MAIOR QUARENTENA DO MUNDO: Índia ‘isola’ 1,3 bilhão de pessoas por 21 dias

Foto: Amit Dave/Reuters

A Índia vai começar o maior isolamento de população do mundo, anunciou o primeiro-ministro Narendra Modi em uma transmissão pela TV nesta terça-feira (24). Ele pediu para que a população de 1,3 bilhão de pessoas fique em casa ou arrisque se infectar pelo Sars-Cov-2, o novo coronavírus.

Modi prometeu direcionar US$ 2 bilhões (cerca de R$ 10,16 bilhões) para o sistema de saúde do país.

“Para salvar a Índia e todos os indianos, vai haver uma proibição total de saídas de suas casas”, ele afirmou. Se o país fracassar no controle do coronavírus nos próixmos 21 dias, poderá ficar 21 anos atrasado, ele complementou.

Com essa medida, cerca de um quinto da população do mundo está em isolamento.

Há 469 casos ativos de Covid-19 na Índia, além de 10 mortes. As autoridades insistiram que não há evidência de transmissões domésticas, mas conduziram poucos testes para checar a presença da doença na população.

A Índia aumentou paulatinamente as ordens para que as pessoas fiquem em casa, e proibiu voos internacionais e domésticos, além de ter suspendido os serviços de transporte ferroviário para passageiros.

Os trabalhadores de hospitais, polícia e imprensa estão isentos das regras de isolamento, e mercados de comida e farmácia permanecerão abertos.

Modi classificou a nova regra de “fechamento total” e não disse quais serviços são exceções, mas disse que todos os passos foram dados pelo Estado para garantir a oferta de itens essenciais”.

G1

Pessoas com sangue tipo A podem ser mais vulneráveis ao coronavírus, diz estudo preliminar na China

Pessoas com sangue tipo A podem ser mais vulneráveis a serem infectadas com coronavírus em comparação com outros tipos sanguíneos, diz um estudo preliminar realizado na China.

Pesquisadores do Hospital Zhongnan da Universidade de Wuhan examinaram padrões de grupos sanguíneos de 2.173 pessoas que foram diagnosticadas com covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus.

A pesquisa, realizada a partir de estatísticas de admissões de pacientes com a doença, foi publicada na plataforma científica MedRxiv, e ainda não foi revisada.

Especialistas destacam, contudo, que mais estudos aprofundados são necessários e que essas constatações preliminares não invalidam a necessidade de se tomarem medidas para frear o contágio do vírus, que já infectou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo e deixou cerca de 9 mil mortos até agora.

Os pesquisadores chineses descobriram que pacientes com sangue tipo A tinham uma taxa “significativamente maior” de infecção e pareciam desenvolver sintomas mais graves do vírus.

De todos os tipos sanguíneos, o tipo O parecia ter o menor risco de infecção. Segundo o estudo, 85 dos 206 pacientes que morreram de covid-19 em Wuhan, epicentro do surto, tinham sangue tipo A, uma taxa 63% superior aos do tipo O.

O mesmo padrão foi encontrado em diferentes grupos etários e de gênero. O estudo sugeriu que a maior suscetibilidade das pessoas com sangue tipo A poderia estar ligada à presença de anticorpos naturais no sangue, porém, mais estudos são necessários para comprovar essa associação.

A pesquisa levou em conta estatísticas demográficas para chegar a tais conclusões, como o porcentual de pessoas de diferentes tipos sanguíneos em Wuhan.

Embora os pesquisadores tenham reconhecido que suas descobertas eram preliminares, eles pediram a governos e autoridades médicas que considerassem os diferentes tipos sanguíneos ao tratar pacientes infectados.

Responsável pelo estudo, Wang Xinghuan disse que as pessoas com sangue tipo A podem precisar de “proteção pessoal especialmente reforçada” para reduzir suas chances de infecção, e aqueles já infectados, portadores desse tipo específico de sangue, necessitam de “observação mais vigilante e tratamento agressivo”.

“Pode ser útil adotar a identificação da tipagem sanguínea ABO em pacientes e equipes médicas como parte rotineira do gerenciamento de SAR-CoV-2 e outras infecções por coronavírus, para ajudar a definir as opções de gerenciamento e avaliar os níveis de exposição das pessoas ao risco.”

Cientistas e autoridades médicas de todo o mundo estão correndo para tentar entender o novo coronavírus com mais profundidade e desenvolver uma vacina.

Época, com BBC

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Dr. Veneno disse:

    Se o sangue tipo A é o de maior incidência na população, tem q ser ele o de maior pessoas infectadas. Isso é lógico.

Pessoas sem sintomas são responsáveis por dois terços das infecções de coronavírus

Unidades do novo coronavírus SARS-CoV-2 (em vermelho), causador da epidemia de Covid-19, numa imagem de microscópio eletrônico Foto: NIAID-NIH

Desde o surgimento da Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus, cientistas vêm suspeitando de que casos assintomáticos de contágio tem papel importante. Um estudo publicado nesta quinta deu números a essa preocupação: os portadores sem sintomas são responsáveis por dois terços das infecções.

A estimativa é de um grupo de cientistas chineses e americanos, coordenados pela Escola de Saúde Pública da Universidade Columbia, de Nova York. Em estudo na revista Science, eles mostram que, apesar de os pacientes que desenvolvem a doença serem duas vezes mais contagiosos, os assintomáticos são seis vezes mais numerosos mesmo com propensão menor a infectar outros, acabaram se tornando o motor que move a epidemia.

Os números foram tirados da análise dos casos registrados em Wuhan, epicentro da epidemia na China, antes de a cidade impor seu toque de recolher, em 23 de janeiro. Naquele contexto, os portadores assintomáticos do vírus representavam 86% dos casos, estimam os cientistas.

“A explosão do número de casos de Covid-19 na China foi amplamente impulsionada por indivíduos com sintomas amenos, limitados ou ausentes, que passaram despercebidos”, afirmou Jeffrey Shaman, da Escola de Saúde Pública da Universidade Columbia, de Nova York, que liderou o estudo.

“Dependendo de sua capacidade de contágio e de sua quantidade, os casos não detectados podem expor uma parcela muito maior da população ao vírus do que ocorreria de outra maneira”, completou o cientista. “Descobrimos que a Covid-19 na China, esses casos não detectados de indivíduos infectados são numerosos e contagiosos. Essas transmissões ocultas continuarão representando um grande desafio para a contenção dessa epidemia em andamento.”

A suspeita de que os casos assintomáticos eram o motor da epidemia foi levantada já no começo do surto da Covid-19, mas ainda não é um consenso entre cientistas.

Simulação de computador

Em fevereiro, questionada sobre se os casos notificados eram apenas a “ponta do iceberg” da epidemia, a OMS (Organização Mundial de Saúde) resistiu a endossar a informação. Segundo a entidade, a China já havia testado muitos casos assintomáticos em amostras coletadas de pessoas abordadas para uma varredura de vigilância contra outras doenças, sem detectar grande circulação do novo coronavírus.

A qualidade dessas amostras e a probabilidade de resultados falsos negativos em pacientes assintomáticos, porém, não tinha sido levada em conta.

Para estimar os casos assintomáticos agora, o grupo de Columbia e seus colaboradores, que inclui instituições chinesas, usou um modelo de simulação computacional que cruzou dados de incidência da doença com dados de mobilidade de pessoas na China para comparar os períodos antes e depois da restrição de circulação, que foi eficaz em frear o crescimento do surto.

Com o resultado do estudo, agora, há instituições americanas, chinesas e britânicas de pesquisa questionando a esperança de que os casos assintomáticos não fossem tantos.

Shaman foi instado a trabalhar com o novo coronavírus porque seu grupo de pesquisa já vinha há anos trabalhando com outros quatro coronavírus conhecidos, que causa resfriados e viremias com sintomas mais leves. Este patógeno, diz, pode se juntar à família de modo permanente.

“A elevada consciência sobre o surto, o aumento no uso de medidas de proteção pessoal e a restrição de transporte ajudaram a reduzir a força total da infeção, mas não está claro se essa redução será suficiente para cortar totalmente a disseminação do vírus”, diz Shaman. “Se o novo coronavírus seguir o padrão da pandemia de gripe H1N1 de 2009, ele também vai se espalhar globalmente para se tornar um quinto coronavírus endêmico dentro da população humana.”

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Yusuke urameshi disse:

    É melhor isolar o bolsovirus!

  2. Wallace disse:

    Isso SEMPRE EXISTIU, a maioria das gripes são transmitidas por pessoas que não tem os sintomas, mas estão com os vírus. Seja H1N1, influenza, gripe viária e muitas outras…
    Mas agora o índice de morte é bem maior e o alarme se tornou mundial.
    Dizem os especialistas que o covid-19 é a evolução de outros vírus.
    Mas vamos lembrar um fato:
    A gripe aviária teve origem na China;
    A peste negra teve origem na China;
    O SARS teve origem na China;
    O cononavírus teve origem na China e até aqui a China não foi isolada, continua produzindo seus vírus e espalhando pelo mundo. Era no mínimo para ser responsabilizada na produção de vacinas de todos essas pestes e distribuir ao mundo, de graça, as vacinas.
    Mas a culpa deve ser de Bolsonaro.

VÍDEO: Duas pessoas em motocicleta são baleadas na estrada da Redinha, em Natal, no início da tarde desta quarta

Duas pessoas que estavam em uma motocicleta foram baleadas no início da tarde desta quarta-feira(04) na Avenida João Medeiros Filho, ao lado BOPE, na Zona Norte da capital. Informações dão conta que ambos estejam mortos. Trânsito bem complicado nos dois sentidos. O registro é do Via Certa Natal.

Motoristas em carros mais caros param menos para pessoas atravessarem a rua, mostrou estudo

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos concluiu que cada mil dólares a mais no valor do veículo, a chance do motorista dar passagem diminui em 3%. Foto: Unsplash

Quem nunca quis atravessar a rua mas teve que esperar um carro parar e dar passagem? Um estudo da Universidade de Nevada buscou entender o que está por trás desse processo do dia a dia, e encontrou dados que mostram que donos de carros mais caros param menos para pedestres atravessarem a rua.

A pesquisa, realizada em 2016 e publicada em 2020, envolveu 461 motoristas e monitorou as tentativas de atravessar a rua feitas por quatro pessoas, um homem e uma mulher brancos e um homem e uma mulher negros. Ela foi feita em duas ruas de Las Vegas, nos Estados Unidos, e todos atravessaram sempre na faixa de pedestres.

Os dados coletados pelos pesquisadores mostraram que, a cada mil dólares de aumento no valor do carro, havia uma redução de 3% na chance do motorista parar o veículo e dar passagem.

Outro elemento que os pesquisadores Courtney Coughenour, James Abelar, Jennifer Pharr, Lung-Chang Chien e Ashok Singh encontraram foi que os motoristas pararam mais para mulheres e para brancos do que para homens ou negros.

Porém, segundo os cientistas, a variação entre os grupos não foi grande o suficiente para ser um dado relevante. Os números divulgados mostraram que 31% dos motoristas pararam para mulheres, 24% para homens, 25% para negros e 31% para brancos.

Os pesquisadores também destacaram que, apesar de todos os fatores levantados, o número geral de motoristas que pararam para pessoas atravessarem a rua já foi baixo: apenas 28%, ou seja, 129 motoristas, realizaram o ato.

Emais – Estadão

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Gustavo disse:

    Uma elite econômica sem formação ética e moral, sem respeito a vida humana ou a qualquer outra forma de vida. Uns arrogantes que infestam as ruas, meninos mimados e homens sem alma, que passam por cima de qualquer um pra conseguirem o querem. Não respeitam limites de velocidade, local pra estacionar, sinal fechado, retornos autorizados, filas, sonegam impostos, fazem caixa dois, vivem muitas vezes de ostentação, consumismo e aparências. Bando de Parasitas que se alimentam do trabalho, sangue e suor da classe mais pobre e trabalhadora.
    E ainda tem gente que adora esse povo da "Casa Grande", mesmo sendo da Senzala, adotando seus valores e princípios, e como verdadeiros Capitães do Mato, vivem atacando os seus iguais ou os irmãos menores, mais fracos e vulneráveis.
    Quando vamos aprender que o que torna os homens Nobres é o seu espírito de Humildade, Educação, Paz e solidariedade com os mais necessitados?

  2. CURITIBA JA disse:

    VIROU DOENÇA, A PTRALHADA ESTAR TODA INFECTADAKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  3. Sérgio disse:

    Nenhuma novidade nisso. Os bossais compram um carrão e dentro dele se acham superiores, não sabem eles que tal postura é considerada por muitos o supra sumo da cafonice.

“Hoje as pessoas se insultam como se estivessem dizendo bom dia”, diz Papa Francisco

Foto: TIZIANA FABI / AFP

Durante a Quaresma, os católicos são incentivados a se absterem de coisas que possam atrapalhar o período de autoexame. Nesta quarta-feira de cinzas, no entanto, o Papa Francisco adicionou um elemento moderno à lista de atos dos quais os fiéis devem abrir mão pelos próximos 40 dias: “trolar” — ou insultar — as pessoas nas redes sociais.

O pontífice fez seu apelo para uma retórica virtual mais amena ao falar para dezenas de milhares de pessoas na Praça de São Pedro, no Vaticano, durante sua audiência semanal que marca a contagem regressiva para a Páscoa. A Quaresma, afirmou o Papa em um discurso parcialmente improvisado, é “época de abrir mão de palavras inúteis, fofocas, boatos, disse-me-disse, e de falar com Deus com intimidade”.

— Nós vivemos em uma atmosfera poluída por muita violência verbal, muitas ofensas e palavras duras, que são amplificadas pela internet — disse o papa. — Hoje, as pessoas se insultam como se estivessem dizendo “bom dia”.

Desde que foi escolhido por seus pares, Francisco tem sido alvo de insultos em sites católicos ultraconservadores e contas anti-Papa no Twitter por conta de sua posição progressista para os padrões da Igreja Católica. O Twitter, em particular, sedia com frequência disputas verbais entre seus apoiadores e críticos.

Após sua audiência, o Papa participou da tradicional cerimônia da quarta-feira de cinzas, na qual cinzas foram esfregadas em sua testa. O ritual serve para relembrar os cristãos da mortalidade e de que, um dia, também se tornarão pó.

Durante a Quaresma, época marcada por arrependimento, jejum e reflexão, os fiéis são incentivados a praticar boas ações e se aproximar daqueles que passam por dificuldades.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Július disse:

    Os esquerdopatas , "Come capim" , sempre procurando uma justificativa para defender os seus "encantadores". Esse Papa não é Jesus, "Bolsominion" jumento quadrado, tem mais é que resolver o problema do Vaticano/ igreja católica que se envolveu em crimes e escândalos nos últimos 30 anos , em vez de ficar se metendo em política externa e dando indiretas esquerdopatas por aí afora.

  2. Francisco disse:

    É, e um papa receber um criminoso
    que desviou mais de trilhões de reais, de uma nação que a maioria do cidadãos são miseráveis, sorrindo e dizendo: você é o cara. Isso é papalhaçada de patife.

  3. Cigano Lulu disse:

    Ao que tudo indica está faltando eficácia à palavra pregada pela igreja.

As pessoas ficam mais bonitas quando estamos bêbados? Estudo diz que sim

Foto: Pexels

Imagine a cena: você e seus amigos chegam no bar, mas não se sentem atraídos fisicamente por ninguém ali. O tempo passa e a conta vai aumentando com os copos e garrafas de cerveja consumidos. De repente, como em um passo de mágica, as pessoas que estão por ali ficam muito mais bonitas.

Se isso já aconteceu com você ou com alguém conhecido, não se envergonhe: esse efeito, conhecido como “óculos de cerveja”, é comum. E foi justamente esse fenômeno que uma equipe da Edge Hill University, na Inglaterra, resolveu investigar.

Os pesquisadores pediram para que os clientes de um bar perto da universidade avaliassem fotos de diferentes pessoas consideradas atraentes ou não. Segundo o estudo, publicado no Psychology of Addictive Behaviors, os participantes sóbrios se atentavam mais às fotos de pessoas bonitas, enquanto quem estava mais bêbado mostrava ter o mesmo interesse por pessoas mais e menos atraentes.

“Pesquisas anteriores sobre o fenômeno dos ‘óculos de cerveja’ produziram resultados inconsistentes e se limitaram a perguntar diretamente às pessoas o quão atrativo elas consideravam os outros”, disse Rebecca Monk, principal autora do estudo, em comunicado. “Usando uma medida indireta de atenção, nossa pesquisa conseguiu superar algumas dessas limitações.”

Outros estudos já provaram que quando bebemos álcool nossa inibição diminui, o que nos ajudar a relaxar e flertar com outras pessoas. Além disso, pesquisas anteriores sugerem que o álcool reduz nossa capacidade de detectar assimetria nos rostos dos outros, nos tornando menos exigentes nesse aspecto — considerado importante no quesito beleza.

“A maioria das pessoas já ouviu falar do efeito ‘óculos de cerveja’, e nossa pesquisa se soma ao conjunto de evidências que mostram que existe alguma verdade nessa sabedoria anedótica”, explicou Derek Heim, que também participou da pesquisa. “É notável que, em nosso estudo ,os participantes estavam apenas levemente intoxicados, o que sugere que um baixo nível de álcool é o suficiente para que as pessoas coloquem seus ‘óculos de cerveja’.”

Galileu

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Francisco Xico disse:

    So for as mulheres, porque homem ficam igual papangu, tudo malamanhado.

  2. Pedro Melo disse:

    Por isso, vivo com uma lata de cerveja na mão!

Ciência tenta buscar pessoas que funcionam como superdisseminadores de coronavírus

Foto: Getty Images/BBC

A chamada superdisseminação — que é quando pacientes transmitem infecções para um grande número de pessoas — ocorre em quase todos os surtos.

Na maioria das vezes não é culpa deles, mas eles acabam tendo um impacto significativo na disseminação das doenças.

Não poderia ser diferente com o atual surto de um novo coronavírus (batizado de covid-19), que começou em dezembro na cidade chinesa de Wuhan e matou até agora mais de mil pessoas e infectou outras 40 mil.

Um dos superdisseminadores foi identificado como sendo o britânico Steve Walsh, que esteve em Cingapura a trabalho e depois foi associado à infecção de quatro pessoas no Reino Unido, cinco na França e uma na Espanha.

O que é um superdisseminador?

O termo é um tanto quanto vago, e não tem uma definição científica consolidada.

Mas trata-se do caso de um paciente que infecta significativamente mais pessoas do que o normal.

Em média, cada pessoa infectada com o novo coronavírus o transmite para duas e até três pessoas.

Mas isso é apenas uma média: algumas pessoas não passarão o vírus para ninguém, e outras, para mais de uma dezena, por exemplo.

Quão grande pode ser um episódio de superdisseminação?

(mais…)

Pessoas tendem a mentir para parecerem honestas, constata estudo

Foto: Creative Commons

Por mais contraditório que seja, as pessoas podem mentir para parecer honestas. É o que afirma um novo estudo da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel, publicado na revista científica American Psychological Association. Na maioria das vezes em que isso ocorre, é porque os indivíduos querem parecer competentes o bastante em determinada situação, de acordo com a pesquisa.

“Nossas descobertas sugerem que quando as pessoas obtêm resultados extremamente favoráveis, antecipam as reações suspeitas de outras pessoas e preferem mentir e parecer honestas do que dizer a verdade e correr o risco de soarem mentirosas ou egoístas”, Shoham Choshen, professora sênior da Escola de Administração de Empresas e do Centro de Estudos da Racionalidade da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O estudo realizou uma série de experimentos com advogados e estudantes de Israel, além de testes virtuais com voluntários dos Estados Unidos e da Inglaterra. Nas atividades com advogados, 115 indivíduos tiveram que imaginar um cenário em que tinham de dizer a um cliente quanto custaria para resolver um caso. Metade dos voluntários tinha que trabalhar em 60 horas e a outra metade, em 90 horas. No cenário hipotético, o cliente não saberia quantas horas os advogados trabalharam, de fato.

Quando perguntados quanto cobrariam do cliente, o grupo de 60 horas disse que havia trabalhado, em média, 62,5 horas – sendo que 17% do grupo mentiu para aumentar suas horas. No grupo de 90 horas, os advogados relataram uma média de 88 horas, com 18% do grupo mentindo ao relatar um período de trabalho menor. Quando foram cobrados por explicações das horas, alguns advogados do grupo de 90 horas abriram o jogo e disseram estar preocupados do cliente achar que foi enganado.

No grupo de estudantes, 149 jovens jogaram jogos online de rolagem de dados e lançamento de moedas, e depois relataram suas pontuações a um pesquisador. Cada um deles recebeu 15 centavos por lançamento de moeda ou dado. O programa de computador foi manipulado por metade dos alunos, para que recebessem notas perfeitas nos jogos, enquanto a outra metade teve resultados aleatórios. No grupo de pontuação perfeita, 24% omitiram algumas de suas vitórias – mesmo que isso lhes custasse dinheiro – para parecerem mais honestos.

No experimento online realizado nos EUA, 201 voluntários foram instruídos a imaginar um cenário em que faziam viagens de trabalho e, em troca, recebiam como remuneração mensal até 400 milhas. Eles foram informados de que a maioria dos funcionários da companhia recebia de 280 a 320 milhas por mês.

Na atividade, metade dos participantes recebeu 300 milhas em um mês e a outra, 400 milhas. Quando perguntados sobre sua remuneração, o grupo de 300 milhas disse a verdade e relatou uma média de 301 milhas. Já a turma das 400 milhas relatou uma média de 384 milhas, com 12% mentindo e diminuindo a milhagem. No Reino Unido, onde o mesmo experimento foi feito com 544 pessoas, os resultados foram semelhantes.

Choshen-Hillel acredita que os resultados do estudo seriam os mesmos no mundo real. “Embora nossas descobertas possam parecer irônicas ou contraintuitivas, acho que a maioria das pessoas reconhecerá um momento de suas vidas em que foi motivada a contar uma mentira para parecer honesta”, comenta a especialista. E aí, isso já aconteceu com você?

Galileu

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Santos disse:

    O retrato fiel da última eleição!

  2. Flauberto Wagner disse:

    Na pesquisa domiciliar ou melhor da cadeia, um dos entrevistados foi Lula, taí a razão do resultado final da pesquisa.

  3. Bento disse:

    Aprenderam com o cachaça o pai da mentira

INFIDELIDADE: Especialistas comentam os principais motivos que fazem as pessoas buscarem relações extraconjugais

Foto: Shutterstock

É fato: a infidelidade é uma realidade em muitos relacionamentos. Não são raros os casos de traição que abalam os casais e resultam em término. Segundo a psicóloga e sexóloga Bete Monteiro, do Instituto Ser+, falar em um perfil dos infiéis é algo limitador, afinal, existem vários motivos que levam alguém a trair.

Embora existam muitas variáveis, a especialista diz que geralmente há alguma questão emocional envolvida em uma traição ou micro traição – termo que ela usa para definir o que não é contato físico propriamente dito, mas indica omissão no relacionamento ou desejo por outra pessoa.

“Antigamente era comum, por exemplo, os homens tirarem a aliança. Isso é uma forma de micro traição. Ela é motivada pelo desejo do flerte”, explica.

Por que as pessoas traem?

A psicóloga fala que as pessoas costumam buscar elementos novos fora do relacionamento. Para muitos, isso é mais fácil do que investir na criatividade para salvar ou apimentar uma relação que já existe. Por isso, a diversão é justificativa comum para a traição.

No caso dos homens, Bete também explica que alguns buscam relações extraconjugais apenas para reforçar a masculinidade e manter a posição de “galanteador”. “Podemos pensar em pessoas que precisam se reafirmar e buscam possibilidades fora do relacionamento justamente para saber se ainda possuem o poder de sedução, da paquera…”, exemplifica.

Ela ainda comenta sobre o papel dos aplicativos de relacionamento na traição. “A sexualidade começa na construção mental, na imaginação. Quando eu estou em um app com alguém, essa pessoa pode ser o que eu quiser – é uma fantasia – muito mais estimulante que o real”, comenta.

Essas relações se mostram como algo mais excitante e prático, já que não há o “drama” do namoro ou do casamento envolvido. “E se eu resolvo, por exemplo, desinstalar o aplicativo e bloquear alguém eu termino essa questão. Não me implico de uma forma real como eu preciso fazer numa relação diária. Envolve também praticidade”, fala.

A reprogramadora Ivana Cabral também pontua que os motivos da traição são muito relativos, mas várias pessoas traem para se reafirmar e por se sentirem inseguras dentro do relacionamento. “A pessoa trai às vezes, por estar passando por uma dificuldade no relacionamento e busca em outra pessoa aquela chama que acha que não existe mais dentro de si”, fala.

Para a profissional, inclusive, é possível ainda amar o parceiro e trair, dependendo do desejo que sente pelo outro. “Você vai sentir desejo por outra pessoa, mesmo amando o seu parceiro, a diferença é você conseguir controlar esse desejo, entrar no equilíbrio. Depende dos valores de cada um”, diz.

IG

 

Sesap disponibiliza formulário para pessoas expostas ao óleo nas praias do RN

Foto: Google Imagens

Diante da ocorrência do desastre ambiental provocado pelo derramamento de óleo nas praias do Litoral Nordestino e em razão da possibilidade de contaminação por hidrocarbonetos poliaromáticos (HPAs), a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), por meio da Coordenadoria de Promoção da Saúde (CPS), disponibilizou um formulário online que pode ser preenchido por pessoas expostas ao óleo e também pelas equipes de Atenção Primária à Saúde.

Como forma de obter mais informações sobre os indivíduos que foram expostos, que apresentem sintomas ou exibam uma condição assintomática, a Sesap elaborou o formulário, a partir do qual será possível a construção de um banco de dados para subsidiar posteriores ações específicas, como por exemplo, investigação de possíveis casos de intoxicação exógena relacionados ao contato com o óleo.

Para preencher o formulário os profissionais de saúde e população em geral, podem acessar o link: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=53249

O Protocolo de Notificação-Investigação de Exposição ao Óleo na Costa Nordestina orienta para a realização da notificação e investigação de casos novos, através da busca ativa no território e alimentação de casos identificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) do Ministério da Saúde.

A Sesap já divulgou a recomendação junto às Regionais de Saúde e reforça também a necessidade da participação efetiva, principalmente dos profissionais Agentes Comunitários de Saúde (ACS), na realização desta atividade, uma vez que esses dados possibilitarão o monitoramento das pessoas expostas ao óleo nas praias.

Defensoria Pública averigua retirada de pessoas em situação de rua no Viaduto do Baldo pela Prefeitura

Foto: Divulgação/DPE

A Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Norte (DPE/RN), em ação conjunta com a Defensoria Pública da União, está averiguando o desalojamento de pessoas em situação de rua na área do viaduto do Baldo. A situação aconteceu após ação da Prefeitura de Natal, através da Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo e da Guarda Municipal. Cerca de trinta pessoas foram desalojadas durante o processo.

A retirada das pessoas ocorreu na segunda-feira (20) e teria como objetivo recolher entulhos existentes na região do viaduto que podem fazer transbordar o canal do Baldo em época de chuva. No entanto, durante a ação, as pessoas em situação de rua foram desalojadas sem nenhum aviso prévio ou opção de moradia temporária. Também não houve convocação prévia de órgãos públicos relacionados a atenção a pessoal em situação de rua para debater a melhor forma de executar a ação.

Leia matéria completa aqui no Justiça Potiguar.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Az disse:

    Em Parnamirim tem uma favela que é
    formada só com pessoas que venderam os apartamentos minha casa minha vida muitos querem um pra morar mais tem muitos que querem só pra vender por isso digo esse pais não vai ter jeito é nunca.

  2. eduardo disse:

    A semsur realizando esse tipo de trabalho? estranho, enquanto isso as orlas de natal, os banheiros públicos, e o ordenamento do comércio ambulante e de camelôs da cidade entregue as moscas. na parada do midway, quase que impossível transitar. Alô prefeito!

  3. amaral disse:

    Uma ação no mínimo desastrosa e sem planejamento nenhum. Estava próximo e pude observar vários guardas municipais e fiscais da Semsur desalojando esses cidadãos que encontram-se em situação de vulnerabilidade. por mais que eles questionassem para onde iriam, a única resposta que eles obtinham é que tinham que sair e pronto! Pergunta-se, essa é a politica públicas do Prefeito Álvaro Dias,destinadas aos munícipes que encontram-se desassistidos? está correto a Defensoria Pública do RN.

  4. Joao disse:

    O que é que a defensoria pública fez pra ajudar essas pessoas antes?

    • Valéria disse:

      João, o mesmo que o Prefeito Álvaro Dias, Fez. ou seja Nada. agora, chegar de maneira sorrateira, sem nenhum tipo de aviso ou comunicado, aí já demais

  5. BOLSA DE NYLON disse:

    Situação identica pode ser vista no el3evado da PRAIA DO FORTE, em baixo da via-inicio da Ponte Newton Navarro.

Bilionários do mundo têm mais riqueza do que 4,6 bilhões de pessoas

Foto: REUTERS/Shamil Zhumatov/direitos reservados

Os 2.153 bilionários do mundo detêm mais riqueza do que 4,6 bilhões de pessoas, que correspondem a cerca de 60% da população mundial. Os dados constam do novo relatório da organização não governamental Oxfam, Tempo de Cuidar – O trabalho de cuidado mal remunerado e não pago e a crise global da desigualdade, lançado nesse domingo (19), às vésperas do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

O estudo aponta que a desigualdade global está em níveis recordes e o número de bilionários dobrou na última década. Segundo o levantamento, o 1% mais rico do mundo detém mais que o dobro da riqueza de 6,9 bilhões de pessoas.

O relatório chama a atenção para o fato de que essa grande desigualdade está baseada em boa medida em um sistema que não valoriza o trabalho de mulheres e meninas, principalmente das que estão na base da pirâmide econômica. De acordo com a organização, no mundo, os homens detêm 50% a mais de riqueza do que as mulheres.

“Além de chamar a atenção para essa desigualdade extrema que não está sendo solucionada, resolvemos dar visibilidade a um tema que não tem visibilidade e que contribuiu para esse acúmulo de riqueza, que é o fato de o cuidado não ser remunerado ou ser mal remunerado”, disse a diretora executiva da Oxfam Brasil, Katia Maia.

“Milhões de mulheres e meninas passam boa parte de suas vidas fazendo trabalho doméstico e de cuidado, sem remuneração e sem acesso a serviços públicos que possam ajudá-las nessas tarefas tão importantes”, completou.

Segundo cálculos da Oxfam, o valor monetário global do trabalho de cuidado não remunerado prestado por mulheres a partir dos 15 anos é de US$ 10,8 trilhões por ano, três vezes maior que o estimado para o setor de tecnologia do mundo.

Katia destacou a forte contribuição da questão de gênero na desigualdade mundial. “Se você juntar os 22 homens mais ricos do mundo, eles têm a mesma riqueza que todas as mulheres que vivem na África, que é em torno de 650 milhões”.

Segundo a Oxfam, as mulheres fazem mais de 75% de todo trabalho de cuidado não remunerado do mundo. Frequentemente, diz a organização, elas trabalham menos horas em seus empregos ou têm que abandoná-los por causa da carga horária com o cuidado de crianças, idosos e pessoas com doenças e deficiências físicas e mentais bem como o trabalho doméstico diário.

(mais…)

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bento disse:

    A roda foi feita para girar.
    A Cezar o que é de Cezar.
    O mundo gira com o capital dessas pessoas.
    Ganhando dinheiro e ficando rico pela sua competência e abrindo empresas pelo lado social merecem todos os aplausos
    Mas nem todos sabem com usar bem o dinheiro; aplicam em cachaca, cocaona, maconha, prostituição e por ai vai… e vai mesmo se lascando e depois ficam criticando a desiguladade social.
    Dinheiro nao aguenta desaforo.
    Esses bem sucedidos é como se fossem seus país vao colocando pouco dinheiro em sua mão até aprenderem a usa- lo com competência e nao gastarem sem necessidades
    Quer ver um mal exemplo o PT está completando 40 anos e quer que você participe contribuído.
    É um mau negócio

  2. Centro disse:

    Melhor era ser índio. Viver em paz e harmonia. Todos iguais.

  3. Luciano disse:

    Por que não vão vender avon ? A finada Marisa, ex chifruta de Lula, juntou 9 milhões vendendo avon e tirou a família da pobreza assim diz o atual namorado de Janja

  4. Everton disse:

    Ninguém merece ser bilionário.

    • Seven disse:

      En tão ninguém merece usufruir das comodidades e inovações propiciadas pelos bilionários (os que enriqueceram oferecendo algo útil).

  5. Seven disse:

    Bill Gates se tornou bilionário criando um produto que mudou a vida de todo o mundo, perimitindo incomensurávis ganhos produtivos. Se fosse para diluir toda a sua fortuna pelos terráquos, não haveria motivação para desenvolver os seus programas.

  6. Seven disse:

    Não se enganem. Se não houvesse esses biliononários, os pobres seriam ainda mais pobres.
    Haveria mais igualdade na miséria.

Cogumelos alucinógenos dão ‘reset’ no cérebro de pessoas com depressão, destaca Super Interessante

Estudo britânico dá os primeiros passos para entender por que a psilocibina – princípio ativo dos cogumelos – tem efeitos benéficos duradouros para depressivos, mesmo em doses únicas. Foto: (Alan Rockefeller/Creative Commons)

O alucinógeno psilocibina – princípio ativo de mais de 100 espécies de cogumelos mágicos – é uma solução eficiente para casos de depressão que não respondem aos remédios tradicionais. E um artigo científico publicado na semana passada por pesquisadores do Imperial College, em Londres, deu os primeiros passos para revelar porque, exatamente, a substância é tão benéfica.

Estudos clínicos – ou seja, feitos com seres humanos, e não cobaias animais – já comprovaram que apenas uma ou duas doses de psilocibina ministradas em situação controlada ajudam pacientes de doenças terminais que sofrem de depressão e ansiedade, viciados em álcool e cigarro e pessoas com transtorno obsessivo compulsivo (TOC).

Neste novo estudo, 19 depressivos que não reagem às drogas mais usadas para combater o problema receberam, com uma semana de intervalo, uma dose de 10 mg e outra de 25 mg de psilocibina. Ao longo da primeira semana após a experiência, todos os voluntários apresentaram melhoras. Ao final da quinta semana, sem receber novas doses, os efeitos benéficos ainda puderam ser verificados em 47% deles.

Analisando exames feitos antes e após o consumo da substância, os cientistas perceberam que ela “dá um tranco” em regiões do cérebro que estão por trás da depressão, como a amígdala – que cuida, entre outras coisas, de reações emocionais como o medo.

“Muitos de nossos pacientes descreveram uma sensação de reset após o tratamento”, explicou em comunicado Robin Carhart-Harris, líder da pesquisa. “Um deles afirmou que foi como se seu cérebro tivesse sido desfragmentado, como se faz com um disco rígido.”

(A desfragmentação, para uma memória de computador, é o equivalente ao alívio que você sente quando arruma um armário bagunçado e põe todas as camisetas no mesmo lugar. O processo reúne em um canto só dados que pertencem a um mesmo programa, mas que antes estavam separados e espalhados.)

“A psilocibina pode estar dando a esses indivíduos o pontapé inicial que eles precisam para sair da depressão, e os resultados de ressonância magnética apoiam de forma tentadora as analogias com computadores.”

Do ponto de vista técnico, o que as ressonâncias mediram foi o fluxo de sangue em cada parte do cérebro, e quais partes trocavam informações mais intensamente entre si, antes, durante e depois da experiência psicodélica. Enquanto a psilocibina está no auge do efeito, as conexões entre diferentes áreas são muito menos intensas que a média. Após o fim da experiência, porém, várias redes neurais não só se reestabelecem como se tornam mais estáveis – e o fluxo de sangue na amígdala fica menor.

Em uma ressalva, os pesquisadores lembram que o teste foi feito com uma amostra relativamente pequena de voluntários, e que não havia um grupo de controle (ou seja, que recebe placebo) para usar de referência. “Estudos mais amplos são necessários para ver se esses efeitos positivos podem ser reproduzidos em mais pacientes. Mas as conclusões iniciais são animadores e abrem um novo caminho para exploração”, afirmou David Nutt, co-autor do paper.

Além disso, é sempre bom lembrar: não tente isso em casa. A psilocibina está em fase experimental e seu uso terapêutico precisa de acompanhamento médico.

A droga mais segura do mundo

Segundo o Global Drug Survey, um levantamento de saúde pública feito com 120 mil usuários de drogas de 50 países, a psilocibina é a substância química ilegal mais segura do mundo. 10% dos entrevistados, 12 mil pessoas ao todo, afirmaram ter usado os fungos psicodélicos em 2016. Só 24 delas – 0,2% – precisaram de assistência médica emergencial após a experiência.

Uma das características mais notáveis da psilocibina é que ela praticamente não vicia. Uma compilação de estudos feita em 2011 por médicos e psicólogos da Universidade de Amsterdã classificou como “irrisórios” os efeitos do uso de cogumelos mágicos sobre o crime organizado e problemas de saúde pública. O uso da droga gera um aumento temporário na tolerância do usuário – que o desestimula a tomar novas doses em pequenos intervalos, já que elas não fariam efeito.

O Brasil também investe na pesquisa com substâncias que são alvo de preconceito – mesmo quando elas vêm em plantas, e não fungos. Neste ano, pesquisadores do Instituto do Cérebro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) descobriram que uma única dose de ayahuasca – bebida típica da medicina tradicional amazônica e essencial para alguns rituais religiosos populares – alivia os sintomas de vítimas de depressão por até uma semana. O efeito é quase instantâneo.

“Psicodélicos clássicos, como a ayahuasca e a psilocibina (encontrada em um tipo de cogumelo) não viciam”, explicou o pesquisador Dráulio Araújo em entrevista à SUPER. “O aumento do número de estudos científicos com psicodélicos e a determinação dos seus benefícios terapêuticos tendem a mudar a opinião pública sobre o assunto.”

Super Interessante

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Em minha infância rural, era comum eu deparar com vacas "muito doidas" (entorpecidas) por terem se alimentado de cogumelos que medravam no campo. A propósito, eu quase que casava com uma delas.

  2. Jóia disse:

    Ciência é o caminho! Conhecimento, razão, metodologia, boas práticas científicas, avançar sempre em busca do melhor para o ser humano esse é o verdadeiro caminho!!!

Brasil é o 3º país em que pessoas passam mais tempo em aplicativos

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

As pessoas passaram 3 horas e 40 minutos, em média, utilizando aplicativos (também conhecidos como apps) em 2019. O índice é 35% maior do que em 2017. As informações são do principal relatório sobre o tema no mundo, da consultoria App Annie. A edição de 2020 foi divulgada ontem (15).

O Brasil ficou na terceira colocação no ranking dos países em termos de tempo gasto em apps, levemente acima da média, com 3 horas e 45 minutos.

O país foi superado pela China, onde as pessoas mexem com esses programas durante quase 4 horas, e a Indonésia, onde o tempo diário chegou a 4 horas e 40 minutos. Em seguida, vêm a Coreia do Sul (3h40) e Índia (3h30).

Na comparação entre 2019 e 2017, a China obteve a maior ampliação (60%), seguida pela Índia, o Canadá e a França (25%), a Indonésia (20%) e o Brasil, a Alemanha, Coreia do Sul, o Japão e Reino Unido (15%).

No recorte por idade, a chamada geração Z (nascida entre 1997 e 2012) passou 3 horas e 46 minutos por app por mês e teve 150 sessões por mês nos principais aplicativos.

O download anual de aplicativos cresceu 45% nos últimos três anos: saiu de 140 bilhões em 2016 para chegar a quase 204 bilhões em 2019.

No Brasil, esse aumento foi de 40%, atingindo cerca de 5 bi no ano passado. Entre as nações, o maior aumento no período foi da Índia: 190%.

Tipos

Os apps de finanças foram acessados 1 trilhão de vezes em 2019, um crescimento de 100% na comparação com 2017. O Brasil também ficou em terceiro no ranking desse tipo de programa, atrás apenas da Índia e da China.

Mas enquanto alguns países já têm a maioria de acessos em carteiras virtuais (China e Coreia do Sul), no Brasil e em outros (como Indonésia, França e Alemanha) as transações digitais são realizadas em sua maioria por apps de bancos. Os apps mais baixados nessa categoria foram Nubank, FGTS, Picpay, Caixa e Mercadopago.

O Brasil seguiu na terceira colocação também no ranking do crescimento em tempo gasto em apps de compras, atrás da Índia e Indonésia.

Entre 2018 e 2019, os brasileiros ampliaram em 32% a sua presença nesse tipo de ferramenta. Os apps mais baixados com essa finalidade foram Mercadolivre, Americanas, Magazine Luiza, AliExpress e Wish.

A colocação foi mantida também no caso dos apps de entrega de comida. O número de sessões nesse tipo de ferramenta entre os usuários daqui foi de 8 bilhões, ficando atrás dos Estados Unidos (10 bi) e da Indonésia (20 bi).

Nas aplicações voltadas ao entretenimento, o Brasil ficou em 7º lugar no ranking de crescimento entre 2018 e 2019, ainda assim com um índice de 32%.

Entre os locais onde o uso desse tipo de app foi maior estão Índia (78%), França (60%) e Japão (58%). Os mais baixados dessa modalidade foram Netflix, Youtube Go, Amazon PrimeVideo, Globoplay e Viki.

Entre as redes sociais, o estudo não divulgou ranking mundial, mas registrou a força do app chinês Tik Tok. A lista de mais baixados no Brasil é formada por Whatsapp, Status Saver, Snapchat, Telegram e Hago.

Investimentos

Já os gastos com aplicativos aumentaram 110%, passando de US$ 55 bilhões para US$ 120 bilhões no mesmo período. Os jogos são responsáveis por 72% do faturamento. A China aumentou 190% nos últimos três anos, chegando a acumular 40% do mercado mundial.

Em 2019, foram gastos US$ 190 bilhões em publicidade em dispositivos móveis. Neste ano, a projeção da consultoria é de que essa movimentação chegue a US$ 240 bilhões.

Internet das Coisas

O documento destaca o papel dos apps no ambiente interconectado que vem sendo chamado de Internet das Coisas. Nos Estados Unidos, os apps mais baixados para esse tipo ecossistema foram os assistentes Alexa e Google Home, o agregador de serviços audiovisuais Roku, o sistema de videogame Xbox, o sistema de segurança doméstica Ring e o aplicativo vinculado a um relógio conectado Fitbit.

Agência Brasil

 

Réveillon de Copacabana espera 2,8 milhões de pessoas

Foto: Gabriel Monteiro/SECOM

Na noite da virada do ano de 2019 para 2020 na Praia de Copacabana terá uma festa com 16,9 toneladas de fogos, distribuídas em dez balsas, numa queima de 14 minutos sincronizada com trilha sonora exclusiva, o chamado show piromusical. O esquema operacional para o réveillon na cidade foi apresentado nesta quinta-feira (26) pela prefeitura.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, também apresentou a participação do estado na festa. Segundo ele, o evento vai custar R$ 10 milhões, dos quais R$ 5,5 milhões virão de patrocínios da Lei de Incentivo à Cultura do estado.

“Este ano a expectativa é superar 2,8 milhões de pessoas na festa em Copacabana. Estamos com quase 90% de ocupação da rede hoteleira”, disse hoje o governador no Palácio Guanabara, sede do executivo estadual.

O presidente da Riotur, Marcelo Alves, confirma a expectativa de público, o mesmo número alcançado no ano passado, e disse que os hotéis esperam atingir a capacidade máxima até o dia 31.

“Estamos batendo 100% de ocupação hoteleira. Isso é o resultado de um ano de trabalho, de toda a prefeitura, de toda a RioTur, com um planejamento muito eficiente. E o que a gente quer é recorde não só desses números, mas fundamentalmente recorde de alegria. Isso que o réveillon tem como objetivo. E a cidade lotada de turistas, são mais de 1,8 milhão de turistas chegando na cidade já aqui.”

Além de Copacabana, que contará com quatro palcos, outras nove áreas receberão atrações musicais: Ilha de Paquetá, Parque Madureira, Ilha do Governador, Guaratiba, Sepetiba, Ramos, Penha, Flamengo e Barra da Tijuca. As duas últimas também terão queima de fogos.

No palco principal de Copacabana, em frente ao Hotel Copacabana Palace, haverá shows das 19h às 3h, com a cantora gospel Anayle Sullivan, Allyrio Mello, Diogo Nogueira, Ferrugem, uma homenagem ao funk carioca com o DJ Marlboro após a queima de fogos e a bateria da Escola de Samba da Mangueira.

Transporte

A recomendação para quem for a Copacabana é utilizar o transporte coletivo, já que as ruas do bairro estarão bloqueadas para carros de passeio a partir das 19h30 do dia 31. Ônibus e táxis poderão passar por Copacabana até 22h. O estacionamento nas principais vias do bairro estará proibido a partir das 6h do dia 30.

Desembarques e embarques nos ônibus de linha da cidade serão feitos apenas nos bolsões em Botafogo, para quem vai para o centro e zona norte, e em Ipanema, com destino à zona oeste. Os ônibus de turismo devem estacionar na área do Teleporto, na Cidade Nova.

A partir das 19h só poderá pegar o metrô quem tiver comprado os cartões especiais para o réveillon. Eles estão sendo vendidos desde o dia 9 de dezembro e agora estão disponíveis apenas na Estação Carioca. O sistema de integração do Metrô na Superfície será interrompido a partir das 18h.

A SuperVia terá reforço nos trens saindo da Central durante toda a madrugada do dia 1º.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) dará suporte à festa com quatro postos médicos, 48 ambulâncias e uma equipe de 266 profissionais a partir das 17h30. No ano passado, foram feitos 641 atendimentos e 70 remoções no réveillon de Copacabana.

O patrulhamento da região pela Guarda Municipal será efetuado por 1.774 agentes, sendo 616 no controle do trânsito e 122 viaturas. A equipe do Grupamento de Ronda Escolar vai distribuir pulseiras de identificação para serem colocadas nas crianças.

A operação da Companhia Municipal de Limpeza Urbana inclui 3.420 funcionários, 177 veículos, 1.080 contêineres e 160 caixas metálicas em todos os pontos de concentração de pessoas na cidade. A partir das 6h do dia 1º, Copacabana recebe um batalhão de 1.202 garis para fazer a limpeza da praia. O objetivo da companhia é entregar a praia limpa aos turistas e cariocas até as 10h.

Segundo o presidente da RioTur, Marcelo Alves, o réveillon de Copacabana é “sem sombra de dúvida o maior evento do mundo”.

Agência Brasil