Judiciário

Ministro defende repressão “cada vez mais dura” ao tráfico de drogas

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, disse hoje (22) que aposta na repressão ao narcotráfico como melhor estratégia de enfrentamento aos problemas decorrentes do consumo de drogas e da ação de organizações criminosas.

“A sociedade vem evoluindo e precisamos continuar discutindo os melhores caminhos para esta questão das drogas no Brasil – [mas] caminhos sempre voltados à repressão e para a diminuição do sofrimento das famílias e das pessoas”, disse o ministro na cerimônia de abertura da 23ª Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas, que se estende até a próxima sexta-feira (25).

“Há várias correntes, mas nós, aqui, realmente defendemos a repressão e um trabalho cada vez mais duro em relação ao tráfico de drogas. E cada vez mais solidário em relação ao consumo”, afirmou Torres. Ele manifestou a necessidade das forças de segurança pública do país “jogarem muito duro com o [narcotráfico]” e, ao mesmo tempo, oferecerem aos usuários um tratamento diferente. “Não que o usuário também não tenha alguma responsabilidade neste sistema, mas precisamos tratar cada um da forma ideal”.

Durante a cerimônia, representantes das secretarias nacionais de Política sobre Drogas (Senad) e de Operações Integradas (Seopi), do ministério, e das polícias Federal (PF) e Rodoviária Federal (PRF) apresentaram resultados de operações, apreensões e da venda de bens do tráfico de drogas realizadas entre junho de 2020 e o mesmo mês deste ano.

Segundo o secretário de Operações Integradas, Alfredo Carrijo, só no âmbito do Programa Nacional de Segurança das Fronteiras e Divisas (Vigia) foram apreendidas 673 toneladas de entorpecentes, entre 26 de junho de 2020 e 16 de junho de 2021. O volume é 111% superior às 317 toneladas apreendidas no período de junho de 2019 a junho de 2020. De acordo com Carrijo, as ações causaram prejuízo superior a R$ 2 bilhões às organizações criminosas.

As polícias Federal e Rodoviária Federal também relataram ter apreendido maior quantidade de drogas, armas, veículos, embarcações e até aeronaves utilizadas por narcotraficantes. Segundo os relatos, além de descapitalizar as organizações criminosas, as ações acabam por subsidiar parte das futuras iniciativas dos órgãos de segurança, já que uma parcela dos bens apreendidos são leiloados. O dinheiro arrecadado é destinado ao Fundo Nacional Antidrogas (Funad), criado em 1986 para custear iniciativas que visem a reduzir a oferta e a demanda por drogas, incluindo o aparelhamento das forças de segurança pública.

De acordo com o secretário nacional de Política Sobre Drogas, Luiz Roberto Beggiora, entre junho de 2020 e junho de 2021, o ministério realizou 189 leilões, sendo que no primeiro trimestre deste ano foram arrecadados mais de R$ 37 milhões aos cofres públicos com a venda de bens apreendidos de criminosos.

Segundo o ministro Anderson Torres, a estratégia da pasta é utilizar o dinheiro apreendido das organizações criminosas contra o próprio crime organizado, além de intensificar a integração entre as forças dos diversos estados e federais.

Portaria

O Ministério da Justiça e Segurança Pública e a Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU), do Ministério da Economia, assinaram uma portaria interministerial para agilizar o processo de venda de imóveis apreendidos de criminosos, com reversão do dinheiro recolhido em favor da União.

“A parceria entre a Senad e a SPU estabelece procedimentos em âmbito nacional para agilizar e desburocratizar os procedimentos, bem como dar maior segurança jurídica na venda dos bens apreendidos dos criminosos relacionados ao tráfico de drogas”, afirmou o secretário Luiz Roberto Beggiora. O texto deve ser publicado no Diário Oficial da União nos próximos dias.

“Com esta portaria, temos a expectativa de, a curto e médio prazo, arrecadarmos mais de R$ 200 milhões. Além de contribuir para a descapitalização e enfraquecimento da criminalidade, os recursos arrecadados na venda destes bens serão aplicados em políticas públicas na área de segurança nos estados”, acrescentou o secretário.

Agência Brasil

Opinião dos leitores

  1. Só existe o corrupto pq existe o corruptor, só existe o ladrão pq existe o receptador, da mesma forma só existe o tráfico pq existe o usuário, então não faz o menor sentido sser”solidário” com o consumo. Como assim?

  2. Cúpulas das FFAA, PF, PRF, AGU, PGR… Tudo dominado e loteado pelos bolsonaristas corruptos fura teto e chegados num pixuleco… vão perder as boquinhas e privilégios Já já… 2022 tá chegando e esse presidanta guzerá num passará nem pro segundo turno. Aí vai atrás do Trump pra arrumar emprego de puxa saco lambe botas…

  3. O governo Bolsonaro está promovendo um desmonte da segurança pública federal e isso está acontecendo sem ninguém perceber. existem duas formas de você enfraquecer a polícia. uma Externa que é atacando a sua moral e desqualificando-a frente a sociedade, como fazia o governo do PT. a outra é atacar internamente, nos bastidores, atingindo a moral e a vontade de fazer das instituições. Explico. as carreiras policiais civis da união e dos estados possuem características bem distintas das demais carreiras civis do serviço público. por exemplo. hoje a mesma lei que rege os direitos dos Policiais Federais,Rodoviários Federais e Policias Penais rege também os professores, os funcionários do IBGE, do Ibama e demais órgãos da união. Desde que governo Bolsonaro iniciou ele vem atacando os direitos dos servidores das polícias federais buscando igualar as poucas diferenças que restam com os demais servidores alegando que os policiais tem regalias. vamos lá: na iniciativa privada os técnicos em radiologia por exemplo até regime próprio de aposentadoria em função da exposição e do risco que correm é diferente. Pois bem, este tipo de peculiaridade de quem anda armado ou sai de casa para enfrentar a criminalidade está sendo aos poucos dissolvida. Ao ponto de que se os Policias Federais não se articulassem com o congresso, tudo já teriam perdido. na própria PF o Eduardo Bolsonaro é persona non grata, pois usa do distintivo de escrivão de polícia federal para angariar votos, quando na verdade está apenas iludindo o eleitor quando suas atitudes no congresso, seus votos e os projetos vindos do governo do seu pai são todos de desmonte das carreiras das polícias civis da união e dos Estados. Para o Governo Bolsonaro apenas os Oficiais das forças armadas são servidores públicos e passam ilesos de qualquer corte ou restrição orçamentária, digo os oficiais pq recentemente com a reforma da previdância militar o soldo final dos oficiais disparou e os praças ficaram para variar chupando o dedo. Assim, todo discurso do governo Bolsonaro falando que vai enfrentar a criminalidade é mera balela para fazer mídia.

    1. Não sei se espero esse comentário do Jefferson, virar uma série na Netflix para poder ver ou se compro um tonner novo, para imprimir e mandar encadernar.

  4. Lembrando a petezada que no período de 2003 a 2018 o avião presidencial e comitiva NÃO PASSAVAM POR REVISTA, ERRA PROIBIDO, TUDO LIBERADO, FARRA GARANTIDA, TUDO LIVRE, LEVE E SOLTO
    SÓ A PARTIR DE 2019 que a revista voltou, colocando ordem na zona instituída anteriormente.

    1. Lembrando a boiada que, havendo ou não revista (nos anos 2003 a 2018), os MILITARES são os responsáveis pelos aviões…ou seja, boiada burra, se havia droga antes…eram os mesmos milicos que traficavam…apenas continuaram com o governo Bozo…

    2. Espera..se a revista voltou em 2019…que diabo de revista é essa que não encontrou 39kg de cocaína pura?
      Pq quem encontrou foi a polícia da Espanha…

  5. Papel aguenta tudo… Na teoria é esse discurso; na prática é um avião presidencial com 39kg de cocaína!

    1. Zé matuto de Japi com suas alucinações, vai tomar teu remédio controlado imbecil, desde quando tinha droga no avião Presidencial, e esse militar viajava com sua anta antes, quanto não levou de droga nas viagens dos seus patifes, que só viviam viajando as nossas custas

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

FOTOS: Operação da PF e PRF, com apoio da PM, Polícia Civil, Bombeiros, Receita e Marinha mira localidades estratégicas da região metropolitana de Natal, inclusive, no porto e aeroporto

Fotos: Divulgação

A Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal, com apoio Polícia Militar/RN, Polícia Civil/RN, Corpo de Bombeiros/RN, Receita Federal e Marinha do Brasil, deflagraram na manhã desta terça feira, 12/01, na região metropolitana de Natal/RN, a denominada Operação Concórdia.

Trata-se de operação integrada entre instituições federais e estaduais com ações ostensivas coordenadas, baseadas em inteligência, e com foco na repressão a crimes como tráfico de drogas e armas, porte ilegal de arma de fogo, contrabando, receptação de bens, além de cumprimento de mandados de prisão.

As ações se concentram no porto e no aeroporto interacional de Natal-RN, bem como em rodovias federais, zonas costeiras e rios navegáveis da região, observadas as atribuições de cada instituição.

Uma das ações ocorre na Comunidade do “Mosquito”, região com alto índice de criminalidade e situada em ponto estratégico desta capital.

As ações, que não se encerram nesta data, tem por finalidade reduzir os índices criminológicos da região metropolitana de Natal/RN, melhorando a sensação de segurança da população.

Aproximadamente, 230 policiais e agentes públicos participam da ação.

Opinião dos leitores

  1. A comunidade do mosquito tem que ter uma atenção especial.faz parte da estrada que liga natal ao litoral norte e a zona Norte.o mosquito cada dia que passa piora .

  2. De fato
    A sociedade quer saber
    Houve prisão? Quem foi preso?
    Afinal uma.operação destas custa caro ao contribuinte. Só faltou tanque de guerra. Tem que ter resultados.

  3. Em São José de Mipibu tem umas bocas de fumo siçenciosas..a.polícia estoura e elas voltam a funcionar. Precisa de polícias do cunhao roxo para por um basta.

    1. No desgoverno Lula e Dilma, as facções tomaram conta do nordeste.
      No Ceará de Ciro Gomes e Camilo Santana, as facções obrigam as pessoas a saírem de casa…
      Em Natal, por que Fátima não manda a PM ocupar bairros dominados por facções?
      Coloca 100 PMs em cada bairro ?
      Mas no Rio um deputado esquerdista pediu ao STF para a polícia não perturbar bandidos.
      A esquerda também quer o fim da polícia.
      Somente alguém cego por ideologias nefastas pode querer o fim da polícia.

    2. Esse Paulo sempre com palpites tendeciosos. Faltou falar das milícias do RJ e sua aproximação com traficantes e com o PR. Estamos nos transformando numa Venezuela graças aos zumbis do Bozo.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *