Geral

Corpo de homem é encontrado eletrocutado em cima de marquise de farmácia em Natal

O portal G1-RN noticia que o corpo de um homem foi encontrado na manhã desta segunda-feira (10) em cima da marquise de uma farmácia no bairro Lagoa Nova, na Zona Sul de Natal. De acordo com a polícia, ele morreu eletrocutado. O caso aconteceu no cruzamento das avenidas Capitão Mor Gouveia e Jaguarari. A suspeita da polícia é de que o homem, ainda não identificado, estava tentando furtar refletores, quanto sofreu a descarga elétrica. O corpo apresentava queimaduras nas mãos e nos pés. Veja matéria na íntegra AQUI.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Acidente

FOTO E VÍDEO: Motociclista vai parar em cima de carro após colisão em Natal

Foto: Reprodução/Whastapp

Após colisão frontal entre carro e motocicleta, piloto acabou parando em cima de veículo em acidente na Avenida Cel. José Bernardo no Baldo, em Natal, no fim da manhã desta quarta-feira(07). Serviço de Atendimento Móvel de Urgência(SAMU) foi enviado ao local para socorro do motociclista. Foto e vídeo: Whastapp.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Denúncia

FOTOS: Janela despenca de prédio da Sesed na rua Apodi

Fotos: Cedidas

Um leitor que pediu que sua identidade fosse preservada entrou em contato com o blog nesta quinta-feira(14) para relatar que durante essa manhã uma das janelas do prédio da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), na rua Apodi, caiu em cima da cobertura de alumínio da garagem do Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Norte (Ipern).Um perigo.

No local passam dezenas de pessoas, diariamente. Por sinal, lá trabalham pessoas na reforma do piso da garagem e, por um milagre, ninguém estava na hora.

Conforme em destaque, o prédio de onde a janela caiu apresenta uma situação duvidosa para atividade. Nitidamente, há uma necessidade de avaliação de sua estrutura. “Deveria ser interditado e licitado seu uso, só assim uma empresa privada assumiria pra restaurar”, disse o leitor.

Opinião dos leitores

  1. Quem se vê obrigado a trabalhar neste prédio poderia muito bem se recusar a fazê-lo, e por justa causa. Desde que deixou de funcionar como centro clínico do Ipern, há cerca de dezoito anos, nunca este prédio passou por processo de desinfecção hospitalar, ou algo que o valha. Precisa dizer mais alguma coisa?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *