Educação

BBB será tema de aula integrada para alunos do ensino médio do Colégio Porto

Foto: Divulgação

“O Brasil tá vendo…”. “É fogo no parquinho!”. “Hoje eu vou votar por afinidade”. “Pode me botar no paredão!”. Todas essas expressões são repetidas à exaustão em um dos realities shows de maior sucesso da TV brasileira, o Big Brother Brasil. Mais do que um programa de entretenimento, o BBB é visto por muitos como um microcosmo da sociedade, com a reprodução de discursos, comportamentos e narrativas de temas sociais importantes. Então, por que não aproveitar tudo isso em uma aula para alunos de ensino médio? Essa foi a ideia que o Colégio Porto teve e vai colocar em prática nesta terça-feira (30), com uma aula integrada transmitida pelo seu canal no Youtube, a partir das 19h30.

A aula vai envolver disciplinas como Artes, Filosofia, Sociologia, Língua Portuguesa e Literatura, com a participação dos professores Disney, Yama Elice, Kennia Ísis, Frederico Lima e Marco Aurélio. Entre os temas que serão abordados, estão: O livro 1984, de George Orrwell e a relação com o BBB; questões relacionadas ao confinamento, cultura do cancelamento e a discussão sobre “vigiar e punir”, a partir de Foucault. As aulas integradas fazem parte da proposta pedagógica do Colégio Porto de estimular a interdisciplinaridade, facilitando o conhecimento dos alunos.

Segundo a diretora pedagógica da escola, Ana Cristina Dias, o BBB foi escolhido como tema porque há uma grande discussão sobre o programa nas mídias. Desse modo, será possível, cientificamente, levar os alunos a entender as problemáticas ali presentes, que são reflexo, muitas vezes, da nossa sociedade.

“O objetivo é que o estudante analise uma situação específica a partir de componentes curriculares e/ou áreas do conhecimento diferentes, mas que se tornam fundamentais, quando as integramos. Neste caso, teremos as linguagens e as ciências humanas discutindo um tema’, explicou, Ana Cristina.

A aula reserva algumas surpresas para os alunos e será aberta ao público em geral. “Entendemos que é uma maneira, também, de contribuirmos para uma discussão importante, com o viés científico, para toda a sociedade”, justificou.

Opinião dos leitores

  1. Imagino o que os conentaristas raivosos desse blog iriam comentar se isso fosse matéria de uma escola da rede estadual do RN ou da Universidade Federal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

NO ALVO: alunos do Colégio Porto trabalharam tema da redação do Enem nas aulas de redação, filosofia, sociologia e LIV

Foto: Divulgação

“O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira” foi o tema da redação do Enem desse ano, revelado ontem, durante as provas da área de linguagens e ciências humanas. A temática, bastante atual, foi tratada nas aulas da 3ª série do ensino médio do Colégio Porto de mais de uma disciplina, o que contribuiu para que os estudantes da escola pudessem se sentir seguros na hora de apresentar argumentos sobre o assunto.

Pelo menos em três oportunidades os alunos do Colégio Porto escreveram com temas muito similares ao que foi cobrado na redação do Enem: “A importância de combater o preconceito a transtornos psicológicos”, “Desafios para combater o preconceito em torno das doenças mentais” e “Os efeitos de uma pandemia para a saúde mental da sociedade brasileira”.

“O aluno que soube argumentar nessa perspectiva do desafio, da importância, dos problemas psicológicos, da inteligência emocional, com certeza associaria isso ao estigma que foi trazido no tema”, acredita a professora de redação, Samelly Xavier. “Eu acredito que o nosso aluno teve muita consciência na hora de fazer a prova porque foi algo que a gente repetiu ao longo do ano inteiro e que tinha muito repertório sócio cultural, muitas possibilidades de abordar esse tema, com filmes, com livros, com séries”, explicou.

Embasamento nos grandes pensadores

As aulas de sociologia, filosofia e LIV (Laboratório de Inteligência da Vida) do Colégio Porto também trataram sobre o assunto, dando mais respaldo e segurança para os estudantes. “Nas aulas de filosofia e sociologia, contemplamos temas ligados aos pensadores contemporâneos, como Friedrich Nietzsche e sua vontade de potência, Jean-Paul Sartre e a angústia humana, Michael Foucault e a história da loucura e as relações de poder, Pierre Bourdieu e a violência simbólica, Zigmunt Bauman e a efemeridade das relações, Byung-Chul Han e a sociedade do cansaço e do desempenho, entre outros”, descreveu a professora Kênnia Ísis.

“Discutimos sobre as mudanças impostas pela sociedade que fomentam pressões sobre determinados grupos de indivíduos e colocam outros às margens da sociedade, gerando assim estigmas”, disse a professora.

“O tema da valorização da vida também foi abordado nas aulas de LIV, a partir das habilidades socioemocionais, com o debate da necessidade explícita de compreender a nossa existência através do outro e como essa atitude ainda é complexa na nossa sociedade, o que promove a discriminação de determinados indivíduos e/ou grupos sociais”, acrescentou.

“Seja por meio das aulas diretamente de Redação, que deram aos alunos a oportunidade de treinar a escrita sobre o tema, seja nas aulas de filosofia e Liv, que prepararam os alunos com conteúdo para a discussão, o Colégio Porto acertou no alvo do tema da Redação do Enem deste ano”, ressalta a diretora pedagógica, Ana Cristina.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia

Em conferência estadual, desmilitarização da Polícia Militar é proposta para melhoria da segurança pública do RN

Foto: Reprodução

O Agora RN destaca nesta terça-feira(22) que a desmilitarização da Polícia Militar com a adoção da perspectiva de polícia comunitária foi a primeira das 98  propostas aprovadas como melhorias para segurança pública potiguar ao final da II Conferência Estadual de Segurança Pública e Defesa Social do Rio Grande do Norte, evento realizado virtualmente entre os dias 16 e 18 deste mês.

Segundo a reportagem do Agora RN, o evento, que é considerado um instrumento de democratização para contribuir com a formulação da Política e  Plano Estadual de Segurança Pública e de Defesa Social – PESP,  foi coordenado pelo vice-governador Antenor Roberto. Como próximo passo na discussão, uma audiência pública na Assembleia Legislativa.

Veja matéria completa aqui.

Opinião dos leitores

  1. É tudo só pra tirar o foco.
    Cadê os nossos 5.000 milhões???
    #ForaFatãoGopi
    #PTNuncaMais
    #NãoVotemEmPartidosDeEsquerda
    #LulaNaCadeia

  2. Proposta INCONSTITUCIONAL. As polícias militares são forças auxiliares das forças armadas por definição constitucional. Portanto, debates desse naipe são meras perdas de tempo ou devaneios, sem qualquer sentido prático. Aliás, para um governo que acabou de criar o Dia da Visibilidade Lésbica, esse debate é "café pequeno". Que tristeza ver um estado tão belo e promissor nessas mãos.

  3. Nunca ví o governo por conta própria, fazer algo que beneficiasse a tropa. Então, não vejo com bons olhos!

  4. Pronto!!! Agora vão querer ir de encontro ao que está previsto na Constituição Federal?! Só me faltava essa!

  5. Engraçado esse povo. Pagam salários africanos ao policial e querem um serviço padrão europeu.

    1. Só lembrando que: ao deixarmos de sermos militares, aquele benefício de ir com integralidade salarial acaba! ao se aposentar como sub, voltaremos a receber proventos limitados pelo teto de aposentadoria, hoje isso gira em torno de 5.000.

