SINPOL-RN convoca Assembleia Geral para segunda-feira; na pauta, indicativo de paralisação

O SINPOL-RN convoca todos os Policiais Civis para uma Assembleia Geral Extraordinária para a próxima segunda-feira, dia 24 de dezembro, às 9h, na sede do Sindicato.

O encontro terá como pauta indicativo de paralisação em razão dos atrasos salariais e tratamento diferenciado do Governo do Estado entre as categorias de servidores públicos estaduais.

VEJA EDITAL DE CONVOCAÇÃO:

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

Pelo presente Edital, o Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Norte – SINPOL/RN convoca todos os Policiais Civis e Servidores da SESED para comparecerem à ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, a ser realizada no dia 24 de dezembro de 2018 (segunda-feira), na sede do próprio sindicato, nesta Capital, às 09 horas em primeira convocação com a presença de 50% dos filiados mais 01, e às 09 horas e 30 minutos com a presença de qualquer número de filiados, em conformidade com o Art. 16, §3º e Art. 18, inciso I do Estatuto do SINPOL/RN, a fim de deliberar sobre:

1 – Indicativo de paralisação em razão dos atrasos salariais e tratamento diferenciado do Governo do Estado entre as categorias de servidores públicos estaduais.

Natal (RN), 21 de dezembro de 2018
Nilton César Arruda Ferreira
Presidente do SINPOL/RN

Com informações do Sinpol-RN

 

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Almir Dionisio disse:

    Todas as categorias do executivo que não receberam seus salários deveriam paralisar suas atividades para assim alertar a sociedade do descaso do governo e do judiciário para com o funcionalismo público.
    Já pensou parar segurança e saúde geral – promotores procuradores e judiciário têm plano de saúde, porém qdo os promotores foram baleados recorreram inicialmente ao hospital walfredo gurgel.
    se acham os Deuses políticos e judiciário,
    GREVE GERAL NO RN

SINPOL-RN pede providências para presença de presos na Delegacia de Santa Cruz

O SINPOL-RN tem atuado de maneira integrada com todos os seus representados e, por isso, identificado os principais problemas das unidades, como é o caso da Delegacia de Santa Cruz, que tem sofrido com a presença de presos no prédio. Isso tem gerado transtornos pra o trabalho policial e, por isso, Sindicato cobra providências, do Judiciário, MP e Secretaria de Justiça.

O prédio onde funciona a Delegacia de Santa Cruz tem, no térreo, um Centro de Detenção Provisória. E a DP funciona no piso superior. Acontece que a estrutura física da unidade tinha uma cela no 1º andar, e ela está ocupada por 16 presos, sob a responsabilidade dos agentes do CDP, mas que tem causado grandes transtornos para os policiais e população.

Isso porque constantemente há movimentação de presos na unidade, com saída para audiências, por exemplo. Isso também gera riscos até mesmo para a população que vai ser atendida na delegacia. Nos dias de visita para os presos, há ainda grande fluxo de pessoas, o que tem realmente comprometido o funcionamento da DP.

“O Sindicato lutou muito pela retirada dos presos das delegacias e, por isso, está enviando ofícios à juíza criminal daquela comarca, bem como ao Ministério Público, solicitando uma reunião com a presença também de representantes da Secretaria Estadual de Justiça. Os gestores da Delegacia e chefes de investigação e cartório serão convidados para que juntos possam encontrar uma solução para o problema”, afirma Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.

No ofício, a Diretoria do SINPOL-RN anexou um Termo de Acordo homologado pelo TJRN em 2011, no qual está estabelecida a retirada total de presos das delegacias. Foi anexado ainda cópia de movimentação de Ação Civil Pública impetrada pelo Ministério Público, na qual obriga o Sistema Penitenciário a devolver as estruturas prediais pertencentes às delegacias de polícia.

Com informações do Sinpol-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. antonio marcio disse:

    ELEIÇÕES 2014: JORNALISTA USA SUA CONTA NO TWITTER PARA FAZER UMA GRAVE DENÚNCIA

    SETEMBRO 25, 2014 CARLOS A. BARBOSA SEM COMENTÁRIOS
    Este blog, longe disso, não quer fazer nenhum juizo de valor. Mas jornalismo se faz baseado em fatos e como tal a denúncia do jornalista Ailton Medeiros, levada as redes sociais, através da sua conta no twitter na manhã desta quinta-feira (25), portanto, tornada pública, até prova em contrário, é um fato e merece ser noticiada. O ônus da prova cabe aí a quem denunciou. O blog apenas reporta. Cabe ao Ministério Público, como o próprio jornalista afirmou, apurar a sua veracidade.

    Ailton Medeiros @blogdoailton · 1 h
    A casa de número 1352 da Rua Pedro David Filho em Candelária, é uma central de distribuição clandestina de medicamentos de Henrique/Vilma.

    Ailton Medeiros @blogdoailton · 59 min
    Há cerca de um ano a movimentação na casa é sempre a noite. Lá, segundo uma moradora da rua, carrões entram e saem com vidros fechados.

    Ailton Medeiros @blogdoailton · 57 min
    Este repórter ouviu duas moradoras da rua Pedro David Filho, na Candelária. Uma delas contou que os homens trabalham para Henrique Alves.

    Ailton Medeiros @blogdoailton · 56 min
    A moradora também revelou que o nome de Henrique Alves é mencionado nas conversas noturnas. A PF e MP tem que agir rapidamente.

    Ailton Medeiros @blogdoailton · 54 min
    Há cerca de dez meses uma moradora da rua conseguiu entrar na casa por acaso e viu prateleiras repletas de remédios. Parecia uma farmácia.

    Ailton Medeiros @blogdoailton · 53 min
    Comuniquei o fato ao MP que quer ouvir a mulher em caráter sigiloso.

    Ailton Medeiros @blogdoailton · 52 min
    Meu papel como jornalista é ouvir e divulgar a informação. Jornalista não é autoridade.

    Quem quiser conferir clique no link abaixo:

    Ailton Medeiros (blogdoailton) | Twitter

SINPOL-RN(FOTO): Policiais plantonistas estão sem crédito nos cartões de alimentação há mais de 20 dias

Cartao_AlimentacaoO SINPOL-RN enviou um ofício, de número 110/2014, ao delegado geral da Polícia Civil, Adson Kepler, solicitando providências urgentes para o problema da falta de crédito no cartão alimentação (GreenCard) dos policiais plantonistas de Natal e interior do Estado. Há mais de 20 dias os cartões não são recarregados e o motivo seria uma dívida do Governo com a empresa responsável.

“Alimentar-se é necessidade básica à conservação da vida e, vale ressaltar, que esse cartão alimentação é um direito conquistado pela própria categoria, que já sofre tanto com outras dificuldades estruturais das delegacias. Por esse motivo, enviamos o ofício para a Degepol solicitando a regularização desse serviço, pois já são mais de vinte dias de atraso no repasse dos créditos no GreenCard”, afirma Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.

De acordo com ela, a situação é de desconforto e revolta por parte das equipes de plantão e do Centro Integrado em Operações de Segurança Pública (Ciosp). Para não ficarem com fome, os policiais são obrigados a pagar a alimentação do próprio bolso.

“Essa recarga do cartão era feita sempre no início do mês ou até mesmo antes da virada do mês, para que os policiais possam se alimentar ao longo do mês em curso. No entanto, neste mês de julho, até este dia 25, ainda não foi feito”, ressalta.

Renata Pimenta declara que manteve contato com a diretoria administrativa da Degepol e foi informada que já foram feitos os lançamentos dos créditos, mas a empresa não liberou porque o Governo do Estado está em atraso com o pagamento mensal do contrato. Por isso, uma cópia do ofício também será encaminhada para a Secretaria Estadual de Segurança Pública.

Com informações do SINPOL-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    A segurança pública do estado está um caos interminável.

Alegando "rasteira" do Governo, SINPOL-RN convoca agentes e escrivães para reunião e assembleia nesta segunda-feira

Diante da “rasteira” dada pelo Governo do Estado que conseguiu aprovação de projeto de reajuste que beneficia apenas os delegados, o SINPOL-RN convoca todos os agentes e escrivães da Polícia Civil para, na próxima segunda-feira (14), reunirem-se na sede do Sindicato. O encontro servirá para traçar os novos rumos da Polícia Legal, que agora deverá ser realizada de maneira ainda mais firme.

Inicialmente, a Diretoria do SINPOL-RN convoca os chefes de investigação e chefes de cartório para uma conversa sobre as medidas que serão adotadas para aplicar de maneira ainda mais eficaz a Operação Polícia Legal. A reunião será a partir das 14h da segunda-feira, na própria sede do SINPOL-RN.

“A Polícia Legal vem sendo seguida pela maioria dos policiais desde que foi criada, mas é preciso estreitar os laços e o entendimento sobre o melhor funcionamento da nossa cartilha, por isso, convocamos todos para esse encontro”, afirma Djair Oliveira, presidente do Sindicato.

Após essa reunião, a Diretoria do SINPOL-RN convoca todos os agentes e escrivães para uma assembleia geral, a partir das 18h. Nela, serão deliberadas as medidas a serem adotadas nos próximos dias, como resposta à falta de respeito do Governo do Estado, que enviou uma proposta para a Assembleia Legislativa, sem ouvir e sem a participação das categorias.

“É importante dizer que o Governo enviou e a Assembleia aprovou um projeto sem o aval do Sindicato e da categoria. Fizemos nosso ato de repúdio, mostramos à sociedade a forma arbitrária como fomos tratados. Agora, chegou a hora de nos unirmos ainda mais e mostrar que não estamos derrotados. Os agentes e escrivães da Polícia Civil são categorias de lutas históricas e, mais uma vez, vão mostrar sua força”, declara Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.

Sinpol-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Maria cícera disse:

    EU , acho que a policia legal , por si só a denominação basta , cabe a cada um fazer o seu papel , o qual se destina a ser , mas infelizmente ,a estória é outra , temos APCs , fazendo-se de DPC, e EPC s que já trabalham o bastante , fazendo todo o serviço do DPC . SINPOL é muito difícil conseguir a real situação da PCrn , visto que muitos pensam que para a própria sobrevivência devem está aos pés do DPC. A nossa real situação é bastante crítica .
    LAMENTO.

SINPOL-RN apresenta documentos que comprovam solicitação de solução reagente ao ITEP-RN; veja

Em meio a troca de acusações de uma parte e de outra, confira documentos do Sindicato dos Policiais Civis  e Servidores de Segurança Pública do Estado(SINPOL-RN), que comprovam as solicitações de materiais no ITEP/RN. O Primeiro memorando foi datado de 02 de janeiro de 2014, no qual consta a solicitação, entre outros, de paradimetilaminobenzaldeido ( item 17). Acompanha também em memorandos reiterando a necessidade das aquisições sob pena da paralisação do laboratório por falta de materiais.

1 2 3 4 5

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. mauricio disse:

    ta de brincadeira, as provas estao ai o que vai fazer hen?

  2. DANI disse:

    e AI GESTORA QUEM ESTÁ MENTINDO??

  3. Ana disse:

    E agora, Sra Raquel? A senhora desmentiu a informação do Sinpol tentando macarar os fatos que todos já conhecem e agora eles apresentaram as provas documentais de que realmente NOA HA MATERIAL PARA REALIZAÇAO DA PERICIA. Vai dizer agora que os documentos são falsos? Vai mandar fazer pericia? Sera que vai ser possível em meio ao caos que se encontra o ITEP-RN?

  4. Paula Cortez disse:

    É BG, a diretoria do ITEP tá brincando com a população.
    Aproveito para parabenizá-lo por ter sido o primeiro meio a mostrar todo o caos desde a exoneração do perito.
    Abraços!

Contra atitudes do secretário de segurança: SINPOL-RN convoca policiais civis e servidores do ITEP para assembleias

Assembleia_HomeO Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública convoca todos os policiais civis e servidores do ITEP para assembleias das categorias. A primeira dela será na próxima segunda-feira (19), às 18h, pra os funcionários do ITEP. Já na terça-feira (20), a partir do meio-dia, será a vez dos policiais civis.

“Diante da grave afronta sofrida pelos servidores por parte do secretário de segurança, general Eliéser Girão Monteiro, que em suas atitudes tem mostrado total descaso para com os servidores, agindo de maneira ditatorial e afrontosa, sem ter apresentado qualquer resposta a pauta de reivindicações aprovada pela categoria, vamos nos mobilizar e organizar um grande ato”, afirma Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.

Ela destaca que o general Girão assumiu a pasta prometendo buscar melhorias, prioritariamente para os servidores, tendo em vista que entedia que a valorização se faz necessária, bem como melhorar as condições de trabalho. “No entanto, não tem feito nada para atender aos três eixos de reivindicações, que são: aumento do efetivo, melhorias das condições de trabalho e a valorização salarial”.

Já no que diz respeito ao ITEP, Renata Pimenta ressalta que a categoria vem lutando há quatro anos pela criação do Estatuto, estando há oito anos sem qualquer reajuste salarial. A respeito desses pleitos, o secretário também não apresentou nenhuma resposta concreta, tendo atuado tanto em delegacias quanto no Instituto Técnico com medidas retaliatórias e ameaças.

“Por esse motivo, o SINPOL-RN convoca seus filiados para duas grandes assembleias. A dos servidores do ITEP será no dia 19, às 18h, ocasião na qual vamos deliberar sobre medidas necessárias. Já no dia 20, vamos oferecer um almoço para os policiais civis, das 12h às 13h, e das 13h às 14h, realizaremos a assembleia para que juntos possamos buscar o melhor caminho para avançarmos em direção”, informa Djair Oliveira, presidente do SINPOL-RN.

As duas assembleias acontecem na própria sede do Sindicato, localizado na avenida Rio Branco, 825, na Cidade Alta, em Natal.

SINPOL-RN protocola representação no MP para apuração da situação do ITEP

O Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública protocolou uma representação cobrando a devida apuração do Ministério Público de situações do ITEP, como a falta de perícia técnica nas escalas noturnas. Situação essa comprovada pela escala de plantão deste mês de maio.

De acordo com informações repassadas para o SINPOL-RN por funcionários do ITEP/RN, o órgão sofre com a falta de insumos básicos especialmente para o laboratório de pesquisa e análise forense. Isso tem gerado o risco de paralisação a qualquer momento dessas atividades, o que vai acarretar na impossibilidade de realização de flagrantes, como em casos de tráficos de entorpecentes.

Outra solicitação para apuração é a permanência de equipamentos de perícias que se encontram encaixotados desde 2011. São vários equipamentos para auxiliar nas perícias químicas e toxicológicas, mas nenhuma providência foi tomada para a instalação e treinamento dos profissionais para a utilização da nova tecnologia.

“Solicitamos ainda na representação que o Ministério Público se posicione em relação ao Termo de Ajustamento de Conduta referente ao envio do projeto do Estatuto do ITEP para a Assembleia Legislativa. O MP assinou o TAC junto com o Governo, cujo prazo seria 60 dias úteis, a partir de 2 de janeiro. Não houve esse cumprimento”, explica Renata Pimenta, vice-presidente do SINPOL-RN.

Além disso, há um segundo ponto no TAC, que diz respeito ao prazo de 90 dias para realização de concurso público para o ITEP, situação essa que está diretamente ligada ao envio do Estatuto, pois só através dele é que será possível fazer o certame. Ou seja, são dois prazos que estão sendo descumpridos.

Veja a representação na íntegra: http://www.4shared.com/office/WYleq5Bmce/REPRESENTACAO_MP_SITUCAO_DO_IT.html
Do Sinpol-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Jácome Carlyle disse:

    A policia civil bem que podia ir logo trabalhar e parar com essas paralizações sem sentido, bote pra lascar general girao

FOTO: SINPOL-RN repudia atitude do secretário de segurança de retirar cartazes do ITEP

Renata_PimentaNa última sexta-feira (2), a Diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública foi informada por servidores do ITEP que o secretário estadual de Segurança, Eliéser Girão Monteiro, foi até a sede do órgão, na Ribeira, e arrancou cartazes afixados pelo SINPOL-RN em prol da valorização e moralização do Instituto, bem como combatendo assédio moral.

Tal atitude, de acordo com a Diretoria do SINPOL-RN, mostra o desrespeito do secretário para com a entidade e com os servidores. “Essa não é a primeira vez que isso acontece. No início da semana, tínhamos afixado os cartazes e fomos avisados que uma das coordenadoras de setor do ITEP havia retirado. Com isso, voltamos e colocamos novamente. Agora, o próprio secretário foi lá e retirou”, explica Renata Pimenta, vice-presidente do Sindicato.

De acordo com ela, os cartazes não representam nenhuma ofensa ou ataque a ninguém ou nem mesmo ao Governo. “São cartazes que pedem a moralização do ITEP, através da criação do Estatuto do órgão. Esse é uma luta legal e que vem sendo encampada há vários anos pelos servidores do Instituto. Além disso, o ITEP é um órgão público e informações referentes ao serviço e funcionamento do órgão podem sim ser afixados lá. Portanto, o secretário agiu de maneira arbitrária e repudiamos tal atitude”, completa.

Na semana passada, inclusive, o SINPOL-RN já tinha sido informado que o secretário Girão havia retirado cartazes e placas colocados no ITEP e delegacias de Mossoró. “Isso foi comunicado ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no RN, Sérgio Freire, que também repudiou a ação”, afirma Renata.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. ANA LIDIA CORREIA SANTOS disse:

    EU QUERO VER É ELE MANDAR TIRAR O VÍDEO QUE ESTÁ ROLANDO NAS REDES SOCIAIS NO PROGRAMA DO JÔ SOARES SOBRE O ITEP!!! NATAL!!! MAIS UMA VERGONHA NACIONAL!!!

  2. Jácome Carlyle disse:

    Cadê os PAPAGAIOS CELETIVOS que esperneiam nesse blog, pedindo a volta dos militares ao poder?
    TAÍ A AMOSTRA DE UMA CAGADA QUE É BOTAR UM ESTÚPIDO DESSE NO PODER, ESSE GENERAL QUE ACHA QUE ESTÁ LIDANDO COM RECRUTAS.

SINPOL-RN denuncia falta de médicos legistas e materiais de perícia no ITEP‏

A Diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública convoca a imprensa para uma entrevista coletiva, na manhã desta quarta-feira (7), às 9h. Na ocasião, serão apresentados detalhes sobre a situação do ITEP, que, atualmente, sofre com a fata de médicos legistas para plantões noturnos e finais de semana.
Além disso, laboratórios estão sem materiais básicos para perícias e isso deve atrasar a entrega de laudos. Durante a entrevista coletiva, a Diretoria do SINPOL-RN vai apresentar imagens e documentos sobre a situação interna do órgão.

FOTOS: Movimento “Basta de Violência no RN" finca 480 cruzes em gramado da Governadoria simbolizando mortes violentas no Estado

IMG-20140410-WA0002

IMG-20140410-WA0003IMG-20140410-WA0005 IMG-20140410-WA0006Fotos: Cedidas

O Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol/RN), representantes da Saúde, que vivem a expectativa para um acordo do fim da greve,  grupo de policiais militares, representantes da OAB e TJRN realizam desde o começo da manhã desta quinta-feira (10), o Movimento “Basta de Violência no RN”.

Segundo os manifestantes, foram fincadas 480 cruzes no gramado da Governadoria, que significa o numero de mortes violentas no Estado até o momento, levantamento da Coordenação de Direitos Humano no RN. O grupo pede melhorias emergenciais na segurança pública do Estado.

OAB também presente: Ato Público cobra segurança nesta quinta-feira na Governadoria

TJRN adere ao “Basta de Violência no RN”

 

 

SINPOL-RN convoca imprensa e afirma que vai recorrer da proibição de greve‏

Na manhã desta segunda-feira (7), a Diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública realizou uma entrevista coletiva para mostrar a imprensa e a sociedade potiguar que, mesmo diante de uma determinação judicial proibindo greve da categoria, antes mesmo dela acontecer, os policiais civis e servidores do ITEP vão continuar seus movimentos em prol de melhorias para as instituições.

Durante a coletiva de imprensa, a Diretoria apresentou uma nota oficial do SINPOL-RN, na qual informa que vai recorrer da decisão.

Veja abaixo na íntegra:

Lutar sempre, resistir, e desistir jamais.  Esses são os lemas deste Sindicato e de todos os servidores representados por esta entidade. Não abrimos mão de sonhar com dias melhores para todos que fazem parte da segurança pública do RN e não seremos cúmplices do caos que está instalado em nosso Estado por abandono dos gestores.

Queremos e continuaremos a luta por melhores condições de trabalho, melhores salários, respeito e dignidade, bem como, na defesa diária de uma segurança pública de qualidade que alcance toda a população do RN.

São com características fortes de luta incessante, que em nada nos envergonham, e que  só nos engrandecem, que enfrentamos diariamente os bandidos e a criminalidade  nas ruas e ainda  os desrespeitos dos gestores públicos, políticos eleitos pelo povo, mas que ao assumirem o poder já demonstram claramente seu total descompromisso com os servidores, com os serviços públicos, e principalmente com a população.

Só mesmo quem resiste à humilhação de trabalhar sem ter se quer um lugar digno, com equipamentos e infraestrutura adequados, insalubridades, ainda tendo que lidar com o abandono das políticas públicas, pode entender a nossa indignação com esta postura ditatorial que vem sendo implantada pelo Governo do Estado no Rio Grande do Norte e agora pelo poder Judiciário.

Não é de hoje que este Sindicato e esta categoria realizam mobilizações semelhantes às que estão sendo realizadas pelos policiais civis e servidores do ITEP/RN, que estão na luta por melhores condições de trabalho, melhores salários e dignidade para servir a sociedade potiguar.

A luta das categorias aqui representadas pelo SINPOL não é a nova, já é bastante conhecida de todos: Nomeação dos aprovados no concurso da polícia civil, concurso este que se arrasta desde 2008 com vários policias aptos a serem nomeados desde 2010, e que este governo se nega a nomear; retirada de presos das delegacias, principalmente no interior do estado; melhorias nas condições de trabalho e estruturas das delegacias além de um salário digno para o policial civil, que mesmo sendo exigido para seu ingresso o nível superior desde de 2008, recebe menos que um operador de segurança publica de nível médio.

Para os servidores do ITEP a luta é pela criação de uma LEI ORGÂNICA E ESTATUTO para aquele Instituto, projeto este que tramita há mais de quatro anos pelos gabinetes do Governo Estadual, sem o devido encaminhamento para sua aprovação na AL/RN, e dela não vamos desistir.

 Vale salientar que o Estatuto do ITEP vai pôr fim ao uso indevido daquele órgão, que tem servido ao longo dos anos como “cabide eleitoral” e “porto seguro” de desmandos de gestores descompromissados com a moralidade e a legalidade, e ainda aos possíveis desvios de função de servidores públicos que pela ausência de uma lei que regulamente o funcionamento do órgão, ainda hoje  é possível perceber além de outros, policiais militares do soldado ao coronel exercendo cargos que deveriam ser exclusivos de servidores de carreira do ITEP, além de vários cargos comissionados que serão extintos pelo Estatuto, pois este abrirá a possibilidade de se fazer concurso público e assim melhorar as condições,  ampliando o quadro técnico de servidores. Somente através do Estatuto esses abusos irão tem fim, e de uma vez por todas o ITEP/RN poderá cumprir efetivamente seu papel.

 Foi com muita tristeza que no último dia 04 recebemos a notificação do Tribunal de Justiça, através do desembargador Cláudio Santos, que decidiu pela manutenção da situação da segurança Pública em nosso Estado, pela ilegalidade de uma greve antes mesmo desta acontecer, autorizar do corte salarial dos trabalhadores e o bloqueio do repasse da entidade; além da criminalização do movimento.

Fica claro aos trabalhadores e a sociedade potiguar através de atitudes repressoras e antidemocráticas como esta que não há interesse do Governo e dessas instituições em melhorar a segurança pública do RN.

Certos de que os norte-rio-grandenses apoiam nossa luta e também não toleram essa postura ditatorial, informamos que nossas mobilizações continuarão sempre de forma pacífica, mas firme, na esfera administrativa e judiciária, para tal iremos impetrar os recursos cabíveis para reverter tal situação, por entender que sempre cumprimos e cumpriremos a Lei de Greve.

Que fique claro que este sindicato deseja sempre o diálogo e que estaremos dispostos a lutar por aquilo que acreditamos ser o melhor para o povo potiguar: uma segurança pública estruturada e eficiente.

“Um governo que não respeita os seus servidores, também não cumpre nenhum compromisso assumido com a sociedade.”

SINPOL-RN envia ofício ao MP com denúncias sobre o ITEP e cobrando ações para Polícia Civil

A Diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte enviou um ofício ao Ministério Público relatando denúncias referentes à administração do ITEP, bem como tratando do abandono no órgão e também na Polícia Civil. O ofício Nº 058/20014 foi encaminhado ao Procurador Geral de Justiça Rinaldo Reis de Lima, solicitando reunião em caráter de urgência.

Sobre o Instituto Técnico-Científico de Polícia, o SINPOL-RN pede que o Ministério Público apure o Extrato do Contrato nº 002/2014-ITEP/RN, que trata da locação de veículo, segundo informes, para movimentação exclusiva da diretora geral do órgão, no valor estimativo de R$ 25.267,00 (vinte e cinco mil reais e duzentos e sessenta e sete reais).

Além disso, a Diretoria do Sindicato anexou ao ofício o Memorando 042/2014 da UIPAF, que trata do levantamento de preços para aquisição de equipamentos para o ITEP. “Ocorre que os itens constantes se encontram com preços incompatíveis e muito além do praticado no comércio local, além do que, em pesquisa junto ao Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica uma das empresas cotadas possui como atividade principal comercialização de serviços alimentícios, enquanto a outra comercializa produtos de limpeza”, afirma Djair Oliveira, presidente do SINPOL-RN.

A Diretoria do Sindicato ressalta que, enquanto a diretoria do ITEP aluga carro par uso exclusivo da diretora Raquel Taveira e faz cotação para compra de produtos como TV LED, liquidificador, microondas e gelagua, a instituição tem sofrido com a falta de materiais básicos para o serviço administrativo e pericial.

“Outro ponto de destaque é que enquanto as linhas telefônicas do ITEP passaram a semana passada cortadas, recebemos denúncia de convênio que disponibiliza aproximadamente 30 telefones funcionais para as chefias de setores, em sua maioria, servidores da Polícia Militar em desvio de função”, comenta Djair Oliveira.

Ainda em relação ao Instituto Técnico-Científico de Polícia, a Diretoria do SINPOL-RN coloca como prioridade o envio do projeto da Lei Orgânica e Estatuto do ITEP para a Assembleia Legislativa, frisando que o Governo do Estado tem descumprido o que prometeu. “Após uma greve que durou 64 dias, e não tendo honrado com o compromisso assumido com os servidores, o Governo do Estado assinou um TAC com o Ministério Público no qual, dentre outros, se comprometeu a enviar no prazo máximo de 60 dias o Estatuto para a Assembleia Legislativa, sendo que até o momento, se quer, tem-se a localização física do Processo nº 125553-2010 [movimentação em anexo]”, informa o ofício.

POLÍCIA CIVIL

O documento lembra ao Procurador que, atualmente, a Polícia Civil tem apenas 29% do seu quadro funcional ocupado, o que tem feito a instituição sucumbir e a população cada vez mais ser prejudicada pela falta de atendimento. Isso porque durante as noites e finais de semana, por exemplo, as delegacias de bairro e especializadas são fechadas pela falta de efetivo.

“Cumpre-nos informar que no último movimento paredista, ocorrido em agosto/setembro de 2013, os policiais civis cobraram do Executivo Estadual providências urgentes quanto ao aumento do efetivo, melhorias das condições de trabalhos [serviço de limpeza para as unidades, vale refeição, aparelhamento e informatização das delegacias, armamento, coletes a prova de balas e outros] e valorização salarial, haja vista os cargos de agente e escrivão de polícia, mesmo possuindo o requisito do grau superior para ingresso na carreira, tem mensalmente um salário bruto de R$ 2.777, valor não compatível com a exigência do cargo. No entanto, para surpresa de todos, o Governo do Estado não honrou com nenhum dos itens reivindicados”, completa Djair Oliveira.

FOTOS: SINPOL-RN rebate críticas de secretário e defende movimentos das categorias

Erivan_750Em audiência pública realizada na Assembleia Legislativa, na manhã desta sexta-feira (28), a Diretoria do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública fez mais uma vez a defesa de sua categoria e rebateu críticas do secretário de Segurança Pública à paralisação realizada nos últimos dois dias. O evento foi promovido pelo Conselho Estadual de Direitos Humanos e Cidadania do Rio Grande do Norte.

O secretário Girão Monteiro havia classificado como desrespeito a suspensão de serviços do Instituto Técnico-Científico de Polícia e das delegacias de plantão de Natal. O secretário geral do SINPOL-RN, Erivan Fernandes, fez uso da palavra e lembrou ao titular da Sesed que desrespeito é o que o Governo do Estado tem feito com a sociedade potiguar e com a Polícia Civil.

“Vivemos em um estado de guerra, em que a instituição Polícia Civil está falida. Hoje, em uma delegacia como a 14ª, em Felipe Camarão, são apenas três agentes para uma população aproximada de 80 mil pessoas. Isso está certo?”, questionou Erivan Fernandes, lembrando ainda que muitas delegacias estão sucateadas e não oferecem nenhuma segurança para os policiais.

“Esses são só alguns dos problemas da Polícia Civil. Então, se a categoria promove paralisações é porque está lutando por seus direitos e por melhorias para a sociedade. Atualmente, não há investigação de crimes no Rio Grande do Norte, gerando efeito da impunidade e, consequentemente, aumento da violência”, disse o secretário geral do SINPOL-RN.

Erivan Fernandes ainda lembrou aos presentes que o direito à greve, apesar de contrariar os governantes, é instituído por lei. “Muitos morreram no passado para que hoje possamos lutar por nossos direitos em uma democracia”, completou. A audiência pública debateu vários temas relativos à segurança do Rio Grande do Norte, reunindo representantes de associações, sindicatos, Ministério Público, representantes comunitários e de classes.

O presidente da Associação dos Escrivães da Polícia Civil do RN, Roberto Moura, também fez uso da palavra e lembrou que o efetivo de escrivães em nosso estado é um dos mais baixos do Brasil e cada vez mais diminui pela insatisfação da categoria e estresse do dia a dia. “Tivemos o caso emblemático de um escrivão que trabalhava com dois outros escrivães e ao saber que os colegas iriam deixar a delegacia e toda demanda iria recair sobre ele, entrou em crise e deu um golpe com uma barra de ferro na própria mão, quebrando três dedos. Isso mostra o grau de desespero de uma pessoa em seu ambiente de trabalho”, afirmou.
Roberto_750
Sinpol-RN

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Sergio Nogueira disse:

    Blá, blá, blá inútil. De um lado um Secretário que não conhece a realidade estadual na Segurança Pública. De outro, sindicalistas que jogam para a platéia, fingindo defender interesses da sociedade. No meio a população, mas quem liga para a população?

    • George disse:

      Ele falou na sociedade e na categoria. Sofrem ambas pela falta de estrutura, de pessoal, tecnologia, etc. Policial é população tb, Sérgio Nogueira.

SINPOL-RN denuncia estado de caos na Polícia Civil

 

VTRs_Manchete.jpg_miniFoto: Sinpol-RN

Além da falta de efetivo nas delegacias do Rio Grande do Norte, impedindo o andamento de investigações e estimulando a impunidade, a Polícia Civil potiguar sofre com outros graves problemas. Um deles é a falta de zelo por parte das autoridades com a estrutura de trabalho, como por exemplo, as viaturas.

Nessa terça-feira (18), o secretário-geral do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN, Erivan Fernandes, esteve no setor de transporte da Polícia Civil e constatou um verdadeiro descaso. Dezenas de viaturas estão encostadas no pátio daquela unidade por falta de manutenção.

Muitas estão paradas por falta de pneus, outras por falta de óleo e também por problemas mecânicos. “O que vimos foi um quadro inadmissível e o SINPOL-RN não vai se calar diante dessa situação, nem esconder a verdade. Uma das nossas prerrogativas é denunciar a falta de compromisso e de gestão das autoridades, que promovem o sucateamento da Polícia Civil”, comenta Erivan Fernandes.

Estima-se que aproximadamente 30% das viaturas da Polícia Civil estejam paradas, atualmente. “Imagine o prejuízo que esse número representa para a sociedade potiguar. Quantas diligências ou cumprimentos de mandados estão deixando de ser realizados por falta de transporte para os policiais civis?”, questiona o secretário-geral do SINPOL-RN.

Erivan Fernandes ressalta ainda que, além dos 30% dos veículos parados, as viaturas que estão disponíveis não oferecem as melhores condições, justamente porque não passam por manutenção periódica.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Carvalho disse:

    Precisa haver uma intervenção urgente nesse estado.

  2. Antonio Moraes disse:

    O SINPOL deveria investigar nao e os carros quebrados e sim as viaturas caracterizadas e descaracterizadas que sao utilizadas por agentes e escrivas apadrinhados de delegados e chefes de investigacoes que usam para fins particulares sete dias por semana, vinte e quatro horas por dia, o SINPOL sabe disso muito bem. O SINPOL deveria tambem ensinar aos seus filiados a tratar com educacao os contribuintes, pois quem procura as delegacias sao tratados como lixo, e tambem orientar aos policiais que tratam com o publico a serem apresentaveis, se barbear, escovar os dentes ( tbm colocar proteses), usar desodorante e perfume, pois vao como um lixo para DPs. SINPOL oriente isso e combata isso ai que com certeza a.Policia Civil ter valor para sociedade e tambem utilidade, pois como voces estao se portando como seres despreziveis a sociedade, cortem na carne com exemplo

  3. Sergio Nogueira disse:

    O Sindicato está certíssimo. Mas coloque nessa batalha moral a proibição de viatura ir deixar e pegar nos domicílios os integrantes da corporação, como comenta-se que é feito. Fica a dica.

Diretoria do SINPOL-RN apura informação de interdição no ITEP

A Diretoria do Sindicato da Polícia Civil e Servidores da Segurança Pública recebeu, através de servidores lotados Coordenadoria de Identificação do ITEP, a informação de que  a estrutura teria sido interditada pelo Corpo de Bombeiros, em virtude das chuvas que caíram em Natal, nos últimos dias. Em virtude disso, a Diretoria foi imediatamente ao órgão, na manhã desta segunda-feira (17).

Os diretores Erivan Fernandes e Kleber Lopes Campelo estiveram na sede do Instituto Técnico-Científico de Polícia e ouviram da subcoordenadora do COID que não houve nenhuma interdição. Já o chefe de gabinete do ITEP, coronel Mendes, informou que um setor do órgão teria sido interditado.

A Diretoria do SINPOL-RN então solicitou o laudo, mas o chefe de gabinete alegou que não estava de posse do documento e que iria providenciar até o final da tarde desta segunda-feira. Caso a cópia não seja fornecida, o Sindicato entrará em contato com o Corpo de Bombeiros e fará uma solicitação do laudo.

A orientação do SINPOL-RN para os servidores lotados no ITEP é que eles têm o direito e dever de cumprir suas jornadas de trabalho, desde que não seja em um prédio interditado e que represente risco à segurança dos trabalhadores.

“Não aceitamos o abuso de se obrigar o servidor público a trabalhar em um local em que ele corra risco de morte, por exemplo”, afirma Erivan Fernandes, secretário-geral do SINPOL-RN.

Sinpol-RN

FOTO: Assembleia no SINPOL-RN delibera sobre presos em DPs, Polícia Legal e Estatuto do ITEP; paralisação em pauta

Em assembleia geral realizada na noite dessa segunda-feira (10), na sede do SINPOL-RN, os policiais civis e servidores do ITEP colocaram em debate os principais assuntos em pauta neste mês de março, como o retorno de presos para as delegacias de plantões, as ações do movimento Polícia Legal e o andamento do Estatuto do ITEP. Inclusive, já está marcada para o dia 25 deste mês de março, uma nova assembleia, na qual será votada uma paralisação geral de dois dias.

Renata Pimenta, vice-presidente do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do RN, disse que, inicialmente, a assembleia dessa segunda-feira tinha como pauta o Polícia Legal e o Estatuto do ITEP. “No entanto, fomos surpreendidos com a Portaria Nº 001/2014, da Sejuc e Sesed, estabelecendo que as equipes das plantões Sul e Norte fiquem com presos à noite e nos finais de semana. Por isso, incluímos esse tema na pauta de deliberações”.

Os policiais civis e servidores foram informados que o departamento jurídico do SINPOL-RN vai entrar com mandado de segurança para derrubar essa portaria, tendo em vista que ela apresenta caráter ilegal. Isso porque a Polícia Civil já havia ganhado na Justiça o direito de não mais custodiar presos, já que isso representa um desvio de função. Outra medida sobre esse assunto é a convocação de todas as equipes das delegacias de plantão para reunião com a diretoria do Sindicato. A expectativa é que o encontro aconteça até quinta-feira (13).
Assembleia1
Polícia Legal

Sobre o movimento Polícia Legal, Renata Pimenta informou aos servidores que a diretoria do SINPOL-RN continua viajando pelo Rio Grande do Norte para concluir o relatório sobre as condições das unidades policiais. “Acreditamos no fortalecimento do Polícia Legal e, inclusive, destaco que fomos bem recebidos na maioria das delegacias, principalmente pelos novos policiais, que nos surpreenderam de maneira positiva com o engajamento. Agora, vamos finalizar o relatório para entregar ao Ministério Público”, frisa.