FOTO: Protesto contra contingenciamento na educação e reforma da previdência bloqueia trecho da Avenida Salgado Filho

Foto: Reprodução/Via Certa Natal

Registro em imagem do Via Certa Natal na tarde desta terça-feira(13) comunica bloqueio de trecho da Avenida Salgado Filho, nas imediações do Midway Mall.

Protesto é contra o contingenciamento da educação e reforma da Previdência. Manifestação conta com presença de sindicalistas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Thor Silva disse:

    Pq eles não protestam contra os cortes que Fatão fez?? Vão trabalhar, camadas!!

  2. Irany Gomes disse:

    Bando de vagabundos, o intuito é somente atrapalhar a vida de quem realmente trabalha, façam protesto mas que não tirem o direito de ir e vir das pessoas!

  3. SANTOS disse:

    Com essa multidão nas ruas do meu Nordeste, fica o alerta , reeleição garantida!

  4. sebastian luiz da silva junior disse:

    BOA TARDE!
    VAD~E OS SINDICATOS TODOS COMPRADOS COM CARGOS NO GOVERNO, SINDICATO DOS SERVIDORES DO ESTADO, SÓ SABE MOSTRA O CABELO VERMELHO DO PT.

  5. Lampejao disse:

    MANIFESTAÇÃO GRANDIOSA,NO MÍNIMO 100.000 PESSOAS…….KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  6. Manoel disse:

    É góipi! Já estão protestando contra o corte de 100% no investimento que a governadora do PT fez na UERN? Realmente é um corte grande: serão 300 mil reais por mês que seria usado para custeio e manutenção, num total de R$ 3,6 milhões no ano!!! E eu pensava que cortar verbas da educação era somente para governos "facistas"…

    • Cidadão disse:

      Admiradores do MOLUSCOLADRÃO atrapalhando o ir e vir do cidadão de bem.
      Um bando de gato pingado.
      Ah uma chuva bem boa! Não irei pedir nem raios.
      É gópi !!

    • Patricia disse:

      O amigo está desinformado. A governadora já desfez essa fake criada em seu perfil. Seria bom o senhor se atualizar.

    • Manoel disse:

      Patrícia você que precisa se informar, a governadora bokus GD voltou atrás no corte no auxílio saúde dos funcionários da UERN mas o corte de 300 mil mensais na verba de custeio continua rigorosamente em dia faz 6 meses que o estado não paga as empresas terceirizadas, motoristas, asgs e vigilantes não tem previsão de receberem salário esse mês.

    • Ceará-Mundão disse:

      A governadora NÃO DESFEZ os cortes nos investimentos (100%, TOTAL) nem nas despesas de custeio (300 mil por mês). O que ela DESFEZ foi o corte no adicional de saúde (Um absurfo) pago aos professores da UERN aposentados. Aliás, ela já DESFEZ muita coisa e não vejo a turma de esquerda reclamando, como fazem com o Bolsonaro. Por que agem assim?

FOTOS: Tarde em Natal registrou manifestação contra o contingenciamento de verbas das instituições públicas de ensino superior

Fotos: via STTU/Twitter


Estudantes, professores e sindicalistas realizaram uma manifestação em Natal na tarde desta quinta-feira (30), contra o contingenciamento no orçamento das instituições públicas de ensino superior e também a reforma da previdência. O movimento é nacional. Atos e paralisações aconteceram em outros os estados e no Distrito Federal.

Na capital potiguar, o protesto começou por volta das 15h, no cruzamento entre as avenidas Bernardo Vieira e Salgado Filho, e seguiu em passeata em direção ao bairro de Candelária, na Zona Sul, pela BR-101.

O trecho na região se encontra interditado. A manifestação segue até o início da noite. Recomenda-se que os motoristas busquem rotas alternativas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Rômulo disse:

    Protesto é para incomodar, não para desfilar e tomar cerveja usando camisa de seleção de futebol. Parabéns, estudantes! Vocês me representam! Tem de protestar contra esse desgoverno do presidente fascista! Bozo, tire suas patas imundas da educação pública!

  2. Luladräo disse:

    Se os estudantes estudarem como fumavam maconha hoje nomprotestomo Brasil vai para frente. Os do IF se destacaram.

    • Marcos disse:

      Obrigado por fortalecer o movimento com a sua presença, a educação agradece o seu apoio!!

  3. M.Vinícius disse:

    A catinga de maconha e de fundo de calça com chulé tava grande.
    Porca sem rosca, parafuso sem fresa é a combinação perfeita. Ai junta a rosca com rosca e parafuso com parafuso!

  4. jadson disse:

    lotado ate a tampa!
    tem que protestar mesmo. mas poderia ser no fim de semana, como foi o de domingo passado.
    porque insistem em atrapalhar o ja confuso transito da capital?

  5. Salim disse:

    De novo??

    Mais ainda não deu pra passar o recado, a que fizeram 15 dias atrás ??

    Bando de desocupados.

  6. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Tropa de vagabundos atrapalhando o cidadão de bem … que trabalha e paga impostos, cadê que um inútil desse falar dos R$ 50.000.000,,00 que foram desviados da FUNPEC ????? Cadeia para esses ratos ladroes

  7. Marcus disse:

    Duvido que vá aparecer alguém com faixa ou bandeira sobre o rombo na FUNPEC, o MP está começando as investigações, quero só ver esses nóiados o que vão dizer

  8. Gustavo disse:

    Não vejo bandeiras do Brasil.

  9. Menezes disse:

    Vão estudar vagabundos !!!!

  10. Irany Gomes disse:

    Idiotas inúteis!!!

  11. Luciana Morais Gama disse:

    E sobre a FUNPEC??

  12. Anti-Comunista disse:

    COM TANTA ROUBALHEIRA DE LULA E DO PT QUERIAM O QUE CUMPANHEIRO ?

  13. Anti-Comunista disse:

    OLAVO DE CARVALHO TEM VISÃO DE FUTURO. O BRASIL É BABÃO DE COMUNISTAS, PAÍSES COMUNISTAS. PERFEITO OLAVO DE CARVALHO.

CONTINGENCIAMENTO: Embora tenha liberado R$ 1,587 bilhão, MEC mantém bloqueio de R$ 5,8 bilhões; entenda

O Ministério da Educação informou nessa quarta-feira (22) que vai manter o contingenciamento de R$ 5,8 bilhões no orçamento da pasta para 2019, apesar do desbloqueio de R$ 1,587 bilhão anunciado à tarde pelo Ministério da Economia.

A liberação do valor de R$ 1,587 bilhão, de acordo com o MEC, vai apenas cancelar uma segunda ordem emitida pelo Ministério da Economia em portaria de 2 de maio, que ainda não tinha sido implementada.

Naquele momento, dias após o anúncio dos bloqueios no ensino superior, o Ministério da Economia pediu um esforço adicional de R$ 3 bilhões a 13 órgãos federais, e mais da metade recaía sobre a Educação. Agora, o ministério revisou a previsão orçamentária.

Bloqueio ativo

Apesar da suspensão dessa segunda ordem, a primeira, de 29 de março, permanece válida.

Com isso, até o momento, o MEC continua com R$ 5,83 bilhões bloqueados no orçamento de 2019. O contingenciamento do MEC atinge tanto o ensino básico quanto as universidades e institutos federais.

Desse total, R$ 1,704 bilhão recai sobre o ensino superior federal. A cifra corresponde a 3,4% do orçamento total das universidades federais, e a 24,84% da verba discricionária (ou seja, excluindo salários e aposentadorias do cálculo) dessas instituições.

Em nota, o Ministério da Educação afirma que passou as últimas semanas negociando com a área econômica: “Para não limitar ainda mais o orçamento da pasta, o MEC manteve diálogo constante com o Ministério da Economia e apresentou o impacto dos bloqueios nas diversas áreas de atuação da pasta”, diz.

Em 15 de maio, estudantes realizaram protestos em todos os estados e no Distrito Federal contra os cortes. Houve manifestações em mais de 200 cidades.

G1

Câmara Municipal de Natal realiza audiência pública na segunda-feira para debater contingenciamento na Educação

A Câmara Municipal vai promover na segunda-feira (20), 16h, uma audiência pública para debater o contingenciamento de 30% nos investimentos na Educação Pública Federal. Contrário ao bloqueio, o vereador Raniere Barbosa (AVANTE), que é o propositor do debate, defende o direito dos estudantes das 63 universidades e dos 38 institutos federais de ensino, principais afetados com a medida. “A educação ainda é o único caminho para o crescimento do nosso país. Milhares de jovens mudam de vida e ocupam espaços através do conhecimento. Não podemos criar novas barreiras, impedindo e segregando. Por isso, vamos à luta pelo direito a educação”, destacou.

Conforme a Associação dos Reitores das Universidades Federais (Andifes), este é o maior contingenciamento desde 2014. Mesmo sendo aplicado sobre gastos não obrigatórios, como água, luz, terceirizados, obras, equipamentos e realização de pesquisas, consequentemente, os cortes interferem no funcionamento das instituições de ensino público federal. De acordo com o governo federal, as despesas obrigatórias, como assistência estudantil e pagamento de salários e aposentadorias, não serão afetadas.

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jefferson disse:

    ei, vão discutir o corte de 4,9 mihões que o Fátima fez que horas?? , avisa ia para eu ir lá também!

  2. Manoel disse:

    Opa! Não entendi! A câmara municipal de Natal não resolve nem os problemas da cidade e querem resolver o contigenciamento das verbas das universidades federais?? Impressionante!