[FOTOS] Artista paraplégica faz mergulho oceânico com cadeira de rodas adaptada

Uma cadeira de rodas adaptada para o mergulho e guiada por uma artista tetraplégica é uma das atrações da Olimpíada Cultural, série de eventos que acompanha os Jogos Paraolímpicos de Londres 2012. Os Jogos têm seu início nesta quarta-feira (29).

A performance acrobática subaquática foi desenvolvida por Sue Austin, paraplégica desde 1996, que desenvolveu a cadeira de rodas motorizada com a ajuda de acadêmicos e especialistas em mergulho.

O protótipo é movido por dois veículos de propulsão subaquática para mergulho e dirigido por meio de uma nadadeira, acoplada a uma correia acrílica operada com os pés.

Um filme com as performances de Sue Austin vai ser exibido entre 30 de agosto e 9 de setembro no Royal Festival Hall, em Londres. E, na cidade de Weymouth, no litoral da Inglaterra, ela fará mergulhos ao vivo, no show “Creating the Spectacle” (“criando o espetáculo”, em inglês).

Austin disse à BBC que teve a ideia após fazer um curso de mergulho em 2005.

“Quando começamos a conversar com as pessoas sobre [a cadeira de rodas subaquática], os engenheiros diziam que não funcionaria, que a cadeira entraria em rotação, não tinha sido desenhada para operar na água — mas eu tinha certeza de que funcionaria”, ela contou.

* Com informações da BBC Brasil, do G1 e do Portal We Are Free Wheeling (Reino Unido)

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Clarissa_anjinha disse:

    fastatico muito bom

Menor que assaltou Padaria e deixou mulher paraplégica vai estar em liberdade em no máximo 3 anos e com ficha limpa

O delegado Normando Feitosa, responsável pela prisão e apreensão dos rapazes acusados de terem assaltado a Padaria Petrópolis, crime cometido no último dia 2, no coração do Plano Palumbo, está feliz em ter conseguido dar uma resposta à sociedade.

Porém, é verdade que também está frustrado em saber que em pouco tempo, em três anos, no máximo, o adolescente que puxou o gatilho estará de volta às ruas.

Mais que isso: com a ficha limpa, sem histórico criminal, como se nada tivesse acontecido. “É a lei que nós temos. Esse rapaz poderia ter matado quantas pessoas quisesse. Em três anos – e isso se ele pegar a pena máxima – estará solto”, lamentou o adjunto da Divisão Especializada em Investigação e Combate ao Crime Organizado, a Deicor. Frustração também foi a palavra escolhida pelo delegado geral Fábio Rogério e pelo delegado federal Silva Júnior, adjunto da Secretaria de Segurança Pública.

Todos repetiram as mesmas palavras de Normando ao final da entrevista coletiva concedida na manhã de ontem para apresentar o resultado da Operação Curinga, trabalho investigativo realizado no final da quarta-feira e que resultou, justamente, na prisão de Jadson e do adolescente.

É importante esclarecer que o Estatuto da Criança e do Adolescente, o ECA, não permite a divulgação do nome de menores infratores.

Afinal, menores de 18 anos não cometem crimes. Cometem atos infracionais. E eles também não são presos. São submetidos a medidas sócio-educativas. “É triste saber que a nossa legislação é tão branda para os adolescentes. Mas, o importante é que a Polícia Civil deu uma resposta e nós fizemos o nosso trabalho”, ressaltou Fábio Rogério. “Concordo plenamente”, emendou Silva Júnior.

Fonte: Novo Jornal

Mulher atingida nas costas durante assalto à Padaria Petropólis fica Paraplégica

A FUNCIONÁRIA DA loja de ar-condicionados STR, Elizângela Iva de Souza, 32, está paraplégica.

Baleada nas costas durante o assalto ocorrido quinta-feira passada à Padaria Petrópolis, ela perdeu movimentos das pernas, segundo informação da assessoria de imprensa do Hospital Walfredo Gurgel, onde a moça permanece internada e sem previsão de alta médica. “Ainda tenho esperança. Ela teve um formigamento pela manhã. Sei que terá sequelas, mas ainda acredito que pode recuperar os movimentos das pernas”, disse o namorado de Elizângela. Por ser militar reformado, ele pediu à reportagem para não ter seu nome publicado.

Quanto aos parentes, o companheiro adiantou que as três filhas de Elizangêla, todas do primeiro casamento, de 17, 16 e 12 anos, são as mais abaladas com o drama. “Uma tragédia. Eu sou carioca e moro em Natal faz cinco anos. Nunca imaginei sofrer uma violência tão grande como essa”, acrescentou o reservista.

Apesar da gravidade da situação, o militar garante que não deixará a cidade. “Jamais. Vim para Natal pra ficar”.

O disparo que atingiu as costas de Elizângela, segundo os familiares, alojou-se na 7ª vértebra, perfurou o pulmão e ocasionou uma hemorragia interna.

Com a confirmação da paralisia das pernas, ela continua internada no setor de politraumas do hospital, sem previsão de alta médica.

A funcionária da padaria, Uliane Silva de Pinto, 29, que também saiu ferida após os disparos realizados pelos marginais, recebeu alta e ontem voltou pra casa.

No momento dos tiros, ela operava a caixa registradora do estabelecimento.

Foi a primeira a dar de cara com os bandidos.

Segundo o relato dos policiais que atenderam a ocorrência, os dois ladrões que entraram na padaria e anunciaram o assalto, já haviam pegado todo o dinheiro quando abriram fogo. O prejuízo foi de R$ 100.

O assalto à Padaria Petrópolis aconteceu por volta de uma hora da tarde da quinta-feira. Muitas pessoas almoçavam quando dois jovens armados, de cara limpa, se aproximaram do caixa e anunciaram o assalto.

Imagens obtidas pela reportagem revelam que um deles fez vários gestos com o dedo indicador sobre os lábios ordenando que Uliane ficasse em silêncio.

Na sequência, os dois pegam o dinheiro da registradora e produtos que estavam sobre o balcão.

Depois, o jovem que aparenta ser menor de idade percebe que um dos clientes atendeu uma ligação telefônica. Assustado, provavelmente acreditando que o homem havia ligado para a polícia, o bandido se aproxima com a arma e atira três vezes.

Dois tiros atingiram a barriga e o braço do cliente, no caso o vendedor Aldemir Pereira de Souza Neto, 21, empregado da Embratel.

Os mesmos tiros que acertaram Aldemir ricochetearam e atingiram as duas mulheres, pois nenhuma bala ficou alojada no corpo do rapaz.

Aldemir Neto permanece internado, mas não corre risco de morte.

Reportagem do NOVO Jornal.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Fafythesinner disse:

    Meus Deus, quanta violência nesse mundo, e infelizmente acontece isso com pessoas que nem merece, eu realmente não entendo.. =/ Muito triste mesmo.. Uma mulher tão nova.. estava no lugar errado e na hora errada.