Tabata Amaral quer licença paternidade de 60 dias

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Tabata Amaral apresentou um projeto de lei na Câmara que pretende ampliar de cinco para 60 dias a licença paternidade.

A parlamentar afirma:

— Se o papel da mãe já é devidamente percebido, o mesmo não se pode falar em relação ao pai, cuja importância da presença junto ao filho em um momento crucial para o seu desenvolvimento emocional tem sido relegada a um segundo plano.

E explica que o período em que o pai ficaria afastado do trabalho não seria custeado pelos cofres públicos:

— Deve ser observado, ainda, que a aprovação do projeto não acarretará ônus adicional aos cofres públicos, uma vez que somente a licença-maternidade é custeada com recursos da Seguridade Social. A licença paternidade, por sua vez, já é de responsabilidade do empregador.

O Globo

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Cigano Lulu disse:

    Ninguém se espante se ela apresentar propostas para licença-menstruação, licença-amamentação e licença-menopausa. Mexeu com uma, mexeu com todas…

  2. José Cabral disse:

    É uma idiota!!!

  3. Isabelle disse:

    Isso é coisa de pais de primeiro mundo e ainda estamos bem longe de sermos verdadeiramente civilizados …

  4. Sérgio Nogueira disse:

    Se eu não tivesse uma empresa, com dezenas de funcionários, tendo que pagar seus salários todo mês independente de qualquer coisa, também não teria pudores em criar licenças desse padrão.
    Aliás, eu faria licença de 1 ano.
    Esse povo é só idiota?

  5. Marcelo disse:

    Se passar de 05 para 10, eu acho justo. Mas 60 dias é foda. Esse povo não tem base.

  6. Miguel disse:

    Me chama de Corrupto porra! Kkk

  7. Ozanir disse:

    Para os machista que e não ajudam nem a trocar uma fralda, esse lei realmente não faz sentido

  8. Almir disse:

    Este povo de esquerda tem titica de galinha na cabeça, manda está jumenta pagar 2 meses de salário para cada pai.
    Raça de preguiçosos, sem noção.

  9. djailson disse:

    não seria de bom alvitre ela criar a semana da cópula com tudo pago pelo patrão? trata-se de mais uma joia do congresso, uma pena.

  10. Oliveira disse:

    Alguém tem que explicar a esta menina em qual País ela vive. Só se fala em desemprego e empresas fechando e ainda vem com uma ideia desta!

  11. Agamenon disse:

    Essa imbecil tem noção? O empregador pagar 60 dias de licença paternidade? Não tem empresa que aguente, levando em consideração que os pequenos empresários empregam muito.

  12. Waldemir disse:

    Realmente os esquerdistas nao quem trabalhar mesmo o cambada de vagabundos
    E melhor a mulher quando. Pari ficar com i filho ate que complete 18 anos no caso de Funcionários publico ate 21 anoa o que acham
    Nao e um bom projeto. Kkkkkk

  13. Miguel disse:

    Ela tem razão, quando minha esposa foi dar a luz, o meu "ovo" ficou doendo 55 dias.
    Obrigado Tabata, eu e meu saco agradecemos! 😁😁

    Quanta Lei burra nessa país!

O QUE VOCÊ ACHA DISSO? Empresa de Felipe Neto tem licença-maternidade e paternidade ilimitada

Foto: Play9/Divulgação

No nascimento do bebê, o novo pai ou nova mãe receberá uma gratificação de R$ 10 mil. As mães também terão estabilidade por um ano. Se hoje muitos têm como emprego dos sonhos fazer vídeos no Youtube, trabalhar na empresa de um youtuber pode ser o próximo grande desejo.

Além de trabalhar com a produção de vídeos em canais com milhões de seguidores, os funcionários da Netolab, empresa do influenciador Felipe Neto, agora têm licença-maternidade e paternidade ilimitadas.

O benefício vai além do que é garantido pela lei trabalhista no Brasil. Mães têm o direito de tirar 120 dias de licença, com direito a prorrogação. Para os pais, a lei garante cinco dias corridos, podendo ser prorrogada por mais 15, caso haja adesão ao Programa Empresa Cidadã.

Já na Netolab, o profissional poderá escolher o tempo que julgar necessário para se ausentar do trabalho, retornando quando estiver adaptado e seguro com as condições da criança.

O retorno ao trabalho será negociado com o supervisor da área. Felipe Neto comenta que a pessoa deve voltar quando se sentir preparada, sem pressão ou obrigação. “Para muitos casos, vamos conciliar o home office como solução temporária para facilitar a transição. Ninguém terá data definida pela empresa para voltar”, explica ele.

No nascimento do bebê, o novo pai ou nova mãe receberá uma gratificação de R$ 10 mil. As mães também terão estabilidade no emprego por até um ano.

Com a promessa de mais benefícios que excedem o que é obrigatório na CLT a serem lançados nos próximos meses, a empresa terá um investimento de R$ 1 milhão na área neste ano. Para 2021, a expectativa é triplicar esse número.

Atualmente, a pacote de benefícios inclui vale-refeição de R$35 reais, vale combustível ou vale transporte e assistência médica e odontológica com cobertura total.

Hoje com mais de 36 milhões de seguidores no Youtube, Felipe Neto cria conteúdo há mais 10 anos e se destaca entre os maiores influenciadores da plataforma no mundo. Sua primeira empresa no ramo, a Parafernalha, foi fundada em 2011 e depois vendida para a companhia francesa de mídia Webedia.

Segundo Neto, ele busca priorizar a criatividade e a felicidade no ambiente de trabalho. “Nada dá mais resultado do que investir nas pessoas que trabalham com você”, comenta ele. “Não basta gerar emprego, é preciso gerar mudança, distribuição de renda e justiça. E tudo isso começa quando um empresário decide tirar do próprio bolso para injetar naqueles que geram suas riquezas”.

EXAME

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Idiota potiguar disse:

    A empresa tem incríveis 4 funcionários!!!!!
    Assim fica fácil.

    • Neto disse:

      Cara a empresa dele tem muito mais que isso. E mesmo que tivesse só um empregado a atitude já seria digna de aplausos.
      São idiotas como vc que estão acabando com esse pais.

    • Chico da Burra disse:

      Concordo, Neto, o grande problema do nosso país, na atualidade, é esse tipo de gente que não tem conhecimento da informação correta, mas, mesmo assim fica replicando bobagens e boatos que não somam em nada!!!

Senado aprova ampliação da licença-paternidade para 20 dias

Licença-PaternidadeO plenário do Senado aprovou hoje (3) um marco regulatório dos direitos da primeira infância, voltado para as crianças até seis anos de idade. O principal avanço do texto, que segue para sanção presidencial, é a ampliação da licença-paternidade dos atuais cinco dias para 20 dias.

Por enquanto, o aumento da licença não será obrigatório para todos, mas apenas para as empresas que aderirem ao programa Empresa Cidadã, que também possibilita o aumento da licença-maternidade para seis meses. A licença-paternidade de 20 dias também valerá para adoção.

O marco legal também prevê identificação e prevenção dos casos de violência contra gestantes ou crianças, em mecanismo semelhante aos já adotados em outros países, por meio do sistema de saúde. A proposta aprovada desonera e facilita o registro de crianças, além de prever o acompanhamento contínuo das políticas públicas, como sugere a Organização das Nações Unidas (ONU).

Estatuto

A ideia é ir além do que já prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e não só proteger as crianças, mas promover ações que garantam o desenvolvimento integral de meninos e meninas.

Logo após a aprovação do projeto pelo Senado, a Rede Nacional Primeira Infância divulgou nota comemorando a futura lei, votada na primeira sessão do ano legislativo.

Além da ampliação da licença-paternidade, a rede ressaltou como avanços a valorização dos profissionais que atuam com a primeira infância e a previsão de que crianças pequenas sejam ouvidas na formação de políticas públicas, considerando suas formas de expressão.

“Atualmente, cerca de 20 milhões de crianças brasileiras tem até 6 anos de idade. Com o Marco Legal, elas passam a ter atenção especial em sua especificidade e relevância no desenvolvimento infantil e na formação humana. Um dos grandes avanços do Marco Legal é prever a criação de uma Política Nacional Integrada para a Primeira Infância, com abordagem e coordenação intersetorial, numa visão abrangente de todos os direitos da criança na primeira infância, com corresponsabilidade entre União, estados e municípios”, informou a nota da Rede Nacional Primeira Infância.

Prêmio Nobel

A votação no Senado ocorreu no dia em que a Casa recebeu a visita do prêmio Nobel da Paz, Kailash Satyarthido, que atua justamente na promoção dos direitos das crianças e dos direitos humanos.

Styarthido foi recebido pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), ao qual pediu ajuda para o combate ao trabalho escravo. Em seguida, ele visitou o plenário do Senado, momento antes do início da votação do Marco Legal da Primeira Infância.

Fonte: Agência Brasil

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Luciana Morais Gama disse:

    Brasil, meu país, se todos esse países estão corretos que tal a gente copiar o regime trabalhista de lá. A nossa CLT é 1942, de lá pra cá muita coisa aconteceu. A CLT tem que existir, porém tem que ser revista.

    • Brasil, meu país disse:

      Pensei q o assunto aqui fosse licença paternidade e não leis trabalhistas. E por falar em leis trabalhistas, seria um sonho se nós tivéssemos as leis trabalhistas das sociodemocracias da Escandinávia.

  2. Brasil, meu país disse:

    Licença paternidade pelo mundo
    Suécia – 3 meses
    Alemanha – 2 meses
    Noruega – 3 meses
    Finlândia – 21 dia
    Itália – 3 meses
    Fraça, Espanha – 14 dias
    Coreia do Sul – 52 semanas
    Japão – 52 Semanas
    ….

    Quem está certo: Esses países ou Gilberto, Julio, Luciana e mais alguns outros no mínimo inconsequentes?

    P.S: A atual licença paternidade no Brasil é de impressionantes 5 dias.

  3. Gilberto Dias disse:

    Como sempre esses canalhas jogando o custo nas costas de quem produz.

  4. julio disse:

    O povo preguiçoso é esse tal e brasileiro. Em breve a licença será também para os avós e titios.

  5. Luciana Morais Gama disse:

    kkkk. Assim o emprego fica mais fácil!! Viva o Brasil!!!