RN seguirá orientações do governo federal para imunizar população

Foto: John Cairns / University of Oxford / AFP

Reportagem do G1-RN nesta segunda-feira(07) destaca que o Rio Grande do Norte aguarda uma definição do Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19 por parte do governo federal para seguir com a logística de vacinação contra a doença. O estado não tem plano próprio, como é o caso, por exemplo, de São Paulo. A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) explicou, no entanto, que o Executivo já trabalha com a aquisição insumos e materiais necessários à aplicação da vacina.

No domingo (6), a governadora Fátima Bezerra (PT) reforçou posicionamento das entidades nacionais dos secretários estaduais (Conass) e municipais (Conasems) de saúde cobrando agilidade no plano de imunização contra a Covid-19.

Com o risco de insuficiência no fornecimento das imunizações no Brasil, a governadora Fátima Bezerra sugeriu no Fórum dos Governadores que seja solicitada uma nova reunião com o Ministério da Saúde para tratar da implementação do Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19 e do planejamento estratégico com as ações desenvolvidas pelos governos federal, estadual e municipal.

Na terça-feira (01) passada, o Ministério da Saúde divulgou uma estratégia “preliminar” de vacinação da população contra a Covid-19. O plano do governo federal é fazer a imunização em etapas. Veja matéria completa AQUI.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Azevedo disse:

    Eu quero saber qual vai ser o plano para recuperar os cinco milhões de reais que roubaram do contribuinte do RN, até agora só escutei conversa afiada e nenhum ladrão preso.

Prevista para outubro, vacina da AstraZeneca deve imunizar contra Covid-19 por 1 ano

(Foto: Tânia Rego/ Agência Brasil)

A potencial vacina contra o coronavírus da AstraZeneca provavelmente fornecerá proteção contra a infecção por cerca de um ano, disse o presidente da empresa, Pascal Soriot, em uma estação de rádio belga nesta terça-feira.

A farmacêutica britânica já iniciou os testes em humanos da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, com um estudo de fase 1 no Reino Unido prestes a ser concluído em breve e um estudo de fase 3 já iniciado, afirmou ele à emissora Bel RTL.

“Acreditamos que ela irá proteger por cerca de um ano”, disse Soriot.

A AstraZeneca informou no sábado que assinou contratos com França, Alemanha, Itália e Holanda para fornecer até 400 milhões de doses da vacina em potencial à União Europeia.

A empresa também fechou acordos com o Reino Unido e os Estados Unidos.

“Se tudo correr bem, teremos os resultados dos ensaios clínicos em agosto/setembro. Estamos fabricando em paralelo. Estaremos prontos para entregar a partir de outubro, se tudo correr bem”, acrescentou.

Época com Reuters

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. natalsofrida disse:

    Esses vagabundos de esquerda, sempre com hipocrisia deslavada. Tomem amoxilina seus asnos demoniacos! Vcs tem gonorreia cerebral.

  2. Eduardo Peixoto disse:

    Graças a Deus!

  3. Manoel disse:

    Viva a Ciência, VIVA as universidades, VIVA os centro de pesquisas, VIVA os professores, VIVA o CNPq, VIVA a CAPES, VIVA as agências de fomento à pesquisa, VIVA a Fiocruz…
    Graças a eles a humanidade têm evoluído e passado por tempos tenebrosos como o atual.
    Aos terraplanistas, negacionistas, bolsonaristas e imbecis só o desprezo.

  4. Gustavo disse:

    Vivas à civilização! Se a humanidade dependesse de bárbaros como os brasileiros, estaríamos na idade da pedra lascada e lascados!