Atuação da Zona de Convergência Intertropical deverá provocar chuvas em todas as regiões do RN entre esta sexta e domingo; veja previsão

Fotos: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) lança previsão de chuvas em todas as regiões do estado no período que compreende esta sexta(24) até o domingo(26). Como responsável, a atuação da Zona de Convergência Intertropical.

A Zona de Convergência Intertropical é um importante fenômeno natural também responsável pela distribuição de chuva pela Terra, próximo ao equador. Ali se encontram os ventos originários dos hemisférios norte e sul. Tem influência sobre tempo e clima e é uma interação entre eventos meteorológicos das latitudes médias e tropicais.

Efeitos da Zona de Convergência Intertropical no Brasil

A Zona de Convergência Intertropical é um sistema meteorológico que usualmente traz chuva volumosa. Elas atingem as regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil, no período de verão.

Se ocorre o El Niño, os ventos alísios de nordeste ficam fracos, com menor fluxo de umidade vinda dos oceanos. Assim, a Zona de Convergência Intertropical sofre um deslocamento para uma posição mais ao norte do que sua posição normal.

Por essa razão, os períodos de El Niño são secos quando a estação deveria ser chuvosa. Isso quer dizer entres os meses de janeiro a março, nas regiões Norte e Nordeste.

As secas nessas regiões provocam prejuízos agrícolas devido à quebra da produção principalmente decorrente da redução do rendimento das culturas.

A região Nordeste, que fica ao sul da Zona de Convergência Intertropical, sofre com secas severas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. JSouza disse:

    Tô esperando a chuva que a Emparn anunciou para ontem. Se a previsão for de chuva, pode curtir a praia que com certeza o sol vai ser de rachar.

Prévia da inflação oficial fica em 0,71% em janeiro, aponta IBGE

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que é uma prévia da inflação oficial do país, ficou em 0,71% em janeiro, conforme divulgado nesta quinta-feira (23) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se do maior resultado para um mês de janeiro desde 2016, quando o indicador ficou em 0,92%. Em janeiro do ano passado, o índice havia sido de 0,30%, o menor para o mês em 24 anos.

Em 12 meses, o indicador acumula alta de 4,34%, acima dos 3,91% registrados nos 12 meses anteriores.

Na comparação com dezembro, quando o IPCA-15 ficou em 1,05%, o índice perdeu força. Segundo o IBGE, a desaceleração foi puxada pelo preço da carne, cuja alta passou de 17,71% em dezembro para 4,83% em janeiro.

Apesar disso, foram as carnes que exerceram, novamente, a maior pressão individual sobre a inflação, de 0,15 ponto percentual sobre o indicador. Desde novembro do ano passado, a carne vem pressionando a inflação no país.

Queda na habitação e artigos de residência

Dos nove grupos de produtos e serviços pesquisados pelo IBGE, apenas dois registraram queda de preços na passagem de dezembro para janeiro: habitação (-0,14%) e artigos de residência (-0,01%).

A deflação no grupo de habitação, segundo o IBGE, foi influenciada pela queda de 2,11% no custo da energia elétrica em função de mudança na bandeira tarifária, que passou a ser Amarela.

O IBGE enfatizou que todas as regiões pesquisadas tiveram queda nas contas de luz – a menor foi em São Paulo (-0,61) e a maior em Fortaleza (-4,46%), onde houve, além da mudança da bandeira, redução da alíquota de PIS/COFINS.

Alimentação vilã da inflação

Dentre os sete grupos que tiveram alta nos preços, o maior destaque é o de Alimentação e Bebidas (1,83%), ainda pressionado pelo alto preço das carnes.

Dentre os sete grupos que tiveram alta nos preços, o maior destaque é o de Alimentação e Bebidas (1,83%), puxada pela Alimentação no domicílio (2,30%), ainda pressionada pelo alto preço das carnes.

Também tiveram alta relevante para a alimentação no domicílio produtos como as frutas (3,98%) e o frango inteiro (4,96%). Pelo lado das quedas, o destaque ficou com a cebola (-5,43%).

A alimentação fora do domicílio apresentou alta de 0,99%, resultado acima do registrado em dezembro (0,79%), especialmente por conta das altas observadas no lanche (1,30%) e na refeição (1,10%).

Veja a prévia da inflação para cada um dos grupos pesquisados pelo IBGE:

Alimentação e bebidas: 1,83%
Transportes: 0,92%
Despesas pessoais: 0,47%
Saúde e cuidados pessoais: 0,35%
Educação: 0,23%
Vestuário: 0,10%
Comunicação: 0,02%
Artigos de residência: -0,01%
Habitação: -0,14%

Depois da alimentação, o segundo maior impacto na inflação partiu dos Transportes (0,92%), que foi pressionado pela alta da gasolina (2,64%) – o segundo maior impacto individual na composição do indicador. Também contribuiu para a alta nos Transportes os reajustes nas tarias de ônibus urbano em algumas capitais.

Com informações do G1

 

Confiança da indústria cresce 1,1 ponto na prévia de janeiro deste ano

Foto: José Paulo Lacerda/CNI/Direitos reservados

A confiança dos empresários da indústria cresceu 1,1 ponto na prévia de janeiro deste ano, na comparação com o resultado consolidado de dezembro do ano passado. Com isso, o indicador chegou a 100,5 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos, segundo dados divulgados hoje (22) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

O aumento da confiança foi puxado pelo crescimento das expectativas dos empresários em relação aos próximos meses. O Índice de Expectativas cresceu 2,4 pontos e atingiu 101,6 pontos, o maior valor desde junho de 2018 (102,3 pontos).

O Índice da Situação Atual, que mede a confiança dos empresários no momento presente, recuou 0,3 ponto, para 99,3 pontos.

O resultado preliminar de janeiro indica aumento de 0,4 ponto percentual do Nível de Utilização da Capacidade Instalada da Indústria, para 75,5%.

Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bil disse:

    Chupa Lula!!!
    Kkkkkk

Secretário diz que RN perderá R$ 60 milhões de repasses do FPE em janeiro

Foto: Reprodução/Twitter

O secretário de Planejamento e Finanças do Estado, Aldemir Freire, comentou, através do microblog Twitter, que o Governo do Rio Grande do Norte apresentou uma redução “brutal” nos repasses do Fundo de Participação dos Estados(FPE) e dos Municípios(FPM) na comparação com janeiro do ano passado.

Aldemir fala em uma queda no investimento em R$ 60 milhões. Conforme quadro em destaque, o secretário cita o valor de R$ 391 milhões em 2019, sobre o estimado de R$ 331 milhões em janeiro deste ano. “Estamos tentando entender (Estados e Municípios). Mas ainda não encontramos nada que justifique uma queda tão significativa”, disse.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bodim disse:

    Se vira Aldemir!!!!
    Vc não e jabutir.
    kkkkkkk

  2. Verdadeiro disse:

    Aguarde servidores vem ai atraso no pagamento

  3. Vergonha disse:

    Estado Rico isenta IPVA de MOTOS , jeito PTralha de ser

  4. Thiago disse:

    Vai atrasa o apagamento

  5. Manoel disse:

    Isso é nada pra um Estado rico como o RN… Até abriu mão de fazer a reforma da providência para os policiais… Deve ser pq tem muito dinheiro em caixa !

  6. Zé Lopes disse:

    A culpa é de Bolsonaro, ele não come Bokus!

Baía Formosa recebeu 130 milímetros, e mais 65 municípios no RN registraram chuvas entre sexta e esta segunda; confira boletim pluviométrico

Foto: Reprodução/Emparn

De sexta-feira (17) até às 07h desta segunda-feira (20) ocorreram chuvas em 66 postos de coleta. O município de Baia Formosa, localizado na mesorregião leste potiguar, foi o que mais choveu, com 130 mm; seguido de Lagoa de Pedras, no Agreste Potiguar, com 72,4mm. Em Natal choveu 53,6mm. As informações são da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn).

Veja outros municípios:

OESTE POTIGUAR

Caraúbas(Particular) 59,5
Alto Do Rodrigues(Diba/baixo Assu) 35,0
Upanema(Prefeitura) 30,7
Carnaubais(Emater) 25,0
Campo Grande(Particular) 11,6
São Francisco Do Oeste(Prefeitura) 10,5
Tenente Ananias(Emater) 9,0
São Rafael(Particular Ii) 8,5
São Rafael(Emater) 8,2
Assú(Particular) 6,5
Assú (Emater/st. Casa Forte) 5,2
Janduís(Emater) 5,0
Ipanguaçu(Emater) 4,0
Portalegre(Particular) 3,0
Ipanguaçu(Base Fisica Da Emparn) 2,7
Jucurutu(Emater-pedra do Navio) 2,0
Apodi(Base Fisica Emparn) 1,1

CENTRAL POTIGUAR

Carnaúba Dos Dantas(Emater) 68,0
Currais Novos(Sec Meio Amb. Ex Cersel) 64,7
Cerro Cora(Emater) 39,0
Acari(Particular) 38,3
Bodo(Emater/trf p/delegacia) 25,0
Caiçara Do Rio Dos Ventos(Particular) 25,0
Jardim De Angicos(Emater) 21,0
São Vicente(Emater(ex-particular)) 20,8
Santana Do Matos(Emater) 18,1
São Jose Do Serido(Associação Usuarios Agua) 18,0
Florânia(Sitio Jucuri) 14,0
Guamaré(Lagoa Doce) 8,0
Cruzeta(Base Fisica Da Emparn) 6,7
Caico(Emater) 6,4
Macau(Posto Nosso Barco) 6,0
Caicó(Acude Itans) 5,4
Jardim Do Serido(Emater/passagem) 4,7
Caico(Acude Mundo Novo-emparn) 4,0
São Bento Do Norte(Prefeitura) 4,0
Lajes(Olho Dagua Dois Irmaos) 2,3
Angicos(Prefeitura) 1,4
Pedro Avelino(Particular) 1,2
Serra Negra Do Norte(Emater) 1,1

AGRESTE POTIGUAR

Lagoa De Pedras(Prefeitura) 72,4
Sitio Novo(Prefeitura) 58,0
Coronel Ezequiel(Particular) 56,0
Monte Alegre(Emater) 53,0
São Paulo Do Potengi(Emater) 50,0
Vera Cruz(Emater) 47,2
Santa Cruz(Emater) 42,8
Bom Jesus(Particular) 42,3
Barcelona(Particular) 40,0
Bento Fernandes(Riacho Dos Paus-part.) 30,0
Rui Barbosa(Emater) 29,3
Tangara(Emater) 29,0
São Tomé(Emater) 28,6
Santo Antonio(Emater) 24,1
João Câmara(Centro Saude) 21,5
São Pedro(Emater) 21,0
Santa Maria(Sind.trab.rurais) 13,0
Monte Das Gameleiras(Emater) 10,0

LESTE POTIGUAR

Baía Formosa(Destilaria Vale Verde) 130,0
Espirito Santo(Prefeitura) 71,0
Ceara Mirim 57,0
Extremoz(Emater) 56,2
Natal 53,6
Montanhas(Prefeitura) 36,4
Canguaretama(Emater/barra De Cunhau) 35,2
Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 33,6

Região litorânea potiguar deverá registrar chuvas mais fortes neste fim de semana; veja previsão da Emparn

Foto: Reprodução/Emparn

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) informa a possibilidade de pancadas em todas as regões do estado neste fim de semana.

A Emparn também destaca que as pancadas de chuvas fortes serão registradas na região litorânea devido a atuação da Zona de Convergência Intertropical.

Previsão nesta semana é de céu nublado e pancadas de chuva em todo o RN

Foto: Valdir Julão/Tribuna do Norte

Após as chuvas da última semana, bem distribuídas nas regiões do Rio Grande do Norte, a análise semanal do clima e do tempo, elaborada pela Unidade Instrumental de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), indica céu nublado com possibilidade de chuvas espalhadas pelo interior durante a semana e com intensidades maiores no final de semana (18 e 19) na região Leste do Estado.

“No interior, mesmo com índices que superaram os 100 milímetros (mm) em alguns municípios, as chuvas favoreceram a retomada das pastagens nativas e começo no armazenamento de água em alguns reservatórios do Estado. No caso da capital, Natal, as chuvas causaram grandes transtornos em vários pontos devido à falta de estrutura para escoamento das águas”, avaliou o chefe da Unidade, Gilmar Bristot.

A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) permanece próxima ao litoral nordestino e associada as águas superficiais mais aquecidas no Oceano Atlântico, favorecem a ocorrência das chuvas. As temperaturas, segundo Bristot, tanto as máximas como as mínimas deverão se manter próximas das normais para o período. “Na capital, a temperatura deve variar entre a mínima de 24º C e a máxima de 32º C. Para o interior nas regiões serranas, a mínima poderá chegar a 22ºC e a máxima ultrapassar 35ºC”, disse.

Para esta semana as previsões são as seguintes: nesta segunda-feira, (13), com céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com possíveis pancadas de chuvas nas regiões Oeste e Litoral Leste. terça-feira (14), céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com pancadas de chuvas nas regiões Oeste, Costa Branca e Litoral Leste. A quarta-feira (15/01) também será de céu parcialmente nublado a claro em todo o Estado com pancadas de chuvas no Oeste, Costa Branca e Litoral Leste. A quinta-feira (16) deverá ter céu parcialmente nublado em todo o Estado com pancadas de chuvas nas regiões Oeste, Vale do Assú e litoral Leste. A sexta-feira (17/01) será de céu parcialmente nublado em todo o Estado com pancadas de chuvas em todo o Estado. Sábado e o domingo (18 e 19) deverá ser de céu parcialmente nublado em todo o Estado com pancadas de chuvas em todo o Estado. Possibilidade de chuvas fortes durante a noite de sábado no setor Leste do Estado. No domingo (19/01) possibilidade de chuvas fortes durante a madrugada e na manhã setor Leste do Estado.

Boletim Pluviométrico do fim de semana

O município de São Francisco do Oeste, localizado na mesorregião Oeste Potiguar foi o que registrou o maior volume de chuvas – de sexta (10) às 7h da manhã, até esta segunda-feira (13), às 7h- com 23,7 milímetros (mm). A EMPARN registrou a ocorrência de chuvas em 22 dos 173 postos instalados no RN.

O segundo município com maior volume de chuvas foi Venha Ver, também no Oeste, com 22 mm. A capital potiguar não registrou chuvas.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Marcos disse:

    Como sempre a EMPARN espantando a chuva com suas previsões

Emparn registra chuvas em pelo menos 44 municípios potiguares entre quinta e esta sexta; veja onde “caiu mais água”

Foto: Reprodução/Emparn

O boletim pluviométrico da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn), referente ao período das 07h da manhã dessa quinta-feira (09) até 07h da manhã desta sexta-feira (10) registrou a ocorrência de chuvas em 44 dos 173 postos de coleta instalados no RN.

O município de Lagoa Nova, localizado na mesorregião central potiguar, foi o que mais choveu, de ontem para esta sexta-feira(10). O volume foi de 48,5mm.

O segundo maior volume de precipitações foi registrado em Olho D´água dos Borges, com 47 (Oeste Potiguar) e o seguinte foi João Dias com 33mm. Na capital potiguar choveu 29,1mm.

OESTE POTIGUAR

Olho D’agua Dos Borges(Particular) 47,0
João Dias(Emater) 33,0
Venha Ver(Emater) 32,0
Apodi(Prefeitura) 30,0
Baraúna(Emater) 23,6
Pilões(Prefeitura) 20,0
Rafael Fernandes(Emater) 18,1
Serrinha Dos Pintos(Prefeitura) 17,0
Portalegre(Particular) 14,8
Riacho Da Cruz(Emater) 14,7
Viçosa(Prefeitura) 13,8
Lucrécia(Emater) 13,0
Tenente Ananias(Emater-st Mororo) 13,0
Martins(Particular) 8,2
Umarizal(Fazenda Camponesa(partic)) 8,0
Itau(Particular) 5,0
Rafael Godeiro(Emater) 2,9
São Francisco Do Oeste(Prefeitura) 1,1

CENTRAL POTIGUAR

Lagoa Nova(Emater/st. Humaita) 48,5
Jardim Do Serido(Emater/passagem) 31,0
São João Do Sabugi(Emater) 7,0
São José Do Seridó(Fz Caatinga Grande) 6,0
Parelhas(Emater) 5,5
Bodo(Emater/trf p/delegacia) 5,1
Carnaúba Dos Dantas(Emater) 4,4
Caico(Acude Itans) 4,2
Caiçara Do Rio Dos Ventos(Particular) 3,0
Ouro Branco(Sindicato Trab.rurais) 3,0
Cruzeta(Base Fisica Da Emparn) 2,3
Caicó(Emater) 1,9
Caicó(Acude Mundo Novo-emparn) 0,8
Pedro Avelino(Base Fisica Da Emparn) 0,5

AGRESTE POTIGUAR

Monte Alegre(Emater) 12,0
Coronel Ezequiel(Particular) 3,0
Santa Maria(Sind.trab.rurais) 2,0
João Câmara(Centro Saude) 1,9
Barcelona(Particular) 1,0
Monte Das Gameleiras(Emater) 1,0
Parazinho(Emater – Ex-particular) 0,5

LESTE POTIGUAR

Natal 29,1
Ceará-Mirim 20,0
São Gonçalo Do Amarante(Base Fisica Da Emparn) 14,0
Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 6,9
Baia Formosa(Destilaria Vale Verde) 0,4

Chuvas devem seguir até domingo, indica previsão da Emparn

Foto: Ilustrativa

A análise do comportamento climático para esta semana indica a possibilidade de chuvas mais intensas a partir desta quinta-feira (09), devido a intensificação dos ventos em altos níveis da atmosfera sobre parte central da América do Sul associado com a formação de um Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) sobre o Nordeste Brasileiro. O chefe da unidade de meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), Gilmar Bristot alerta que, “essas chuvas deverão atingir mais as Regiões Oeste e Central do RN e as temperaturas, tanto as máximas como as mínimas deverão se manter próximo das normais, variando na capital entre 24º C e 32º C. Para o interior nas regiões serranas, as mínimas poderão chegar a 22ºC e as máximas ultrapassar os 35 ºC”.

Boletim

O Boletim Pluviométrico divulgado pela empresa, referente ao período das 07h da manhã de ontem (07) até às 07h desta quarta-feira (08), registrou a ocorrência de chuvas em todas as regiões do RN, dando sequência ao início do período pré-chuvoso.

Os dados são de 43 pluviômetros instalados em diversos municípios do estado. O município de São Bento do Norte, localizado na mesorregião Central foi o que registrou maior volume, com 85,0 milímetros (mm), seguidos por Lajes, 60,0mm e Macau, com 56,8mm. Na mesorregião Oeste choveu em Carnaubais, 42,0mm; Ipanguaçu, 25,7mm e Parau, 22,3mm.

Na mesorregião Agreste os destaques são Santa Cruz 76,0mm e São Bento do Trairi, 45,0mm. Na mesorregião Leste choveu mais forte em Extremoz, 37,9mm e Parnamirim, 28,8mm. Na capital potiguar, o acumulado das chuvas foi de 28,6mm.

O RN já registrou na primeira semana de janeiro chuvas acima de 100 mm, como no município de Luis Gomes, com 114mm. A previsão climática, no período de janeiro a março de 2020, indica a tendência das chuvas ocorrerem dentro da média histórica na região semiárida potiguar, incluindo aí as regiões Oeste, Seridó, Central e Agreste do RN, variando entre 234,8 e 390,7 mm.

Natal registrou 28,6 milímetros de chuvas nas últimas 24 horas, e interior foi a região mais “banhada”; veja boletim pluviométrico em municípios

Foto: Reprodução

O Boletim Pluviométrico da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn) divulgou os locais que registraram chuvas nas últimas 24 horas.

Na região Oeste, destaque para 42 milímetros em Carnaubais; na região Central, São Bento do Norte com 85 milímetros, Lajes(60 mm) e Macau(56,8) foram as cidades mais banhadas; na região Agreste, Santa Cruz registrou 76 mm.

No Leste potiguar, Natal registrou 28,6 milímetros, com Extremoz alcançando 37,9 na região. Veja outros municípios:

OESTE POTIGUAR

Carnaubais(Emater) 42,0
Ipanguaçu(Base Fisica Da Emparn) 25,7
Parau(Prefeitura) 22,3
São Francisco Do Oeste(Prefeitura) 14,0
Portalegre(Particular) 13,0
Assu(Emater/st. Casa Forte) 11,0
Ipanguaçu(Emater) 10,3
Martins(Particular) 8,7
Coronel João Pessoa(Emater) 4,0
Upanema(Prefeitura) 1,4
Apodi(Prefeitura) 1,0

CENTRAL POTIGUAR

São Bento Do Norte(Prefeitura) 85,0
Lajes(Prefeitura) 60,0
Macau(Posto Nosso Barco) 56,8
Guamaré(Lagoa Doce) 37,0
São Fernando(Emater) 33,5
Jardim De Piranhas(Prefeitura) 16,4
Angicos(Prefeitura) 14,7
Parelhas(Emater) 12,8
Fernando Pedroza(Emater) 12,5
Jardim De Angicos(Emater) 6,2
Macau(Defesa Civil (ex-emater)) 6,1
Lajes(Olho D´água Dois Irmaos) 3,2
Carnaúba Dos Dantas(Emater) 2,3
Pedro Avelino(Particular) 2,3
Pedro Avelino(Base Física Da Emparn) 1,0

AGRESTE POTIGUAR

Santa Cruz(Emater) 76,0
São Bento Do Trairi(Prefeitura) 45,0
Coronel Ezequiel(Particular) 38,5
Monte Das Gameleiras(Emater) 30,0
Parazinho(Emater – Ex-particular) 15,6
Barcelona(Particular) 11,0
Sitio Novo(Prefeitura) 9,5
São Paulo Do Potengi(Emater) 5,0
João Câmara(Centro Saúde) 4,6
Campo Redondo(Policia Rodoviária) 4,5
Tangara(Emater) 2,4

LESTE POTIGUAR

Extremoz(Emater) 37,9
Parnamirim(Base Fisica Da Emparn) 28,8
Natal 28,6
Pureza(Emater) 26,4
Pedra Grande(Emater) 19,0
São Gonçalo Do Amarante(Base Física Da Emparn) 0,3

Arroba do boi gordo cai 15%, e preço da carne deve diminuir em janeiro

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

O preço da carne, vilã da cesta básica nos últimos meses, deve começar a cair nas próximas semanas, segundo informou em nota o Ministério da Agricultura. O motivo é que o preço da arroba do boi gordo registrou queda média de 15% no mês de dezembro, segundo o Ministério da Agricultura.

“Esse recuo interrompe a alta de 28,5% contabilizada ao longo dos últimos seis meses nos principais mercados do país”, disse a pasta, em nota.

“Em Mato Grosso do Sul, o recuo foi de R$ 220 para R$ 190.”

A avaliação do diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento, Sílvio Farnese, é de que o cenário indica uma acomodação dos preços no atacado, com reflexos positivos no varejo no curto prazo.

Para ele, o comportamento dos preços se deve à regulação do mercado, com melhor equilíbrio entre a oferta e a procura.

“Para o consumidor, a redução dos preços deverá ser sentida nas próximas semanas, com a renovação de estoques por parte dos supermercados. Na última semana, já foi observada queda no valor de cortes de traseiro, que têm cotações mais elevadas e mais sensíveis às variações de demanda. Um exemplo é a alcatra que teve a maior desvalorização, com 4,5% de queda no preço nos últimos sete dias”, afirma a pasta na nota.

A tendência para os próximos meses, segundo Farnese, é de estabilização dos preços. “Não há margem para aumentos futuros”, disse.

R7, com Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luis disse:

    Kkkkkkk, tomaram o pirulito da baca do petralha, era só o que eles falavam esse aumento da carne.

Polícia indicia 74 pela matança de 26 presos em janeiro de 2017 na Penitenciária de Alcaçuz

A Polícia Civil potiguar informa que concluiu nesta sexta-feira(29), o inquérito que apura o Massacre de Alcaçuz. A matança de 26 presos ocorrida foi registrada em janeiro de 2017 dentro da maior penitenciária do Rio Grande do Norte. Ao todo, 74 detentos serão indiciados por homicídio, além de outros crimes.

O Massacre de Alcaçuz, como ficou conhecido devido a grande repercussão pelo país e mundo, começou em 14 de janeiro de 2017, e durou quase duas semanas. Na ocasião, 26 presos foram mortos durante uma briga envolvendo membros de duas facções criminosas: o Primeiro Comando da Capital (PCC) e o Sindicato do Crime do RN.

Programa do governo federal de estímulo a emprego entrará em vigor em janeiro de 2020

Foto: Arquivo

O lançamento do pacote para estimular a geração de empregos no país foi adiado para a próxima semana. Havia expectativa de que as medidas fossem anunciadas pelo presidente Jair Bolsonaro nesta quinta-feira, mas o Palácio do Planalto decidiu adiar com o objetivo de criar uma agenda positiva.

Chamado de “Trabalho Verde Amarelo” , o programa vai beneficiar contratos de trabalho com duração de dois anos, a serem assinados a partir de janeiro de 2020, sendo permitidas contratações ao fim de 2021. Ou seja, na prática, o programa poderá quatro anos.

Segundo técnicos envolvidos nas discussões, o programa será restrito a jovens (entre 18 anos e 29 anos) no primeiro emprego e pessoas acima de 55 anos da baixa renda (remuneração de até um salário mínimo e meio).

Para os empregadores a vantagem é a redução dos encargos trabalhistas, com a isenção da contribuição previdenciária e diversos penduricalhos da folha, como salário-educação. A contribuição para o FGTS de 8% será de 2% e multa nas demissões sem justa causa, cairá dos atuais 40% para 20%.

O programa poderá custar aos cofres públicos cerca de R$ 10 bilhões, considerando quatro anos. A expectativa é beneficiar um universo de mais de três milhões de trabalhadores. Poderão ser incluídos menores aprendizes, jovens que tenham sido contratados na modalidade de trabalho intermitente e avulso. Para pessoas mais velhas, a única restrição é não ser aposentado.

O programa será criado por medida provisória, mas será preciso dar um prazo para adaptação de sistema, segundo técnicos do governo.

O Globo

Ministro da Saúde encontrou no início de janeiro estoque zerado de remédios para doenças raras e transplantados

Reprodução: Instagram

Presidente Jair Bolsonaro(PSL) informou através das redes sociais nesta terça-feira(21) a grave constatação do ministro da saúde no início de janeiro, ao encontrar zerado o estoque de remédios para doenças raras e transplantados.

Bolsonaro ainda destacou o gasto anual com esses medicamentos na casa dos R$ 15 bilhões. Ainda informa que a recomposição do estoque e distribuição aos pacientes deve ser normalizada até junho.

Produção industrial no país avança em nove locais pesquisados em janeiro

ARQUIVO – AGÊNCIA BRASIL

Apesar da queda de 0,8% na produção industrial nacional, nove dos 15 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tiveram alta na passagem de dezembro de 2018 para janeiro deste ano. O maior crescimento foi observado no Amazonas (5,2%), de acordo com dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física Regional, divulgados hoje (14).

Outros estados com alta foram Pernambuco (3,0%), Rio Grande do Sul (2,6%), Goiás (2,6%), Pará (1,7%), Santa Catarina (0,8%), Minas Gerais (0,7%) e o Paraná (0,7%). A Região Nordeste, que também é pesquisada pela soma dos seus nove estados, teve crescimento: 1%.

Por outro lado, seis estados puxaram a queda nacional da indústria: Mato Grosso (-5,4%), Espírito Santo (-2,6%), Bahia (-2,2%), São Paulo (-1,8%), Rio de Janeiro (-1,3%) e o Ceará (-0,4%).

Outras comparações

Na comparação com janeiro de 2018, dez dos 15 locais pesquisados tiveram queda. As maiores delas foram observadas no Amazonas (-10,5%) e em Mato Grosso (-9,2%). Dos cinco locais com alta na produção, o Paraná teve o melhor resultado (8,1%).

No acumulado de 12 meses, oito dos 15 locais tiveram queda, com destaque para Goiás (-4,2%), e sete tiveram alta, com o melhor resultado sendo observado no Pará (8,2%).

Agência Brasil

 

Contas públicas ficam positivas em R$ 46,8 bilhões em janeiro

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

As contas públicas iniciaram o ano com saldo positivo. De acordo com dados divulgados nesta quinta-feira(28) pelo Banco Central (BC), o setor público consolidado, formado pela União, os estados e municípios, registrou superávit primário de R$ 46,897 bilhões em janeiro. O resultado ficou praticamente estável em relação ao mesmo mês de 2018, quando houve superávit de R$ 46,940 bilhões.

O resultado primário é formado por receitas menos despesas, sem considerar os gastos com juros.

Em janeiro, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional), apresentou superávit primário de R$ 35,607 bilhões.

Os governos estaduais e municipais também apresentaram saldo positivo: R$ 9,573 bilhões e R$ 1,210 bilhão, respectivamente.

As empresas estatais federais, estaduais e municipais, excluídas as dos grupos Petrobras e Eletrobras, registraram superávit primário de R$ 507 milhões no mês passado.

Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, o resultado positivo em janeiro é característico do período e não indica uma tendência. “Isso mostra que há uma certa sazonalidade em janeiro para obtenção de resultados mais favoráveis.”

A meta para o setor público consolidado é de um déficit primário de R$ 132 bilhões neste ano.

Despesas com juros

Os gastos com juros ficaram em R$ 20,853 bilhões em janeiro, contra R$ 28,314 bilhões no mesmo mês de 2018. Segundo Rocha, a redução nessas despesas em relação ao ano anterior deve-se aos lucros do BC com operações no mercado de câmbio (swap cambial) que são transferidos para o resultado de juros.

Em janeiro, o superávit nominal, formado pelo resultado primário e os resultados dos juros, foi de R$ 26,044 bilhões, ante o resultado também positivo de R$ 18,626 bilhões em janeiro de 2018. O resultado nominal positivo de janeiro foi o maior da série histórica do BC, iniciada em dezembro de 2001.

Dívida pública

A dívida líquida do setor público (balanço entre o total de créditos e débitos dos governos federal, estaduais e municipais) chegou a R$ 3,733 trilhões em janeiro, o que corresponde 54% do Produto Interno Bruto (PIB), com aumento em relação a dezembro (53,8% do PIB).

Em janeiro, a dívida bruta – que contabiliza apenas os passivos dos governos federal, estaduais e municipais – chegou a R$ 5,302 trilhões ou 76,7% do PIB, mesmo patamar do mês anterior.

Agência Brasil