  6. Podem terem certeza que a desmilitarização da PMRN, não trará benefícios para quem a compõem……o governo, não está pensando em melhorarias para as praças em relação ao oficialato, eles estão com o objetivo de nos incluir na reforma da previdência estadual, e para isso…..a única forma seria a desmilitarização. O fato da PM deixar de ser militar, não vai mudar a forma de policiamento. Pois, a desmilitarização afeta a instituição e não a população diretamente! Quer fazer algo relevante? ……Dê um orçamento digno, e não deixe que politicagem interfira nas ações de combate a criminalidade, que tudo se resolve!

    1. É preciso entender a caserna.
      Os praças querem isso, os Oficiais, não.
      Entendeu?

      Os oficiais querem mordomia.
      E os praças que se fodam.

      Polícia única é numa saída.
      Tipo as polícias dos EUA.

    2. Os Praças não querem isso, Hugo. Sou Praça e passo longe desse ideal ideológico de desmilitarização. Somente aqueles que desconhecem ou fingem desconhecer o real propósito disso são favoráveis. Participei da II Conferência Estadual de Segurança Pública e Defesa Social do Rio Grande do Norte e deu asco ouvir os argumentos absurdos favoráveis a desmilitarização. Portanto, não fale o que você não sabe! Não diga que parte do efetivo quer quando isso não é verdade! Maldito seja o discurso marxista de luta de classes!

  7. Militarizada ou não, isso não resolve o problema da segurança pública, no meu entendimento.
    Existe o fator ostensivo, demonstrando presença policial fardada em regiões com níveis criminais autos.
    Tenho uma opinião antiga de que as PMs, que são estaduais, deveriam ser FEDERALIZADAS. Assim haveria nivelamento e padronização de formação, melhoria no trabalho de inteligência, alívio de gastos para os estados, menos gastos com uniformes, armamentos, viaturas, etc…pois os preços cairiam com as compras num volume maior. Também melhoraria o tempo resposta em eventuais necessidades de acionamento e deslocamento de contingentes de um estado para o outro. Também nivelaria os soldo e gratificações, tratando todos de forma justa. Poderiam também ser feitas transferências interestaduais, caso necessário. Os jovens de 19 anos poderiam servir durante um ano, sendo ao final reservistas.
    E várias outras vantagens que melhorariam o serviço prestado.

  8. Um governo que ate agora nao mostrou pra que veio… empresas fechadas, escolas fechadas, estradas esburacadas, saude precaria, e uma policia que depende da Uniao pra ter equipamentos.. e ainda querem propor desmilitarizacao (sindicalizacao) para acabar com o que restou de seguranca publica??? vamos viver feito ratos??? Lembrando que essa proposta deveria ser do Congresso Nacional e nao de Assembleia estadual. Acabar com as policia militares ja fazem quando nao fazem concurso pra repor vagas. Governo estadual com discurso fraquinho e sem nexo.

  9. O desejo do PT é uma policia sindicalizada, algo que esta proibido nas PMs pela CF. Assim poderiam controlar as policias com seus pelegos independentes de quem quer que seja o governo estadual. E se comparar produtividade, verão exatamente o contrario do que se faz em alguns comentarios, a PM é a mais produtiva e merecia um ciclo completo.. a exemplo que justifica, nunca vi comercio fechar as portas com a PC em greve. Entretanto, uma PM em greve nem escola abre. Agora so imaginar uma policia desordeira, peleguista e partidaria.. seria improdutiva… e o que seria da sociedade? Quais países tem PMs??? Chile, portuga, Espanha, Italia e mais alguns. Tem objetivos estranhos um discurso de desmilitarização… Qual vai ser o proximo capitulo?? uma milicia civil aos moldes bolivariana?

    1. João onde vc fez essa pesquisa?
      Tudo que vc falou, a resposta é no contrário.
      Você não conhece o que acontece na tropa.
      O Brasil é um dos poucos países que existe polícia militar.
      Hoje os policiais militares são cachorrinhos de governadores.
      Os oficiais para progredir na carreira tem que ficar babando o ovo de político. Os praças, pior, estão jogados a traça.
      Qualquer ato, e até legal contra uma ordem de governador, eles são punidos. Aqui nós falamos de Segurança Pública. A atuação é totalmente diferente das FA.

      É necessário que aconteça isso.
      Polícia única, no padrão PF e PRF.

      Bolsonaro 2022

    2. Matheus, olha em cada site de policia de todos os países do mundo. Royal Canadian Mounted Police, Canada e militar; Carabineros de Chile é militar; Guarda Nacional Republicana em portugal é militar; Arma dei carabinieri na italia; Guardia na Espanha é militar na sua essencia; Military Gendarmerie, polonesa; e mais uns 100 países pelo mundo mantem policias militares ostensivas. Pergunte a cada potiguar o que ele sente quando vai a delegacia resolver algo, e pergunte ao mesmo em quem ele pensa primeiro quando precisa de ajuda ou quando liga pra o 190. Essa "novidade" no Estado do RN é uma cartilha politica ideologica e eleitoreira, sem sentido no contexto, apenas pra uma classe especifica de petistas. Nao estao pensando na populacao ou na sociedade em geral. Precisamos de fato DESPETIZAR o Estado e nao desmilitarizar as policias.

    3. O motivo é esse mesmo: sindicalização (aparelhamento pela esqueda). O resto é externalidade.

  10. alguma coisa tem que mudar né? só não pode ficar do jeito que está, o tráfico começando a botar regra em alguns bairros do mesmo jeito que acontece no Rio de Janeiro…

    1. Assim fica mais suave a distinção entre praças e oficiais, militarismo tem seu valor em questões de soberania nacional, não para lidar com cidadãos.

  11. Seria bom fazer uma polícia nos padrões da Polícia Rodoviária Federal.
    É preciso, urgentemente, desvincular as polícias militares das Forças Armadas.
    A produção da PM é pouco, os Oficiais não produzem " Seg. pública ", só querem saber de perseguir os praças.

    Obs: apoio o PR Bolsonaro

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trânsito

Importância da Primeira CNH é tema de ação educativa do Detran em Brejinho

Fotos: Divulgação

As atividades educativas do Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) estão sendo intensificadas em municípios do interior do Estado durante a Semana Nacional do Trânsito (SNT), que segue até amanhã (25). A cidade de Brejinho foi a contemplada nessa segunda-feira (23), com palestras direcionadas a alunos do ensino fundamental e médio da rede pública de ensino.

Mais de 200 pessoas participaram da atividade educativa, que aconteceu na Escola Estadual Professor José Lúcio Ribeiro. O momento reuniu, além de estudantes, representantes do Poder Executivo Municipal, Câmara de Vereadores, professores, servidores da escola e a população em geral.

O tema trabalhado pelo técnico da Subcoordenadoria de Educação para o Trânsito do Detran, Luiz Felipe, foi “A importância da primeira habilitação para um trânsito seguro”. Na apresentação foi mostrado os procedimentos para que o condutor possa adquirir a Permissão para Dirigir (PPD), a segurança para o trânsito com condutores habilitados, a legislação que trata sobre o tema, apresentando punições e orientações para quem conduz veículo automotor sem habilitação, além dos perigos que estão sujeitos o motorista e a população quando um cidadão desabilitado resolve conduzir automóvel ou motocicleta.

De acordo com Luiz Felipe, o tema é relevante e tem como foco principal os jovens e o combate a alta incidência de pessoas que insistem em conduzir veículo sem serem habilitadas, registrada nas cidades do interior do Estado. “Essa prática coloca em risco o condutor e a população que faz parte do trânsito, por isso o tema é importante para conscientizar que só se deve dirigir aquele que for habilitado para isso”, explicou.

As ações de educação para o trânsito planejadas pelo Detran continuam hoje em Natal. Na programação contam atividades na estação de trens da Ribeira (Conscientização sobre os trilhos) e na Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), com a ação “Papo Consciente”. O Detran vem atuando integrado as instituições que compõem o Programa Vida no Trânsito.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *