Política

Deputado Allyson Bezerra repudia “mentiras divulgadas pela prefeita de Mossoró” sobre combate a Covid-19

Foto: Divulgação

O Deputado Estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) repudiou “as mentiras divulgadas pela Prefeitura de Mossoró”, assim descreve em nota, relacionadas a ações de combate ao Coronavírus no município. Ele se posicionou sobre o assunto durante sessão ordinária remota da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte nesta quinta-feira (30). Veja manifesto abaixo:

Allyson destacou que o Executivo Municipal usa de mentiras para fazer politicagem e enganar a população mossoroense. Citou três casos ocorridos recentemente.

Segundo ele a Prefeitura divulgou que a UPA do Belo Horizonte seria referência para atendimento de pacientes com Coronavírus a partir de 20 de abril, mas até o momento a promessa não foi concretizada.

“A prefeita ousa fazer politicagem, ousa enganar a população, ousa trabalhar com as mesmas mentiras, as mesmas inverdades que pautaram sua vida política. Até hoje a UPA não é referência ainda. Até hoje isso não é realidade. Ontem relatei aqui um óbito, hoje relato mais um óbito de um vizinho meu, que infelizmente não teve a atenção devida na UPA, não por parte dos servidores e sim pela falta de estrutura da unidade”, disse.

Ele explicou também que a Prefeitura de Mossoró divulgou que implantaria leitos de UTI no Hospital São Luiz para atender esses pacientes já na terça-feira (28).

“Mais uma enganação. Mais uma mentira. O hospital de campanha será aberto amanhã e na verdade já conta com esses leitos. Será uma administração feita pela Associação de Proteção e Assistência à Maternidade e Infância de Mossoró (APAMIM), numa ação conjunta da Justiça Federal, Ministério Público Estadual e do Trabalho, em parceria com o Estado e Município”, disse Allyson.

“Enquanto a prefeita de Mossoró divulga que na terça os leitos do São Luiz já estavam abertos, três pacientes aguardavam na UPA do Santo Antônio transferência para UTI”, disse ele.

De acordo com o parlamentar, a Prefeitura divulgou essa semana mais uma mentira. Desta vez relacionada a contagem de pacientes recuperados da Covid-19. “Disseram que 70% dos pacientes já estavam recuperados. A Prefeitura pegou dados de recuperados em um dia e de infectados em outra semana. Maquiando os dados. Na verdade, o índice de recuperação é de 50,06%”, relatou.

“São três mentiras, três inverdades que eu como deputado estadual, como mossoroense, como membro da bancada da região Oeste, tenho a responsabilidade de vir aqui e relatar. Mossoró tem alto índice de óbito por Covid-19 e a administração é péssima, não está tendo a devida condição técnica e capacidade para enfrentar esse problema e ousa mentir, enganar e perseguir aqueles que falam a verdade, fica o nosso repúdio a atitude da prefeita”, concluiu.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comportamento

Pessoas tendem a mentir para parecerem honestas, constata estudo

Foto: Creative Commons

Por mais contraditório que seja, as pessoas podem mentir para parecer honestas. É o que afirma um novo estudo da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel, publicado na revista científica American Psychological Association. Na maioria das vezes em que isso ocorre, é porque os indivíduos querem parecer competentes o bastante em determinada situação, de acordo com a pesquisa.

“Nossas descobertas sugerem que quando as pessoas obtêm resultados extremamente favoráveis, antecipam as reações suspeitas de outras pessoas e preferem mentir e parecer honestas do que dizer a verdade e correr o risco de soarem mentirosas ou egoístas”, Shoham Choshen, professora sênior da Escola de Administração de Empresas e do Centro de Estudos da Racionalidade da Universidade Hebraica de Jerusalém.

O estudo realizou uma série de experimentos com advogados e estudantes de Israel, além de testes virtuais com voluntários dos Estados Unidos e da Inglaterra. Nas atividades com advogados, 115 indivíduos tiveram que imaginar um cenário em que tinham de dizer a um cliente quanto custaria para resolver um caso. Metade dos voluntários tinha que trabalhar em 60 horas e a outra metade, em 90 horas. No cenário hipotético, o cliente não saberia quantas horas os advogados trabalharam, de fato.

Quando perguntados quanto cobrariam do cliente, o grupo de 60 horas disse que havia trabalhado, em média, 62,5 horas – sendo que 17% do grupo mentiu para aumentar suas horas. No grupo de 90 horas, os advogados relataram uma média de 88 horas, com 18% do grupo mentindo ao relatar um período de trabalho menor. Quando foram cobrados por explicações das horas, alguns advogados do grupo de 90 horas abriram o jogo e disseram estar preocupados do cliente achar que foi enganado.

No grupo de estudantes, 149 jovens jogaram jogos online de rolagem de dados e lançamento de moedas, e depois relataram suas pontuações a um pesquisador. Cada um deles recebeu 15 centavos por lançamento de moeda ou dado. O programa de computador foi manipulado por metade dos alunos, para que recebessem notas perfeitas nos jogos, enquanto a outra metade teve resultados aleatórios. No grupo de pontuação perfeita, 24% omitiram algumas de suas vitórias – mesmo que isso lhes custasse dinheiro – para parecerem mais honestos.

No experimento online realizado nos EUA, 201 voluntários foram instruídos a imaginar um cenário em que faziam viagens de trabalho e, em troca, recebiam como remuneração mensal até 400 milhas. Eles foram informados de que a maioria dos funcionários da companhia recebia de 280 a 320 milhas por mês.

Na atividade, metade dos participantes recebeu 300 milhas em um mês e a outra, 400 milhas. Quando perguntados sobre sua remuneração, o grupo de 300 milhas disse a verdade e relatou uma média de 301 milhas. Já a turma das 400 milhas relatou uma média de 384 milhas, com 12% mentindo e diminuindo a milhagem. No Reino Unido, onde o mesmo experimento foi feito com 544 pessoas, os resultados foram semelhantes.

Choshen-Hillel acredita que os resultados do estudo seriam os mesmos no mundo real. “Embora nossas descobertas possam parecer irônicas ou contraintuitivas, acho que a maioria das pessoas reconhecerá um momento de suas vidas em que foi motivada a contar uma mentira para parecer honesta”, comenta a especialista. E aí, isso já aconteceu com você?

Galileu

Opinião dos leitores

  1. Na pesquisa domiciliar ou melhor da cadeia, um dos entrevistados foi Lula, taí a razão do resultado final da pesquisa.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diversos

Estudo revela as mentiras que as pessoas contam em apps de paquera

(FOTO: PIXABAY)

Cerca de um quarto dos jovens está procurando o amor por meio de sites e aplicativos de namoro. Essa forma relativamente nova de flertar pode lhe dar acesso a um grande grupo de parceiros em potencial. Mas também apresenta um conjunto único de desafios.

Por exemplo, você provavelmente ouviu falar de — ou experimentou na própria pele — um encontro que foi planejado online mas não deu certo por uma das seguintes razões: ele era mais baixo do que seu perfil dizia, ela tinha pessoalmente uma aparência diferente do que a das fotos, ou ele era falante quando estava escrevendo mas foi um tédio no jantar.

Em outras palavras, o perfil de uma pessoa — e as mensagens enviadas antes do encontro — podem não capturar o que a pessoa realmente é.

Em um artigo recente, meu colega Jeff Hancock e eu questionamos: com que frequência as pessoas que usam apps de paquera mentem? Que tipo de coisas elas são propensas a mentir?

‘Meu celular ficou sem bateria’

Nossos estudos são alguns dos pioneiros em apontar essas questões, mas outros avaliaram também a decepção no namoro online.

Pesquisas anteriores foram focadas especialmente nos perfis. Os estudos descobriram, por exemplo, que os homens tendem a exagerar a sua altura e a mentir sobre a sua ocupação, enquanto as mulheres minimizam o seu peso e tendem a ter fotos menos fiéis do que seus correspondentes.

Mas perfis são só um aspecto do processo de namoro online. Só depois de trocar mensagens com seu match é que você decide se quer encontrar ele ou ela.

Para entender com que frequência as pessoas mentem a seus parceiros e o que elas falsificam, nós avaliamos centenas de mensagens de texto trocadas depois que os pretendentes deslizaram o dedo para a direita, mas antes de se encontrarem — um período que nós chamamos de “fase de descoberta”. Nós recrutamos online uma amostra de mais de 200 participantes que nos proveram com as suas mensagens de conversas recentes e identificamos as mentiras, com alguns participantes explicando por que essas mensagens eram enganosas e não brincadeiras.

Nós descobrimos que as mentiras poderiam ser categorizadas em dois tipos principais. O primeiro tipo foram as mentiras relacionadas à apresentação pessoal. Se os participantes queriam se apresentar como mais atraentes, por exemplo, eles mentiam sobre a frequência com que iam à academia. Ou se o match aparentava ser religioso, eles mentiam sobre a frequência com que liam a Bíblia para parecer que eles tinham interesses semelhantes.

O segundo tipo de mentiras foram as relacionadas ao gerenciamento de disponibilidade, com os pretendentes descrevendo por que não poderiam se encontrar, ou dando desculpas para o silêncio, como mentir que o telefone estava fora de serviço.

Essas decepções são chamadas de “mentiras de mordomo” porque elas são relativamente educadas para evitar comunicação sem fechar completamente as portas. Se você já enviou “Desculpe, eu estava fazendo serviço militar, meu telefone ficou desligado”, quando você simplesmente não queria conversar, você contou uma mentira de mordomo.

Mentiras de mordomo não fazem de você uma pessoa ruim. Pelo contrário, elas podem ajudá-lo a evitar armadilhas de namoro, como aparecer sempre disponível ou desesperado.

Mentiras intencionais ou generalizadas?

Embora as decepções pela apresentação pessoal e a disponibilidade tenham gerado a maior parte das mentiras, nós observamos que só 7% de todas as mensagens foram classificadas como falsas na nossa amostra.

Por que uma taxa de decepção tão baixa?

Uma descoberta robusta em todos os estudos recentes sugere que a maioria das pessoas é honesta e que existem apenas alguns mentirosos prolíficos em nosso meio.

Mentir para parecer um bom par ou mentir sobre o seu paradeiro pode ser um comportamento completamente racional. Na verdade, a maioria das pessoas on-line espera por isso. Também há um benefício em mentir um pouco: isso pode nos destacar no namoro, enquanto nos faz sentir que permanecemos fiéis a quem somos.

No entanto, mentiras definitivas e generalizadas — mencionando seu amor por cães, mas na verdade sendo alérgico a eles — podem minar a confiança. Um grande número de mentiras pode ser problemático para encontrar “a metade da laranja”. Houve outro resultado interessante que fala sobre a natureza do engano durante a fase de descoberta. Em nossos estudos, o número de mentiras contadas por um participante foi positivamente associado ao número de mentiras que eles acreditavam que o parceiro contava.

Então, se você é honesto e mente pouco, acha que os outros também são honestos. Se você está procurando por amor, mas está mentindo para conseguir, há uma boa chance de perceber que os outros estão mentindo para você também.

Portanto, contar pequenas mentiras por amor é normal, e fazemos isso porque serve a um propósito — não apenas porque podemos.

* David Markowitz é professor assistente de análise de dados de mídias sociais da Universidade do Oregon (EUA) e escreveu originalmente em inglês para The Conversation.

Galileu

 

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Jornalismo

Campanha começa com mentiras, diz Aécio Neves

aecio2

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, acusou o PT de promover um ataque à honra dos adversários, em razão da notícia de suposta irregularidade na construção de um aeroporto na cidade de Cláudio (MG) em terras desapropriadas de seu tio-avô. “A campanha começa como nossos adversários gostam, com mentiras, e ataques à honra dos adversários, essa é uma praxe do PT.”

Aécio disse que a informação divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo de que houve construção por parte do governo de Minas Gerais numa área privada de seu parente é “mentirosa”. Segundo ele, a desapropriação foi feita por R$ 1 milhão e seu tio-avô apresentou uma proposta de R$ 9 milhões.

 “Se houve alguém favorecido foi o Estado (de MG) e não meu parente.” Aécio informou que buscou o parecer de dois ex-presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF) Ayres Brito e Carlos Veloso para atestar a legalidade do ato promovido pelo governo de Minas Gerais. Segundo ele, os dois ex-presidentes “atestaram a legalidade da operação”.

Aécio disse também que o Ministério Público de Minas Gerais investigou essa mesma obra em abril deste ano e arquivou o processo porque não encontrou nenhuma irregularidade. “A obra foi feita dentro da lei.” O presidenciável, que participou na tarde de hoje de um encontro promovido pela deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP), com pessoas com necessidades especiais, lamentou ainda que a campanha presidencial esteja começando “com essa deturpação da verdade”.

fonte: Estadão Conteudo

Opinião dos leitores

  1. Tem de explicar a justiça o senhor Aécio Neves. Caso a notícia visasse alguém do PT ou aliados, já seria alvo de abertura de CPI. Já não basta ter o Mensalão do PSDB sido escondido pelo STF durante anos a ponto de preescrever e voltar para a primeira estância, ou seja, julgado pelo TJMG. Dá tuas "carreiras" agora Aécio.

  2. Tem muita gente ainda com grande Quantidade de TITICA na cabeça pra defender esse governo IncomPTente.
    E o Lula em sya especialidade de enganar o povao, vem dizer que a inflação do governo FHC era de 12% , escondendo a informação de que na verdade este índice foi pelo medo do mercado do que estaria por vir num eventual governo do provável líder do governo mais corrupto e incompetente que este pais ja viu. E não é que o mercado e Regina Duarte tinham razão ?!?!
    Ele conseguiu mesmo. Acabou com o real e colocar ma estabilidade econômica. E sua sucessora recriou em seu governo jurássico o dinossauro da inflação.
    Agora vem com sua tatica de atacar quem lhe ofende cm a maquina pública. Mantida com nosso suado imposto.
    Fora PT!!!!

  3. SABE QUAL A DIFERENÇA DOS BABÕES DESTE BLOG PARA O AÉCIO? É QUE OS BABÕES DE TANTO BAJULAREM ESTÃO FEDENDO, JÁ O AÉCIO, ESTÁ CHEIRADO, E MUITO. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    EU TENHO CARRO E TENHO TETO, O QUE EU POSTO É QUE EU GOSTO E O QUE EU QUERO. DILMAIS DE CORAÇÃO.

Comente aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *