FMI melhora previsão de crescimento do Brasil em 2020 e vê recuperação da economia global em ritmo mais lento

Foto: Reprodução/G1

O Fundo Monetário Internacional (FMI) melhorou a previsão para o crescimento da economia brasileira em 2020. No relatório “World Economic Outlook”, divulgado nessa segunda-feira (19), o órgão estima que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve avançar 2,2% neste ano, uma alta de 0,2 ponto percentual em relação ao cenário traçado em outubro.

Para 2021, a projeção é de alta de 2,3%, uma redução de 0,1 ponto percentual em relação ao relatório anterior.

O Fundo também elevou a estimativa do crescimento do PIB do Brasil em 2019, de uma alta de 0,9% para um avanço de 1,2% – acima da previsão do governo federal, que projeta uma alta de 1,12%. O resultado oficial do PIB do ano passado será divulgado em março pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ao melhorar as projeções para o Brasil, o FMI citou no relatório um “sentimento de melhora” após a aprovação da reforma da Previdência e a recuperação da produção do setor de mineração, que no ano passado teve forte retração após o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho (MG).

FMI reduz estimativas de crescimento global

No relatório, o FMI revisou também para baixo as estimativas para o desempenho da economia global, apontando para um ritmo de recuperação em 2020 mais lento do que o estimado no último relatório.

Segundo o Fundo, o PIB mundial deve crescer 3,3% neste ano, após avanço de 3,6% em 2018 e desaceleração para 2,9% em 2019. Em relação ao relatório de outubro, a projeção para 2020 representa uma queda de 0,1 ponto percentual. Já a estimativa para a alta em 2021 foi reduzida em 0,2 pontos percentuais, para 3,4%.

“A revisão reflete principalmente surpresas negativas à atividade econômica em alguns mercados emergentes economias, principalmente a Índia, o que levou a uma reavaliação das perspectivas de crescimento nos próximos dois anos. Em alguns casos, essa reavaliação também reflete o impacto do aumento da agitação social”, destaca o FMI.

No relatório, que trouxe o título “Estabilização provisória, recuperação lenta?”, o Fundo afirma que, apesar de notícias mais favoráveis para a economia global nos últimos meses, como o acordo comercial inicial entre Estados Unidos e China e a diminuição das preocupações de um Brexit sem acordo, ainda são poucos os sinais de viradas nos dados macroeconômicos.

“Os riscos negativos, no entanto, permanecem proeminentes, incluindo o aumento das tensões geopolíticas, principalmente entre os Estados Unidos e o Irã”, avalia o órgão.

Para os mercados emergentes e em desenvolvimento, o FMI prevê expansão de 4,4% em 2020 e 4,6% em 2021, ante os 3,7% estimados para 2019. Entre os países emergentes com previsão de crescimento abaixo da médio global em 2020, além do Brasil, estão México (1%), Rússia (1,9%) e África do Sul (0,8%).

EUA e China

Para o PIB dos Estados Unidos, a projeção é de crescimento de 2% neste ano e de 1,7% em 2021, após um avanço estimado em 2,3% em 2019. No relatório anterior, a previsão era de alta de 2,1% em 2020.

Para a China, a projeção é de avanço de 6% em 2020 (aumento de 0,2 pontos percentuais em relação a outubro) e de 5,8% em 2021 (redução de 0,1 ponto percentual).

América Latina

Para a região da América Latina e Caribe, as projeções de crescimento foram reduzidas para taxas de 1,6% em 2020 e de 2,3% em 2021, após uma estimativa de alta de apenas 0,1% em 2019.

Segundo o FMI, as revisões para baixo se devem principalmente a uma piora das perspectivas para o México e também à redução das previsões para o crescimento do Chile, que tem sido “afetado por distúrbios sociais”.

“Estas revisões são parcialmente compensadas por um aumento previsão para o Brasil em 2020, que se deve ao sentimento de melhora após a aprovação da reforma previdenciária e o declínio das interrupções no fornecimento no setor de mineração”, destacou.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ivan disse:

    É só num roubar pô!!! Talkey!!!

  2. Bento disse:

    Com gente honesta e capacitada cuidando do Brasil o resultado só poderia ser esse.
    O Brasil hoje tem uma família cuidando dele com seriedade.
    Tiramos um lixo do poder que nem pra reciclar presta.
    O passado foi ruim, nebuloso
    Hoje só alegria vemos rostos alegres tamanha é a confiança no Brasil

    • Felipe disse:

      Com tamanha cara de pau! O triste disso tudo é ver pessoas como você se identificar com o tirano o ¨Bolzossauro¨.

    • Neco disse:

      Pq tirano? Cite aí as medidas autoritárias dele. É só histeria dos derrotados.

Baía Formosa recebeu 130 milímetros, e mais 65 municípios no RN registraram chuvas entre sexta e esta segunda; confira boletim pluviométrico

Foto: Reprodução/Emparn

De sexta-feira (17) até às 07h desta segunda-feira (20) ocorreram chuvas em 66 postos de coleta. O município de Baia Formosa, localizado na mesorregião leste potiguar, foi o que mais choveu, com 130 mm; seguido de Lagoa de Pedras, no Agreste Potiguar, com 72,4mm. Em Natal choveu 53,6mm. As informações são da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn).

Veja outros municípios:

OESTE POTIGUAR

Caraúbas(Particular) 59,5
Alto Do Rodrigues(Diba/baixo Assu) 35,0
Upanema(Prefeitura) 30,7
Carnaubais(Emater) 25,0
Campo Grande(Particular) 11,6
São Francisco Do Oeste(Prefeitura) 10,5
Tenente Ananias(Emater) 9,0
São Rafael(Particular Ii) 8,5
São Rafael(Emater) 8,2
Assú(Particular) 6,5
Assú (Emater/st. Casa Forte) 5,2
Janduís(Emater) 5,0
Ipanguaçu(Emater) 4,0
Portalegre(Particular) 3,0
Ipanguaçu(Base Fisica Da Emparn) 2,7
Jucurutu(Emater-pedra do Navio) 2,0
Apodi(Base Fisica Emparn) 1,1

CENTRAL POTIGUAR

Carnaúba Dos Dantas(Emater) 68,0
Currais Novos(Sec Meio Amb. Ex Cersel) 64,7
Cerro Cora(Emater) 39,0
Acari(Particular) 38,3
Bodo(Emater/trf p/delegacia) 25,0
Caiçara Do Rio Dos Ventos(Particular) 25,0
Jardim De Angicos(Emater) 21,0
São Vicente(Emater(ex-particular)) 20,8
Santana Do Matos(Emater) 18,1
São Jose Do Serido(Associação Usuarios Agua) 18,0
Florânia(Sitio Jucuri) 14,0
Guamaré(Lagoa Doce) 8,0
Cruzeta(Base Fisica Da Emparn) 6,7
Caico(Emater) 6,4
Macau(Posto Nosso Barco) 6,0
Caicó(Acude Itans) 5,4
Jardim Do Serido(Emater/passagem) 4,7
Caico(Acude Mundo Novo-emparn) 4,0
São Bento Do Norte(Prefeitura) 4,0
Lajes(Olho Dagua Dois Irmaos) 2,3
Angicos(Prefeitura) 1,4
Pedro Avelino(Particular) 1,2
Serra Negra Do Norte(Emater) 1,1

AGRESTE POTIGUAR

Lagoa De Pedras(Prefeitura) 72,4
Sitio Novo(Prefeitura) 58,0
Coronel Ezequiel(Particular) 56,0
Monte Alegre(Emater) 53,0
São Paulo Do Potengi(Emater) 50,0
Vera Cruz(Emater) 47,2
Santa Cruz(Emater) 42,8
Bom Jesus(Particular) 42,3
Barcelona(Particular) 40,0
Bento Fernandes(Riacho Dos Paus-part.) 30,0
Rui Barbosa(Emater) 29,3
Tangara(Emater) 29,0
São Tomé(Emater) 28,6
Santo Antonio(Emater) 24,1
João Câmara(Centro Saude) 21,5
São Pedro(Emater) 21,0
Santa Maria(Sind.trab.rurais) 13,0
Monte Das Gameleiras(Emater) 10,0

LESTE POTIGUAR

Baía Formosa(Destilaria Vale Verde) 130,0
Espirito Santo(Prefeitura) 71,0
Ceara Mirim 57,0
Extremoz(Emater) 56,2
Natal 53,6
Montanhas(Prefeitura) 36,4
Canguaretama(Emater/barra De Cunhau) 35,2
Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 33,6

Comércio estima perder R$ 19,6 bi por acúmulo de feriados em 2020, diz CNC

FOTO: EBC

Os nove feriados prolongados de 2020 deverão prejudicar o desempenho do comércio e causar um prejuízo de até R$ 19,6 bilhões, segundo estimativa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) divulgada nesta sexta-feira (17).

Isso porque os feriados não apenas diminuem a atividade econômica para boa parte dos setores, como também elevam o custo da operação com pagamentos adicionais para os funcionários.

A perdas tendem a ser maiores que as de 2019, que teve um segundo semestre pobre em feriados para a maior parte da população, já que três datas comemorativas caíram aos sábados. O prejuízo chegou a R$ 17,4 bilhões.

Já em 2020, feriados ou datas com ponto facultativo se concentram às segundas, terças, quintas e sextas, permitindo a junção com os finais de semana.

Segundo o economista da CNC, Fabio Bentes, cada feriado reduz a rentabilidade mensal média do setor comercial como um todo em 8,4% (varejo e atacado). Entretanto, ramos de atividade em que a relação folha/faturamento é mais elevada sofrem um impacto maior.

Por outro lado, alguns setores específicos como o turismo podem se beneficiar da ocorrência de feriados.

Setores

Os segmentos de supermercados, lojas de utilidades domésticas e o ramo de vestuário e calçados respondem por mais da metade (56%) dos empregos no varejo. Não é por acaso, portanto, que são também os setores com maiores perdas estimadas para o ano por conta dos feriados (11,5%, 11,6% e 16,7%, respectivamente).

Regionalmente, os estados de São Paulo (R$ 5,62 bilhões), Minas Gerais (R$ 2,09 bilhões), Rio de Janeiro (R$ 2,06 bilhões) e Paraná (R$ 1,42 bilhão) tendem a concentrar mais da metade das perdas estimadas (57%).

R7

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Everton disse:

    Por outro lado o ramo do turismo ganha, é assim o mercado. O importante é a arrecadação final dos entes federativos.

  2. Humilde Iconoclasta disse:

    Feriado não faz o dinheiro sumir , isso é mentira . O comércio não vai perder nada.

  3. Everton disse:

    Vindo do R7 é Bolsonaro preparando o terreno p acabar c os feriados.

Região litorânea potiguar deverá registrar chuvas mais fortes neste fim de semana; veja previsão da Emparn

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa a possibilidade de pancadas em todas as regões do estado neste fim de semana.

A Emparn também destaca que as pancadas de chuvas fortes serão registradas na região litorânea devido a atuação da Zona de Convergência Intertropical.

Pesquisa XP/Ipespe: 32% consideram governo Bolsonaro ótimo ou bom, 39% ruim ou péssimo e 28% regular

Foto: Reprodução

Apesar de manter estável sua avaliação negativa, o presidente Jair Bolsonaro viu uma piora em sua popularidade no início de seu segundo ano de mandato, aponta a mais recente pesquisa XP/Ipespe realizada entre 13 e 15 de janeiro e divulgada nesta quinta-feira (16).

De acordo com o levantamento, no primeiro mês de 2020, 32% avaliaram a administração federal como ótima ou boa, contra 35% em dezembro (ficando dentro da margem de erro de 3,2 pontos percentuais). Ruim ou péssimo se manteve em 39%, enquanto a avaliação regular passou de 25% para 28% entre dezembro e janeiro.

No caso da expectativa dos entrevistados, também houve uma piora. 40% tem uma projeção ótima ou boa para o restante do mandato de Bolsonaro, contra 43% no mês passado. Este foi o índice mais baixo já registrado neste quesito desde o início da série em novembro de 2018.

Já a expectativa ruim ou péssima passou de 34% para 33% e a “regular” saiu de 19% em dezembro para atuais 20%.

Infomoney

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. altamir disse:

    Acabou a mamata

  2. aof disse:

    Se juntar otimo/bom com regular, dá 60% de aprovação. Muito alta, se considerarmos que trava uma batalha diaria contra uma mídia hostil, um STF que quer ser executivo e um Congresso que só pensa nas proximas eleições. Intenções boas, equilibrio emocional e maturidade sofriveis, equipe de ministros ótima, mas assessoria institucional péssima.

  3. Antenado disse:

    Os mamadores que perderam as tetas não se conformam.

    • altamir disse:

      Eis aí a grande questão. Cortaram as mamatas, não se vê bandeiras vermelhas em mãos de parasitas. Acabou a Farra!

  4. Ze disse:

    FOLHA ESQUERDOPATA!
    Ah não… É um jornal que apoia o atual governo

  5. Andará matias disse:

    40% de rejeição… o dead line é 45%, quem trabalha em eleição sabe.

  6. João Filho disse:

    Também não fui entrevistado aumenta aí !

  7. Bento disse:

    Não me ouviram
    Aumenta aí o percentual.
    Considero seu governo ótimo

Ministério da Saúde diz que RN e mais 10 estados poderão ter surto de dengue em 2020

Foto: Fernanda Garrafiel/G1

Todos os estados do Nordeste, assim como Espírito Santo e Rio de Janeiro, poderão ter um surto de dengue a partir de março de 2020, afirma o Ministério da Saúde.

“A dengue é uma doença sazonal e o quadro é dinâmico e pode mudar em pouco tempo, mas, no momento, os nove estados do Nordeste e as regiões do Sudeste com grande contingente populacional pouco afetadas em 2019 estão no nosso alerta”, afirmou ao G1 o porta-voz do Ministério da Saúde, Roberto Said.

O Brasil registrou 1.544.987 casos de dengue no ano passado, com 782 mortes, segundo dados da pasta, um aumento de 488% em relação a 2018, um ano considerado atípico pelo Ministério.

Infográfico mostra os casos registrados de dengue e estados com maior número de registros — Foto: Fernanda Garrafiel/G1

Variações de ano a ano

Segundo Said, 2017 e 2018 foram anos com poucos casos de dengue quando comparados a 2015 e 2016.

“Isso aconteceu porque circulou, em todos esses anos, o mesmo sorotipo do vírus da dengue. E quando uma pessoa é infectada pela dengue, ela estará imune aquele determinado sorotipo pra sempre, mas não aos outros sorotipos da doença”, afirma.

A dengue é transmitida por quatro sorotipos do vírus: o sorotipo 1, 2, 3 e 4, todos em circulação no Brasil.

A intensidade de circulação desses sorotipos se alterna pelo país de tempos em tempos. Os surtos de dengue costumam ocorrer, segundo Said, quando há mudança na circulação do tipo de vírus.

Foi o que ocorreu no final de 2018, quando começou a circular no Sudeste e Centro Oeste um tipo diferente dos anos anteriores, o sorotipo 2. “As pessoas não estavam imunes ao sorotipo 2, que não circulava no país desde 2008. Por isso ele veio tão forte, porque encontrou novas pessoas para infectar”, explica o porta-voz.

A recente circulação do sorotipo 2 aconteceu somente em algumas partes do Sudeste e Centro Oeste, o que ajuda a entender porque 77% de todos os registros de dengue no país, assim 67% dos óbitos, ocorreram em apenas três estados em 2019: São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

“O sorotipo 2, que já é um tipo mais virulento que os outros, foi ganhando força conforme foi infectando novos pacientes nesses estados. Agora, ele está circulando por mais áreas. Por isso, para 2020, é esperado aumento dos casos de dengue justamente nos estados que não foram tão afetados pelo sorotipo em 2019, como o Rio de Janeiro e Espírito Santo”, explica o porta-voz do ministério.

Além da dinâmica de circulação dos sorotipos do vírus da dengue, ele alerta que o surto da doença também está relacionado a fatores ambientais. “Estamos em um momento propício para a proliferação do mosquito transmissor da dengue [Aedes aegypti]: altas temperaturas e chuvas intensas”.

Zika e chikungunya

Os dados de registro de zika ainda estão baixos no Brasil. “Mas temos a confirmação laboratorial de que o vírus do zika está em circulação por todos os estados do país, menos o Acre. Por isso, ainda há alerta de infecção para as gestantes”, informa Said.

A zika é transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo responsável pela dengue. Em gestantes, a infecção por zika pode causar microcefalia nos bebês. Em 2016, o Brasil foi apontado como um dos países mais afetados pelo zika.

Foto: Fernanda Garrafiel/G1

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Camila disse:

    Mesmo assim, ninguém investe em telas nas janelas. Que atraso. O mundo inteiro usa telas nas casas. Algo bem simples e barato de ter.

  2. socorro medeiros disse:

    cade o MINSITERIO DA SAUDE governo bolsobosta?? alo….

    • Delano disse:

      Esse risco é no RN, cuja governadora petralha, como é características deles, não sabem fazer o dever de casa. Portanto cobre a irresponsabilidade ao governo do RN, a omissão do governo potiguar é de fácil constatação. Não existe um programa em andamento pra combater o mosquito, está totalmente omisso esse RN. Descalabro total

  3. Everton disse:

    E o governo Bolsonaro omisso em relação às necessidades do Nordeste, mais uma vez… eita raiva grande de nordestino q ele tem

    • Bento disse:

      Não é culpa do presidente.
      O recado foi dado
      Os governos estaduais deixaram de fazer seu dever de casa.
      E você já deu sua contribuição verificando se não tem água empossada em sua casa.?

Governo quer obter R$ 150 bilhões com privatizações em 2020, diz secretário

Foto: Alexandro Martello/G1

O Ministério da Economia anunciou nesta terça-feira (14) que o governo pretende vender cerca de 300 ativos públicos em 2020. A meta inclui empresas controladas pelo governo, subsidiárias, coligadas e participações societárias. Com as transações, o governo espera obter R$ 150 bilhões.

O anúncio foi feito pelo secretário-especial de Desestatização e Desinvestimento, Salim Mattar. Segundo ele, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e a Petrobras não serão privatizadas. Os Correios estão na lista de privatizações, mas a venda é prevista para o fim de 2021.

“Em 2020, vamos ter uma meta ousada para atingir em termos de valor e de empresas”, disse. Para isso, o governo deve enviar um projeto ao Congresso Nacional em fevereiro propondo um “fast track” (caminho rápido) para a venda dos ativos públicos.

“É uma forma de acelerar esse processo de venda. A meta [para 2020] depende de o ‘fast track’ passar. O ‘fast track’ é fundamental para atingirmos essa meta. Seria como se fosse um atalhozinho, é um projeto de lei. Já esta pronto. Esperando o Congresso abrir, e a melhor forma de conseguir apoio”, diz Salim.

Segundo o secretário de Desestatização, o projeto colocaria as empresas a serem privatizadas diretamente no Programa Nacional de Desestatização (PND). O texto reduziria, também, o tempo de atuação de escritórios de advocacia e de bancos no processo de modelagem dessas vendas.

Eletrobras é prioridade

Salim Mattar afirma que, em 2020, a principal meta é vender os ativos da Eletrobras. Dos 300 ativos na lista, mais de 200 dizem respeito à estatal.

“Para manter a sua participação no mercado, a Eletrobras tem que investir R$ 14 bilhões nos próximos 4 anos. O governo federal não tem esse dinheiro”, afirmou.

De acordo com o secretário, o governo possui, atualmente, 624 ativos. Além das 46 empresas estatais, o número inclui 151 subsidiárias, 218 empresas coligadas e 209 participações.

Resultado de 2019

De acordo com os cálculos da área econômica, a desestatização federal arrecadou R$ 105,4 bilhões em 2019, com a venda de 71 ativos públicos. O somatório inclui:

a venda de R$ 15,9 bilhões em participações societárias do BNDESPar;
R$ 14,6 bilhões em ativos da Caixa (IRB, Petrobras, banco Pan e BB), e
R$ 50,4 bilhões em subsidiárias e coligadas da Petrobras.

Segundo Mattar, o governo ficou muito focado, em 2019, na reforma da Previdência. “Aconteceu mais ou menos dentro de um padrão que a gente esperava. Depois, a gente acelerou um pouco mais”, declarou.

O secretário de Desestatização informou que o governo possui, atualmente, participação em um banco no Egito e no Banco Interamericano de Ahorro Y Prestamo, da Venezuela. Segundo ele, a instituição financeira venezuelana já quebrou, e não funciona mais.

“Temos que fazer uma denúncia ao TCU. Foi um mau investimento. Esse banco virou pó. Quem faz o processo tem de ser o Ministério Público, ou a Corregedoria. Vamos levantar as informações e passar para frente. Quem fez má aplicação de recursos públicos, deveria responder por isso”, declarou Salim Mattar a jornalistas.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Junin disse:

    Resta saber pra onde vai essa dinheirama depois desse maravilhoso processo! Pq o tempo passa e nada melhora! Ouça essas mentiras desde menino! Aliás melhora pra eles….! O pobre que se foda né?!?!?!?

  2. Maldoni disse:

    A UNP está dando um maravilhoso exemplo do que significa a privatização. Que no caso dela privatiza a Educação.
    Viva a UFRN, tão criticada, mas disputada suas vagas a tapas.

Governo aumenta para 2,40% previsão de alta do PIB em 2020

 Foto: Adriano Machado / Reuters

O Ministério da Economia elevou nesta terça-feira (14) a sua previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2,32% para 2,40% em 2020. A projeção esta no Boletim Macrofiscal, divulgado pela Secretaria de Política Econômica.

Para o ano de 2019, cujo resultado ainda não foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a previsão da área econômica de crescimento passou de 0,90% para 1,12%.

O mercado financeiro, por sua vez, estima uma alta de 1,17% para o PIB de 2019, de 2,3% para 2020 e de 2,5% para 2021. As previsões foram colhidas pelo Banco Central na semana passada, em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras.

“No segundo semestre de 2019, a economia brasileira apresentou sinais mais fortes de recuperação do ritmo de crescimento da atividade. Houve aumento do emprego e da renda, com consequente redução da taxa de desocupação”, informou o Ministério da Economia.

De acordo com a área econômica, as reduções da taxa básica de juros, atualmente na mínima histórica de 4,5% ao ano, devem começar a produzir efeitos na atividade econômica no primeiro semestre deste ano, “especialmente a partir do segundo trimestre”.

Inflação

Segundo o estudo da Secretaria de Política Econômica, a previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial, a expectativa para este ano passou de 3,53% para 3,62%.

Na semana passada, o mercado financeiro estimou um IPCA de 3,58% para 2020.

A expectativa de inflação do mercado para este ano segue abaixo da meta central, de 4%. O intervalo de tolerância do sistema de metas varia de 2,5% a 5,5%.

A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic).

No ano passado, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do Brasil, fechou em 4,31%, acima do centro da meta para o ano, que era de 4,25%. Foi a maior inflação anual desde 2016.

Dívida pública

O secretário-especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, informou que a área econômica passou a projetar uma dívida pública menor, na proporção com o Produto Interno Bruto (PIB), nos próximos anos.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gilvan disse:

    Em 2017 os economistas alardeavam que o Brasil melhoraria em 2018,a melhora não veio,depois falavam que a grande melhora viria em 2019,também não veio,agora projeta que 2020 será ótimo vamos ver.Combustivel aumentou mensalmente,planos de saúde subiram,carne aumentou,a reforma trabalhista não gerou empregos,a reforma da previdência é um fiasco,temos um governo mandado por um ministro,que está perdido,não temos muito o que esperar para 2020.

    • Raimundo disse:

      Não sei porque Maduro não convida Lula, Haddad ou Ciro para melhorar a economia da Venezuela, já que os três são "ótimos" administradores…

  2. Piano disse:

    CHUPA LULA!

Balança comercial inicia 2020 com superávit de US$ 1,77 bilhão

Foto: Pixabay

O Ministério da Economia informou nesta segunda-feira (13) que a balança comercial registrou em janeiro deste ano, até este domingo (12), um superávit de US$ 1,778 bilhão.

Quando as exportações superam as importações, o resultado é de superávit. Quando acontece o contrário, o resultado é de déficit.

De acordo com o governo, as exportações no período somaram US$ 6,351 bilhões (alta de 10,4% na comparação com janeiro de 2019).

Nessa comparação, houve aumento nas vendas de produtos semimanufaturados (8,5%) e básicos (23%), enquanto houve queda nas exportações de produtos manufaturados (-3,4%).

As importações, ainda segundo o governo, totalizaram US$ 4,573 bilhões (queda de 12,3% na mesma comparação).

Recuaram os gastos com combustíveis e lubrificantes (-35,6%), adubos e fertilizantes (-28,5%), aeronaves e peças (-16,6%), cereais e produtos da indústria da moagem (-14%), farmacêuticos (-5,5%).

Ano de 2019 e projeções

No ano passado, a balança comercial registrou superávit de US$ 46,6 bilhões. Com isso, o saldo positivo, assegurado principalmente pela exportação de produtos básicos, ficou 19,6% abaixo do de 2017.

A expectativa do mercado financeiro para este ano é de nova queda do saldo comercial. Segundo pesquisa realizada pelo Banco Central na semana passada, a previsão para 2020 é de um saldo positivo de US$ 37,3 bilhões nas transações comerciais do país com o exterior.

O Banco Central, por sua vez, prevê um superávit da balança comercial de US$ 32 bilhões neste ano – com exportações em US$ 225 bilhões e compras do exterior no valor de US$ 193 bilhões.

O Ministério da Economia, que não divulgou projeção para o saldo comercial de 2020, avaliou que o “menor dinamismo” do comércio internacional deve ser visto como um “fenômeno estrutural e não cíclico” e que a Argentina “continuará sendo um fator negativo”.

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Ricardo Carvalho disse:

    Péssima notícia para os devotos do partido que virou quadrilha e para a turma do quanto pior, melhor!

    • Arthur disse:

      Notícia normal, todos os anos de Lula foram de superávit, enquanto o dólar estiver nas alturas é mais jogo vender do que comprar de fora. Ô mania feia desses minions comentar asneira.

Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,58%

Foto: Marcello Casal JrAgência Brasil

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a estimativa para a inflação este ano. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) caiu de 3,60% para 3,58%. A informação consta no boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central (BC) que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

Para 2021, a estimativa de inflação se mantém em 3,75%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,50% em 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente definida em 4,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

De acordo com as instituições financeiras, a Selic deve se manter em 4,5% ao ano até o fim de 2020. A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Para 2021, a expectativa é que a taxa básica suba para 6,25%. E para 2022 e 2023, as instituições estimam que a Selic termine os dois períodos em 6,5% ao ano.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – se mantém em 2,30% para 2020. As estimativas das instituições financeiras para os anos seguintes, 2021, 2022 e 2023 também continuam em 2,50%.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar está em R$ 4,04 para o fim deste ano e R$ 4,00 para 2021.

Agência Brasil

Emparn registra chuvas em pelo menos 44 municípios potiguares entre quinta e esta sexta; veja onde “caiu mais água”

Foto: Reprodução/Emparn

O boletim pluviométrico da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn), referente ao período das 07h da manhã dessa quinta-feira (09) até 07h da manhã desta sexta-feira (10) registrou a ocorrência de chuvas em 44 dos 173 postos de coleta instalados no RN.

O município de Lagoa Nova, localizado na mesorregião central potiguar, foi o que mais choveu, de ontem para esta sexta-feira(10). O volume foi de 48,5mm.

O segundo maior volume de precipitações foi registrado em Olho D´água dos Borges, com 47 (Oeste Potiguar) e o seguinte foi João Dias com 33mm. Na capital potiguar choveu 29,1mm.

OESTE POTIGUAR

Olho D’agua Dos Borges(Particular) 47,0
João Dias(Emater) 33,0
Venha Ver(Emater) 32,0
Apodi(Prefeitura) 30,0
Baraúna(Emater) 23,6
Pilões(Prefeitura) 20,0
Rafael Fernandes(Emater) 18,1
Serrinha Dos Pintos(Prefeitura) 17,0
Portalegre(Particular) 14,8
Riacho Da Cruz(Emater) 14,7
Viçosa(Prefeitura) 13,8
Lucrécia(Emater) 13,0
Tenente Ananias(Emater-st Mororo) 13,0
Martins(Particular) 8,2
Umarizal(Fazenda Camponesa(partic)) 8,0
Itau(Particular) 5,0
Rafael Godeiro(Emater) 2,9
São Francisco Do Oeste(Prefeitura) 1,1

CENTRAL POTIGUAR

Lagoa Nova(Emater/st. Humaita) 48,5
Jardim Do Serido(Emater/passagem) 31,0
São João Do Sabugi(Emater) 7,0
São José Do Seridó(Fz Caatinga Grande) 6,0
Parelhas(Emater) 5,5
Bodo(Emater/trf p/delegacia) 5,1
Carnaúba Dos Dantas(Emater) 4,4
Caico(Acude Itans) 4,2
Caiçara Do Rio Dos Ventos(Particular) 3,0
Ouro Branco(Sindicato Trab.rurais) 3,0
Cruzeta(Base Fisica Da Emparn) 2,3
Caicó(Emater) 1,9
Caicó(Acude Mundo Novo-emparn) 0,8
Pedro Avelino(Base Fisica Da Emparn) 0,5

AGRESTE POTIGUAR

Monte Alegre(Emater) 12,0
Coronel Ezequiel(Particular) 3,0
Santa Maria(Sind.trab.rurais) 2,0
João Câmara(Centro Saude) 1,9
Barcelona(Particular) 1,0
Monte Das Gameleiras(Emater) 1,0
Parazinho(Emater – Ex-particular) 0,5

LESTE POTIGUAR

Natal 29,1
Ceará-Mirim 20,0
São Gonçalo Do Amarante(Base Fisica Da Emparn) 14,0
Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 6,9
Baia Formosa(Destilaria Vale Verde) 0,4

Em parceria com a Red Bull, Bragantino, campeão da Série B, já passa de R$ 50 milhões em reforços para 2020, e mira mais investimentos

Artur, atacante anunciado pelo Bragantino — Foto: Ari Ferreira/CA Bragantino

Bragantino ultrapassou a marca dos R$ 50 milhões investidos em contratações para a temporada 2020. Até o momento, quatro reforços foram anunciados, mas há atletas já acertados que serão anunciados até o final desta semana.

O último nome divulgado pelo clube foi Thonny Anderson, contratado junto ao Grêmio. A negociação por 35% dos direitos econômicos do atleta girou em torno dos R$ 13 milhões, segundo apurou o GloboEsporte.com. É política do Bragantino não divulgar oficialmente os valores de negociações.

Com os quatro atletas já contratados, a soma investida pelo Bragantino é de R$ 56 milhões. Confira:

Artur – Palmeiras – R$ 25 milhões
Alerrandro – Atlético-MG – R$ 14 milhões
Thonny Anderson – Grêmio – R$ 13 milhões
Léo Realpe – Independiente del Valle – R$ 4 milhões

A tendência é que este valor aumente. O Bragantino negocia com o Cruzeiro a contratação do zagueiro Fabrício Bruno por R$ 2 milhões. Também há proposta de R$ 27 milhões pelo zagueiro Walce, do São Paulo, e uma negociação com a Chapecoense para a contratação do goleiro Tiepo. Mas a primeira proposta, de R$ 1 milhão, foi recusada.

O Bragantino firmou parceria com a Red Bull em abril e visa montar um elenco com atletas jovens, promissores e com longos vínculos. Os destaques da Série B do Brasileiro, como Claudinho, já renovaram seus contratos. Thonny Anderson e Artur assinaram contratos por cinco anos.

O projeto do clube visa brigar de igual para igual com os principais times do Brasil em um período de três a cinco anos. A próxima meta é encontrar o técnico ideal, já que Antônio Carlos Zago, comandante no título da Série B, deixou o clube para dirigir o Kashima Antlers, do Japão. O principal nome para o cargo é Carlos Carvalhal, do Rio Ave-POR. Atualmente, quem comanda a equipe é o interino Vinicius Munhoz.

Globo Esporte

Das 15 profissões mais promissoras em 2020, 13 são ligadas à tecnologia

Foto: Pixabay

Segundo um levantamento feito pelo LinkedIn — rede social voltada ao mundo dos negócios — das 15 profissões mais promissoras para o ano de 2020, 13 são, direta ou indiretamente, ligadas à área de tecnologia. Algumas, de acordo com o site, tiveram alta na demanda por talentos por conta do crescimento de fintechs e bancos digitais, que passaram a buscar mais profissionais nas áreas de tecnologia, segurança e gestão de dados, por exemplo.

De acordo com a lista do LinkedIn, vagas para gestor de mídias sociais lideram o ranking de profissões mais promissoras. Logo atrás vêm as funções de engenheiro de cibersegurança, representante de vendas, especialista em sucesso do cliente e cientista de dados.

Engenheiro de dados, especialista em inteligência artificial, desenvolvedor em JavaScript, investidor day trader e motorista fecham as 10 primeiras posições do ranking.

Para Maria Eduarda de Araújo, mestre em sistemas de informação e professora dos cursos de tecnologia da Anhanguera, as profissões nas áreas tecnológicas estão se mantendo no topo das demandas de mercado e a tendência é de que esse cenário permaneça pelos próximos anos.

“O mundo está evoluindo rapidamente e o avanço da tecnologia em diversos segmentos se mostra cada vez mais importante para que o homem alcance coisas que a 20 anos não eram imagináveis. A área de tecnologia é uma das mais valiosas e preciosas dentro de uma empresa. Não à toa, em um processo de seleção, o que não faltam são perguntas, análises de currículo e exigências para que o futuro colaborador realmente esteja capacitado para tais funções”, diz a professora.

Maria Eduarda também ressalta que se preparar para os desafios que exigem as profissões da modernidade é essencial para se colocar numa posição de destaque na busca por uma vaga. “Os profissionais devem apresentar habilidades como fluência em outras línguas — pois a maioria das empresas em TI tem clientes no exterior —, trabalho em equipe, gerenciamento de projetos, criatividade e inovação e capacidade de comunicação com os outros membros da equipe”, avalia.

Formação

A professora destaca que o melhor caminho para aproveitar as oportunidades que o atual momento apresenta é se aprofundar na formação acadêmica, pois, para ela, isso se tornou um pré-requisito para a conquista do sucesso profissional. “O mercado de trabalho exige uma maior qualificação do candidato para que ele possa também conseguir ajudar a empresa a se desenvolver. Estamos em um momento em que a empregabilidade no Brasil está diretamente relacionada com a formação no ensino superior ou técnico”, analisa.

Maria Eduarda explica que os cursos de graduação e de pós-graduação, específicos na área de tecnologia, por exemplo, são a porta de entrada não só para a construção do conhecimento, mas também para que a pessoa consiga enxergar de forma mais ampla as oportunidades e também as diferentes situações na rotina de trabalho.

“Em resumo o profissional de tecnologia é aquele com capacidade e habilidades suficientes para resolver problemas, raciocínio lógico, proatividade, trabalho em equipe, propor soluções, estudo contínuo e que possui amplo conhecimento do setor tecnológico e seus impactos em todas as esferas de mercado e serviços”, completa.

R7

 

Chuvas devem seguir até domingo, indica previsão da Emparn

Foto: Ilustrativa

A análise do comportamento climático para esta semana indica a possibilidade de chuvas mais intensas a partir desta quinta-feira (09), devido a intensificação dos ventos em altos níveis da atmosfera sobre parte central da América do Sul associado com a formação de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) sobre o Nordeste Brasileiro. O chefe da unidade de meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), Gilmar Bristot alerta que, “essas chuvas deverão atingir mais as Regiões Oeste e Central do RN e as temperaturas, tanto as máximas como as mínimas deverão se manter próximo das normais, variando na capital entre 24º C e 32º C. Para o interior nas regiões serranas, as mínimas poderão chegar a 22ºC e as máximas ultrapassar os 35 ºC”.

Boletim

O Boletim Pluviométrico divulgado pela empresa, referente ao período das 07h da manhã de ontem (07) até às 07h desta quarta-feira (08), registrou a ocorrência de chuvas em todas as regiões do RN, dando sequência ao início do período pré-chuvoso.

Os dados são de 43 pluviômetros instalados em diversos municípios do estado. O município de São Bento do Norte, localizado na mesorregião Central foi o que registrou maior volume, com 85,0 milímetros (mm), seguidos por Lajes, 60,0mm e Macau, com 56,8mm. Na mesorregião Oeste choveu em Carnaubais, 42,0mm; Ipanguaçu, 25,7mm e Parau, 22,3mm.

Na mesorregião Agreste os destaques são Santa Cruz 76,0mm e São Bento do Trairi, 45,0mm. Na mesorregião Leste choveu mais forte em Extremoz, 37,9mm e Parnamirim, 28,8mm. Na capital potiguar, o acumulado das chuvas foi de 28,6mm.

O RN já registrou na primeira semana de janeiro chuvas acima de 100 mm, como no município de Luis Gomes, com 114mm. A previsão climática, no período de janeiro a março de 2020, indica a tendência das chuvas ocorrerem dentro da média histórica na região semiárida potiguar, incluindo aí as regiões Oeste, Seridó, Central e Agreste do RN, variando entre 234,8 e 390,7 mm.

Natal registrou 28,6 milímetros de chuvas nas últimas 24 horas, e interior foi a região mais “banhada”; veja boletim pluviométrico em municípios

Foto: Reprodução

O Boletim Pluviométrico da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) divulgou os locais que registraram chuvas nas últimas 24 horas.

Na região Oeste, destaque para 42 milímetros em Carnaubais; na região Central, São Bento do Norte com 85 milímetros, Lajes(60 mm) e Macau(56,8) foram as cidades mais banhadas; na região Agreste, Santa Cruz registrou 76 mm.

No Leste potiguar, Natal registrou 28,6 milímetros, com Extremoz alcançando 37,9 na região. Veja outros municípios:

OESTE POTIGUAR

Carnaubais(Emater) 42,0
Ipanguaçu(Base Fisica Da Emparn) 25,7
Parau(Prefeitura) 22,3
São Francisco Do Oeste(Prefeitura) 14,0
Portalegre(Particular) 13,0
Assu(Emater/st. Casa Forte) 11,0
Ipanguaçu(Emater) 10,3
Martins(Particular) 8,7
Coronel João Pessoa(Emater) 4,0
Upanema(Prefeitura) 1,4
Apodi(Prefeitura) 1,0

CENTRAL POTIGUAR

São Bento Do Norte(Prefeitura) 85,0
Lajes(Prefeitura) 60,0
Macau(Posto Nosso Barco) 56,8
Guamaré(Lagoa Doce) 37,0
São Fernando(Emater) 33,5
Jardim De Piranhas(Prefeitura) 16,4
Angicos(Prefeitura) 14,7
Parelhas(Emater) 12,8
Fernando Pedroza(Emater) 12,5
Jardim De Angicos(Emater) 6,2
Macau(Defesa Civil (ex-emater)) 6,1
Lajes(Olho D´água Dois Irmaos) 3,2
Carnaúba Dos Dantas(Emater) 2,3
Pedro Avelino(Particular) 2,3
Pedro Avelino(Base Física Da Emparn) 1,0

AGRESTE POTIGUAR

Santa Cruz(Emater) 76,0
São Bento Do Trairi(Prefeitura) 45,0
Coronel Ezequiel(Particular) 38,5
Monte Das Gameleiras(Emater) 30,0
Parazinho(Emater – Ex-particular) 15,6
Barcelona(Particular) 11,0
Sitio Novo(Prefeitura) 9,5
São Paulo Do Potengi(Emater) 5,0
João Câmara(Centro Saúde) 4,6
Campo Redondo(Policia Rodoviária) 4,5
Tangara(Emater) 2,4

LESTE POTIGUAR

Extremoz(Emater) 37,9
Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 28,8
Natal 28,6
Pureza(Emater) 26,4
Pedra Grande(Emater) 19,0
São Gonçalo Do Amarante(Base Física Da Emparn) 0,3

Atleta potiguar promessa das artes marciais no país embarca para os EUA para encerrar preparação mirando disputa do Pankids de jiu-jitsu, na Califórnia

Fotos: Divulgação/Arquivo pessoal

A potiguar Ana Beatriz de Freitas Malta Feitosa, de 13 anos, acompanhada por este Blog desde o início de sua precoce e meteórica carreira, atleta de jiu-jitsu na Gracie Barra Natal, será a única representante do Rio Grande do Norte no PanKids 2020, evento que será realizado nos dias 08 e 09 de fevereiro, em Long Beach, na Califórnia – EUA.

Colecionadora de grandes conquistas, “Bia”, como é conhecida, vem sendo apontada como uma das grandes promessas do esporte potiguar e nacional. Aluna do professor Itácio Lisboa, apresenta em seu currículo títulos de campeã Brasileira de Jiu-Jitsu CBJJ-SP/2019, campeã do Nordeste Open de Jiu-Jitsu-RN/2017 e 2019, campeã paraibana de jiu-jitsu – PB/2019, campeã do Open Kids Jiu-Jitsu RN/2019, campeã Nordeste Open Championship PB/2019, campeã Grande Slam Jiu-Jitsu RN/2018.

Com a arte marcial correndo em suas veias, “Bia” ainda é atleta de judô da Nagashima Futuro Campeão, e coleciona títulos locais, nacionais e internacionais – credenciando-se como uma das apostas para a Seleção Brasileira.

Ana Beatriz de Freitas Malta Feitosa embarca no dia 23 deste mês, na companhia do professor Itácio Lisboa, para terminar a sua preparação em solo americano, e terá o suporte da Gracie Barra em Colorado Springs.

 

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Raphae disse:

    Uma atleta muito focada e muito bem treinada. Certeza de sucesso.

  2. Bento disse:

    Vai e volta com Deus.
    Estamos aqui na torcida.