Após chamar PMs de Fortaleza de ‘vagabundos’, soldado da Marinha de Natal é afastado de operação e enviado de volta

Veículos blindados são usados pelo Exército na segurança das ruas de Fortaleza — Foto: Thiago Gadelha

Em um vídeo feito no seu próprio celular, um soldado do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal que participava da Operação de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em Fortaleza, chamou os policiais militares cearenses, amotinados desde a semana passada, de “vagabundos”. Após o vídeo circular na internet, ele acabou sendo afastado da operação e enviado de volta ao Rio Grande do Norte, onde deverá responder pela declaração. Veja reportagem do G1-RN aqui.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Bolsonaro 2022 disse:

    Disse tudo Silva, Parabéns !

  2. francisco disse:

    parabems ao soldado das forças amadas so falor avedade pm
    ganho muito pra nao fase nada tem que espusa todos

  3. francisco disse:

    parabems ao soldado das forças amadas so falor avedade pm so fais besteira ja ganho muito pra nao fase nada tem que espusa todos

  4. Francisco Xavier disse:

    Um policial ganhando o salário de fome para enfrentar bandidos ainda não pode fazer greve tem quê fazer todos os militares ganhando salário para defender a sociedade ainda não tem direitos de reclamar tem sim é esse militar que falou essa besteira ganhando um salário de fome também ainda fala essa besteira parece que ele está ganhando um bom salário

  5. Lélio Abramo disse:

    Policiais militares são basicanente jovens sem perspectiva intelectual investidos de falsa autoridade a ser exercida contra os pobres na defesa do patrimônio dos ricos. Eles que experimentem fazer diferente…

  6. José David disse:

    Os governantes não se importam com os policiais. Guando estoura greve,tiram o corpo fora e joga o problema para justiça militar resolver.

  7. Misbael disse:

    Falou a verdade.
    Tem que mantef a lei e a ordem
    A populaçao sofre
    Mishael Sargento Pqd

  8. Vanderlei Carvalho disse:

    O Fuzileiro fez um comentário infeliz e ao mesmo tempo se retratou e pediu desculpas aos Policiais, mas na minha opinião esses policiais deveriam ser punidos conforme a constituição e o regulamento das Forças Armadas da forma que o Fuzileiro vai ser punido pois militar nenhum seja ele das Forças Armadas ou Forças Auxiliares não podem de maneira alguma fazer motim e todos sabem disso pois está no regulamento da sua instituição.

  9. Dionísio disse:

    Ele disse a verdade, até pq nem manifestação a pm pode fazer, fora o transtorno e o caus que esses irresponsáveis causaram a população, quando eles entraram na pm eles sabiam o salário não tá satisfeitos pedi baixa.

    • JC disse:

      Concordo plenamente com o Milico.
      Quando entra na PM, já sabe das condições. Eu entrei, fiquei descontente, pedi baixa. Ainda fiquei 5 anos e meio protelando.
      Mas seja em Instituições Públicas ou Privadas, qualquer tipo de empresa, se o funcionário ou servidor que seja, não está contente, é só pedir desligamento e dar lugar pra outro. Simples assim.

  10. Francisco Antônio Gomes disse:

    As forças têm hierarquia, respeito e obediência aos superiores, pilares que faltam mas polícias militares brasileiras. Um cabo fuzileiro naval não ganha três mil reais, um soldado fuzileiro especializado não fatura mais que dois mil reais.

    • silva disse:

      Aproveite, estuda e vá fazer concurso para a PM, pois assim vc verá o quanto é difícil ser PM. Não se compara com as forças armadas em nada, pois vivem em uma guerra de verdade constante dia a dia, digo; guerra de verdade, pois vc entrar em favelas e serem recebidos a bala, trocar tiros com bandidos e assaltantes de banco, isto sim é guerra. Não se pode comparar PM com militares federais, pois além de viverem nas ruas direto ainda respondem nods dias de folgas a vários inquéritos que são abertos pela justiça. ESTUDE A PM LHE AGRADECE.

  11. Milico disse:

    Disse alguma mentira por acaso. Ainda pegou leve, pois o adjetivo correto seria fora da lei e amotinado. O problema é que ele foi formado nas forças armadas, que todos os dias lembram a ele as consequências de um motim.

    • Abinael Fagundes disse:

      Ordem Nº 1 – Missão dada, é missão cumprida. -(ordem essa, muito simples e fácil de obedecer).-

      Falou besteira, então…
      …não tinha permissão pra isso, ele acabou esquecendo disso.

Marinha emite alerta de Ressaca com ondas de 2,5 metros no litoral norte entre esta quarta e sexta

Foto: Ilustrativa

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, comunica a possibilidade de ocorrer RESSACA com ondas de Norte a Noroeste, com até 2,5 metros, entre as cidades de TOUROS (RN) e SÃO LUÍS(MA).

A previsão meteorológica descrita nesta Nota, poderá ocorrer no período do dia 19 a 21 do corrente mês, até 12 horas e refere-se ao Aviso de Mau Tempo, divulgado pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), de no 149 do corrente ano.

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita- se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Solicita-se ampla divulgação e recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Com 53 oportunidades em Natal-RN, Marinha abre concurso com 960 vagas para formação de fuzileiros navais; veja edital

Foto: Divulgação/Marinha

A Marinha abriu concurso para 960 vagas para o curso de formação de soldados fuzileiros navais em nove localidades. Serão 480 vagas para a turma I, e igual número para a turma II, sendo 20% delas reservadas para candidatos negros.

As inscrições devem ser feitas a partir das 8 horas do dia 19 de fevereiro até 20 de março pelo site www.marinha.mil.br/cgcfn, no link “Concursos para o CFN”. Somente entre os dias 17 e 19 de março, será possível fazer a inscrição presencialmente em postos nas localidades de Marataízes (ES) e Rio Novo (MG).

A taxa é de R$ 25,00, e deve ser paga em qualquer agência bancária até 23 de março.

Os candidatos devem ser do sexo masculino, com 18 anos completos e menos de 22 anos no dia 1º de janeiro de 2021. Além disso, é exigido ter altura mínima de 1,54 e máxima de 2 metros.

O candidato precisa ainda ter concluído, com aproveitamento, o Ensino médio ou curso equivalente, em um estabelecimento de ensino reconhecido oficialmente. Confira mais informações no edital(aqui).

O processo de seleção incluirá: exame de escolaridade, de caráter eliminatório e classificatório; verificação de dados biográficos; inspeção de saúde; avaliação psicológica; teste de aptidão física de ingresso; verificação de documentos e procedimento de heteroidentificação (PH) complementar à autodeclaração para os candidatos negros autodeclarados pretos ou pardos. Todas as etapas terão caráter eliminatório.

Após a conclusão do curso, o Aprendiz-Fuzileiro Naval será nomeado a Soldado Fuzileiro Naval (SD-FN) e cumprirá estágio inicial de 12 meses. Depois disso, ele passará a atuar na carreira naval do Serviço Ativo da Marinha.

O concurso tem o objetivo de preencher vagas nas seguintes localidades:

Unidades da MB no Rio de Janeiro (569 vagas).
1º Batalhão de Operações Ribeirinhas – Manaus – AM (81 vagas)
2º Batalhão de Operações Ribeirinhas – Belém – PA (37 vagas)
3º Batalhão de Operações Ribeirinhas – Ladário – MS (33 vagas)
Batalhão de Defesa Nuclear, Biológica, Química e Radiológica (BtlDefNBQR) – Aramar (14 vagas)
Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal – RN (53 vagas)
Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande – RS (50 vagas)
Grupamento de Fuzileiros Navais de Salvador – BA (44 vagas)
Unidades da MB em Brasília – DF (79 vagas).

G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. MAURICIO disse:

    depois avisa pro henrique , que dor de cotovelo mata, ele não sabe o que é servir a patria, dar um pouco do sangue pela nação, o militar fica a disposição da nação 24 horas

  2. Henrique disse:

    Onde foi que militar teve tempo ruim no BRASIL, cheios de regalias e mamatas. pior é o trabalhador comum que só leva cacete de governos

    • Anderson disse:

      Pois é, você não estudou e fica esperando receber uma bolsa…

    • Ricardo Alcântara disse:

      Deus… Perdoe essa criatura que ela não sabe o que fala… Já fiz parte dessa nobre Corporação… Apredi valores como honra, disciplina, camaradagem e amor à Pátria… Os militares estão espalhados em todos os recantos do nosso País, prestando um relevante serviço… Como exemplo, que já participei, temos o "Nsvio da esperança" que presta serviços de saúde as comunidades ribeirinhas da Região Norte… Pessoas que nunca foram a um médico e tem um atendimento de excelência… A defesa de nossas fronteiras… Isso longe das familias, sem hora extras, adicional noturno, insalubridade e periculosidade…
      E, pricipalmente, a defesa de nossa democracia, garantindo que as pessoas falem o que quiser, muitas vezes sem ter conhecimento de causa…

  3. Bil disse:

    Chupa Lula da silva!!
    Uma classe que foi desprezada por esses esquerdopatas.
    Tchau ladrões.

  4. Bento disse:

    Eiiiiiiiiittttaaaa!!!
    So notícias boas.
    20 anos só levando porrada e agora chega o crescimento.
    Os doidins piram com este tipo de notícia.

Marinha emite alerta de Ressaca e ventos fortes entre Natal(RN) e São Luís(MA) entre esta quinta e sábado

Foto: Ilustrativa

A Marinha do Brasil, através da Capitania dos Portos, informa que ocorrerá vento forte SE/NE de até 61Km/h com rajadas, entre Natal-RN e São Luís(MA). Esta previsão meteorológica compreende o período a partir das 21h do dia 19 às 21h do dia 21 do corrente mês, e refere-se ao Aviso de Ressaca no 1636 do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM).

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Solicita-se ampla divulgação e recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação”. E que as demais embarcações, antes de se fazerem ao mar, redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Marinha alerta para risco de ressaca e ondas de até 2,5 metros no litoral do RN entre esta quarta e sexta

Foto: Ilustrativa

A Marinha do Brasil, por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), informa que o avanço de um sistema de ondas de longo período (marulhos), vindo do Oceano Atlântico Norte, poderá provocar agitação marítima com condições favoráveis à ocorrência de ressaca, com ondas de direção Nordeste a Norte e altura significativa de até 2,5 metros, na faixa litorânea entre os estados do Rio Grande do Norte, a oeste de Touros (RN), e do Maranhão, a leste de São Luís (MA), entre o dia 18 à noite e o dia 20 pela manhã.

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Marinha informa que quase 5 mil toneladas de óleo já foram recolhidas do litoral do país

Mapa divulgado pelo Ibama mostra pontos do litoral atingidos pelo óleo — Foto: Divulgação/Ibama

O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado por Marinha, Agência Nacional de Petróleo (ANP) e Ibama, informou nesta sexta-feira (29) que 4.700 toneladas de resíduos já foram recolhidas do litoral brasileiro.

As autoridades concedem entrevista nesta sexta para fazer uma balanço das ações tomadas para conter o derramamento de óleo nas praias do Nordeste.

“Nessa fase de monitoramento nós verificamos uma estabilização da situação”, disse nesta sexta o almirante de esquadra, Campos, que coordena o grupo.

O monitoramento das áreas atingidas mostra que, na última semana, 99% das ocorrências correspondem a vestígios de óleo nas praias atingidas. Nas praias do Rio de Janeiro, foram encontradas 320 gramas de óleo.

De acordo com nota divulgada pelo grupo nesta quinta-feira (28), desde que foi registrada a primeira ocorrência início pelo derramamento óleo, em agosto, 803 localidades foram atingidas. Ainda conforme o órgão, há 19 dias não são encontradas manchas de óleo no mar.

As primeiras manchas de óleo surgiram no dia 30 de agosto, em praias da Paraíba. Segundo o Ibama, foram feitos quatro registros nas praias Bela, Gramame, Jacumã e Tambaba nesta data.

Desastre natural descartado

Segundo o almirante Campos, a investigação da Marinha já descartou a possibilidade de desastre natural, ocorrida em razão de fissuras geológicas no fundo do oceano.

“A hipótese de exsudação, essa hipótese que a Marinha já descartou. Não vê mais hoje a possibilidade de que tenha sido exsudação, um fenômeno natural em que o óleo começa a vazar pelo oceano, fluir. Pode ser também uma prospecção de petróleo, também um posso, uma rachadura, uma fissura geológica. Algo natural. Isso a Marinha já descartou essa possibilidade”, disse Campos.

Segundo o almirante, o grupo ainda investiga a probabilidade de naufrágio. Campos informou que estão sendo analisados, inclusive, naufrágios antigos, da época da Segunda Guerra Mundial, mas as chances de que isso tenha ocorrido são baixas.

“O mais provável é o transito de embarcações com o derramamento desse óleo acidentalmente ou não”, disse.

A operação

Os trabalhos contam com o apoio de 10 mil militares da Marinha, do Exército e da Força Aérea, além de 5 mil servidores e funcionários do Ibama, Instituto Chico Mendes, Defesa Civil e Petrobras.

Segundo o almirante, a Operação Amazônia Azul terá três fases. A primeira é direcionada à remediação e mitigação dos danos causados pelo aparecimento das manchas de óleo e começou após o aparecimento das primeiras manchas de óleo nas praias. Essa fase deve prosseguir até 20 de dezembro.

A segunda fase será de manutenção e controle, em que os trabalhos estarão concentrados em estabelecer um planejamento para empregar as forças do grupo e controlar novas manchas.

O almirante afirmou que na última semana, apenas vestígios do material foram encontrados no Maranhão, Piauí, Pernambuco, Alagoas e Rio de Janeiro. Além disso, a Marinha anunciou que o grupo vai ser transferido para o Rio de Janeiro. De lá será tocada a fase de monitoramento.

“Nossa expectativa é devolver pra ao sociedade conhecimento, informações que possam reduzir os impactos que nós tivemos”, afirmou o coordenador cientifico do grupo de acompanhamento, professor doutor Ricardo Coutinho

“Vamos estabelecer ações imediatas de médio e longo para monitoramento e recuperação dos ecossistemas atingidos”, disse. Segundo Coutinho, em 12 de dezembro será realizada uma grande reunião em Salvador para avaliar como as medidas a serem propostas pelo grupo científico poderão ser implementadas.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antenado disse:

    Óleo criminosamente lançado pelo ditador Maduro. Alguém ainda duvida disso??

Marinha reforça limpeza de óleo no Nordeste com mais um navio

Foto (Ilustrativa): Divulgação/Prefeitura de Belmonte

O navio de desembarque de carros de combate Almirante Sabóia, da Marinha, partiu na última segunda-feira (11), do Rio de Janeiro, em direção a Ilhéus, na Bahia, com a finalidade de reforçar as ações de limpeza de vestígios de óleo nas praias do Nordeste. O navio transporta um Grupamento de Fuzileiros Navais, com 244 militares, além da tripulação.

Em terra, a tropa desempenhará ações de apoio à proteção ambiental, por meio da limpeza e do monitoramento dos manguezais, arrecifes e praias da região do sul do estado da Bahia, na faixa compreendida entre as cidades de Caravelas e Ilhéus.

O navio Almirante Sabóia realizará patrulha naval, ação de presença no Porto de Ilhéus e operações de monitoramento, participando com outros navios, na busca por possíveis manchas de óleo ou agentes poluidores, em especial em regiões próximas ao Parque Nacional Marinho de Abrolhos.

A atracação da embarcação no litoral baiano ocorrerá nesta quinta-feira (14), no Porto de Ilhéus. No dia 18, o navio fará ações no mar, com previsão de retorno ao Porto de Ilhéus no dia 25.

Em outra frente, mergulhadores do Batalhão de Operações Especiais dos Fuzileiros Navais permanecem atuando na limpeza e retirada do óleo no Rio Persinunga, no município de São José da Coroa Grande, em Pernambuco.

As ações de limpeza das praias do Nordeste estão concentradas em Mamucabinhas, em Pernambuco; Japaratinga, Barra de São Miguel, Coruripe, Feliz Deserto e Piaçabu, em Alagoas, e Cairu e Guaiu, na Bahia. Outra frente da Marinha atua na praia de Guriri, no Espírito Santo, na Região Sudeste, onde na semana passada apareceram vestígios de óleo na costa.

Agência Brasil

Marinha envia seus dois maiores navios para auxiliar no combate ao vazamento de óleo no Nordeste

 Foto: Lucas Landau/Reuters

Os dois maiores navios da Marinha do Brasil saem do Rio de Janeiro nesta segunda-feira (4) em direção ao Nordeste do país para ajudar no combate ao vazamento de óleo que atingiu as praias da região. A medida foi tomada mais de 60 dias após o óleo chegar à costa brasileira.

O primeiro, Atlântico, deixa o Arsenal de Marinha, na Zona Portuária do Rio, ao meio-dia. O segundo, o navio-doca multipropósito Bahia, deixará a Base Naval do Mocanguê, na Baía de Guanabara, às 15h. Além dessas duas grandes embarcações, uma fragata, seis aeronaves e um terceiro navio também sairão do local.

No total, duas mil pessoas participarão da missão – sendo 670 fuzileiros navais. Os fuzileiros irão desembarcar para participar da limpeza das praias, manguezais e arrecifes.

O Atlântico e a fragata vão trafegar pelo litoral nordestino em patrulha e monitoramento das águas, com exceção do Bahia – este, por ser um navio-doca, e também por questões de logística, ficará atracado no Porto do Suape, em Recife.

A previsão é que os navios cheguem no Nordeste no dia 10 deste mês.

Mais de 300 praias atingidas

O óleo já atingiu 314 localidades da orla brasileira. No total, o Ibama afirma que 110 municípios foram afetados em todos os 9 estados do Nordeste: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

A Federação Internacional de Poluição por Petroleiros (ITOPF, na sigla em inglês) tem um guia público de boas práticas para a limpeza de locais contaminados. O órgão já atuou em mais de 800 vazamentos causados por navios em 100 países diferentes nos últimos 50 anos. Segundo o ITOPF, a limpeza manual é a mais indicada para o caso das manchas de óleo no Nordeste.

“A melhor técnica aqui é a limpeza manual, para ser seletivo e reduzir o dano ambiental, considerando a natureza do óleo e dos substratos contaminados. Máquinas como tratores podem ser usadas onde for possível, mas é preciso levar em consideração os possíveis efeitos no meio ambiente, inclusive em ninhos de tartarugas”, diz Richard Johnson, diretor técnico do ITOPF.

Reincidência

Um terço das mais de 280 localidades atingidas pelo óleo no Nordeste chegaram a ser limpas, mas viram a poluição retornar ao menos uma vez. Ao todo, 83 praias e outras localidades tiveram a reincidência da contaminação, o que representa 29,5% dos locais afetados pelo petróleo cru que começou a surgir no fim de agosto.

A praia que mais sofreu com grandes resíduos de óleo, segundo os balanços do Ibama, foi Jandaíra, na Bahia. A localidade foi a que mais vezes apareceu nos relatórios com o status que equivale a manchas maiores que 10% da praia. Ao todo, em 18 relatórios do Ibama algum ponto dessa praia, que fica próxima à divisa com Sergipe, apareceu com manchas grandes: a primeira, em 4 de outubro, e na segunda-feira (28) da semana passada.

G1

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Frederico Bruno Pereira de Lima Duarte disse:

    Gosto desse governo, muito pela rápida e pronta resposta aos problemas apresentados … né Seu Jair?

  2. Fonsa disse:

    Agora, né! Governo irresponsável. Depois que o óleo se alastra por quase todo litoral nordestino.

VÍDEOS: Análises confirmam óleo venezuelano no litoral nordestino, destaca Marinha

FOTO: ADEMA/GOVERNO DE SERGIPE, VIA AGÊNCIA BRASIL

Em vídeos que circulam em redes sociais, e compartilhados também por parlamentares, a Marinha confirma em o que parece uma reunião que o óleo encontrado no litoral do Nordeste tem origem venezuelana. Essa informação, inclusive, também foi destacada pelo Ibama no mês passado e também, mais recentemente, por pesquisadores da Universidade Federal da Bahia, após diversas análises.

A investigação sobre a origem do vazamento de óleo que atinge a costa do Nordeste está focada em cerca de 30 navios, provenientes de dez países, que passaram perto da costa brasileira. Há, além disso, a possibilidade de ser um navio sem identificação, os “dark ships”.

A Marinha alerta que a não comunicação do derramamento de óleo em si já é um ato criminoso pelas normas internacionais de navegação.

Veja abaixo destaque de deputada Carla Zambelli(PSL – SP) que assim descreve: “Agora é oficial. Marinha confirma a origem do óleo que chegou à costa brasileira”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Agora é oficial. Marinha confirma a origem do óleo que chegou à costa brasileira.

Uma publicação compartilhada por Carla Zambelli (@carla.zambelli) em

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. CURITIBA JA disse:

    deve ter sido em parceria com os ptralhas??????????, não duvido, estão até botando fogo no amazonas imagine pedir uma sujeirinha p companheiro venezuelano

NOVO PENTE-FINO: Marinha descobre que óleo ficou mais tempo no mar e decide ampliar buscas por navios suspeitos

Foto: STRINGER / REUTERS

Na busca por um responsável pelo vazamento do petróleo que contamina a costa do Nordeste , o universo de navios-tanque sob investigação será ampliado. Novas análises químicas produzidas pela Marinha mostram que o óleo que aportou nas praias permaneceu mais tempo na água do que se sabia até agora. Diante dessa constatação, os investigadores decidiram ampliar a quantidade de navios a serem buscados.

Até então, o foco estava em 30 embarcações de dez países que navegaram na altura da costa nordestina, numa distância de 800 quilômetros, entre 1º de agosto e 1º de setembro. Um novo pente-fino será feito, em busca de navios com as mesmas características e que trafegaram pela área no mês de julho. A expectativa é que mais 30 navios sejam investigados.

Enquanto a Marinha expande o universo de embarcações a serem investigadas para definir a origem do vazamento, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sugeriu no Twitter que o Greenpeace estaria por trás do derramamento. Salles, sem citar provas, insinuou que uma embarcação da ONG teria passado próxima ao litoral brasileiro no período em que o desastre se deu.

A tragédia do vazamento de petróleo já contaminou 233 localidades em todos os estados do Nordeste e segue sem a identificação dos responsáveis. A primeira detecção de óleo, com comunicação às autoridades, foi feita em 2 de setembro. Já são 53 dias de contaminação.

A estratégia do governo do presidente Jair Bolsonaro é lançar dúvida e culpa sobre a Venezuela. Perícias feitas pela Petrobras e por universidades federais mostram que o petróleo tem DNA venezuelano, sem que isso signifique que o vazamento seja responsabilidade do governo ou de alguma empresa venezuelana. Na noite de ontem, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, fez um pronunciamento em cadeia de rádio e TV para dizer que o governo vai acionar a Organização dos Estados Americanos (OEA) para que o regime de Nicolás Maduro dê uma explicação sobre o petróleo.

A Marinha foi foi designada para chefiar o Plano Nacional de Contingência, acionado diante da gravidade da tragédia ambiental. A Força é responsável pela mais ampla investigação a respeito do que de fato ocorreu. Entre os investigadores, não há qualquer certeza sobre quem são os responsáveis pelos vazamentos. Tanto que o atual estágio da investigação é de afunilamento de hipóteses e de refinamento dos dados científicos usados na apuração.

O GLOBO revelou ontem que o Centro de Hidrografia da Marinha passou a considerar, com base em dois novos estudos, que o foco do vazamento se deu a uma distância menor do que a levada em conta até então. Os estudos mostram uma distância entre 270 e 600 quilômetros do litoral, tendo como ponto de partida os estados da Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Até então, as estimativas variavam entre 600 e 800 quilômetros.

Dados mais precisos passaram a evidenciar, por outro lado, que o óleo permaneceu na água por mais tempo do que o considerado até então. Primeiro, o Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira considerou, a partir de análises químicas, que o petróleo havia vazado no mar dez dias antes de aportar nas praias. A partir dessa constatação, foram buscadas as embarcações que trafegaram numa área específica entre 1º de agosto e 1º de setembro. Agora, um novo laudo mostra que o óleo permaneceu na água por mais tempo. Por isso, um novo escopo de navios foi definido, com navegação em julho.

A expectativa é que cerca de 30 novos navios entrem no radar das investigações. O levantamento deve ser concluído nesta semana.

– É comum que os navios informem atipicidades vistas na navegação. Nós não recebemos, porém, nenhum tipo de comunicação sobre coisas estranhas dos navios que passaram por essas rotas — afirma o capitão de mar e guerra Gustavo Calero Garriga, comandante do Centro Integrado de Segurança Marítima (Cismar), unidade responsável pela frente de investigação que cuida da análise do tráfego de navios-tanque.

Segundo Garriga, são analisados fatores como alteração de velocidade e de rumo dessas embarcações. As autoridades portuárias dos dez países de onde partiram os 30 navios inicialmente averiguados já foram contatadas para fornecer dados. O mesmo deve ocorrer com a nova leva de embarcações.

– Levantamos também históricos de poluição ambiental por esses navios – diz o capitão.

O Globo

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Antenado disse:

    Tá na cara a origem. Venezuela

  2. Rivanaldo disse:

    Salles agora insinua que foi o Greenpeace o culpado pelo óleo. Acreditar que o Greenpeace derramou o óleo no nordeste é fácil pra quem acreditou em mamadeira de piroca e kit gay.

    • LULADRÃO disse:

      É bem possível Inocente útil. Essas ONGs não recebem mais dinheiro dos brasileiros. Essa Ptralhada só acredita em papai Noel. Bando de Ptralhas.

    • joaozinho disse:

      O unico fato relacionado ao Greenpeace é que eles estavam proximos a area do derramamento na epoca que houve o fato. Nao ha como afirmar que foram eles, porem eles sao responsaveis por lançarem produtos que poluíram as ruas de Brasilia com oleo e lixo. Tanto que foram presos por crimes ao meio ambiente, isso é fato. Greenpeace parece ser meio fajuta quando poluem o meio ambiente, será que sao movidos apenas por interesses politicos e dinheiro?

Marinha diz que mais de mil toneladas de óleo foram retiradas das praias do Nordeste

Foto: Divulgação

A Marinha informou que, até terça-feira (22), foram recolhidas mais de 1 mil toneladas de resíduos recolhidos das praias do Nordeste. De acordo com a instituição, desse número quase a metade teve a destinação final realizada. Esse trabalho tem sido feito por meio de uma interlocução direta com os estados afetados, articulações com o Sindicato Nacional das Indústrias de Cimento (SNIC) e com a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP).

No encontro, foram identificados possíveis recebedores para esses resíduos coletados, para realizar a destinação final ambientalmente adequada. O objetivo é absorver grande parte do material recolhido para ser reaproveitado em coprocessamento.

Origem do despejo

Pesquisadores do Laboratório de Métodos Computacionais em Engenharia (Lamce) da Coppe/UFRJ acreditam que o ponto de origem do despejo de óleo que polui a costa do Nordeste esteja em uma área entre 600 km e 700 km da costa brasileira, numa faixa de latitude com centro na fronteira entre Sergipe e Alagoas. O trabalho foi realizado por meio de imagem de satélite, computação de alto desempenho e modelo matemático.

A investigação foi feita pelos professores da Coppe, Luiz Landau, coordenador do laboratório, e o professor colaborador Luiz Assad, a pedido da Marinha. A área apontada fica em águas internacionais. Segundo o professor Landau, essa parte da análise já foi entregue às Forças Armadas. Na próxima semana, os pesquisadores da Coppe começam a trabalhar para antecipar a maneira como ocorrerá a dispersão de óleo de agora em diante.

“Há muita incerteza com relação à trajetória de óleo, porque ele correu abaixo da superfície. Não sabemos quanto tempo esse óleo demorou para intemperizar, ou seja, sofrer processos de mudanças das características físico-químicas para entrar abaixo na coluna d’água”, disse o professor Luiz Assad.

Agência Brasil

 

VÍDEO: Com apoio da Marinha, Exército, Ibama, Defesa Civil e voluntários, ministro Ricardo Salles acompanha e participa de recolhimento de óleo em PE

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, encontra-se na região próxima de Recife, acompanhando os trabalhos de recolhimento do óleo venezuelano.

O recolhimento e monitoramento vem sendo realizado pelo  IBAMA, Marinha, Exército, Defesa Civil, municípios e o voluntários. “Parabéns a quem se dedica e age, enquanto outros apenas politizam e polemizam”, disse o ministro.

Óleo venezuelano

Um estudo realizado pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA) aponta que o petróleo que atinge o litoral do Nordeste veio da Venezuela. A informação foi divulgada pela diretora da entidade, a pesquisadora Olivia Oliveira.

“Nossos estudos agroquímicos evidenciam que o óleo é proveniente de uma bacia da Venezuela. Foram diversas análises geoquímicas, a partir da coleta dessas amostras. Esse trabalho realmente revelou que se trata de um petróleo produzido na Venezuela”, afirmou Olivia.

De acordo com a diretora do Instituto da UFBA, o resultado que comprova a nacionalidade do resíduo foi encontrado após diversos testes comparativos com sete amostras coletadas em Sergipe e duas na Bahia.

“Nós temos diversos dados da literatura onde mostram perfis cromatográficos, resultados que nós produzimos no laboratório. Além disso, nós temos um banco de óleo de diversas partes do mundo, que também fazemos essa comparação. Através de análises como essas, chegamos ao resultado”, disse.

Segundo a pesquisadora, os dados apontam também que a substância se assemelha com petróleo cru. Ainda não há informações, no entanto, de quanto tempo o resíduo está no mar, nem se é proveniente de um navio ou não.

“Se parece muito com petróleo cru. Mas não deixamos a possibilidade de ser bunker, combustível de navio. Seria um óleo mais pesado. Um óleo mais de resíduo. Mas ainda não temos a real certeza. O óleo apresentava uma certa degradação. Pode ser um óleo cru, como poderia ser bunker, onde a parte crua, onde a parte do diesel que é utilizada com esse bunker foi evaporada”, completou a diretora.

Conforme a pesquisadora, todas as análises desenvolvidas na UFBA serão encaminhadas para Instituto do Meio-Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).

Com acréscimo de informações do G1

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Vitor Silva disse:

    Botem também os presidiários pra trabalhar neste mutirão de limpeza, afinal, presos só estão comendo, dormindo e tramando novos crimes de dentro da cadeia… .botem pra trabalhar

  2. Jorge disse:

    É LULADRAO na cadeia
    É dilmanta sendo processada
    É dólar na cueca
    É quebradeira nos fundos de pensões
    É rombo de um trilha no BNDES
    É Palocci detonando toda a quadrilha
    Mininu isso é que é ter ladrão, e muito mais apoiadores de ladrão, ou seja…..

  3. EU QUERO A DIPLOMAMATA QUE PAPAI PROMETEU disse:

    Lama no rio;
    Fogo na mata;
    Chumbo no pobre;
    Óleo na praia
    E nenhuma ação efetiva do Bozo… Só passeios e mamata para os filhos

  4. #Lula Na Cadeia sempre disse:

    Não aparece nenhum FDP de ONG , ONU , aquela rapariga da MICHELE BACHELET para sair em defesa da orla brasileira????

    • Evan Jegue disse:

      Você é bem educado.

    • E. costa disse:

      Oxi!! Depois de todas as ofensas!?meu caro, o seu miliciano de estimação tem que assumir suas responsabilidades de governante deste país, pq quem tentou resolver até agora foi o povo nordestino que ele despreza e as ONGs. Para ele no momento , o mais importante é presentear o filho com algo q ele goste e passar a mão nos 300 milhões do fundo partidário

Vazamento no Nordeste: Marinha encontrou tambor com óleo perto de Natal, nas proximidades da Ponta da Tabatinga

Foto: ILUSTRATIVA/Divulgação

Nessa terça-feira (16) a Marinha avistou, recolheu e coletou amostras de um tambor de 200 litros de óleo nas proximidades da Ponta da Tabatinga, a 7,4 quilômetros da costa, ao norte de Natal, capital do Rio Grande do Norte. De cor vermelha, o recipiente estava fechado, com óleo no interior, e não apresentava vazamento. Porém, pode servir de evidência de algum carregamento que possa ter originado o amplo vazamento no Nordeste. A amostra do líquido será encaminhada para análise no Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM).

Em nota divulgada pela Marinha, ainda não há como concluir se o tambor encontrado no mar tem alguma relação com os barris recolhidos no litoral de Sergipe, ou até mesmo com o vazamento de óleo em todo o litoral nordestino. Mas se esperam novas resolução após uma análise aprofundada do material.

Desde o dia 30 de agosto, praias de todos os nove estados do Nordeste — Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe —, ao longo de mais de 2 mil quilômetros, vêm sendo contaminadas por um vazamento de petróleo cru cuja origem ainda não foi identificada. Até o momento, de acordo com o Ibama, 29 animais foram afetados. Duas aves foram encontradas mortas, e uma foi resgatada com vida. Entre as tartarugas marinhas, 26 foram encontradas, mas quinze morreram. Em acréscimo, 486 filhotes da espécies foram capturadas preventivamente, como forma de protegê-las da poluição.

Veja

Óleo na costa do Nordeste: 30 navios-tanque notificados de diferentes bandeiras, e Marinha com apoio de instituições americanas fechando cerco para elucidação de responsabilidade

Com relação ao grave acidente de poluição por óleo, ocorrido na costa do Nordeste brasileiro, a Marinha do Brasil informa que vem atuando, diuturnamente, desde a primeira ocorrência, em 2 de setembro, na contenção e neutralização dos efeitos danosos à natureza e à população, bem como na investigação quanto à origem e responsabilidades. Todas as ações são coordenadas com o MMA, IBAMA, Polícia Federal, Força Aérea Brasileira, Petrobras, além de instituições estaduais e municipais.

A Marinha contabiliza a mobilização de 48 Organizações Militares, com emprego de 1.583 militares, 5 navios, uma aeronave, além de embarcações e viaturas pertencentes às diversas Capitanias dos Portos, Delegacias e Agências, sediadas ao longo do litoral nordestino.

Após uma triagem das informações do tráfego mercante na região de interesse, a Marinha está notificando 30 navios-tanque de 10 diferentes bandeiras a prestarem esclarecimentos. A Marinha entrará em contato com as autoridades competentes dos países dessas bandeiras, com a Organização Marítima Internacional e com a Polícia Federal, visando elucidar todos os fatos.

As atividades em curso também têm apoio do Ministério da Defesa e Exército Brasileiro e de instituições dos EUA.

Marinha emite alerta de ventos fortes em todo o litoral do RN entre esta quarta e sexta

Foto Ilustrativa/Reprodução

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, informa que ocorrerá vento forte junto a costa SE/E, de até 33 nós com RAJADAS, em todo o litoral, do Rio Grande do Norte até o Maranhão.

A(s) previsão(ões) meteorológica(s) descrita(s) na Nota acima, compreende o período do dia 09/10 ao dia 11/10/2019, até 9 horas e refere-se ao(s) Aviso(s) de Mau Tempo, divulgado(s) pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), de no 1314/2019.

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita-se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.

Marinha emite alerta de ventos fortes em todo o litoral do RN entre esta terça e quinta

Foto: Free images

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Rio Grande do Norte, informa que ocorrerá vento forte de sudeste/nordeste, de até 33 nós com rajadas, em todo o litoral, do Rio Grande do Norte até o Maranhão.

A(s) previsão(ões) meteorológica(s) descrita(s) na Nota acima, compreende o período do dia 24(esta terça) ao dia 26(quinta-feira), até 9 horas e refere-se ao(s) Aviso(s) de Mau Tempo, divulgado(s) pelo Centro de Hidrografia da Marinha (CHM), de no 1244/2019.

Alerta-se aos navegantes que consultem essas informações antes de se fazerem ao mar e solicita- se ampla divulgação às comunidades de pesca e esporte e recreio.

Recomenda-se que as embarcações de pequeno porte “evitem a navegação” e que as demais embarcações redobrem a atenção quanto ao material de salvatagem, estado geral dos motores, casco, bomba de esgoto do porão, equipamentos de rádio e demais itens de segurança.