Pesquisa diz que 70% das pessoas esperam “festa da firma” para trair o parceiro

Foto: shutterstock

Uma pesquisa realizada pelo site Second Love, especializado em relacionamentos extraconjugais, pode deixar uma pulga atrás da orelha dos mais ciumentos. De acordo com 7 a cada 10 dos usuários questionados, o período festivo de fim de ano – com destaque para as festas do trabalho – é o mais propício para traições.

O estudo, divulgado com exclusividade para o Delas , foi realizado com mais de 2 milhões de usuários na América Latina e também refletiu sobre o histórico: mais de 30% dos usuários confirmaram que fizeram sexo com alguém do trabalho após a festa de fim de ano da firma – e mais de 65% admitiram que tiveram algum tipo de abordagem ou intenção de trair durante a comemoração.

Uma das justificativas possíveis, oferecida pelo próprio site, é o fato de que um momento informal fora do ambiente do trabalho pode ser ideal para “liberar o estresse absorvido durante o ano inteiro”. Outro ponto está na possibilidade de comparecer a essas festas sem a presença do parceiro .

A gerente regional do Second Love na América Latina, Anabela Santos, ao destacar o aumento notável do fluxo do site no fim do ano também comenta que “o clima festivo, os passeios noturnos e os compromissos geram oportunidades para que se cometam mais traições”.

Traição na noite de Natal

A pesquisa também investigou o comportamento dos usuários na própria festa natalina. Sobre isso, 70% dos usuários confirmaram que também planejam celebrar essa festa especial com seu amante, sendo que 36% deles combinam um almoço ou uma atividade durante a véspera de Natal, e 34% saem após a ceia de Natal, preferindo um encontro em um hotel ou local isolado para trair .

O estudo também revelou que 4 em cada 10 usuários compram um presente de Natal para a sua amante e, quando o assunto é valor, são as mulheres que gastam mais dinheiro em comparação aos homens, chegando a pagar até US$ 100 (pouco mais de R$ 410) ou mais aos seus amantes .

IG

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Papa Jerry Moon disse:

    Os outros 30% não esperam nem a festa da firma. Kkkkkk

  2. Henrique disse:

    O negócio tá difícil pra quem é casado (a) o chifre é no mei da canela… Não tem pra onde fugir.

CONFRATERNIZAÇÃO: Um a cada três funcionários fará algo vergonhoso na festa da firma, diz estudo

(Getty images/Superinteressante)

Festa de fim de ano na firma é tradição para uns – e pesadelo para outros. Aqui na redação da SUPER mesmo, essa jovem repórter que vos fala sugeriu um “amigo secreto”, mas todos preferiram ficar só na comemoração com comida. Porque, acredite, vexames são muito mais comuns do que imaginamos.

De acordo com uma pesquisa conduzida pela empresa de marketing OnePoll em conjunto com o site de planejamento social Evite, um em cada três funcionários de escritório faz algo que lamenta (sente envergonha, no bom português) em uma confraternização de Natal do trabalho.

E já dá para imaginar por que as lembranças não são tão boas: bebida gratuita, atmosfera comemorativa e até brincadeiras que exigem uma intimidade além do seguro no ambiente de trabalho (leia-se “amigo secreto”) podem resultar em sinceridade demais. Dois em cada cinco entrevistados relataram ter passado por um grande drama na festa do escritório ou ouviram revelações bombásticas sobre os colegas.

Falando em revelações, as fofocas rolam soltas nesse ambiente: segundo o levantamento, feito em 2 mil escritórios americanos, um trabalhador ouve, em média, sete novas fofocas sobre colegas enquanto participa da festa de fim de ano – e muitas são rumores sobre relacionamentos no trabalho. Alguns deles, claro, acabam sendo verdadeiros. Dos entrevistados da pesquisa, 37% disseram que testemunharam dois colegas sendo “afetuosos demais” um com o outro em uma “confra” de fim de ano.

O estudo ainda destaca outras informações curiosas: cada funcionário participará de seis fotos de grupo na festa, em média. Além disso, sexta-feira é o dia favorito de todos para participar da festança (por razões óbvias, né?). Foi atestado que nos casos em que a confraternização é realizada em um dia da semana, 35% dos funcionários chegam atrasados ​​para o trabalho no dia seguinte – e outros 17% tiram o dia de folga.

Mas, nem tudo é negativo: 75% dos entrevistados disseram aguardar ansiosamente pela comemoração de fim de ano. E a principal razão é a oportunidade de socializar informalmente com os colegas de trabalho. Isso é bom especialmente para os tímidos: de acordo com a pesquisa, a festa é o momento certo deles brilharem, já que 35% das pessoas alegam que um colega aparentemente reservado é sempre “a vida e a alma” da festa de fim de ano. O que isso quer dizer exatamente , vai da imaginação de cada um.

E você? Vai participar de alguma “confra” este ano? Comemorar é bom, mas a pesquisa serve para alertar que nunca é bom passar por aquela “torta de climão” no dia seguinte.

Super Interessante