Documento sobre Curso de Combate a Invasores Alienígenas com designação de policiais está tramitando no sistema de comunicação interna do Governo de Rondônia

Foto: Reprodução

A população de Rondônia precisa se preocupar com iminente ataque alienígena desencadeado por forças extraterrestres?

A despeito de um documento oficial que tramita no Sistema Eletrônico de Informações (SEI), protocolo de circulação de dados internos do Governo de Rondônia, o setor de Comunicação do Comando-Geral da Polícia Militar (PM/RO) informou ao Rondônia Dinâmica que não, a possibilidade não existe.

O documento público real é fato, mas trata-se de um módulo fictício criado por alunos do Curso de Habilitação de Oficiais Administrativos (CHOA): a inclusão no SEI, por sua vez, também faz parte da teia de aprendizagem nas proposituras.

A questão, no fim das contas, é que tanto o ato de designação supostamente assinado pelo comandante-geral da Polícia Militar (PM/RO) quanto a carga horária do “Curso de Combate a Invasores Alienígenas” foram trazidas em primeira-mão pelo jornalista Roberto Kuppê, colunista do site MaisRO, com ares de alerta sobre a possibilidade de se tratarem de documentos falsos. A portaria também foi disponibilizada por outra comunicadora, a jornalsita Cammy Lima, em suas redes sociais.

Foto: Reprodução

Ainda que forjados de acordo com as exigências do curso, essas informações tramitam de maneira oficial no SEI, que, atualmente, não dispõe aos usuários comuns acesso integral à tramitação.

Quando o usuário se atém ao objeto do documento, única informação exposta a quem procura documentos no sistema, surgeM dados como “Considerando os recentes ataques alienígenas à população do mundo”, corroborando com a curiosidade e reforçando a desinformação.

Rondônia Dinâmica

Em nota, Detran esclarece que equipe de informática sanou falha no sistema

O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) esclarece que, de imediato, a equipe técnica de Informática do órgão sanou a falha ocorrida em seu sistema.

Cabe ressaltar que os dados dos usuários não foram afetados, assim como não houve interferência nos sistemas de Registro Nacional de Carteira de Habilitação (Renach) nem no Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam).

A Direção-Geral do Detran está abrindo um procedimento administrativo para apurar o fato ocorrido.

Óleo de fritura provoca “infarto” no sistema de esgotamento sanitário, alerta Caern

FOTO: CAERN/ADM

Um infarto ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração são obstruídas abruptamente por um coágulo de sangue formado em cima de uma placa de gordura, na parede interna da artéria. Algo parecido ocorre quando o óleo de cozinha é despejado na rede de esgotamento, pelo ralo. Isto porque o óleo, que não se dilui com a água, endurece, virando uma crosta na tubulação.

De quebra, “cola” o lixo sólido que estiver pelo caminho, como fio dental, cabelo e pedaços de alimentos. Resultado: o mau hábito corriqueiro ocasiona sérios transtornos ao sistema de esgotamento sanitário. A gordura sólida provoca entupimentos e, consequentemente, transbordamento ou retorno de água servida na rua ou dentro dos imóveis, um verdadeiro “infarto” no Sistema de Esgotamento Sanitário (SES).

CAIXA DE GORDURA

A falta de manutenção na caixa de gordura das residências também provoca o problema, pois a gordura produzida transborda para o sistema de esgoto. É indispensável o correto dimensionamento da caixa de gordura de acordo com a quantidade de gordura a ser recebida, assim como a sua periódica limpeza e manutenção. Nas residências a limpeza da caixa de gordura pode ser feita mensalmente, enquanto em restaurantes e hotéis, essa frequência pode ser menor, dependendo do porte e do acúmulo de gordura produzida pelo estabelecimento.

Quando estes estabelecimentos, considerados grandes consumidores, utilizam a rede de esgotos da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) para descartar o óleo usado, os estragos são ainda maiores, como já observado em regiões comerciais das cidades atendidas pela Caern. Há pouco mais de um ano, um grande extravasamento foi identificado na Avenida Hermes de Fonseca. Outra área de constantes ocorrências é Ponta Negra, que possui grande adensamento comercial no ramo alimentício.

CAMPANHA ORIENTA PONTOS DE DESCARTE DO ÓLEO

Mas para onde deve ser destinado o óleo usado? O ideal é recolher o óleo em garrafas pets (aquelas de refrigerante) para destinar para as associações que recolhem o óleo e destinam para processos de reciclagem. Para orientar a população sobre o descarte adequado do óleo na rede, o programa Esgotamento Legal da Caern realiza uma campanha durante todo o mês de outubro.

O “Esgotamento Legal” é coordenado pela Unidade de Gestão de Empreendimentos Sociais (UESO) está com uma ação educativa para orientar a população a não lançar óleo nas pias. Na Zona Norte, o evento acontecerá na terça-feira (08), às 15h, na Associação de Idosos Julieta Barros. O evento terá uma vasta programação educativa-cultural e aberto para toda a população. Os locais dos eventos também serão pontos de coletas de óleo usado.

 

Para detecção de objetos proibidos em visitas, sistema de escaneamento Body Scan é instalado na Cadeia Pública de Mossoró

Foto: Ilustrativa

A Cadeia Pública de Mossoró instalou, nesta quarta-feira (31), o Body Scan, equipamento utilizado nas unidades prisionais, para escanear os visitantes dos internos. O aparelho é considerado importante para a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap/RN), pois permite a detecção de objetos proibidos no momento das visitas.

Todos os agentes penitenciários da unidade prisional passaram no treinamento para operar a ferramenta e os familiares dos apenados já estão sendo cadastrados biometricamente. A previsão é que a partir da próxima semana, o Body Scan seja utilizado nas visitas.

Até julho, o equipamento de escaneamento também foi instalado na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na Cadeia Pública de Natal e de Ceará Mirim. As próximas unidades são a Penitenciária Estadual de Alcaçuz, a Penitenciária Estadual Rogério Coutinho Madruga e o Complexo Penal Estadual Agrícola Mario Negócio, em Mossoró.

Destaca-se que o procedimento promove aos agentes penitenciários maior segurança além de que, elimina o procedimento de vistoria íntima nas unidades prisionais e acaba com as imensas filas formadas no dia das visitas, resultantes do vagaroso processo anterior.

TJRN: Ouvidoria tem novo regimento e sistema para recebimento e acompanhamento de demandas

O Pleno do Tribunal de Justiça do RN aprovou o novo regimento interno da Ouvidoria de Justiça, órgão responsável pela interlocução entre o público (interno e externo) e o Poder Judiciário potiguar. O normativo institui ainda o uso do sistema е-Ouvidoria, que garantirá o acompanhamento das ocorrências registradas e deverá ser o veículo para tramitação das manifestações em todas as unidades organizacionais do TJRN.

O desembargador João Rebouças, ouvidor geral do TJRN, explica que o sistema digital já está pronto pra uso e aguarda validação pelos servidores, que estão fazendo testes para garantir a plena viabilidade da ferramenta.

O ouvidor geral aponta que o sistema e-Ouvidoria trará como vantagem a possibilidade de fazer levantamentos estatísticos sobre os serviços realizados. “A Ouvidoria passava por uma séria dificuldade na obtenção de dados qualitativos e quantitativos, os quais não tinham nenhum tipo de ordenamento. E a partir dessa nova ferramenta digital teremos um banco de dados que permitirá desenvolver metas para o atendimento ao público que nos procura. É um legado que deixamos, já que a Ouvidoria é a porta de entrada para avaliar o serviço que o Poder Judiciário disponibiliza em relação ao público interno e externo”, destaca o desembargador João Rebouças.

Assim, será possível avaliar, por exemplo, “quais comarcas e varas tem mais reclamações e quais são mais elogiadas, qual o perfil das pessoas que procuram a Ouvidoria, se são advogados, servidores ou as próprias partes, o nível de instrução e conhecimento jurídico dessas pessoas”, explica Rebouças. A partir de dados como esses “conseguiremos traçar estratégias visando o aprimoramento de nosso trabalho”, ressalta o desembargador.

O sistema e-Ouvidoria permite também a integração da Ouvidoria do TJRN com as demais ouvidorias do Judiciário e de outros órgão públicos do Executivo e Legislativo. Dessa forma, “haverá o encaminhamento das demandas aos órgãos competentes de cada instituição, facilitando o processo para o cidadão que faz uso do serviço”.

Regimento

Além do novo sistema digital, o atual regimento da Ouvidoria precisou passar por adaptações para fazer adequações à Lei de Acesso à Informação, que exige maior transparência em relação aos dados fornecidos para população, especialmente no tocante a orçamentos e despesas públicas. Outra inovação do regimento foi o estabelecimento de prazos, trâmites e ritos que definiram um novo procedimento administrativo para as demandas levadas a Ouvidoria.

O desembargador João Rebouças destacou também que o novo regimento pode ser visto como resultado de uma série de ações realizadas em sua gestão buscando conscientizar e chamar a atenção do Poder Judiciário para importância de serviço realizado pela Ouvidoria.

Acesse AQUI o site da Ouvidoria.

 

Deputados reiniciam hoje votação de mudanças no sistema político-eleitoral

A Comissão Especial da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que trata de mudanças no sistema político-eleitoral, retoma hoje (15) a votação das sugestões de alteração ao texto do substitutivo apresentado pelo relator da reforma política na Câmara, deputado Vicente Cândido (PT-SP).

Estão pendentes de votação dois destaques. Um visa retirar a permissão para que um candidato dispute mais de um cargo, majoritário e proporcional, em um mesmo pleito. O outro destaque pretende suprimir o artigo que estabelece que o suplente de senador seja o deputado federal mais votado do partido.

Os membros da comissão aprovaram na última semana o texto base do relator, mas incluíram na proposta o voto majoritário, conhecido como distritão, pelo qual ganha o candidato que receber mais votos. O novo modelo valeria para as eleições de 2018 e 2020, como uma transição para a adoção do voto distrital misto em 2022.

O chamado distritão permite que deputados federais, estaduais, distritais e vereadores, antes eleitos de forma proporcional considerando os partidos e coligações, passem a ser escolhidos pelo número absoluto de votos, da mesma forma como são eleitos prefeitos, governadores e o Presidente da República.

No relatório inicial, Cândido propôs a manutenção do sistema atual para 2018 e 2020 e, a partir de 2022, a adoção do voto distrital misto, que combina votos majoritários e em lista preordenada dos partidos. A sugestão, no entanto, foi rejeitada pela maioria dos deputados da comissão.

Do texto original proposto pelo relator, os deputados aprovaram a criação de um fundo público com a previsão de R$ 3,6 bilhões para financiar as campanhas eleitorais a partir do ano que vem. Os parlamentares mantiveram também a sugestão de estabelecer um mandato temporário de 10 anos para ministros do Poder Judiciário.

Além de rejeitar o sistema eleitoral proposto por Cândido, os deputados também divergiram da proposta de extinguir os cargos de vice para os cargos de prefeito, governador e Presidente da República, além da forma de eleição de vereadores a partir do sistema distrital misto.

Concluída a votação na comissão especial, a proposta deve seguir para plenário. Como se trata de emenda à Constituição, para ser aprovada precisa de pelo menos 308 votos do total de 513 deputados.

Ministério da Justiça lança sistema que integra dados sobre segurança pública no país

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, lançou hoje (11) o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp). Segundo ele, já foram investidos R$ 75 milhões em equipamentos, por meio de convênios, para estados e municípios informatizarem delegacias e contribuírem com a alimentação de dados. Mais R$ 11 milhões foram destinados ao Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), para o desenvolvimento do sistema.

Também participaram da cerimônia a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, o diretor-presidente do Serpro, Marcus Vinicius Ferreira Manzoni, e o secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, André Garcia.

O portal público do Sinesp tem como foco a divulgação transparente de dados estatísticos unificados e a emissão de relatórios detalhados sobre o mapa da criminalidade no Brasil. Até 2008, a segurança pública trabalhava com dados do Datasus, do Sistema Único de Saúde (SUS). “É impossível se pensar em políticas de segurança pública sem informações. Se não se sabe onde acontece a criminalidade, essas políticas são feitas aleatoriamente, baseadas em relações políticas, ou seja, sem gestão”, disse o ministro da Justiça.

Em uma segunda etapa, será disponibilizado um portal restrito a profissionais da segurança pública, com informações integradas das polícias. “Todo esse sistema ajudará no planejamento de ações e prevenções, além de democratizar a distribuição de recursos de segurança”, explicou Cardozo.

Segundo o ministro, foi necessária a criação de uma lei específica para incentivar a adesão dos estados e não violar o princípio federativo. “Tivemos o apoio do Congresso Nacional e os estados que não se adequarem ao sistema não receberão orçamento para segurança. Todos já aderiram e agora serão capacitados”, disse Cardozo, explicando que, se for dado continuidade e aprofundamento nas ferramentas do sistema, até o final de 2015 ele estará em completo funcionamento.

De acordo com a secretária nacional de Segurança Pública, apenas Mato Grosso do Sul está totalmente informatizado e, principalmente em estados do Norte e Nordeste, ainda será preciso superar alguns entraves tecnológicos. Ainda assim, ela garante a segurança do sistema. “Tivemos todos os cuidados para evitar violações e a blindagem do sistema é total”, disse, ao relatar que, no mês de junho, durante o pré-teste, houve 6,4 milhões de tentativas de violações e o site não foi invadido, nem tirado do ar.

O sistema também conta com o Sinesp Cidadão, que disponibiliza, em sua primeira versão,  um aplicativo para consulta de veículos registrados na base de dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A ferramenta permite verificar se há registros de furtos, roubos ou se o veículo é clonado.

Esse aplicativo já está disponível para downloads em dispositivos Android e, em breve, estará também para sistemas iOS e Windows Phone. Outros módulos também serão implantados, como para identificação de mandados de prisão e dicas de segurança.

O ministro da Justiça enfatizou a importância e dimensão da participação dos cidadãos, uma vez que, mesmo antes do lançamento, já haviam sido feitos mais de 17 mil downloads do aplicativo. “Já tivemos carros recuperados pelo sistema. Mas é importante que as pessoas não façam abordagens a veículos irregulares no Sinesp Cidadão”, acrescentou Cardozo, explicando que o sistema orienta o cidadão a acionar a Polícia Militar pelo 190.

Agência Brasil

Apple projeta sistema que ajusta carro pelo celular

apple-1A Apple está pedindo a patente de um novo sistema que armazena ajustes de banco, espelho e volante no seu smartphone e configura os ajustes assim que você entra no veículo.

O projeto parte da ideia de que você não precisaria nunca mais ajustar essas partes de um veículo ao seu biótipo, uma vez que apenas com um toque no celular, ele faria a interação entre suas configurações pré-definidas e o carro. O pedido de patente não diz isso, mas para que o sistema funcione é preciso que esses ajustes no veículo sejam elétricos.

Se aprovada, esta patente seria uma evolução do iOS in the car, sistema da Apple para carros que oferece suporte aos aparelhos da marca, como iPhone, iPad e iPod, e que atualmente já permite acessar através do veículo mapas, músicas, mensagens, entre outros, que estão armazenados em um desses dispositivos.

Twitter introduz sistema de alerta para emergências e desastres

O Twitter, que está se preparando para sua oferta pública inicial (IPO), informou na quarta-feira que irá ajudar os usuários a receber alertas especiais de agências governamentais e agências de ajuda em situações de emergência.

Os usuários que se inscreverem e fornecerem seu número de celular receberão notificações de smartphones através do aplicativo Twitter, bem como mensagens de texto SMS a partir de qualquer uma das várias agências que se inscreveram para o programa.

A Agência Federal de Gerenciamento de Emergências, nos EUA, o Serviço de Prevenção de Desastres, em Tóquio, e a Organização Mundial de Saúde estão entre os participantes,

O programa de alertas começa um ano após o Twitter ter exibido seu potencial como uma tábua de salvação durante o furacão Sandy, quando os moradores presos na costa leste dos EUA relataram o progresso da tempestade e procuraram ajuda na rede móvel.

O Globo

Polícia Federal diz que sistema de emissão de passaportes voltou a funcionar

A Polícia Federal informou que o sistema de emissão e retirada de passaportes voltou a funcionar. Uma pane elétrica havia suspendido o serviço em alguns estados do país.

O problema, de acordo com o órgão, foi provocado pela forte chuva que atingiu a capital federal na noite de ontem (24). Outros sistemas, como o de consulta a antecedentes criminais, também foram afetados.

Servidores trabalhavam para solucionar a pane desde as 4h de hoje (25).

 

Hacker descobre falha no iPhone que permite roubo de dados

Um hacker descobriu e divulgou uma falha que supostamente está presente desde as primeiras versões do sistema operacional móvel iOS até a última, de número 6, ainda por ser disponibilizada ao usuário final.

Segundo “pod2g“, o erro possibilitaria o acesso a dados privados de qualquer usuário que responder SMS ou correios de voz infectados. De acordo com a análise do pesquisador de segurança, o bug se aproveita de um protocolo chamado PDU, que controla o recebimento de mensagens, e por isso conseguiria acessar o cabeçalho dos textos e com isso acessar as informações pessoais. Além disso, se o conteúdo do SMS contiver outros dados eles poderão ser facilmente roubados também.

A Apple ainda não se pronunciou sobre a falha. Recentemente, outro hacker descobriu que o sistema operacional da companhia norte-americana tinha uma brecha que permitia o download gratuito de qualquer aplicativo pago, assim como a compra de bens in-app.

Fonte: Olhar Digital

Magistrados apresentam levantamento da situação carcerária do RN

Nesta sexta-feira, 17, haverá uma coletiva na Associação dos Magistrados do RN (AMARN ) sobre a situação carcerária no Rio Grande do Norte. Pela primeira vez, juízes de várias comarcas do estado – Mossoró, Caicó, Pau dos Ferros, Parnamirim e Natal – vão apresentar a real situação das unidades prisionais, algumas com possibilidade de interdição total. O evento está marcado para as 15h.

A situação no sistema carcerário do Rio Grande do Norte é preocupante. Segundo levantamento feito, através de denúncias do Ministério Público e apurados pelos juízes responsáveis pelas comarcas onde existem presídios, a superlotação é apenas um dos problemas enfrentados pelos presos e agentes penitenciários.

Além da interdição parcial de Alcaçuz, a Casa de Albergue, na Penitenciária Estadual do Seridó, foi interditada pelo juiz de Caicó Luiz Cândido Vilaça no começo de agosto. O local não tem condições de receber os 60 presos em regime semi-aberto por causa das precárias instalações físicas.

Abaixo segue um levantamento feito pela juíza da 1ª Vara Criminal de Parnamirim Cinthia Cibele Diniz de Medeiros:

Centro de Detenção Provisória Nova Parnamirim: Capacidade 48 Lotação 51
Centro de Detenção Provisória Parnamirim – Feminino: Capacidade 90 Lotação 115
Centro de Detenção Provisória Parnamirim – Masculino: Capacidade 80 Lotação 146

Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP):
Regime Fechado, capacidade 286; lotação 467
Regime Semiaberto, capacidade 120; lotação 155
Regime aberto, ocupação 56.

Um relatório de inspeção no Complexo Penal Regional de Pau dos Ferros, no início de agosto, apresenta situação semelhante, segundo o juiz Rivaldo Pereira Neto.

Durante a coletiva, os magistrados irão apresentar dados, fotos e informações sobre o sistema carcerário nas principais unidades, como Alcaçuz, Penitenciária Estadual do Seridó, Complexo Doutor João Chaves e outras.

OPINIÃO DOS LEITORES:
  1. Observador disse:

    Qual o objetivo da entrevista? não é pública e notória a situação? o que querem afinal?

Sejuc implanta programa de emissão de certidão de nascimento em hospitais

A Secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc), por meio da Coordenadoria de Direitos Humanos e Defesa das Minorias (Codem), dá início, na próxima segunda-feira (16), a emissão de certidões de nascimento, através do Programa de Erradicação do Sub-Registro Civil de Nascimento e Acesso da População à Documentação Básica em cinco unidades hospitalares interligadas com cartórios do Rio Grande do Norte.

As unidades pilotos, onde o programa será implantado são: Maternidade Januário Cicco, em Natal; Casa de Saúde Dix Sept Rosado, em Mossoró; Hospital Universitário Ana Bezerra, em Santa Cruz; Maternidade Dr. Sadi Mendes (Divino Amor), em Parnamirim; Hospital e Maternidade Dr. Pedro Bezerra (Santa Catarina), em Natal.

O programa tem como meta conscientizar as pessoas e assegurar que todos, crianças e adultos, não fiquem sem o registro civil de nascimento. O documento é gratuito para todas as idades. O programa também busca alcançar as pessoas excluídas por barreiras sociais, políticas, econômicas e culturais.

De acordo com a coordenadora da Codem e membro do Comitê Gestor Estadual do Sub-Registro Civil de Nascimento, Adna Lígia, o programa tem entre seus objetivos efetuar o registro civil de nascimento nos primeiros dias de vida do recém-nascido, quando pais e filhos ainda estão dentro da unidade hospitalar. “Nossa meta é alcançar 49 Unidades hospitalares no Estado, equipando as maternidades com computadores, impressoras, birôs e profissionais treinados e aptos a emitirem a certidão”, finalizou Adna.

Unidade Interligada

Serve para encurtar o caminho entre hospitais e cartórios, pois possibilita que a que a mãe saia da maternidade com o bebê já registrado e com a certidão de nascimento.

Certidão de Nascimento

É o primeiro passo para o pleno exercício da cidadania no País. É gratuita e indispensável. Sem o documento, meninos e meninas ficam privados de seus direitos fundamentais, sem acesso aos benefícios sociais. Sem ela, adultos não podem obter a carteira de identidade, CPF e outros documentos.

Justiça Federal lançará sistema eletrônico de controle de medidas e penas alternativas

Na próxima sexta-feira, a Justiça Federal do Rio Grande do Norte lançará um sistema informatizado para atuar diretamente na comunicação e no controle das penas e medidas alternativas. O “Sistema Integrado de Medidas e Penas Alternativas” (SIMP) disponibilizará um software onde as instituições que recebem pessoas para trabalharem em penas ou medidas alternativas prestarão as informações on line ao Judiciário Federal.

O sistema foi todo desenvolvido pelo Núcleo de Tecnologia da Informação da Justiça Federal do Rio Grande do Norte. “O sistema permitirá uma comunicação melhor e o controle inteligente e mais eficiente sobre o cumprimento das medidas e penas alternativas”, destacou o Juiz Federal Walter Nunes da Silva Júnior, titular da 2ª Vara Federal, especializada em Execuções Penais.

O novo sistema também cria um “relógio de ponto” para aquelas pessoas que cumprem penas ou medidas alternativas e precisam, por decisão judicial, regularmente comparecer à Justiça Federal. Um equipamento semelhante a relógio de ponto será instalado na 2ª Vara e a freqüência dos que cumprem penas ou medidas alternativas será registrado automaticamente.

“Com esse novo sistema, a Justiça Federal do Rio Grande do Norte, a um só tempo, automatiza e desburocratiza a fiscalização do cumprimento das medidas e penas alternativas, assim como das medidas cautelares diversas da prisão, quando for o caso”, analisou o Juiz Federal Walter Nunes.

Juiz aponta motivos das constantes fugas em Alcaçuz

O juiz Henrique Baltazar, especialista em Direito Processual Civil e Penal, passou o ano de 2011 focando seus trabalhos na Vara de Execução Penal, mas já foi designado para trabalhar de olho no sistema prisional estadual com o objetivo de tentar encontrar soluções para Alcaçuz.

Mesmo ainda sem encontrar soluções, ele já aponta os motivos. De acordo com o magistrado, que tem amplo conhecimento na área, as fugas são registradas com frequência por causa dos presídios ruins (mal localizados e construídos), pela falta de agentes e PMs, pelo número insuficientes de equipamentos de contenção física, pela ausência de vigilância (eletrônica e pessoal), pela deterioração das estruturas antigas sem reformas, pela má administração e pela corrupção.

As explicações e as declarações do juiz Henrique Baltazar soam como um soco na boca do estômago de quem deveria ter cuidado da administração do sistema prisional nos últimos anos. Não apenas em uma ou duas gestões, mas em todas. Pois se está assim hoje é porque algo deixou de ser feito no passado.

“As desculpas, de tão repetidas, já estão abusivamente manjadas: retrovisor, Lei de Responsabilidade Fiscal, não sabia e etc.”, escreveu o jurista em sua página pessoal do Twitter.