Educação

NO ALVO: alunos do Colégio Porto trabalharam tema da redação do Enem nas aulas de redação, filosofia, sociologia e LIV

Foto: Divulgação

“O estigma associado às doenças mentais na sociedade brasileira” foi o tema da redação do Enem desse ano, revelado ontem, durante as provas da área de linguagens e ciências humanas. A temática, bastante atual, foi tratada nas aulas da 3ª série do ensino médio do Colégio Porto de mais de uma disciplina, o que contribuiu para que os estudantes da escola pudessem se sentir seguros na hora de apresentar argumentos sobre o assunto.

Pelo menos em três oportunidades os alunos do Colégio Porto escreveram com temas muito similares ao que foi cobrado na redação do Enem: “A importância de combater o preconceito a transtornos psicológicos”, “Desafios para combater o preconceito em torno das doenças mentais” e “Os efeitos de uma pandemia para a saúde mental da sociedade brasileira”.

“O aluno que soube argumentar nessa perspectiva do desafio, da importância, dos problemas psicológicos, da inteligência emocional, com certeza associaria isso ao estigma que foi trazido no tema”, acredita a professora de redação, Samelly Xavier. “Eu acredito que o nosso aluno teve muita consciência na hora de fazer a prova porque foi algo que a gente repetiu ao longo do ano inteiro e que tinha muito repertório sócio cultural, muitas possibilidades de abordar esse tema, com filmes, com livros, com séries”, explicou.

Embasamento nos grandes pensadores

As aulas de sociologia, filosofia e LIV (Laboratório de Inteligência da Vida) do Colégio Porto também trataram sobre o assunto, dando mais respaldo e segurança para os estudantes. “Nas aulas de filosofia e sociologia, contemplamos temas ligados aos pensadores contemporâneos, como Friedrich Nietzsche e sua vontade de potência, Jean-Paul Sartre e a angústia humana, Michael Foucault e a história da loucura e as relações de poder, Pierre Bourdieu e a violência simbólica, Zigmunt Bauman e a efemeridade das relações, Byung-Chul Han e a sociedade do cansaço e do desempenho, entre outros”, descreveu a professora Kênnia Ísis.

“Discutimos sobre as mudanças impostas pela sociedade que fomentam pressões sobre determinados grupos de indivíduos e colocam outros às margens da sociedade, gerando assim estigmas”, disse a professora.

“O tema da valorização da vida também foi abordado nas aulas de LIV, a partir das habilidades socioemocionais, com o debate da necessidade explícita de compreender a nossa existência através do outro e como essa atitude ainda é complexa na nossa sociedade, o que promove a discriminação de determinados indivíduos e/ou grupos sociais”, acrescentou.

“Seja por meio das aulas diretamente de Redação, que deram aos alunos a oportunidade de treinar a escrita sobre o tema, seja nas aulas de filosofia e Liv, que prepararam os alunos com conteúdo para a discussão, o Colégio Porto acertou no alvo do tema da Redação do Enem deste ano”, ressalta a diretora pedagógica, Ana Cristina.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

VÍDEO: Após estudar em cursinho gratuito, lavador de carros de SP tira nota 920 na redação do Enem 2019

Assista vídeo aqui em matéria na íntegra

Davi Araújo, de 19 anos, entrou para seleto grupo de estudantes que tiraram nota acima de 900 na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Filho de uma diarista, ele trabalha como lavador de carros em um lava-rápido na Zona Sul de São Paulo e, no ano passado, usou o salário para pagar a condução até o Centro da capital paulista para as aulas do Cursinho Comunitário Modelo.

Os bons resultados de Davi não são os únicos do cursinho, que, depois de quatro anos usando o espaço cedido por uma escola municipal, corre o risco de ficar sem endereço para as aulas de 2020, que começam em fevereiro.

O cursinho foi criado em 2015 a partir de experiências da associação Movimento Educação e Cidadania de Afrodescendentes e Carentes (Educafro). No ano seguinte, a Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Duque de Caxias, localizada no Glicério, na região central, cedeu algumas de suas salas de aulas ociosas no período noturno e aos sábados para as aulas do curso.

Em 2016 e 2019, o cursinho também ofereceu aos alunos do ensino fundamental da escola uma turma de preparação para os vestibulinhos de escolas técnicas (Etecs) e do Instituto Federal de São Paulo (IFSP). Segundo os professores, 100% dos estudantes que fizeram o preparatório até o final conseguiram ser aprovados.

Na virada do ano, porém, o Cursinho Modelo afirma que a escola propôs a manutenção da parceria desde que o Modelo oferecesse apenas aulas aos alunos da escola, e não mais à comunidade em geral. Os professores recusaram, e o impasse foi parar na Secretaria Municipal de Educação, que, em nota, afirmou que “o Cursinho Modelo seguirá em atividade na EMEF Duque de Caxias durante o ano de 2020”.

Metodologia especial

Segundo Tom Junior, fundador do Modelo, a metodologia do cursinho é voltada para um público específico: pessoas que não tiveram acesso a uma educação de qualidade no ensino básico. A seleção entre os mais de 400 estudantes que se inscrevem todos os anos segue poucos critérios, entre eles focar nos jovens negros e de baixa renda, mas especificamente em pessoas interessadas em se dedicar durante um ano ao estudo intensivo e se comprometer com ajudar os outros.

“Nossa seleção não é com base no conteúdo que o aluno já tem, é com a vontade dele de transformação na vida dele e da família dele”, afirmou Junior, que atualmente diz contar com 40 professores voluntários, no aguardo de uma definição sobre onde as aulas serão oferecidas neste ano, para realizar a seleção dos alunos para as vagas.

Topo do ranking do Enem

Davi Araújo foi selecionado no início de 2019 e diz que o cursinho o ajudou a entender mais sobre os vestibulares como o Enem e a Fuvest, que seleciona para vagas na Universidade de São Paulo (USP).

Até então, a única vez que ele tinha feito o Enem havia sido em 2016, quando ele estava no segundo ano do ensino médio. Na época, sua nota na redação foi 420.

Três anos depois, Araújo viu sua nota subir para 920 na segunda tentativa, resultado que ele credita à combinação entre seu esforço e a ajuda dos professores voluntários.

No Enem 2018, só 2% dos candidatos conseguiram nota acima de 900 na redação. Na edição 2017, esse número foi de 1% do universo total. Para a edição deste ano, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) não divulgou os dados detalhados. O Enem 2019 contou com quase 4 milhões de participantes.

Também aprovado para a segunda fase da Fuvest, o lavador de carros aguarda o resultado do vestibular da USP e o do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para conseguir uma vaga na graduação em engenharia da computação.

G1

 

Opinião dos leitores

  1. Com um desempenho assim, este jovem dignifica a geração dele sem precisar de recorrer a excrescência denominada "cota". Merece todos os nossos votos de felicidades.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Além de destaque entre as sete unidades federativas com nota 1000, alunos do RN alcançam bom desempenho com redações acima da média

Foto: Divulgação

O Rio Grande do Norte obteve um bom desempenho na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cujo resultado individual dos participantes foi divulgado na última sexta-feira (17) pelo Ministério da Educação (MEC). Além de estar entre as sete unidades federativas que atingiram nota 1000 na redação, sendo o segundo no Nordeste, o RN também conta com outras redações que alcançaram notas altas, acima da média divulgada pelo MEC.

Foi o caso, por exemplo, das estudantes Isabelle Lima e Lídia Giovana, alunas concluintes do Centro Estadual de Educação Profissional João Faustino, localizado no bairro do Pitimbú, em Natal. Discorrendo sobre a “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, tema da redação do Enem, as duas elaboraram redações que lhe conferiram as notas 880 e 940, respectivamente.

Além delas, quem também ficou surpreso com o resultado foi o estudante Joab Arruda, 20, concluinte do curso técnico em Nutrição e Dietética do CEEP João Faustino. Alcançando 760 pontos na redação (nota acima da média) o aluno conta que desenvolveu o seu texto seguindo critérios como acesso à cultura e desigualdade social.

“O tema da redação foi algo bem fora do esperado pelos os estudantes de todo o país, mas eu percebi que poderia falar sobre desigualdade social, e que ainda muitas pessoas no nosso país não têm acesso ao cinema, até mesmo o cinema nacional! Desenvolvi meu texto sob duas pautas: a primeira que foi falar dessa tecnologia avançada que é o cinema, e a segunda que o cinema também é um direito, logo, é dever do Estado manter e assegurar esse direito”, explica.

Joab mora no bairro de Cidade Nova, região periférica da capital potiguar, e conta que alterna as atividades escolares com a rotina doméstica. “O meu dia a dia é bem agitado, pois tenho muitas obrigações em casa e quando eu estava na escola essa demanda aumentava cada vez mais. Por isso eu não esperava ter um bom resultado pois tive umas dificuldades no meio do percurso”, conta.

Recém-formado no curso técnico e também no ensino médio, o jovem conta que usará sua nota do Enem para ingressar em alguma instituição pública federal. “Vou usar minha nota para ingressar no curso de Educação Física, ou também em Gestão em Políticas Públicas”, afirma.

Os bons resultados também foram comemorados em Macau, como na Escola Estadual José Olavo do Vale, onde os alunos Ítalo Miranda e Sayonara Santos também alcançaram 720 e 800 pontos, respectivamente. Uma das mais tradicionais unidades de ensino de Assu, a Escola Estadual Juscelino Kubitschek, também comemorou os resultados dos seus alunos. André Lucas, concluinte do ensino médio, alcançou 920 pontos. “É muito bom ver que, por toda a rede estadual, escolas comemoram os bons resultados dos seus alunos. Para nós, cada resultado é importante e nos motiva a trabalhar ainda mais por nossos jovens”, explica Getúlio Marques, secretário de Educação do RN.

(mais…)

Opinião dos leitores

  1. Entendeu os motivos que servem de fundamentos para garantir a escola estatal pública e gratuita como um direito social?
    Quando que a população teria acesso a esse tipo de política numa quantidade de alunos e numa progressiva melhora da qualidade?
    Parabéns aos alunos, aos professores as equipes pedagógicas e a governadora Fátima que acreditou nessa possibilidade.

    1. "Cumpanhero", o que essa governadora inepta e incompetente tem a ver com o mérito desses alunos? Aliás, a política educacional (se é que existiu) do PT é baseada na anarquia, nas cotas RACIAIS, na tal ideologia de gêneros e no desperdício de dinheiro em ensino superior de péssima qualidade, com cursos sem qualquer utilidade para a sociedade e distribuindo títulos de bacharéis para semi analfabetos. Deveria, ao invés disso, tentar melhorar a QUALIDADE do ensino básico e fundamental. A propósito, esse artigo refere-se a redações do ENEM. Vc ao menos leu?

    2. Ceará, compreendo a sua ignorância. É difícil entender que um bom resultado por parte de alunos da rede pública estadual é fruto de um ensino de qualidade que deve ser extendido para todos e não exclusividade dos mais favorecidos. Por falar em políticas públicas de educação recomendo que leia a LDB é demais documentos relativos ao tema e não precisa xingar os outros. ? no ❤️

    3. Seu pseudônimo (alienado) parece fazer jus à suas "análises". Mesmo que essa governadora estivesse melhorando o ensino do RN (É não está), os efeitos de suas hipotéticasações ainda não seriamsentidos por absoluta falta de tempo, já que essa senhora só está no poder há 1 ano. Por outra, o PT notabilizou-se por abrir cursos superiores no atacado, sem qq cuidado com sua qualidade ou utilidade. E os resultados são notórios, com o Brasil na lanterna dos medidores internacionais de qualidade no ensino. Aliás, indo mais adiante, esse (des) governo de Fatão ainda não disse a que veio. NADA de proveitoso para o estado já foi feito. E veja que o governo Bolsonaro tem ajudado MUITO. Enfim, reputo o sucesso desses alunos a méritos pessoais. Parabéns à eles.

    4. E a propósito, "cumpanhero" alienado, Fatão vai pagar o aumento de 13% que o presidente Bolsonaro deu no piso dos professores? E os sindicalistas PELEGOS e os próprios professores não vão cobrar o aumento?

    5. Concordo com o que você diz, quanto à importância da escola pública e gratuita, mas atribuir esses bons resultados ao governo de Fátima é no mínimo um exagero descabido.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

RN se destaca entre os quatro estados com maior número de alunos com nota 1000 na redação do Enem

Rascunho de redação nota 1 mil no Enem 2019 — Foto: Arquivo Pessoal/Daniel Gomes

O portal G1-RN informa que o Rio Grande do Norte teve seis alunos que atingiram a nota máxima na redação do Exame nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. De acordo com o Ministério da Educação, foram 53 estudantes que conseguiram a avaliação 1.000 em todo o país.

Segundo a reportagem, as redações com nota máxima são de estados do Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste: Alagoas (2); Bahia (1); Ceará (6); Distrito Federal (2); Espírito Santo (1); Goiás (4); Maranhão (1); Mato Grosso do Sul (1); Minas Gerais (13); Paraíba (1); Pará (2); Pernambuco (1); Piauí (2); Rio Grande do Norte (6); Rio de Janeiro (6); São Paulo (4).

O tema desta edição foi “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”. O texto deveria ser do tipo dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, desenvolvido a partir da situação-problema proposta e de subsídios oferecidos pelos textos motivadores.

Veja mais aqui.

Opinião dos leitores

  1. Ninguém comenta a respeito desses meninos que tiraram nota máxima. Parabéns molecada. Felicidades na próxima escolha. Rumo à Federal.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

MEC muda regras do Fies e exige nota mínima na redação do Enem; nova regra a partir de 2021

O Ministério da Educação publicou hoje portarias fixando novas regras do Fies, o programa de financiamento estudantil, informa a Crusoé.

Uma delas prevê exigência de nota mínima de 400 pontos na redação do Enem para o estudante tentar a modalidade de Fies com juro zero.

De acordo com a portaria, a nova regra valerá a partir do primeiro semestre de 2021.

O Antagonista, com  Crusoé

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Televisão

Repórter do Grupo Globo é demitido após filmar colega editor na redação comemorando vitória do Flamengo

Um editor de esportes da Rede Globo foi demitido nessa quarta-feira (04/12/2019), após filmar um colega de trabalho e publicar o vídeo nas redes sociais. Segundo Leo Dias, trata-se de Adalberto Neto, do jornal O Globo, que gravou o editor Márvio dos Anjos comemorando a vitória do Flamengo na final da Libertadores.

No vídeo que viralizou na internet, é possível ver o editor do jornal correndo pela redação, gritando e se jogando no chão enquanto comemorava a virada do time carioca sobre o River Plate, da Argentina. Ao fundo, Adalberto diz: “Gente, o que é isso? Isso aqui é a redação de um jornal sério”.

De acordo com Leo Dias, inúmeros internautas criticaram a postura do profissional filmado. “O jornalista tem que ser isento, a comemoração teria que ser feita fora do ambiente de trabalho. Péssimo exemplo”, disse um usuário. Outro escreveu: “Se eu faço isso no trabalho, sou demitido. Imagina se o meu trabalho fosse ser imparcial sobre o assunto”.

Mesmo com todas as críticas, a coluna do Leo Dias relatou que a Rede Globo realizou o desligamento de Adalberto Neto, jornalista que filmou e publicou o vídeo nas redes sociais. A situação da demissão ocorreu sem nenhuma justificativa, segundo o blog.

Metrópoles

Opinião dos leitores

  1. Então tem q demitir Galvão Bueno, casa grande entre outros,Galvão Bueno quase morria antes da final

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Com a "receita do Miojo" proibida, alunos da rede pública e privada têm queda no desempenho na redação do Enem

 A nota dos concluintes das redes pública e privada na redação do Enem piorou entre 2011 e 2012. No ano passado, a média dos estudantes de escolas particulares foi de 602,16 –a pontuação varia de 0 a 1000. Em 2011, essa nota média foi de 612.

Entre os concluintes da rede pública, a nota na redação em 2011 foi de 512. Em 2012, quando o tema foi a imigração para o Brasil no século 21, a média foi de 495,54.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (25) pelo Ministério da Educação e consideram, assim como no ano passado, apenas as escolas em que mais de 50% dos alunos do 3º ano do ensino médio fizeram o exame. Com isso, o recorte abrange 60,7% do universo de escolas no país (11.239 de um total de 18.511).

O desempenho dos concluintes da rede privada apenas é inferior ao dos alunos na rede federal de ensino –os colégios de aplicação ou técnicos. “A média [das públicas] é sempre inferior ao setor privado. O que digo é que: você está pegando [um universo de] 2 milhões e no privado são 300 e poucos mil”, argumentou o ministro Aloizio Mercadante (Educação).

Ao todo, 2,03 milhões de concluintes do ensino médio estão no setor público, frente a 323 mil nas escolas particulares. Com base em tabela divulgada pelo Inep, responsável pelo Enem, Mercadante ponderou que se selecionados os 215,5 mil melhores alunos da rede pública, o desempenho desse grupo é superior à média do setor privado.

“Quando olho os melhores do setor público, eles competem muito em igualdade de condições com o setor privado”, disse o ministro.

MAPA DE ITENS

A partir da tarde de hoje, escolas públicas e privadas, além dos próprios alunos, podem consultar no site do Inep o detalhamento do desempenho no Enem 2012. Até aqui, o ministério divulgava a média geral dos alunos de um determinado colégio.

“A média é influenciada pelos extremos. Agora, o gestor vê essa distribuição”, afirmou o presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa. Para o MEC, essa será uma importante ferramenta pedagógica para os professores, com base no desempenho dos alunos, melhorarem o ensino em sala de aula.

A intenção é disponibilizar esse mesmo mapa dos itens das edições anteriores do Enem.

ÁREAS DO CONHECIMENTO

Nas quatro áreas do conhecimento, os concluintes da rede privada apenas registraram melhora, entre 2011 e 2012, em ciências humanas –a pontuação em ciências da natureza ficou praticamente estável (540 em 2011, 541,28 na edição de 2012).

Entre as públicas, houve melhora em duas áreas (ciências humanas e da natureza), com leve crescimento na área de matemática (de 493 pontos para 495,86). Ao mesmo tempo, houve queda na área de linguagens.

Folha

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Enem 2012: estudante escreve receita de miojo na redação e recebe nota 560

Redação do Enem em que um candidato ensina como preparar miojo Foto: Reprodução

O que culinária tem a ver com movimentos imigratórios para o Brasil no século XXI, tema da redação da última edição do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem)? À primeira vista, nada. No entanto, dois corretores da prova entenderam como “adequada” a abordagem temática por parte de um candidato que descreveu como preparar um Miojo no meio de seu texto. Enquanto estudantes tiraram nota 1000 cometendo erros como “trousse”, “enchergar” e “rasoavel”, como mostrou O GLOBO na segunda-feira, o candidato que agiu com deboche ficou com 560 pontos.

“Para não ficar muito cansativo, vou agora ensinar a fazer um belo miojo, ferva trezentos ml’s de água em uma panela, quando estiver fervendo, coloque o miojo, espere cozinhar por três minutos, retire o miojo do fogão, misture bem e sirva”.

Como se nada tivesse acontecido, o candidato retoma o tema da imigração no parágrafo seguinte e conclui que “uma boa solução para o problema o governo brasileiro já está fazendo, que é acolher os imigrantes e dar a eles uma boa oportunidade de melhorarem suas vidas”. Das 24 linhas da redação, quatro foram reservadas apenas para descrever o modo de preparo da massa. (mais…)

Opinião dos leitores

  1. Deve ser do PT, nao trabalhou, nao estudou, todos tem vez, se brincar vai ser ministro da educação!!!

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Educação

Estudantes que fizeram o Enem 2012 já podem ver correção das redações

A partir de hoje (6), os estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio 2012 (Enem) terão acesso à correção das redações. O estudante deverá acessar o site do Enem com o CPF ou o número de inscrição e a senha. As correções terão apenas finalidade pedagógica, ou seja, não serão passíveis de recurso. Ao todo, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) foram corrigidas 4.113.558 redações, das quais 1,82% estavam em branco e 1,76% obtiveram nota zero. Os candidatos já tiveram acesso às notas, divulgadas no dia 28 de dezembro do ano passado.

No início do ano, estudantes de todas as regiões do país recorreram à Justiça para conseguir acesso à correção antes do período de inscrição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), pelo qual instituições públicas de educação superior oferecem vagas a candidatos participantes do Enem.

Agência Brasil

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *