“Vamos desenhar uma rampa de ascensão social para estimular”, diz Paulo Guedes, sobre ações do Governo que miram aumento do emprego

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o governo vai conectar os programas sociais voltados para a população de baixa renda ao mercado de trabalho formal.

“Vamos subir o valor da assistência social e ampliar sua base de alcance, mas também conectar as políticas de assistência social com os mercados de trabalho. Vamos desenhar uma rampa de ascensão social para estimular”, disse o ministro.

Guedes participou nesta segunda-feira (13) de conferência virtual da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Na visão dele, os melhores programas sociais são aqueles que oferecem também uma saída para o mercado de trabalho formal. “Para isso precisa de treinamento da mão-de-obra, microcrédito, imposto de renda negativo (nome dado ao pagamento de uma renda ao trabalhador pelo governo). Vamos nessa direção, valorizando o capital humano e dando dignidade ao trabalho”, comentou.

A fala do ministro foi uma referência às ações do governo que serão voltadas para o aumento do emprego CLT, com carteira de trabalho. Com o programa de auxílio emergencial durante a pandemia, o governo identificou mais de 38 milhões trabalhadores informais, em situação de vulnerabilidade social.

“A pandemia expôs essa fragilidade e profunda desigualdade no sistema econômico brasileiro. Estamos programando nossa saída da crise com uma forte dimensão social, reconhecendo essa desigualdade social que existe no Brasil e que a pandemia revelou em dimensões maiores”, completou.

Crescimento sustentável

Ainda de acordo com o ministro, a retomada da atividade econômica após a pandemia será dentro de um contexto de crescimento sustentável. “O Brasil sabe da importância da preservação do meio ambiente, sabe da importância do crescimento sustentável, não só do ponto de vista fiscal mas também ambiental. Se há excessos e erros, corrigiremos”, afirmou.

Para Guedes, o fato de o Brasil ser um país de tamanho continental dificulta a fiscalização das práticas ambientais ilegais. “Não aceitaremos o desmatamento ilegal e a exploração ilegal de recursos. Queremos ajuda e compreensão da comunidade mundial”, disse.

No entanto ele reforçou que o Brasil não abrirá mão da soberanaia sobre seus recursos naturais. “Queremos ajuda, mas não aceitamos falsas narrativas do que aconteceu no Brasil nas últimas décadas. Muita gente se esconde atrás de políticas e interesses protecionistas condenando o Brasil. Precisamos de cooperação e por isso queremos entrar na OCDE, queremos melhores padrões”, ressaltou.

Integração global

O ministro voltou a dizer que as exportações brasileiras foram menos impactadas pelos efeitos da pandemia da Covid-19 do que o esperado. “A ruptura das cadeias globais não atingiu tanto o Brasil. A queda nas vendas para parceiros como Estados Unidos, Argentina e mesmo para União Europeia foi compensada por maiores exportações para a Ásia, particularmente para China”, explicou.

Na avaliação dele, isso é mais um fator de estímulo para a entrada do país na OCDE. “Queremos aumentar o grau de integração da economia brasileira, que ficou fechada por muito tempo. À medida que essa onda da pandemia vá se afastando, vamos nos integrar à economia global e à nossa economia regional”, destacou.

CNN Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Romilson Cunha disse:

    Na contramão mão de tudo isso. Todos os dias centenas de trabalhadores estão sendo demitidos na Guararapes Confecções. Muita gente mesmo indo pra rua. Cadê o programa de proteção ao emprego governadora?

  2. Morador indgnado disse:

    Na contramão mão de tudo isso. Todos os dias centenas de trabalhadores estão sendo demitidos na Guararapes Confecções. Muita gente mesmo indo pra rua. Cadê o programa de proteção ao emprego governadora?

  3. Zé Verdades disse:

    Na contramão mão de tudo isso. Todos os dias centenas de trabalhadores estão sendo demitidos na Guararapes Confecções. Muita gente mesmo indo pra rua. Cadê o programa de proteção ao emprego governadora?

  4. Marcos Benício disse:

    Ascensão social? Faz-me rir!

  5. Santos disse:

    Noticia boa.
    Importante reconhecer que precisa de adaptação, esse tal liberalismo da escola de Chicago, se funciona ou funcionou um dia, deve ser lá pras bandas de Chicago, aqui no Brasil é diferente, funciona incluindo o pobre na receita da União.
    Parabéns, pela mudança. Antes tarde do que nunca.

  6. Cidadão pagador de impostos disse:

    Só leriado desde o início do governo Bolsonaro.
    Paulo Guedes nunca apresentou resultado. Só promessas!
    E ainda quer aumentar ainda mais a carga tributária.
    MORO 2022

    • M.D.R. disse:

      Ministro PAULO GUEDES, travar, dificulta e aborta . O exemplo é reposição da inflação do IMPOSTO DE RENDA, de 103,96% que congelou o contribuinte pagou mais IMPOSTO.

Estímulo do clitóris pode ser importante para quem quer engravidar, diz estudo

Foto: shutterstock

O clitóris sempre foi pensado como o único órgão humano projetado puramente para o prazer. Mas o estímulo do clitóris pode desempenhar um papel importante na reprodução, de acordo com o Roy Levin, especialista em excitação feminina na Universidade de Sheffield, Inglaterra.

Porque o estímulo do clitóris auxilia no encontro do óvulo e do espermatozóide?

Segundo o cientista, o estímulo do órgão sexual desencadeia mudanças que tornam as condições dentro do corpo ideais para a concepção. O aumento do fluxo sanguíneo vaginal e lubrificação, que tornam o sexo mais agradável, também ajudam o esperma a viajar em direção ao óvulo. Esse estímulo também pode levar a um aumento do oxigênio e da temperatura no sistema reprodutor feminino, mantendo o sêmen saudável durante toda sua “jornada”.

Mas, o fator mais importante, de acordo com a pesquisa, é que estimular o clitóris leva a uma mudança na posição do colo do útero, a abertura para o útero onde o esperma é depositado. O colo do útero é um pequeno canal que fica no topo da vagina, durante a excitação sexual, a vagina se alonga, o que puxa o colo do útero para cima e ele fica posicionado fora do caminho.

Essa mudança de posição impede que os espermatozoides viajem rápido demais até o útero, de acordo com o especialista, o que dá a eles tempo para se tornarem móveis e ativados para fertilizar o óvulo, escreveu o médico no relatório publicado na revista Clinical Anatomy .

O que acontece depois que o sêmen entra?

Depois que o sêmen é depositado, a ativação da cauda dos espermatozóides é suprimida até que eles estejam a uma distância relativamente curta do óvulo. Isso dá a eles uma chance maior de alcança-lo antes de esgotar seu suprimento de energia.

Em entrevista ao Daily Mail , Levin afirma: “O mantra frequentemente repetido, de que a única função do clitóris é induzir o prazer sexual, agora está obsoleto. O conceito muda uma grande crença sexual, e as evidências fisiológicas são agora óbvias”.

A pesquisa

O cientista analisou 15 estudos de 1966 a 2017 e a conclusão de seu relatório é contrária a maioria das pesquisas que concluíram que a função do clitóris está ligada meramente ao prazer: o órgão é uma massa de nervos, músculos e vasos sanguíneos que se enchem de sangue e ficam eretos quando despertados. Durante o estímulo do clitóris, a ponta se afasta do lugar original e ele torna-se aumentado e firme.

Anteriormente, pensava-se que o estímulo do clitóris tinha uma função indireta na reprodução, porque acaba levando ao sexo, por meio da promessa de prazer.

IG, via Women’s Health

Programa do governo federal de estímulo a emprego entrará em vigor em janeiro de 2020

Foto: Arquivo

O lançamento do pacote para estimular a geração de empregos no país foi adiado para a próxima semana. Havia expectativa de que as medidas fossem anunciadas pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, mas o Palácio do Planalto decidiu adiar com o objetivo de criar uma agenda positiva.

Chamado de “Trabalho Verde Amarelo” , o programa vai beneficiar contratos de trabalho com duração de dois anos, a serem assinados a partir de janeiro de 2020, sendo permitidas contratações ao fim de 2021. Ou seja, na prática, o programa poderá quatro anos.

Segundo técnicos envolvidos nas discussões, o programa será restrito a jovens (entre 18 anos e 29 anos) no primeiro emprego e pessoas acima de 55 anos da baixa renda (remuneração de até um salário mínimo e meio).

Para os empregadores a vantagem é a redução dos encargos trabalhistas, com a isenção da contribuição previdenciária e diversos penduricalhos da folha, como salário-educação. A contribuição para o FGTS de 8% será de 2% e multa nas demissões sem justa causa, cairá dos atuais 40% para 20%.

O programa poderá custar aos cofres públicos cerca de R$ 10 bilhões, considerando quatro anos. A expectativa é beneficiar um universo de mais de três milhões de trabalhadores. Poderão ser incluídos menores aprendizes, jovens que tenham sido contratados na modalidade de trabalho intermitente e avulso. Para pessoas mais velhas, a única restrição é não ser aposentado.

O programa será criado por medida provisória, mas será preciso dar um prazo para adaptação de sistema, segundo técnicos do governo.

O Globo