Geral

Estudante de educação física da UERN morre de Covid-19 aos 32 anos; instituição emite nota de pesar

O portal G1-RN noticia que após 15 dias internado, o estudante de educação física da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) Tiago Fernandes do Nascimento morreu de Covid-19 nesta segunda (19).

A UERN decretou em luto oficial e a Faculdade de Educação Física (Faef) suspendeu as aulas desta segunda-feira.

Nota:

A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern) lamenta profundamente o falecimento do estudante do oitavo período período do curso de educação física do Campus Central, Tiago Fernandes do Nascimento.

Tiago lutou bravamente contra as complicações decorrentes da Covid-19, mas, nesta segunda-feira (19), não resistiu.

A Uern presta sua solidariedade aos familiares e amigos.

A universidade está em luto oficial e a Faculdade de Educação Física (Faef) suspendeu as aulas que seriam realizadas hoje.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

“TIA POLLY”: Morre Helen McCrory, atriz protagonista da Série Peaky Blinders

Foto: Reprodução

A atriz Helen McCrory morreu aos 52 anos nesta sexta-feira (15/4), em decorrência de um câncer. Ela é conhecida por estrelar produções como Skyfall, Harry Potter e Peaky Blinders.

Segundo o marido de Helen, Damian Lewis, a artista faleceu em casa, sem sofrer. Em comunicado publicado no Twitter, ele disse: “Estou com o coração partido em anunciar que, após uma batalha heróica contra o câncer, a bela e poderosa mulher que é Helen McCrory morreu pacificamente em casa, cercada por uma onda de amor de amigos e familiares”, escreveu o ator de Homeland.

O casal teve dois filhos juntos, Manon, 14 anos, e Gulliver, 13. No mês passado, eles apareceram no Good Morning Britain para discutir sobre um projeto social do qual eram embaixadores. Os dois participaram de várias iniciativas semelhantes juntos e também ajudaram a alimentar os profissionais de saúde da linha de frente durante a pandemia de Covid-19.

Metrópoles

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Morre Bernard Madoff, responsável pela maior fraude financeira da história

Foto: Getty Images

Bernard Madoff, cujo nome se tornou sinônimo de fraude financeira, morreu nesta quarta-feira (14), enquanto cumpria uma pena de 150 anos na prisão federal de Butner, Carolina do Norte. Aos 82 anos, Madoff foi o cérebro por trás de um esquema de pirâmide financeira de US$ 20 bilhões — a maior fraude financeira da história.

Sua morte foi confirmada pelo Bureau of Prisons dos EUA. A causa da morte não foi divulgada.

Em fevereiro de 2020, ele pediu aos tribunais uma libertação antecipada da prisão, afirmando que tinha insuficiência renal terminal e expectativa de vida de menos de 18 meses. Mas o escritório do procurador dos EUA para o distrito sul de Nova York disse que o crime de Madoff foi “sem precedentes em extensão e magnitude” e era “razão suficiente” para negar o pedido de Madoff.

Ele teve uma carreira lendária em Wall Street, obtendo retornos astronômicos famosos para seus investidores, que incluíam o diretor Steven Spielberg, os atores Kevin Bacon e Kyra Sedgwick, além do dono do New York Mets, Fred Wilpon.

Ele serviu como presidente da Nasdaq por vários anos na década de 1990 e acumulou casas de praia, barcos e uma cobertura em Manhattan.

Mas Madoff foi preso em 2008 e se declarou culpado de 11 acusações criminais em 2009. Ele estava usando dinheiro de novos investidores para pagar os investidores anteriores. Ele supostamente tinha um total de US$ 65 bilhões sob gestão, mas dois terços desse dinheiro eram fruto da imaginação de Bernie Madoff.

Madoff fundou a Bernard L. Madoff Investment Securities em 1960, mas ninguém conseguiu provar quando Madoff começou a roubar investidores.

Ele disse à CNN Money em uma entrevista de 2013 que tudo começou em 1987, mas mais tarde ele disse que o esquema começou em 1992. O ex-gerente de contas de Madoff, Frank DiPascali Jr., disse em depoimento no tribunal que os crimes financeiros vinham acontecendo “há tanto tempo como eu me lembro”. Ele começou a trabalhar na empresa em 1975.

Irving Picard, o curador nomeado pelo tribunal para recuperar ativos roubados por Madoff, junto com o Departamento de Justiça, havia recuperado dezenas de bilhões de dólares, distribuindo a grande maioria às vítimas de Madoff. Além disso, a Securities Investor Protection Corporation forneceu US$ 600 milhões em seguro às vítimas.

Madoff nasceu em 29 de abril de 1938 no bairro de Queens, em Nova York, onde conheceu sua esposa Ruth no colégio. Eles tinham dois filhos, os quais trabalhavam para a empresa do pai. Mark se matou em 2010.

O irmão de Madoff, Peter, também cumpriu pena de 10 anos de prisão por seu envolvimento no esquema. Ele foi condenado em 2012.

CNN Brasil

 

Opinião dos leitores

  1. O maior sinônimo de fraude financeira contra os recursos públicos, foi o ex-presidiário Lula da Silva, que provocou um rombo de mais de um trilhão a economia do Brasil, com assaltos aos cofres do BNDS, CEF, PETROBRÁS e BB

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

O duque de Edinburgo partiu: Morre, aos 99 anos, o príncipe Philip, militar que se adaptou ao papel de coadjuvante da rainha da Inglaterra

Foto: ADRIAN DENNIS / AFP

Como consorte real, era incumbência do príncipe Philip acompanhar a cônjuge, a rainha Elizabeth II, em suas tarefas como soberana: visitas oficiais a outros países, jantares e recepções de Estado, discursos de abertura do Parlamento, cerimônias e ritos honoríficos.

Philip, que morreu nesta sexta-feira, aos 99 anos costumava ser discreto sobre o que pensava dessas atribuições. Embora tenha dito que, se pudesse escolher a qual profissão se dedicar, “preferiria ter continuado na Marinha, francamente”, afirmou também, na mesma entrevista ao Independent de 1992, que “tentou tirar o melhor” da vida como coadjuvante.

Sua morte foi anunciada por volta de meio-dia, horário de Londres (8h, horário do Brasil), em um comunicado emitido pelo Palácio de Buckingham:

“É com muito pesar que Sua Majestade, a rainha Elizabeth II anuncia a morte de seu querido marido, Sua Alteza Real, o príncipe Philip, duque de Edinburgo”, disse o Palácio de Buckingham em um comunicado. “[Philip] morreu tranquilamente nesta manhã no Palácio de Windsor. Anúncios subsequentes serão feitos em seu devido tempo. A família real se une ao povo ao redor do mundo no luto por sua perda.”

“É com profundo pesar que Sua Majestade, a rainha, anuncia a morte de seu querido marido, Sua Alteza Real, o príncipe Philip, duque de Edimburgo”, disse o Palácio de Buckingham em um comunicado. “Sua Alteza Real faleceu em paz esta manhã no castelo de Windsor. Outros anúncios serão feitos no momento oportuno. A Família Real se une às pessoas em todo o mundo em tristeza por sua morte”.

Philip e Elizabeth estavam casados desde 1947, cinco anos antes de ela ser alçada ao trono, com a morte do pai, o rei George VI. Tempo para se acostumar a ela não lhe faltou: desde então o duque de Edinburgo tornou-se o mais longevo consorte e o homem mais velho da História da monarquia britânica.

A ascendência nobre não o poupou de uma infância mal-aventurada. Após a Grécia ser derrotada na Guerra Grego-Turca (1919-1922), seu pai, que atuara como comandante militar, foi banido do país, e a família — que, além dos pais, incluía quatro irmãs mais velhas — precisou ir para o exílio. Após uma passagem pela França, em 1928 Philip foi mandado para um colégio interno no Reino Unido.

O jovem príncipe não teria muito mais contato com a mãe durante a infância. Nos três anos seguintes, Alice, surda de nascimento — e que, após o casamento, adotou o nome do marido, e também passou a se chamar “Princesa André da Grécia e Dinamarca” —, foi diagnosticada com esquizofrenia e mandada para um asilo.

Philip, enquanto isso, manteve-se dedicado aos estudos, primeiro na Alemanha, e, em seguida, na Escócia. Aos 18 anos, em 1939, tornou-se cadete da Marinha britânica no Colégio Naval de Dartmouth. Após a declaração de guerra com a Alemanha, em outubro, o jovem chegou a se questionar se deveria voltar para a Grécia, onde a mãe — que mais tarde se tornaria freira — morava após ter saído do asilo, mas seu tio, o Rei Jorge II da Grécia, determinou que continuasse os estudos de guerra naval no Reino Unido.

Seria como cadete que o príncipe conheceria seu grande amor. Também em 1939, a família real visitou Dartmouth, e Philip foi encarregado de ciceronear Elizabeth, então com 13 anos, e a irmã, Margareth. O charme e a vivacidade de Philip, que, na juventude, lhe renderam casos amorosos com atrizes e socialites, cativaram também Elizabeth, e os dois começaram uma relação por cartas.

A mão de Elizabeth

Após a guerra — na qual participou de algumas batalhas, sem envolvimento particularmente notável, mas com algumas condecorações e méritos, como ter se tornado tenente aos 21 anos —, finalmente pediu permissão a George VI para pedir a mão de sua filha, em 1946. O rei autorizou, contanto esperasse o ano seguinte, quando a princesa já teria 21 anos. Em março de 1947, Philip abandonou os títulos grego e dinamarquês. O casamento, que foi transmitido pela televisão, aconteceu em 20 de novembro daquele ano, mesma data em que foi nomeado Duque de Edimburgo.

Segundo Philip, no começo, sua esperança era conciliar a carreira promissora na Marinha com as atividades ao lado da mulher. Entre 1949 e 1951, esteve destacado em Malta, onde Elizabeth o acompanhou. Segundo biógrafos da rainha, seriam os anos em que o casal seria mais feliz. A morte prematura de George, em 1952, que levou ao coroamento da mulher aos 27 anos, selou o destino de Philip como príncipe-consorte.

— Eu pensava que poderia ter uma carreira na Marinha, mas se tornou óbvio que não havia esperança — afirmou, segundo o tabloide Express. — Não havia escolha. Só aconteceu. Você precisa fazer compromissos, assim é a vida.

O desligamento da vida militar seria compensado com atividades ao ar livre e esportes, como a corrida de charretes, modalidade que ajudou a aprimorar. Ao longo da vida, Philip também praticou diversos outras atividades comuns à mais restrita elite britânica, como vela e polo, além de ter aprendido a pilotar aviões. Mais polêmico era o gosto por caçadas, a javalis, patos, bisões e, no mínimo, um tigre, morto na Índia em uma viagem de 1961.

O clichê masculino e aristocrático também era perceptível em suas declarações e piadas, frequentemente recebidas como politicamente incorretas ou gafes. Para um estudante que voltava da Papua Nova Guiné, perguntou “como ele tinha escapado de ser comido”; ao presidente da Nigéria, que usava uma roupa tradicional, disse que parecia vestir um pijama; durante a recessão de 1981 no Reino Unido, perguntou por que, “se todos queriam mais lazer”, agora reclamavam do desemprego. Estas afirmações, em sua própria avaliação, ajudaram a consolidar uma imagem de “um velho cafajeste”.

Apesar disso, ajudou mais de 800 organizações de caridade, principalmente nas áreas da educação, indústria, esporte e meio ambiente. Neste último tópico, manteve uma atuação viva, e foi o primeiro presidente do World Wildlife Fund (WWF).

Philip e Elizabeth tiveram quatro filhos, o príncipe Charles, a princesa Anne, o príncipe Andrew e o príncipe Edward, nascidos entre 1948 e 1964. O Duque de Edimburgo incomodava-se de não poder batizar as crianças com o próprio sobrenome, pois Elizabeth queria manter o nome da Casa Real de Windsor. A divergência foi resolvida com um acordo em 1960, quando o casal decidiu que, embora a casa fosse continuar a se chamar Windsor, os descendentes carregariam também o sobrenome Mountbatten, versão inglesa do Batemberga de sua família materna que omitia o vínculo com a Alemanha.

A aposentadoria dos deveres reais aconteceu em agosto de 2017, aos 96 anos. Philip cumpriu neste período 22.219 compromissos oficiais, e, em 20 de novembro daquele ano, completou o 70º aniversário de casamento com a rainha, que foi a primeira monarca britânica a comemorar um aniversário de casamento de platina.

Em 2011, em seu aniversário de 90 anos, Philip disse, em um especial da BBC, que aprendeu a cumprir o seu papel de consorte real “por tentativa e erro”.

— Não havia nenhum precedente — ele disse. — Se eu perguntasse a alguém “o que você espera de mim”, todos me olhavam sem dizer nada. Eles não faziam ideia, ninguém tinha muita ideia.

A causa da morte de Philip não foi revelada pela Coroa britânica, mas o príncipe permaneceu internado por um mês internado, tendo alta no último dia 16, a princípio por uma infecção e depois por uma cirurgia cardíaca.

O Globo

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esporte

Campeã da São Silvestre, Roseli Machado morre de covid-19 aos 52 anos

Foto: © Tião Moreira/Divulgação/CBAt

Faleceu nesta quinta-feira (8), aos 52 anos, a ex-fundista Roseli Aparecida Machado, vítima do novo coronavírus (covid-19). Segunda brasileira a vencer a Corrida Internacional de São Silvestre na história e atleta olímpica nos Jogos de Atlanta (Estados Unidos), no mesmo ano, Roseli estava internada em Curitiba. De acordo com a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), ela foi entubada há duas semanas e não resistiu à doença.

Natural de Coronel Macedo (SP), Roseli cresceu em Santana do Itararé (PR). Começou a praticar atletismo aos 14 anos em Londrina (PR) e destacou-se nas provas de longa distância. Em 1996, ficou em 22º lugar na prova dos cinco mil metros em Atlanta, após levar uma pisada no calcanhar na corrida, e foi campeã da São Silvestre, completando os 15 quilômetros do percurso no tempo de 52 minutos e 32 segundos.

A paulista teve de encerrar a carreira em 1997, por conta de uma cirurgia malsucedida, mas seguiu ligada ao esporte. Formou-se em Educação Física e se especializou em Fisiologia do Exercício, passando a trabalhar como treinadora de atletismo a partir de 2002. Atualmente, tinha uma pequena empresa no ramo da construção civil.

“A Roseli teve uma história no atletismo brasileiro, venceu a São Silvestre, integrou a seleção brasileira, treinou nos Estados Unidos. Nós tínhamos uma grande amizade, fomos atletas pelo mesmo clube, treinamos juntos quando eu era juvenil, defendemos Londrina no começo das nossas carreiras. Estou muito sentido, vem as lembranças… Treinamos juntos na pista de Londrina quando era de saibro ainda”, disse o presidente do Conselho de Administração da CBAt, Wlamir Motta Campos, em nota divulgada pela entidade.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Quem tem vida saudável, tem mais chances no geral, não número isolado. Sedentário ,alcoólatra, religioso…ou da tua laia preguiçosa,os números estão aí: cês são 93% dos óbitos.

    1. Nosso capitão do mato, foi atleta também! Tiro de mer…a a distância e foi só uma gripezinha

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Ator João Acaiabe, o Tio Barnabé do ‘Sítio do Picapau Amarelo’, morre vítima da Covid-19 em SP

Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

O ator João Acaiabe, o Tio Barnabé do “Sítio do Picapau Amarelo”, morreu em São Paulo, na noite de quarta-feira (31), aos 76 anos, vítima da Covid-19.

A família informou que o artista testou positivo no dia 15 de março. Na data, a capital paulista começava a vacinar os idosos da faixa etária, e, na véspera o ator chegou a comemorar a iminência da imunização nas redes sociais.

O quadro de saúde piorou e ele foi internado no Hospital Sancta Maggiori, na Mooca, no dia 21. No ano passado, o ator informou em entrevista que havia sido diagnosticado com insuficiência renal e estava na fila por um transplante de rim.

Ainda de acordo com parentes, ele foi intubado na manhã desta quarta-feira (31) e faleceu após sofrer duas paradas cardíacas.

O sepultamento acontecerá na cidade de Espírito Santo do Pinhal, na região de Campinas, interior de São Paulo, onde nasceu.

Uma das filhas do Acaiabe, Thays, homenageou o pai nas redes sociais: “Guardarei no coração tudo o que vivemos e a referência que você é para a nossa família! Gratidão, meu pai. Que os espíritos de luz te recebam em Aruanda até que a gente se encontre novamente, porque almas gêmeas nunca se separam!”, escreveu.

O perda do ator também repercutiu muito entre amigos, fãs e colegas. “Quantos papos bons meu amigo, como era bom lhe ouvir contar histórias da nossa gente. O primeiro homenageado do nosso Samba pra Nossa Senhora, agora vamos contar a nossa gente a sua grandiosa história. Obrigado irmão”, escreveu.

A atriz Giovanna Grigio, que contracenou com João Acaiabe na novela “Chiquititas”, destacou sua generosidade. “A gente passou texto várias vezes juntos e foi amor à primeira cena. Ter você como professor e amigo, escutar suas histórias e aprender com você com certeza foram dos maiores privilégios da minha vida! Eu já te amava antes e vou te amar pra sempre. 🖤 Obrigada por tudo!”, compartilhou nas redes sociais.

Carreira

João Acaiabe iniciou sua carreira artística ainda na adolescência, trabalhando como locutor de rádio. Estudou teatro na Escola de Arte Dramática de São Paulo (EAD) e, nos anos 1970 e 1980, trabalhou com Plínio Marcos nas peças Barrela e Jesus Homem.

Atuou em 4 novelas na TV Tupi, antes de ir para a TV Cultura, entre 1978 e 1983, onde conquistou destaque no programa infantil Bambalalão, onde contava histórias para as crianças da plateia.

Na emissora, e, em seguida, na TV Bandeirantes, atuou em diversas novelas, até chegar a Rede Globo, em 1985, para “Tenda dos Milagres”, de Aguinaldo Silva.

Em 1986, estrelou o curta-metragem “O Dia em que Dorival Encarou a Guarda”, dirigido por Jorge Furtado e José Pedro Goulart, que lhe rendeu o prêmio de melhor ator e o Kikito, prêmio máximo do Festival de Gramado.

Participou de ao menos 23 filmes, como “Eles Não Usam Black-tie” (1981) e “Casa de Areia” (2005), ambos com Fernanda Montenegro.

Entre 2001 e 2006, deu vida ao Tio Barnabé, no Sítio do Picapau Amarelo, e, em 2018, participou da novela “Segundo Sol” como o pai de santo Didico, na TV Globo.

Entre 2013 e 2015, atuou como Chefe Chico, no remake de “Chiquititas”, no SBT.

G1

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Estudante de medicina de 25 anos morre de Covid-19 menos de 48 horas após perder o pai para a doença em Natal

Fotos: Redes sociais/Arquivo da família

Em menos de 48 horas, pai e filha morreram vítima da Covid-19 em Natal. Estudante de medicina e com apenas 25 anos de idade, Emilly Cavalcante Belarmino não resistiu à doença e faleceu na madrugada desta quarta-feira (31) em Natal, após perder o pai – o médico e ex-prefeito de Ruy Barbosa – João Joaquim Cavalcante Neto, de 61 anos, na segunda (29).

Emilly Belarmino cursava o 5º ano de Medicina na Argentina e estava no Brasil desde o segundo semestre de 2020, por causa da pandemia. Reportagem completa do G1-RN aqui.

Opinião dos leitores

  1. Também soube que tinha tomado as duas doses,a secretaria de saúde tem que investigar,ou então a vacina não é tão segura.Será que estava sem ação imunizante?
    instigante….

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Funcionária mais antiga em atividade no Hospital Santa Catarina morre vítima de Covid

A assistente técnica em saúde, Francisca de Assis de Souza Soares, de 61 anos, faleceu na noite desse domingo (28), em decorrência de complicações causadas pelo Covid-19. Francisquinha ou Fran, como era chamada, era servidora da Secretaria Estadual de Saúde Pública do Rio Grande do Norte e atuava no Hospital Dr. José Pedro Bezerra, mais conhecido como Hospital Santa Catarina, desde julho de 1985, sendo a funcionária mais antiga em atividade com 36 anos de serviços prestados naquela unidade.

Internada desde o último dia 06 no Hospital do Coração, Francisca de Assis precisou ir para a UTI e, desde então, não obteve melhora no quadro. Nesse domingo, sem responder aos estímulos e medicações, os exames atestaram o óbito. Dona Francisquinha, que já havia vencido um câncer em 2018, deixa o esposo, seu José da Paixão Soares, seu Zezinho, três filhos e três netos.

Opinião dos leitores

  1. Ouuu meu Deus! Não sabia que Francisca estava c COVID. Grande profissional, Deus conforte os corações dos amigos e Familiares.
    Minha homenagem e Meu eterno carinho e Gratidão caríssima. 🙏🏼🙏🏼🙏🏼

  2. Por ser da linha de frente, provavelmente havia tomado as 2 doses. É importante saber qual o lote e qual o laboratório…Quais os dias das aplicações e o dia do resultado positivo…

  3. theBoy, você está um pouco enganado, a eficácia das vacinas variam para o contágio. Exemplo: a CoronaVac tem em torno de 50% de eficácia para contágio, ou seja, a cada 2 pessoas imunizadas 1 vai pegar a covid, e a eficácia de 100% para casos graves, ou seja, essa pessoa que pegou não vai agravar. Mas nesse caso, tem que ver o que aconteceu, não adianta criar pânico sem antes saber o que aconteceu, nesse caso.

  4. Dona Francisca dedicou sua vida a profissão, lutou até o fim e hoje descansa nos braços do pai.

  5. A vacina não será um imunizante total, as possibildades de se contrair ainda é real. Mas é o que temos no momento, acredito que iremos combater através de três fatores, protocolos sanitários, vacinas e os protocolos profiláticos. Acredito que teremos que continuar nesta tríade até o controle da situação.

  6. Verdade theBoy, nenhuma vacina até o momento confere garantia de não reinvenção, todas as vacinas fabricadas até aqui tem variantes de eficácia na imunização. Dizer que vacinar é garantia de imunidade é mentir, devemos continuar com todos os cuidados preconizados para o combate a contaminação. Infelizmente há muita desinformação e desleixo dos gestores e população, e muita politização.

  7. Impressionante como não conseguimos respeitar a dor do outro. Colocando sempre a frente a política. Ao invés de estarmos nos solidarizando com as perdas estamos tentando culpar ou omitir responsabilidades. A querida amiga contraiu o vírus e faleceu, mesmo diante dos risco ela trabalhava em uma unidade de risco com um amor gigantesco pelo que fazia e pelo outro. Vá em paz, que Deus conforte o coração dos que ficam.

  8. O converseiro de MERDA precisa se alimentado. Os cientista dos blogs e dos grupos de uatizap estão sem informação! É verificar os comentários.

    1. Eu acho que sim, se realmente ela tomou estamos sem saída, só Deus mesmo para nos ajudar

    2. Conhecia 1 que tinha tomado as 2 coronavac e faleceu tb.

    3. Amigos, a vacina não resolve 100% dos problemas, independente se é da China, Oxford…

      Tem que ter gente politizando tudo. Se ela não tivesse tomado aí sim poderiamos dizer alguma coisa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Morre de covid-19 o ex-deputado Haroldo Lima, dirigente histórico do PCdoB

Foto: Reprodução/Instagram

O ex-deputado federal baiano Haroldo Lima, dirigente histórico do PCdoB, morreu na madrugada desta quarta-feira (24), em Salvador, em decorrência da covid-19. Haroldo, que tinha 81 anos, também presidiu a Agência Nacional de Petróleo (ANP) no governo Lula. Ele estava internado há duas semanas em um hospital da capital baiana. Com o agravamento da doença, foi transferido para uma UTI, onde estava intubado desde sexta-feira.

Um dos fundadores da Ação Popular (AP), movimento de luta armada criado para combater a ditadura, Haroldo foi deputado entre 1983 e 2003. Na juventude também foi dirigente da União Nacional dos Estudantes (UNE).

“Lamentamos profundamente a irreparável perda de um dos mais destacados quadros nacionais do PCdoB nas últimas décadas e prestamos irrestrita solidariedade aos familiares, aos amigos e aos militantes neste momento de dor. O exemplo de abnegação, de coragem, de firmeza, daquele que dedicou a vida à luta em defesa da democracia e da liberdade, e pela construção de uma sociedade mais justa e fraterna, é o legado que Haroldo Lima deixa para a geração que prosseguirá a luta pelo socialismo”, diz a nota da direção estadual do PCdoB na Bahia, ao anunciar a morte do político.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), também manifestou pesar pela morte de Haroldo.

Congresso em Foco

Opinião dos leitores

  1. Será que aquela dupla que estava comemorando a morte do Major Olímpio vai comemorar essa também?

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

VÍTIMAS DA COVID: Marido sargento do Corpo de Bombeiros do RN morre 12 dias após esposa servidora do TJ

Foto: Reprodução/Caminhandoparasantidade

Um jovem casal conhecido na comunidade católica em Natal é mais uma vítima de covid-19 no Rio Grande do Norte. O sargento da ativa do Corpo de Bombeiros, Francisco Fábio de Souza Silva(50 anos), faleceu nesta segunda-feira(22). No dia 10 de março, a sua esposa, Cristiane Regina da Silva(43 anos), servidora da Escola de Magistratura do Rio Grande do Norte(Esmarn), também não resistiu as complicações do vírus.

Abaixo a nota de pesar do Corpo de Bombeiros do RN:

Abaixo, homenagem da Esmarn em 11 de março:

Opinião dos leitores

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política

Major Olímpio, líder do PSL no Senado, morre vítima da Covid-19

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil (22.jan.2019)

O senador Sérgio Olimpio Gomes, conhecido como Major Olimpio (PSL-SP), morreu nesta quinta-feira (18) devido a consequências da Covid-19, aos 58 anos. A informação foi confirmada nas redes sociais do parlamentar.

“Com muita dor no coração, comunicamos a morte cerebral do grande pai, irmão e amigo, Senador Major Olimpio. Por lei a família terá que aguardar 12 horas para confirmação do óbito e está verificando quais órgãos serão doados. Obrigado por tudo que fez por nós, pelo nosso Brasil”, diz a mensagem divulgada no Twitter do senador.

Diagnosticado com o vírus no dia 2 de março, o líder do PSL no Senado foi intubado duas vezes, uma no dia 6 de março, da qual se recuperou e foi extubado no dia 9, e a segunda no dia 10.

A infecção pelo novo coronavírus pode ter acontecido em uma visita ao Congresso Nacional com o objetivo de pedir verbas para emendas parlamentares. O senador estava internado no Hospital São Camilo, em São Paulo.

Caso aceite assumir o posto, o sucessor de Olimpio será Alexandre Luiz Giordano. O segundo suplente, que passa a ser o primeiro a partir de agora, é o ministro da Ciência e Tecnologia do governo Bolsonaro, o ex-astronauta Marcos Pontes.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Giordano tem 48 anos, se identificou como empresário e se elegeu filiado, assim como Olimpio, ao Partido Social Liberal (PSL), legenda a que pertencia o presidente Jair Bolsonaro, hoje sem partido.

Olimpio foi o terceiro senador brasileiro que morreu por causa da Covid-19. Em fevereiro, José Maranhão (MDB-PB) morreu por causa de complicações decorrentes da doença. Em outubro, Arolde de Oliveira, do PSD do Rio de Janeiro, morreu após contrair o novo coronavírus.

Trajetória na política

Olimpio nasceu em Presidente Venceslau, cidade no interior do estado de São Paulo. Se formou como policial militar aos 20 anos e exerceu a função por 29 anos. Ele se elegeu a um cargo público pela primeira vez em 2006, como deputado estadual pelo Partido Verde de São Paulo. Ele permaneceu na legenda até 2010, quando filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

O parlamentar ascendeu defendendo a melhora na remuneração de policiais, utilizando slogans como “Polícia nota 10, salário nota 0”. No PDT fez oposição ao PSDB de São Paulo durante seus mandatos como deputado estadual. Em seu segundo mandato, foi líder do partido na Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo).

O major desligou-se do partido em 2015, quando juntou-se ao recém-criado PMB (Partido da Mulher Brasileira), e, quatro meses depois, ao Solidariedade (SD). No mesmo ano ele assumiu seu mandato de deputado federal.

Oposição ao PT

Nos anos seguintes, na Câmara, Olimpio começou a se destacar como forte oposição aos governos do PT (Partido dos Trabalhadores), chamando a atenção com um episódio no qual gritou “vergonha” durante a posse do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil do governo Rousseff e foi retirado do local por seguranças.

Em 2016 candidatou-se à prefeitura da capital paulista pelo Solidariedade, mas recebeu apenas 2,02% dos votos.

Enquanto deputado federal, o major fez críticas à presidência de Dilma Rousseff e, posteriormente, de Michel Temer (PMDB), ganhando notoriedade nas redes sociais. Em 2018, Olimpio se filiou ao PSL, partido do na época candidato à Presidência Jair Bolsonaro.

Nas eleições deste mesmo ano ele lançou sua candidatura ao Senado e foi eleito como o mais votado do estado de São Paulo, alinhado às pautas de Bolsonaro, principalmente na esteira de armamento à população e defesas corporativas a policiais.

O presidente e o senador se distanciaram após a saída de Bolsonaro do PSL e devido a tensões entre o governo e a Operação Lava-Jato.

Durante a pandemia da Covid-19, Olimpio fez diversas críticas às medidas de João Doria (PSDB), principalmente em relação às restrições à circulação aplicadas pelo governador paulista. O parlamentar chegou até mesmo a protocolar um pedido de impeachment contra o tucano em abril de 2020.

Foto: Reprodução/Twitter

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Só sabe quem perdeu um filho como eu e o mesmo contraiu em uma UPA agora os filhos de quem os pais bancam são quem estão propagando. Mas agora aqui em Natal está pegando jovens e crianças.

  2. Fez campanha contra lokedawn pagou com a vida infelizmente, a ignorância mata e escorrendo em sangue.

    1. Onde o lockdown foi solução no mundo? Que país, cidade ou município que adotou o lockdown resolveu a questão do covid? Cite 01?
      Vocês são uns generalistas ideologicamente afetados que não conseguem entender nada, mas eu entendo que é falta de capacidade em raciocinar e admitir o certo.
      Argentina, França, Itália e EUA que adotaram o lockdown resolveu?
      Enquanto o México, a Índia, o Peru, a África, o Uruguai que adotaram a ivermectina preventivamente para toda população tem o número menor de mortes que todos os locais que teimam em não adotar a medicação – fato!

    2. Caraca, veio! É inocência de alguém muito jovem ou ignorância BRUTAL mesmo de alguém fanático ideologicamente e que vive olhando fake news no celular?! O que foi feito e que ainda está sendo feito em países como Reino Unido e Alemanha é o que ajudou e está ajudando, em muito, a evitar centenas, ou até mesmo milhares, de mortes. Se ainda ocorre é porque a batalha é longa contra esse vírus. E graças a boa parte de jovens, até bem grandinhos, geralmente de família bem financeiramente, é que esse vírus está ganhando sobrevida, em aglomerações totalmente desnecessárias, como carnavais. Não distorça o que as pesquisas e os cientistas já provaram e corroboram, aqui e mundo afora: o distanciamento salva e vai evitar a propagação do vírus e suas mutações. É por pessoas totalmente insanas e que distorcem a realidade pra si que outros inocentes acabam caindo no conto e provocando o aumento desse caos em que vivemos. Tenha mais respeito pelos outros e procure por notícias em canais oficiais da imprensa e não essa grande baboseira que estão a inundar os celulares com notícias falsas.

    3. Lockdown não serve pra curar ninguém, o objetivo eh amenizar a propagação e evitar lotação desenfreada dos hospitais! Diversos países fizeram lockdown por esse motivo. Se a ivermectina virou o remédio milagroso da vez e afirmam que estão usando lá, pq os casos estão crescendo por lá?

    4. Auckland, capital da Nova Zelândia. Adelaide na Austrália e várias outras…

    5. Quem não faz campanha morre também.
      Fique esperto.
      Não escolhe cara.
      O próximo pode ser vc.

    6. Aí vc vai pesquisar e não encontra sequer uma fonte oficial afirmando que Uruguai, México etc. usaram vermífugo. Somente em blogs apoiadores do governo genocida vc encontra essa informação.

    7. Vou citar apenas um país: Nova zelândia. Veja o que houve por lá. Com mais um esforço encontrará outros países.

    8. E quem morre sem fazer campanha, qual é a narrativa de vocês? Deveria não morrer ,né? A covid tá pior no Brasil porque virou palanque.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Eliete, esposa de Nilson Buffet, morre por complicações da covid duas semanas após o falecimento do marido

Foto: Reprodução

No dia 03 de março, a covid levou mais um grande profissional de eventos. Nilson Viana Barreto (Nilson Buffet), que depois de entubado sofreu parada cardíaca.

Nilson era esposo de Eliete, que também se encontrava internada com complicações do vírus. Infelizmente, nesta quarta-feira(17), também sofreu uma parada cardíaca e não resistiu.

Ficam os sentimentos do Blog a todos os familiares.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Campeão mundial pelo Corinthians, ex-volante Gilmar Fubá morre aos 45 anos

 Foto: Rodrigo Coca / Ag.Corinthians

O ex-jogador Gilmar Fubá, campeão mundial pelo Corinthians em 2000 e bastante identificado com o clube, morreu nesta segunda-feira, aos 45 anos.

Desde 2016, Gilmar Fubá fazia tratamento contra um mieloma múltiplo, um tipo de câncer de medula óssea.

Ele descobriu a doença após sofrer uma pneumonia. Uma biópsia feita em caroços que estavam aparecendo em seu corpo diagnosticou o câncer, já em estágio avançado.

Gilmar Fubá nasceu em São Mateus, bairro da Zona Leste de São Paulo, e foi formado na base corintiana. Pelo Timão, ele disputou 131 jogos, entre 1996 e 2000, tendo marcado quatro gols.

Além de conquistar o Mundial, o ex-volante participou das campanhas do título do Paulistão de 1997 e dos Brasileiros de 1998 e 1999.

Depois de defender o Corinthians , ele se transferiu para o Fluminense, rodou por diversas outras equipes do Brasil e ainda atuou por Schalke 04, da Alemanha, e Ulsan Hyundai, da Coreia do Sul.

Leia a nota oficial do Corinthians:

“O Sport Club Corinthians Paulista manifesta seu pesar pela precoce morte de Gilmar Fubá. Carismático ex-atleta corinthiano, ele faleceu nesta segunda-feira aos 45 anos, vítima de um câncer que o acometeu pela segunda vez. Muito querido por todos os ex-companheiros e pela Fiel Torcida, ele estava internado no hospital São Luiz, em São Paulo.

Gilmar de Lima Nascimento nasceu em 13 de agosto de 1975, na zona leste da capital paulista. Cria da base alvinegra, ele foi revelado para a equipe profissional em 1996. No Corinthians, conquistou seu primeiro título em 1997, no Campeonato Paulista. Depois, integrou a equipe campeã do Brasileirão em 1998, tendo disputado parte do primeiro jogo da final – ele sofreu uma lesão no joelho que o deixou afastado por um ano.

Gilmar Fubá, que ganhou esse nome por ter recebido mamadeira de fubá da mãe na infância por falta de leite, também foi parte do elenco que conquistou o Brasileiro em 1999 e o Mundial em 2000, ano em que deixou o clube. Ele realizou 131 partidas e anotou quatro gols com a camisa alvinegra. Depois, já como ex-atleta, trabalhou nas categorias de base do Timão. Além disso, integrava a equipe Máster, que realiza jogos de exibição pelo País.

O Corinthians se une aos parentes, amigos e fãs do atleta neste momento de muita dor pela perda inestimável de Gilmar Fubá, que sem dúvida será lembrado pelo seu bom humor e pelos títulos conquistados no Timão. Sem dúvida, deixará saudades”.

Globo Esporte

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Criança de 6 anos morre em Natal por complicações da Covid-19

O portal G1-RN destaca em reportagem nesta quarta-feira(10) que uma criança de 6 anos de idade morreu com Covid-19 nesta quarta-feira (10) em Natal. A menina, que morava em São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana, estava internada em um hospital privado da capital potiguar desde o dia 19 de fevereiro e não resistiu a complicações causadas pela doença.

A família da menina falou à Inter TV Cabugi que ela estava intubada há alguns dias, mas não quis dar entrevistas e pediu para a identidade da criança ser preservada. A Secretaria Estadual de Saúde ainda confirmou que criança tinha obesidade e asma – comorbidades que podem agravar a doença. Mais detalhes AQUI.

Opinião dos leitores

  1. Criança foi internada com derrame pleural, proveniente de uma pneumonia bacteriana, com quadro de obesidade infantil e asma. Provavelmente pegou Covid no hospital. Precisa que as informações sejam repassadas com muita precisão para não gerar pânico! Covid é grave, mas não pode ser utilizado para defender teses sem comprovação científica.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Empresário José Carlos, dono do Grupo São Braz e da Rede Paraíba de Comunicação, morre vítima de covid-19

(Foto: Reprodução)

Faleceu nesta sexta-feira (05) em decorrência da Covid-19 o empresário paraibano José Carlos da Silva Júnior, dono do Sistema Paraíba de Comunicação e do Grupo São Braz. Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, desde o dia 18 de fevereiro após testar positivo para a covid-19 e acabou não resistindo a uma parada cardiorrespiratória. De acordo com informações obtidas pelo ClickPB, inicialmente José Carlos não manifestou sintomas do novo coronavírus, mas foi internado mesmo assim como forma de prevenção, já que possuía comorbidades e em razão da idade avançada.

José Carlos tinha 93 anos de idade e já ocupou o cargo de senador da Paraíba entre os anos de setembro de 1996 e janeiro de 1997 e de junho a novembro de 1999, quando suplente de Ronaldo Cunha Lima. Ele também foi vice-governador da Paraíba de 1983 a 1986, durante a gestão de Wilson Braga.

Natural de Campina Grande, José Carlos era casado com Virgília Henriques de Oliveira Carlos, que faleceu em 2015 aos 89 anos de idade. Ele deixa três filhos: Ricardo Carlos, Eduardo Carlos e Eliane Freire.

Ainda no início da pandemia de covid-19, José Carlos perdeu um neto vítima da doença. Mateus Carlos tinha 34 anos de idade e faleceu no dia 30 de março de 2020, quando estava internado no Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa. Mateus foi um dos primeiros paraibanos a falecer em decorrência do novo coronavírus.

O empresário Eduardo Carlos, pai de Mateus e filho de José Carlos, permanece internado em São Paulo, no Hospital Sírio Libanês se tratando da covid-19. Ele foi internado pouco após o seu pai.

Click PB

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Morre ambulante Barruada, famoso por pedir fim de doações após ganhar ‘o suficiente’

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Morreu na madrugada desta terça-feira no Recife, Pernambuco, o vendedor ambulante João Antônio, de 73 anos, conhecido como Barruada. No ano passado, ele chamou atenção por pedir o fim de uma campanha de doações organizada para ajudá-lo em meio à crise causada pela pandemia de Covid-19. Na época, em vídeo, ele disse que o valor arrecadado já era suficiente “para vencer a batalha” e pediu que a “parassem um pouco” com as doações.

Barruada trabalhou durante mais de 20 anos vendendo cachorro-quente na porta do colégio Salesiano, no Centro da capital pernambucana. Segundo a “Rádio Jornal”, ele sofreu uma parada respiratória. O sepultamento será realizado nesta manhã no cemitério Santo Amaro. Ele deixa três filhos e cinco netos.

“Meu pai era um exemplo de honestidade. Sempre foi muito sincero e guerreiro”, disse Camila Maria da Silva, de 26 anos, uma das filhas do vendedor.

Extra – O Globo

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *