria de sugerir que o Procure Saber nomeie representantes para falar em nome do grupo quanto a liberação das biografias e em defesa da privacidade, principalmente no Congresso Nacional, em razão do pronunciamento coletivo e do comunicado oficial. Sempre que outros assuntos surgirem com tema coletivo, se Roberto entender que a pauta vai de encontro aos seus pensamentos, considerem sua adesão. Como exemplo, a pronta e efetiva participação dele no caso do autoral/Ecad e nos futuros desdobramentos com órgão regulador, como já discutimos em outras ocasiões, bem como as questões trabalhistas e a plataforma digital.

Foi muito importante termos participado deste grupo e desejamos boa sorte para os próximos passos.

Com respeito e admiração por cada um de vocês,

Dody Sirena”

Folha

"Somos Todos Amarildos": Caetano e Marisa Monte fazem show em campanha

 17_40_19_376_fileCaetano Veloso e Marisa Monte vão fazer um show no dia 20 de novembro, no Circo Voador, na Lapa (centro), para arrecadar fundos para a campanha “Somos Todos Amarildos”. O objetivo da iniciativa é levantar fundos para o recomeço da família de Amarildo e para o IDDH (Instituto dos Defensores dos Direitos Humanos) viabilizar projeto para traçar perfil dos desaparecidos na região metropolitana do Rio de Janeiro, preservar a memória dos desaparecidos como forma de luta dos direitos humanos e dar suporte jurídico e psicossocial aos familiares das vítimas.

O show é inédito e está sendo produzido especialmente para essa ocasião por Caetano e Marisa. Os ingressos começam a ser vendidos ao meio-dia desta terça-feira (8) na bilheteria da casa de shows.

Além do show, o projeto também vai realizar nesta terça um jantar beneficente na casa da empresária Paula Lavigne. Durante o jantar será realizado um leilão de objetos e obras de arte doados por músicos e artistas. Já no dia 30 de novembro, haverá o Alalaô na Praia do Arpoador, evento com participação de Ernesto Neto, Marcio Botner e Marcus Wagner.

O projeto “Somos Todos Amarildos” é uma iniciativa do desembargador Siro Darlan, Juiz João Damasceno, Pedro Lavigne, Caetano Veloso, Marisa Monte, Ernesto Neto, Paula Lavigne, Pedro Tourinho e Marcio Botner.

Caso Amarildo

A DH (Divisão de Homicídios da Capital) divulgou detalhes da investigação do Caso Amarildo na última sexta-feira (4). De acordo com o inquérito, dez policiais militares são suspeitos de torturar, matar e ocultar o corpo de Amarildo Dias, desaparecido desde 14 de julho. Eles se apresentaram na sexta e devem aguardar julgamento detidos no BEP (Batalhão Especial Prisional), na zona norte do Rio.

O delegado Rivaldo Barbosa, responsável pelo caso, disse que as buscas pelo corpo continuam e que aguarda o resultado de exame de DNA de oito corpos no Estado do Rio.

R7

Fagner "detona" Roberto Carlos e Caetano Veloso

fagnerFagner está completando 40 anos na carreira, sendo que boa parte foi construída em gravadora, nos anos 70. Planejando um disco com parceria inédita com Vinicius de Moraes para o fim do ano, o cantor soltou o verbo sobre o atual momento do mercado fonográfico.

Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, Fagner afirmou que “esses lugares estão cheios de gente que eu não respeito, que não entende nada de música”.

Fã de rádio AM e fofocas, segundo a mesma reportagem, Fagner detonou os amigos de MPB Caetano Veloso e Roberto Carlos no caso ECAD, que movimentou a classe artística em julho. Ele disse que os medalhões da música brasileira tinham motivos além do que somente defender os compositores que condenam a falta de transparência nas arrecadações de direitos autorais do escritório.

— O que houve ali foi uma encenação patrocinada por pessoas que tem outros interesses que não são os aparentes. Que lobby é esse? Por que Caetano estava lá? Por que Roberto, que nunca aparece para defender nada, estava lá? Esse povo dá nó em éter. Não vou ficar especulando, mas, na minha opinião, o projeto foi aprovado sem estar inteiramente claro para os artistas.

O cantor disse que não defende o ECAD, mas acredita que cobrar transparência diretamente do escritório seria a solução.

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. paulo kasinsk disse:

    Já gostei de Fagner. Com todo o respeito ao fãs, Fagner jogou a carreira fora quando gravou, sem avaliar direito, gravou "Borbulhas de Amor", bregão pesado, nada a ver com a sua obra até então. Tentou umas parcerias, para ver se decolava de novo, mas não aconteceu. Um dos caras que lhe deram uma força foi Zeca Baleiro, já com um trabalho novo e mais cabeça, digamos assim. Zeca participou de um disco, desse que um dia foi seu ídolo, segundo ele. Mas o disco não aconteceu. Desandou. O circuito universitário pulou fora e outros artistas apareceram, como o próprio Zeca e Xico César, entre outros. O verdadeiro Fagner está no disco Ave Noturna, lançado em 1975. Esse é o disco, esse é o Fagner.

Caetano Veloso completa hoje 70 anos de idade

Caetano Veloso nasceu na pequena Santo Amaro da Purificação, na Bahia / Onofre Veras/AgNews

Caetano Veloso chega aos 70 anos sem nunca deixar de ter sido… Caetano Veloso. Desde que apareceu para o Brasil e para o mundo, em meados dos anos 1960, o baiano nascido na pequena Santo Amaro da Purificação sempre foi um protagonista. Primeiro, por liderar um movimento que ganhou o nome de Tropicalista e mudou os rumos da música popular brasileira; depois, por manter o espírito de artista inventivo e irrequieto, capaz de ir da bossa nova ao rock e homenagear até gêneros musicais considerados menos nobres.

Em todos esses anos, Caetano foi polêmico e deu opiniões exageradas, mas cantou tudo e todos: o amor, a desilusão, a alegria, o sol, o vento, os presos, a miséria, a política, o carnaval, Londres, sua amada Salvador, até a dura poesia concreta de São Paulo. É impossível dizer qual é canção mais linda de Caê, ou qual é o melhor disco entre os 50 que gravou, mas uma coisa é certa: o baiano tem uma das vozes mais perfeitas da música popular brasileira e é um grande intéprete de suas canções e de outros compositores.

Mais? Caetano escreveu um livro fundamental sobre a música brasileira, o seu “Verdade Tropical” (1997), se aventurou pelo cinema e assina uma das melhores frases da nossa cultura: “de perto, ninguém é normal”.

Caetano não programou nada em especial para comemorar o dia de hoje. Está em estúdio, gravando um novo disco de músicas inéditas – que certamente será surpreendente e adorável. O único compromisso do músico por esses dias, conforme o seu site, é um show de voz e violão no dia 10 para homenagear outro baiano ilustre, o centenário Jorge Amado.

Parabéns, Caetano. E faça valer sua canção: “o homem velho deixa a vida e a morte para trás…”

 

Fonte: Band

Ed Motta recuou. Tudo não passou de uma brincadeira

VEJA: O cantor Ed Motta voltou a usar as mídias sociais para fazer comentários sobre o Brasil. Desta vez, para culpar a imprensa pela divulgação das frases discriminatórias da última semana, quando disse em seu perfil no Facebook que os moradores do sul – local conhecido pela presença europeia – eram bonitos, e a gente do resto do país era “feia”.

“Os tais comentários infelizes que fiz foram absolutamente todos em tom de brincadeira. Mas é mais fácil acreditar no jornal que precisa vender a todo custo. Todos brincam em bares, nas suas casas etc. Eu estava no meu perfil de Facebook que julgava ser algo pessoal”, escreveu o cantor em seu microblog.

Motta comentou ainda o fato de ser negro – portanto, diferente do esterótipo dos moradores do sul – e de ter criticado nomes da MPB, como Caetano Veloso. Mais uma vez, seria tudo brincadeira. “E, nossa, eu não sou nem de perto um exemplo padrão de beleza. Foi brincadeira e não estou recuando, com medinho, nada. Quando afirmei que detestava Oasis eu assumo e banco até o fim minha opinião. Essa patrulha ideológia em pleno 2011 é realmente um atraso.”

Do Blog: Está bom Ed Motta. Agora responde, Paula Toller é feia? Seu brucutu…

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ed mota é mais um daqueles cantores metidos a besta, que não teem identidade vocal e só conseguem cantar fazendo filuras para encobrir suas deficiências de afinação e outras incapacidades da voz cantada.Esse tipo de cantor só sabe cantar vomitando algumas técnicas desenvolvidas em alguma fábrica de voz artificial.ed mota, você nem é cantor de jazz e nem tem a expressão vocal de um Luís Gonzaga,Estude música brasileira que você pode chegar lar.