Esquema de corrupção em mais de 40% dos Municípios no CE, respinga nos irmãos Cid e Ciro Gomes

Veja:

As investigações do Ministério Público no Ceará apontam para um esquema de corrupção que não abrange apenas a cidade de Senador Pompeu, a 275 quilômetros de Fortaleza – cujo prefeito, Antônio Teixeira de Oliveira (PT), teve a prisão decretada e continua foragido. Ao todo, 80 dos 184 municípios cearenses estão na mira do MP.

O tamanho do rombo nas contas pública pode superar os 300 milhões de reais. O dinheiro veio de recursos que o governo federal repassou para obras que, além de superfaturadas, acabaram por ser executadas por servidores municipais. Ou seja, o cidadão comum de uma parte pobre do Brasil terminou por pagar duas vezes por um serviço que não recebeu.

As ligações do grupo que atua na cidade são tão profundas que a expedição dos mandados de prisão vazou, permitindo que Oliveira conseguisse evitar oficiais de justiça e a Polícia Federal (PF). Junto com ele, deixaram a cidade o vice-prefeito, Luís Flávio Mendes, um vereador e mais trinta funcionários da administração pública e das empreiteiras investigadas. Mesmo com informantes, a situação de Oliveira se tornou tão insustentável que seu partido, o PT, tão firme em defender seus integrantes diante de qualquer escândalo, optou por discutir sua expulsão.

Situada no sertão central cearense, Senador Pompeu ficou administrativamente acéfala durante quatro dias, até o presidente da Câmara de Vereadores assumir a prefeitura, na quinta-feira. Com 26.000 habitantes, ali sequer foram tomados cuidados mínimos para encobrir as irregularidades. O esquema era simples. Empresas contratadas em licitações fraudulentas retiam uma “comissão”, entre 4% e 5%, sobre o valor das notas fiscais emitidas por serviços de pavimentação, calçamento e construção de açudes que eram executados por funcionários da secretaria municipal de obras.

Em setembro de 2010, reportagem de VEJA revelou que a bolada restante engordava a conta de políticos e, suspeita-se, abastecia o caixa dois de campanhas eleitorais em todo o estado. Indícios respingam no governador reeleito Cid Gomes (PSB) e em seu irmão, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), que ocupou o Ministério da Integração Nacional, de 2003 a 2009. Era o ministério querepassava as verbas às prefeituras.

(mais…)

Prefeito com mandado de prisão decretado, aluga ónibus e foge com auxiliares

Blog de Cezar Alves

O prefeito Antônio Teixeira de Oliveira (PT), de Senador Pompeu (CE), alugou um ônibus e fugiu da cidade com mais de 30 auxiliares depois que tiveram a prisão preventiva decretada. O desembargador Darival Bezerra observou indícios e provas suficientes de que o prefeito e seus mais de 30 auxiliares estavam desviando dinheiro público, ocultando bens, praticando falsidade ideológica, peculato, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

 O fato é que quando soube de seus informantes no Tribunal de Justiça do Estado que estava para receber um pá de pulseira de prata, o prefeito Teixeira juntou os comparsas e deu no pé.

Quem assistiu a cena, jura que ele alugou um ônibus, botou todos dentro e se mandou pra lugar incerto e não sabido, deixando pra trás apenas um auxiliar, que foi preso. Ah, o advogado do petista também ficou para dizer, jurar de pé junto que o prefeito é inocente. Para onde o prefeito fugiu? Teria sido para o Rio Grande do Norte? Estão em fuga com o prefeito, o vice-prefeito Luís Flávio Mendes de Carvalho, o vice presidente da Câmara Tárcido Francisco de Lima Baia, os secretários e assessores pessoais.

 A turma do prefeito Teixeira, que o Ministério Público diz ter provas que na verdade é uma quadrilha, estariam desviando recursos simulando pagamentos, com emissão de cheques em favor de empresas inidôneas mediante emissão de notas fiscais frias. De novo a Justiça do Ceará mostra um bom exemplo a Justiça do rio Grande do Norte. Há poucos dias foi o exemplo das Câmaras Criminais, que botou na cadeia o prefeito corrupto no Vale do Jaguaribe. Já a classe política mostra de novo um péssimo exemplo.