Política

‘Política é do governo Bolsonaro, ministro executa’, diz Queiroga em Brasília

Foto: CNN Brasil

O cardiologista Marcelo Queiroga, escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para assumir o Ministério da Saúde, realiza na manhã desta terça-feira (16) uma reunião com o atual chefe da pasta, o general Eduardo Pazuello, para organizar a transição do cargo.

Na chegada à Esplanada dos Ministérios, Queiroga falou com jornalistas e declarou que “a política (de saúde) é do governo Bolsonaro e não do ministro da Saúde. O Ministro executa”. Após a declaração, o médico disse ser necessário uma “união nacional para vencer o vírus”.

“O presidente está muito preocupado com a situação (do país na pandemia), pensa nisso dioturnamente”, afirmou. “O governo está trabalhando, politicas publicas estão sendo colocadas em prática, já anunciou cronograma de vacinação”.

Questionado por jornalistas sobre os projetos que pretende adotar na pasta, o futuro ministro não se manifestou sobre a possibilidade da sua gestão implementar políticas públicas de distribuição do medicamento hidroxicloroquina, ou aderir ao lockdown.

“As minhas opiniões são públicas, basta pesquisar”, respondeu.

Queiroga já havia se manifestado em entrevista à CNN que o lockdown não pode ser política de governo. Segundo o médico, a medida só deve ser utilizada em situações extremas.

O futuro ministro se recusou a avaliar a gestão do atual chefe do Ministério Saúde, mas defendeu o trabalho desenvolvido por Eduardo Pazuello e disse que dará continuidade ao que foi feito pelo general nos 10 meses em que ficou no cargo, como ministro interino e oficial.

“Não tem avaliação da gestão Pazuello, não vim aqui avaliar. Vim aqui trabalhar pelo Brasil”, disse. “O ministro Pazuello tem trabalhado arduamente para melhorar as condições sanitárias no Brasil e eu fui convidado pelo Presidente Bolsonaro para dar continuidade a esse trabalho”.

CNN Brasil

Opinião dos leitores

  1. Trocou 6 por meia dúzia,mas é bom êle lembrar que as ações de um militar tem o agasalho das forças armadas,como médico êle fez um juramento bem diferente,o perigo em obedecer ordens "superiores" têm que ser avalisadas oelis conselhos de classe.

  2. Nada mudou. A solução é retirar o chefe e não errar mais nas próximas eleições. Quase 2 décadas de erro. O Brasil não aguenta mais políticos corruptos e inéptos.

  3. De que adianta pesquisar as opiniões na Internet se ele já mudou algumas, antes era a favor ao isolamento social agora é contra

  4. Tinha dúvida se dr Queiroga aceitou o convite sem a mancha da vaidade, infelizmente, agora tenho certeza.
    Outro pau mandado por um genocida. Pobre de nós brasileiros, só Jesus na causa/causo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Dupla invade casa e executa irmãos na frente da mãe na Grande Natal

Foto: Ilustrativa

A Polícia Militar informa uma ocorrência na madrugada desta segunda-feira(17) em que criminosos arrombaram a porta de uma casa e executaram dois irmãos a tiros na frente da mãe deles, em Extremoz, na região metropolitana de Natal. De acordo com informações iniciais, o crime aconteceu próximo das 4h na rua Novo Horizonte, nas Malvinas. As vítimas tinham 35 e 38 anos.

Segundo a PM, a mãe das vítimas contou que dois bandidos arrombaram uma porta que dá acesso ao quintal da casa, obrigaram os seus filhos a entrarem na sala e os mataram a tiros. Logo após, fugiram com destino desconhecido.

O caso será investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *